Categoria(s) do post: Social

Eu fiz um exercício no ano passado que foi muito útil para eu administrar melhor os meus relacionamentos, mas com foco em ficar bem.

Peguei uma folha de sulfite e criei três colunas com os grupos:

  1. pessoas que me fazem mal
  2. pessoas que eu gostaria de me relacionar mais
  3. pessoas que eu realmente me importo

No primeiro grupo, listei todas as pessoas que considero tóxicas, que sua simples presença não me deixa legal, ou até mesmo que me faz mal acompanhar pela Internet e pelas redes sociais. Foi um exercício surpreendente, porque me permiti inserir algumas pessoas em um ato que nunca tinha assumido para mim mesma antes.

No segundo grupo, listei pessoas que simplesmente gostaria de ter mais contato. Pessoas que eu admiro, pessoas que me fazem bem, pessoas que estão alinhadas com os ideais de vida que eu tenho.

No terceiro grupo, listei amigos, pessoas da família e outras que eu realmente me importo muito. Sim, e pode acontecer de uma mesma pessoa estar em grupos diferentes.

A ideia é a seguinte:

  • Com relação ao primeiro grupo, com cada uma vou lidar de maneira diferente. Tem pessoas que basta eu deixar de seguir nas redes sociais, por exemplo. Outras são mais próximas, então preciso pensar, para cada uma, como eu conseguiria lidar melhor. O ideal seria se afastar, mas nem sempre dá, especialmente se elas estiverem no terceiro grupo também. Mas para todas aquelas que dá, certamente é o ideal.
  • Com relação ao segundo grupo, também fui perguntando, de uma em uma, o que seria legal para eu me aproximar mais. Marcar um chá? Um almoço? Fazer algum tipo de parceria profissional? Cada pessoa tem suas particularidades.
  • Com relação ao terceiro grupo, mais uma vez valeu a análise individual. Se eu me preocupo com essa pessoa, o que eu posso fazer para ajudar na vida dela? Como posso estar mais presente?

Esse exercício foi importante porque muitas vezes podemos deixar de lado pessoas que realmente nos importamos, deixamos de focar nelas, para focar pensamentos e energia em pessoas que nem valem a pena, sabe. Ao mesmo tempo, também me mostrou como existem pessoas bacanas que eu gostaria de me relacionar mais, então a vida é muito curta para perder tempo com quem nos faz mal, sendo que existem tantos relacionamentos legais para a gente focar.

Se você fizer esse exercício, compartilhe comigo nos comentários quais foram as suas percepções. 😉