Categoria(s) do post: GTD™, Estudos, Áreas da Vida

O GTD é um método de produtividade que pode ser aplicado de maneira igual a todas as áreas da vida (de fato, ele serve justamente para que você gerencie tudo), mas muitos leitores me pedem para escrever um post sobre aplicação do GTD nos estudos – em especial, na faculdade. Por isso, espero que este post atenda as expectativas.

Captura de tela 2015-09-15 00.03.34

Antes de começarem as aulas

A primeira coisa é cuidar do seu arquivo de referência com relação aos documentos de matrícula e outros relacionados à faculdade. Você pode ter uma pasta (com etiqueta: “Faculdade”) física, para guardar contrato e outros documentos assinados. Pode também valer a pena manter uma cópia digitalizada dos documentos mais importantes, caso precise deles quando não estiver em casa ou não os tiver levado com você, para consulta ou mesmo comprovação. Para isso, você pode usar o Evernote (e gerenciar com uma etiqueta “Faculdade” todas as notas relacionadas) ou outro aplicativo como Dropbox e Google Drive (meus preferidos).

O próximo passo é inserir no seu calendário (e você pode usar uma agenda de papel ou calendários eletrônicos para isso) todos os prazos que você já tem com relação às aulas e sua faculdade. Início das aulas, datas de avaliações, prazos para levar o restante dos documentos e por aí vai.

Sua faculdade agora também é uma área de foco que você vai cuidar nos próximos anos – “sub-área” da área principal: estudos ou intelectualidade (fica totalmente a seu critério – a semântica é o que menos importa). Se pensarmos nos horizontes do GTD, temos como visão concluir a faculdade em 4, 5 ou 6 anos. Dependendo do ano em que você está, concluir a faculdade pode ser um objetivo (até 2 anos) ou um projeto (até 1 ano).

Muitas pessoas acreditam que cada disciplina deva ser considerada um projeto, mas não é assim que funciona o raciocínio. As disciplinas na verdade podem ser sub-sub-áreas de foco dentro de Estudos > Faculdade – e, como em todas as áreas de foco, seu papel é cuidar e garantir standards. Se você está estudando para ter uma carreira, cada disciplina é um aprendizado que você poderá manter mesmo depois de concluir a faculdade.

É importante, no GTD, e isso se aplica tanto aos estudos quanto a qualquer outra área, processar cada informação de acordo com o fluxograma, a saber:

workflow-map-pessoal

Você pode ter, com relação à faculdade, tudo o que está nesse fluxograma: projetos para algum dia, ideias para lembrar mais para a frente, arquivos de referência, ações para resolver na hora (menos de 2 minutos), ações para delegar (especialmente trabalhos em grupo), ações para fazer de acordo com o contexto, projetos e arquivos de suporte a projeto. Cada um desses deve ser definido individualmente, e essa definição vem do processamento, dessa etapa de esclarecer.

Portanto, não se apegue a ideias pré-concebidas de que uma disciplina = um projeto, porque nem sempre. Talvez você possa até considerar “Concluir disciplina X” um projeto, mas às vezes vale mais a pena ter próximas ações isoladas com relação a essa disciplina ao longo do semestre e, caso aconteçam projetos (ex: “Trabalho em grupo Y”), tratar diferente também. Tudo depende. GTD não é escrito em pedra. O que é correto é processar cada informação individualmente.

Quando começarem as aulas

O que eu recomendo pessoalmente aqui é que você tenha em casa uma caixa de entrada em sua mesa de estudo (e um local de estudo organizado, por favor!) e uma pasta para servir como caixa de entrada na sua mochila. É nela que você vai inserir todos os papéis que chegarem até você ao longo do dia, inclusive anotações de aulas.

Sim, porque inclusive eu vou recomendar que você tenha uma pasta com muitas folhas de sulfite, canetas de acordo com o seu gosto e, durante as aulas, tome notas com as folhas, para processá-las individualmente e diariamente. Isso garantirá que você revisará suas notas ao menos uma vez por dia, e em termos cognitivos existem estudos que mostram que revisar a matéria antes de dormir ajuda na memorização e no aprendizado / entendimento do que foi ensinado em sala de aula.

Algumas pessoas gostam de usar um caderno por disciplina. Se você entendeu o conceito acima e conseguir aplicá-lo mesmo com cadernos (em vez de folhas soltas), não tem problema algum. Mais uma vez, o importante é entender como funciona.

Você pode manter as folhas de sulfite com suas anotações em uma pasta da disciplina, ter uma pasta com divisórias e colocar tudo dentro, ou simplesmente digitalizar tudo e armazenar no Evernote para acessar de qualquer lugar sem ter que carregar peso. Ter um tablet pode ajudar muito em sala de aula, e eu recomendo. O Evernote, inclusive, serve não apenas para digitalizar notas, como para tirar fotos do quadro com as anotações do professor, gravar áudios e por aí vai. Uma ferramenta utilíssima que certamente fará diferença no seu estudo.

ryan_scanned_notes

Lembre-se que o Evernote em si tem muitos recursos bacanas para estudantes (e professores), como a possibilidade de linkar notas, criar índices de notas, compartilhar notas e cadernos, montar apresentações e muitos mais. Vale a pena navegar na web em busca de dicas diversas.

Ao processar suas notas das aulas, aplique o fluxograma do GTD. Demanda alguma ação? Pode ser ler, estudar outro livro, ler texto recomendado pelo professor, acessar artigo tal, fazer resumo do ponto X. Muitas ações podem ser demandadas de cada folha com notas. Se for o caso, processe essas ações em seu sistema de gerenciamento de ações (como, por exemplo, o Todoist).

Crie uma etiqueta no Evernote para cada disciplina, para assim poder agrupar todas as notas que tenham suas anotações em sala + conteúdos diversos que salvar via Internet. Você pode usar inclusive aplicativos do próprio Evernote que facilitam essa coleta, como o Web Clipper.

Tenha no Evernote um caderno que também funcione como caixa de entrada, para inserir todas as notas novas e, diariamente, processá-las.

Outras etiquetas no Evernote que podem ajudar são: “Provas”, “Trabalhos”, “Redações”, “E-books”, “Apostilas”, “Exercícios” e por aí vai. Depende muito das categorias de conteúdos que você precisa administrar para estudos.

Pode usar cadernos em vez de etiquetas? Claro que pode. A logística da implementação técnica não importa no GTD, mas o entendimento dos conceitos.

A revisão semanal

O que certamente poderá ajudá-lo(a) muito em seus estudos é a revisão semanal do GTD. Uma vez por semana (escolha o melhor dia para você):

  • Planeje sua semana seguinte (ou a semana vigente, se for segunda-feira) vendo os prazos em seu calendário, as ações pontuais que devem ser feitas em cada dia, seus compromissos, aulas, provas. Colete as providências necessárias para se programar. Precisa estudar para alguma prova? Fazer algum resumo? Apresentar algum trabalho? Estudar em grupo?
  • Veja as próximas semanas para coletar possíveis providências que possam ser antecipadas. Se tiver uma prova muito importante daqui a três semanas, pode iniciar um planejamento agora (que inclusive pode até virar um projeto).
  • Revise todos os seus projetos em andamento e suas listas de próximas ações.

Veja mais sobre a revisão semanal aqui.

Como vêem, não tem muito segredo ao aplicar o GTD para os estudos na faculdade, a não ser personalizações do que você já pode estar fazendo com o seu sistema GTD.