Aumentar ou melhorar a produtividade? Pressa ou velocidade?

7
2844

É muito comum ler por aí artigos como “27 mil maneiras de aumentar sua podutividade”. Depois vem uma matéria como “saiba trabalhar seu lado zen para não ficar estafado” e ninguém se entende nesse círculo vicioso.

Fazer hora extra e trabalhar até tarde já deixou faz tempo de ser sinônimo de dedicação e produtividade. Pelo contrário – pessoas que trabalham muito além do seu horário frequentemente são vistas como desorganizadas, porque não conseguem dar conta de suas tarefas no tempo previsto. Aqui também entra a questão do equilíbrio pessoal x profissional – se um funcionário fica até tarde, ele terá tempo para descansar? Estudar? Ficar com a família? Se dedicar a projetos pessoais? Claro que não.

Por isso, sempre que ler algum artigo com dicas para aumentar a sua produtividade, tente ver com outros olhos – analise se há dicas para melhorar seu rendimento ou simplesmente para aumentar a sua carga de trabalho. Porque uma coisa é ser produtivo nas suas oito horas diárias – outra totalmente diferente é trabalhar como um louco sem saber otimizar o seu tempo, deixando tarefas pendentes e sem amarras porque começa uma sem terminar a outra – trabalha, enfim, em cima da urgência, não da importância. Planejamento? Objetivos estratégicos? Onde ficam nesse caos do dia-a-dia?

Essa semana eu li uma entrevista MUITO boa no site da revista Você S/A (recomendo) e gostaria de copiar os meus trechos preferidos aqui, pois tem tudo a ver com esse raciocínio:

“Ficou comum mudar tudo na última hora. Ninguém mais parece achar isso estranho, ou falta de planejamento. Aí, as empresas começaram a confundir pressa com velocidade. Pressa é para quem está atrasado. A urgência, no hospital, é para quem deixou a coisa chegar no limite, mas as empresas estão vivendo assim, como se estivessem no limite o tempo todo, e põem em risco sua estratégia. Em alguns casos, nem mesmo traçam essa estratégia, pois estão engolidas pela urgência.”

“A tecnologia da informação fez crescer a cobrança por desempenho e resultados no menor tempo possível. É como se tudo tivesse de ser feito em tempo real. Mas isso também aumenta a ocorrência de erros estratégicos e, consequentemente, dos custos qualitativos e psicológicos.”

“As empresas duradouras, que sonham com a continuidade, têm velocidade, e não pressa. Elas constroem relações éticas, que têm a ver com o passado, e senso de prosperidade, que está ligado ao futuro.”

“É tudo no curto prazo e o que a empresa queria para daqui a dez anos se perdeu diante das mudanças do dia a dia.”

Vale a leitura. Fica também a reflexão para hoje.

7 comentários

  1. Bom dia! Gostei do texto….realmente acho que está na hora de trocarmos o “mais” pelo “melhor” ….
    Abraços

  2. Muito interessante a matéria! Repassei aos meus colegas de trabalho, pois vale a reflexão. O trecho mais interessante para mim foi o seguinte:

    “É o método submarino em uma guerra, em que só entram os mais jovens, os que não sabem o que estão perdendo e não questionam para conseguir chegar aonde precisam. Não é só o caso de passar muitas horas no trabalho, mas de tomar atitudes que apenas pessoas muito jovens submetidas a uma grande pressão seriam capazes de tomar. Tenho conversado com headhunters para entender as consequências disso no longo prazo e sei que há executivos, mesmo jovens, que estão estigmatizados. Não conseguem mais se adequar a companhias onde o tempo é menos cruel e onde as pessoas discutem as questões. Em boa parte, são muito individualistas e aceitaram o convite da empresa para trabalhar de um jeito mercenário. “Você paga, eu faço. Se algo não estiver bom para mim, eu vou embora.” Com o tempo, isso acaba contaminando os clientes e os fornecedores.”

    O mais triste é que de fato tenho visto muito disso nos ambientes de trabalho que conheço…

    Bjs e parabéns pelo blog!

  3. Thaís, eu só vim te agradecer, venho sempre aqui mas fico quieta. Obrigada, porque foi seu blog, sua história que tem me ajudado a ser organizada. Fiz até um blog disso! um beijo e organização não precisa de pressa 🙂

  4. Thaís,

    Com sempre um post muito bom li a matéria da VOCE\SA e de fato reflete exatamente o que vemos nas organizações especialmente nas grandes corporações, tudo é para ontem, não se pensa, não se prioriza e isso acaba tanto com a vida da empresa quanto dos profissionais. Está mais do que na hora de fazer menos, para fazer melhor.

    Parabéns pelo blog!

  5. Muito bons os quotes que selecionou, lerei a materia agora. Uma triste realidade dos tempos modernos, nao? Me vejo tanto nisto! Sigo o site a pouco tempo e voce ja me e muuuiro util! Estou aproveitando muito seus textos, parabens. Beijos!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui