Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Recentemente concluí que um dos meus grandes propósitos de vida é ajudar as pessoas a serem menos estressadas.

Descobri isso quando passei a falar muito sem querer, explicando como funciona o propósito nos horizontes de foco no método GTD. E, de tanto sair natural, percebi que era natural porque de fato é o que eu faço.

Por que isso é importante?

Porque descobrir propósitos ajuda a gente a tomar decisões.

Quando eu falo para as pessoas que tenho um blog chamado “vida Organizada”, recebo quase de bate e pronto a resposta: “ah, então você deve ser fanática por organização!”. E sabe, há todo um trabalho de educação em mostrar que:

  1. Organização não é sinônimo de fanatismo, e sim de praticidade.
  2. Organização não é sinônimo de casa impecavelmente limpa o tempo todo.
  3. Organização não é sinônimo de engessar a vida e “viver sob listas”.

O que é organização, para mim:

  • Levar uma vida coerente com os seus valores, de modo que seus projetos e atividades estejam alinhados com quem você verdadeiramente é.
  • Ter em sua vida, em sua casa, só aquilo que é necessário para você. E isso não tem a ver com quantidade de coisas. Tem a ver com necessidades de vida, de propósito, de alma, e também do dia a dia.
  • Viver uma vida tranquila em todos os aspectos. Pensando no futuro, bem-resolvida com o passado e aproveitando o presente.

Talvez você pense que isso não tenha a ver com organizar. Eu acredito que tenha sim. Significa organizar os pensamentos, os recursos, os projetos, a vida como um todo, através de uma linha coerente.

Quando eu falo sobre reduzir o estresse na vida das pessoas, vou nesse ponto porque sei que é a grande “dor” hoje. Sabe, eu passei por isso. Eu fui uma pessoa estressada. Eu aprendi a como lidar com isso e ser uma pessoa tranquila. Claro que não 100% do tempo (até o Dalai Lama tem seus dilemas…), mas eu sei identificar quando estou estressada e sei ficar tranquila de novo. E devo tudo isso muito mais ao GTD que à meditação (apesar de ambos serem muito bons e terem me influenciado enormemente).

Fico chateada de ver pessoas ao meu redor, em minha família ou em círculo íntimo de amizades, sofrendo com estresse. Fico chateada quando fico sabendo que os amigos dessas pessoas estão sofrendo com estresse. Fico chateada quando chego em uma empresa para ministrar um treinamento e ouço o depoimento das pessoas. Fico chateada quando um leitor do blog compartilha comigo como sua vida está sofrida nesse ponto. E quero ajudar. só isso.

Me sinto abençoada por fazer disso o meu trabalho? Sim e não. Sim pelo fato de estar viva. Essa é uma grande bênção que agradeço diariamente. Não porque não depende apenas de bênçãos. Depende de muita resiliência, muita força de vontade, muito senso de propósito. Mas sim, tudo vem da eterna bênção de estar viva e poder guiar a minha vida…

Compartilho com vocês porque sinto que é legal compartilhar esses pensamentos, para que vocês saibam os rumos que o blog está tomando.

Continuemos.