Categoria(s) do post: Anual

Eu vou comentar em um futuro post que eu não costumo sentar e fazer um planejamento do ano civil seguinte, mas sim que planejo o ano a cada semana, pois minhas atividades profissionais demandam isso. Mas falarei em outro post. O que quero falar hoje é sobre um planejamento anual que costumo fazer com base no meu aniversário – ou seja, a chamada “revolução solar” na astrologia. Porque isso sim é uma coisa que faço porque gosto, mas já digo que não é para todo mundo… vou compartilhar então o que é, por que faço e como faço.

Como o meu aniversário é no dia 25 de setembro, quando começa a chegar perto dessa época, eu já inicio o meu planejamento do novo ano solar. É uma boa maneira de driblar o inferno astral. São basicamente duas coisas que analiso:

  1. Mapa astral da revolução solar
  2. Ano pessoal de acordo com a numerologia cabalística
  3. Tendências do ano de acordo com o tarô

Eu não faço isso sozinha. Contato sempre pessoas que sejam especialistas nessas áreas para me ajudar. (no caso da numerologia, contate a Wanice Bon’Ávigo) No caso do tarô, gosto de fazer, mas isso não exclui a possibilidade de, vez ou outra, eu querer a visão de alguém de fora.

Vale pontuar logo no começo de texto a primeira objeção cética que pode surgir: eu não “baseio” as minhas decisões nessas análises, mas elas me permitem refletir e focar em alguns pontos de atenção que servem como referência.

A revolução solar analisa o período que vai de um aniversário a outro: tendências, desafios, áreas que estarão mais em foco, oportunidades e desafios que podem surgir, como estará sua disposição interior para agir com relação a todas as coisas da sua vida e orientações de maneira geral para aproveitar esse momento.

Através do cálculo de qual será o número que representa o seu ano pessoal, a numerologia consegue determinar quais os campos, áreas e atividades você terá mais chances de ser bem sucedido no ano. Tanto a revolução solar quanto a numerologia para o ano funcionam melhor se você já tiver feito tanto um mapa astral quanto um mapa numerológico pessoal geral, porque eles vão te dar uma visão de quem você é como um todo. Eu adoro esse trabalho de auto-conhecimento e acho sim muito útil para ajudar em planejamentos como um todo.

Por fim, com relação ao tarô, gosto de fazer uma análise das diversas áreas da vida (através da técnica mandala), além de tirar uma carta regente para cada mês, para ver o que aparece.

Eu registro essas análises no meu Evernote e revisito mensalmente para ver as “previsões” e reflexões. Já venho fazendo há alguns anos e isso me ajuda a me engajar de maneira mais apropriada com o ano até o meu próximo aniversário, mês a mês.

Não sei se vocês fazem algo parecido, então quis compartilhar. Deixe um comentário caso vocie faça algo semelhante ou tenha dúvidas. Obrigada!