Categoria(s) do post: Casa, Família, Áreas da Vida
Imagem: Unruly Things
Imagem: Unruly Things

Já comentei em um post específico como ter uma rotina auxilia no bem-estar e no sono de bebês e crianças no geral. Dá uma passadinha lá, se for o seu caso, porque fiz um apanhado geral de dicas.

Aqui em casa nosso filho tem seu próprio quarto, dorme sozinho e tem uma rotina de sono, que venho implementando gentilmente desde que ele era um bebê. Meu marido dá umas bagunçadas nessa rotina, mas meu trabalho no começo foi tão consistente (ufa) que o nosso filhote se acostumou à sua rotina (que não é rígida, apenas respeita seu horário natural).

No frio, no entanto, confesso que fico com dó de deixá-lo dormir sozinho. Não temos aquecedor em casa, as janelas do apartamento deixam passar friagem mesmo quando fechadas e as cortinas grossas não têm sido suficientes. Como a nossa cama é grande (queen), eu prefiro que ele durma conosco. Mesmo que a gente tenha menos liberdade de movimentos (afinal, ele tem três anos e se esparrama como ninguém), sinto que ele fica mais quentinho porque ele não gosta de se cobrir. Mesmo colocando roupas bem quentinhas, eu curto dormir com ele.

Mas tem todo aquele medo de ele ficar mal-acostumado, não é mesmo? Então uma coisa que eu tenho feito aqui em casa e tem dado certo é a seguinte:

A cada noite, fazemos tudo de um jeito diferente. A ideia é não criar outra rotina, mas mostrar que são ocasiões especiais. Então em um dia eu o coloco para dormir abraçada com ele (amo muito), no outro dia ele dorme no quarto dele, no outro ele dorme conosco só mais tarde, e assim por diante.

Já fizemos isso no ano passado e funcionou, sem que ele ficasse desacostumado. Mas olha, ontem mesmo fui tentar colocá-lo na nossa cama e ele estava roncando, nem aí para mim. Então deixei ele lá. Resultado? Acordou espirrando e com a perninha gelada. Fiquei morrendo de dó. Por isso, pensei comigo que são somente alguns dias e vamos colocando-o para dormir conosco.

Além de a criança se sentir protegida, e aquecida, claro, para os pais é uma delícia. Sei lá, eu me sinto muito mais tranquila dormindo com meu filho nos braços. Nos últimos dias ele tem estado uma fofura só, me pedindo para abraçá-lo, fazendo carinho no meu cabelo etc. Como não passo muito tempo com ele durante o dia, esses momentos são importantes para a gente e eu amo demais, como se o tempo parasse mesmo.

Sei que quem não é a favor de cama compartilhada pode achar a ideia absurda. Este post é só um relato mesmo da nossa experiência e de como temos feito para que ele não fique “mal-acostumado” a dormir conosco. Não espero mudar a cabeça de ninguém.

Espero que ajude um pouco quem estava com dúvidas se faria isso ou não, apesar de morrer de vontade de fazer. <3