Cuidando da casa sem estresse: diminua as expectativas

138
29985
Imagem: A Beautiful Mess
Imagem: A Beautiful Mess

Eu recebo muitos comentários do tipo “não sei como você consegue” relacionados aos cuidados com a casa e o gerenciamento de todo o resto das atividades no dia a dia. Eu já tentei diversas vezes descrever aqui no blog como nós fazemos em casa, mas essa pergunta sempre surge. Então me dei conta de que talvez esteja faltando um detalhe importante no processo todo: minhas expectativas não são altas.

Pergunte a uma pessoa que limpa a casa qual a melhor sensação de todas, e ela responderá que é a de sentar no sofá com aquele sentimento de dever cumprido, pois a casa inteira está limpinha e cheirando a lavanda. Eu também adoro essa sensação, mas vocês também já pararam para pensar que, em uma casa com muito uso de todos os cômodos, muitas pessoas morando e circulando, fazer isso é uma trabalheira danada? Quer dizer, se quisermos ter a casa limpa e brilhando todos os dias, das duas uma: 1) ou contratamos uma pessoa para fazer isso por nós ou 2) largamos o emprego e fazemos só isso. Com as crianças na escolinha, é claro.

Se você pode pagar uma pessoa para limpar a casa para você, excelente! Então você não deve ter problemas com a rotina de limpeza em casa, já que não precisa fazer mais do que lavar a louça (e, em alguns casos, nem isso). Se você não pode pagar alguém nem largar o seu emprego, então precisamos bater um papinho sobre expectativas mais realistas.

Em primeiro lugar, devemos pensar que a casa deve nos servir, e não o contrário. A casa é o nosso abrigo – onde chegamos, depois de um dia cansativo, e queremos ter um lugar aconchegante para preparar a nossa refeição, descansar, nos relacionar com as pessoas que moramos, entre outras atividades domésticas. Se você vive em função da sua casa, ficando exausto(a) diariamente e com uma sensação de culpa tremenda porque não conseguiu fazer tudo o que queria, pode ser que você esteja mirando alto demais.

Vou contar uma novidade para você: não dá para ter uma casa brilhante, limpa e cheirosa, impecável, no dia a dia, se você não estiver em nenhuma das duas situações que eu citei ali em cima. Por favor, tire essa cobrança da sua cabeça e esse peso gigantesco das suas costas. O fantasma da neura não vai vir te assombrar como naquela propaganda idiota que só faz com que as brasileiras se sintam péssimas por ter uma vida fora de casa e outras atividades além-lar.

Vocês acham que a minha casa está impecavelmente limpa neste exato momento? É claro que não. Para ajudar em todo o processo, eu tenho as minhas listinhas de tudo o que eu preciso fazer diariamente, semanalmente etc (aqui). Se eu não conseguir fazer todas as tarefas da minha lista, vou chorar? Mas é claro que não, meus amigos. Essa é a realidade. Tem dias em que eu chego em casa tarde, porque fiz hora extra no trabalho e depois ainda tive que ir ao supermercado. Não dá para fazer em um dia desses o que eu faria em um dia livre. Mas aí eu vou compensando nos dias seguintes.

A grande questão é: não posso me sentir culpada se não consegui lavar a louça antes de dormir! É o melhor a ser feito? Sim. É altamente recomendável? Sim. É muito mais difícil lavar no dia seguinte? Sim. Eu deveria ter lavado aos pouquinhos em vez de deixar acumular? Sim. Mas a realidade nos prega peças, nosso dia a dia traz imprevistos e muitas vezes não conseguimos fazer o que é ideal, recomendável, melhor, ou até mesmo o satisfatório. E isso não tem problema algum, desde que você não faça da exceção uma regra e deixe sua casa sair dos eixos e ficar inabitável. Mas acredite em mim: se você está lendo este blog e tem essa preocupação, ela nunca chegará a esse ponto, então relaxe.

