Um papinho sobre pessoal X profissional, conciliar tarefas e falta de tempo para fazer tudo

63
8127

Pessoal, queria bater um papo com vocês hoje sobre a questão da manutenção da casa, das rotinas e de tudo o que precisamos fazer com uma determinada frequência para não entrar no caos.

Recebo muitos e-mails de pessoas desesperadas (de verdade) que me perguntam como conciliar as tarefas domésticas com todo o resto: família, estudos, momentos de lazer, trabalho até mais tarde etc.

A primeira coisa que a gente tem que fazer é ter noção do nosso tempo. E a gente faz isso da seguinte forma:

Temos 24 horas no nosso dia. Se tivéssemos 30, gastaríamos as 30. Se tivéssemos 15 horas, daríamos um jeito. Esse “daríamos um jeito” é a chave. Mas vou falar sobre isso daqui a pouco.

Dessas 24 horas, suponhamos que a gente passe 9 horas dedicadas ao trabalho (8 horas + 1 hora de almoço). Eu sei que tem gente que trabalha mais. Estou colocando uma média.

Também vou levar em conta que todos nós dormimos 8 horas por noite. E sim, eu sei que tem gente que dorme menos ou dorme mais. São médias.

Com isso, sobram 7 horas para fazermos todo o restante. Mas inclua aí o tempo que se leva de deslocamento todos os dias. Não só de ida e volta para o trabalho, mas de ida e volta ao mercado, à farmácia, ao shopping, ao restaurante, ao barzinho. Se a gente colocar que leva 2 horas todos os dias se deslocando, teremos 5 horas do nosso dia para fazer TODO o resto, que inclui:

  • Cuidar da casa
  • Passar um tempo em família
  • Atividades de lazer: ver um filme, ler um livro
  • Estudar, fazer um curso
  • Frequentar a igreja, o centro, fazer práticas religiosas em casa, meditar
  • Fazer algum tipo de trabalho voluntário
  • Descansar, olhar o céu, ficar com as pernas para cima
  • Atualizar planilha de finanças, pagar contas, ir ao banco
  • E por aí vai…

Não dá para a gente conciliar pessoal X profissional porque a divisão não é essa. A divisão é entre áreas de responsabilidade, em que apenas uma delas é referente ao trabalho. O “pessoal”, por assim dizer, é dividido em família, casa, finanças, estudos, espiritualidade, saúde, lazer…

Com isso, a gente pode tirar duas conclusões:

  1. Temos tempo mais do que suficiente para fazer as coisas do trabalho. Não tem motivo para a gente ficar até mais tarde, levar trabalho para casa, esquecer a vida lá fora e se estressar com a quantidade de demanda.
  2. Temos muito pouco tempo para todo o resto. Se não diminuirmos as expectativas e se não nos organizarmos minimamente, jamais conseguiremos fazer o que é importante mesmo. E aí a gente acaba tirando tempo do sono, fazendo tarefas pessoais durante o trabalho e por aí vai. Gera um desequilíbrio. Precisamos nos organizar para isso não acontecer mais.

Cuidar da casa é apenas uma das coisas que precisamos fazer, igualmente. Portanto, é legal a gente ter essa visão macro da vida e parar de focar em micro problemas – que é o que a gente faz mesmo! É legal fazer essa análise de todas as áreas de foco da sua vida para ver qual está em desequilíbrio – seja porque você está se dedicando muito, seja porque está se dedicando pouco.

E aí você pode perceber que, apesar de toda a preocupação, você está dedicando um tempão da sua vida à sua casa, deixando faltar tempo para o lazer, para o seu descanso, para o seu tempo com a família, para ter algum hobby que te deixe feliz ou mesmo investir em projetos importantes que trarão resultados lá na frente, como começar um curso.

Sabe o que acontece quando a gente quer fazer tudo ao mesmo tempo? Primeiro, a gente não consegue. Segundo, por não conseguir, a gente se frustra. Fica desanimado, achando que a vida está passando. E está mesmo! Então a gente tem que aprender a valorizar as coisas certas e desvalorizar aquilo que não tem tanta importância assim.

Quando um leitor me escreve perguntando o que fazer porque sai de casa às 6h da manhã e volta só depois da meia-noite e não tem tempo para limpar a casa, fazer comida e estudar, eu tenho vontade de responder que não existe milagre. Não dá para fazer tudo. Em primeiro lugar, a gente tem que ter noção do que é transitório (como, por exemplo, os anos dedicados a uma faculdade). Em segundo, diminuir as expectativas. Se não dá tempo, não dá tempo. Simples assim. Então o que é essencial? Isso eu vou fazer.

Para descobrir o que é essencial, gosto de usar uma coisa que aprendi na faculdade de publicidade, que é a Pirâmide de Maslow. Já ouviram falar? É uma pirâmide que mostra as necessidades humanas. Veja:

2000px-Hierarquia_das_necessidades_de_Maslow.svg

A base da pirâmide (e da nossa vida) são as nossas necessidades básicas: respirar, comer, beber água, fazer sexo, dormir, equilibrar o organismo, fazer xixi e cocô. Isso são as nossas necessidades mais rudimentares, quase primitivas. Se devemos começar organizando por algum lugar, deve ser por aqui. Como?

  • Vivendo sem ansiedade, controlando o que for possível, para conseguir respirar direito. Abrir as janelas, tomar ar puro, talvez até meditar com foco na respiração. Lembrar de sempre respirar direito.
  • Se alimentando corretamente, de maneira funcional para cada um, de acordo com o que é considerado saudável. Cuidar da alimentação da família.
  • Bebendo água ao longo do dia, para se manter hidratado (não só o corpo como o cérebro). Garantir que haja sempre água para todos.
  • Fazendo sexo, nem que seja sozinho!
  • Dormindo bem, conhecendo a necessidade de horas de sono que você tem e respeitando o ritmo do seu corpo.
  • Aprendendo como funciona o seu metabolismo.
  • Regulando o seu corpo para conseguir fazer tudo isso sem desregular nada.

Enquanto isso não estiver organizado, não adianta querer organizar o resto. Ou seja: se você não se alimenta bem, não tem tempo para beber água, não dorme direito etc, como pretende sequer pensar em organizar tarefas? Em casos extremos de falta de tempo, essas necessidades básicas devem ser privilegiadas.

Só depois disso que você começa a pensar na segurança do seu corpo, em se manter estável no trabalho, em garantir estabilidade financeira, moral, da família, da saúde e da sua casa.

Se for para priorizar atividades domésticas nesse meio todo, foque naquelas que proporcionem aquilo que as necessidades básicas pedem: abra as janelas, deixe o ar entrar, cuide da comida, da água, dos seus relacionamentos, arrume sua cama (e troque os lençóis!), limpe os banheiros. O básico também.

O que eu estou querendo dizer é que não adianta se preocupar em passar cera no piso laminado se você não limpou a sua pia da cozinha. Em curtas palavras, é isso. Questão de prioridade, e a prioridade deve começar atendendo as necessidades básicas. O resto vem depois, em uma hierarquia.

Pense nisso antes de surtar por que não consegue fazer tudo, ok?

Boa terça-feira.

63 comentários

  1. Thaís,

    O texto de hoje foi ótimo pra mim. Apesar de parecer óbvio que temos que começar priorizando nossas necessidades básicas, muitas vezes me perco nas atividades do dia a dia e sinto que estou sendo “engolida” pelas tarefas! Agora mesmo estou aproveitando a hora do meu almoço pra dar uma olhadinha no seu site! Beijos!

  2. Thais,

    Excelente seu texto! Um serviço prestado aos seus leitores!
    Incrível como não conseguimos refletir sobre o óbvio, não eh mesmo?
    Obrigada

  3. Oi, Thaís! Boa lembrança essa da Pirâmide de Maslow. Acho que temos que retornar a ela (e até reorganizá-la) com mais frequência do que fazemos. Mas não concordo em descontar o tempo de deslocamento das horas produtivas. Sempre é possível ouvir um livro, um podcast ou até treinar um idioma enquanto se dirige, principalmente no trânsito das grandes cidades. Ou, além dessas coisas, ler um livro em papel, processar caixa de entrada ou outras atividade dentro do transporte público.

    Mesmo quando se faz tarefas de baixa concentração, como lavar louças ou limpar a casa, é possível utilizar fones de ouvidos para consumir informação produtiva nas mais variadas formas.

    Finalmente, se o deslocamento se dá com a família, nada melhor que desligar a música e conversar, aproveitando o tempo de convívio.

    No seu exemplo, seriam duas horas a mais de tempo aproveitável.

  4. Thais, tive a impressão que você estava falando comigo ao ler o artigo.
    Incrível, como tudo que você escreve!
    Parabéns!!!

  5. Ótimo post thais.
    Tudo é questão de análise, acho que é isso que falta hoje em dia, se dar esse tempo pra refletir o que esta sendo priorizado e o que é realmente necessário priorizar. Perdemos muito tempo reclamando da falta de tempo e esquecemos de cuidar de nós mesmos.

    Beijos!

  6. Olá Thais, eu realmente estava precisando ler esse texto justamente hoje que estou atolada de coisas a fazer e não sei onde começar, como continuar… aff… prazos e prazos a cumprir… pronto! tá decidido… após o expediente vou relaxar um pouco e curtir meu lar com meu esposo. Chega de correria por hoje, bom é claro, apos o expediente, não dá pra levar o trabalho pra casa mesmo… acho que não preciso levar preocupações também não né? rsrsrs… Hum e vou dar um jeito de rever minha lista de prioridades. Mais uma vez obrigada!

  7. Obrigado pelo post de hj Thais! Leio seu blog qse todos os dias, mas hj vc falou o que eu precisava ouvir..é difícil organizar tantas tarefas e conseguir ser produtiva, quero muito estudar mas meu cérebro parece que só quer dormir. Foi importante ler esse texto porque ontem a noite estava pensando justamente nisso, preciso de no mínimo oito horas de sono e se não estou dormindo nem isso como querer me organizar e produzir mais? Preciso atender o básico, que pra mim é o sono.. Gostei da reflexão! Abraços e boa terça!

  8. Obrigada por esse post, Thais!
    Acompanho seu blog todos os dias e raramente comento, mas hoje me vi obrigada a agradecer. Era o que eu precisava ler. =D
    Beijos e sucesso!

  9. Excelente post, Thais! Consegui expor com palavras aquilo que nem sempre está claro mas quem está perdido em meio a falta de tempo e correria do mundo moderno. Abraços!

  10. Chegou um momento da minha vida em que eu vi isso que você escreveu: “Se não dá tempo, não dá tempo. Simples assim. Então o que é essencial? Isso eu vou fazer.” Aconteceu na faculdade. Eu fica angustiada de não poder fazer outras coisas, estava tão atolada tendo que trabalhar estudar ao mesmo tempo que achava que ia pirar.

    Mas depois pensei “isso vai passar, são só quatro anos”. E passou mesmo. O problema é que é difícil lidar com a ansiedade. Algumas pessoas conseguem, outras não. E isso pode, de fato, deixar a pessoa doente se ela não começar a largar algumas coisas pelo caminho e priorizar o que é essencial. 😀

    Grande texto, Thaís!

  11. Thais, adorei o texto de hj!!!
    Tenho um dia super corrido e vivo querendo encaixar mais e mais coisas no meu dia. Sei q nao serei feliz se só trabalhar e voltar pra casa e dormir, mas tbem preciso entender q nao posso abraçar o mundo. E sempre a cobrança e expectativa é o q acontece, comigo mesma.
    Obrigada pelas palavras!
    Adoro te ler =)

  12. Thaís, você disse em outro posto que usa mais de um e-mail. Gostaria de saber se você organiza sua agenda digital (google calendário) em um deles ou em outra plataforma que sincroniza todos eles? Abraços, João!

  13. Thais, adorei sua reflexão!!! Fiquei com um sentimento muito bom. Obrigada por escrever para nós 🙂 Beijos!!!

  14. Eeeeh Thais hein, deu um tapinha na cara do povo, um tapinha amigo, para acordar.
    A verdade é que não adianta ninguém passar horas aqui lendo como se organizar ou qualquer outro site/livro/conteúdo de produtividade enquanto não ter noção de tempo e prioridade.

    Mas sabe Thais, eu acho que isso tudo é mental. Crescemos regrados: hora de comer, hora de dormir, hora de estudar, hora de brincar, hora de tomar remédio. Mas quando crescemos quem é que ditará as ordens?

    Esse ano aprendi que para ser realmente organizado tem que ter maturidade. Nunca gostei da palavra disciplina , sempre me soava cansativa e coisa de gente chata, mas sem ela nada dá certo.

    Existe essa batalha enorme entre: o que devo fazer e o que eu quero fazer. Quando vivemos fazendo apenas aquilo que temos vontade, fracassamos. Penso sempre nisso, as vezes, peco nisso também.

    Ótimo texto! Tudo de bom para você!

  15. Olá Thais, tudo bem!!
    Excelente!! Você fará a mesma abordagem com as demais partes da piramide?
    Ou você tem algum livro que aborde a piramide em seu todo?
    Grande abraço!!

  16. Oi Thais!

    Estou lendo seu livro pela terceira vez e agora estou colocando em prática as listinhas que fiz e organizando as rotinas, por isso estou numa fase bem mais tranquila. Só o fato de estar me esforçando para melhorar as coisas já está me fazendo um bem danado, mesmo que nem tudo funcione como eu gostaria. Como vc disse, precisamos priorizar, não tem jeito. É uma sensação indescritível saber que estou fazendo o meu melhor e tenho feito o máximo para não me cobrar. Estou começando a aceitar que não vou conseguir fazer tudo mesmo, então o negócio é não estressar com isso.

    Enfim, vc tem me ajudado muito nessa fase de restruturação que estou vivendo, então meu muito obrigada e sinta-se abraçada! \o/
    Bjs

  17. Oi Thais!

    Estou lendo seu livro pela terceira vez e agora estou colocando em prática as listinhas que fiz e organizando as rotinas, por isso estou numa fase bem mais tranquila. Só o fato de estar me esforçando para melhorar as coisas já está me fazendo um bem danado, mesmo que nem tudo funcione como eu gostaria. Como vc disse, precisamos priorizar, não tem jeito. Mas é uma sensação indescritível saber que estou fazendo o meu melhor e tenho feito o máximo para não me cobrar. Estou começando a aceitar que não vou conseguir fazer tudo mesmo, então o negócio é não estressar com isso.

    Enfim, vc tem me ajudado muito nessa fase de restruturação que estou vivendo, então meu muito obrigada e sinta-se abraçada! 🙂
    Bjs

  18. Olá, Thaís.

    Amei o seu post e sigo sempre o seu blog.
    A organização das tarefas é muito complicada mesmo e temos que dividir melhor o tempo e estabelecer prioridades.

    Também tenho um blog, passa lá para conhecer. Bjs,

  19. Olá, Thaís.

    Amei o seu post e sigo sempre o seu blog.
    A organização das tarefas é muito complicada mesmo e temos que dividir melhor o tempo e estabelecer prioridades. Também tenho um blog, passa lá para conhecer. Bjs,

  20. Amei o seu post e sempre estou aqui conferindo tudo.
    A organização das tarefas é muito complicada mesmo e temos que dividir melhor o tempo e estabelecer prioridades. Também tenho um blog, passa lá para conhecer. Bjs,

  21. Bom dia!

    Lendo seu blog cheguei a uma conclusão: estamos fazendo coisas demais e precisamos urgentemente de um freio.
    Não estamos mais fazendo coisas, digamos, de qualidade, e sim cada vez mais. Penso que ser produtivo não é por aí… Isso só está gerando estresse e sobrecarga.

    Eu acho maravilhosas suas dicas de organização e produtividade. Estão me ajudando bastante, principalmente no trabalho. Recomendei seu blog aos meus colegas e eles estão gostando muito… Mas enfim…

    Todos nós precisamos parar e pensar. Cortar praticamente tudo que “dá dinheiro” para fazer “o que gosta”. Se possível “ganhar dinheiro com o que gosta”, ou mesmo transformar o que dá dinheiro no que gosta. Mas é sério: não dá tempo. A sociedade de hoje está nos transformando em máquinas.

    Confesso que estou desesperada. Ter que ficar encaixando atividades ao longo do dia como um quebra-cabeça pra manter uma ordem não é a minha praia. Preciso de acasos e de jeitinhos. Acho que todos precisam (ninguém é formado por linhas retas). Para isso acontecer (e sermos realmente organizados) temos que cortar muitas coisas.

    Beijos

  22. Thais,

    Como de hábito, suas reflexões nos chacoalham em corpo e alma. Incrível como palavras assim são capazes de mexer tanto com a gente, de nos fazer repensar prioridades e escolhas, e de nos arrancar subitamente da zona da “inércia”.

    Este texto me fez ficar bastante convencida que devemos trabalhar nessas duas frentes: pegar leve consigo (baixar expectativas), mas ser comprometido/a e dedicado com a busca do equilíbrio, fazendo acontecer aquilo que seja importante para nós!

  23. Thais,

    Adorei o post e o seu blog SEMPRE me ajuda muito!
    Você tem algum post já feito, ou se não fica a sugestão.
    De dentro da organização de tarefas diárias em casa, que é prioridade ou não e quanto tempo podemos deixar passar?!
    Tipo, banheiro limpar a cada quantos dias?
    Lençóis trocar a cada quantos dias.
    Lavar roupa 1 vez por semana, passar…
    Fazer comida e lavar louça, todos os dias…rs
    Essas coisas?!
    Obrigada!
    Beijos
    Thaís

  24. GRATIDÃO, Thais. Um dos textos que mais gostei do seu blog (e são vários! rsrs).

    Eu quase entrei em depressão no ano passado por achar que não era capaz de dar conta de tudo (claro, com perfeição! rs), e bom, eu não era mesmo, porque o meu “tudo” era coisa de mais. E eu achava que a culpa era minha, não conseguia ter essa clareza de que existem várias limitações. Engraçado que eu equilibrava vários pratos, e por um período conseguia equilibrar todos, mas uma hora ou outra um deles caia. Pronto! Eu só conseguia focar naquele prato quebrado, tinha outros vários equilibrados e rodando, mas era no quebrado que eu focava. E o que acontecia? Com isso eu derrubava todos os pratos!

    Agora estou trabalhando muito em mim quais são minhas prioridades, o que é mais importante para mim, contando com ajuda das pessoas, delegando(o que era difícil para mim!) e tentando organizar tudo de um jeito que a base da pirâmide nunca saia de foco: saúde e bem estar são o mais importante, né? Sem isso, é difícil fazer os outros valerem a pena.

    E mesmo assim, textos como o seu são essenciais para eu me lembrar sempre da minha experiência e não repeti-la!

  25. Thais,
    Baseada neste post coloquei no papel todas as atividades do meu dia e percebi que realmente não tenho dedicado tempo para várias partes da minha vida. É dificil pensar em como dividir a atenção e organizar as atividades, além de aceitar nossas limitações. É confuso pois sempre nos insentivam a correr atrás do melhor, que sempre existe um jeito de manter a percistencia e vencer todos os obstáculos. Dificil é aceitar que existem limitações sem surtar antes.

    Obrigada pelo texto.

  26. Olá Thaís,
    Esse post me fez entender de vez porque minha vida anda tão desorganizada e porque eu tenho estado tão estressada e demotivada com o excesso de atividades e obrigações. Não tenho priorizado as coisas mais básicas e necessárias. Agora sei por onde começar!
    Cheguei ao seu blog há algum tempo atrás procurando por organização doméstica, e veja só, percebi que preciso mais de organização pessoal! Obrigada!
    Patrícia

  27. Amei amei amei! Já mandei pra minha mãe e meu pai lerem também =)) Adorei sua resposta sobre assexualidade (ri litros) uhahauhauh

  28. Adorei, Thais! Aliás, desde os tempos que tinha aulas de TGA no curso de gestão escolar, considerava essa pirâmide intrigante…um toque de genialidade de Maslow, que você tem o dom de deixar mais inteligível e interessante. Mas hoje, com a minha percepção um tanto modificada, olhei para essa diagramação que você demonstrou e vi a pirâmide com outros olhos. As cores se relacionando com os chakras…na linha da base, o vermelho, nossa sobrevivência, o chakra que nos liga à terra e nos garante a sobrevivência. Lá em cima, no topo, representado pelo violeta, os 3 chakras da cabeça, que nos conectam, com o Divino. Como sempre agradeço os seus toques tão assertivos. Bjs no coração!

  29. Obrigada, obrigada, muito obrigada!!!
    É muito bom poder acordar e ler um texto assim quando mais precisamos. Sempre que estou lavando a louça lembro de você, não consigo começar a fazer nada em casa sem antes deixar a pia da cozinha limpa.
    Beijo e muita luz!

  30. Puxa Thais, toda vez que você fala que te escrevem desesperados com desorganização, eu fico pensando em te escrever também. É um pedido de socorro, achando que você vai me dar a solução. Perfeito esse seu post. É justamente o que eu penso: tem que começar pelo básico. Eu cuido da comida primeiro em casa, mas vivo num caos de desorganização. Pelo menos é o que eu acho…. Obrigada

  31. Rrealmente suas dicas são preciosas. Sabe que comprei seu livro mas até agora não li. Sempre digo que não tenho tempo!!! Preciso me organizar melhor.

  32. Perfeito, Thais. O post serviu pra que eu percebesse que preciso me desobrigar a fazer tudo e aceitar que só vou fazer uma pequena parte de tudo o que quero! Obrigada, abraço.

  33. Ola Thais.

    Passei a te admirar muito.
    Sou um Pequeno Empresário do Rio de Janeiro e estou conseguindo fluir com muita coisa que antes não via jeito.
    Foi muito bom mesmo encontrar o seu blog. Já leio há um bom tempo, mas não comento.
    Hoje ao ler este post, não poderia deixar de agradecer.
    Muito Obrigado!

  34. Parabéns Thaís! Seu blog tem me inspirado bastante! Aproveitando os dias de recesso para rever posts valiosos como esse e estudando como conciliar o GTD com o Evernote.
    Vou compartilhá-lo com meus amigos, pois certamente será útil para muitos!
    Uma declaração pessoal: tenho me esforçado para compreender e aplicar essas novas tecnologias de aplicativos e outros meios valiosos nos dias de hoje, embora minha empatia com eles não aconteça à primeira vista ou teclada. Quando leio sobre”esse programa ou app é muito intuitivo”, ainda não sinto isso na prática. E como sou muito mais intuitiva do que lógica, vou persistir até vivenciar o que leio.
    Feliz 2015 com todos seus projetos em ação!

  35. Thaís,
    Eu comprei seu livro e não poderia ser diferente, eu amei assim como o blog.
    Vou ler pela segunda vez para refletir e organizar 2015 com foco!
    Uma leitura super pratica e inspiradora.
    Na minha profissão planejo os espaços, e sem organização isso não seria possível,colocar a organização na vida é fundamental, aprendo todos os dias aqui.
    Obrigada por disponibilizar tanto conhecimento.

  36. Olá adorei suas dicas mais gostaria de saber a sua opinião eu tenho 20 anos dois filhos m de 4 meses e outra de 4 Anos e queria muito voltar a faculdade mais ainda não tenho minha casa propria o que devo fazer ????

    • Eu tenho um filhotinho de sete anos, retornei a faculdade ele tinha dois anos, estudando a distancia. Foi a melhor coisa que fiz. Eu frequentava presencialmente uma vez por semana e arrumava uma pessoa para ficar com ele este dia. Eu lia os livros nos deslocamentos. As videos aulas assistia enquanto ele dormia. Passei a dormir duas horas a menos, mas sabia que era temporario e para uma futura prosperidade familiar. Aos domingos, enquando cuidadava dele brincando no clube, escrevia o rascunho dos trabalhos da faculdade. Enfim, valeu muito a pena, atualmente, estou aguardando ser convocada para outro concurso…

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui