Como encontrar sua missão pessoal

45
12866

Já falei sobre a minha missão pessoal muitas vezes aqui no blog, que é inspirar as pessoas a se organizarem para que consigam transformar seus sonhos em objetivos, sendo mais felizes. É uma missão que, apesar de estar sempre em construção (as palavras que uso), nunca muda sua essência. Não foi fácil ou rápido descobrir qual é, mas me pedem para falar sobre como descobrir, então aqui vão minhas considerações sobre o assunto. Achei pertinente falar sobre isso em dezembro, o último mês do ano, que sempre nos faz repensar a nossa vida (levante a mão quem não faz isso!).

A primeira coisa a dizer é que não é um processo rápido, mas também não precisa demorar tanto. Depende muito de cada um. Tem gente que com 8 anos já sabe que quer ser médica quando crescer, ou cantora, ou professora. Eu sempre tive muitos interesses na vida, então talvez, por conta disso, eu tenha ficado um pouco perdida no mar de possibilidades. A questão de gostar de ajudar os outros veio com o tempo, porque não era algo que eu tinha como foco quando era mais nova. Lá no fundo, eu já tinha os meus valores, mas não tinha aprendido a externar isso de modo que esses valores norteassem quem eu queria ser e o que eu queria fazer. Fica aqui então a primeira dica, que é conhecer os seus valores. O que é importante para você? O que faz parte do seu caráter? O que você jamais aceitaria fazer? (Às vezes pode ser mais fácil a gente saber o que nunca faria do que o que a gente gostaria de fazer).

Eu fui descobrir isso aos poucos, talvez quando comecei a me envolver mais com a minha religião (Budismo), mas também veio do interesse que eu sempre tive por dar aulas (eu era aquela criança que adorava brincar de escolinha – sendo a professora e passando lição!). Fica a segunda dica, que é olhar para trás e analisar o que você sempre gostou de fazer, desde a infância. Mas aqui é um pouco mais complicado, porque não é pelo fato de você tocar piano com 12 anos de idade que vai ser pianista, por exemplo. Mas isso pode querer dizer que você gosta de metodologias, disciplina, esforço e exercer a criatividade.

Imagem: Life Hack
Imagem: Life Hack

Para ir além, você deve se perguntar: qual é a razão da minha existência? Por que eu estou aqui no Planeta Terra, nesta vida? O que eu nasci para fazer? Se a resposta vier de bate-pronto (muitas vezes vem!), você muito provavelmente já terá a sua missão pessoal. Se você não souber, vale a pena pensar sobre o assunto e ir observando o que você tem de valores e o que gosta de fazer. Pode te dar pistas. Sua missão “é a união de seus papéis, de seus corpos, de seus sonhos, crenças e valores” (Christian Barbosa, “A tríade do tempo”). E continua: “Uma declaração de missão descreve o que você é e a forma como você contribui com o mundo. (…) É o verdadeiro sentido da sua vida”.

Você pode começar assim:

“Eu acredito que…”

“Fico feliz quando posso…”

“Dou meu melhor quando…”

“Eu nasci para…”

“Estou aqui para…”

A ideia da missão é você tê-la sempre com você e reler para se inspirar e tomar decisões no dia a dia. Você verá como se tornará mais fácil decidir o que vai ou não fazer. Se não estiver de acordo com a sua missão pessoal, você terá respaldo para dizer “não”, e não ficará com a consciência pesada por conta disso.

É importante saber que missão não é a mesma coisa que objetivo. Missão é seu testamento pessoal, o seu motivo de viver, o que te faz levantar todos os dias de manhã e fazer o que você faz – ou correr atrás dos seus sonhos, estes sim seus objetivos. Sua missão deve ser inspiradora, motivadora, além de abranger todas as áreas da sua vida, e não somente a profissional ou a pessoal, por exemplo. Você deve conseguir aplicar sua missão a absolutamente tudo o que você faz na sua vida. Deve guiar os seus passos. Por isso, ela também deve ser atemporal – ou seja, não deve ser aplicada a algo que, depois, não fará mais sentido. Exemplo: “ser um bom estudante na faculdade”. Sua faculdade vai acabar um dia.