E aqui já vou entrar um pouco em um ponto muito pessoal, que é o seguinte: eu não sou fanática por limpeza. Já fui, mas não sou mais – provavelmente, desde que meu filho nasceu. Porque ali eu percebi que seria impossível dar conta de tudo. Eu passei a me incomodar MUITO menos com a poeirinha na estante ou no rack da tv, por exemplo, e a limpar somente quando realmente houvesse sujeira. Aliás, por que temos essa mania de limpar o que não está sujo? Hábito, simplesmente. O brasileiro tem o hábito de limpar só porque está na rotina – porque sábado é dia de faxina. Sendo que, muitas vezes, nem precisa.

Já cansei de transferir uma tarefa da lista semanal para a lista de 15 dias, ou da lista diária para a semanal. Isso faz parte. Se eu não consigo passar aspirador todos os dias, vou passar a cada dois, ou mesmo uma vez por semana. Não é isso que vai manter a minha família alimentada, por exemplo, ou as contas pagas. Existem tarefas que são muito mais importantes e que precisam ser feitas. Eu não posso deixar de cozinhar, por exemplo, nem de organizar as minhas contas, porque senão tudo entra em colapso. Também não posso deixar de lavar a louça ou a roupa. Há coisas que simplesmente precisamos fazer. E, quando eu digo que as suas listas de limpeza, especialmente as diárias, devem conter o mínimo essencial, é justamente porque ninguém merece se tornar escravo(a) da casa e passar o tempo todo limpando. A ideia é fazer o mínimo possível e otimizar o processo justamente para você conseguir se dedicar a outras atividades mais importantes para você, nem que elas sejam simplesmente descansar e ler um livro. Minha lista diária tem menos de 10 tarefas, sendo que a maioria delas já foi feita pelo meu marido antes de eu chegar. E são todas tarefas muito simples. Eu fico mais com a parte “gerencial”, tipo separar a roupa que vamos lavar amanhã (ele só “aperta o botão” e, se não estender durante o dia, eu faço isso de noite), definir o menu semanal, a lista de compras (eu adoro cuidar disso!), separar as contas (eu centralizo os pagamentos), organizar a mochila da escola do filhote. E o que ele faz é o básico, do dia a dia mesmo, que mantém a casa ok. Meu marido faz o mínimo. A diferença é que, os dois fazendo isso, já é bastante coisa.

Por isso eu friso novamente a importância de trabalhar em equipe. Muitas leitoras me dizem que seus maridos não ajudam. Meninas, para começar, “ajudar” é o termo errado. “Ajudar” significa que o papel de limpar é seu, e ele só está dando uma mãozinha, quando puder e quiser. Não, não. Quem mora na casa deve trabalhar em equipe, e é assim que as coisas devem ser. Ainda bem que nossa realidade está mudando. Entendo que existe muito homem cabeça dura por aí, mas a maioria hoje já faz até mais coisas que a mulher em casa. Isso porque a mulher está trabalhando, fazendo cursos, tendo uma vida também, que beleza! Basicamente, tendo finalmente os direitos que os homens sempre tiveram. Então é óbvio que a carga da mulher tem que ser dividida com os bonitões. Isso não é ajuda nenhuma. É obrigação.

Mas não vamos só colocar os maridos na fogueira não: todo mundo deve ajudar! Eu sei que filhos adolescentes podem oferecer certa resistência, mas não podemos desistir. Para mães de adolescentes, eu recomendo o seguinte: não dar mole. Ensinar independência, não fazer tudo o que pedem. E, para as mães de crianças menores, eu recomendo o envolvimento desde cedo das crianças nas tarefas de casa. Não é para colocar a criança de três anos para trabalhar, longe disso! Mas deixá-la junto com os pais enquanto eles executam uma tarefa, explicar o que está fazendo, mostrando como esfrega aqui e ali, pedindo para a criança entregar as peças de roupa para pendurar no varal, essas pequenas coisas. Envolver os filhos desde o início ajuda porque eles percebem que fazem parte de tudo aquilo – não são meros expectadores. Não existe técnica para resolver essa questão 100%, mas já podemos tentar diminuir o número de “traz o refri, mãe!” que você vai ouvir daqui a alguns anos.

Em resumo, o que eu realmente gostaria de dizer com este post é que precisamos ser mais realistas com relação às atividades de manutenção da casa, especialmente no que diz respeito à limpeza. Todo mundo adora uma casa limpinha e cheirosa o tempo todo. A realidade está longe disso, dentro das condições que estamos em nossa época, ocupados como estamos. Não devemos ter expectativas dos anos 1960 em 2013. Estamos em um período de transição de comportamentos domésticos, o que é excelente! Não há regras, assim como não sabemos o que o futuro nos reserva. A tecnologia está aí para nos ajudar, trazendo cada vez mais eletrodomésticos que, daqui a pouco, farão tudo para a gente. Mas, enquanto isso não acontece, precisamos lembrar que, da mesma forma que não ficamos o dia inteiro cuidando da casa, deixando-a impecável, não podemos achar que teremos aquele mesmo resultado. Não dá.

É claro que você pode gastar o seu sábado inteiro limpando a casa e fazendo uma faxina completa, mesmo sabendo que, no domingo, alguém pode fritar um bife na cozinha e adeus limpeza. Então eu me pergunto? Vale a pena todo esse trabalho para ter a casa impecável durante apenas algumas horas? Ou é melhor fazer aos poucos as tarefas durante a semana e manter a casa em um nível simplesmente ok, mas o tempo todo?

Sei que o post é polêmico e muitas pessoas não concordarão comigo. Só sei que pensar dessa forma me tornou uma pessoa muito mais livre e descansada no dia a dia, me possibilitando a dedicação a outras tarefas que estavam de lado justamente porque eu achava que “não tinha tempo”. Talvez essa mudança de expectativas possa te ajudar também.

138 comentários

  1. Manter a expectativa alta me faz ficar frustrada e ansiosa pra caramba… Porque QUERO fazer a faxina, mas o cansaço não deixa, e depois eu penso que se ao invés de descansar no final de semana, eu ficar me matando, acabo com minha saúde (principalmente a mental rs)
    Preciso muito exercitar essa maneira de pensar como a Thais, me desapegar da perfeição já que ela não existe!

  2. É isso aí Thaís. Também já fui “doente e paranóica” por limpeza de casa e o que acontecia era um mar de frustração no fim do dia por não poder fazer “quase nunca” as coisas que gostava. Nós precisamos viver e viver com qualidade, fazendo o que gostamos, dando atenção e amor aos que nos são próximos e sendo felizes na maior parte do tempo. Concordo contigo em gênero, número e grau. valeu!!!

  3. Realmente acho que o referencial de limpeza pra maioria é o de uma casa sempre limpa e cheirosa, mas como bem disse, hoje a realidade é outra!!! Eu mesma sempre tive tudo impecável até meu baby nascer, mas aí ele chegou e entre escolher descansar ou ficar com ele e limpar eu escolhia os primeiros e fui abrindo mão… De verdade é libertador baixar as expectativas no dia-a-dia… Bjs e que belo post!

  4. Seus posts sempre vem em hora certa, minha casa é grande, tenho 2 filhos pequenos e trabalho fora. Acabei de ficar sem a faxineira semanal, portanto, este ano vai ser de reformulação total na rotina, estou tentando não pirar, uma coisa de cada vez e pronto !

    Bjs

  5. Nossa! Muito bom o post. Estou vivendo uma fase muito legal, procurando não deixar acumular tarefas simples que podem ser executadas imediatamente. Isso tá ajudando muuuuuito, pois as coisas não se acumulam e vejo o resultado mais rapidamente, o que me dá mais gás pra continuar me organizando.

  6. Adorei Thais… desde muito cedo (ainda criança) tinha essa neura de limpeza e com o passar do tempo foi aumentando com as outras responsabilidades, sem contar que a geração do meu marido é a de que essas responsabilidades são somente da mulher… eu provedor e você a verdadeira escrava…kkkk hoje mesmo ficando em casa um período não consigo deixa-la no brilho, pq tenho duas crianças e me vi quase não deixando as pobres se sentirem a vontade na própria casa depois de muito ler seu blog achei algo sobre eles terem o espaço deles e hoje deixo eles brincarem a vontade no quarto deles no restante da casa ainda limito para não virar bagunça, e uma vez no dia dou uma geral,eles se sentiram mais a vontade eu mais feliz… mas foi difícil conseguir mudar esse foco… hoje mais vale minha malhação que ficar feito louca colocando e limpando tudo que amanhã vai estar esparramado deles brincarem de novo…

  7. Excelenteee post!!!Para que morrer com tanto esforço nas tarefas de casa sendo q questao de minutos td bagunça novamente!Sem falar que as vezes deixamos de fazer coisas para nosso bem estar por conta de casa ui!rs realmente desapegar dessa neura de casa e essencial!!!Obrigado por dividir conosco coisas q nos faz enxergar q somos seres humanos normais e q precisamos levar as coisas menos ao pe da letra!

  8. Parabéns pelo post, você simplesmente disse tudo. Porque hj em dia a casa é obrigação de todos em que nela moram, e é um alívio porque, trabalhar fora e ainda cuidar de casa, é assustador. Moro com meus pais, e as vezes meu pai quer algo, e um dia eu falei :Porque o Senhor não faz? ele respondeu: “Porque tenho 2 mulheres em casa.” Isso dói, e como. Estou para me casar, e se tiver um filho, tentarei tirar esse machismo da cabeça dele, se bem que essa falta de ajuda masculina existe por causa das próprias mulheres, que esquecem de criar seus filhos homens para a vida. Na minha casa mesmo: meu sobrinho era polpado dos serviços domésticos pela minha cunhada. Ah ele é homem, não pode fazer tal coisa, e jogava serviço na minha mãe, e vó é vó, fazia. E escuto da minha mãe: vc é mulher…tem que fazer afffff…como se isso bastasse!!

  9. Finalmente oiço alguém verbalizar na integra aquilo que pratico e também acredito, …embora com algumas falhas ainda ao nível da auto-crítica (sempre me sinto incompetente quando não consigo sequer manter a casa minimamente limpa, mas isso tem a ver com velhas formas de pensar que ainda cá estão a cutucar a paciência- isso irá ao sitio).
    Adoro seu blog e agradeço em meu nome e nome do geral das donas de casa e mães esse post

  10. Adorei o seu post!!! Simplesmente maravilhoso!!! Essa semana tive um insight parecido com as coisas que disse, então o texto só veio a fortalecer minhas idéias. Diminuir as expectativas e manter a casa em ordem, sem neuras com “pelinhos” nos vidros e manchinhas no azulejo é um alívio! Beijos e muito sucesso para você!!!

  11. Thaís, simplesmente adorei seu post, assim como amei ter conhecido seu blog. Em breve quero fazer um post exclusivo no meu blog pra divulgar este seu espaço, pode? rs Pois simplesmente ele é tão bom, tão útil que quanto mais pessoas tiverem acesso, melhor!!!
    Parabéns pelas postagens e olha, esta postagem de hoje reflete e fortalece como são os dias atuais. Não dá pra fazermos tudo ao mesmo tempo se nos livrarmos das neuras. Têm coisa melhor do que curtir nossa casa no final de semana, com o maridão e os amigos? Bjs e sucesso!!

  12. Amém para tudo! Além de não virar escrava da casa, também não sou escrava da moda: nada de bolsa cara, roupa e maquiagem de grife, nada disso. Prefiro gastar essa grana com uma faxineira que vem aqui duas vezes por semana: num dia ela faz uma faxina geral, trabalho pesado (chão, janelas, azulejos etc). No outro, passa toda a roupa e dá uma geral rapidinha na casa. É o dinheiro mais bem gasto do mundo! Eu cozinho, lavo a roupa e dou manutenção nos outros dias. Meu marido tem uma listinha de obrigações, que ele cumpre à risca desde que nos casamos – aliás, isso fez parte do “pacto verbal pré-nupcial”! Ha ha ha! Sério mesmo! Falei que eu só casava se ele pegasse no batente também. Ele topou, claro! Ele leva o lixo para fora, arruma a cama, lava a louça do jantar e faz as compras. Vivo bem assim e tenho tempo para trabalhar, ler, passear, ver tv e fazer várias outras coisas de que gostamos. A vida é muito curta! Ah, e ser organizado ajuda MUUUUITO a termos mais tempo para nós. Alforria já, meninas! rs rs Abraços.

  13. Perfeito concordo com vc, o texto me deixou mais leve, então vamos partir para o agradável, vamos ser felizes.

  14. Uma coisa que eu percebi “na prática” (depois de casar e agora com um filho de 2 anos) é que a casa arrumada parece ser menos suja.

    Eu nunca fui preocupada com essa questão de limpeza porque quando solteira eu via a minha mãe faxinando sábados e feriados inteiros para na segunda-feira tudo estar por ser feito de novo. Então eu me prometi que nunca faria isso.
    Meu lema sempre foi: Se eu não consegui fazer até na sexta eu não vou me preocupar de ser feito no final de semana.

    Mas percebi que quando as coisas estavam nos seus devidos lugares a casa poderia estar carregada de pó que a aparência era muito melhor, e outra, com as coisas nos seus lugares um tapa na casa ficava muito mais fácil.

    Então entre limpar ou organizar eu vou levando a organização (lavar a louça da pia e colocar as coisas no seu lugar) e deixo o pesado pra faxineira.

    Bjos.

  15. Olá, Thais.
    Gostaria de parabenizá-la pelo blog/manual de sobrevivência. Sou casado e minha esposa sempre me cobrava uma participação na limpeza da casa. Minha rotina na grande metrópole nunca ajudou e me vi numa situação de acumular mais coisas que conseguia organizar. Recusei me tornar Hoarder, e temi não achar ajuda. Comecei ler seu blog e há pelo menos uma semana tenho dormido sem me afligir com a bagunça que nossa casa poderia ficar. Estou mais tranquilo em me desfazer das coisas e confesso que me preocupo muito com a organização e por crer que sempre seria um trabalho hercúleo, sempre procrastinei minhas atividades. Vi-me então procrastinador e com uma leve tendência em acumular (principalmente livros). Comecei por deixar a pia e as superfícies na medida do possível limpas. Pasme, sinto-me orgulhoso pela organização e acabo estendo para outras áreas de casa. Não sei como agradecer a santa ajuda que você tem me dado. Pensei até em ir em busca de tratamento, mas pelo visto o melhor tratamento é feito em casa mesmo. Novamente sou grato, que Deus lhe abençoe e saiba que seu trabalho tem salvado o moral de muita gente barbada, vacinada e desesperada.

  16. Ô Thais só se a criança (no meu caso é uma que parece uns 4 rs) ficar em tempo integral, porque nem ‘só’ sendo dona-de-casa consigo dar conta. Utilizo o método Fly que me dá mais conforto e consigo ter um pouquinho de tempo ocioso, e desde que parei de me cobrar ficou mais fácil, mas fora isso é duro também. Sempre que faço cadastros, etc, coloco minha profissão como mãe. Tem hora para começar (a partir do nascimento) e não tem hora para acabar. É uma dedicação eterna! Beijo!

  17. Ótimo post. Em casa trabalhamos em equipe e dá muito certo. Envolver a criança desde cedo ajuda e muito. Hoje nosso filho tem quase 8 anos e adora passar o aspirador de pó e o mop. Como não buscamos a perfeição, rapidamente tudo fica limpo, arrumado, todos colaboram e a casa fica habitável.

  18. Moça, vc já deve ter visto dezenas de comentários meus no último ano.
    E realmente, a questão é o que a gente espera.
    Eu sou a “neura da limpeza” em pessoa.
    Antes dividia casa com outras pessoas, num esquema tipo de república e cheguei a ficar doente de nervoso porque logicamente ninguém queria pagar faxineira, muito menos ajudar a limpar e eu acabava fazendo tudo sozinha.
    Agora a casa é só minha e do marido, mas temos os bichos que ajudam a não deixar tudo tinindo de limpo como minhas expectativas mandam.
    Limpo todo dia, sigo um roteiro, mas não fica tudo perfeito como era a casa da minha mãe, que não trabalhava fora. Eu me cobro menos agora e espero conseguir me cobrar menos daqui pra frente, mas ainda assim, me esforço pra fazer o máximo de coisas que consigo.

  19. Thais, quando leio seus posts, me bate sempre a mesma pergunta: você não tem preguiça? Como você faz para combater aquela vontade de se jogar no sofá em vez de lavar a louça ou preparar a comida?

    • Deito 5min pra descansar e me forço a levantar, senão não levanto MESMO. É força de vontade, não tem jeito.

  20. Muito bom, nota dez. Sempre trabalhei, e, até um ano atrás, minhas noites se resumiam as tarefas domésticas e um curso a distância. Terminei o curso e ainda acrescentei o clube e prática de esportes com meu filho duas ou três vezes por semana depois das 18 horas. A limpeza vai sendo feita aos poucos, a organização, para mim, é mais importante.

  21. Amei o post apesar de nunca ter mantido expectativas altas quanto a minha casa, sempre tive problemas para manter as coisas em ordem, por isso sigo o blog para tentar manter as coisas sobre controle^^

  22. Seu blog é maravilhoso!!! Me vejo a cada linha que vc escreve. Hoje a minha casa não me serve e sim eu sirvo a minha casa e acabo tendo uma desgaste muito grande com isso. Trago isso nas minhas raízes, é de família! Vejo através dos seus post que tem solução, preciso desapegar e vc me mostra que isso é possível! Parabéns!!!

  23. Óptimo post, parabéns! Tenho tentado simplificar e não stressar com aquilo que não consigo fazer… é bom ver que há mais pessoas a pensar da mesma forma! 🙂

  24. Minha casa saiu dos eixos. Um mês viajando, volto e tem mofo no guarda roupa. Nem sei como limpar. Onde foi q errei? Na correria, só cuidei do chão e da cama. Ai meu Deus, eu nem sabia q guarda roupa mofava. Mudei para uma casa há 2 meses. Triste descoberta. E agora? :'(

  25. Temos todos apenas 24 horas e temos que decidir o que fazer com elas. É uma questão de definir prioridades e realizar as ações que fazem mais diferença. O Princípio de Pareto diz que com 20% do trabalho cuidamos de 80% dos problemas. Temos apenas que descobrir quais são esses 20% para sermos sempre mais eficientes…
    Muito legal seu post Thaís!

  26. Thais amo seu blog e este post salvou minha vida.
    Há uns 10, 12 anos atrás fazia a faxina completa no domingo, me acabava literalmente. Depois sentava e sentia aquele cheirinho maravilhoso e ficava toda orgulhosa… Só que de uns anos para cá já morando em apartamento eu não tinha a mesma disposição. Tinha uma faxineira que vinha uma vez por mês. Nas primeiras vezes foi um espetáculo, daí ela começou a relaxar e eu voltei a colocar a mão na massa, até pela economia. Mas vivia me cobrando aquela faxina completa em um único dia. E isto não é real mais para mim. Sigo as listas diárias, quinzenais, mensais e sazonais e estou muito feliz. A casa está sempre bem e eu não preciso me matar ou perder o domingo fazendo faxina. A casa deve nos servir. Só preciso organizar um pouco a papelada aqui em casa, de resto estou me saindo bem, graças às suas tão valiosas orientações. Parabéns!!! Te admiro muito. Denize

  27. Uau!! que post 10… hj era tudo o que precisava ler… as vezes me sinto frustrada pq minha casa não fica do jeito que quero, mas tbém não quero ser escrava dela…. obrigada por partilhar conosco o que tu pensa… vc nem imagina o quanto nos ajuda!!! adoro vir aki …. bjoka nocê

  28. Ola, minha casa pega muita poeira da rua e eu tava neurotica varrendo a casa quase tds os dias. Cansei disso pq nao vivo so pra arrumar casa. Comprei um “aspirador robo” (preco um pouco salgado) e nunca mais varri \o/. Ele eh um pouco fraquinho pra aspirar mas da conta muito bem da poeira e pelos do meu cachorro. t+

  29. […] Cuidando da casa sem estresse: diminua as expectativas – Vida organizada Eu conheci esse blog tem pouco tempo e estou curtindo muito as dicas da Thais. Esse post aqui é semelhante ao de cima, mas é em português. Thais confessa que é simplesmente impossível deixar a casa brilhando o tempo todo. Pura verdade! Ainda mais quem não tem empregada ou faxineira, como eu. A gente faz o que pode pra manter a casa limpa e arrumada, sem neuras e sem perfeccionismo. […]

  30. Eu pago uma faxineira de 15 em 15 dias pra fazer o serviço pesado e vou mantendo, eu procuro ter uma rotina mas nada muito exagerado,ja fui muito perfeccionista,hje estou mais relax, se hje fiz faxina,amanha me dou o direito de sair bater perna sem culpa.
    Aprendi a delegar tarefas em casa, o marido cozinha no fim de semana, ou compramos comida fora, as criancas de 10 e 5 anos ajudam arrumando a propria bagunça.

    Adorei a dica pra guardar cd/dvd em pastas, ja anotei, vou fazer aq em casa, obrigada.

  31. Uau…que leitura deliciosa eu fiz agora. Perfeito o que vc disse, se encaixa direitinho na minha vida atual. Nesse caso vc me deixou aliviada, pois já ando fazendo 60% do que vc ensina neste post. Aconteceu naturalmente, meu filho é adolescente e o acho bem criado (por mim em tempo integral). Ele respeita o horário das minhas novelas, aspira o próprio quarto, leva toalha pro banho…mas também come na frente do computador, pede “refi mãe”. Acho normal nessa fase da vida familiar. faço vista grossa prá poeira debaixo da cama, já fui muito estressada com isso. Levo a vida mais leve, mais light e todos aqui em casa acordam de bom-humor. Longe de ser perfeito, mas é o que dá prá fazer no momento.
    Bjs. Zilda.

  32. Eu penso exatamente assim, aqui em casa meu marido e filhos adolescentes ajudam, e no dia que não queremos fazer nada não fazemos, a vida é curta.

  33. Thais, adorei o post. Aqui a casa está longe de ser um primor de organização e limpeza, mas o trabalho é dividido, sim. Minha sogra tem todos os méritos de ter ensinado igualmente filho e filha a cuidarem de casa. Meu esposo morou sozinho um bom tempo, é muito bagunceiro mas cozinha e limpa como ninguém!

  34. Tô me esforçando para ser menos neurótica c a limpeza. Faz bem pra alma e diminui o mal humor e as cobranças com os filhos e o marido. Suas dicas foram inspiradoras.

  35. clap clap clap clap clap!!!
    Post excelentíssimo!!!!

    é isso mesmo! Ser feliz é simples, a gente que complica tudo… Ter a casa arrumadinha é o suficiente pra sentar tranquila no sofá e assistir um filme com o maridão… Mesmo com a poeirinha em cima do hack! hahaha! É preciso ter equilíbrio em TUDO na vida… =)

    Admiro demais o blog… Minha leitura diária… =)
    Beijos!

  36. Foi ótimo ler este artigo hoje. Estava pilhada nestes últimos dias. Só estava pensando em limpeza e organização. Há uma hora atrás estava frustadíssima pois não dei conta do que pretendia fazer esses dias que estava em casa.

  37. Olá Thais, adoro os seus posts, sempre me ajudam muito a organizar a minha vida e a minha casa. Esse especialmente foi um divisor de águas, pois sempre me cobrei muito por causa da limpeza da casa. E agora consigo administrar melhor, e sem neuras.
    Obrigada por sempre compartilhar suas experiências.

    Beijos,
    Ana

  38. Adorei seu artigo. Tirou minha preocupação de achar errado não conseguir limpar a casa todos os dias.Vejo que o número de mulheres acumuladas de serviço é imenso e a preocupação é a mesma: como dar conta da casa em tudo, todos os dias. Obrigada pelos conselhos. Adorei!

  39. puxa, seu blog me salvou! Rss…sempre odiei a neura da minha mãe com limpeza e o fato de não querer receber visitas por achar que a casa não estava em ordem, ou mesmo se matar de limpar e arrumar antes que a visita chegue! Achava isso uma neura sem sentido e sempre pensava que quando eu tivesse meu próprio espaço não seria assim…hoje vejo que acabei herdando esse defeito dela, pois detesto receber críticas… Mas agora vou ligar o foda-se e ser feliz! Moro só e tenho gatos, fico meio paranoica e acabo deixando pra la meu desejo de ter a casa sempre cheia de amigos. Por medo que possam me criticar..mas trabalho fora e fico 12 horas do meu dia fora de casa e fim de semana quero me divertir po! Voce está certa, irei rever meus conceitos e apenas concentrar meus esforsos na organização, e limpeza só o necessário pra não morrer de vergonha e nem de frustração…quem quiser me criticar que venha aqui limpar a minha casa! Auauauauauahahahaha…voce salvou o meu dia, aminha vida! Obrigadão!

  40. Manter uma casa razoavelmente limpa sem neuras é realmente libertador, mantenho os banheiros, a cozinha e as varandas limpas, mas sem ficar areando, o resto da casa vou levando, um dia limpo aqui outro dia ali e é muito gostoso.
    Detalhe minha casa tem uma limpeza e organização saudável sempre e eu relaxo um pouco todo dia.

  41. Bom dia Thaís!

    Amei seu texto! Casei em janeiro e estava me sentindo assim! Sem dar conta das tarefas de casa! E ainda tive que ir pra academia por conta de um problema de saúde. Parece que vc falou pra mim! Trabalho fora, tenho hora pra entrar mas não tenho hora para sair. Meu marido chega mais cedo e tb faz muita coisa! No início, eu me matava fim de semana. Agora melhorei um pouco pois, além de tudo, quero ficar com ele, passear e curtir a nossa casa. Fazemos sabonetes artesanais para vender e até nisso ele chega junto comigo. Fazemos mercados juntos, enfim, temos esse espírito de equipe! Aprendi que não posso ser escrava da limpeza e nem da minha casa. Obrigada por me mostrar que estou pensando (e fazendo!) certo e que minha casa nunca vai virar um caos! Bjs.

  42. Ameiiii o post,isso tudo que eu li era pra mim chego em casa tarde todos os dias e ainda queria me matar a limpar.Mais vi que a realidade é outra as vezes até deixava de ir em algum lugar,passear pra limpar a casa.Mais dei um chega pra la na NEURA agr se tiver tempo faço se nao deixo pr dia seguinte.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui