5 maneiras de se motivar em um trabalho que não é o dos sonhos

23
5497

Precisamos trabalhar em busca dos nossos sonhos e, até lá, passar por diversas situações que podem nos chatear ou estressar. Eu demorei para chegar em um nível de amor total ao que eu faço como hoje, então até aqui eu passei por elas. Hoje, vendo com um pouco mais de distância, identifico algumas maneiras de passar melhor por tudo isso sem prejudicar a saúde e a sanidade. São cinco:

1. Conheça suas responsabilidades

É muito fácil dizer “sim” para tudo quando começamos em um novo trabalho – queremos agradar, mostrar serviço etc. Porém, com o tempo, isso vai se tornando um comportamento nocivo para você. Além de não ter como abraçar o mundo (nosso tempo é limitado), podemos deixar de cumprir nosso papel para cuidar das responsabilidades dos outros. Por isso, a primeira coisa é conhecer seu papel na empresa e as suas responsabilidades oficiais. Essas devem ser feitas, independentemente das outras. As demais atividades devem ser vistas como segunda prioridade, ou até mesmo renegociadas. Para conseguir negociar, é importante ter seus projetos em ordem, para que eles sirvam como argumento para você conseguir se dedicar a eles.

2. Tenha relacionamentos sem dramas

Sei que é difícil e que passamos mais tempo no trabalho que em casa com a família. Porém, procure não ficar íntimo demais, se envolver em fofocas, falar do trabalho de outras pessoas, perder muito tempo no cafézinho, ir sempre para o happy-hour e por aí vai. Tenha uma certa distância até mesmo para se preservar. Discrição, neste caso, sempre será a melhor pedida.

3. Dê feedbacks positivos

Seja você um gestor ou um estagiário, é importante dar feedbacks positivos sempre que alguém realizar um bom trabalho. Não precisa fazer isso na frente de todo mundo, mas vale a pena mandar um e-mail, comentar no corredor ou durante o almoço. Você reforça seu relacionamento de uma maneira que todos cresçam, inclusive a confiança do time em você.

4. Aprenda a impôr limites

Não dá para a gente viver colocando a culpa nos outros pelas urgências que aparecem. Organize-se. Ninguém vai chegar para você e dar três horas a mais todos os dias para você organizar seus projetos. Não use a desorganização dos outros para não organizar as suas próprias atividades. Reserve tempo para imprevistos, trabalhe com margens de erro com relação a prazos e antecipe-se o máximo que puder. Se você não colocar limites e criar sua própria organização, ninguém fará isso por você.

5. Saia um pouco do computador

Dê uma volta, trabalhe offline, revise textos, faça mapas mentais, pesquise, leia, desenhe, exercite a criatividade fora da telinha também. Pode até mudar de lugar para fazer isso, indo para outra mesa ou área da empresa.

São cinco dicas que eu aprendi só depois, mas que teriam me ajudado quando eu estava nessa situação. Espero que ajude algum leitor em situação semelhante. Me contem!

23 comentários

  1. perfeito Thais.

    Eu trabalhei anos em coisas que não gostava e foi mais ou menos isso que fazia pata tentar me motivar. É difícil, mas não impossível.

  2. Preciosas Dicas! Principalmente para quem trabalha em empresa familiar, que é o meu caso! Pra colocar limites…aff! Principalmente quando somos mulheres e o setor é a agroindústria. Obrigada Thaís! Você tem mudado meu mundo!
    Te conheci melhor pelos videos no you tube esta semana. Li este texto ouvindo sua voz, me inspirou tanto, que resolvi deixar um comentário. Um forte abraço! E muita força e luz nesta linda missão!

  3. Ótimas dicas! Gostaria que falasse um pouco mais sobre a dica 2, foi a única que não consegui compreender como e porque seria melhor agir como ela.

  4. Thais, você não tem ideia de como isso veio na hora mais certa pra mim!

    Estou em uma crise imensa na empresa onde trabalho. Não gosto em nada do meu emprego, do meu chefe e não confio nas pessoas com quem trabalho. O problema maior é que só depois de quase um ano aqui que comecei a perceber a podridão e eu sou uma pessoa às vezes aberta demais, ou seja, item 2 eu fiz, ao longo desses praticamente 10 meses, quase que completamente invertido.

    Gostaria de saber se você tem alguma dica pra inverter essa situação e também dicas pra que eu consiga parar de enrolar e trabalhar efetivamente, pois esse é um grande problema meu também.

    Beijos mil e parabéns pelo blog, um dos meus preferidos. =D

  5. Oi Thaís! Amei as dicas. Principalmente a número 2. Costumo agir assim, mas muitas vezes passo por antissocial. Mas, ao longo do tempo percebi que é a melhor postura =)
    Como já te disse várias vezes: vc nos ajuda muito em todos os setores de nossa vida. Abraços!

  6. Olá Thais, estas dicas são preciosas, principalmente a dica 2 e 3, passei a colocá-las em prática faz algum tempo, queria ter aprendido a dica 2 bem antes, creio que isso evitaria alguns transtornos profissionais. Obrigado pelas ricas dicas, abraço.

  7. Parece que esse post foi pra mim! Intervalo do almoço, me sentindo um tanto desmotivada, mas não quero deixar a oportunidade da minha promoção como gerente passar. É uma boa experiência pro meu currículo e crescimento pessoal 🙂 Vou seguir as suas dicas. Muito obrigada!

  8. Adorei o texto, já me conformei com o fato de que vou ter que trabalhar em algo que não gosto tanto para chegar ao trabalho ideal. No meu último emprego acabei me apegando as pessoas o que só tornou pedir demissão depois. Vou anotar as dicas pra usar no meu próximo emprego. Obrigada e beijos :*

  9. Nossa, vc disse tudo, Thais! Muito obrigada! Eu sempre trabalhei no que ODEIO e tenho muita dificuldade em dizer não. 🙁

  10. Eu não gosto do meu trabalho e ele é apenas um meio para um fim.
    O pior de tudo é ser estagiária e ter que lidar com os relacionamentos (e como a gente é tratado!), inconscientemente já adotava algumas dessas atitudes e acho que vou tentar ser mais consciente quanto a isso.

    Beijo!

  11. A dica número 2 eu venho aplicando há muitos anos, quando decidi manter certa distância das pessoas. Eu costumava entrar nas brincadeiras dos outros, que normalmente começavam com certa inocência, mas com o tempo se tornavam inapropriadas e eu não conseguia me afastar e me sentia invadida, exposta, humilhada, além de ter raiva de mim mesma por deixar essas coisas acontecerem. Mas serviu de lição e eu aprendi a me portar de forma mais profissional para que os outros me tratassem assim também. Recentemente trabalhei em um ambiente onde lidava muito bem com todos, mas notava o mesmo padrão acontecendo com outras pessoas. Sempre que tentavam me envolver, eu me impunha e saía fora da conversa e me focava no trabalho. Nunca mais tive problemas com isso em nenhum ambiente.

  12. Cada vez mais estou ficando desmotivada em meu trabalho, mas não posso sair enquanto não tiver outro em “mãos”…
    Tenho alguns amigos aqui, e acho que isso ajuda a enfrentear o stress do dia a dia (estou no mesmo trabalho há 5 anos).
    Acho que boas amizades levamos pra fora da empresa. O que não interessa simplesmente abstraio. Faço meu serviço, chego na hora e saio na hora. Nada além disso. Funciona e me stresso menos assim

  13. Chegou no momento certo! Estou exatamente neste cenário e precisando fazer cada dia mais esforço para ir ao trabalho. Colocarei todas as dicas em prática!

  14. Para contribuir:

    ” Se você não gosta do seu trabalho,tente fazê-lo bem feito. Seja o melhor na sua área, destaque-se pela sua precisão. Você vai começara gostar do que faz, vai começar até a ser criativo, inventando coisa nova, e isto é um raro prazer.

    Faça seu trabalho mal feito e você estará odiando o que faz, a sua empresa, o seu patrão, os seus colegas, o seu país e a si mesmo. Esta é na minha opinião, o problema número 1 do Brasil. Fazemos tudo mal feito, fazemos o mínimo necessário, simplesmente porque não aprendemos a gostar do que temos de fazer e não realizamos tudo bem feito, com qualidade e precisão.”

    Stephen Kanitz

    Boa semana =)

  15. Excelente como sempre, Thais. Quando estamos em um trabalho que é apenas uma passagem para algo maior, muitas vezes, porque somos humanos, temos a ideia de sabotar, desejamos coisas ruins para os colegas ou para o resultado do trabalho. Se eu pudesse contribuir para essa discussão, diria que é preciso manter as energias positivas. Agradecer diariamente pela oportunidade, verificar o que você precisa aprender nessa situação adversa (sempre há alguma coisa) e desejar coisas boas para seus colegas, chefes e para o resultado da equipe. Resolve? Não. Mas tira um peso das costas e torna o cotidiano mais leve. Beijos!

  16. Gostei muito das dicas, quero muito ler seus livros e entender melhor o GTD. Estou lendo o livro do bullet

Deixe uma resposta para Fernanda Cancelar resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui