Dúvida da leitora: “Meu marido cuida de tudo e não sei como ajudar”

46
2902

Este post foi baseado em uma dúvida enviada por leitora por e-mail. Quando eu percebo que a resposta possa ajudar outros leitores também, eu posto a resposta no blog, além de enviar por e-mail. Muitos leitores também gostam de ajudar a pessoa que enviou a dúvida. Todos ganham. 🙂

Estou recorrendo ao seu site diariamente.
Sendo bem simplista minha vida em todos os campos esta de cabeça para baixo.
Trabalho 12 horas por dia, e sei que não estou gerenciando bem meu tempo.
Moro com meu marido há quase dois anos, mas acabamos que fazer 4 meses de casado.
E fui surpreendia por ele que é absolutamente organizado que está pensando seriamente em divorcio devido a minha dificuldade de organização e que não sabe como seria se ainda houvesse um filho. Durante o tempo da organização do casamento estava tão voltada para isso q meio que acordamos que ele ficaria um tempo responsável pela casa… casamos e eu continuei deixando com ele ( sem me dar conta)
Minha casa é bem “maquiada” (não há nada fora do lugar), mas semana passada fui seguir sua orientação de limpar cada cômodo…. estou há 4 dias na cozinha tamanha bagunça e sujeira (escondida).
Isso atrasou meu cronograma, até agora só fiz limpeza completa no banheiro e estou nessa odisseia na cozinha. E ainda me resta, sala, 2 quartos e uma pequena varanda.
Sem falar que enquanto isso não posso parar com os demais cômodos que é a rotina semanal.
O local de maior caos real, não maquiado é meu armário e onde coloco meus sapatos. Quando abro tudo vem em cima de mim.
Não tenho empregada e não temos agora condições de fazer isso.
Ele é muito parceiro, lava roupa e eu passo… temos divisões, mas tem dia que estou tão cansada que não dou conta de tudo… e ele sempre dá.
Sem falar que tive empregada a vida toda, e nunca tive a rotina de ter que cuidar de tudo… moro sozinha desde 19 anos, mas sempre tive diarista semanal…. e nunca percebi até então o caos que gero na minha vida e como isso se transmite ao meu dia a dia.
Estou buscando o livro que indicou “A arte de fazer acontecer” David Allen. Pois, me dei conta de que preciso e quero me modificar, ainda que me divorcie (que esta longe de ser minha vontade), contudo, minha vontade de mudar é para mim, não por ele.
Não sei por onde começo… já comecei…. banheiro e cozinha…. mas o fato que não sei como transformar a minha vida… criar uma rotina… to bem perdida… tenho lido muito, mas a pratica é algo que está sendo complicado para mim.
É isso… direção por favor!

Oi Amanda, tudo bem?

Em primeiro lugar, obrigada por me escrever e pela confiança em compartilhar um pouco sobre a sua vida pessoal.

Sei que não é fácil tudo isso que você falou.

Se você me permite um conselho, e acho que sim, por isso me escreveu. Você disse que está procurando o livro do David Allen. Apesar de eu sempre recomendar esse livro, penso que você deva começar com outras coisas mais práticas e efetivas.

Eu sugiro que você comece destralhando a casa, doando, vendendo, se desfazendo daquilo que não precisa ter. Isso deve se tornar um hábito. Todos os dias temos alguma embalagem que ficou vazia, um alimento que estragou na despensa e por aí vai. Quando o “destralhar” virar um hábito, você poderá começar a pensar em todas as outras coisas. Não dá para organizar tralha.

Não sei como é a sua rotina, mas o destralhe vale para ela também. Por que você trabalha 12h? E por aí vai.

Organizar é encontrar soluções. Isso significa entender como funciona a rotina da sua casa. Não tem problema nenhum seu marido cuidar da limpeza, se ele gosta de fazer isso e há um acordo entre vocês dois. A situação ruim é quando um é obrigado a fazer enquanto o outro não faz. Não sei se é o caso de vocês!

Se seu marido pode cuidar da limpeza da casa, você pode se dedicar a outras atividades relacionadas, como fazer uma limpeza mais detalhada (como você comentou sobre a cozinha), cuidar das roupas, da alimentação… sempre há muito a se fazer em uma casa! Nesse momento, identificando o que precisa ser feito, você pode começar a organizar a sua rotina.

Aí sim eu recomendo que você entre com o GTD (e a leitura do livro do David Allen), porque vai te ajudar especialmente a fazer um planejamento semanal legal, levando em conta a realidade de vocês.

No mais, o que me chamou atenção no seu e-mail é como você se cobra. Não se cobre tanto! Pelo que você disse, sua casa parece maquiada para você, então você precisa saber qual seria a situação suficiente para se sentir confortável com ela e buscar soluções para essa situação.

Acompanhando as dicas diárias aqui no blog, aplicando o que serve na sua vida, bem aos poucos, você vai se organizando.

Boa sorte. <3

46 comentários

  1. E quanto ao casamento…
    lembre-se por que se casaram e todo o amor envolvido. Diga ao seu marido todas as suas aflições, o quanto o ama e que será que a bagunça de casa é maior que todo o sentimento envolvido? Diga tudo aquilo que sente em relação a essa bagunça na sua casa e na sua vida, fale o quanto isso lhe atormenta e que sim, você vai mudar, mas isso é um processo.

    Minha dica é: comece a destralhar sem pena, olhe para o comodo e deixe apenas, exclusivamente aquilo que vc usa, que vc precisa e o que é essencial. Isso demora pois temos várias distrações, mas se vc concentrar-se somente nesse exercício vc verá resultado. Ninguém precisa de 30 copos, de 20 bacias de plástico, de 4 conjuntos de panela, de 20 toalhas, de 50 pares de sapato, de 18 calças jeans, de 3 carros, de 40 vestidos. Quanto menos vc tiver, melhor para limpar, para organizar, para guardar, para escolher, para usar no dia a dia.

    Lembre-se que as vezes o motivo não é a quantidade, mas a qualidade da bagunça. E boa sorte no casamento!

  2. Se me permite a sugestão, procura sobre o método FlyLady aqui no blog e fora dele, pode te dar algumas dicas legais! Boa sorte!

  3. Já no meu caso, só meu esposo trabalha fora no momento, eu faço alguns bicos em home office, curso de inglês e faculdade a distância. Por ficar em casa, me sinto na obrigação de fazer tudo de casa sozinha, mas as vezes sinto falta de uma ajuda na organização. Quando fui trabalhar por um tempo, meu marido não sabia o que fazer, sozinha eu não dei conta da casa e não sabia como guiá-lo para dividir comigo as rotinas, porque ele não tem experiência nenhuma, não é o tipo de pessoa que vê louça na pia e que pensa em lavar logo para deixar as coisas arrumadas. Enfim, nunca sei o que fazer 🙁 Gostaria de saber se realmente por ficar em casa a obrigação tem que ser só minha 🙁

    • Não, todos devem ajudar, mas é natural que quem fique mais em casa acabe abrigando mais atividades por ter mais disponibilidade.
      Vale sempre a pena conversar.

        • Minha situação é parecida, mas eu estou montando uma empresa para mim, vou trabalhar de casa, mas mesmo assim tenho certeza que tudo continuará somente comigo, a casa e os cuidados com meu filho.
          O site sempre me ajuda, e é incrível como as vezes um post tem a ver com com algum problema que estou passando no momento.

    • Lana, eu também fico mais em casa, trabalho em casa (sou freela) e acaba sobrando mais para mim. Combinei com meu marido de pagarmos uma faxineira uma vez por semana, assim nenhum de nós dois precisa fazer o trabalho mais pesado por enquanto. Se você puder ter alguém que te ajude, seja 1x por semana, a cada 15 dias ou 1x por mês, já vai tirar uma carga das suas costas sem colocar diretamente na do seu marido, mas contratando uma ajuda externa. No restante, acho que o que tem funcionado para mim é pedir ao meu marido que faça as coisas e insista nessas coisas, começando por coisas mais simples, como estender roupa no varal, lavar a louça, passar pano na sala, tirar o lixo 1x na semana. Eu pedi para ele colocar o alarme do lixo, lavo roupas quando ele está para chegar do trabalho e peço para ele lavar a louça. A minha maior bronca é que também trabalho, e tenho que pedir para que ele faça as coisas, mas ninguém precisa pedir para que eu faça as coisas. Mas vejo que ele faz tudo que eu peço, então aos poucos vamos nos entendendo até encontrar o ritmo certo. Lavar louças ele já lava sem eu pedir, e nem sempre foi assim. Acho que o amor nos faz educar as pessoas que amamos. Valorize o fato de que seu esposo trabalha fora e traz a maior parte da renda para casa, mas não deixe que isso te tire os direitos de ter tempo para você e de buscar uma divisão de tarefas mais igualitária. Boa sorte!

      • Muito obrigada pelas dicas, Regiane! Com certeza, dou super valor ao fato do meu marido sair todos os dias para encarar essa selva que é trabalhar longe de casa, e tudo o mais, mas fazer tudo sozinha realmente acaba se tornando estressante, principalmente porque por não fazer essas coisas, ele acaba não sabendo fazer nada – não é que ele não saiba como se executa a ação, ele não tem “tato” para ver quando é necessário executá-la. É bem o que você falou, ninguém precisa te pedir para lavar a louça, você vê o estado dela e lava, mas eles geralmente tem de haver um pedido para que eles façam.

        Eu tive problemas de saúde e fiquei de cama por mais de 15 dias; quando levantei, achei que tinha perdido minha casa já! Quantas coisas foram jogadas fora porque eu não conseguia dar ordens e ele não conseguia ver o caos que estava se formando. Por isso acho que, mais que a questão de ajudar é a questão deles saberem o que é preciso fazer, para que não sejam dependentes pra sempre.

    • Acho que se eles compreendesse o quanto nos cobramos certamente nos valorizariam mais.
      Digo isso pq tem dia que chegava exausta tomava banho as vezes nem jantava e ia deitar…. só que o fato de não ter arrumado nada ficava martelando minha cabeça… era a guerra do corpo contra a mente! Estou lendo muitas coisas e vendo o quanto as pessoas se sentem como eu! E isso dá um conforto. Ter o dominio da nossa casa é algo importante,mas ensiná-los a se virar tb!
      Do contrario, casariam com uma empregada domestica full time e não com alguem que trabalha fora. Ler e buscar ajuda me tirou da posição de vitima para protagonista. Estou me esforçando, mas se ainda assim ele resolver partir não há nada que eu possa fazer.
      Meu conselho, recupere seu amor proprio… pois era exatamente isso que me faltava para ter vontade de arrumar e cuidar da minha casa. Faça por vc! Beijos, Amanda

  4. Acredito que o caminho seja esse mesmo. Destralhar, diminuir o número de coisas para se preocupar.

    Jout Jout faz um resumo do livro a mágica da arrumação (achei até melhor que o livro)

      • Olá, Amanda,
        são muitas mudanças a fazer, então o mais importante é fazer tudo com calma e perseverança. A sua relação com seu marido é muito importante para você e pelo que entendi você gostaria de fazer o possível para mantê-la, então eu começaria por ela. Como a Emanuelle disse, converse bastante com ele. Pode ser que falar da sua bagunça e desorganização tenha sido a maneira que ele encontrou para pedir mais consideração, mais tempo com você, entre outras coisas. Talvez esteja faltando tempo para a relação, talvez ele esteja sentindo sua falta em casa. Então, é interessante pensar porque você e seu marido não estão em sintonia, pois provavelmente este não é o único motivo para ele cogitar o divórcio. Aproveite e converse sobre o que você está sentindo também, afinal não deve ser fácil ouvir isso de quem a gente ama.
        A Thais fez uma pergunta importante: Por que você trabalha 12h? Eu já trabalhei essa quantia de horas morando em São Paulo (o que significa mais tempo no trânsito, e esse deve ser o seu caso também), e sei que naquela época eu não tinha tempo para mais nada, nem para minha casa, nem para mim, nem para meu relacionamento, nem para a minha saúde. Inclusive, por conta da minha saúde, fui obrigada a repensar toda a minha vida. Foi um baque, mas foi a melhor coisa que me aconteceu. Talvez esse seja o momento para você repensar tudo isso também. Algumas dicas práticas do que aconteceu comigo: eu fui obrigada a cortar as horas extras imediatamente por conta da minha saúde e passei a trabalhar 8 horas por dia. Qual seria o impacto na sua vida profissional, financeira, familiar e conjugal se você fizesse isso? Se você precisa do seu emprego e acha que não vai ser mandada embora por trabalhar “apenas” as 8 horas diárias, eu acho que pode ser uma boa começar por aí. Você ganhará 4 horas para cuidar da casa e da relação. É isso que o pessoal mais familiarizado com organização quer dizer com “desapegar”. Se você se apegar demais a essas horas extras, considerando-as extremamente necessárias, pode perder outros aspectos importantes da sua vida. É preciso um equilíbrio e só você pode dizer o que cortar aqui para ganhar do outro lado. Se você quiser reduzir sua jornada aos poucos, pode trabalhar 11 horas na próxima semana, 10 horas na seguinte, 9 horas na seguinte e quando se sentir confortável passar a trabalhar 8 horas.
        Sobre como arrumar a casa, os colegas acima já falaram sobre “destralhar” e sobre como quando temos uma menor quantidade de coisas fica muito mais fácil de organizar e arrumar tudo. Sobre o seu espaço para sapatos, conte quantos sapatos cabem lá, coloque apenas a quantidade que caiba devidamente (escolha os seus preferidos ou um de cada tipo – um salto, uma sapatilha, um tênis etc.), doe o restante se possível. Se não for possível ainda (pois destralhar é um processo), guarde o restante em uma caixa e deixe fora da vista. Assim, eles não cairão sobre você. Faça o mesmo com suas roupas. Acho inclusive que você poderia começar a sua arrumação da casa pelo seu guarda-roupa e para isso eu sugiro que você leia o livro da Marie Kondo, pelo menos a parte que fala sobre como arrumar o guarda-roupa, acho que ajuda muito. No mais, continue lendo o blog, leia o livro da Thais e se mantenha envolvida com o assunto organização, pois isso é o que trará motivação em se manter organizada a cada pequena conquista, a cada vez que você olhar para seu guarda-roupa e nada cair sobre você.
        Boa sorte!

    • Melhor resposta! kkkkkkk

      Brincadeiras à parte, tudo bem, ele deve ter dado o grito porque está estressado (só a gente se colocar no lugar dele), mas tem q avaliar o relacionamento como um todo, pq nunca vi ninguém divorciar por causa de bagunça… nós mulheres, no geral, nos desdobramos pra ter paciência com homens (que se não são bagunceiros, não tomam nenhuma iniciativa), qual o motivo real disso?

      Tá faltando uma DR das boas, pra colocar os pingos nos “is”.

      Boa sorte Amanda e não se julgue! Aposto que vc tb tem um monte de qualidades!
      Já basta o peso que vc tá vivendo… respira fundo e faz o que a Thais te recomendou, minha vida mudou 100% depois que comecei a acessar o site!! =)

  5. Amiga…. te gruda nesse marido e não se permita perde-lo…kkkk mas com certeza conversando com ele, ele vai te ajudar….no inicio é dificil…mas planilha pra tudo…. a gente acostuma…. planilha pras tarefas diarias, menu diario, até para cuidados pessoais….com o tempo a ajuda dele, tu consegue te adaptar na melhor forma pra ti….

  6. Amanda, tive a impressão de que por trás do teu texto havia alguém aflito, tentando salvar o casamento e destralhar a casa e ler o David Allen e dar conta de 12 horas de trabalho… Sofri com teu e-mail. Converse com seu marido, exponha seus pontos, se disponha a ajudar, mas respire. Vá com calma. Façam um acordo e vá cumprindo aos poucos. Não acho legal que vire uma gincana, uma disputa para ver quem faz mais. Talvez você deva se doar um tantinho mais (estou me baseando no que você escreveu) e ele, um pouquinho menos. Talvez vocês devam achar o meio termo. Desculpe por palpitar, mas fiquei agoniada com o que escreveu. Boa sorte.

  7. Sugestão para a leitora da dúvida:
    Um amigo acima postou um video da JoutJout sobre o livro da Marie Kondo. Para uma ação inicial leia esse livro. Ele é super bacana e vc consegue ter ideias de “por onde começar”.
    O livro vc consegue comprar por e-book na internet e sai baratinho.
    O lance inicial é destralhar, como a Thaís sugeriu.
    Dica:
    Procure algumas amigas e familiares que você tenha bastante intimidade para abrir esse seu problema e peça essa ajuda inicial para lhe ajudarem a deixar tudo limpo e organizado. Não tenha vergonha, pois assim você tira aquele peso que está sentindo e consegue reorganizar sua vida!!! De quebra, pode oferecer um chá para agradecer o trabalho delas!!!!
    Bjão

  8. Menina, conversa com ele. Toda cobrança gera frustração, você se cobrando de um lado e ele de outro, não vai dar certo ,senta e conversa, explica tudo, não esconda nada, porque organização não fica “pronto” da noite pra o dia, isto leva “tempo e compreensão” pra adquirir novos hábitos. Forte abraço!

  9. Acho que começar e dar sequência já é maravilhoso! Querer mudar é fundamental. Quando estiver mais organizada a sua vida e com menos tralhas, tudo mudará para melhor.
    Ah, e casamento melhora com o tempo… A relação amadurece, deixamos de dar importância para coisas triviais. Logo, dedique-se á mudança, mas não abra mão do seu casamento.

  10. Linda, se me permite, às vezes o problema pode ser com o seu marido, e não com vc.
    Será que vc é tão desorganizada assim a ponto de inviabilizar a convivência? Até pq se sua casa é “maquiada” e a bagunça se concentra no seu armário, será que o problema é mesmo a bagunça? Acho que além de ss organizar, é bom tb se abrir pra alguém confiável e isento, como uma amiga sincera (e não fofoqueira) ou uma psicóloga (se vc tiver possibilidade). Às vezes o problema é outro, ele pode ter dificuldade de lidar com alguma emoção negativa que esteja sentindo e a forma que encontrou pra conviver com isso foi te culpando e rebaixando (nem sempre de forma consciente).
    Tô torcendo por vc!

  11. Recomendo o site 52 Weeeks To An Organized Home. Ele traz tarefas diárias de 15 minutos para serem excutadas ao longo do ano para ajudar a destralhar e organizar a casa.
    Está em inglês.

  12. Olha, Amanda, tem uma parte do seu texto que me incomodou bastante. É aquele ” então meio que acordamos que ele ficaria responsável pela casa por um tempo”.
    Bom, não tem essa de “meio que acordamos”. Essas coisas tem que ser conversadas, claramente conversadas. Ele fica mais tempo em casa do que vc? Então é justo que faça mais do que vc. Sentem, conversem, definam qual vai ser a parte dele, qual vai ser a sua.
    Pelo amor de Deus, não pense que não é preciso falar, que as coisas ficam subentendidas. As coisas tem que ser ditas, negociadas, acertadas.
    Esqueça os livros e a teoria por enquanto. Se concentre em colocar no lugar tudo o que vc usa, em limpar o que vc suja. Deixe as limpezas profundas mais para diante, agora vc precisa lembrar de não deixar os sapatos jogados pela casa qdo chega do trabalho. Nada irrita mais uma pessoa que arrumou a sala do que outro chegar e largar os sapatos pelo caminho, a papelada em cima da mesa, o cardigã no sofá…

  13. Acho que o livro “a mágica da arrumação” define bem o “destralhar”, não sei se concordo com o método dela pelo tempo que demanda, eu protelei 11 meses pelas férias pra poder fazer e me senti exausta. Mas sabendo pegar os principios do livro acho fantástico. Uma coisa que ajuda muito na limpeza é fazer pequenas coisas diariamente, por exemplo, dia sim, dia não, eu já passo uma bucha na pia (tirar a pasta de dente), não leva mais que 1 minuto e já da uma sensação de limpeza, pequenas coisas assim ajudam muito.

  14. Olá Amanda. Parabéns pela sinceridade de suas palavras. Certamente vc já fez uma arrumação nos seus pensamentos, pois conseguiu verbaliza e ordená-los muito bem. Além de todas as dicas que já te passaram, acrescendo a seguinte: quando estiver destralhando um cômodo, esqueça todos os outros. Não fique destralhando a cozinha, pensando que ainda falta o banheiro, os quartos e a varanda… pensando assim fica muito pesado e cansativo. Pense que tem que se dedicar totalmente a cozinha (sem ser muito lenta) e esqueça todos os outros cômodos. Sinta como só existisse ela na sua casa rssss. Quando passar para o bh, pense que só existe a cozinha (que vc já destralhou) e o bh (que vc estará se dedicando integralmente) e por aí vai. Dessa forma, qualquer tipo de organização fica mais leve. Tenha certeza: vc vai conseguir!
    Quanto ao marido, certamente ele te ama e tudo o que quer é viver em comum acordo com vc, ajustando as diferenças.
    bjs e conte conosco!

  15. Posso dar uma dica para postagem? Em tempos de crise e desemprego, como ajudar a se organizar após ser mandado embora 🙁 triste, mas muito real atualmente! Como tenho amigos passando por essa situação e o pior corro riscos também. Thais você sempre surpreendendo! Fantástica essa abertura que você está dando aos seus leitores, sensacional, já tinha visto outras vezes, mas essa foi certeira e fundamental.

    *agora com a identificação correta 😉

  16. Me identifiquei um pouco com o seu marido… Infelizmente estou me separando agora do meu marido, pois sempre me senti muito sobrecarregada, pois eu e meu (ex) marido temos o mesmo emprego (somos ambos militares, com mesma carga horária e até mesmo salário), mas sempre as tarefas diárias pareciam somente serem “minha” obrigação. Eu sempre tive que fazer a maior parte sozinha, e quando não dava pra fazer tudo, tinha que “pedir” pra ele fazer, como se fosse um favor que ele estava fazendo pra mim. Algumas vezes ele fazia, algumas outras ele dizia “depois faço” e acabava não fazendo, e algumas vezes, quando eu insistia, ele ainda reclamava, e dizia que eu estava errada, não sabia esperar, e queria tudo no meu tempo.
    Várias vezes já tentei conversar com ele sobre como isso me deixava frustrada em relação ao casamento, em como eu ficava cansada e sobrecarregada, e que eu estava seriamente pensando em divórcio. Ele nunca levou muito a sério essa questão do divórcio. Sempre achava que eu estava exagerando (pensava que era “coisa de mulher”); algumas vezes até parecia que a conversa tinha surtido algum efeito, mas alguns dias depois tudo voltava a ser como sempre foi.
    Eu gostava e ainda gosto muito dele, e estou triste pelo término. Mas não quero me sentir “explorada” pelo meu companheiro pra sempre. Não quero estar com alguém que não se incomode de ver que seu comodismo está sobrecarregando a mim, e que não se importa em como isso me afeta…

    Enfim, mas escrevi isso pra te dar um conselho. Se você realmente se importa com seu casamento, e quer se esforçar pra que dê certo, diga isso pro seu marido. Chame ele pra conversar, peça desculpas sinceras pelo tempo que você deixou as obrigações todas com ele, diga que você não percebia, que não quer que ele se sinta assim. Diga que quer modificar sua conduta, e peça pra ele te mostrar quando vc tiver agindo errado. E se esforce de verdade pra mudar sua postura.
    Se meu marido tivesse me pedido desculpas de verdade, me mostrasse que entendeu o que fazia de errado, que entendeu que minhas reclamações eram válidas, e me provasse que estava se esforçando pra modificar seu modo de agir, eu teria dado outra chance sim. Mas ele não fez isso, somente me culpou por estar largando ele por “coisas sem importância como louça suja”.

    Acho que esse conselho que a Thaís sempre dá, e que outras pessoas falaram aqui, é muito certo: Quanto menos coisas, mais fácil organizar. Então vc tem 30 sapatos? Reduza! Fique com 10, com 5. Mesmo que tenha que desfazer de sapatos novos e lindos… Desapega! Você acha que um sapato novo, ou um vestido lindo vale mais que o seu casamento? Fique com o mínimo de objetos, assim você terá muito mais facilidade pra organizar, vai gastar menos tempo com isso, e seu casamento e sua vida vão melhorar.

    • menina… me identifiquei total. Perdi a conta de quantas vezes meu marido fala: vai começar uma briga por causa de louça suja? Por causa do banheiro? Não é por bagunça, não é por sujeira. È por que eu nao moro sozinha, não só eu uso louça, não só eu visto roupas e deito em camas… Dificil e boa sorte!!

  17. Quero apenas te dizer que você não é a única a se sentir assim. Isso que você está sentindo é muito comum. Ano passado tive a mesma sensação: que a minha casa era uma maquiagem. E vi que outras amigas passavam pelo mesmo problema. Isso decorre da falta de tempo (ou mau uso dele) tão comum aos nossos atuais estilos de vida. O incomum é ter um marido tão organizado! Rsrs… Isso é uma dádiva!
    Enfim, o que me ajudou foi destralhar e manter o hábito de destralhar. E, principalmente, manter e curtir a organização. Concordo com a Taís quando diz que não é o momento de investir no livro e no Gtd. Pela minha experiência, baseada nos seus conselhos, isso é para outra fase. Comece aos poucos. Eu sou como você em relação à cobrança pessoal. E, muitas vezes, por querer fazer perfeitamente algo, complicamos o processo e não conseguimos dar prosseguimento. Se perdoe e vá devagar. Organizar-se é maravilhoso, mas envolve mudança de hábito. E toda mudança de hábito é difícil, embora possível.
    É o que tem funcionado pra mim.
    Gostei muito do teu depoimento.
    Te desejo sorte!

  18. Olá Amanda, eu passei mais ou menos por uma situação dessas. Quando eu e meu namorado passamos a morar juntos, eu estava extremamente atarefada na minha vida, meu horário era preenchido das 7h às 23h quase todos os dias, e como ele estava um pouco menos atarefado, ele assumiu as responsabilidades da casa. Eu me lembro que eu me sentia mal todos os dias por não estar ajudando, com medo que ele se sentisse sobrecarregado com as tarefas de casa e isso atrapalhasse o relacionamento. Nessa época eu sentei pra conversar com ele, e me senti melhor ao saber que ele entendia a situação e com isso eu fiquei menos pressionada. Mas eu sabia que isso precisava mudar.
    Depois de um tempo a situação meio que se inverteu e eu liberei meu tempo, e com isso invertemos os papeis e por enquanto eu estou mais em casa do que ele, e eu assumi boa parte das coisas de casa. Não somente para ‘compensar’ o trabalho dele, mas porque eu tenho mais tempo agora, então é natural que eu assuma algumas coisas a mais.
    É natural que a pessoa que fica mais em casa acabe assumindo parte das responsabilidades dela. Mas é preciso que os dois tenham noção das divisões de tarefas, porque a casa é de ambos. Já passou o tempo em que a mulher assumia tudo e o homem trabalhava, hoje em dia mulheres e homens trabalham e por isso, ambos precisam ajudar na casa, cada um com o que pode.
    Eu entendo quando disse que nunca precisou cuidar da casa, já que tinha alguém que fazia isso pra você. No meu caso, eu nunca tive noção de quanto eu era bagunceira até um dia eu ouvir isso dele. E isso me fez abrir os olhos. Quando a gente mora com alguém a gente precisa passar por um processo de amadurecimento, porque conviver não é fácil se os dois não cederem um pouco. Se você está se sentindo mal, achando que o divórcio será consequencia da desorganização, acho que deve conversar seriamente com ele e explicar como está se sentindo, e talvez até pedir ajuda pra ele, pra ele te ajudar a se organizar (já que ele parece organizar bem o tempo dele).
    A questão é, não vale a pena sofrer sozinha e se cobrar dessa forma. Trabalhar 12h por dia não é fácil! E mudar de hábito é algo que não acontece de uma hora pra outra. Se você acha que precisa mudar, então você ja tomou o primeiro passo, que é assumir o problema.
    Minha dica agora é você destralhar sua casa toda e sentar para conversar com seu marido. O processo de destralha vai ser chato, não tem como, porque foram anos acumulando coisas. E vai demorar mesmo, não tente fazer tudo num dia só. É tudo um processo que leva um certo tempo.
    Se seu marido estava descontente por causa da bagunça, então ele vai gostar de saber que está tentando melhorar e aposto que ele vai te ajudar. Independente do que aconteça, você está tomando um grande passo em se organizar.

  19. Isto lembrou-me de quando estive de licença de maternidade tentando fazer de esposa e dona de casa perfeita. E não deu. Eu tentava fazer tudo bem, manter tudo em ordem e não era capaz, mesmo estando em casa o dia todo. Nunca tive muito jeito para limpezas, gosto mais de cozinhar e arrumar. Mas descobri que limpar não demora muito. Não é preciso fazer uma limpeza profunda sempre. E é mais simples se pegar o pano de pó e passar toda a casa, o aspirador e passar toda a casa, limpar as loiças da casa de banho de uma vez, limpar os vidros e os espelhos seguidos. Limpeza profunda, daquelas que se arredam tudo do caminho demora demais e deve ser feito com moderação 🙂 Espero que isso te ajude.
    Se estás muito tempo fora de casa então também não há muito tempo para bagunçar. Vá dando um jeito em suas coisas, não deixe acumular.
    Boa sorte!

  20. Queria apenas dizer, que parece que fui eu que escrevi esse post…dá um alívio no peito saber que alguém tão longe tem o mesmo problema. Fique firme! Força e coragem!

  21. Amanda, sou mais uma te indicando começar pelo livro da Marie Kondo. É simples de ler, rápido e extremamente eficaz. (Aliás, ela acabou de lançar o segundo, detalhando ainda mais o método dela – muito bom também.)

    Mas tenha paciência, porquê não foi de um dia pro outro que vc chegou nessa situação, e fatalmente não será de um dia pro outro que ela irá mudar. Mantenha a calma, respire fundo, e arregace as mangas. Um dia de cada vez. As vezes é necessário chegarmos neste ponto pra reavaliarmos coisas importantes e fazermos mudanças na nossa vida. E, acredite, pode doer, mas serão mudanças muito boas.

    Um beijo, e boa sorte, estou torcendo por você!

    • Verdade Thais, estava lendo todos os comentários e fiquei maravilhada com quantas ideias e sugestões para ajudar. Isso é muito fofo ^^ <3

    • Para um blog que tem a iniciativa de ajudar as pessoas não poderia ser diferente 😉 Obrigada Thais por tudo, vc é demais

  22. Poxa, esse post se tornou um guia pra td mundo! Qtos comentários recheados!

    Minha contribuição é: peça ajuda. Não estou falando do seu marido (particularmente não acredito no termo “ajuda” para maridos e filhos, e sim responsabilidade de quem mora na casa, mas aí vai de cada família 😉 , mas de alguém próximo com quem vc sinta à vontade (e que seja organizado né,rs!) para pedir ajuda para um declutter geral… A pessoa terá o olhar mais limpo,mais desapegado e já sabe, de antemão, que tem a missão de te ajudar naquela tarefa naquele dia, nem antes nem depois.

    Minhas parceiras são minhas irmãs, sempre recorremos uma às outras quando precisamos de um mutirão de faxina, destralhamento – e até reforma. Fica mais rápido e mais legal também, abre a mente, o coração e a casa <3.

    Mas tem que ser alguém que ajude mesmo, e não te confunda nem te chateie mais, dizendo coisas do tipo "nossa, mas como esse azulejo chegou a esse ponto?".

    Boa sorte! 😀

  23. Amanda,

    Há um ano atrás tinha os mesmos problemas que você, aumentados pelo fato de ter duas filhas pequenas (12 e 4 anos).
    A vida sempre foi uma correria e minha prioridade sempre foi com as meninas.
    As coisas foram se acumulando e, quando parei pra analisar, não sabia por onde começar.
    Conheci o Blog da Thais há poucos meses e foi um diferencial na minha vida.
    “DESTRALHAR” se transformou no verbo mais conjugado na minha casa.
    Eu e minhas filhas fizemos uma faxina geral, dessas que vc está fazendo na sua cozinha, sabe?
    Começamos pelas coisas que estão a vista…copos, talheres, panos de prato…os espaços foram surgindo para guardarmos o que nos era importante.
    Foi muito legal porque minha filhas foram aprendendo a valorizar suas coisinhas e a desapegar de coisas desnecessárias, afinal, ninguém precisa de três copinhos de plástico para beber suco, não é mesmo?
    Assim fomos seguindo, ao terminar um cômodo passávamos para outro.
    Agora em janeiro estivemos de férias e não pudemos ir viajar por dificuldades financeiras, e não é que encontramos mais tralhas em nossa casa???? É assim mesmo…
    Com relação ao meu marido, ele trabalha demais. Não me importo de ficar sobrecarregada desde que ele deixe seus objetos pessoais devidamente em ordem.
    Isso varia de casal para casal e, sem pretensão de querer dar palpite na vida alheia, arrumar as coisas as nossas vistas ajuda muito a organizar os nossos sentimentos também.
    Me posicionei com meu esposo sobre a bagunça que ele fazia e as exigências dele com relação a ordem na casa.
    Hoje ele percebeu que muito do que ficava por aí eram seus pertences pessoais.
    No meu caso o problema foi resolvido. 🙂
    Desejo toda a sorte do mundo pra você. Tenho certeza que o Blog vai te ajudar muito, como aconteceu comigo.
    Grande abraço!

  24. Amanda, eu acho que o primeiro passo que você pode dar é: organizar suas coisas. Esquece casa, comece organizando seus pensamentos e suas coisinhas, aprenda a adquirir hábitos que te ajudem a, pelo menos, não bagunçar o que seu marido arruma.
    Segundo passo é tomar consciência de que cada pessoa é melhor em algo, sempre podemos melhorar mas nunca vamos superar alguém que tem “jeito” para aquilo, então não se subestime e nem se julgue, cada um recebeu uma educação diferente ou realmente tem tino para determinada tarefa.
    Terceiro, exponha isso para seu marido, diga a ele o quanto isso está lhe afligindo e, como ele tem tanta experiência, pergunte para ele o que você pode começar a fazer para ajudá-lo, inicialmente. Com certeza ele saberá te dizer exatamente o que pode dar aquela mudança na vida de ambos.
    Grande beijo e boa sorte!

  25. Oi gente!! Aqui é a Amanda! Fiquei muito emocionada com tantos comentários … por isso resolvi que gostaria te dividir com todos as decisões e iniciativas que tomei

    Sábado (22/01), contratei uma diarista e passei o dia limpando a casa com ela e jogando tudo fora que não era necessário. A casa esta um brinco e não tem nada maquiada…. como participei de cada momento estou dando valor a cada coisa de uma forma diferente.
    Restavam apenas meu guarda roupa e o local (baú) onde coloca sapatos que resolvi neste sabado agora (29/01). Tirei tudo que não era necessário, e passei meu domingo costurando as peças que precisavam de botão e ajustes. Pela primeira vez não terminei uma arrumação deixando a “sacola” do depois eu vejo! ( sabe aquela sacola que você põe tudo pq perdeu o saco de arrumar e nunca mais mexe – por falar nisso haviam 3 de outras arrumações! rs! Estou criando a rotina de chegar e colocar cada coisa em seu lugar…. ainda é algo sofrido, mas tenho fé que uma horá se tornará parte de uma rotina saudável.
    O lado bom, acordo cedo e já tenho que vestir, é só pegar e vestir! Antes era uma caça as bruxas! kkkk! Já saia de casa estressada!
    Outra coisa que já implementei são as demandas diárias, semanais do seu site.
    Agora, preciso vencer e me sobrepor ao cansaço da rotina de trabalho que tenho me forçado a sair as 18hs (cumprindo apenas 8 horas de trabalho)…
    Confesso, que o mais difícil é criar uma rotina. E não perder o controle novamente da organização da minha própria casa e com isso da minha vida.
    Vou manter a ida da diarista mensalmente para limpeza pesada como janelas e varanda.
    Contratei uma passadeira, não tenho com dominar o mundo!!! Kkkkk!!!
    Sentei e coloquei no papel ate que ponto eu tenho energia e tempo.
    Quanto ao ponto me cobrar demais… confesso sou assim em tudo e meu marido ter visto essa minha “falha” no quesito “dona de casa” foi absolutamente frustrante, tanto que estou buscando ajuda nesse sentindo.
    Tenho uma característica positiva, quando vejo q a critica é construtiva e me trará algum tipo de evolução como pessoa super me abro a recebe-las e buscar “ajustes”.rs!
    Bom, é isso! Agradeço muito o retorno de todos vocês!
    Beijos,
    Amanda

    • não sei se acreditas em Deus… mas com Ele tudo é possível. Todos os dias, amanheça assim: bom dia Espirito Santo de Deus, me ajude a ser melhor hoje. Segura na mão de Deus e vai!

    • Amanda, fico feliz em ler tudo isso, e eu acho que você entendeu o fundamental, nessa época que vivemos nos cobram super-heróis mas somos apenas humanos e não há nada demais em precisar de ajuda e recebê-la <3 Muita paz pra você!

  26. Por estas e outras que eu falo: o problema não é o casamento, é a convivência!
    Ter que adaptar uma casa a um ritmo que fique bom para os dois responsáveis, sem que se sintam invadidos ou desrespeitados, não é mole não. Cada um tem uma visão do que quer da casa, como o espaço e as coisas devem ser cuidadas… conciliar isto, seja com o marido, com os colegas da república, é muito dificil.
    Outra coisa: vamos ABOLIR a palavra “ajuda” quando se fala em organização de casa. Se vc mora lá, a questão é assumir a sua responsabilidade com isto. Vamos substituir “ajudar” por “responsabilizar.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui