Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Mamadeira – Ele tem três: uma fica em casa, outra na escolinha e outra na casa da minha sogra, pois ele vai para lá quase toda sexta-feira. Usamos a mamadeira da MAM para acima de 6 meses, com o bico em X. Uso essa mamadeira desde que ele completou 6 meses e não precisamos mudar. Só troco o bico de vez em quando.

Quantidade de leite – Fazemos sempre 10 medidas (300ml). Às vezes ele toma tudo, às vezes não. Em média, ele toma 250ml.

Chupeta – Só usa na hora de dormir. Quando acorda, eu peço e ele me dá, hehe. Semana passada, jogamos uma no lixo junto, dando tchau e tudo. Ele só tem uma, agora, e quero tentar tirar até ele completar 2 anos.

Tipo de leite – Continuamos dando leite Ninho em pó, o fortificado. Não sentimos necessidade de acrescentar nada. Ele nunca gostou de mucilons, farinha láctea etc. Chocolate já coloquei uma vez, mas não acho bom por causa dos dentes. Enquanto puder esperar, vou esperar. Ele adora o leite puro mesmo.

Comida – Ele come muito bem e é difícil recusar algo. Outro dia, recusou suco de beterraba com laranja, mas só. Ele ama suco de maracujá, limão e melão. A fruta preferida dele é mixirica, apesar de gostar também de mamão. Na escolinha, ele come cerca de 50 (!) colheradas de comida. Ele faz todas as refeições do dia lá. Em casa, só leite e o café-da-manhã.

Porcarias – Eu sinceramente não tenho como controlar o que ele come quando vai para a casa da minha sogra, apesar das recomendações básicas. Mas sei que até refrigerante ele já tomou lá. Como aqui em casa ele anté a alimentação ok, nunca influenciou. Ele nunca pede, por exemplo, se vê refrigerante. Mas não tenho frescuras com ele e, se estamos em uma festinha e ele pede coisas, eu dou um pouquinho pra ele experimentar. Outro dia fizemos um churrasco e ele comeu de tudo, menos carnes de porco (tenho medo de dar), mas ficou especialmente obcecado pelo vinagrete *sim, meu filho come cebola pura, vê se pode). As únicas porcarias que fazem parte do dia-a-dia dele são: queijinho tipo Polenguinho (ele AMA) e Danoninho (por recomendação médica, acreditem). Ele precisa tomar um remédio em pó por causa da bronquiolite e o médico pediu para misturar no Danoninho. Disse que não tem problema dar se ele gosta, mas não para exagerar etc, aquela coisa de sempre. Eu não curto muito por causa dos corantes, da quantidade de gordura etc, mas ele gosta e eu não vou ser a chata da história. Só tento maneirar.

Sling – Por incrível que pareça, ainda uso vez ou outra, quando saio sozinha com ele e preciso pegar ônibus, por exemplo. Continuo achando a coisa mais prática que existe, além de adorar ele ficar pertinho de mim.

Carrinho de passeio – Temos um carrinho tipo guarda-chuva bem leve, da Galzerano, e usamos MUITO no dia-a-dia para ir ao mercado, padaria, farmácia, passear etc.

Fraldas – No geral, ele usa tamanho XG. Só a Pampers Total Confort que é a GG ainda. Só colocamos essa para dormir, pois todas as outras vazam (mesmo a Noturna). No dia-a-dia, ele usa a Pampers Supersec (vermelha) ou Turma da Mônica (modelos variáveis).

Lenços umedecidos – Incrível como é, disparado, o que a gente mais usa. Continuo com as mesmas marcas: Johnson&Johnson para deixar na bolsa de passeio e Joe Baby em casa.

Banho – Ele toma banho em uma banheira comum de plástico (da Plasútil, se não me engano) embaixo do chuveiro e, às vezes, alterna com o banho de pee embaixo da ducha mesmo. Ele gosta da banheira porque fica brincando com os brinquedinhos de plástico. Os preferidos: baleia, livrinho e uma esponja do Bob Esponja.

Produtos de higiene – Amo Turma da Mônica – o melhor cheirinho do universo para todos os produtos de banho. Também gosto dos shampoos e condicionadores da Natura para bebês, e alternamos as duas marcas.

Pomada contra assaduras – Só Bepantol salva.

Roupinhas – No geral, ele usa tamanho 2, mas tem muita roupinha 1 e 3 que servem. No dia-a-dia, ele usa uniforme da escolinha, o que deu uma aliviada na necessidade de roupas, mas vou precisar comprar mais no verão. Ele até tem bastante shorts e camisetas, mas quero aproveitar para comprar roupas para o próximo inverno.

Calçados – Ele está calçando entre 21 e 22. Nossa estratégia é ter poucos sapatos de cada tamanho para não comprar a toa. Antes de andar, ele tinha somente 1 tênis e 1 sandália de cada tamanho. Agora, ele tem 2 tênis (gasta MUITO na escolinha), 2 sandálias e 1 chinelo tipo Crocs, que ele usa quando acorda e ainda está de pijama.

Remédios – Atualmente, fazem parte da rotina dele o Adtil, suplemento de ferro e os remédios de bronquiolite. Também fazemos inalação com soro de 2 a 3 vezes por dia.

Atividades preferidas – Ele ama livrinhos e agora está na fase de montar aqueles bloquinhos e abrir e fechar caixas, rsrs.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Hoje nosso filhote completa 18 meses, ou um ano e meio. Ele está em uma fase maravilhosa, pois a cada dia que passa aparece uma novidade. As coisinhas novas do momento são:

Aprender a dizer “não”. “Filho, vamos tomar banho?”. Ele balança a cabeça de um lado para o outro e diz “na-naum”. Eu não sei como ele aprendeu isso, mas foi do nada. Eu acho uma graça, mesmo sendo o primeiro sinal de desobediência, rsrs.

Puxar a calça para a frente. Essa também apareceu do nada. Ele fica de pé brincando e puxando as calas para a frente. Nem sei se dá pra explicar direito. Só acho bonitinho.

Comer sozinho. Claro que não com uma super habilidade, mas ele adora pegar a colher (todo desengonçado), pegar a comida no prato e colocar na boca. Suja tudo, mas eu não me importo. Faz parte.

No mais, para quem me perguntou, ele começou a andar oficialmente com um ano e quatro meses.

Ele continua na escolinha, que é ótima. Tem feito um bem enorme para ele, que adora ir e fica empolgadíssimo com o pessoal de lá. Essa semana teve gincana todos os dias, porque foi semana da criança, e na terça ele chegou vestido de reizinho – com uma coroa, cetro e capa vermelha, hehe. Lindo.

O único problema da escolinha é que ele vive pegando doencinhas chatas. Estava com uma tosse há um tempão e todos os médicos diziam que 1) era por causa da escolinha, normal e 2) pelo tempo seco. Enfim… eu nunca engoli muito bem essa história, porque a tosse estava durando tempo demais, e marcamos um pneumo. O resultado? Ele tem princípio de bronquite (bronquiolite) e começou o tratamento específico para isso. Um monte de remédio (um que custa R$170,00 por mês, ouch!) e a rotina toda voltada para o bem-estar dele:

– fim dos tapetes;
– inalação antes de dormir e antes de a gente dormir (lá pelas 23h);
– umidificador de ar quando não está chovendo;
– tirar todos os travesseiros e cobertores do berço, deixando só o que ele está usando;
– janelas abertas o tempo todo para o ar circular.

A boa notícia é que vamos mudar de cidade em dezembro. Não sei se comentei aqui neste blog, mas estou trabalhando no interior e indo e voltando todos os dias com um ônibus fretado. Cerca de 5h do meu dia eu passo indo para lá e para cá. É cansativo, mas daria pra levar numa boa se não fosse o Paul. Quando eu chego em casa, ele já está dormindo, e eu só o vejo de manhã, antes de sair, porque ele começou a acordar muito mais cedo só pra me ver. =/ Isso tem me cortado o coração e resolvemos nos mudar para ter uma vida melhor em todos os aspectos. Nem acredito que vamos sair dessa poluição de São Paulo e viver em um lugar mais tranquilo. Vai ser difícil acostumar, mas sei que vamos tirar de letra.

O mais difícil, sem dúvida, é reduzir zilhões de coisas de uma casa inteira para um apartamento pequeno de dois quartos, mas ainda estamos vendo a logística disso tudo. Como viremos para cá quase todo final de semana (Anderson toca e eu tenho a pos até o ano que vem), vamos precisar deixar bastante coisa por aqui. Então ainda estamos vendo o que vale a pena levar.

Essa mudança vai significar outras na vida do Paul, que são:

Sem escolinha por algum tempo. Até nos estabilizarmos financeiramente (comprar tudo para o apartamento e o carro o mais breve possível), o Paul não vai para a escolinha. O motivo é simplesmente a falta de dinheiro. Assim que pudermos, no entanto, vamos colocá-lo meio-período. Acho ruim porque ele está acostumado e sei que adora ir para a escolinha brincar com outras crianças, mas não teremos como mesmo, pelo menos nos primeiros meses. O bom disso é que eu espero que ele fique menos propenso a doencinhas chatas quando chegar o próximo inverno.

Ar melhor. Não dá para desassociar sair de São Paulo com a melhoria da qualidade de vida. A cidade em que vamos morar nem é tão interiorana assim, mas já faz muita diferença. Só o fato de não vivermos cercados por buzinas e motoristas estressadinhos já faz toda a diferença. Sei que, nesse sentido, é a melhor escolha possível.

Um quartinho só dele. No momento, o berço do Paul está no nosso quarto. No novo apartamento, quero montar o quartinho dele, com as coisinhas dele arrumadinhas, enfim, o cantinho dele. Acho que isso vai ser muito bacana para ele. Resta saber se vamos nos acostumar com ele dormindo na porta ao lado.

As mudanças na nossa vida serão significativas. Nem acredito que vou mudar a rotina de acordar de madrugada e chegar em casa tarde da noite para uma rotina mais tranquila – chegar em casa cedo, fazer a janta, dar banho no Paul, colocá-lo para dormir, ver filme, estudar, enfim, ter tempo para as coisas que realmente importam. Então, por esse motivo, estou muito feliz com a mudança.

Só fico um pouco preocupada com a questão do dinheiro inicial, medo de não conseguir comprar tudo o que precisamos, mas sei que, no final, tudo dá certo. Basta economizar.

A ideia é os mudarmos em dezembro, quando eu entrar de férias da pós. Terei todos os finais de semana livre até o começo de março e, até lá, nossa vida vai ter entrado nos eixos. Quando as aulas voltarem, sei que será cansativo, mas espero estar mais preparada até lá. Vai dar tudo certo.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.