Categoria(s) do post: Rotinas

Falta um mês para o meu bebê virar uma criança! Gente! Mas, ao contrário de muita gente, não temos a menor vontade de ter novamente um bebê em casa e estamos cada vez mais certos da vontade de ter somente o Paul. Queria que ele tivesse irmãos, mas não temos condições financeiras agora, além de outros motivos pessoais. “Nunca diga nunca”, mas o “por hoje” basta.

Então hoje o meu amorzinho completa 23 meses de idade. <3

# Ontem fui dar banho nele e disse “paul, tira a camiseta”, e ele não sabia o que fazer porque sempre foi a gente que tirou. Fiquei pensando em como somos responsáveis por absolutamente tudo que nossos filhos fazem. Fui lá, ele levantou os braços sozinho (rs) e eu tirei a camiseta.

# Ele está acostumado a andar descalço e detesta papetes e chinelos de dedo. Só aceita tênis para sair e crocs em casa.

# Ele está com mania de sentar no braço do sofá de costas para a parte que cai, e eu quase morro do coração toda vez que ele faz isso.

# Ele ama desenhar com giz de cera. Já experimentei guache e pintura à dedo, mas ele gosta mesmo de giz e canetinha. Estou guardando os desenhos em uma pasta. Podem ser rabiscos para a maioria das pessoas, mas eu guardo. <3 Uma coisa que ele adora é quando a gente senta e desenha junto com ele, pois ele fica pedindo pra desenhar isso e aquilo. Daí, quando eu desenho, peço pra ele desenhar também, e ele vai lá e faz um rabisco, tentando.

# Acho muito engraçado como ele está parado de pé, de repente desequilibra e cai de bunda no chão, ou simplesmente cambaleia para trás. Isso geralmente acontece quando ele está distraído com alguma coisa e as pernas parecem ter vida própria.

# Ele já é bem independente para as atividades no geral. Podemos ficar na cozinha ou arrumando a casa que ele fica bonitinho envolvido em alguma atividade. Quando vamos limpar o chão ou ligar o forno, preferimos deixá-lo no cadeirão desenhando, por ser mais seguro.

# O livro que ele mais gosta é um enorme com mil figuras e palavras (literalmente), onde ele fica apontando e dizendo as palavras, assim como pergunta as que não sabe. Ele já sabe todas as cores (se você perguntar, mas falar mesmo ele só sabe algumas, tipo “vede”, “amaelo”, “roxu”, “zul”), números de 1 a 13 (“catorze naum”, ele diz) e as vogais. Agora estou tentando ensinar o alfabeto, mas é muy complexo, haha. É muito engraçado o jeito que ele fala W e Y (“bilu” e “pilulu”). Ele adora ler! Toda vez que chego com um livro novo ele fica empolgadíssimo e, quando abre, vê aquele monte de imagens e diz “cata coisa!” (quanta coisa).

# O brinquedo preferido dele é o iPad. Ai gente, então né. Todos aqueles brinquedos educativos. Ele até brinca, mas nada chama tanto a atenção quanto os aplicativos do iPad. Baixei vários e depois vou fazer um post sobre os que eu achei mais interessantes e os que ele gosta mais. Mesmo assim, não deixo ele ficar muito tempo. Durante o dia, ele costuma brincar bastante na quadra com a bola e na piscina (no condomínio). Temos um playground, mas ele não fica muito. Ele gosta do escorregador e do gira-gira, mas enjoa logo. Detesta o balanço.

# Ele adora cantar, e é tão bonitinho. Quando tomo banho com ele, eu começo a cantar qualquer música aleatória e ele canta as dele também.

# Ele adora fazer amizades e é de cortar o coração quando alguma criança não dá bola pra ele. Não vejo a hora de colocá-lo na escolinha de novo.

# Ele está super carinhoso, o que me dá vontade de chorar de felicidade cada vez que ele faz alguma coisa. Quando ele acorda, nos saudamos com um alegre “bom dia” e muitos beijos e abraços. Quando chego do trabalho, ele vem correndo me receber na porta e me dá um abraço apertado. Peço um beijo e outro, que ele dá na outra bochecha, e fica abraçado no meu pescoço um tempão. Quando eu estou brincando com ele, ele vem e me abraça, quer ficar no colo ou fazer “ataque de bebê”, que é uma brincadeira nossa quando ele se joga em cima de mim e eu fico gritando “socooorro, ataque de bebê”, rsrs.

# Ele tem obedecido muito mais agora, e foi de repente. Temos tido a mesma disciplina há algum tempo e finalmente agora ele está obediente, claro que nas devidas proporções para uma criança de quase dois anos. O que eu me vigio muito é para criticar o comportamento, e não ele. Não dizer “que menino feio” e sim “bater no papai é feio”. E não deixo nunca passar um bom comportamento, sempre elogiando quando ele obedece ou faz algo.

# Ele está dormindo muito bem e, de manhã, quando acorda, ele para na porta do quarto e chama a gente com um “oi?”, haha. Aliás, ele tem mania de falar “oi” porque, quando ele me chama, eu respondo com “oooi”, então para nos chamar ele fala “papai, oi” ou “mamãe, oi”.

# Ele tem medo dos bichinhos de pelúcia e precisamos guardar todos. Ele olha para os bichinhos e faz “buuu”.

# Na medida do possível, tento explicar tudo para ele (“mamãe precisa ir ao mercado comprar papá e já volta”), mas procuro não ficar de blablabla porque ele nem absorve. Tento ser direta nas explicações e nunca ficar explicando bronca.

# A saúde dele está ótima.

# Nada de desfralde ainda. Estamos incentivando, tipo “quer fazer cocô na privada?”, para ele se acostumar com a ideia, mas ainda preciso comprar o redutor de assento (não quero ensiná-lo no troninho pra depois ter o mesmo trabalho de transição para o vaso).

# O sono continua aquela coisa. Quando ele dorme à tarde (99% dos dias), dorme mais tarde (entre 21h e 22h). Quando não dorme, dorme cedo (por volta das 19h). Não tenho achado ruim, pois fico mais tempo com ele, e sei que, quando ele estiver na escolinha, será outra rotina, mas é preciso adaptar. É diferente ter o tempo livre para cada um cuidar das suas coisas ou ter que ficar revezando nos cuidados porque ele ainda está acordado.

# Essa semana temos dentinhos novos.

# Pretendemos tirar a chupeta antes do inverno chegar, mas ele depende muito dela ainda para dormir e não sei se compensa esperar mais. =/

# Ele está numa fase bem ok com relação aos “terrible twos” – nada que chame a atenção. Como eu falei, tem estado bem obediente e feliz. Claro que ele chora se tiramos algo da mão dele ou não deixamos que ele faça algo, mas costumamos distraí-lo e logo passa ou, então, não dar atenção para a birra (mas ficar sempre por perto). Nada que tenha nos causado problemas.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Carreira, Estudos
Imagem: Getty Images

Eu já fiz um post aqui no blog explicando como eu me organizei na faculdade e recebi algumas mensagens de pessoas pedindo que eu desse dicas para organizar os estudos no ensino médio, então aqui vão elas:

# Para começar, a organização dos seus estudos depende muito do ano em que você está e da escola em que você estuda. Algumas escolas têm o ensino fortíssimo no ensino médio, já voltado ao vestibular, enquanto outras seguem uma linha mais low profile. Se o seu objetivo é estudar para o vestibular, sugiro que você leia o post que eu escrevi sobre como organizar seus estudos para esse fim.

# No primeiro ano do ensino médio, eu sugiro que você faça uma limpeza geral no seu material escolar dos últimos anos. Sendo bem sincera, o que vai importar é o que vai acontecer daqui para a frente, pois a maioria do seu material ficará defasado. Guarde os bons livros de artes e paradidáticos que você gostou, mas pode doar todos os outros (ou vender na sua escola para as séries anteriores – fale com os seus pais ou consulte a secretaria).

# Para acompanhar as aulas, eu sugiro que você tenha um fichário com divisórias para cada matéria e um plástico para cada uma também, para guardar provas e trabalhos. Particularmente, eu não gosto de fichários, pois as folhas vão ficando desgastadas no decorrer do ano, e recomendo como alternativa uma pasta sanfonada com divisórias para cada matéria, mas isso vai do gosto de cada um. Não recomendo o uso de cadernos porque é carregar peso desnecessário, mas algumas escolas exigem. Se for o seu caso, meus pêsames. =/

# Eu sei que é super divertido zoar na escola e existem milhões de coisas importantes acontecendo em paralelo às aulas, mas procure ter um mínimo de concentração para ir bem nas provas. Na verdade, não tem segredo – se você prestar atenção na aula enquanto o professor estiver falando, fizer a lição e der uma estudada mínima todos os dias, as provas acabam se tornando mais fáceis. Uma boa tática é deixar para conversar quando o professor estiver escrevendo na lousa ou quando terminar de fazer algum exercício que ele pediu, mas não converse enquanto ele estiver explicando (isso é muito chato e uma imensa falta de respeito) nem deixe de fazer um trabalho ou exercícios para falar sobre qualquer assunto aleatório. Você terá mil oportunidades para isso – gerencie o seu tempo.

# Sobre a rotina de estudos, eu recomendaria o seguinte: prestar atenção nas explicações do professor, fazer a lição que ele passar, ler o que ele recomendar e dar uma passada na matéria quando chegar em casa. Se algum assunto chamar a sua atenção, procure mais sobre ele na internet ou leia no próprio livro da matéria. Faça anotações. Esclareça as dúvidas no final da aula. Anote pontos-chave durante as aulas para focar neles quando for estudar para as provas. Se você sempre fizer assim, nenhuma matéria acumulará e você nunca ficará desesperado(a) antes das provas.

# Sobre o tempo de estudo, não há uma regra. Assista as aulas, reúna-se com o pessoal para fazer trabalhos e estude um pouco em casa. Cada um tem a sua necessidade de tempo. Na minha época (gente, estou me sentindo a idosa falando desse jeito), eu assistia as aulas de manhã, ia para casa dormir um pouco e depois estudava. Na maioria dos dias eu ficava à tarde na escola porque fazia parte dos times de futebol, vôlei e handball, então aproveitava os intervalos entre as aulas e os treinos para fazer trabalhos ou estudar a minha cota do dia, ou simplesmente ficar conversando com o pessoal. O bom do ensino médio é que temos tempo para fazer tudo!

# É comum que os professores passem leituras complementares e livros paradidáticos em paralelo às aulas. Leve essas coisas sempre com você e leia quando tiver um tempinho, nem que sejam 15 minutos. Vá eliminando páginas, basicamente isso. Faça anotações em folhas de fichário e deixe-as dobradas dentro do livro, passando para a divisória da matéria quando terminar. Nunca deixe para ler um livro só uma semana antes de entregar o trabalho sobre ele. Isso não é nada organizado!

# Manje os professores. Olha, essa dica vai ser meio polêmica, mas ela é necessária. Quando a gente está no ensino médio, existe muita pressão porque dependemos dos nossos pais e, muitas vezes, não faremos cursinho para entrar numa faculdade. Acredite: o importante é você concluir o ensino médio. Tirar 10 ou 7 nas provas não fará a menor diferença. Claro que, se você tirou 10, provavelmente foi porque estudou e está sabendo mais, o que vai te ajudar na hora do vestibular. Porém, não se cobre tanto. Não precisa fazer o trabalho mais maravilhoso e perfeito do universo. Economize seu tempo. Estude, mas tenha foco. Eu tive um professor que queria simplesmente redações nas questões dissertativas (de biologia!), e 80% da sala iam mal “porque escreviam pouco”. Sabe o que me ajudou? Conhecer os conceitos básicos e treinar redação nas aulas de português! Logo, cada professor tem a sua metodologia e sua forma de fazer provas e trabalhos. Se você tem um professor que exige pouco, faça o suficiente. Especialmente em ano de vestibular, não se preocupe com pequenos detalhes nas matérias. Eu fiquei absolutamente maluca com diversas matérias (especialmente matemática) para usar muito pouco depois no vestibular e menos ainda na faculdade. Meu conselho então é: não se estresse à toa e foque no suficiente. Eu tive um chefe que dizia que “o ótimo é inimigo do bom”, e você sabe o que isso significa? Na prática, que se você se matar de estudar para a prova de Geografia, não vai ter tempo para estudar para a prova de Química, então vale mais a pena dividir o seu tempo e fazer o “bom” para duas que o “ótimo” para somente uma.

# Tenha uma boa mochila para carregar tudo. Varia muito de escola para escola mas, na minha época, no primeiro ano nós comprávamos os livros que durariam os três anos do ensino médio para cada matéria, e eles eram enormes. Eu chegava a carregar cerca de cinco livros + o fichário, o que me garantiu dores nas costas constantes. Portanto, facilite as coisas para você e peça uma boa mochila para os seus pais, explicando os motivos.

# No final de cada ano, dê uma selecionada nos papéis e guarde somente o que for relevante em uma única pasta, que você pode etiquetar como “primeiro ano” ou simplesmente “1”. Quando terminar o ensino médio, você deverá ter três pastas e fazer a seleção para os estudos do vestibular. Quando passar no vestibular, livre-se de praticamente tudo, pois dificilmente você precisará de algo que esteja ali na faculdade (mas há exceções, depende do curso).

Espero que essas dicas possam te ajudar no seu dia-a-dia escolar! E aproveite esses três últimos anos – você sentirá falta deles.