Categoria(s) do post: Estudos, Áreas da Vida

Hoje vim falar de uma tendência mundial que tem o nome de Bible Journaling, ou “fazendo diário na bíblia” que, apesar de ter sido criada para um livro específico, pode ser uma técnica usada para livros de outras religiões e mesmo sobre outros temas. Como é, além de bonito, com um viés prático (você facilita seus estudos e absorção do tema), quis postar aqui para inspirá-los.

Imagem: Kimberly Layton
Imagem: Kimberly Layton
Imagem: sillybeeschickadees
Imagem: sillybeeschickadees

A ideia é adicionar toques do seu estilo pessoal ao grifar trechos importantes ou significativos ou ao fazer anotações.

Imagem: Instagram/karladornacher
Imagem: Instagram/karladornacher
Imagem: Magnolia Magenta
Imagem: Magnolia Magenta

Você pode usar lápis de cor, giz de cera, aquarela e até washi tape (fita adesiva decorada). Use sua imaginação!

Imagem: constancedenninger
Imagem: constancedenninger

Quem não gosta de desenhar pode usar recortes e adesivos também.

Imagem: Instagram/mpjournalingbible
Imagem: Instagram/mpjournalingbible

Gostou da ideia? Deixe um comentário!

Categoria(s) do post: GTD™

GTD é um método de produtividade criado por David Allen. Eu utilizo o método, então todo o Vida Organizada gira em torno do que aprendo vivenciando o método no meu dia a dia, há anos. Até meu conceito de organização é influenciado por ele. Procuro ir além do método aqui no blog, me referindo a outros assuntos, mas todo o mecanismo de funcionamento se baseia muito nas ideias do David. Sei, no entanto, que algumas pessoas até deixam de ler um texto do blog quando tem “GTD” no título porque acham que não diz respeito a elas, mas de fato o Vida Organizada é filho do GTD. Se você gosta do Vida Organizada, você pode gostar do que o GTD tem a te dizer. 🙂

Gostaria de compartilhar com vocês uma maneira nova, com novas lentes, de enxergar a implementação do método GTD.

O GTD é um método e, por isso, tem livros, cursos, textos na internet e muito conteúdo a respeito. Para implementar qualquer metodologia, são necessários estudo e prática. No entanto, o bom de todo método é que se trata de um caminho mastigadinho que apenas nos diz o que devemos fazer. O caminho das pedras já foi percorrido por outra pessoa, que nos dispôs a nos ajudar a chegar lá também.

O “caminho” do GTD é exemplificado em 5 passos: capturar, esclarecer, organizar, refletir e engajar. Mas, quando a gente fala em passos, parece que é uma coisa que a gente faz uma atrás da outra, meio processual e até rápida.

Esta semana ouvi um webinar do David onde ele começa a chamar os 5 passos não de passos, mas de hábitos. Porque é exatamente o que eles são.

Se você começar a ver esses 5 passos como hábitos, talvez fique mais fácil entender do que se trata a metodologia e onde você quer chegar nesse primeiro momento de implementação.

Esses são então os 5 hábitos que você tem que buscar implementar para dizer que está usando o GTD:

1. Capturar

Colete o que tem sua atenção. Não pense em uma coisa duas vezes. Se pensou em uma ideia muito legal, precisa fazer algo ou lembrou de alguma coisa que não pode esquecer, colete. Sua mente foi para ter ideias, não para armazená-las. Este hábito deve acontecer ao longo de todo o dia, sempre que você se lembrar de algo do tipo.

2. Esclarecer

Pegue cada item capturado e esclareça o que aquilo significa. Demanda algum tipo de ação? Se não, como vou lidar com essa informação? Se sim, qual é a próxima ação? Este hábito deve ser feito ao processar e-mails e sua caixa de entrada, geralmente entre 24 e 48 horas, dependendo da sua rotina.

3. Organizar

Depois de esclarecer o que cada coisa significa, armazene essas informações em categorias apropriadas, de modo que faça sentido acessá-las quando você precisa. Você não precisa saber que precisa comprar pilhas para o controle remoto quando senta para assistir tv, mas quando estiver no supermercado. O mesmo vale para exames médicos já realizados, ações que você precisa executar e projetos que precisam ser tocados. Este hábito está sempre em construção, pois você sempre buscará melhorias nos programas que usa e sistemas de arquivamento. Você pode considerar este hábito incorporado quando não pensa mais sobre os programas e formatos que está usando – tudo está funcionando bem.

4. Refletir

Revise suas informações regularmente para garantir que estejam atualizadas e as prioridades bem identificadas, se refletindo no seu dia a dia. Um ponto-chave desse quarto hábito é a revisão semanal.

5. Engajar

Utilize o seu sistema para tomar decisões com confiança, sabendo que está fazendo a coisa certa na hora certa.

Quando tudo isso acima for uma realidade para você, significa que você está usando GTD.

Se ainda não é, há melhorias a serem implementadas. Identifique o que precisa melhorar e então processe isso adequadamente. Lembre-se: você não tem problemas; você só tem projetos.

O GTD é um conjunto de hábitos, mas felizmente temos aqui mais de 35 anos de experiência de um profissional nos ensinando como fazer, além de vasto conteúdo disponível para aprendizado. Mas você precisa começar. 🙂 Todo esse estado de mente tranquila como água, vida organizada etc, só depende de você, do seu interesse, disciplina e força de vontade.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Ontem foi realizado o webinar gratuito “Como lidar com interrupções”. Muitas pessoas se inscreveram e as vagas se encerraram no mesmo dia. Recebi muitos e-mails de leitores que queriam participar mas, como estava escrito no post da inscrição, a ferramenta tem um limite de participantes e, quando esgotada a sessão, não tem como inscrever mais pessoas. De qualquer maneira, o webinar já está no YouTube e pode ser conferido aqui!

Abaixo você confere também um mapa mental com um resumo das dicas (clique para ampliar):

unnamed

Foi muito bacana fazer esse webinar em parceria com a Carol, que é instrutora (e meu braço direito) no Vida Organizada. Vocês ainda a verão bastante por aqui. 🙂

Quem tiver interesse em se aprofundar no tema pode se inscrever para o curso online que ainda tem vagas e que acontecerá dia 14 de abril: Aprenda a se planejar e executar com significado. Obrigada!

Categoria(s) do post: GTD™

Ontem postei no meu Twitter que realizei um exercício de visão e muitas pessoas me pediram para falar mais aqui no blog. Foi um exercício simples, mas achei que seria uma oportunidade legal de falar a respeito e de repente ajudar alguém da mesma maneira que me ajudou.

Pegue uma folha de papel e uma caneta. Reserve um tempo concentrado, de 5 a 10 minutos, para fazer esse exercício.

Pense em sua vida daqui a 10 ou 15 anos. Imagine-se acordando nesse dia.

Imagine que a situação ideal em sua vida existe.
Como seria um dia a dia tranquilo para você?

Você está chegando no trabalho. O que acontece? Imagine cada detalhe, até a hora de ir embora.

Quando você vai embora, o que você faz? O que você vê? Quem você encontra? Que sensações você tem?

Como são os seus finais de semana? Como você se sente?

Escreva. Imagine e escreva.

Fazer esse simples exercício de visão transforma completamente a relação que você tem com seu momento presente. Te ajuda a ter perspectiva e foco onde você quer chegar.

Na prática, significa não perder tempo ou se preocupar com “micro-problemas” ou problemas temporários e focar sua atenção e esforço naquilo que realmente importa.

Pensar em como você vê a sua vida e o seu estilo de vida daqui a alguns anos não serve para engessar a vida e dizer que você “tem que” fazer aquilo exatamente. A vida muda. O valor desse exercício está justamente em mudar sua relação com o presente.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Eu venho transformando a minha vida em diversos sentidos ultimamente. Ter realizado um exercício de visão simples me fez ver o que quero da minha vida para daqui a 15 anos e isso transformou completamente a minha relação com a realidade e o foco que eu tenho nas minhas atividades. Muitos problemas se tornaram obsoletos. Alguns projetos se tornaram automaticamente mais prioritários do que os outros, e eu resolvi pegar mais leve naquilo que não faz parte da minha visão – ou pelo menos não a impacta tão diretamente.

[Tweet ““Tire o pé do acelerador. Estar ocupado é uma forma de preguiça.” – Tim Ferriss”]

Eu não sei vocês, mas eu cheguei a perder o sono uma noite na semana passada acompanhando as notícias sobre o cenário político do nosso país. Mas por favor: não quero discutir política aqui neste post. Não é o foco, e peço que não levem por esse lado nos comentários. O que quero explorar aqui é algo que já venho fazendo desde que li o livro do Tim Ferriss (“Trabalhe quatro horas por semana”) pela primeira vez, anos atrás. Trata-se da ignorância seletiva.

Adoro ouvir podcasts sobre produtividade, empreendedorismo, organização e assuntos de interesse pessoal. Leio meus feeds com certa regularidade e sou assinante de um jornal. Adoro revistas. Leio muito. Sempre busco me informar sobre os assuntos de curiosidade atual.

Mas eu recentemente tomei as seguintes decisões. Não me importo com o nível de polêmica delas. Quero apenas compartilhar. 🙂

  • Cancelei a assinatura que eu tinha do tal jornal.
  • Parei de ler meus feeds com tanta regularidade. Cancelei diversas assinaturas e leio só de vez em quando, buscando assuntos específicos de interesse pessoal e profissional.
  • Listei tudo o que faço e que recebo comunicações por isso (redes sociais, e-mails) e estou bolando maneiras de reduzir e delegar todas as atividades relacionadas possíveis.
  • Tirei todas as notificações do meu celular, deixando apenas o toque de ligações – sempre no silencioso, e só atendo se estiver sem fazer nada. Vejo o What’s App nos intervalos ao longo do dia. Processo meus e-mails de uma a duas vezes por dia. Dou uma olhada no que chega nos intervalos também e, se tiver algo urgente, telefono, mando mensagem ou respondo rapidamente.
  • Enviei um e-mail a algumas pessoas que costumavam me telefonar com frequência para dizer que não atendo sempre o telefone e me ligarem apenas se for realmente urgente.
  • Inseri uma assinatura nos meus e-mails explicando que eu processo meus e-mails em determinada frequência e que não respondo imediatamente porque trabalho com gestão do tempo e fazer isso é incentivar um comportamento doentio.
  • Estou tentando parar de acompanhar o Twitter. Faço isso apenas quando quero passar o tempo.
  • Desinstalei o app do Facebook do meu celular. Deixo apenas o de mensagens (que respondo uma vez por dia no máximo), o de grupos (que uso para gerenciar o grupo GTD Brasil) e o de páginas (para atualizar a fan page do Vida Organizada e da Call Daniel). Não fico mais “navegando” no Facebook. Quando quero divulgar algo em minha timeline sobre o meu trabalho, faço isso pontualmente via web.
  • Invisto mais meu tempo em livros.
  • Compro revistas apenas em situações específicas, como em uma viagem de avião para passar tempo ou quando há um assunto que realmente me interessa. Leio apenas essas reportagens.
  • Vejo as primeiras páginas dos jornais quando passo por alguma banca, apenas por curiosidade. Pergunto para as pessoas se há algo de importante acontecendo ao longo da semana em termo de notícias. Essas duas dicas são do Tim Ferriss, inclusive. Eu não uso com todas as pessoas, porque elas estão exaltadas com relação a política. Funciona muito bem para conversar com a minha avó, no entanto. Ela adora me contar e ainda estendemos nossas conversas habituais!
  • Em leituras para resultados (livros, revistas, artigos), leio apenas as partes que realmente me interessam. Pulo historinhas e pontos repetitivos.
  • Não leio comentários em artigos na Internet, a não ser que a discussão realmente me interesse.
  • Só assisto Netflix ou programas específicos quando vejo tv, o que é raro, de qualquer forma. Já passo muito tempo em frente a telas diversas durante o meu trabalho para querer que minhas horas de entretenimento sejam em frente de outra.
  • Quando percebo que estou “navegando” na Internet, eu simplesmente paro. É a maior perda de tempo que existe.

Eu também tenho evitado perder tempo com coisas como:

  • Reuniões que não preciso estar
  • Deslocamentos até reuniões
  • Discussões que não me interessam (estou pensando mais em mim, sabem?)
  • Telefonemas
  • E-mails sem nada importante (arquivo ou deleto direto)
  • Tarefas repetitivas (se faço algo pela segunda vez, monto uma checklist para otimizar o processo e repenso como fazer para delegar ou perder menos tempo da próxima vez)
  • Solicitações que podem ser resolvidas com uma pesquisa no Google ou por outra pessoa
  • Burocracia no processo de venda e atendimento a clientes (estou buscando uma maneira de delegar isso muito em breve)
  • Relatórios (faço algo simples e objetivo)
  • Mensagens de modo geral
  • Despesas desnecessárias

[Tweet “”Quem interrompe precisa aprender a esperar.” – Tim Ferriss”]

Em vez de fazer tudo isso, o que eu tenho feito:

  • Me concentrado melhor nas minhas prioridades, nos meus projetos e nas atividades que realmente fazem diferença na minha vida.
  • Realizado tarefas semelhantes em blocos (isso eu já fazia, mas “aperfeiçoei”).
  • Pensado em quanto vale a minha hora de trabalho e quanto eu “perco” se perder tempo.
  • Respondido ligações perdidas e mensagens de redes sociais e What’s App via e-mail para “treinar” as pessoas que esse é o modo de comunicação mais eficaz comigo.
  • Converso mais com as pessoas.
  • Evito o “modo zumbi” acessando o celular enquanto estou com alguém.
  • Carregado menos o celular.
  • Deixado o computador mais tempo desligado.
  • Trabalhado menos online.
  • Dormido melhor.
  • Lido mais livros.
  • Pensado mais em mim.

E encerro com o Tim Ferriss, certeiro mais uma vez: “Fazer o que é importante e ignorar o que é trivial é difícil porque parece que a maior parte do mundo conspira para impôr m* a você. Felizmente, algumas simples mudanças de rotina fazem com que incomodá-lo seja mais trabalhoso do que deixá-lo em paz. É hora de parar com o abuso de informação.”

Quebre o ciclo! Sua sanidade e a sua produtividade agradecem.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

A Loja da The Gift Box é uma loja e-commerce que vende produtos de qualidade para todo o Brasil, utilizando o serviço de correio para a entrega. O prazo para postagem é de até 3 (três) dias úteis após a confirmação do pagamento.

A Loja faz parte do grupo da The Gift Box Br que é um serviço de assinatura mensal com distribuição de presentes, brindes e produtos em tamanho full size e/ou descontos numa caixa personalizada para Mulheres. Veja mais sobre a assinatura no site: www.thegiftboxbr.com

Em abril, o tema é organização e quem faz a parceria é o Vida Organizada <3

Clique abaixo para acessar o site e saber mais:

Captura de tela 2016-03-18 22.05.51

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Eu adoro me programar sazonalmente e buscar adequar minha vida às estações, mesmo que tão incertas como acontece em São Paulo. Porém, este ano elas parecem estar mais marcadas, o que tenho apreciado muito. O friozinho já está chegando e isso me anima a pensar na chegada do outono este mês e em tudo o que pretendo fazer em casa e na minha vida pessoal que remetam a esta estação. Seguem as minhas ideias:

  • Aprender a fazer torta de maçã
  • Destralhar e manter comigo apenas cachecóis e pashminas em quantidade suficiente (adoro comprar essas coisas e acho que tenho um pouco demais)
  • Acender mais velas aromáticas em casa
  • Ir a uma festa italiana com a minha família (amo)
  • Fazer um inventário honesto de roupas e acessórios de frio e planejar compras (botas?)
  • Visitar Campos do Jordão
  • Limpar o telhado e as calhas
  • Comprar cidra de maçã no mercado
  • Organizar uma festa junina em casa
  • Digitalizar fotos da família e outras pessoais
  • Tirar as roupas de frio dos compartimentos superiores do guarda-roupa (onde estão guardadas hoje)
  • Reorganizar a despensa
  • Checar luzes externas da casa
  • Organizar as minhas botas

E você, o que pretende fazer no próximo outono?

Categoria(s) do post: Áreas da Vida
  1. Fazer um dia de super faxina em casa, colocar música bem alta e engajar todo mundo da família na missão.
  2. Mudar os móveis de lugar.
  3. Destralhar o seu guarda-roupa! Veja este post com dicas para fazer isso por categorias, de maneira muito mais fácil e coerente. Monte um inventário de looks para as situações mais comuns do seu dia a dia: trabalho, reunião, sair com o namorado (ou namorada), balada, parque, cinema etc.
  4. Destralhar seus livros! Você realmente quer manter todos esses que guardou ao longo do ano? Quais pretende ler? Quais não fazem mais sentido guardar?
  5. Pintar uma parede.
  6. Sair para comer sozinho(a) e ficar observando o movimento das pessoas.
  7. Visite a cidade que você nasceu (se não mora nela) ou a cidade de onde veio a sua família. Pode valer a pena visitar aquelas tias que moram no interior, redescobrir os pontos turísticos da cidade e viver esse sentimento nostálgico de vez em quando.
  8. Conhecer um lugar diferente! Pode ser desde uma viagem até um restaurante novo.
  9. Agendar um momento só seu para algo que pode ser considerado um luxo no dia a dia, como ir a um spa, fazer uma massagem ou passar o dia todo no salão para “dar um trato”.
  10. Visitar um museu que você nunca foi.
  11. Fazer trabalho voluntário.
  12. Conhecer pessoas novas. Você pode fazer isso indo a encontros organizados pela internet para interesses específicos, se matriculando em um curso diferente ou simplesmente saindo mais com seus amigos, que te apresentarão outras pessoas.
  13. Fazer todos os exames de rotina e ir em todas as consultas médicas necessárias.
  14. Reler um livro preferido ou reassistir o filme que você mais gosta.
  15. Tirar um dia de folga do trabalho durante a semana para fazer absolutamente nada.
  16. Ir a um templo budista, centro da sua religião ou igreja em uma ocasião especial.
  17. Fazer algo especial por alguém, como dar um presente inesperado ou pagar um curso a alguém que mereça.
  18. Subir em um lugar alto (de uma montanha à cobertura de um prédio na cidade) para ver qualquer lugar com mais perspectiva.
  19. Andar a pé. Bastante.
  20. Mandar ajustar suas roupas em um(a) costureiro(a). Fazer barras, ajustes diversos e consertos.
  21. Aprender a cozinhar uma nova receita.
  22. Quitar dívidas.
  23. Ficar um dia inteiro sem celular.
  24. Fazer um piquenique, acampar ou outro tipo de passeio na natureza.
  25. Organizar um almoço ou jantar em casa para receber parentes próximos ou amigos.
  26. Enfeitar a casa com flores frescas.
  27. Revisar todos os serviços de assinatura que você tem para analisar o que faz sentido manter e o que pode ser cancelado.
  28. Conversar com uma pessoa que você admira e que parece distante de você profissionalmente. Faça conexões!
Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Inscreva-se agora para participar do webinar gratuito: Como lidar com interrupções? que acontecerá no dia 23 de março de 2016, das 19 às 20 horas (horário de Brasília).

webinar-interrupcoes

Inscrições encerradas. Acompanhe nosso canal no YouTube para ver a gravação.

O webinar tem limite de 100 inscrições. Se você acessar a página de inscrições e aparecer escrito “Webinar full”, significa que a sala está lotada. Mas não se preocupe, pois você poderá ver o webinar no YouTube depois!

Categoria(s) do post: Feng Shui, Áreas da Vida

Você já pensou alguma vez em olhar para a sua casa como se não morasse nela? Bem, eu faço isso profissionalmente, mas creio que todo mundo com uma boa dose de determinação, pode fazer o mesmo.

Eu tenho que colocar as coisas em linhas gerais, mas há quem habite uma casa ou um apartamento e até talvez outros tipos de moradias, mas o mais importante agora é o seguinte: caminhe para a sua entrada. Nós entendemos por entrada a sua porta principal ou social, se ficar mais fácil. Pode ser que entre a rua e essa entrada para a área efetivamente construída, a qual denominamos casa, pode haver um jardim, uma entrada para carros…se for o caso, se antecipe e comece pelo portão da rua. Lembre-se, hoje a sua marca será a impessoalidade, então deixe os afetos para lá e responda sinceramente:

– Como essa casa recebe as pessoas? Vindo da rua, o número (identificação) está visível? É apresentável? Você encontrou facilmente a campainha? O som dela é agradável?

O número da casa pode atrair sorte?

O ideal é que você anote as suas observações, impressões, porque é assim que nós, os consultores de Feng Shui , fazemos. É preciso diagnosticar, para depois oferecer o remédio.

Entre o portão e a porta principal: a área é limpa, está livre de tralhas, entulhos, restos de reformas, brinquedos e bicicletas quebrados? Há lixeira ou sacos de lixo no local?

porta entrada

Bem, por que tudo isso?

A fachada e entrada da casa “contam” um pouco do que se encontra no seu interior, como são os seus moradores e que tipo de energias estão trocando ou convidando para entrar. Quem quer atrair para dentro saúde, amor, prosperidade, precisa otimizar bastante esse espaço, tornando-o bem atrativo para receber o bom c’hi, a boa energia vital.

Então já sabe: todo o lixo deve ser removido, o local deve estar limpo, desobstruído e que fique bem claro que os reparos precisam ser solucionados prontamente, ou seja, se a campainha não funciona, o número da casa não existe ou está danificado, a lâmpada está queimada, há problema na fiação ou qualquer outra coisa que cause uma primeira má impressão, isso não pode ficar esperando o carnaval chegar, a aposentadoria, o dinheiro extra…aja rapidamente! Substitua, conserte, reforme, organize…faça o que for preciso.

O FENG SHUI E A BAGUNÇA NEGLIGENCIADA!

As lojas de materiais dão muitas orientações: bricolagem, faça-você-mesmo, tudo isso se torna possível, econômico, prazeroso…nada que assistindo alguns vídeos/tutoriais no youtube não possa ser resolvido com sucesso.

Com tudo devidamente registrado, aproxime-se do interior da casa.

Ao chegar à porta principal, observe como ela se encontra. Abre e fecha com facilidade? Existe algo encostando na porta, que a impeça de abrir totalmente? Raspa no chão? Faz barulho? Está empenada?

Maçaneta e fechadura cumprindo com suas funções? E as dobradiças?

Agora vem o mais importante da nossa conversa de hoje:

A nossa porta de entrada é considerada pelo Feng Shui como uma “boca”, por onde principalmente se alimenta toda a moradia. Ela vai convidar as energias a entrarem no ambiente, por isso precisamos deixá-la impecável. Limpa, com a pintura em ordem, sem ferrugem e transmitindo uma sensação de segurança e aconchego.

  • Segundo o Feng Shui, a porta deve abrir para dentro e ainda que por qualquer razão você entre sempre pela porta dos fundos ou de serviço, procure algumas vezes se sentir uma celebridade e entrar magistralmente pela porta principal, faça isso pelo menos uma vez na semana!
  • Você sabia que para o Feng Shui a maçaneta da porta de entrada é como a “mão da casa”? Sim, ao tocar na maçaneta é como se você estivesse cumprimentando a casa. E a gente sabe como é gostoso apertar uma mão firme. Portanto, invista numa maçaneta anatômica, sólida, cujo “aperto de mão” seja poderoso, resistente e imune às negatividades.
  • Tenha um capacho junto à porta. Ele pode ser decorado, temático ou somente colorido, mas sempre demarcando onde termina o mundo profano e começa o seu espaço sagrado. Ele receberá os pés dos moradores e ajudará com o excesso de impurezas que vem da rua.
  • É sempre muito recomendável ter uma planta ou um par de plantas junto à porta principal. Se optar por uma somente, posicione-a, se possível, à esquerda de quem chega. São boas opções a Zamioculcas (até onde há pouca luz), o Lírio da Paz e as palmeiras todas, com destaque para a Raphis. Na hora de escolher a sua amiga verdinha, consulte o fornecedor em relação à entrada de luz, regas e outros cuidados. Planta protege e purifica, desde que esteja saudável, sem folhas e flores secas, que precisam ser removidas.

A dica da Zamioculcas vale também para quem mora em apartamento, pois vai muito bem em corredores e halls, sobretudo se a porta ficar no fundo do corredor, de frente para o elevador ou escada. Ela ajudará na circulação de energias e será um verdadeiro escudo de proteção.

Plantas: nossas aliadas

– Uma dica amada por todo mundo é colocar um BAGUÁ talismã (octógono espelhado) acima da porta. Reza a lenda que ao passarmos sob ele, somos purificados. O baguá também “devolve” energias negativas que são direcionadas à moradia.

No próximo post já estaremos dentro de casa, portanto, vamos aproveitar esse tempinho para seguir as dicas. Nós vamos olhar para cada cômodo com olhos de Feng Shui e juntos vamos deixar o nosso ambiente harmonizado e muito mais gostoso.

E você? Tem alguma curiosidade ou pergunta específica sobre Feng Shui?

Categoria(s) do post: Tecnologia

Muitos leitores me pedem para fazer um comparativo entre as duas ferramentas, ou me perguntam qual das duas é melhor para aplicar o GTD, então achei que um post sobre o assunto seria mais efetivo para citar como referência sempre que me perguntam. 🙂

compar-ev-td

De modo geral, eu costumo responder que são ferramentas com funções extremamente diferentes. Não é como comparar “Evernote x One Note” ou “Todoist x Wunderlist”.

O que é o Evernote e o que é o Todoist

O Evernote é uma ferramenta que gerencia notas e, dentro dessas notas, você pode inserir textos, imagens, arquivos e, inclusive montar listas de tarefas. A ideia é que ele seja um “cérebro virtual” mesmo, onde você possa colocar tudo.

Já o Todoist é uma ferramenta para tarefas, para listas de coisas a fazer. Na funcionalidade Premium, você também pode fazer upload de arquivos em suas tarefas.

Diferenças entre as duas ferramentas

A principal diferença é realmente a função de cada uma. Ambas são boas (eu uso as duas, para funções diferentes hoje em dia).

Hoje eu utilizo o Evernote para arquivos de referência de modo geral, mas já utilizei para gerenciar projetos e tarefas.

Hoje eu utilizo o Todoist para tudo aquilo que for acionável – projetos, ações, rotinas, objetivos etc.

Qual ferramenta é melhor?

Isso não existe. Depende do gosto pessoal de cada um. Cada ferramenta tem suas funções específicas que podem agradar uma pessoa e outra não. Como eu disse no começo do post, faria mais sentido comparar duas ferramentas com funções similares, como “Evernote x One Note” ou “Todoist x Wunderlist”.

Qual ferramenta é melhor para aplicar o GTD?

Mais uma vez, escolha pessoal. Ambas servem.

Veja aqui no blog os tutoriais para implementar no Evernote e no Todoist.

Pesquisando na Internet, encontrei alguns sites que fizeram um comparativo em termos de recursos e aplicações, que podem ser úteis:

O mais importante de qualquer ferramenta é que você goste dela, porque isso vai te incentivar a querer organizar suas coisas lá. Não importa uma ser considerada melhor e com mais recursos que a outra, se para você a ferramenta não funciona.

Espero ter ajudado.