Como escolher entre os diversos tipos de panelas que existem no mercado

17
5050

Este texto foi originalmente publicado no site E-Cycle, parceiro do blog. Para conferir o texto original, clique aqui.

Atualmente, existem tantas panelas, feitas de tantos materiais diferentes, que ficamos até confusos quando vamos comprar um jogo. Para ajudar com esse problema, a eCycle faz uma lista com os principais tipos de panela disponíveis no mercado e suas vantagens e desvantagens.

– Alumínio: o modelo mais barato de panelas é também motivo de muita discussão.Pesquisadores da USP descobriram que panelas de alumínio e de aço inoxidável podem soltar metais pesados durante o preparo dos alimentos. Ao ferver uma solução de 4 litros de água e 10 gramas de sal por 3 horas, houve o desprendimento de 20 miligramas do metal por cada litro de água. Por outro lado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o metal é seguro nas suas aplicações culinárias. Panelas de alumínio podem ser recicladas;

– Inox: a principal vantagem é o fato de as panelas não oxidarem. Além disso, o material é resistente e distribui o calor de forma igual por sua superfície. Seu problema principal está no fato de sua composição levar níquel, que é extremamente tóxico, e que se desprende da panela ao longo do uso. Mesmo as quantidades liberadas do metal sendo pequenas, assim como no caso das panelas de alumínio, ainda não há um consenso entre pesquisadores sobre o nível de toxicidade das panelas feitas com esses materiais. Mas estudos apontam que seu uso não é indicado a pessoas alérgicas. Exposição ao níquel e seus compostos pode causar alergias e levar ao desenvolvimento de câncer;

– Cobre: assim como as inoxidáveis, as panelas de cobre são boas condutoras de calor. Mas não podem ser utilizadas para cozinhar todo tipo de alimento. Ao entrar em contato com o sal ou alimentos ácidos como tomate, limão e vinagre o cobre pode se desprender da panela. Fique atento sobre que tipo de comida é feita nesse tipo de panela. A intoxicação por cobre pode causar náusea, dores abdominais, problemas gastrointestinais e, em longo prazo, danos aos rins e ao fígado. A vantagem é que pode ser reciclada;

– Ferro: a utilização desse tipo de panela traz alguns benefícios à saúde. Em pesquisarealizada na Unicamp, foi provada a transferência do mineral presente na superfície das panelas de ferro e de pedra-sabão para os alimentos, transformando-as em importantes aliadas no combate à anemia. O mesmo foi constatado para as panelas de aço inox.  Mas tenha cuidado com a manutenção. Ela pode enferrujar facilmente e se esfregada, a ferrugem pode se soltar. Lave-a com água quente e sabão, deixe secar no fogo e espalhe uma película de óleo sobre sua superfície antes de guardar para evitar a ferrugem. Também podem ser recicladas;

– Antiaderentes: esse é o mais controverso tipo de panela disponível no mercado. Em sua composição, estão o ácido perfluorooctanóico (PFOA) e o politetrafluoretileno (PTFE), ambos extremamente problemáticos. O PTFE, quando exposto a altas temperaturas, libera gases tóxicos como os fluorocarbonos, que causa sintomas similares aos da gripe. Já o PFOA, segundo estudos, está ligado ao desenvolvimento de câncer de rim e fígadoproblemas da tireoideproblemas no coração e muitas outras complicações. Os compostos presentes nas panelas antiaderentes também são notórios obesogênicos (saiba mais na nossa matéria especial sobre o assunto). Se sua panela antiaderente estiver riscada ou se sua superfície estiver se desprendendo, descarte-a imediatamente;

– Cerâmica: apesar de serem um pouco mais caras que as outras panelas, o investimento vale a pena, já que são fáceis de limpar, antiaderentes e conservadoras de calor. Mas atenção para uma certificação que aponte para a utilização de materiais atóxicos na fabricação. Pesquisas realizadas em Israel afirmam que a tinta presente em panelas não certificadas pode conter chumbo ou cádmio, que se desprendem durante o preparo dos alimentos. Além disso, demora mais tempo que o normal para esquentar, o que faz com que o consumo de energia aumente;

– Barro: indicada para fazer alimentos líquidos ou com caldo, como sopas, molhos, feijão e ensopados. Assim como a panela de cerâmica, demora para esquentar, mas mantém o calor por um longo período de tempo. Alimentos com baixo teor de água podem ficar ressecados se preparados nessa panela;

– Pedra-sabão: indicada para o preparo dos mesmos tipos de alimentos que podem ser feitos na panela de barro. Por ser porosa, pede atenção especial ao ser lavada para que não haja proliferação de microrganismos. Aqueça-a em fogo baixo para que a panela não rache pelo choque térmico;

– Vidro: um dos modelos mais seguros para a saúde, a panela feita desse material não possui nenhum tipo de contraindicação. É fácil de limpar e não passa nenhum tipo de substância para os alimentos durante o preparo. Por outro lado, é cara, pesada, frágil e não pode ser reciclada por ser feita com vidro temperado.

Mas então, qual comprar?

Não há um tipo de panela perfeita. A ideia é manter em mente a funcionalidade de cada modelo para tirar máximo proveito dos seus jogos. No entanto, não adquira os modelos que contenham PFOA e PTFE (antiaderentes). As de alumínio também não são muito recomendáveis devido à possibilidade de desprendimento do material nos alimentos.

Portanto, os modelos de vidro e de cerâmica são os que trazem menos risco à saúde humana, desde que obedeçam aos padrões estabelecidos para esse tipo de equipamento. Ao adquirir essas panelas, tente conservá-las ao máximo, já que a reciclagem ainda não é possível para os tipos citados.

Na sequência, os modelos de metal, de cobre e de ferro podem ser boas opções, se utilizados de maneira correta. Fazer uma combinação de panelas, levando em conta cada uma de suas características, também pode ser uma solução. Uma mistura de panelas de cobre e de cerâmica ou barro para preparar alimentos ácidos mais salgados é uma possibilidade.

Visite a página do E-Cycle para encontrar os pontos de reciclagem de panelas mais próximos da sua residência.

17 comentários

  1. Thais, fiquei impressionada com o texto. Não sabia que as panelas antiaderentes eram tão perigosas… E as de inox então? Achava que seriam super seguras. E estes dois tipos correspondem a 99% das panelas que tenho em casa… digo 99% porque tenho uma de vidro mas que nunca me adaptei a cozinhar nela. Quando a comida não queima, gruda tudo… Acho que vou começar a testar as de cerâmica, aos poucos, afinal o preço destas não é dos mais amigáveis…
    Bjinhos e obrigada pelo post.

  2. Thais, você não citou as panelas de alumínio com revestimento antiaderente de cerâmica. Recentemente troquei minhas panelas por este tipo depois de comparar e ver que este material não é tóxico como o antiaderente comum. São mais caras mas a durabilidade tbm é bem melhor com a praticidade de não grudar e quando se cozinha e facilidade de lavar.

  3. Oi Thais!

    Que posto bacana! Mega completo!

    Uso as esmaltadas (ágata), que enquanto não lascam, são muito boas!

    As de cerêmica são ótimas, mas a queimadura delas…noooossa senhora!! Deixam cicatrizes muito feias, tem que ter cuidado!

    As de vidro são excelentes, mas pesadas…e quando lascam por menor que seja, viram uma arma!

    Já li que é possível usar as de alumínio desde que não se esfregue por dentro, deixando aquela camada meio oxidada de impede a liberação desse metal.

    Abs,
    Gabi

  4. Caramba, esse post caiu como uma luva pra mim. Comprei hoje uma panela de ferro por recomendações médicas (anemia) e não tinha pensado ainda em como limpar e conservar para não enferrujar. Muito obrigada!!

  5. Adorei a matéria, estou pensando em trocar as panelas e aprendi que as antiaderentes são perigosas para saúde. Tenho algumas panelas de ágata que vou colocar em uso e ver como vão funcionar, pelo que li , elas não fazem tanto estrago a nossa saúde.

  6. Olá! Fiquei muito surpresa com essas informações… só tenho antiaderentes, e hoje comecei a trocar elas pela de cerâmica… o que me assustou na de cerâmica foi o preço salgado, mas hoje fui ao Pão de Açucar e lá tinham dois modelos com um preço super camarada, 39,90! Quem quiser aproveitar… Bjs!

  7. Que post maravilhoso! Estou começando a montar minha casa agora e estava em dúvida sobre que tipo de panela comprar.. confesso que fiquei impressionada com os tipos de problemas das panelas! Obrigada 🙂

  8. Adorei o post, e li tb muitas outras matérias! Estou renovando as panelas daqui de casa, que eram todas de alumínio (ui!). Já tenho uma frigideira e uma grande de ferro, mas não gostei do arroz feito nela, então estou procurando esmaltada ou de cerâmica, mas estou com receio de comprar pela internet, e saber se são certificadas por não terem chumbo ou cádmio! Vc tem alguma indicação, de onde comprar online, ou qual marca segura procurar? Grata

  9. Gostei da dica, porque eu gosto muito de panelas antiaderente, inox e cerâmica.
    agora, o como posso usar cuidadosamente para não prejudicar a saúde?
    beijo.
    porque só fanática da marca transmontana

    • Apesar de não citadas, as panelas de aço cirúrgico são as mais confiáveis. possui diversos befícios(zero contaminação), elas são de fato feitas de aço (e não só revestidas, como são as de titânio) e têm uma válvula de segurança que impede desnaturação de proteínas/enzimas, cozimento mais rápido e uniforme. Dá pra fritar sem óleo por causa da superfície super lisa. qualquer dúvida tenho mais informações.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui