Rotinas

Rotina é rotina.

Estava relendo uma matéria da revista Crescer do início do ano de uma mãe que teve três filhos em três anos (tem online aqui!). Ela conta como faz no dia-a-dia, a importância da rotina e da ajuda do esposo, já que não tem família, babá, amigos, nada (ela foi morar nos Estados Unidos quando ficou grávida). Cada dia é importante relembrar como ter uma rotina é fundamental para todo mundo, senão a coisa desanda. Um dos pontos fundamentais da matéria, para mim, é quando ela diz que você tem que aprender que tipo de batalha deve comprar, porque tem coisas que não valem a discussão. Vale a pena! Leiam!

Vocês vêem né, a gente aqui com a questão dos dentes. Ele não está com a gengiva inchada, mas ela está esbranquiçada e ele morde meu dedo desesperadamente quando eu passo a mão para ver. Ele está tendo umas crises de dor que me deixam sem chão. Então hoje, na hora de dormir, de noite, ele abriu um berreiro absurdo. Anderson primeiro disse: “ele não quer dormir agora, deixa ele acordado”. Se eu fizesse isso, o que aconteceria? Ele sairia totalmente da rotina que vem dando certo desde que ele nasceu. Acho a rotina da noite fundamental e sagrada, então podem me chamar de general, se quiserem. Depois ele voltou (Paul ainda chorando e eu no PU/PD forte): “deixa ele chorando no berço uma vez, vamos ver o que acontece”. Jamais! E lá fui eu, mais uma vez pegando no colo, fica até parar de chorar, deita de novo… até que ele dormiu, lá pela 12ª vez…

O problema foi que, além da dorzinha, ele vai ficando estimulado chorando. Ele não sabe o que está acontecendo. É tipo “mãããããe, pelamordedels, o que eu faaaaaço?”. Então o que eu acho fundamental nesses casos é: 1) não quebrar a rotina, 2) não cair na paternidade acidental se você sabe o que fazer, 3) nunca deixar chorando e 4) fazer somente UMA coisa, não várias ao mesmo tempo, que só vão estimular e confundir o bebê ainda mais.

A lição que eu tiro é: crises existem, exterminadores de rotina também, mas a criança precisa da segurança dos pais nessas horas. A gente precisa estar ali firme fazendo a coisa certa, esperada, mas sempre junto, dando amor e carinho, para os nossos filhos se sentirem seguros. Daqui a pouco entra escola, trabalho, tudo ao mesmo tempo agora, e se não tiver uma rotina fica tudo muito caótico e sei que muitas famílias vivem assim, porque é consequência natural da falta de organização. Acho sacanagem com as crianças.

Já contei que gosto de ler sobre a rotina de mães de gêmeos? Aprendo horrores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados