Leia este texto se estiver sem tempo hoje

23
4226

Hoje é, para muitas pessoas, o último dia de trabalho do ano antes das férias coletivas. Muitos emendam com um mês de férias em janeiro e voltam apenas em fevereiro. Não é de se estranhar a expressão que diz que, no Brasil, as coisas só começam a andar depois do Carnaval! Isso acontece mesmo. E num pulo. Vocês vão ver como, do Natal ao Carnaval, o tempo parece voar.

O que me surpreende é como, ano após ano, a maioria das pessoas espera chegar a última semana – muitas vezes, o último dia – para resolver tudo aquilo que não resolveu ao longo do ano inteiro. Como se existisse uma espécie de contagem regressiva para a explosão da caixa de entrada de e-mails às 23h59 do dia 31 de dezembro.

Vamos fazer diferente no ano que vem?

Quando falamos sobre organização, não estou falando sobre você ter suas pastas com etiquetas e uma agenda colorida. Estou falando sobre a construção diária que é mudar alguns hábitos que fazem com que sua vida, como um todo, se torne mais fácil para você. Isso não acontece antes de sair de férias, ao fazer resoluções de ano novo ou ao comprar uma agenda nova. Tudo isso faz parte de um conjunto de ações que precisam fazer sentido para você. Se você nunca usou uma agenda, o simples ato de comprar uma nova não será o suficiente.

Eu estou bastante envolvida com esse assunto porque 1) vivo isso, claro, mas 2) estou desenvolvendo com muito carinho o curso Organize-se em 2016, pensando: se eu fizesse esse curso, o que gostaria de sair dele sabendo? E essa mudança de perspectiva com relação ao que a própria organização é é essencial. Por isso que o trabalho com posts diários em um blog, cursos, serviços diversos, é um conjunto de iniciativas tão importante – porque, para fazer algo virar um hábito, é um trabalho de formiguinha mesmo.

Quando um livro como “A mágica da arrumação” (leia a resenha aqui) da Marie Kondo faz tanto sucesso por aqui e no mundo, a gente até entende o por quê. Primeiro, porque cada vez mais as pessoas estão precisando assumir que precisam colocar um pouco de ordem na sua vida. Segundo, porque o livro dela provoca o leitor na raiz do problema, que é o acúmulo de tralha. Não dá nem pra pensar em organizar nada na vida, na casa, no trabalho, sem se desfazer do que for tralha. É o primeiro passo, o mais básico.

Também é por isso que, naturalmente, muita gente gosta de fazer aquela tradicional “faxina de final de ano”, limpando a casa inteira, doando roupas, brinquedos. Isso tudo é muito bom, mas não dá para ser uma ação pontual. Precisa ser um exercício de todos os dias. Embalagens, papéis e outros tipos de tralhas nunca param de chegar na nossa casa. Sua responsabilidade sobre isso é tão importante e deve ser tão constante quanto limpar o banheiro ou lavar roupa. Não é chato, é necessário. Faz com que sua casa vá se tornando, cada vez mais, seu espaço sagrado e o da sua família.

O mesmo vale para a sua mesa de trabalho, seus papéis, seus projetos, suas atividades no dia a dia. Você já tentou fazer o exercício de analisar o que está presente hoje na sua vida e se perguntar: dá para tirar algo daqui? Frequentemente nós nos envolvemos em atividades sem sentido ou que aceitamos por dificuldades em dizer “não”. Tudo isso faz parte do trabalho de organização que eu proponho com o blog, com os cursos, com os livros.

Hoje pode ser o seu último dia de trabalho antes das férias coletivas, mas você quer passar por esse mesmo tempo de rush no ano que vem também? E depois e depois? A motivação precisa vir de você.

23 comentários

  1. eu sempre fui razoavelmente organizada e meu marido é bem bagunceiro. agora que temos um bebê, as coisas são um pouco mais complicadas, mas temos nos esforçado para mudar e melhorar e criar melhores rotinas e hábitos para manter as coisas em ordem. desde 2014 tenho me esforçado conscientemente para simplificar tudo na vida, e para 2016 quero me organizar mais, para ser mais focada, desperdiçar menos tempo e poder viver mais tranquila e fazer as coisas que eu gosto. adoro seu blog e amei seu livro. boas festas Thais e um ótimo ano novo!

  2. Olá, Thais,

    uma questão prática sobre o blog: eu não lembro onde ficava a caixinha de comentários antes, mas eu costumava ler bastante os comentários. Desde que mudou o layout, eu esqueço de ler, acho que porque está menos visível. Acho que quando rolo o post para baixo, depois não lembro de ler os comentários. Como você comentou que ainda fará ajustes no layout, talvez valha a pena saber disso, não sei se acontece com mais pessoas. Obrigada por tudo em 2015 e que venha 2016! Bom natal e feliz ano novo!

  3. Vou fazer o limpa lá em ksa esse FDS. Graças a Deus estou conseguindo manter, sem adquirir novas tralhas. Mas ainda preciso aprender a conservar o que está arrumado no lugar, estou me adaptando aos 15 minutos de destralhamento, mas tem dias que está tudo tão bagunçado q os 15 são pouco. kkkk

  4. Perfeito! Eu tenho muito, mas MUITO a agradecer à você por ser esse guia maravilhoso rumo à uma vida mais plena.

    2015 foi um ano que não suportaria se não fosse todo o aprendizado que tenho praticado quanto a ter uma vida mais organizada, produtiva, e com sentido.

    Esse texto foi maravilhoso. Consegui pela primeira vez em anos tirar férias hoje sem pendências, com tudo finalizado. Isso é um avanço tão grande, e reflexo das leituras que encontro sempre por aqui 🙂

    obrigada!

  5. Prezada Thais, acho q v. se equivoca ao falar do livro da Marie Kondo (já pela segunda vez, que eu tenha lido). Não se trata de um livro sobre destralhar, “o primeiro passo, o mais básico”. Trata-se de um livro que propõe uma outra perspectiva sobre a nossa relação com o mundo e com o mundo dos objetos. Uma perspectiva baseada na alegria e no prazer de estar ali, naquele momento, naquela condição, munida daquelas coisas. Existem diversos livros/textos sobre destralhar e nenhum alcançou a repercussão deste. É um livro sincero, desprovido daquela miríade de técnicas, etapas e processos que muitas vezes mais dificultam do que ajudam. Cada pessoa é diferente da outra e as coisas que nos trazem alegria, as que deveríamos manter conosco, varia de pessoa para pessoa. Essa espontaneidade com consciência e sentimento é muito mais produtiva e respeitosa do que toda uma série de critérios pragmáticos que nem sempre surtem efeito. V. pode não concordar com ela, mas seria bacana se v. tratasse a perspectiva da autora com o respeito que ela merece e de forma menos reducionista.

    • Poxa, mas eu fiz um elogio ao livro! Não foi reducionista para mim – é uma etapa muito importante o exercício de destralhamento.

      Além de destralhar, existem outros passos igualmente importantes na organização que a Marie não fala a respeito. Isso não desmerece seu livro de maneira alguma.

      Mesmo que eu estivesse equivocada, como você comentou, se trata de uma opinião, e as pessoas divergem em suas opiniões, o que é absolutamente normal. O respeito, no entanto, deve vir sempre. Nisso concordo com você.

  6. Eu sou dessas pessoas que vivem esse caos de final de ano. Mas decidi que esse ano será diferente e ler esse post foi um sinal de que realmente precisa ser. Obrigada Thais! Quando crescer quero ser igual a você! <3 Já aproveitando… Boas festas e que 2016 seja um ano repleto de realizações! Sucesso!

  7. Thaís, sabe o que desejo pra você em 2016? Que você tenha muita saúde e disposição para continuar fazendo a diferença na vida de um monte de pessoas.

    Sou muito grata pela sua vida. Você não imagina o quanto o seu blog tem feito na minha vida! Ainda tenho muito a organizar, mas o trabalho de formiguinha já começou.

    Feliz Ano Novo!

  8. Oi Thaís, tudo bom?
    Também acho impressionante como a gente deixa acumular coisas na vida. Tralha emocional vai além do espaço físico, a gente carrega esse “costume” em tudo: relacionamentos tóxicos, escolhas para agradar aos outros, tentar realizar expectativas que nem fazem mais sentido porque você não é mais a pessoa que sonhou aquilo… Nos sobrecarregamos com uma quantidade ridícula de coisas que não tem significado algum.
    Por muito tempo eu deixei muita coisa que me incomodava porque eu achava que não podia mudar aquilo e, ironicamente, também não arrumei a bagunça externa porque eu criei a idéia de que se eu não suportasse aquilo significaria que eu era “fresca”. Dois anos de terapia pra perceber que as coisas estavam intimamente conectadas.
    Vou fazer 21 anos (sim, só isso hahaha) em janeiro e foi preciso assumir meu lado que gosta de “organização” para poder recuperar minha saúde (transtorno de ansiedade e síndrome do pânico, imagine só). Eu percebo um grande medo nas pessoas quanto a tomar as rédeas da própria vida. O meu era de perder algumas pessoas, mas vejo nos meus amigos o medo de ter que levar a “culpa” se der errado. Demora um pouco pra perceber o quão empoderador é o processo de lutar pelas coisas que você realmente quer e não deixar o excesso entrar em sua vida. Seu blog foi um grande companheiro esse tempo todo, muito obrigada! <3

    (fiz um planner todo cuti cuti inspirada em algumas das suas dicas,

    • * Eu tava digitando e o notebook endoidou kkkk

      (fiz um planner todo cuti cuti -haha- inspirada em algumas das suas dicas e do Live Your Legend pra me ajudar a “ver” o ano que vem e disponibilizei para download -sem fins lucrativos- porque achei que podia ser útil para outras pessoas também. Coloquei seu blog como referência, mas se você ficar incomodada me manda um e-mail para corrigir/retirar o que você não gostar tá?)

      Beijão!

  9. Oi, Thais! Gostaria muito de poder participar do curso “Organize-se em 2016”, mas não consigo completar o pagamento pelo PayPal. Tentei de várias formas, sem sucesso. Já tinha ocorrido isso em outras compras. Não existe outra forma de pagamento? Please, help!

    • O pagamento é feito via PagSeguro.
      Você poderia me contatar no e-mail cursosonline (arroba) vidaorganizada.com por favor?
      Então podemos ver outra forma.
      Obrigada.

  10. Desde que me entendo por gente sou uma bagunceira nata ahushau. Mas aos poucos estou tentando mudar, falhei na maioria, mas ainda não desisti. Foi no ano passado que eu entendi a utilidade de uma agenda, e uso-a desde então para me organizar com trabalhos e provas na escola/curso, uma pena que não consegui adequá-la a tudo na minha vida. Umas das minhas metas de 2016 (sim, já escrevi todas elas pra melhorar desde já) é ser mais organizada em tudo. Seu blog é uma referência de organização pra mim, obrigada 🙂

  11. Tais,

    Permita-me escrever um pouco e se possível solicitar o seu email. É possível obtê-lo? Gostaria de agradecer, escrevendo algumas palavras sobre a importância que as discussões desse blog fizeram ao longo de minha vida. Faz dois anos que a acompanho, inclusive, ganhei um livro autografado seu, pois Karina Vitangelo (uma moça de sua equipe) é muito amiga de uma minha e ela me prestou este favor. vVjo que além procurar ganhar dinheiro, o faz com amor e carinho. Então, nada melhor do que sermos elogiados e recompensados. Desde já agradeço!

    beijo grande

  12. Fiz o curso “Organize-se em 2016” e simplesmente AMEI! Valeu cada centavo.
    No começo deste ano, fiz o “Organize sua vida em 2015”, que foi extremamente produtivo, mas achei que a edição atual está ainda melhor e mais completa.
    Parabéns pelo trabalho, Thais! Obrigada pela transformação maravilhosa que você desperta em nós!
    Estou ainda mais empolgada com o ano que se inicia!

    • Que comentários feliz! Obrigada por postar esse feedback sobre o curso. Fico muito contente que tenha gostado.
      <3

  13. […] O blog Vida Organizada publicou este texto no fim do ano passado, com uma bela “sacudida” – você quer passar 2016 correndo atrás, deixando tudo para depois, no rush? A reflexão da autora foi motivada pelo fim dos dias úteis de 2015, mas continua válida. Pense em como você quer que seu ano seja e coloque em prática. […]

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui