Áreas da Vida

Minha dieta.

Hoje resolvi começar de verdade a minha dieta, ou voltar à reeducação alimentar, e não tem nada a ver com resoluções de ano novo ou o fato de ser segunda-feira. Eu estou naquele limite que, ou eu tomo uma decisão definitiva, ou esqueço de vez e largo mão. Como jamais faria isso, decidi emagrecer de vez.

A reeducação alimentar é para a vida toda e o emagrecimento será mais lento que qualquer outra dieta maluca que eu venha a fazer, mas pelo menos é definitivo, pois a pessoa reaprende a comer.

O plano alimentar é o seguinte:

Café-da-manhã: iogurte desnatado com cereais integrais (linhaça, por exemplo) + meio mamão
Lanche da manhã: uma fruta (banana é a mais comum)
Almoço: alguma proteína + bastante verduras e legumes
Lanche da tarde: três biscoitos integrais + queijo cottage light + um copo de leite desnatado
Segundo lanche da tarde: uma fruta ou um Activia
Jantar: alguma proteína + bastante verduras e legumes
Lanche da noite (ceia): uma fruta + uma taça de vinho tinto

O vinho é porque faz bem e também favorece o sono. A fruta vai ser leve, tipo um cacho pequeno de uvas ou uma maçã, não banana ou abacate, por exemplo. Pretendo alternar o café-da-manhã acima com ovos mexidos e as torradas integrais, especialmente se tiver algum compromisso de manhã e precisar ficar bem sustentada. Beber bastante água já faz parte do meu dia-a-dia, mas vou aumentar a frequência. Parei totalmente com os refrigerantes (mesmo os diet). Meu principal problema se chama pizza. É fácil, rápido, cômodo e eu adoro! Minha estratégia é pedir somente uma vez por semana (aos sábados), no máximo, e pedirmos uma brotinho – eu comerei um pedaço e o Anderson, os outros três. Sei que vai ser difícil, mas quando eu emagrecer eu volto a comer, oras, e então vou somente administrando. Como diz a Lolla, não pode enfiar o pé na jaca no início do processo de emagrecimento.

Eu estou sendo super influenciada pela minha amiga (e madrinha do Paul) Magna, que emagreceu 14kg desde junho do ano passado, fazendo reeducação alimentar acompanhada por uma nutricionista. Sendo assim, não vou comer arroz, feijão, pão e legumes como batata ou cenoura. A outra “regra” que adotei foi me alimentar de duas em duas horas, para não ficar com fome nunca. Obrigada, dear!

Mais uma providência é comer menos. Eu acho que meus pratos estavam grandes demais e, quando eu era magra, lembro que comia em um prato de sobremesa, para me policiar. Voltarei a fazer isso! E sempre comer um pedaço de alguma coisa em vez de dois ou três, aquela história.

Lembro que, quando eu era magra, eu lia muitas revistas sobre o assunto, o que ajuda a manter a neura para emagrecer, além de dar diversas informações e novidades, como algum alimento que faz isso ou aquilo pela pele e outras do tipo. Por isso, voltei a ler e acho que tem ajudado.

Os horários estão mais ou menos assim: 10h (café-da-manhã) – 12h (lanche) – 14h (almoço) – 16h (lanche) – 18h (lanche) – 20h (jantar) – 22h (ceia). Quando acordo mais cedo (ou o Paul acorda e eu levanto com ele), é só transferir para duas horas antes.

São duas as coisas mais difíceis de ser gorda: a disposição física e as roupas. É muito ruim subir qualquer ladeira e sentir que vai morrer, sem fôlego e com dores nas costas. Ninguém merece! Mas as roupas… juro que são o motivo principal. Eu amo moda e é muito difícil querer usar uma roupa e não poder simplesmente porque não existe do seu tamanho. Era tão bom usar calça 38… eu tinha até calça de couro! Claro que a preocupação com a saúde é o mais importante de tudo, mas sejamos sinceras, hehe.

Marquei uma consulta com um clínico geral no posto do SUS para fazer um check-up anual básico. Talvez ele me encaminhe para algum especialista – nem sei se existe nutricionista pelo governo. De qualquer forma, fazer um check-up sempre é bom para medir o colesterol e tudo o mais.

Estou confiante, enfim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados