Planejando uma mudança sem perder a sanidade

24
5270
Imagem: Doing it wright
Imagem: Doing it wright

Estamos nos preparando para fazer a nossa terceira mudança em três anos. Não vou dizer que não estou contente com isso, pois estamos planejando a volta para a nossa cidade, onde vivem a nossa família e amigos. Porém, mudar de casa sempre é um processo cansativo. Se a gente não se planejar direitinho, a tendência é enlouquecermos, pois há muito a ser feito. Resolvi reunir então neste post algumas dicas para mudar sem perder a sanidade, e espero que ajudem quem esteja passando por esse momento também:

Comece a planejar o quanto antes

Nós mesmos não temos urgência na mudança – apenas sabemos que ela precisa ser feita o quanto antes. Felizmente, não há prazos. Mesmo assim, é importante começar a se planejar o quanto antes para que a transição seja suave para todos os envolvidos. Quem tem crianças em idade escolar precisa ficar atento ao ano letivo, por exemplo. Ou seja: sabendo que deverá haver uma mudança, já comece a pensar a respeito. Transforme-a em um projeto onde você guardará ideias e tomará providências.

Antigamente, eu costumava montar um fichário especialmente para guardar o que fosse relacionado à mudança. Hoje, é muito mais comum utilizar o Evernote, o que recomendo. Além de manter tudo sempre à mão em qualquer dispositivo que você tenha, também é fácil de compartilhar com outras pessoas, se precisar. Você também pode manter checklists e lembretes na ferramenta.

Quando você decidir a data da mudança, planeje-se na sua agenda também, inserindo prazos de tarefas que deve executar até 6 meses antes, 3 meses, 1 mês, 15 dias, 1 semana, 1 dia e assim por diante.

Destralhe, destralhe, destralhe

Eu contei recentemente, e tenho quase 650 livros. 650, amigos. Amo meus livros, mas a cada mudança que eu faço, é um martírio. Eles são o único peso extra que me permito em mudanças, então a responsabilidade pelo resto aumenta. É inadmissível a gente abrir uma caixa na casa nova e descartar algo que estava dentro. Logo, é importante fazer essa seleção antes de se mudar – muito provavelmente até mesmo antes de começar a encaixotar seus pertences. Se deixarmos para decidir enquanto encaixotamos, a tendência é colocar tudo dentro da caixa porque é mais fácil fazer isso que decidir dar outro fim ao objeto. Portanto, antes mesmo de começar a empacotar tudo, destralhe.

Há muitos objetos que podem ser doados ou até mesmo vendidos. Hoje, com tantas opções de canais online para isso (OLX, Bom Negócio, o próprio Facebook), é bobeira ficar com coisas em casa que já não sirvam mais para a gente. Quem não quiser vender pode ajudar alguém fazendo uma doação, pois sempre tem alguém que precisa de algo que a gente não use mais.

Além de diminuir a quantidade de coisas que precisarão ser encaixotadas, você se liberta. É libertador viver com o que for necessário ou amamos muito, sem tralhas.

Peça ajuda

Se alguém se oferecer para ajudar, aceite. Se for possível, peça. Mesmo que você contrate uma empresa para carregar as caixas e transportar seus pertences, sempre é necessário ter alguém para ficar com os cachorros, os filhos, abrir a porta na residência nova, trazer comida ou apenas dar uma animada na gente.

Divida uma grande mudança em tarefas menores

Sempre que a gente pensa em mudança, admita: o estômago dá uma embrulhada, os olhos se contraem, a cabeça dói. Mesmo eu que sou organizada acho o processo todo de mudar muito complicado e que demanda muito esforço e dedicação de tempo. Portanto, uma boa dica é diluir as tarefas ao máximo que você puder. Precisa encaixotar seus pertences? Vá fazendo aos poucos, com os itens que usa menos. Isso vale para todo o resto. Já veja que serviços podem adiantar a instalação na casa nova, o que já pode ir cancelando, as mudanças de endereço que precisará fazer, entre outras atividades.

É muito importante, ao longo do processo de mudança, a gente ter um tempo pra gente mesmo, pra descansar e continuar com nossas atividades normais. Não dá para viver em função da mudança e estar sempre exausto por conta dela. Assim, quando tiver um tempinho, destralhe um pouco ali, encaixote algumas coisas que já são quantidade suficiente para fechar uma caixa, e assim vai.

Encaixote pensando na arrumação depois

Isso sempre deu muito certo comigo e é uma dica que eu passo adiante: seja organizado ao encaixotar seus pertences. Guarde o que realmente quiser levar (destralhando antes) e faça uma lista do que tem dentro de cada caixa. Além disso, procure deixar juntos os itens que precisam ser usados no mesmo cômodo. A maneira que uso para organizar minhas caixas é organizando por cômodo (Cozinha 1, Cozinha 2 etc) pois, assim, quando a mudança for feita, as caixas já ficarão no seu cômodo certo, facilitando a arrumação.

Outra dica que costumo dar é a de montar uma “caixa de sobrevivência”, com os itens que serão utilizados assim que chegar na casa nova. Papel higiênico, papel toalha, uma muda de roupas para cada um da família, shampoo, sabonete, toalhas, esponja, detergente, pente, chinelos, panos de limpeza e tudo o mais que você achar imprescindível ter logo à mão assim que chegar. Isso é legal porque, chegando com as caixas, você já abre essa primeira e tem todas as necessidades básicas da família atendidas. Não precisa ficar procurando pela caixa do banheiro onde estão o papel e o sabonete, por exemplo. Para mim, sempre funcionou muito bem fazer dessa forma.

Essas dicas acima são simples, mas podem ajudar muito a manter sua sanidade durante a mudança, e eu sinceramente espero que isso aconteça.

E você, tem alguma dica para passar pelo processo de mudança sem ficar muito cansado ou traumatizado? Compartilhe nos comentários!

24 comentários

  1. Olá Thais, passei recentemente por mais uma mudança também, ainda nem consegui escrever sobre a experiência, mas confesso que foi uma das melhores, e mais organizadas! Antes havia escrito um post sobre o assunto, para ajudar uma amiga, que acabou me ajudando também. Algumas ideias acho que batem com as tuas. Fiz uma síntese, tentando listar o principal em 10 dicas. http://www.transformandoespacos.com/2014/03/10-dicas-para-voce-organizar-uma-mudanca.html Abraços, e sucesso no planejamento e execução da tua, que com certeza vai ser superorganizada também!

  2. Aaaaaah não acredito!!!

    Eu também vou mudar de casa muito em breve! O post veio em ótima hora, adorei!

    No meu caso é um pouco pior, vou juntar duas casas e o namorado nem é lá “o” organizado. Vamos ter que eliminar as duplicidades (duas camas de casal, duas geladeiras, dois fogões) porque os dois moram sozinhos e tem casa montada..Dá-se um jeito rs. Mas o segredo é o destralhamento master e o planejamento. Pra quem aluga é triste, estou em stand by de alguns planos justamente porque tenho que esperar a casa que vamos escolher, por enquanto não sei tamanho, o que vai ter dentro, os cômodos… não sei quase nada e prefiro esperar…aiai

    Mas mudar é sempre bom. E voltar pra perto dos que se ama (como no seu caso) deve dar uma alegria enorme! Esse é o principal motivo pelo qual eu nunca quis deixar a cidade de sp. Se for pra se apegar, que seja em gente!

    Uma dica de uma pessoa que já mudou um pouco de casa (três vezes, indo pra quarta):

    Livros em mala de rodinha ou divididos em caixas de mudança pequenas. Parece bobagem, mas se eu quiser amontoar todos os meus livros em três caixas grandes preciso contratar carregadores! E a gente só pensa em agrupar por tipo, nunca no trabalho que vai dar pra movimentar/empilhar/passar pela porta.

    Aprendi da pior forma, que foi me matando pra por meus livros num caminhão, então quem sabe evito que alguém sofra com isso rs

    Obrigada pelas dicas!

    Beijo

  3. Não Thaís que você possa inflar de muita paciência, realmente não é fácil, contando ainda que vc mudou esses “dias”…mas tenho certeza que vc estará fazendo o melhor para vc e para sua família! Bjkas

  4. Olá Thaís!
    Primeiramente quero imensamente te parabenizar pelo blog, que de meses pra cá me ajudou a tomar uma postura na minha vida frente à organização! Sei que não comento, mas leio tudinho!! Continue assim, compartilhando fatos da vida real e dando dicas. Amo muito esse blog!!
    Sobre a matéria, vou fazer um estagio em outra cidade, e estava justamente pensando nesse assunto: mudança! O que tem me passado pela cabeça e até queria sugerir como matéria é: com a minha mudança de endereço, quais dados pessoais preciso mudar? Banco, faculdade, etc? Não consigo pensar em todas as coisas que devo fazer para mudar. Mudar algum endereço em algum programa do governo? Como é difícil pensar em tudo rs.
    Desde já obrigada!!

    Beijos!

  5. Thais,
    nos últimos 4 anos me mudei 3 vezes. A última, infelizmente e inesperadamente, foi a pior de toas. Faz mais de 3 meses que me mudei e ainda estou brigando com a empresa por coisas danificadas e até uma caixa que não foi entregue até hoje!
    Deixo mais duas lembranças a acrescentar na sua lista: separar um estilete para a chegada na casa nova e lembrar de cancelar as contas de luz, gás e outros que estão no débito automático antes de cancelar.
    Sugeriria não fazer a mudança com a empresa que eu fiz, a mais conhecida por todos… mas ainda tenho esperança de que eles resolvam meu problema.
    Rita

  6. Olha, eu sou SUPER a favor do destralhe, e fiz tudo o que deu tempo para a última mudança. MAS, prefiro mil vezes gastar trezentos reais a mais e deixar a empresa encaixotar as coisas. Dez vezes mais rápido, duas mil vezes menos estressante.

  7. Thais,

    Estou fazendo a mesma coisa. Depois de 4 mudanças no Rio de Janeiro, estou voltando pra minha cidade, Salvador, com muitas coisas pra levar (um cachorro e uma moto, inclusive).
    Já fechei a transportadora, dessas que fazem tudo.
    O que eu fiz até agora? Tenho 3 caixas com livros, cadernos e jogos encaixotados, de quando eu ainda não tinha resolvido o tipo de serviço. E uma caixa vazia na sala pra encaixotar minha pequena coleção de garrafas, quero fazer isso por mim mesma. E estou a 15 dias do dia da mudança!!!
    É uma sensação doida, viu? Tanto pra acontecer e nada feito. Mas também é que estou trabalhando muito. O bom é que só trabalho até segunda e aí terei 10 dias seguidos pra resolver a vida!
    Vamo que vamo!

    :**

  8. Oi Thais!
    Adoro seu blog, e suas dicas de mudanças sempre me ajudaram demais. Já fiz seis mudanças (em nove anos), fora a ajuda em mudanças alheias. Acho que já me tornei uma especialista! hehehehehe
    Seu post tá ótimo, mas como item de primeiras necessidades eu recomendo deixar bem a vista uma muda de roupa de cama, cobertor querido e travesseiro. E uma das primeiras providências a serem tomadas na nova casa: instalação do chuveiro e montar a cama que você irá dormir. Porque depois de um dia inteirinho estressada com mudança, carregando caixas, montando móveis e desembalando coisas a melhor coisa do mundo é tomar um banho quente e dormir num lugar bem confortável com as suas coisas. Uma boa noite de sono é tudo no meio de uma mudança!
    Beijo!

  9. Oi Thais,

    Eu fiz um processo diferente pra saber o que tinha em cada caixa. Sei que parece muito trabalhoso, mas pra mim deu super certo! Antes de me casar eu comprei muitas coisas pra minha casa nova, e a medida que enchia uma caixa, eu dava uma numeração a ela, e ainda anotava em um caderno tudo que eu tinha colocado lá dentro. Como eu fui fazendo isso ao longo de um período antes do casamento, foi muito tranquilo. Depois que fiz a mudança, esse caderninho foi muito útil, pois eu sabia exatamente quais os itens que tinham em cada caixa, e não precisava abrir todas para achar um item em específico. Fiz esse processo inclusive com as coisas do meu guarda roupa!..rsrs

    Beijos!

  10. Oi Thaís,
    Você já viu aquele “método” para organizar ums mudança em que você atribui uma cor para cada cômodo da nova casa, daí todas as coisas que você encaixotar que vão pertencer ao cômodo rosa (por exemplo) vão para dentro de caixas com uma etiqueta rosa. Na hora de dispor as caixas nos cômodos fica bem mais fácil. Cada caixa vai para o cômodo da cor correspondente.
    Uma amiga minha fez isso e facilitou muito a vida dela!
    Um abraço,
    Dulci

  11. Thais, mudei de casa e cidade há 5 meses, correu tudo bem, minha mãe nos ajudou muito (eu e meu marido) e a empresa de mudança que contratamos foi ótima. Mas mesmo assim, ao chegar na casa nova, é aquele caos, até conseguir colocar tudo no lugar foi ótimo. Depois que mudei o maior problema foram pessoas inconvenientes querendo conhecer o novo lar, logo após a mudança. Como mudamos de cidade, todo mundo quer vir passear. Nós temos fugido ao máximo de visitas, mas nem sempre conseguimos, e acabamos cansando mais no final de semana do que durante a semana. Olha, difícil viu!!

  12. semana passada, conversando com a Monica Martucci no meu portao, veio a indicação d espiar seu blog. Já me encantei d cara. e já to achando uma porção d coisa q vai me ser útil!!!! Parabéns!!! Estou ansiosa pelo livro!

  13. E quando a gente tem uma dificuldade danada para destralhar Thaís?? Como que faz?
    Eu vou me casar e vou me mudar de uma casa (sempre morei em casa!) com cerca de 150 metros quadrados que divido com meus pais e irmãs para um apartamento de 32m². E agora???

    Preciso eliminar MUITA coisa e já até “marquei” um Bota fora em que pretendo vender bastante coisa. (além de tudo vem dinheiro, ainda que seja pouco) Mas realmente tenho muita dificuldade em me desfazer das minhas coisas.

    Algumas tem apelo sentimental, algumas tem aquele “mas e se eu precisar”, algumas tem “mas ainda está quase novo, ótimo estado” dentre muitas outras!

    me ajuda? ahahah

    beijos!

    • Olá Gaby!
      Sem me intrometer mas já me intrometendo rsrs
      Fiz um destralhe há algum tempo atrás, a partir do que vejo aqui na minha casa: meus pais já se mudaram quase 20 vezes de casa (inclusive mudaram de país e voltaram para o Brasil). Portanto aqui na nossa casa tem um quarto da bagunça, e tem muita coisa lá. Eles guardam tudo, meu pai sempre diz “um dia vamos precisar”. Eu comecei a refletir sobre isso e percebi que eles nunca vão precisar de uma roda de bicicleta velha entortada. Há caixas lá que fazem 10 anos que não são abertas. Esse dilema “mas se um dia eu precisar”: veja se é algo que não dá pra comprar depois. Exemplo: Um colchão velho que você está guardando caso precise de espuma. Mas espuma dá pra comprar, certo? Então quer dizer que você pode se desfazer daquilo e “se um dia precisar” você pode comprar tranquilamente. Fiz uma avaliação das minhas coisas e vi que raras coisas eu não poderia adquirir novamente caso eu precisasse. Portanto eliminei tudo! Inclusive muitas coisas da faculdade. Veja também que hoje em dia as coisas mudam muito rapidamente, então algumas coisas que você “vai precisar” estarão desatualizadas depois de um tempo. E não vai ter sentido ficar guardando, pois quando você precisar já vai ter uma versão mais útil e atualizada daquilo!
      Para as coisas “quase novas, em ótimo estado”, eu faço um desafio: se eu não precisar e nem utilizar aquilo durante 6 meses, quer dizer que não é importante. Existem sites de venda como mercadolivre, OLX, bom negócio… Sempre dá pra vender algo que está novo e você não precisa! Muitas coisas que a gente guarda seriam muito mais úteis para outras pessoas… Do que ficar guardado!
      As coisas com apelo sentimental são complicadas mesmo, eu não sou muito apegada a isso, mas minha irmã sim. Portanto ela tem coisas de 10 anos atrás que ainda olha todos os dias. Mas mesmo ela se livrou de muitas coisas em um destralhe, porque ela fez uma classificação do que era mais importante. Um chaveiro que ganhou de uma amiga, porém não se falam mais, ela já casou, tem filhos e mora em outro estado. Há mesmo a necessidade de guardar tanta coisa? rsrs
      Espero que tenha te dado uma luz. Tentei ajudar você!
      Eu estou de mudança para outro estado, portanto estou tendo que lidar com essas situações também.
      Beijos!!

  14. Boa noite Thais, gostei de suas dicas de mudanças de casa, até serve para uma experiência de vida né? rs
    Trabalho com mudanças e transportes a mais de 15 anos e venho convivendo com essa rotina de mudança quase todo dia que acabei a até acostumar, com este pequeno sofrimento…pequeno.

    As mudanças deixam a gente bastante estressado mesmo, mas muitas das vezes as mudanças nos trazem bastante coisas boas e experienciais muito legais. Com um pouco de alegria, pesquisa, e sem medo podemos nos dar bem nas mudanças.

    Desde já lhe dou parabens pelo blogger, e desejo sorte.

  15. Vim aqui agradecer por tudo o que aprendi no Vida Organizada.

    Precisei organizar uma mudança, encontrar uma casa e mudar em uma semana. Isso mesmo, uma semana. E enquanto minha mãe cuidava dos procedimentos do aluguel da casa nova, eu fiquei em casa organizando tudo. Separei a casa por cores, joguei papelada velha fora e coisas quebradas que nunca foram consertadas, doei o que estava sobrando na despensa e nos armários. Pedi ajuda a um amigo que desmontou armários e guarda-roupas. Expliquei pra minha mãe a técnica das cores e ela aplicou no quarto dela, na cozinha, lavanderia, fiquei com sala, meu quarto e banheiro.

    Montei uma sacola com provisões de emergência como pão, frios, leite em pó, biscoitos e miojo junto da panela elétrica e uma sacola com coisas do banheiro de primeira necessidade, como papel higiênico e remédios. Nossas coisas pessoais, como notebooks, toalha e mudas de roupa numa mochila nos ombros.

    Resultado: depois da mudança, em menos de três dias, colocamos tudo no lugar. Nada sumiu, encontramos tudo do jeito que estava antes. Minha mãe ficou muito aliviada com a técnica e com a arrumação rápida e de quebra ainda ensinei o que aprendi aqui para os vizinhos.

    Muito obrigada por tudo, Taís. Seu trabalho é tão importante que não me vejo mais sem as técnicas que aprendi aqui. 💛

    • Eu que agradeço. <3 Você é uma leitora super presente, e fico feliz de saber que te ajudei pelo menos um pouco. Obrigada por vir até aqui me dizer.

  16. Oi, Thais!

    Gostaria de saber como você faz para transportar seus livros nas mudanças. Você coloca eles em caixas de papelão mesmo? Se sim, elas não cedem com o peso deles?

    Abraços,
    Francine Curivil

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui