Categoria(s) do post: Finanças, Rotinas

O céu é o limite, não é mesmo? Mas como saber o melhor que posso fazer com o orçamento que tenho para direcionar meus gastos? Esta é a pergunta que mais recebemos das nossas leitoras em nosso serviço de consultoria. Para ajudar você nessa tarefa, levantamos os custos médios de tudo o que envolve este dia tão especial. E, pensando em facilitar ainda mais sua vida, criamos três opções diferentes para 200 convidados. Confira!

Simples / R$ 5.500,00

A partir de R$ 5.500,00 você pode fazer um casamento simples. Isso significa casar na igreja, vestida de noiva, e receber para um bolo no salão da própria igreja ou no de seu prédio. Lembre-se, na falta de um orçamento mais folgado, o que conta é o bom gosto e a criatividade. Com paciência e planejamento dá para descobrir e negociar coisas muito boas. Que tal fazer um almoço ou um jantar na casa dos seus pais apenas para as famílias e os padrinhos após a cerimônia? Outra opção é casar pela manhã e depois oferecer aos convidados um café da manhã, brunch, sem bebidas alcóolicas que encarecem a festa. Outra opção interessante é montar uma recepção com serviço americano (buffet) para os amigos mais íntimos com frios, saladas, sopas e quiches, com vinho branco nacional, refrigerantes e cervejas.

Produzida / R$ 40.000,00

Com um orçamento iniciando em torno de R$ 34 mil reais dá para fazer uma belíssima festa com direito a flores, um tenor, três músicos e outras coisinhas que fazem parte do sonho de qualquer noiva. Um coquetel para todos os convidados pode ser bem gostoso. Outra opção é convidar um número menor de pessoas, família, amigos íntimos e padrinhos e oferecer um jantar especial.

Super Produzida / R$ 120.000,00

A partir de R$ 100 mil reais, você pode dar asas à sua imaginação e colocar suas fantasias de infância para fora. Use do bom senso, é claro, para não ficar over. Abuse do requinte. Na igreja entram flores em abundância e uma orquestra completa. Nada mal, não? O local da festa fica a sua escolha: pode ser uma belíssima casa, um salão de um museu (muito em moda atualmente)ou um buffet para festas.

 

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Casa, Finanças, Saúde

Você conhece alguém que tenha se mudado para uma cidade no interior porque queria melhorar a qualidade de vida? Ou alguém que tenha optado por um trabalho de meio período, mesmo ganhando menos, somente para ter mais tempo para os filhos?

Todos nós conhecemos alguém assim. Muitas pessoas hoje em dia estão mais preocupadas com a sua qualidade de vida do que com o dinheiro. As crises de estresse do dia-a-dia ajudaram as pessoas a se decidirem.

Um componente desse estresse é o dinheiro (ou a falta dele). E o que causa tal estresse é justamente o gasto desnecessário. Comprar coisas tornou-se um hábito cultural, quase natural, e muitas vezes acabamos comprando ou gastando sem pensar muito.

Por exemplo: Você usa todas as suas roupas? Todas as suas jóias? Todas as suas canetas? Pois é. É possível sim viver com menos, basta concentrar-se no essencial. Seguem algumas dicas para ajudá-la(o).

1. Aproveite o horário comercial na TV para fazer alguma coisa mais útil, ao invés de ficar jogada(o) no sofá esperando a volta do seu programa favorito. A propaganda é feita para persuadí-la(o) a adquirir tal produto. Não assista! Mesmo o hábito de assistir a canais exclusivamente sobre vendas gera em seu subconsciente uma necessidade de consumo que não deveria existir. Em média, os comerciais duram de 30 segundos a três minutos. Nesse intervalo de tempo você pode realizar diversas atividades, como recolher os pratos que ficaram jogados na sala depois do lanche, arrumar a sua cama ou mesmo fazer um leitinho quente e gostoso no frio.

2. Habitue-se a comprar somente o que for estritamente necessário. E não adianta dizer que você “não sabe” o que é necessário. Uma calça jeans (se você tem três) não é necessária, a não ser que você trabalhe em uma mina e calça jeans seja uniforme obrigatório. Procure adquirir objetos de boa qualidade, que vão durar mais. Não adianta comprar o mais barato se precisar comprar outro no mês que vem. Assim como não adianta comprar o mais caro só por esse motivo e acontecer a mesma coisa… Preço alto, hoje em dia, não significa qualidade.

3. Cuide das coisas que você já têm. Não seja negligente com roupas, copos de vidro, livros e tudo o mais. Imagine que você não tenha nada. Depois, dê valor a tudo o que você tem. Isso também significa reconhecer aquilo que você não usa e doar para alguém que realmente vá precisar.

4. Verifique que coisas você usa eventualmente e passe a alugá-las, ao invés de comprar. Ter CDs e DVDs em casa é bastante interessante, mas você usará sempre ou quer ter somente pelo prazer de ter a posse do objeto? Um DVD custa em média 40,00. Se você assistir ao mesmo filme 5 vezes na vida – o que é bastante – você gastará pouco mais que a metade desse valor. Compensa mais alugar o filme em uma locadora quando tiver vontade. O mesmo vale para CDs. Se você quer ter uma coleção respeitável para quando der uma festa, verifique a possibilidade de pedir emprestados tais CDs, ao invés de acumulá-los na sua estante. O mesmo vale para livros, vestidos de festa, até carros.

5. Aprenda a fazer e a consertar coisas. Muitos problemas do dia-a-dia podem ser resolvidos com o mínimo de conhecimento que a maioria das pessoas não tem por pura falta de vontade de aprender. Isso também traz uma grande economia em dinheiro. Desde consertar o vídeo-cassete até fazer os presentes que você vai dar de Natal.

6. Habitue-se a colecionar folhetos de supermercados – aqueles com os produtos em promoção. Hoje em dia, a maioria dos supermercados abate o preço no caixa e você acaba tendo uma economia gigantesca. O mesmo vale para compras em liquidação – são o melhor negócio, sem dúvida. Quando terminar o inverno, possivelmente você ainda terá em mente o que foi necessário durante os meses anteriores – uma blusa, um cachecol. Todos esses itens estarão em promoção por até a metade do preço, quando o inverno acabar. Essa é a hora certa de comprar. Não tem problema só usar no ano que vem. Possivelmente você usará antes, porque o tempo vai e vem. E isso não vale só para roupas, mas para enfeites de Natal, brinquedos (após o Dia das Crianças), ovos de Páscoa etc.

7. Uma continuação da dica anterior: não compre em épocas de “safra comercial”. Isso inclui o mês de dezembro, duas semanas antes do Dia das Crianças, semana de Dia das Mães e dos Pais, Dia dos Namorados e outros eventos do tipo. Você sempre, sempre pagará mais caro.

8. Quando for comprar roupas, compre peças básicas, que combinam com tudo. Vale muito mais a pena comprar um blazer preto do que um rosa-choque só porque está na moda. Deixe as cores “da moda” para acessórios baratos, que dão um diferencial em qualquer roupa básica, como colares e bijouterias no geral. Mas também não exagere nessas!

9. Evite comprar alimentos prontos. Além de ser muito mais saudável preparar sua própria comida, você acaba gastando muito além do que gastaria com a compra dos ingredientes – e o seu tempo. Além disso, procure pensar na sua saúde. Uma fruta é muito mais barata que um doce industrializado, por exemplo, e muito mais saudável.

10. Comprar produtos em grandes quantidades é uma faca de dois gumes. Pode acarretar uma economia enorme no caso de papéis-higiênicos, por exemplo, que são artigos que sempre serão utilizados, mas comprar 15kg de lingüiça já é exagero. Mesmo que custe quase a mesma quantidade da compra menor, o desperdício não vale a pena. Sempre balanceie as opções.

11. Se você precisa comer fora todos os dias, verifique os restaurantes que oferecem promoções e aproveite-as, sem que isso comprometa a qualidade das suas refeições. Atente para a possibilidade de levar sua comida pronta de casa e esquentar no trabalho. Se você gasta cerca de 10 reais por dia, economizará 200 reais por mês.

12. Não faça da ida a restaurantes um hábito. Muitas pessoas se acostumam a jantar fora toda sexta-feira ou ir a uma lanchonete com os amigos uma vez por semana. Deixe para ocasiões especiais, como o seu aniversário. Comer fora é desperdício de dinheiro na maioria das vezes. E sempre programe as vezes em que você for comer fora, para não fazer isso por impulso.

13. Ao invés de levar seus filhos ao cinema – com direito à lanchonete depois – programe um piquenique. Escolha um local com antecedência.

14. Cultive uma pequena horta em casa. Mesmo para quem mora em apartamento é possível reservar um espaço para vasinhos com manjericão, salsinha, coentro e plantinhas do tipo. Você ganhará um hobbie, fará seus filhos se interessarem por algo novo e ainda economizará com tais temperos!

15. Aproveite as coisas da vida que não precisam de dinheiro para serem realizadas. E existem muitas, viu? Desde abrir a janela de manhã e receber o sol no rosto até um abraço apertado na pessoa que você tanto ama.

 

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Você está cansada(o) de ver aquelas pessoas para cima e para baixo com uma agenda em mãos? Elas fazem isso porque funciona! A agenda é o instrumento mais importante na vida de uma pessoa organizada.

Eu não preciso de agenda! Eu me lembro de tudo!

Você pode imaginar a minha expressão de descrença agora? Ninguém se lembra de tudo. No mais, esfrie a cabeça! Deixe-a para informações mais importantes do que aquela reunião chata na sexta-feira à tarde…

É na agenda que você vai anotar tudo o que você tem para fazer. Pode parecer óbvio, mas muita gente não faz isso e acaba se embananando no dia-a-dia porque não se lembrava do dentista ou da reunião de pais na escola dos filhos. Não confie no seu cérebro, confie na sua agenda.

Como fazer

Você deve escolher uma agenda que se adeque a você. Existem diversos tipos de agenda: diárias, semanais, mensais, de bolso, de mesa, entre outras. Identifique o melhor tipo de agenda para o seu perfil.

Criando um sistema

Uma vez encontrada a agenda ideal, não pense que tudo funcionará feito mágica desde o início. Você vai precisar adquirir o hábito de consultar todos os dias a sua agenda, anotar os compromissos sempre que surgirem etc. Com o tempo (e a sua persistência), você não conseguirá mais viver sem ela!

A maneira mais fácil (e rápida) é levar a agenda sempre com você e anotar sempre que surgir um novo compromisso. Mas você deve ter bom-senso – e é aqui que entra a grande dificuldade. É muito fácil anotar a data de uma festa de aniversário, porque é um evento fixo. O grande erro que as pessoas cometem, por incrível que pareça, é o que eu acho de organização fogo de palha.

Evite a organização fogo de palha!

Do que se trata? É muito simples: quando você começa a se organizar, acha tudo maravilhoso e acredita que pode fazer tudo de uma vez. Mentira! Não pode. Você provavelmente abraçará coisas demais e não realizará metade (por causa do tempo), o que a(o) deixará frustrada(o).

Sendo assim, não caia na tentação de marcar em sua agenda aquela temida arrumação da garagem para o próximo sábado. Ou limpar a sua casa inteira! Sua casa, sua mesa, sua vida não se tornou desorganizada em um dia e não será em um dia que você conseguirá arrumar! Faça aos pouquinhos. Isso nos leva ao nosso próximo passo.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Decoração é um processo complicado, não é? Eu vejo aqueles programas tipo Extreme Makeover: Reconstrução Total e Changing Rooms e fico achando que pode ser tão fácil – e rápido – daquele jeito. Mas eles são profissionais. Quando eu percebi isso, as coisas começaram a fluir por aqui, de verdade.

Decidi fazer tudo aos poucos. Pode parecer óbvio, mas a gente nem sempre começa pelo que realmente precisa. E eu decidi fazer isso, simplesmente. “Preciso de um lugar para guardar meus DVDs”. Ok. Essa semana comprei uma caixa bonita e couberam todos. Tudo bem que em breve comprarei mais uma – porque adoro comprar meus filmes preferidos em DVD também. Minha nova aquisição foi “Um Estranho no Ninho”, com o Jack Nicholson. Adoro. Uma decisão realmente importante para a organização dos meus filmes é comprar somente aqueles que eu realmente gosto e que definitivamente verei mais de uma vez na vida. Isso tem me poupado de gastar dinheiro à toa toda vez que entro na Americanas ou na Saraiva e vejo aquelas gôndolas com DVDs a 12,90.

Essa semana também comprei um tapetinho colorido na Tok&Stok que deu uma cara nova ao chão cinza de ardósia do meu quarto. Bom, vejam as fotos das novas aquisições:


Caixa para guardar os DVDs. Ela fica na parte de baixo do rack.

Fronha do Pequeno Príncipe.

Tapete com bolinhas coloridas na ponta, awn.

Banco laranja de plástico. Bastante útil quando quero mostrar alguma coisa para o meu noivo no computador e ele tinha que ficar de pé, hehe. Ou então quando eu quero amarrar os sapatos, tocar violão etc.
Na verdade, o mais interessante é ver como a decoração meio que cria vida e vai sendo montada sozinha. O negócio é comprar aquilo que você gosta e, de repente, se verá combinando os objetos. Penso em pintar as paredes do meu quarto de lilás, por exemplo, e essa decisão eu tomei a partir das coisinhas que eu estou comprando.Ah, é importante dizer que, para cada item que entra, uma série de outros sai. Por exemplo, comprei a fronha nova e já separei cinco mais surradas que vou doar. Fazer isso garante a organização e o declutter progressivo.

Semana passada também tirei um montão de sacolas de lixo do escritório. Sim, a reforma continua, mas em um ritmo bem mais lento. Foi aquilo que eu disse acima: enquanto eu achava que teria que fazer tudo de uma vez, ficava adiando e adiando. Já dizia um livro sobre gerenciamento do tempo que eu tenho, “a única maneira de devorar um elefante é comendo pedacinho por pedacinho”. E foi o que eu resolvi fazer. Tenho evoluído mais do que quando eu queria fazer tudo rápido e de uma vez.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Finanças, Rotinas

Casamento é o tipo de coisa que você só faz se estiver disposta(o) a gastar nem que seja um pouco a mais (ou muito). Se não tiver dinheiro e não fizer questão, vocês podem se casar somente no civil, quando pagarão uma taxa ao cartório (em torno de $300) ou, se quiserem ir além, não pagam nada… mas precisam dar um atestado de miséria! Isso é sério, mas para os verdadeiros pão-duros, é uma opção.

A verdade é que é uma decisão. É a mesma coisa que comprar uma banheira de hidro-massagem ou uma televisão lcd enorme. São coisas caras que as pessoas compram porque, para elas, de certa forma compensam o preço. Casamento, apesar de ter muito mais envolvimento emocional, é quase a mesma coisa. Você não precisa casaaar para ter amor, mas os casais sempre querem comemorar essa passagem, então fazer uma festa é bacana sim.

Só que a indústria do casamento lucra bilhões de reais por ano, e quem está planejando um casamento pode ter uma idéia do porquê. É tudo absurdamente caro! Sendo assim, e como também estou planejando o meu, resolvi compilar neste post algumas dicas que podem ser úteis para quem realmente não quer ou não pode gastar tanto em um casamento. Aqui, nada de frescuras tipo “oh, o mínimo do vestido é mil reais”. Não! Estou falando de economia de verdade. Então vamos lá.

***

Fazer ou não fazer festa?

* A vantagem é que, com festa, vocês ganham presentes. Isso é fato! Se você não faz festa, só familiares presenteiam vocês. Não é um pensamento egoísta… é somente realista.

* Por menos que se gaste, é uma grana considerável que se vai em um só dia. Pensem se vale a pena mesmo.

A lista de convidados

* Geralmente é aqui que a maioria dos noivos cai na realidade. Só fazendo pra entender.

* Vocês verão que ou fazem a festa para todo mundo, ou fazem somente para os mais íntimos (até 50 pessoas). Dentro de um orçamento apertado, a escolha é óbvia.

* Não se preocupem em deixar alguém de fora da lista. Sempre vocês vão deixar alguém de fora. É a vida e o dinheiro é curto. Coloquem na lista os “obrigatórios” e adicionem mais pessoas somente se o orçamento permitir.

A data

* Não escolha meses que têm tradicionalmente mais casamentos, como maio e setembro, pois os serviços ficam mais caros.

* Cuidado para não marcar seu casamento no meio de um feriadão, da Copa do Mundo ou de qualquer outro evento grande do tipo.

O horário

* Festa de noite é muito mais cara que festa de manhã ou à tarde. Façam a escolha de vocês.

* A vantagem da festa de dia é que o pessoal não pega pesado nas bebidas alcoólicas, então vocês já economizam mais.

* Casar de dia também não deixa obrigatória a presença de daminhas e pajens. E você sabe que, quando a gente convida as crianças, é regra de etiqueta pagar pelos seus trajes, certo?

* Festa à noite requer jantar. Festa de manhã requer um brunch ou café-da-manhã mais requintado. Festa à tarde pode ter salgadinhos e docinhos quaisquer. Tenha isso em mente ao escolher o horário.

* Há igrejas que fazem uma celebraçãozinha em seu próprio salão. Ela se chama “bolo e champagne”, e é exatamente isso. É uma opção barata e pode valer a pena, se vocês fizerem questão do casamento na igreja, mas não da festa.

A escolha do local

* Quanto mais badalada a igreja, mais cara será a taxa do casamento (sim, acredite, há uma taxa!). Eu acho muy romântico escolher uma igreja menor, de bairro, e você gastará menos.

* Fazer o casamento e a festa no mesmo local deixa tudo mais simples e mais barato.

* Se escolher fazer a festa em algum outro lugar, tipo uma chácara e um buffet… bom, você pagará uma taxa para o juiz ir até lá (geralmente é o dobro do custo do cartório, mas equivale ao casamento civil também). Tem que ver quanto você vai pagar de aluguel no lugar. Se for a casa grandona de algum parente, ou uma chácara emprestada, tudo bem, mas se for alugar, vai ser um gasto considerável. Lembre-se que, além de tudo, você vai ter que contratar equipe de buffet, de faxina etc, além do estresse que seus convidados passarão para chegar, se for em uma chácara longe da sua cidade.

* Verifique se o salão que vocês forem alugar (caso o façam) já vêm com cadeiras e mesas. Acredite: alguns não têm e isso fica por conta dos noivos.

* Por menor que seja a festeenha, pelo menos um garçom vocês terão que contratar. A não ser que sua mãe, tia, avó queiram dar uma mãozinha servindo os convidados, o que é sempre uma opção…

* Não faça a recepção na sua própria casa. Pode ser a opção mais barata, mas será que vale a dor de cabeça?

Os convites

* Dá para fazer você mesma com uma impressora caseira. Se você tiver aptidão para artes gráficas, você pode diagramar no seu computador e mandar imprimir em uma gráfica. Faça pacotes, cote preços. Fazendo você mesma os convites, economizará muito mais do que pensa.

O vestido de noiva

* Mandar fazer, só se você conhecer alguma costureira barateira, boa e de confiança! Se não for assim, vale mais a pena alugar. Você acha bons vestidos por até $350 de aluguel, o que eu ainda acho caro… Já vi costureiras que fazem um vestido por muito menos. Tem que pesquisar, mas vale a pena o trabalho.

* Se for alugar, deixe especificado por escrito o que está incluso (véu etc), para não ter problemas com isso em cima da hora. Esses lugares são meio arrogantes e quem aluga o vestido mais baratinho acaba sofrendo um certo preconceito… mas vá na paz! É só ter consciência de tudo o que está acontecendo e prestar atenção para não lhe passarem a perna.

* Se não fizer questão de casar de branco, vai ser mais fácil ainda achar um vestido por menos de $100.

* Faça um buquê com flores da estação, que costumam ser as mais baratas (e também as que combinam mais com o clima).

Roupa do noivo

* Depende da formalidade da cerimônia. Se for na igreja, é melhor alugar.

Aluguel do carro

* Geralmente as noivas chegam em um carro pomposo alugado, no local do casamento. Nem precisa dizer para esquecer isso. Peça para alguém da família levar, não importa o carro que tenha.

Decoração

* Tentem fazer algo simples e bonito. Flores naturais são caras. Aliás, qualquer coisa que estampe o rótulo “casamento” fica mais caro. Exclua essa palavra do seu vocabulário quando for fazer compras para a festa, para os vendedores não tentarem passar a perna em você com preços mais altos.

* Se optarem pelo aluguel de um salão, alguns já têm uma decoração que usam sempre. se não for ficar muito mais caro e a decoração não for breguíssima, talvez valha a pena. Já é uma economia e tanto.

* O mesmo vale para igrejas. Se acontecer mais casamentos no mesmo dia que o de vocês, então, no mesmo lugar, dá pra ratear entre as noivas o preço de uma só decoração. Só tome cuidado para a noiva da noite não q
uerer pagar uma nota preta e fazer as outras aceitarem.

Lembrancinhas

* Você pode fazer em casa mesmo, sozinha ou envolvendo familiares e amigas. Há artigos como flroes artificiais, vidros, musgos, enfim, uma infinidade de coisinhas que você pode usar. Não pode nem deve ser caro.

* Os bem-casados são os grandes clichês das festas de casamento, mas sempre funcionam. Você pode aprender a receita e fazê-los, além de embalá-los pessoalmente. O gasto será mínimo.

Cardápio

* Você pode começar um bom tempo antes fazendo os próprios salgadinhos em casa e congelando-os, porém, veja se isso não dará mais trabalho do que comprar pronto. Há hoje em dia alguns lugares que vendem salgadinhos por centena super baratos, tem que pesquisar, perguntar para conhecidos etc.

* Se quiser servir comida, terá que ter talheres, cadeiras para todos, mesa para apoio, material para manter a comida quente etc. o buffet será mais caro que o de simples salgadinhos. Mesmo assim, se esta for a escolha de vocês, escolham frango e massas, que são mais baratos que carnes e frutos do mar.

* Não precisa de sobremesa se já tem bolo. Se quiser algum docinho, o bom e tradicional brigadeiro quebra um galhão.

O bolo

* Sempre tem alguém na família que faz bolos maravilhosos. Se tiver, peça como presente de casamento, na cara de pau mesmo! Geralmente as pessoas gostam de partilhar da nossa felicidade e acabam ajudando sem problemas. Se não conhecer ninguém, pesquise em docerias o preço de bolos grandes, daqueles por kg, e veja o que cabe dentro do seu orçamento.

Fotos e vídeos

* Tem muita gente que alega valer a pena pagar caro por isso porque ficará pra sempre e, se as fotos ficarem ruins, vocês vão se arrepender e blablabla. Sinceramente, eu acho essas fotos formais de casamento péssimas. Sou completamente a favor de pedir a todos os convidados que levem suas máquinas digitais e tirem fotos de todos no evento inteiro. Fica muito mais espontâneo e… barato, claro.

* Vídeo = vale a pena? se vocês fizerem questão, pesquisem bem. Geralmente quem faz vídeo também tira as fotos. Mas não pague caro por isso, é o de menos. A verdadeira lembrança desse dia deve estar no coração e na mente de vocês, não em cds que vocês verão poucas vezes.

Música

* Um carinha contratado para controlar o som sai mil vezes mais barato do que contratar uma banda, a não ser que a banda seja de amigos seus e toque de graça, como presente de casamento.

* Muitas igrejas têm seus próprios músicos para tocar na hora do casamento. Veja se é uma opção barata e não muito meia-boca. Tem cada tipinho tocando em igrejas que eu vou te contar…

* Quarteto de cordas e coral são lindos, mas totalmente inviáveis (= caríssimos). deixe para a sua fértil imaginação.

Dia da noiva

* Veja se é reeeealmente necessário. Essas coisas costumam ser bem caras e talvez valha mais a pena simplesmente você ou alguém te maquiar no dia.

Noite de núpcias / Lua-de-mel

* Passar a noite de núpcias em um hotel pode ser uma boa, especialmente para quem não tem dinheiro para viajar na lua-de-mel. Além disso, como as diárias costumam ser do meio-dia ao meio-dia, se você casar à noite pode se preparar lá mesmo no hotel, evitando o estresse e a falta de tempo na sua casa.

* Se não tiverem dinheiro para viajar na lua-de-mel, no stress. Vocês podem viajar depois. E, nessa decisão simples, vocês já economizaram, no mínimo, uns $500.

Dicas gerais

* Leia com atenção todos os contratos antes de assinar. Importantíssimo.

* Tudo o que vocês puderem fazer com antecedência vai sair mais barato.

* O mais importante é o casamento ter a cara de vocês, não importa se ele for um churrasco no quintal da sua casa ou um bolinho com champagne na igreja. Muita gente vai querer dar opinião, mas vocês que têm que decidir.

* Vocês só precisam de amor, alegria e imaginação para fazer um casamento maravilhoso!

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Finanças

Este artigo foi publicado no site da revista Vida Simples. Aliás, recomendo a leitura. É uma ótima revista.

Tenha intimidade com os preços: Pesquise os preços em lugares diferentes e encartes de jornais para ter parâmetros e saber se um item está caro ou barato. “Uma pessoa familiarizada com os preços consegue economizar cerca de 40% em relação a um leigo”, diz o economista Luís Carlos, autor de Sobrou Dinheiro! – Lições de Economia Doméstica (Sextante).

Leve uma lista ao supermercado: Com ela em mãos, você não esquece o que precisa comprar. Antes de sair de casa, cheque na despensa, armários e geladeira os produtos de que precisa. Você também pode planejar as listas de acordo com o cardápio programado para a semana.

Não fique zanzando pelas gôndolas: No supermercado, marque na lista o que você coloca no carrinho. As listas são divididas em segmentos como mercearia, limpeza e hortifrúti – do mesmo jeito que se encontram os itens nos mercados. Assim você não fica andando para lá e para cá. E gasta menos tempo.

Não vá ao supermercado com fome: A chance de você colocar quitutes a mais no carrinho quando a barriga está roncando é grande. Evite levar crianças para as compras; elas geralmente vão pedir para você comprar tudo e mais um pouco.

Compra da semana: É recomendada para produtos que estragam rápido, como frutas, verduras, carnes e frios. Deixe para a compra do mês itens duráveis, de higiene pessoal, limpeza etc. Quem mora sozinho deve fazer compras semanais.

Depois das compras: Primeiro guarde os produtos que vão na geladeira – esses itens entram por último no carrinho para não estragarem durante as compras. Na despensa ou no armário, coloque os produtos que vencem antes na frente.

Complemente sua leitura com o texto Economizando nas compras.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Lazer, Viagens

Decidir o que vai levar na mala ou mochila quando for viajar é algo muito pessoal, pois cada um tem seu estilo e necessidades. No entanto, algumas regrinhas básicas podem ser seguidas para quem for viajar e não sabe o que levar. No caso do Carnaval, no Brasil, nós sabemos que ainda estamos no verão, mas que um friozinho ou chuvinhas podem nos surpreender, então essa será a nossa base. 🙂

Outro fator decisivo: o lugar para onde você vai. A mala será diferente se você for pra praia, pro interior, para uma chácara, para um sítio, para outra metrópole. Então, tenha em mente que, por mais sugestões que eu dê aqui, você deve sempre se lembrar das suas próprias necessidades. Logo, pense agora, se você for viajar: o que eu tenho que levar? O que será realmente necessário?

Se você vai para a praia ou para um lugar que tenha piscina, deverá levar seu biquíni e chinelos de dedo. Parece óbvio? Pois então, vamos à nossa lista!

Para quem vai para a praia…

  • Mochila de viagem: Independentemente do modo como você vai viajar (carro ou ônibus), a mochila sempre garante que você não levará coisas demais, além de ser muito mais prática para carregar por aí. A mochila não deve ser enorme, nem aquela que você usa no dia-a-dia.
  • Bolsa para levar suas coisas para a praia: A não ser que você queira levar câmera, protetor, pente, carteira etc na mão.
  • Protetor solar: Sempre sempre sempre, a não ser que você esteja a fim de um câncerzinho de pele.
  • Biquíni ou sunga: Se você tiver dois, leve. Sempre é bom ter a opção sequinha quando você quer usar biquíni com roupa por cima mas o seu está molhado. E biquíni quase não faz volume na mochila, então nesse caso tudo bem.
  • Par de chinelos: Para usar na praia, quando sair do banho e o tempo inteiro.
  • Par de calçados confortáveis: Para usar na viagem e para andar no local, tipo a feirinha do fim de tarde e coisas assim. Pode ser uma papete, um tênis, um mocassim – qualquer coisa, desde que seja extremamente confortável, pois ele será seu calçado de “caminhar”.
  • Calçado mais “bonitinho”: Se achar que vai sair à noite, por exemplo. Para as mulheres, uma sandália de cor neutra que combine com todas as roupas, como uma prateada ou cor de pele. Tente usar do modelo “rasteirinha”. Salto alto, mesmo em “balada”, não combina com praia. Mas depende exclusivamente do lugar para onde você vai. Às vezes o salto combina.
  • Roupa para usar na praia: Para os homens, bermuda e camiseta branca. Para as mulheres, camiseta branca e shorts, ou saia, ou vestidinho. Enfim, o que você comprou para usar na praia. Mas tente aproveitar a camiseta, assim você não se expôe tanto ao sol.
  • Roupa para ir viajar: Esta roupa será a mesma que você usará na viagem de ida e na de volta. Use uma roupa confortável, como bermuda e camiseta. Se quiser usar calça jeans, tudo bem, porque você diminui o volume de roupas na mochila e acaba levando uma calça, caso faça frio.
  • Casaquinho: Leve um, é imprescindível. Sempre tem aqueles momentos no final da tarde ou à noite em que bate um ventinho e não é nada legal ficar com frio enquanto todo mundo está curtindo. Para os meninos, serve um suéter ou moletom (mas tentem não levar moletons enormes, que só fazem volume). Você pode inclusive levar a blusa amarrada na cintura, quando for viajar, para economizar espaço na mochila (mas sei que você vai ter espaço, se seguir essas dicas, rs).
  • Roupa mais arrumadinha para sair: Isso pode ser um vestidinho, para as mulheres, e uma calça cáqui com pólo, para os homens. Mais uma vez, depende exclusivamente do lugar onde você vai. Se for um lugar mais chique, você já sabe o que levar.
  • Roupas para ficar lá: Isso exclui a roupa para sair (que já vimos acima) e a roupa para usar na praia (mais acima). Então aqui temos aquela roupa que você vai usar depois que chegar da praia e tomar um banho. A roupa tem que ser fresquinha, como um shorts e uma camisetinha. Você pode optar por uma saia. Leve somente uma parte de baixo. Blusinha, você pode usar uma para cada dia que ficar lá. Se serão quatro dias, leve quatro blusinhas.
  • Roupa para dormir: Leve um pijaminha leve, daqueles de regata + shorts. Para os homens, bermuda + regata serve.
  • Roupa íntima: Homens, levem uma cueca para cada dia que forem ficar. Mulheres, dois sutiãs bastam, e uma calcinha para cada dia em que ficarem lá. Eu sempre levo uma a mais, porque podemos ter que trocar duas vezes no mesmo dia, aquela coisa.
  • Remédios: Leve o que você já toma normalmente e o básico: anti-térmico, analgésico, band-aid e remédio para dor de estômago. Você também pode querer levar um spray repelente de insetos. Fica a seu cargo e depende da praia para onde você vai.
  • Guarda-chuva: Daqueles de $5, baratinhos e pequenos. Se chover, você vai me agradecer por ter levado. Se não chover, você pode usar para ir até a padaria, se estiver muito sol.
  • Canga ou toalha de praia: Porque você sempre vai precisar de um lugar para se sentar. Não use essa canga ou toalha como saia, pois ela ficará suja e cheia de areia. Use-a somente para a função que tem.
  • Chapéu ou boné: Para proteger a cabeça do sol muito quente.
  • Óculos escuros: Para você conseguir enxergar com todo o sol refletindo na areia.
  • Artigos pessoais: Um livro, uma revista, um diário, câmera fotográfica etc. Só não exagere.
  • Artigos de higiene pessoal: Shampoo, condicionador, pente, escova de dente, pasta, lâmina de barbear, hidratante e desodorante. Você pode levar algo além disso se realmente fizer questão, mas tente se manter no básico para não exagerar. Tente conseguir aquelas necéssaires que vêm com potinhos pequenos para shampoos etc. Você vai economizar bastante espaço se não precisar levar os potes grandões. Se for possível, leve sempre um rolo de papel higiênico também. Ele serve aos mais diversos apuros.
  • Maquiagem: Meninas, maquiagem não combina muito com praia, mas se vocês gostam de ficar arrumadinhas mesmo lá, levem o que tem “a cara do verão”, por assim dizer: gloss, rímel transparente e, no máximo, uma sombra pra dar um brilho. Sinceramente, só. Faça as unhas antes de ir viajar com um esmalte rosa pastel (as outras cores “amarelam” com o sal do mar) e esqueça o assunto.

Adapte a lista acima de acordo com o lugar que você for viajar, pois cada lugar requer uma necessidade. Mas a estrutura básica está ali em cima; é só ir substituindo. Qualquer dúvida, deixem um comentário a
baixo.

E boa viagem! 🙂

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Já mais de uma vez me perguntaram como eu atualizo a minha agenda, então resolvi colocar um passo-a-passo para mostrar a quem tiver interesse nesse método.

Em primeiro lugar, descobri que trabalhar com cores é altamente eficaz. Assim, eu anoto os eventos diariamente divididos por cores, formando categorias. Ela são as seguintes:

Preto = tarefas relacionadas ao trabalho;
Azul = tarefas relacionadas a trabalhos paralelos (sites, blogs, bandas);
Verde = tarefas pessoais (em casa, compras, estudos);
Vermelho = compromissos (consultas médicas, shows, vencimento de contas);

Você pode usar outras cores se achar necessário. Anotações diversas eu faço a lápis (número de gastos, por exemplo). Depende da sua necessidade. Se você tem alguma atividade que requer muitas tarefas (exemplos: faculdade, banda, um site que você atualiza), talvez seja conveniente ter uma cor de caneta só para isso. Eu, no entanto, acredito que, nesse caso, quanto menos, melhor, senão complica muito. E essas quatro cores de caneta que eu uso são fáceis de achar, além de existir a clássica caneta com quatro cores.

Eu sempre anoto as tarefas com um quadrado ao lado, para atualizar seu status. Veja abaixo como faço:

Esses são os risquinhos que eu faço nos quadradinhos que ficam ao lado das tarefas. No final do dia, eles me dão uma boa orientação.

Quando a tarefa é adiada para outro dia, eu sempre anoto, à lápis, na frente da tarefa, a data para a qual eu a designei. Isso me ajuda a localizar na agenda, mais para a frente. Quando a tarefa é delegada, eu coloco entre parênteses o nome da pessoa que agora está cuidando do assunto, para que eu possa ter controle.

Outros símbolos simples que eu uso são esses:


Círculo = tarefas que devem ser realizadas no período da manhã;
Quadrado = tarefas que devem ser realizadas no período da tarde;
Triângulo = tarefas que devem ser realizadas no período da noite;

Isso também facilita muito a minha vida, pois quando bato o olho na agenda, já sei o que deve ser feito, quando, onde e a que horas. Por exemplo, se antes de sair de casa eu olho a agenda, vejo direto as tarefas em verde (que são as pessoais) e que têm o círculo, pois sei que são as tarefas que devo fazer de manhã em casa, como colocar o lixo para fora, ligar para alguém ou coisas do tipo.

Agora, uma questão muito importante: a freqüência de atualização da agenda.

É fundamental que a sua agenda seja atualizada sempre que você conseguir fazer isso. Ela deve ser uma fonte confiável de seus compromissos e tarefas, por isso não pode ter informações antigas. Para sua agenda não se tornar uma bagunça que arrasta as tarefas de um dia para o outro, você terá ao seu lado outro grande aliado: o caderninho de anotações!

 

Esse é o caderninho que eu uso atualmente.
Ele é da marca Tilibra e custa $2!


O seu caderninho de anotações deve andar sempre com você. Sempre. Na rua, no mercado, no shopping, na fila do banco, no cinema, ao lado da cama quando for dormir. Nele, você irá anotar tudo o que vier à sua cabeça. Eu costumo chamá-lo de “penseira”, pois é nele que eu faço um verdadeiro “descarrego mental” antes de dormir, anotando tudo o que tenho em mente, para que eu fique mais tranquila e consiga pegar no sono. Isso dá uma aliviada, porque quando encosto a cabeça no travesseiro, minha mente começa a trabalhar incessantemente, pensando nas coisas que tenho que fazer no dia seguinte, durante a semana, enfim, qualquer coisa!

E então, você terá que investir alguns minutos do seu dia na manutenção das suas tarefas. Eu garanto: é a melhor forma de aproveitar o tempo, pois você renderá horrores otimizando as suas tarefas.

Suponhamos que você possa atualizar a sua agenda todos os dias à noite, antes de dormir.

1. Você pegará então a sua agenda, suas canetas e o seu caderno de anotações.


2. Fará uma revisão do seu dia (na agenda) e anotará o que fez, o que adiou, o que não tem mais necessidade.


3. Verificará o dia seguinte.


4. Fará uma revisão do seu caderno de anotações. Se executou alguma tarefa que está lá e sequer conseguiu passar para a agenda, risque-a imediatamente.


5. Veja, no caderninho, as tarefas que podem ser feitas no dia seguinte. Anote-as na agenda. Risque no caderninho e coloque a informação “NA” (“na agenda”, que significa que a tarefa foi colocada na agenda).


6. Depois, distribua algumas tarefas pela sua semana, também na agenda. importante: seja realista! Ninguém consegue fazer um milhão de coisas em um só dia!


7. Atualize, no decorrer do dia, a sua agenda, com o status das tarefas. Se novas tarefas surgirem, anote primeiro noc aderno de notas para não se esquecer delas, e assim que tiver um tempinho, passe-as para a agenda.

Bom, é assim que eu me organizo no dia-a-dia, com a agenda e o bloco de notas. Espero que este pequeno e rápido tutorial tenha sido útil e, se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários deste post, logo abaixo.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.