Categoria(s) do post: Casa
Imagem: http://s-c-r-a-p-b-o-o-k.tumblr.com/post/36652988437
Imagem: http://s-c-r-a-p-b-o-o-k.tumblr.com/post/36652988437

Que tal utilizar nichos para organizar a cozinha? Algumas pessoas não são fãs dos armários abertos na cozinha mas, para quem gosta, pode ser uma boa ideia usar nichos (que geralmente são usados em outros cômodos, mas não na cozinha) para guardar utensílios menores. Esses aí da foto inclusive parecem caixas de madeira sem o fundo, ou seja, são mais artesanais ainda! Você também pode imitar e colar um papel decorado no fundo para dar um efeito decorativo. Eu gostei.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Profissionais, Áreas da Vida

Muitas pessoas me escrevem perguntando um pouco sobre o mercado de organizadores profissionais, então resolvi escrever este post para tentar tirar algumas dúvidas e também falar um pouco sobre a minha experiência.

Não existe, hoje, formação oficial para ser um organizador profissional. Não é como nos Estados Unidos, por exemplo, onde existe uma associação (NAPO) que regula as atividades pelo país e concede certificados em diversos níveis. Teoricamente, se você quiser trabalhar como organizador profissional no Brasil, basta querer.

Porém, é claro que as coisas não são assim tão simples. Primeiro, porque você precisa ter um conhecimento gigantesco sobre organização. Segundo, porque existem diversas áreas de atuação – gestão do tempo, organização de residências, organização de escritórios, entre outras. Terceiro, porque é necessário ter espírito empreendedor para tocar este que é um verdadeiro negócio, com suas regras e leis. Não temos leis para organizadores profissionais, mas temos para trabalhadores autônomos, então isso deve ser respeitado.

Muitas pessoas têm a visão romântica de que organizadores profissionais trabalham menos e ganham bastante dinheiro. Gente, isso não existe. Se você já arrumou o quarto da tralha na sua casa, isso não é NADA comparado ao que você vai enfrentar diariamente com seus clientes. Você vai lidar com situações de todos os tipos, envolvendo muita sujeira, bichos, mofo, além dos próprios clientes difíceis (acumuladores, teimosos etc). Além disso, um organizador profissional não fica rico. Com grandes exceções, tipo a apresentadora e organizadora profissional Micaela Góes, do programa Santa Ajuda, no GNT, que só atende clientes classe AAA, a grande maioria dos organizadores vai pegar um público de A a B, e isso só com muitos contatos, com o tempo.

Se você acessar hoje o site da OZ, você terá uma listagem imensa de organizadores espalhados por todo o Brasil, já preparados para fazer uma coisa que você está apenas cogitando começar a fazer. E isso porque o site só disponibiliza essa divulgação por seis meses para cada profissional, então existem muitos outros por aí. Eles mesmos não têm tantos clientes assim. Pense que organizar uma casa é um serviço que você faz com uma frequência pequena. Um cliente pode te contratar hoje e só te chamar novamente daqui a um ano para fazer novamente a organização, como pode te chamar seis meses depois ou nunca mais. É claro que você terá que trabalhar com muitos, muitos clientes mesmo para conseguir ao menos garantir um certo sustento com a sua nova empresa.

É necessário ter disponibilidade de tempo. Você dificilmente conseguirá conciliar com outra profissão, pois um organizador profissional precisa fazer visitas, vistorias e trabalhar quando o cliente não estiver em casa, o que normalmente acontece durante o dia. Se isso é contornável? Acredito que sim, mas eu não me imagino, hoje, trabalhando durante o dia e organizando casa de cliente até a meia-noite. Nem acho que o serviço possa ser feito direitinho dessa forma. Você precisa sair, visitar fornecedores, fazer compras, e essas coisas precisam ser feitas em horário comercial.

Você precisará, na maioria dos casos, de um ajudante. Você pode contratar alguém por hora que vai te ajudar, e essa pessoa pode fazer o trabalho mais pesado ou enfadonho, como dobrar roupas etc. Mas pense nessa despesa, além das despesas com transporte, alimentação e suas ferramentas de trabalho, que devem estar sempre disponíveis e em boas condições.

Apesar de não existir uma formação específica para ser organizador profissional, eu não consigo imaginar uma pessoa trabalhando com isso sem ter feito o excelente curso da OZ. O curso mostra tudo o que é top com relação a organização de residências, desde dobras de roupa íntima até soluções estruturais em armários de cozinha, por exemplo. Não tem como uma pessoa se dizer organizadora profissional sem aprender tudo aquilo. Além do que, o curso também tem o módulo de negócios, que eu considero o diferencial. Quando eu fiz o curso, tive aula com a professora Irene, da Benfatto Organiza, e ela deu um show de experiência, falou sobre os desafios do profissional, dicas para trabalhar etc. Enfim, eu recomendo bastante o curso.

Eu resolvi fazê-lo simplesmente por causa do blog, para ter o certificado (ligado à NAPO, o único no Brasil). Uma vez li uma entrevista da Martha Stewart onde ela disse que, não importa o que você faça, você tem que ser o melhor da categoria. E sinceramente, é isso o que eu busco. Se eu estou falando de organização no blog, eu tenho que estudar muito, correr atrás para virar uma especialista. Então fazer esse curso foi interessante para mim nesse sentido. Eu não tenho disponibilidade de tempo hoje para trabalhar como organizadora profissional, pois tenho a minha profissão. Minha forma de atuação é exclusivamente no blog, e acredito que assim eu cumpro o meu papel.

Quanto à remuneração, varia bastante e, no curso, eles ensinam como fazer o cálculo. Basicamente, depende da sua experiência e do lugar onde você mora. Alguns profissionais cobram por hora, outros por pacote. Tudo depende. Não tem como chutar um valor, pois são muitas variantes. Mas a própria Irene, que trabalha com isso há anos e tem inúmeros clientes, disse que ninguém fica rico sendo organizador profissional. A não ser, é claro, que você já esteja inserido(a) em uma rede de contatos quentíssima, no mercado de luxo, por exemplo, e venda seu serviço a esses clientes. Isso são “outros quinhentos”. Mas é exceção.

Quem tiver interesse na profissão, então, eu recomendo que faça o curso da OZ e aí sim decida se é o que deseja fazer, pois ele dá uma ideia bem geral. Muitas pessoas chegam lá achando que querem isso com certeza e acabam mudando de ideia, pois vêem que o buraco é mais embaixo.

Se é uma profissão bacana? Com certeza! Quem ama organização ao menos uma vez na vida já deve ter considerado essa possibilidade. Mas precisa ter um conhecimento grande da área de atuação para abrir uma empresa desse tipo, assim como para abrir uma empresa em qualquer ramo, na verdade. Por isso eu recomendo que seja feito o curso, para só depois ponderar e avaliar se serve mesmo para você.

Espero ter esclarecido todas as dúvidas a respeito. Obrigada por tudo, pessoal.