Mais uma vez, quero dizer que não é fácil encontrar sua missão pessoal, apesar de algumas pessoas já a terem em vista. Vale a pena tirar um tempinho e refletir um pouco sobre quem você é, quais seus valores, quais suas principais qualidades e dons. Também é necessário entender o que é importante na sua vida – ter uma família, ter estabilidade financeira, ser independente? Todas essas escolhas podem pautar a sua missão. Pense no que você mais admira em determinadas pessoas – também são qualidades a ser exploradas na sua missão pessoal. Você também pode pensar o seguinte: se você pudesse ser um super-herói para o planeta, qual seria a sua super-missão? Para que você trabalharia todos os dias, incansavelmente? E, por fim, minha preferida: se você morresse hoje, qual seria seu legado para o mundo? O que você gostaria de deixar de herança por tudo o que você fez? O que faria diferença?

As perguntas acima podem ajudar você a ter um norte e encontrar sua missão pessoal. E, uma vez encontrada, você passará a ver como muitas coisas farão mais sentido (outras, menos) e as decisões ficarão mais fáceis na sua vida. Sabe aquela sensação de dúvida, de não saber por que caminho seguir? Ter uma missão pessoal é a garantia de que você não passará mais por isso, pois ela será sua base para a resposta. No final das contas, nem toda pessoa é pianista, mas todas são artistas. Viver é uma arte que está em eterna construção.

Imagem: Facie Populi
Imagem: Facie Populi

Boa sorte, bom dezembro e feliz 2015, que está chegando. 🙂

Obrigada por tudo, pessoal.

45 comentários

  1. Muito legal esse texto! E vem bem a calhar com a época do ano mesmo, mas é uma coisa que venho me perguntando há algum tempo. Estou lendo o livro do Christian Barbosa citado aí em cima.

    Obrigada por mais esse texto maravilhoso, Thais. Que você continue cumprindo tão bem a sua missão no ano que vem e por muitos anos!

  2. “Sabe aquela sensação de dúvida, de não saber por que caminho seguir?”. É nesta fase da vida que me encontro, tenho refletido muito, mas sem conseguir chegar a algum ponto real. Obrigada por este post, ele veio no melhor momento e muito provavelmente vou conseguir começar 2015 melhor.

  3. Acho que no fundo nós até sabemos a nossa missão (eu pelo menos, como já comentei outras vezes sei, só me falta coragem e dinheiro rsrsrsrs), mas ficamos nos auto-sabotando. Porque passamos dias e noites pensando no dia em que realizaremos tal e tal sonho, e daí os dias passam e não corremos atrás de fazer algo de fato para realiza-los. Talvez até com medo de após realizarmos não sabermos o que fazer.
    Sei lá…
    São só devaneios que sempre me passam pela cabeça e que o seu texto veio para complementá-los e me fazer refletir ainda mais sobre minha existência neste mundo.

    “— É pecado sonhar?
    — Não, Capitu. Nunca foi.
    — Então por que essa divindade nos dá golpes tão fortes de realidade e parte nossos sonhos?
    — Divindade não destrói sonhos, Capitu. Somos nós que ficamos esperando, ao invés de fazer acontecer.”
    (Machado de Assis- Do livro Dom Casmurro)

  4. Realmente, concordo com a Vanessa. Um dos melhores posts com certeza. Há um tempo venho seguindo seu blog, com poucas interações, mas leio diariamente e ultimamente essa tem sido a grande incógnita. Muitas dicas que você revela aqui no blog já me ajudaram muito, mas essa é especial. Espero sinceramente Thaís que mais pessoas descubram missões como a sua, ajudar as pessoas, pois assim o mundo continuará mudando.

    Obrigada por tudo e uma ótima jornada em 2015 e nos outros anos também.

  5. Mais um excelente texto Thaís! Um ótimo 2015 para você e que você continue compartilhando conosco suas experiências, vivências, reflexões…Bjo!

  6. Lendo esse texto, fiquei pensando… é muito dificil publicar um livro? Já tem alguns anos que escrevo sobre a minha evolução em psicoterapia diante de uma depressao de uma vida inteira. É como se eu tivesse me sentindo viva pela primeira vez, aos 30anos. Sempre quis contar minha história pra inspirar pessoas, pois ainda não conheci ninguem que tivesse esse problema desde criança e que tenha saido dele realmente. Normalmente as pessoas ficam com depressao por uma fase na vida e nao desde a infância. Pelo menos nunca conversei com ninguem assim. Acha loucura eu querer fazer um livro contando meu crescimento na psicoterapia? Talvez pudesse inspirar e motivar quem tem o problema. O que vc me sugere?

    • Amanda, boa sorte com seu livro! Acho que você deve sim escrever. Depois, o segundo passo é ir atrás de editoras que publiquem livros semelhantes e entrar em contato perguntando qual o processo para publicação (para cada uma é diferente). Abs

  7. Ótimo texto Thais!

    Tenho acompanhado seu blog há um tempo, gostaria de lhe dar os parabéns pelo belo trabalho que tem feito!

    Feliz 2015 pra você também!

  8. esses tipos de textos (pelo melhor que sejam) nao me ajudam, pelo contrario… me deixam ainda mais confuso e isso é deprimente

  9. Oi Thais, há muito não comento, e hoje o assunto bateu de frente porque justamente me fiz algumas dessas perguntas, alias sempre me faço…esse assunto é muito interessante e delicado, sutil, e nem tão fácil de alcançar eu penso…eu observo muito as empresas que sempre colocam em sua página na web a missão, daí que confunde mais ainda…adorei o texto, como sempre, e aproveito pra desejar também a você um 2015 de muitas realizações e planos, saúde e paz.

  10. Olá Thaís, muito obrigada pelo seu texto. Foi ótimo! A necessidade que tenho e hoje sei que é pela busca da minha missão, tem sido mais frequente a cada dia. Sinto que estou muito perto da resposta. Parabéns por praticar tão bem a sua missão. Obrigada!

  11. As vezes é frustante não saber qual sua missão. Eu tenho uma vaga ideia, mas sempre penso se é isso mesmo. Esse é mais um texto para ler e reler sempre.

    • Acredite ou não acho que acabei de descobrir minha missão pessoal graças ao complete a frase.

      “Sometimes you just need a chance to make a change…” fica a reflexão 😀

  12. Ai, Thais! Não sei se choro agora ou depois kkkkkkk. Com certeza, esse é um dos melhores posts.
    Desde que eu vi você afirmar sua missão pessoal que eu venho refletindo sobre qual é a minha.
    De uns dias pra cá, estou convencida que encontrei.
    A partir de então tenho pensado em meus objetivos para que eu possa desempenhar essa missão de forma mais plena, seja em minha vida profissional, seja em minha vida pessoal.
    Obrigada pelos insights que seu texto me proporcionou!

  13. Belo texto, Thais. Venho me questionado sobre isso a algum tempo, com mais força nos últimos dias em decorrência do meu aniversário. Era tudo o que eu buscava: uma forma concreta de tentar encontrar minha missão. Obrigada!

  14. Admiro tanto o fato de vc ter ido atrás de realizar seu sonho ou de caminhar em suas tarefas de amaneira que elas estejam de acordo com a sua missão. Escrevi outro dia, tenho um blog também (https://livrinho.wordpress.com), que às vezes sinto como se estivesse enxugando gelo…
    Belo texto!! Espero que meu 2015 seja mais focado.

    BJs

  15. Que tudo esse post, Thaís! Vai ajudar muito a fechar o ano e abrir caminhos para o próximo. Não seria exagero dizer que seu blogue virou uma espécie de religião para mim, porque me norteia e inspira muito. Muito obrigada e tudo de maravilhoso pra ti e tua família!

  16. Olá, Thais
    Quero deixar registrada minha profunda Gratidão pelo teu servir, por tua disponibilidade de compartilhar as coisas com as pessoas e, assim, cumprir tua missão.

    Vou imprimir este post e colar na porta do meu guarda-roupa. Será o texto norteador e de reflexão para a minha passagem de ano e início de um novo ciclo.

    Obrigada,

  17. Post maravilhoso! Tenho uma decisão dificílima para tomar em 2015: se priorizo minha vida pessoal ou a profissional. E escolher é perder… sua dica da missão pessoal irá me ajudar muito, e tenho que descobrí-la antes que esse ano acabe. Obrigada, Thaís.

  18. Thais que texto inspirador! Mas também muito instigante, se tem uma coisa que vivo sempre é uma crise em busca da minha missão pessoal, realmente não é fácil pois é algo muito sério, né!?

    Engraçado que estava pensando nisso pouco antes de abrir seu blog, sem pretensão alguma.

    Parabéns pelo seu trabalho e sua missão tão linda! 🙂

  19. Parabéns! Muito bem escrito, sem influenciar por causa da sua religião! Gostei muito!E concordo plenamente! Eu já sei minha missão… agora é isso fazendo por onde ela se cumprir…

    E a todo tempo construo meus objetivos! beijos! Bom dezembro! e Feliz Natal!

  20. Nossa, que texto incrível! Vou até quebrar meu silêncio, não costumo comentar em posts 😛
    Acompanho seu blog há um bom tempo, tento encontrar meu norte há mais tempo ainda…
    Recentemente me dei conta de que seu conteúdo ajudaria muito nessa jornada, agora tenho certeza absoluta – não só pelas dicas de organização mas por sua mentalidade e inspiração.
    Organizar a bagunça do dia-a-dia clareia a mente pra ver o que é mais importante a longo prazo.

    Muito obrigada pelo blog e por esse post! <3
    (agora vou lá pela enésima vez criar o hábito de manter meu toodledo, rs)

    • Que legal, obrigada por ter comentado. Valorizo muito quando leitores que nunca comentam vêm aqui e deixam uma mensagem, porque sei como o dia a dia é corrido e nem sempre a gente consegue. Obrigada mesmo!

  21. Thais boa tarde.
    Esse assunto é muito interessante e me fez pensar em como me sinto no momento com relação a minha vida profissional, não estou feliz e no momento gostaria muito de mudar de emprego e gostaria de trabalhar com trabalhos sociais.
    Moro em uma cidade do interior pequena onde isso não tem muito espaço, e aqui os adolescentes estão usando drogas muito cedo e isso me tem feito sonhar por um futuro melhor pra estes jovens.
    Na verdade o meu sonho seria abrir uma Ong onde pudesse desenvolver um trabalho com as crianças para termos adultos saudáveis.
    Já pensei em montar o meu projeto e tentar conseguir um patrocinador ou alguns, para podermos conseguir transformar uma geração.
    Gostaria de saber se vc tem algo a dizer sobre isso que pudesse me ajudar de alguma forma.
    Curto muito o seu blog e tenho aprendido muito com vc.
    Bj e se possível espero uma resposta.
    Obrigada

    • Rose, muito bacana sua ideia. Minha recomendação é a do GTD para qualquer projeto: qual é a próxima ação? Trabalhe nela, e depois na próxima, e na próxima… faça acontecer. Boa sorte!

  22. Um excelente texto para refletir sobre nossa missão no inicio de ano, né?
    É verdade as vezes tem pessoas que nascem e pequeninas já sabem o que querem, para que vieram e para onde vão.
    Eu ainda estou no processo de conhecimento, já evolui muito e continuo na busca.
    Bjs

  23. […] Como encontrar sua missão pessoal   “A ideia da missão é você tê-la sempre com você e reler para se inspirar e tomar decisões no dia a dia. Você verá como se tornará mais fácil decidir o que vai ou não fazer. Se não estiver de acordo com a sua missão pessoal, você terá respaldo para dizer “não”, e não ficará com a consciência pesada por conta disso.” […]

  24. Meu objetivo maior é descobrir isso! Mas, definitivamente, muito difícil! Recentemente, soltei essa: meu sonho, é ter um sonho… 🙁 Sou como um barco à deriva! Preciso de um psicoanalista!!

      • Eu segui, mas ainda assim, não ajudou, pelo menos neste primeiro momento! Eu só consegui completar sua segunda dica de frase! Quando li sua experiência, identifiquei-me muito, pois também gosto de ajudar os outros, e também sou versátil, muita coisa me interessa e se eu for pensar no que não quero fazer, acabo concluindo que tudo tem um lado bom e outro ruim, é exatamente aí onde que me prejudico!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui