Montando uma biblioteca para o filhote (Campinas)

28
4526

Sempre fui apaixonada por livros, desde criança, e um dos meus maiores desejos é que meu filho tenha o mesmo gosto que eu tenho. Felizmente, ele vem demonstrando isso desde bem mais novo e adora ganhar livros novos. Acredito que ajude muito eu ler bastante, estar cercada de livros, comprar sempre livros para ele e ler junto. Com dois anos e meio, ele já sabe o alfabeto inteiro (aprendeu há meses) e consegue contar até quase 100 (“noventa e dez”).

Ele tem uma estante no quarto onde guardo os livros em um dos nichos. Não existe uma ordem muito complicada para essa organização – arrumo pelo tamanho, basicamente. À medida que for aumentando, começarei a setorizar. A biblioteca fica em uma altura que ele possa alcançar e contém somente livros para a sua faixa etária. Na semana passada, quando doamos muitas coisas, doei vários livros que eram mais voltados a bebezinhos e ele não estava mais gostando.

Por isso, para quem quiser montar uma biblioteca para o filho desde pequeno, essas são as minhas dicas:

  • Dê o exemplo. De nada adianta querer que o filho goste de leituras se ele nunca vê os pais fazendo isso.
  • Compre livros. Eu compro um ou dois novos por mês, para não pesar no orçamento. Não compro livros caros. Livros em sebo, somente se estiverem em excelente qualidade.
  • Leia para o seu filho. É um momento a mais que você estará com ele e ele associará a leitura a algo agradável.
  • Compre livros para a faixa etária do seu filho. Bebês, por exemplo, precisam de livros com mais estímulos visuais e páginas grossas, para não rasgarem. Quando não servirem mais, doe. Doar livros é doar conhecimento.
  • Mantenha os livros armazenados em um lugar onde ele consiga pegar sozinho, sem a ajuda de ninguém.
  • Se seu filho já tiver bastante livros, pode ficar bem bonitinho organizar por cor. Mas olha, não pire muito. Deixe somente que eles fiquem arrumados. O importante é o seu filho manuseá-los, lê-los, tê-los em seu dia-a-dia, de fato.
  • aparadores de livros divertidos com formato de animais, entre outros. Para quem não tiver onde encostar os livros, pode ajudar e ainda fica uma graça.
  • Tenha um lugar para o seu filho ler. Pode ser uma cadeirinha ao lado da estante, um pufe, uma almofada gostosa. Mesmo que ele leia na cama ou no sofá com você, proporcione o acesso.

Você tem filhos? Já pensou em montar uma biblioteca para eles?

28 comentários

  1. Que bacana encontrar esse post, porque comecei esse dias a ler para meu meu filho de 1 ano no ritual de sono noturno. É aquele Adivinha quanto eu te amo da Coleção do Itaú, sabe? Ai digo para ele dar um beijinho no coelho na hora que ele dorme, dar tchau e falar baixinho que o Coelhinho dormir. Ai, agora na sonequinha da manhã que acabou de dormir ele tava meio impaciente mamando, foi eu pegar o livro que ele se acalmou. Mamou mais um pouco ouvindo eu ler, ai agarrou o livro, beijou e deitou em cima dele todo feliz! rsrs… Pensa na felicidade da mãe apaixonada por livros. #Morri!

    Quanto a biblioteca, eu não gosto da ideia de ter muitos livros (minimalista extrema rsrs), pretendo ter só uns poucos títulos por vez e ir trocando. Manter só os que ele se apegar muito. Mas confesso que acho lindo estantes repletas de livros! *.*

    PS: Você já deve saber, mas o Itaú tá com coleção nova.

    Beijos

  2. Parabéns, Thais, excelentes dicas, exatamente o que importa: dar o exemplo e facilitar o acesso. Aqui com os meus, seguimos o mesmo padrão e o resultado é igual, leitura é prazer, pena que livros ainda têm um custo salgadinho, a gente não pode comprar todos que desejamos.
    Tb recebo a coleção Itaú, a nova já chegou e foi devorada na hora, rs
    Bjs,

  3. Quando criança, eu entrava na casa dos amigos e procurava a estante de livroa. Sempre gostei de ler. Meus pais tinham muitos livros e eu achava que livro era igual panela/prato: toda casa tinha. rsrsrs Percebí logo que não era bem assim…
    Aqui em casa gostamos de ler. Nossa filha de 8 anos assimilou isso como algo natural, nunca forçamos.
    Ela tem uma pequena biblioteca que vai se modificando conforme a idade e não pode ver uma livraria que quer entrar.
    Que ver um exemplo? Ela faz fisioterapia semanalmente e lá tem uma pequena estante de livros. Ela combinou com a fisioterapeuta de levar um livro para casa por semana e trazê-lo na próxima sessão. Por iniciativa própria ela expandiu seu acesso a mais livros! A mamãe aqui, que gosta de ler, ficou toda orgulhosa.

    Parabéns pela iniciativa.
    Bjs,

  4. Toda mãe acha que o filho é mais desenvolvido que os outros blablabla. Meu filho também fazia isso e mais, mas não fico me gabando. É chato e pedante isso.
    Qto à biblioteca, o melhor jeito de guardar, na minha opinião, é naquelas estantes próprias para livros, onde eles ficam de frente e podem ser mais facilmente identificados.
    No mais, boas dicas.

  5. Olá, Thaís. Ja faz quase um mês que acompanho o seu blog, mas nunca comentei em nenhum post, apesar de sempre gostar bastante. Gosto dos temas que são abordados e também porque sempre está atualizado. Ainda não tenho filhos, mas pretendo ler muitos livros enquanto ele for pequeno. Aliás, sempre que imagino meu filho, penso nesta cena, eu contando histórias para ele dormir… Fiquei impressionada com seu filho, Thaís! 2 anos e meio e já sabe o alfabeto e contar até quase cem?? Uau! Essas crianças são muito espertas…

  6. Eu, filha de professora, cresci cercada de livros e lendo muito, muito mesmo. Tanto eu como o marido lemos muito, coisa de pelo menos 2 novos por semana, cada. Então acaba que passa o exemplo pra nossa filha, e o brinquedo preferido dela são os livros, sem dúvida.

    Aqui livro é muuuuuuito barato, tanto novo quanto usado. Não tem sebo, mas tem os charity shops que só aceitam itens que estiverem em ótimo estado. Compro livro por 50 centavos ou pouco mais. Compro novos também, mas por no máximo £5. E como é barato em datas comemorativas as pessoas dão bastante livros pras crianças.

    Eu nem sei quantos livros ela tem, mas é mais de 100 com certeza. Eu separo os mais de bebê, que sensoriais, dos de historinha mesmo, mais da idade dela. Esses ela usa todos sem exceção. A rotina de dormir aqui mudou um pouco agora que ela tem quase 3 anos. Todo dia a gente lê 2 livros antes de dormir (ela queria mais e mais aí acordamos no limite de 2). Ah, os de bebezinho a gente não doa porque queremos ter outro filho logo.

    Bjos

    PS: Não fique tolhida de comentar as conquistas do seu filho, porque tenho certeza que 99.9% das pessoas sabem que vc não quer contar vantagem e algumas, como eu, que “conheci” o P. desde antes de nascer (!!!) vibro com as gracinhas e conquistas dele, de verdade. Manda um beijo pras recalcadas, rs.

  7. Tenho um filhotinho de 3 anos e pra nossa alegria ele também AMA livros, assim como eu e o pai… Quando ainda estava grávida vi um livro lindo (De que cor você é? Ed. Salamandra) comprei pra ele e esse acho que vai ficar pra vida toda, ele adora esse livro desde sempre!!! Confesso que sou apegada aos livros, mas os de bebezinho e os de banho, esses eu doei… 🙂 Sempre que posso eu o levo em uma livraria pra ficar folheando e lendo os livrinhos de lá, ele adora! A maioria dos livros dele fica a vista, ele pega quando quer e raramente estraga alguma coisa… Esse ano no aniversário de 3 aninhos demos um livro personalizado, o nome dele vem inserido na história, tem foto também… Ele gostou, mas a história é grande então acho que ele vai se interessar mais por ele quando começar a ler.
    Bjs

  8. Os esotéricos acreditam que as pedras (cristais) escolhem as pessoas com quem desejam ficar, e não o contrário. Não sei se é verdade, mas alguma coisa assim acontece com os livros. Tenho vários aqui em casa que não são meus, que vieram parar aqui por vias transversas, e cujos donos não sei mais como contactar. Por outro lado, muitos dos meus também “escolheram” outros donos e estão por aí no mundo. Deve ser uma lei natural ainda não descrita nos compêndios. Tudo isso para dizer que há três anos eu lecionava em uma escola estadual aqui em São Paulo, a qual — como muitas dessa rede — não possuía biblioteca. Vai daí organizei uma biblioteca circulante com os meus próprios livros (depois de selecionar aqueles adequados à faixa etária dos alunos). Eu sabia que muitos nunca iriam retornar, mas mesmo assim coloquei no acervo alguns que, por motivos especiais, eu julgava preciosos. A meninada adorava. Era muito trabalhoso manter o controle em dia, mas eu fazia com prazer. Vários livros não eram devolvidos nunca, por mais que eu insistisse e por mais que os alunos prometessem “trazer na próxima aula”. Quando deixei essa escola no ano passado, algumas dezenas de livros já tinham escolhido seus novos donos. Como disse a Thais, doar livros é doar conhecimento. Conhecimento, sonho, esperança, criatividade, experiência de vida… enfim, tudo que há de bom.

  9. Clap! Clap! Clap! Adorei o post!
    Leio desde muito cedo pra minha filha e os brinquedos de que ela mais gosta são os livros. Se eu imaginasse bem antes, incluiria uns títulos na minha lista de presentes do chá de bebê.
    A propósito, gostaria de indicar esse site:
    http://cucadegentemiuda.com/

  10. Oi Thaís!!! Acompanho seu blog há muuuuito tempo e recebeo todas as atualizações por e-mail. Pra ser sincera é o único blog em que eu realmente leio tudo o que é postado!!rsrs No entanto, é a primeira vez que faço um comentário. Mas também, esse post pegou meu ponto fraco. Sou professora, apaixonada por livros e compro livros infantis não apenas para os meus filhos ou meus alunos, mas pra mim também. Alguns títulos e autores têm minha preferência (embora eu tenha um acervo bastante diversificado) e passo isso para meus filhos desde bem pequenos (tenho um de 10 e um de 2 anos). Lemos livros pelo prazer de ler e de aprender. E, até mesmo quando preciso falar de algum assunto com algum tema mais polêmico ou sobre o qual eu tenha maior dificuldade em expor, começo com um bom livro… Parabéns pelo post e pelo blog que eu amo!

  11. Adorei as dicas!! Esse é o caminho pra uma geração mais inteligente e criativa!!
    Pena que não consigo compartilhar no face…

  12. Thais,
    reli meu comentário agora e vi que fui muito grosseira. Desculpe, postei sem reler, e ainda num momento difícil (TPM total). Conheço tanta gente que se gaba dos filhos que isso me irrita, porque cada criança tem seu tempo de desenvolvimento. Mas isso não justifica minha grosseria.
    Abraços,

    • Luciana, não tem problema. Minha intenção ao falar sobre o meu filho foi compartilhar minha vida, como faço sobre outros assuntos do blog, que é pessoal. Eu tinha um blog sobre a minha gravidez e para contar um pouco da rotina que tinha com meu filho quando ele nasceu, e sinto um pouco de falta de falar sobre isso e trocar experiências com outras mães.

  13. Oi, adorei seu post. Uma amiga me recomendou lá no meu blog, pois somos fanáticos por livros aqui em casa, minha filha, que tem basicamente a idade do seu filho, se dá muito bem entre os livros e nó temos uma estantezinha de livros para a idade dela no seu guarda roupas, quando ela quer abre e folheio quantos quiser. Também lemos bastante antes de dormir, quer todos… rsrs. Não sei se conhece a campanha “Leia para uma criança” do Itaú, mas caso não conheça, passa lá no blog e acessa o site que vc receberá 3 livrinhos lindoooos. Por sinal, adorei o tema do seu blog, vamos seguí-lo.

    Beijos!!!

    Flávia

  14. MINHA FILHA TEM 2 ANOS E 3 MESES E GOSTA MUITO DE LIVRO E ENGRAÇADO QUE ELA QUE GOSTA DE CONTAR AS HISTÓRINHAS PRA MIM. ESTAMOS CONSTRUINDO A NOSSA CASA E FUTURAMENTE VAMOS BOLAR O CANTINHO DOS ESTUDOS PRA ELA, QUERO ALGO BEM LÚDICO E CHEIOS DE ESTÍMULOS. BJSS E ATÉ A PROXÍMA POSTAGEM!!!

  15. Cresci em uma família muito letrada, e sempre tivemos muitos, muitos livros em casa. Eu e meu irmão do meio lemos MUITO, enquanto o mais novo evita a leitura o máximo possível. O q acho muito curioso, pois tivemos a mesma educação, os mesmos exemplo, o acesso às mesmas escolas e por aí vai.

    Agora, com minhas filhas, vejo que também não há um padrão. Temos muitos livros em casa e, na biblioteca, há a prateleira “delas”, onde coloco contos de fadas, Monteiro Lobato, Coleção Escoteiro Mirim, Clássicos Disney e até Asterix e Lucky Luke. E a Harini vem e me diz q não gosta de ler. Mata a mãe do coração… Daí vem a Padmini, q está aprendendo agora, e pega os livros e passa HOOORAS com eles na mão, tentando identificar as palavras e costurar a história.

    Moral da história: não tem. Cada um é cada um, e a gente faz o melhor, mas isso não é garantia de nada. 😛

  16. Olá Thais,

    Sempre boas dicas:)
    Também tenho um cantinho de leitura no quarto dos filhotes com uma almofada gigante. Eles acham piada. O problema é que a estante é partilhada pelos dois(com 8 e 2 anos) e fica sempre uma confusão, pois o pequenino pega os livros do irmão e fica sempre algum estragado 🙁

    Bjs

  17. Adorei o post, leio para minha filha toda noite antes de dormir, ela conhece as letras mas anida não sabe ler, tem 5 anos, e tem seus livros preferidos, e como conhece as historinhas de cor as vezes é ela quem lê (faz de conta) p/ mim.Já pedi a coleção do Itaú também. Abçs.

  18. O presente que mais marcou a minha infância foi uma coleção de livros, que meu pai comprou num sebo (Eu já tinha uns 9 anos). Nunca vou esquecer da sensação que me veio quando observei aqueles livros que já tinham pertencido a outras pessoas. Eu imaginava quem eram seus antigos donos e como tinham se divertido com as leituras. rsrsr!

    O primeiro livro de histórias que li sozinha (sem ajuda da mamãe) ainda está na minha prateleira. Isso já tem mais de 20 anos. Pretendo guarda-lo para meus filhos. Tanto a minha família como a família do meu namorado é bem viciada em livros (família de pastores e professores), portanto, algo bem certo que haverá na nossa casa (quando enfim casarmos) é uma biblioteca com uma sessão infantil. O legado da leitura é sem dúvidas um dos melhores presentes que podemos passar às futuras gerações.

    Parabéns por ser uma mãe que se preocupa com isso e por ter um filhinho tão esperto. Beijos!

  19. Oi, Thais! Esse post veio em boa hora pra mim. Estou bolando mudanças no quarto do meu filhote (2 anos e 4 meses) pra ficar com mais cara de quarto de garoto e não de bebê. Estou cheia de dúvidas, especialmente com relação ao cantinho de leitura que quero fazer pra ele. Poxa, os livrinhos dele ficam no alto, ele não pode pegar… Já está na hora de mudar, de comprar novos livros, mudar as cores, os móveis, enfim, de dar uma melhorada! Ei, que aparadores em formato de animais são esses? Nunca vi. Onde posso encontrar? Olha, eu adoro os posts sobre o seu filho, pois é uma forma de compartilhar sobre nosso lado mãe. Como você é uma referência pra mim :), gostaria que tivesse mais!!! Sei que o objeto do blog não é esse, mas… rsrss. Se pudesse dar dicas de como organizar esse quartinho, eu adoraria, pois o quarto é pequeno e estou com muita dúvida sobre a cor das paredes, disposição dos móveis, etc.
    Bjs,

  20. Sem querer ser chata, será que não dá pra incluir um tópico somente sobre coisas relacionadas a filho no blog???
    🙂

  21. Adorei o post! Vibro quando vejo mães dando exemplo e incentivando seus filhos a ler. A leitura abre tantos caminhos…
    Sou uma devoradora de livros, tenho muitos e para a pequena, que já está com seis anos, e começando a ler, coloquei uma estante exclusiva no quarto dela, e toda noite ela escolhe um para lermos juntos (um dia o pai lê, outro eu, e no outro ela, do jeito dela). A primeira coisa que comprei quando descobri que estava grávida foi um livro com uma coletânea dos irmãos Grimm (minha mãe lia para mim e meus irmãos um que era da infância dela em alemão!adorávamos) Ela adora livrarias, ela sempre quer ir ao shopping só para ir em uma (e pedir mais um livro, hehehe, é uma coisa que quase nunca digo não).
    Organizo os livros dela por tema, e não em ordem alfabética, para ser mais fácil para ela: contos de animais, de princesas, de bruxas…

Deixe uma resposta para Renata Cancelar resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui