Linkagem: Dia dos Pais

9
2873

 

Imagem: Nitin Badhwar (Flickr)

Meu pai faleceu em 2010, cinco dias antes de o meu filho nascer. Ele era músico e produtor, e morreu devido a um câncer. Não existe um só dia em que eu não pense nele e, hoje, mais ainda.

A linkagem de hoje é especial sobre paternidade e eu espero que os pais que acessam este blog gostem da seleção:

  • Pais estão cada vez mais participativos na vida dos filhos, dizem especialistas.
  • Tiago Corá Kürschner, 30 anos, personifica uma nova geração de pais que, embora ainda em número acanhado, começam a chamar atenção na sociedade moderna. São homens que se mostram participativos na responsabilidade com os filhos, de uma forma muito acima do comum. Esta divisão de tarefas com a mãe chama mais atenção ainda quando acontece a partir do nascimento, já nos primeiros e mais delicados dias do bebê.
  • Um projeto de lei apresentado em abril deste ano no Congresso Nacional pretende dar aos homens mais tempo para viver exclusivamente a licença-paternidade.
  • “Eu já precisei abandonar um jantar com executivos americanos porque meu filho estava doente. Ninguém me contrariou ou fez qualquer ressalva por isso. Pelo contrário, fui totalmente apoiado, inclusive pelo meu próprio chefe”, diz Bruno Bezerra, responsável por uma das divisões de marketing da Dupont. Bruno é pai de um menino de 11 meses e divide todos os cuidados com o filho, em casa ou fora dela.
  • Hoje em dia, os homens têm uma visão diferente do que a que observávamos no passado, quando a gestação era considerada apenas da mãe. Cada vez mais, nos deparamos com pais frequentando as consultas de pré-natal e, em alguns momentos, com mais dúvidas do que a própria gestante.
  • Pais famosos falam sobre as emoções e aventuras com os filhos.
  • “Eu não sou um pai que quer se sentir como uma mãe. Sou um pai como os pais sempre deveriam ter sido, pelo menos nos últimos séculos. Essa ideia de que o pai é o provedor do lar e a mãe é quem cuida das crianças fazia sentido na Pré-história, mas hoje está completamente ultrapassado”, diz o publicitário Renato Kaufmann.

E eu gostaria de dicar este post ao pai do meu filho, porque sem ele eu não poderia fazer nada do que eu faço hoje.

Que vocês tenham tido um bom Dia dos Pais, papais. =)

9 comentários

  1. Oi, Thais!
    Meu pai tb faleceu devido a um câncer, há 21 anos. Pode até parecer muito tempo, mas a ausência é sempre maior. Mamãe tb está muito idosa e doente, então a saudade fica pior.
    Meu marido é um pai que participa, não é uma brastemp total, rs, mas ajuda muito, graças a Deus.
    Ter pai é tudo de bom, que legal que tivemos, não?
    Beijocas,

  2. Olá, Thais. Tenho acompanhado seu blog há mais ou menos 1 mês e procuro lê-lo todos os dias. Ele está sempre cheio de dicas, me ajudando a por ordem no meu dia. Obrigada pela iniciativa!
    Parabéns pela foto, está lindíssima!

  3. Meu pai amado também faleceu devido a um cancer e no dia 4 de setembro irão fazer 13 anos , mas mesmo assim não tem um só dia que eu não pense nele e desejo que ele estivesse aqui para ver minhas conquistas,a vida de minhas filhas ( que ele conheceu pouco) e a maior alegria da familia o meu neto que por sinal tem o nome dele.

  4. Oi Thais,

    Vou usar uma frase bem conhecida: “Não basta ser pai, tem que participar!!!” Hoje em dia os homens estão mais conscientes do papel que possuem na criação dos filhos.
    Bjs
    Ana

  5. Thais, olha só, sigo seu blog desde a sua gravidez, inclusive o outro blog sobre maternidade (vc continua com ele?), e não sabia disso!

    Minha mãe tb faleceu de câncer 1 mês antes da minha filha nascer… sempre digo que deixei de ser filha para me tornar mãe (pois já não tinha mais meu pai). Foi muito duro acompanhar o duro desenrolar de uma doença qdo dentro de mim existia uma vida que dependia só de mim! Só quem passa por isso sabe de onde reunir forças para seguir em frente!

    Hj minha filha é minha luz, minha vida!

    bj no coração!

  6. Thais:
    Fico feliz que você tenha um marido bacana que se esforça para ser também um bom pai. Eu não conheci o meu; minha mãe foi também meu pai, porque ela precisou trabalhar fora para me sustentar, me dar educação e limites, e também muito carinho e amor. Sou grato a ela por ter feito tanto – e tive a oportunidade de dizer isso a ela um pouco antes dela falecer em 2010, de uma AVC inoperável. Ficou a tristeza e a saudade, mas nenhuma culpa, rancor ou remorso. Aos homens que são pais, digo que pode ser uma barra ter e criar filhos, mas se as mulheres conseguem, vocês também. E, acreditem, vocês vão fazer uma grande diferença na vida deles, se eles tiverem certeza de que podem contar com seu amor, sua atenção, seu carinho e sua força. Parabéns a todos os pais e a todas as mães que precisam fazer os dois papéis na vida de seus filhos.

  7. Thaís, adoro o seu blog, eu tb perdi o meu sogro de maio de 2010 e o meu pai em outubro de 2010 ambos para o cancer, a saudades é enorme….tenho dois filhos um de 08 anos e outro de 02 anos e 8 meses…o mais velho sente muita falta, pois eles eram muito apegados, o mais novo não teve oportunidade de curtir…o jeito é seguir em frente e tentar transmitir as crianças os ensinamentos deixados por eles….bjs

Deixe uma resposta para Suka Mendonca Cancelar resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui