Controle sua situação financeira atual

47
4145

Dinheiro é um assunto que eu gostaria de poder falar com mais autoridade, mas eu tenho uma confissão a fazer para vocês: sou meio consumista. Assim, para certas coisas. Livros, por exemplo. Comprei mutos livros esses anos todos, desde que era adolescente. Sempre gostei de frequentar sebos (lojas que vendem livros usados) e me acostumei a comprar livros de 3, 5, 10 reais. Porém, perdi as contas de quantas vezes fui a uma Fnac da vida e comprei (sem poder gastar) três ou cinco livros de 30, 50 reais cada um. E fiquei falida durante todo o restante do mês. E quando soube que a Livraria Cultura parcela em 5x sem juros no cartão? Nossa, pior que comprar roupa na Renner. Para piorar, ainda sou bibliófila – ou seja, eu gosto de correr atrás de edições raras que, além de tudo, geralmente são caras. Enfim, minha estante de livros denuncia onde eu investi meu dinheiro nesses anos todos.

Eu tenho quatro amigas de infância que são um pouco como as mulheres do Sex and the city (só converti uma delas à série, no entanto). E eu fiquei agradavelmente surpresa quando uma delas comprou seu primeiro apartamento à vista. Eu fiquei chocada porque eu não tinha nenhuma quantia guardada que chegasse nem perto daquilo. E lembro da Carrie, quando precisava pagar pelo seu apartamento (na série), disse: “Poxa, eu ganhei dinheiro esses anos todos. Onde ele foi parar?”. Enquanto ela olha para o closet abarrotado de sapatos caros, eu olho para a minha estante de livros. E eu me sinto igualzinha a ela quando compro algum livro novo que eu queria muito (no caso dela, isso acontece com sapatos). Enfim, alguns de nós temos nossas paixões específicas, mas refletir sobre tudo isso é importante porque precisamos cuidar bem do nosso dinheiro.

Em dezembro, nós precisamos fazer uma mudança de cidade sem muita estrutura financeira. O resultado? Parcelamos os eletrodomésticos e alguns móveis. Quando precisamos comprar algo mais caro, como uma mesa, por exemplo, precisamos recorrer novamente ao cartão porque o dinheiro corrente do mês vai para o pagamento de dívidas. Nós já sabíamos que o ano de 2012 seria um ano de “pagamento de dívidas” para a gente mas, mesmo com a situação controlada, ficar durante tantos meses pagando parcelas de coisas dá um certo desânimo. Por esse motivo, quis escrever este post sobre o controle das nossas finanças (e das suas, por que não?).

Avaliando a situação

O primeiro passo é saber quais são as nossas finanças para começar a pensar em soluções. Colocar em uma planilha as receitas, as despesas fixas e as despesas variáveis já é um bom começo. Anotar o que é gasto no dia-a-dia também é bom, mas é extremamente difícil ser disciplinado quanto a isso. Eu baixei um aplicativo no iPhone que serve para controlar os gastos, e ele me serve bem. Mas, no geral, podemos esquecer de usar sempre. Se você conseguir ter o hábito de anotar tudo o que gasta, ponto para você. Isso é importantíssimo para ter uma noção verdadeira de todos os gastos que temos. Outra forma de controlar é usar somente o cartão de débito para pagar tudo e tirar um extrato mensal para analisar. Ultimamente eu tenho achado mais fácil fazer assim.

O segundo passo é estabelecer metas. Se você tem dívidas, veja quantas parcelas faltam para terminá-las. Se é uma dívida já acumulada, consulte o seu banco para negociar acordos. Com esses dados em mãos, você poderá estabelecer um planejamento financeiro.

Estabelecendo um orçamento

Ter uma planilha de gastos ajuda a montar um orçamento. Já fiz todo tipo de planilha e cheguei à conclusão que o que funciona melhor em todos os casos no dia-a-dia é simplificar o máximo possível. Se você tem uma planilha com suas receitas, gastos fixos e despesas variáveis, fica fácil calcular quanto sobra de dinheiro todo mês.

Se você ganha mais do que gasta, pode utilizar esse dinheiro para quitar dívidas mais longas. Se você não tiver dívidas, pode guardar o dinheiro na poupança ou fazer investimentos.

Se você gasta mais do que ganha, vai ter que anotar tudinho que você gasta para saber para onde está indo o dinheiro e estabelecer os cortes necessários. Suponhamos que você gaste R$15,00 por dia de trabalho para almoçar. Multiplicados por 20 dias úteis, isso dá R$300,00 por mês. Um bom dinheiro, não? Se você começar a levar comida de casa para o trabalho, economizará muito.

Teve uma época em que meu marido e eu estávamos viciados em pizza. Mas assim, viciados mesmo, de pedir delivery de três a quatro vezes por semana. Se você calcular que uma pizza + refrigerante custam por volta de 25 ou 30 reais, já podem imaginar o enorme gasto desnecessário que nós tínhamos. Desde que nos mudamos, nunca pedimos pizza. Se estivermos com vontade, compramos a massa no mercado e fazemos em casa. Gastamos muito menos e comemos muito mais (quer dizer, meu marido, porque eu não como mais massas).

Sempre existem formas de economizar. Quando eu percebi que precisava comprar roupas novas para o trabalho, montei uma planilha e estabeleci um orçamento mensal para ir comprando aos poucos. Isso tem me ajudado muuuito e permitido que eu não gaste sem objetivos quando vou comprar roupas. Também estabeleci um limite de gastos para os meus livros e levo comida para o trabalho.

Uma vez estabelecido seu orçamento para todas as coisas da sua vida, atenha-se a ele. É claro que existem exceções, mas que sejam exceções, e não hábitos malignos de compra.

Pagando contas

Eu prefiro pagar todas as contas no começo do mês, quando cai o meu salário, mesmo que elas vençam lá na frente. Como nem todas chegam ao mesmo tempo, vou somente uma vez por semana ao banco e pago as que já chegaram. Eu costumava pagar todas pela Internet até o meu banco bloquear meu acesso ao Internet Banking por motivo algum (obrigada, banco!), mas é bom ir até a agência pois consigo organizar melhor meus comprovantes.

As contas que chegam eu deixo na minha caixa de saída e, no dia de ir ao banco, levo todas elas. Depois de pagar, elas vão para a aba do mês em questão na minha pastinha de contas pagas, que tem 12 divisórias.

Apesar de muitas pessoas utilizarem o serviço de débito automático (e eu não nego a praticidade desse recurso), eu prefiro controlar mais de perto o que estou pagando justamente para saber quanto dinheiro está indo embora. Com o débito automático eu tenho a impressão que o dinheiro vai indo e, quando você vai conferir o seu saldo, leva um susto.

Organizando documentos, recibos etc.

Eu tenho um pequeno envelope de plástico na bolsa onde guardo todos os meus recibos de débitos e de outras compras. Uma vez por semana, quando organizo a minha bolsa, eu vejo o que é para jogar fora e o que eu preciso guardar por qualquer motivo (trocas, por exemplo). Esses vão para a mesma pasta de pagamento de contas, com 12 divisórias. Algumas pessoas preferem organizar por categorias. Como as categorias são infinitas, achei que, para mim, organizar por anos e meses funciona melhor.

Eu também percebi que uma das melhores coisas de organizar a papelada das finanças é a simplificação do processo de declaração do imposto de renda. Quando chega a época, já tenho tudo pronto.

Quando eu paro para avaliar a nossa situação financeira atual, vejo que ela não é muito boa. Tudo bem, pagamos todas as nossas contas em dia, não falta nada em casa para o nosso filho e podemos nos dar certos luxos, como ter tv a cabo. Mas não temos carro, por exemplo, e precisamos comprar móveis parcelados por não ter como pagar sempre à vista. Também gostaria de investir em uma previdência privada para todos nós, mas eu sei que o ano que vem será mais tranquilo e nós poderemos nos planejar melhor quanto a isso.

E vocês, como avaliam a situação financeira atual? Amor ou pavor?

47 comentários

  1. Oi Thais!

    Muito legal seu texto! Vai ajudar muita gente a se conhecer financeiramente!

    Eu uso um serviço gratuito* do banco que me avisa , pelo celular, sobre tudo que acontece na minha conta. Recebo, 2x ao dia, SMS’s avisando do saldo da conta corrente e em quanto já está a fatura do meu cartão de crédito.. Ajuda bastante a ter real noção de quanto temos DE VERDADE e quanto podemos gastar.

    Boa sorte, vai dar tudo certo pra você!É só perceber quanta gente te manda energias positivas!

    Bjs!

    *gratuito naquelas, né?já tá incluso no pacote obrigatório…

  2. Oie..

    acredita que semana passada tava aqui no seu site procurando uma planilha de orçamento?…a coisa ta meio feia esse mÊs hehehe…e ao contrário da maioria que gasta com roupas….meu gasto é com comida…comida e comida…gosto de ir a lugares bons e caros..pra comer…e em casa gosto das comidas com as melhores marcas…enfim..por isso estou pobre e acima do peso..humft..

    Beijocas e gostei das dicas

  3. A dica de anotar TODOS os gastos é excelente pra quem está com a situação descontrolada e não sabe onde o dinheiro está indo. Quem nunca viu sobrar mês no final do salário e não conseguiu entender pra onde o dinheiro foi?? Já fiz isso de anotar até os centavos no passado e me ajudou a ver onde havia gastos desnecessários que podiam ser ajustados.

    Aqui em casa eu e o marido somos beeem TOC. Temos planilha de orçamentos e metas de quanto pode ser gasto com comida, lazer etc por semana. Aqui a gente tem sistema paperless de contas. Acho mais prático e ecologicamente correto. Nunca nunca vamos ao banco, tudo é debitado automaticamente ou pago online, mas mantemos o controle por internet banking, não tem sustos. Eu acho o sistema aqui mais fácil de evitar dívidas que no Brasil, pois quase não se usa cheque e poucas lojas dividem em várias vezes. A única maneira de fazer dívida é com cartão de crédito, mas a gente prefere juntar por meses e comprar a vista.

    Mas entendo que nem sempre é possível e acho que o sistema de organição por cômodos que vcs fizeram muito inteligente. E relaxa quanto ao carro, se eu fosse vc esperava estar com tudo quitada porque carro sempre traz gastos adicionais e imprevistos.

    Bjos

  4. Oi, Thais, também faço como você, pago todas as contas assim que recebo meu salário. Eu pago pela internet, e organizo os comprovantes da seguinte forma: abri uma pasta no computador com o nome COMPROVANTES, separei por ano, e cada ano, por meses. Aí salvo o comprovante de pagamento com o nome da conta (luz – ago 2012).
    Também não gosto do débito automático.

  5. Não fica triste não. Também sou assim… Até hoje não comprei um carro só com o meu dinheiro, sempre meu marido precisa ajudar, apartamento então… Este ano estou tentando me controlar, lendo sobre finanças pessoais, tentando me organizar. Adoro comprar livros também, principalmente para os meus filhos. Este ano estou lutando contra a balança (lendo livros sobre saúde, dieta,alimentação,exercícios físicos, etc) e contra o consumismo (lendo tudo sobre controlar as finanças pessoais, como usar cartão de crédito, etc). Gostei muito dos seus posts sobre o estilo minimalista. Suas dicas são sempre muito boas…

  6. Estamos vivendo uma época em que se fala muito nisso, em economizar; fazer planejamento para a aposentadoria; sair do vermelho; controle, etc. Isso é muito importante. Por isso estou me esforçando para me disciplinar. Na vida a disciplina é muito importante. Gostei muito dos livros do Gustavo Cerbasi: Pais inteligentes enriquecem seus filhos e Casais inteligentes enriquecem juntos.

  7. Estou usando há 2 meses um sistema gratuito (Jimbo) que baixei do site http://www.meubolsoemdia.com.br e estou gostando pois tenho ideia como está meu orçamento e como estão as previsões para os próximos meses. Estava precisando muito de algo assim, pois já tinha o hábito de usar uma planilha que criei no excel, entretanto, nela apenas ia colocando as entradas e saídas e obtendo um saldo… não dava para fazer planejamento, só saber quanto ainda tinha de dinheiro disponível no mês. Agora consigo ver em que gasto mais, onde deveria gastar menos… vi que gasto muito com saúde (tratamentos da minha filha), mas que isso não dá para cortar. Vi também que gasto muito com presentes (são muitos mesmo!), mas isso não sei como diminuir. Quem tiver sugestões de presentes legais, especiais e baratinhos me conta!!
    Enfim, minhas finanças estão organizadas, mas preciso fazer alguns ajustes para usar melhor meu dinheiro. Ah, nesse site que falei acima, tem várias matérias bem legais sobre assunto.
    Adoro seu blog, Thais! Parabéns!

  8. Eu posso dizer com muita felicidade que estou passando do “pavor para o amo”. Sou exemplo de que quando a gente quer a gente consegue se organizar. eu concordo com os estudiosos que dizem que o brasileiro começa se endividar quando assinam a carteira de trabalho, quando comecei a trabralhar com 16 anos, a primeira coisa que fiz foi uma continha de crédito em uma loja perto de casa. Nem havia passado o contrato experiencia e já possuia dividas. Como finanças nunca foi um assunto em pauta na minha casa, levei muito tempo para a prender a usar dinheiro, com 18 anos, ganahva algo em torno de 450,00 e tinha um boleto mensal de 396,00 da faculdade para pagar, eu ganhava 100,00 de ajuda do meu pai e tinha que me virar nos 30, para os meus gastos pessoais com o que sobrava.
    Mas penso que no fim das contas 2011, foi o meu melhor aprendizado, meu noivo e eu decidimos comprar uma casa, a entrada era de 20mil reais e o que possuiamos efetivamente não chegava a metade do valor, mas obstinados juntamos o valor. Hoje nossa casa está lá, linda e maravilhosa com seus moveis de ótimo padrão de marcenria, ainda estamos nos processos de quitação das contas parceladas, mas estas tbm estão nos ‘finalmentes”, eu me “apertei” de tal forma pra dar conta das “dividas” que oje estou sabendo usar melhor meu dinheiro. Meu objetivo hoje é guardar para um carro e para o casamento, mas tudo isso sem “neurose”, pois como meu noivo tem um carro e meus dois trabalhos são consideravelmente próximos de casa, não vejo o carro como urgencia, por hora, seria um “luxo” e caro digasse de passagem. Na verdade estou focada mesmo em poupar, dias atras vi na televisão, um especialist em fianças falar que temos que ter o equivalente a 6 meses de salário guardado para não ter grandes sustos, então estou trabalhando nisso. Eu anoto exatamente todos os meus gastos, estou tentando pagar tudo a vista, mas essa é a parte mais dificil. Neste sentido estou muito orgulhosa de mim, estou evoluindo e acredito que a idade e o fato de me desapegar filosoficamente de certas convenções sociais tem me ajudado muito. E como disse ao meu pai essa semana, entendo pq pessoas que trabalham muito tem dinheiro, (pq estou trabalhando 12h por dia) pq não tem tempo pra gastar o $$$. Meu problema continua mesmo sendo organizar minha rotina Thais, está tudo definitivamente virando um caos. Mas espero em breve ter boas novas sobre.

  9. Quase não comento, mas passo aqui todo dia.
    Então, em casa temos um controle financeiro até bem rigoroso. Anotamos tudo que gastamos e tudo que entra de dinheiro numa planilha de excel. Tb temos controle pela conta do banco e pagamos as contas pela internet. Só vou ao banco mesmo qdo tenho que fazer algum depósito ou tirar folhas de cheque.
    Tenho um apartamento e carro (1 p/ os 2), mas em geral vou p/ o trabalho a pé mesmo (economizo na gasolina e ainda não engordo). Estamos juntando um dinheiro para tentar comprar um apartamento melhor (em média poupamos 30% a 40% do nossos salários).
    Mas não é fácil, são muitas privações para conseguir atingir nosso objetivo.

    • Eu me chamo Maria José, eu sou uma pessoa muito cautelosa, só gasto com forme eu posso pagar. Ex: tenho, tenho cem reais em mãos, só gasto cinquenta e guardo o restante e só pago as contas em dias, pra não pagar juros. E também só compro avista pra te descontos, assim!! e gosto muito de promoções. Sempre tenho dinheiro em caixa. Por que se o meu patrão atrasar meu pagamento eu tenho como arcar com minhas despesas, e esperar o pagamento sair. Estou sempre tranquila.
      Esta é minha dica

  10. Sempre fui muito organizada com dinheiro. Por causa disso, nunca passei aperto e sempre pude (depois de ter todas as contas mensais pagas) atender disposta a qualquer convite para um passeio ou coisinhas extras (eu sempre ganhei normalzinho, não tenho “salário dos sonhos”). Mas quando olho para o passado e para a poupança no presente, me vem exatamente a frase que Thaís postou hoje: “Poxa, eu ganhei dinheiro esses anos todos. Onde ele foi parar?”. Tenho uma poupança até razoável, fruto de ANOS de economia. Mas todos nós sabemos que gastar é muito mais fácil que juntar. E quando a zona de receita entra em perigo de ser extinta (o desemprego à porta) aí é que bate o arrependimento de não ter juntado mais e mais e mais.

    Anotar os mínimos gastos faz sim uma diferença incrível no orçamento. Estabelecer metas tb é um bom recurso porque é como uma prestação de contas que te impulsiona. Este ano estabeleci uma meta financeira para até o fim do ano. Espero conseguir cumpri-la. Ainda falta uma quantia considerável e eu temo não conseguir, mas tenho me esforçado e espero em Deus ser abençoada para chegar lá. Beijos.

  11. Eu estou no processo de pavor para amor. Sempre fui consumista, tinha paixões que não me deixavam guardar. Mas agora, com muito sacrifício e organização, estou vendo a luz no fim do túnel. Para mim o que tem ajudado muito é ter metas, sonhos. Economizar por economizar não acontece (ainda) comigo, mas economizar por algo que se quer muito fica bem mais fácil.
    E foi ótimo ler esse texto bem no dia em que voltei a trazer marmita pro trabalho. É um economia absurda, fora que evita consumo excessivo de gordura, óleo, se sabe que a salada é sim bem lavada, e ainda ajuda na dieta. Já fiz antes, e recomendo pra todo mundo.
    Beijos!

  12. Oi Thais. Escrevi algo no meu blog sobre seu blog e você. Espero que não se importe de eu usar alguns conselhos seus nele. Não tenho nenhum seguidor mesmo.kkk E é tudo redirecionado para o seu blog viu. Deixando bem claro que você escreveu. É mais pra mim. Para ter uma organização e tirar melhor proveito dos seus conselhos. Espero que goste. Se tiver algum problema ou conselho…. me fala tá. kkk Brigado. Adoro cada dia mais seu blog.

  13. Gosto muito das dicas do Mauro Halfeld também. Realmente, devemos ter o controle das finanças para não perdemos a qualidade de vida. Claro, existem momentos que não temos como fugir das dívidas (situações de emergência, compra de um bem mais caro etc).Outra coisa que faço, evito ao máximo ir a shoppings.

    Bjs
    Ana

  14. Eu nunca fui muito disciplinada com relação ao dinheiro, sempre gastei tudo que ganhei, quando entrei na faculdade bateu o desespero, eu ganhava o suficiente para pagar a faculdade e custear os gastos (livros, transportes) não nasci em berço de ouro, por isso só podia contar com o meu dinheiro, renegociei minhas dívidas, a maioria da loja de roupa que eu trabalhava, apertei o cinto, passei a levar comida todos os dias, andava de ônibus e apertei o cinto, resultado, consegui me formar e de quebra ainda comprei uma moto, agora a meta é construir minha casa!

    • Camila, minha situação sempre foi parecida com a sua. Minha família não é rica, eu paguei a faculdade e me virava com todo o resto, sempre trabalhei para pagar todos os custos e dificilmente sobrava alguma coisa. Minha meta agora é comprar o carro e, depois nosso apartamento. =)

  15. Oi, Thaís!
    Quanto à previdência privada, veja se não vale mais a pena investir na poupança ou em outra coisa…não entendo muito de economia, mas 2 conhecidas minhas tiveram uma péssima surpresa com a cobrança dos impostos na previdência privada…beijos!!

  16. Olá Thais!
    Como já referi num comentário que fiz há uns dias, sou uma recém-formada em Educação de Infância e neste momento encontro-me desempregada. Aliás, ainda não tive o meu primeiro emprego! 🙁 Ainda assim, não me encontro totalmente parada, pois sempre que surge a oportunidade vou ganhando um dinheirinho (por exemplo, faço bijuteria e vendo a pessoas amigas e conhecidas). Confesso que não é muito, mas para as minhas coisas vai dando, juntamente com outros “trabalhinhos”.
    Apesar de ainda não ter encargos financeiros (contas para pagar mensalmente), de há uns tempos para cá dei por mim a pensar que se organizasse e gerisse melhor o meu dinheiro (por pouco, e incerto, que fosse), hoje poderia ter uma quantia razoável posta de lado. Neste sentido, este mês decidi que tinha que gerir melhor o meu dinheiro, pois quero começar a poupar (nem que seja uma quantia irrisória) e, acima de tudo, controlar-me na hora de comprar/consumir. A estratégia que estou a utilizar, desde o início do mês de agosto, é escrever todas as despesas diárias que vou tendo (nem que seja um café) e todo o dinheiro que vou recebendo. Confesso que ao olhar para a lista das despesas que já fiz do início do mês até agora, me assustei. Já gastei mais do que o que queria gastar e isso faz-me pensar que até ao fim do mês tenho que gastar o mínimo possível. A próxima tarefa será ver as despesas, uma por uma, e deixar de lado aquilo que não é um bem necessário, como por exemplo a compra de mais um par de sapatilhas. Também vou seguir o se conselho, Thais: vou estabelecer um orçamento com as minhas receitas e as minhas despesas fixas e variáveis. Espero que brotem frutos! Pelo menos, sinto-me animada! 🙂
    Obrigada Thais, por estas dicas tão úteis.

  17. Olá Thais, sempre fui controlada com os meus gastos, sempre procurei economizar, porém financiei minha casa própria(que era meu sonho) e agora ando numa fase consumista, pois quero deixar ela lindinha. Ando gastando muito com a decoração, é tudo tão caro, mas penso que era isso q eu queria muito, ter minha casinha. Tento ir devagar, mas sou um pouco ansiosa e quero ter tudo logo. Espero que seja só uma fase mesmo! Adoro seu blog!

  18. Atualmente minha situação financeira está mais de amor do que pavor..rsrs
    há alguns tempos atras eu estava totalmente “enforcada” (isso que sou formada em ADM..rs) no entanto q ainda tenho dívidas e restrições no nome (infelizmente)…. porém eu preferi olhar pelo lado bom (se é que tem) de ter o nome “sujo”, a maioria das coisas que comprei teve q ser a vista por não ter crédito no mercado e isso me ajudou e muito a não fazer mais dívidas a longo prazo e assim fui diminuindo uma a uma… agora são as fixas msmo como água, luz, TV, mercado e carro que graças a Deus termino em dezembro de pagar, porém já estou tentando renegociar dívidas passadas pra trocar ele no começo do ano, tenho uma planilha no excel tmb com todos meus gastos, mas quero melhorar esse meu lado e passar a anotar tudinho o que gasto pra poder controlar um pouco mais, atualmente marco as q vem boletos msmo… é muito bom se sentir no controle das dívidas… antes eu parecia refém delas… tinha q “sortear” o q pagar.. pessoas me ligando cobrando, nunca tinha dinheiro pra nada.. horrível essa sensação, aconselho a todos passar a marcar suas contas, além de poder controlar elas não ter o perigo de esquecer de pagar alguma e acabar pagando juros desnecessários né…
    bjinhus Thais…

  19. SITUAÇÃO PAVOR TOTAL…kkk
    Bom Thais, sou recém casada. Ha 8 meses eu e meu marido paramos para analisar. Só ele estava trabalhando e sempre tínhamos um dim dim agora que eu começei a trabalhar não sobra dinheiro para nada. Organizei a minha planilha (pois o modelo antigo não estava funcionando) e ando com uma caderneta na bolsa anotando cada centavo que gastamos.
    E como eu e ele somos compulsivos andamos com R$0,00 na carteira. Dinheiro fica em casa guardado assim se precisamos comprar algo, pensamos duas vezes se realmente é necessário.
    Estou acabando um curso de manicure para complementar a renda.. o objetivo é carro e casa. Temos que nos planejar muito pois já temos duas filhas… E queremos mais!!! rs*
    Tudo é muito bem calculado… supermercado, feira, tudo tudo…
    Mais guardar e organizar é um exercício… antes todo dinheiro que eu pegava eu gastava (até sem ter) e agora virou um habito guardar tudo…
    ORGANIZAÇÃO é a solução pra muita coisa…

    Parabéns pelo Blog… Amei ♥

    Bjos…

  20. Eu gosto de pensar que eustou saindo do pavor esse mês, mas olha, foi radical. Tb passei a trazer comida pro trabalho, cortei a diarista (que era meu único luxo e é do que eu mais sinto falta, rs), controlei os gastos ponto a ponto, e este mês, paguei o que me restava de dívidona (parcelona)!! Aeee. Só sobraram umas parcelinhas que não apertam, e acabam todas em novembro Aeeeeeee. Mas isso tudo foi um processo meio dificil pra mim, pq eu tb não nasci em berço de ouro, e na faculdade eu era super ultra regrada (vivia com nada e ainda tinha poupança, como????). Mas eu caí na armadilha do aumento de padrão de vida: o salário aumentou e eu comecei a gastar como se tivesse mais do que eu tenho. Mas enfim, controlada. Eu tenho 2 sugestões pra quem está no processo:

    1- Quem é cliente Banco do Brasil, eles têm o Gerenciador Financeiro Pessoal (fica na abinha minhas finanças no internet banking), que é a melhor planilha de controle da terra, pq todos os seus gastos, débito, credito, saque, já estão registrados lá, vc só tem que categorizar (e vc pode personalizar categorias, mas eles já te entregam um monte prontinha!). E o orçamento tb é todo automatiquinho, uma beleza!

    2- Leiam “As dicas de economia domética de um ex rico” do Alex Castro http://www.interney.net/blogs/lll/2009/03/08/economia_domestica1/. Principalmente para quem tá atolado, é bem útil. Essa série, junto com a “Prisão Dinheiro” me ajudaram muito a tomar conciência sobre um monte de gastos desnecessários que eu tinha e nem achava desnecessário. É claro que pode ser um extremo para algumas pessoas (a maioria, rs), mas vale como inspiração, mesmo para quem não quer se tornar um completo minimalista. 🙂

    bjs

  21. Ei Thais! Eu descobri uma forma ótima de controlar os gastos, porque já tentei planilhas, aplicativos, caderninhos…e nada deu certo! Sentia que faltava algo palpável que me desse mais controle e fosse mais organizado!

    E foi aí que eu tive a ideia de comprar um mini fichário…nele já coloco as divisórias do mês e se caso eu quiser incluir alguma conta que fiz..ou algo que surgiu pra pagar, é só incluir a folha. Não vai ser igual ao caderno, que sempre separava duas páginas pra incluir tudo e acabava querendo usar mais de uma e não podia porque já estava pro outro mês.

    Em uma dessas folhas, a primeira, no caso, eu colei a planilha de gastos fixos, que sempre vou me guiar por ela.

    Estou muito satisfeita com este novo uso e indico pra todos.
    Vou fazer um post no meu blog sobre o fichário e te falo, porque aí vou ter fotos!

    Bjos!

  22. Oi Thaís gosto muito desses textos de incentivo a controle financeiro.
    Minha situação tá tranquila, não tá sobrando muito dinheiro mas tá tudo em dia, graças a Deus. Mas já fiquei atolada e com nome sujo, o que é horrivel! Só o que está mais dificl efetivamente e poupar. Tive um monte de coisas esse ano que me impediram só me resta me organizar agora para ano que vem poupar todo mes.

    Já tem uns dois anos depois que limpamos nosso nome e conquistamos credito de novo, percebi as facilidades dos cartões de credt e de lojas, eles são uma tentação… De um ano pra cá já paguei 400, 500 e até 700 e poucos reais em fatura. Até que vi que estava demais e comecei a contolar. Até que meu cartão baixou pra 150,00 mes passado. e na proxima fatura vai vir menos ainda.

    tbem mudei, não de cidade, de Estado e por aqui o RN Natal o transporte é dificl, a passagem e cara, sem falar na demora dos onibus. Em vitoria ES, de onde eu sou não tinha esse problemas qualquer um vive bem sem carro por lá. Eu nem sentia falta. Tem terminais que vc roda toda a cidade e paga só uma passagem, e tem onibus direto.

    DAÍ meu esposo decidiu financiar um carro, no começo na queria, tinha medo das prestações, mas depois vi que o que gastava com o cartao era uma prestação de carro, então desencanei.
    Pois foi um invetimento. Mesmo pagando as prestações, que ficaram ao nosso alcançe, vou guardar, fazer uma poupança
    Prentendo zerar minhas contas em lojas e passar a comprar a vista nas promoçoes. O decimo vou adiantar as parcelas do carro.

    Foi uma vitoria pra gente mas sem o minimo de controle na conseguiriamos.

    bjo Thais

  23. Maravilhosas as suas dicas e a dos comentários tb.
    Estou super endividada, mas é com o credito consignado. Ainda por cima minha família e eu tivemos que reformar nossa casa. Mas tenho certeza que com muita força de vontade vou conseguir zerar minhas contas.
    Seu blog é visita obrigatória todos os dias 🙂

  24. Oi, Thaís! Adorei o post. Ultimamente dei uma parada e reduzi minha carga de trabalho. Sou professora e em dezembro do ano passado eu e meu namorado fomos morar juntos. Tive a sorte de ele ser mais velho do que eu e MUITO econômico, inclusive me influenciou positivamente nesse sentido…rs Construiu a casa aos poucos e quando ficou pronta a gente casou, então não temos a preocupação do aluguel. Ainda faltam muitas coisas, como luminárias e armários, mas vamos nos virando. Ele não é sovina, mas valoriza cada centavo do dinheiro suado de todo mês e nunca compra por impulso. Só isso já me serviu de exemplo. Como eu estava trabalhando em um ritmo alucinante consegui guardar um pouco de dinheiro, o suficiente pra me salvar de um aperto repentino. Quando saí do meu antigo emprego (antes de me tornar professora), consegui quitar meu carro com a rescisão, então minhas contas são apenas aquelas de todo mês, que aqui em casa a gente divide. Estava sobrecarregada de trabalho e depois das férias de julho saí de uma das escolas onde trabalhava pra ter mais tempo pra casa e pra me reorganizar. Isso foi MUITO bom, mas só foi possível com a disciplina de poupar. Consegui parar pra definir melhor minhas prioridades e agora posso aumentar um pouco minha carga de trabalho, já que as dicas de organização daqui do blog estão sendo muito úteis pra mim!
    Quanto ao seu consumismo por livros, acho que se existe um consumismo bom, É ESSE! 🙂 Bjos!

  25. Olá pessoal! Muito bom o blog e o tema. Sou muito regrada financeiramente mas quando o assunto é dinheiro, o problema é a divergência de visão entre meu marido e eu. Como vocês dividem os compromissos financeiros? Agora que ele está desempregado, este ponto está mais sensível ainda.
    Thaís, parabéns pelo blog! Bjos

  26. Ótimo post, adoro ler sobre finanças!
    Também adoro comprar livros mas esse ano não comprarei mais nada antes de terminar de ler todos os que tenho. São uns 15 na fila.. muita coisa, né?
    Procuro usar planilhas, mas alguns meses o controle fica mais relaxado, então também uso um caderno para anotações de gastos diários.
    Além dos livros do Cerbasi, gostei muito do “12 meses para enriquecer – O Plano da Virada”, livro bem didático para quem não gosta muito de números!
    Tenho minhas metas traçadas, só preciso me policiar para que tudo ande como planejado!
    bjs,

  27. Oi Thaís, td bem?

    Me diz uma coisa: na sua pastinha de contas, aonde vc coloca os boletos (como internet, prestação, sei lá) q se repetirão ao longo de vários meses?

    Minha pastinha está por categorias, como já comentei antes, mas nos últimos 2 meses ela deu uma bela desorganizada (estou um pouco ausente por causa do doutorado e o mareedo simplesmente não coloca as contas no lugar), daí pensei em reestruturar o modelo, pra ver se funciona melhor.

    Bjo!

    PS: Não gosto dos posts de cardápio, sorry! 😉

  28. Olá Thais!!!
    Leio seu blog há algum tempo e venho tentando aplicar suas dicas pra organizar minha vida!!! E vou te confessar: é um desafio e tanto!!!
    Como a gente pode ser tão organizada em determinado assunto e tão bagunçada em outros aspectos??? No meu caso, é pura falta de vergonha na cara!!! rssss
    Sou EXTREMAMENTE organizada com dinheiro e no meu trabalho…já minha casa!!!! rsssss Bom, em vista do que eu era, posso dizer que progredi, mas ainda falta muuuito!!!
    Enfim, resolvi escrever pois tenho uma dica para compartilhar com quem tem dificuldade de guardar dinheiro: em 2007, decidi que queria comprar uma casa, mas eu ganhava tão pouco e não tinha como viabilizar esse sonho!!
    Foi ai que montei minha própria planilha (que mantenho até hoje!) para ver com que eu realmente gastava meu salário.
    Eu deixo projetado, pelo menos, os 6 próximos meses, incluindo como dívidas todos os aniversários, datas comemorativas, feriados (pois esses gastos estouram qualquer cartão de crédito) e uma dívida que apelidei na planilha de SONHO. Tratava como dívida fixa a transferência de uma certa quantia para minha poupança.
    Se você for descontrolada com seus gastos, abra sua conta em uma agência beeeeem longe de sua casa, não tenha acesso a ela via internet e quebre o cartão, para evitar saques em um momento de desespero.
    Comecei com uma quantia aparentemente irrisória, mas que cabia perfeitamente no meu orçamento, e fui aumentando aos poucos. Não importa a quantia e sim o compromisso de destinar o dinheiro. É preciso começar por algum lugar e com metas paupáveis.
    Hoje tenho minha tão sonhada casa. Não consegui comprá-la à vista, porém fiz um financiamento em bem pouco tempo…
    E é como você sempre diz, para se organizar, tem que começar. Os quinze minutos por dia ou os R$15,00 mensais, farão a diferença.

  29. Thais, será que existe síndrome da pessoa desorganizada?! Dificilmente eu consigo me ater a uma rotina, tenho repulsa a rotina, mesmo que eu queira seguí-las, tento fazer as coisas certinho mas é complicado… Agenda quase nunca utilizo, minha organização depende daquilo que vejo, tudo quanto eu precisava fazer eu colocava em um papel grudado no armário, e aí eu fazia, na agenda quase nunca dava certo…

    Enfim, seu puder fazer um manual do SOS pessoas desorganizadas/sem rotina eu ficaria grato, se puder bolar um jeito sem rotina, melhor ainda! =)

  30. Bom dia Thais. Amo seus posts.
    Sou filha de economista: daqueles que nunca tem dinheiro e de repente compra uma casa à vista. Ajudou todos os filhos com faculdade e deu de presente um carro pra cada filho que se formou, mas sou diferente dele. Sou autônoma, minha renda não é fixa, não sei onde gasto meu dinheiro (geralmente em bolsas e perfumes) e só viajo de ônibus pra economizar a manutenção do carro que não é novo.Embora eu seja bem light quanto ao futuro fico triste em saber que alguém com a metade da minha idade tem o dobro da minha renda, carro novo (comprado com seu suor) e poupança e eu por comodismo, não mudo minha situação…

  31. Thais, já estive no pavor por causa de imprevistos, agora estou no amor. Meu fraco é rotina, mas com finnças me entendo bem.
    O que funcionou pra mim:
    – O primeiro e melhor investimento é quitar dívidas.
    – Data de vencimento é o último, e não e único, dia para pagar.
    – Quando possível, uma dívida de cada vez.
    – Escolher o mínimo de parcelas que puder pagar, e acabar logo com elas.
    – Usar só dinheiro por um tempo, para sentir o prejuízo na hora.
    – Passar longe do motivo do consumismo.
    – Trocar refrigerante por refresco, mais saudável e mais barato.
    – Olhar o extrato bancário toda semana.
    – Ando de ônibus, mas a casa tá paga.
    Espero que te ajude um pouquinho.
    Boa sorte!
    Bjs

  32. Thais, conheci o seu blog, justamente porque estava procurando dicas sobre orçamento doméstico e, o google me ofereceu uma matéria sua. Eu também não me dou bem com as finanças, engravidei quando ainda estava na faculdade (eu e o meu marido)e aí, não podíamos contar com nossos pais, alugamos um apartamento e compramos tudo, e fazendo faculdade, conclusão: nos individamos muuuuuito. Hoje, oito anos depois, nossa situação está controlada, mas ainda temos muitas dívidas inclusive dois empréstimos que foi nosso maior erro, pois além de pagar muito juros, ainda não conseguimos nos livrar.
    Contudo, aprendemos que o planejamento e, ter certeza exata de quanto se ganha e se gasta, é fundamental para a “saúde” financeira do casal.
    Beijo.

  33. Olá Thaís,
    Sou sua fã e leio todos os seus posts pelo Reader do Google. Sou adepta da planilha de gastos e a minha funciona assim:
    Anoto todos os gastos, fixos, variáveis e mais a aplicação em poupança (um valor fixo mensal que considero como despesa já que o débito é automático no Banco). Tenho uma coluna na planilha, dos gastos com cartão de crédito também. Quando compramos algo no cartão, já lanço na planilha e assim sempre sei o quanto já gastamos naquele mês. Pagamos sempre o valor total da fatura. Fundamental.
    Todos as nossas contas estão no débito automático, até os cartões de crédito e quando temos algum boleto pagamos pelo Internet Banking. Super mão na roda.
    Deixo a planilha pronta para o ano inteiro e vou só lançando alguma despesa eventual ou alguma receita extra. Dessa forma consigo visualizar se vamos poder fazer aquela viagem, gastar com algo que queremos ou se temos que apertar o cinto em algum momento.
    Outra estratégia é pagar aquelas contas de começo de ano, á vista. Sabe, IPTU, IPVA, seguro de carro, essas coisas. A poupança que fazemos já é prá isso.

  34. Minha querida Thais, (permita-me chamá-la assim)
    Vc tem me ajudado muito (os quinze minutos para fazer algo, as tralhas, a organização, entre outras). Tem sido muito útil. Leio seu blog todos os dias e resolvi contribuir com uma opinião já que sou “especialista” em finanças pessoais., de economizar cafezinho
    Depois de muito ler e tentar praticar as inviáveis planilhas de anotar tudo, de economizar cafezinho, desenvolvi o meu próprio método, que é útil para uma pessoa comum.
    1)Tenho uma pasta para colocar todas as contas a pagar.
    2)Tenho uma oasta para cada tipo de conta paga. Ex: uma pasta para conta de água, outra para o condomínio, conta de luz e assim por diante.
    3)Essas pastas as mantenho dentro de uma caixa arquivo que custa em torno de R$ 2,00
    4)Fiz uma planilha com todos os meus gastos fixos: agua, luz, telefone, prestaçao de lojas,condomínio, etc…
    5)No dia que recebo o ssalário, desconto o valor constante das despesas conforme a planilha. O que sobra divido pelo numero de dias até o próximo salário e esse valor é o que tenho para gastar diariamente.
    6)Portanto, se te encontrrar algum dia, não economizarei o cafezinho, pois está incluído na minha qualidade de vida poder tomar um café com uma pessoa que tem me acrescentado muito na minha vida.
    7)Eventualmente posso gastar mais que o valor diário, porém desconto nos dias seguintes.
    8)tentei te mandar o modelo de planilha, mas infelizemnte não copiou aqui.
    9) Encerrando, é bem prática e a uso basicamente uma vez por mes.
    PS> Nas “despesas”tem um item Poupança, que deposito pra ir juntando algum
    Espero ter contribuido

    Roberto Cunha

  35. Minha querida Thais, (permita-me chamá-la assim)
    Vc tem me ajudado muito (os quinze minutos para fazer algo, as tralhas, a organização, entre outras). Tem sido muito útil. Leio seu blog todos os dias e resolvi contribuir com uma opinião já que sou “especialista” em finanças pessoais.,
    Depois de muito ler e tentar praticar as inviáveis planilhas de anotar tudo, de economizar cafezinho, desenvolvi o meu próprio método, que é útil para uma pessoa comum.
    1)Tenho uma pasta para colocar todas as contas a pagar.
    2)Tenho uma pasta para cada tipo de conta paga. Ex: uma pasta para conta de água, outra para o condomínio, conta de luz e assim por diante.
    3)Essas pastas as mantenho dentro de uma caixa arquivo que custa em torno de R$ 2,00
    4)Fiz uma planilha com todos os meus gastos fixos: agua, luz, telefone, prestaçao de lojas,condomínio, etc…
    5)No dia que recebo o ssalário, desconto o valor constante das despesas conforme a planilha. O que sobra divido pelo numero de dias até o próximo salário e esse valor é o que tenho para gastar diariamente.
    6)Portanto, se te encontrrar algum dia, não economizarei o cafezinho, pois está incluído na minha qualidade de vida poder tomar um café com uma pessoa que tem me acrescentado muito na minha vida.
    7)Eventualmente posso gastar mais que o valor diário, porém desconto nos dias seguintes.
    8)tentei te mandar o modelo de planilha, mas infelizemnte não copiou aqui.
    9) Encerrando, é bem prática e a uso basicamente uma vez por mes.
    PS> Nas “despesas”tem um item Poupança, que deposito pra ir juntando algum
    Espero ter contribuido

    Roberto Cunha

  36. nooossssaaaa como as pessoas escrevemmmm…. queria ter tempo pra ler tudo, vale ler as experiencias de outros, aprender de erros, de acertos,
    aqui nós vivemos nos equilibrando…. eu adoro gastar, mas já me controlo muito, também agora tem muitas despesas com os filhos, escola, ingles, violão, aula particular…. nisso tem ido a maior parte do meu dinheiro. meu marido cuida de todo o resto: alimentação, todas as contas, mas não sobra muito. podemos economizar mais. FALTA ORGANIZAÇÃO…..rsrsrsrsrsrsrs

  37. Oi Thais,

    Tenho pavor não, porque antes de começar a trabalhar fora, ainda na faculdade, eu fazia muitas continhas dos meus míseros R$250 (era monitora de disciplina do 1º ano) pra passar o mês… rs. Daí que li um livro muito bom sobre finanças (O seu dinheiro – Howard Dayton), e quando comecei a trabalhar, meu salário já tinha orçamento previsto.
    A diferença foi que deixei de fazer orçamento no papel pra fazer no excel devido aos gastos maiores (eu estava noiva, imagine).
    No começo minha mãe me achava doida porque eu anotava quase todo dia, cada centavinho e tals. Mas depois eu fui aperfeiçoando o método, agora faço isso a cada quinze dias, mais ou menos.
    Não temos dívidas, graças a Deus. Ganhamos muita coisa quando casamos, e o que não ganhamos (sofá, estantes, computador, televisão, etc) fomos comprando aos poucos.
    Nossas estratégias para controlar as finanças são mais ou menos essas:
    – Meu lema é: “Pago à vista, compro se puder”. Sempre fui assim. Agora a gente está numa fase confortável que dá até pra comer num lugar diferente ou comprar uma coisa que eu simplesmente “quero”. Mas penso sempre “Eu preciso realmente disso?”. Tem alguma coisa mais urgente ou mais importante que eu preciso pagar/comprar?
    – Não usamos cartão de crédito. Ponto. Pra eu nem pensar em parcelar nada nessa vida.
    – Pago TUDO que eu puder no cartão de débito. Mesmo que seja 1 real. Isso me protege de esquecer em que eu gastei aquela nota de 50 que estava na carteira, já que o débito fica marcado lá no estrato.
    – Pras coisas que não tem como ser débito, fazemos APENAS UM saque por mês, no valor que a gente já sabe que vai precisar (pra feira, pão, eventualidades).
    – Pra algumas coisas usamos cheque, mas só pra lugar confiável, SE não aceitar débito (médico, aluguel).
    – As contas de casa ficam no débito automático (telefone, água, luz, celulares). E pros poucos 4 boletos que não tem como colocar em débito automático, NetBanking.
    – DICA MASTER: a Gabi, lá em cima no primeiro comentário, falou do “pacote obrigatório” no banco. Não sei se você sabe, e de repente é útil você divulgar aqui no blog, tem uma lei que proíbe os bancos de cobrar os serviços básicos! Quase ninguém sabe disso, mas ninguém pode ser obrigado a pagar pacote de tarifa. Os serviços mínimos ou essenciais que o banco tem que oferecer sem custo por mês, são: 4 saques, compensação de 10 folhas de cheque, 2 extratos mensais, 2 transferências (mesmo banco), infinitos extratos no NetBanking, além do cartão de débito. Claro, se você faz muitas transferências, muitos saques, tira muitos extratos, usa mais de 10 cheques por mês daí vale a pena ter um pacote. Pra mim o problema eram os saques, sacávamos muito. Ficou até melhor assim, porque não pagamos tarifa, fazemos um saque só, diminuíndo a bagunça que era o extrato. Eu prefiro pagar 8 reais uma vez num DOC, se eu precisar, do que ficar pagando, por ex, 12 reais todo mês pra ter direito a fazer DOC, por exemplo.
    Ufa, escrevi muito.
    É, comer marmita economiza MUITO!
    Beijo

  38. Thaís, como sempre, adorei o post.

    Ano que vem será o primeiro ano que precisarei declarar Imposto de Renda, mas estou completamente perdida, mal sei por onde começar!!!!!

    Que tal fazer um post nos ajudando a organizar para isso desde já??

    Bjão!

    • Cris, não tem muito segredo né? É só organizar as contas pagas que depois fica fácil. O importante é ter as contas organizadas e declarar no início do prazo.

  39. Oi Thais, tudo certo?
    Passei aqui no seu site e me identifiquei bastante com seu jeito de escrever e sua forma de se organizar. Estou reorganizando minha vida e seus posts tem me motivado muito. Estou agora passando por uma situação meio complicada, pois no meio do ano passado recebemos (eu, meu esposo e meu filhinho) uma herança em dinheiro e elevamos muito nosso padrão de vida. Hoje vejo que se tivesse planejado minha vida, teria gasto com coisas mais importantes. Tive o mesmo problema que vc, um consumismo doentio com alimentos (vai entender) e mesmo não aguentando mais comer coisa de fora, sempre é mais fácil, né? Agora, que a grana acabou, estamos tendo que nos reorganizar e cortar todas as gordurinhas do orçamento, além de tirar os velhos hábitos consumistas (o famoso> “ah, compra…) Com o dinheiro, poderia ter comprado um carro a vista, mas ao inves disso, preferimos comprar coisas como roupas que nao tinhamos, viajar e comprar moveis… nao que eu nao goste… tenho apenas 22 anos e acho que realmente ter ou não essa grande quantidade de dinheiro nao mudou minha vida drasticamente.
    Me ensinou (pena que só depois que acabou) a organizar minha vida financeira. Hoje uso o Jimbo (do site meubolsoemdia) da febraban, que é bem simples e facil de usar, ainda mais porque meu marido eh artista circense e recebe varias vezes por mes e eu recebo 1 vez por mes.
    Continue escrevendo posts motivadores!!
    Abraços!
    Janaína

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui