Usar menos a tecnologia: será que dá? será que precisa?

40
3700
Imagem: Pinterest
Imagem: Pinterest

Eu sei que a tecnologia está aí para nos ajudar. Sei que otimiza demais o nosso dia a dia e permite que a gente diminua a quantidade de papel utilizado, por exemplo, além de outras funções práticas que nos tornam até um pouco dependentes dessas ferramentas. Será que conseguimos viver sem tudo isso? O que você acha?

Celular, por exemplo. Eu tenho um plano pós-pago e de Internet 3G, mas vou cancelar este mês. Eu uso bastante, mas prefiro utilizar meu dinheiro de outra forma. Se eu tivesse um celular simples, que apenas realizasse ligações, minha vida seria mais simples? Creio que não. Ficar sem celular nenhum, no entanto, tem seus prós e contras. Eu não sou escrava do celular e não atendo quando não posso ou estou ocupada. Não sinto o menor remorso de não atender um telefonema se não posso falar naquele momento. Muitas vezes, saio de casa até sem celular. A única preocupação – e o motivo que me faz ter um celular – é precisar dele em alguma emergência. Acho que, como mãe, é impossível ficar sem um celular. Além do que, posso precisar fazer alguma ligação de urgência no dia a dia. Enfim, o celular é útil, mas pagar caro por planos e Internet, não.

Redes sociais. Eu trabalho com isso, então para mim é até inadmissível pensar em deixá-las. No entanto, confesso que me bate a vontade frequentemente de deixar Facebook, Twitter, tudo. Ter uma conta gera uma obrigação, pois você quer entrar, responder as mensagens que os amigos enviam a você, conferir as novidades de parentes que moram longe. O que eu tenho feito agora é acessar muito, mas muito menos – coisa de uma vez por dia. E não ficar mais do que 15 minutos lá.

Tablets. Uso muito para os meus estudos (não imprimo absolutamente mais nada) e em viagens a trabalho. Meu filho também brinca com os aplicativos e meu marido usa para tirar música. Também gosto de ler meus feeds ali, antes de dormir. Dá para viver sem? Claro que dá, mas algumas coisas ficariam bem mais complicadas.

Computadores. Eu vejo hoje meu computador como uma ferramenta de trabalho. A coisa de sentar para perder tempo vendo outras coisas não existe mais para mim. Trabalho o dia todo diante do computador e, de noite, em casa, procuro evitar ao máximo para não pirar muito. Quando preciso fazer algo (atualizar o blog, por exemplo), eu estimo um pequeno prazo e fico pouco tempo fazendo o que preciso fazer. Isso tem me garantido mais descanso, especialmente visual.

TV. Eu praticamente não assisto TV. Agora assinamos o Netflix e, nos momentos de lazer, gosto de assistir um ou outro capítulo de algumas séries. Meu filho também assiste desenhos e Chaves. Meu marido assiste praticamente só filmes. Estamos pensando em cancelar a tv a cabo.

Dropbox. Abri um tópico separado porque acho que é uma categoria a parte mesmo. Citei o Dropbox mas pode ser o Evernote, o Google Drive etc. Poder arquivar tudo na nuvem e diminuir a quantidade de papel é muito bom. Isso aumenta a capacidade de espaço, diminui a tralha e centraliza tudo para você ter acesso através de qualquer dispositivo conectado à Internet.

Conclusão

Ficar sem tecnologia é possível, mas será que nos interessa? A tecnologia em si não é nenhuma vilã. Podemos utilizá-la tanto “para o bem” quanto “para o mal”. Precisamos ficar atentos para pequenas atitudes no dia a dia que demonstram que nos importamos com isso, como por exemplo:

  • Pare com a mania de deixar o celular em cima da mesa do restaurante quando está almoçando com alguém. Guarde na bolsa, esqueça durante um tempo. Concentre-se na sua comida, na sua companhia. Além de demonstrar dependência tecnológica, é falta de educação ficar olhando o celular em uma mesa de restaurante, em companhia de outra pessoa!
  • Na dúvida, mexa no dispositivo somente quando estiver sozinha(o).
  • Parar com a sensação de necessidade de atender o celular a todo momento. Antigamente, ninguém tinha celular. Se alguém quisesse falar com você e você estivesse ocupada(o), deixaria um recado para que você retornasse quando pudesse. Exercite isso, até mesmo para não acostumar mal as pessoas.
  • O mesmo vale para os seus e-mails. Estabeleça uma hora do dia para respondê-los em vez de interromper o que está fazendo a cada minuto que receber uma mensagem.
  • Pare de baixar todo aplicativo que vir pela frente. Além de encher o seu gadget de tralha, você está gastando dinheiro. Pesquise sobre os aplicativos e adquira somente aqueles que você realmente queira ou precise.
  • Tire os aparelhos tecnológicos de dentro do quarto para ter um sono mais tranquilo, especialmente computadores e TVs. Celular não tem muito jeito, já que usamos como despertador. =/

E você, acha que está precisando fazer um detox tecnológico? Como você acha que seria a melhor maneira de fazer isso?

40 Comentários

  1. Definitivamente não vejo a menor necessidade de me desfazer da “tecnologia”.

    E também não vejo a menor necessidade de me desapegar do meu celular/smartphone, e ainda vou comprar um tablet assim que o orçamento permitir. (um pra mim, e um pro marido)

    O problema não são nossos equipamentos eletrônicos, e sim o uso que fazemos do nosso tempo. Não preciso jogar tempo fora no celular ou no PC. Posso jogar tempo fora papeando com um estranho na gôndola do supermercado, ou seja, posso fazer mau uso do meu tempo mesmo não tendo “tecnologia” relacionada.

  2. Puxa, agora me senti menos ET… rsrsrs Porque eu até tenho celular, mas sou assim como vc: é para uma emergência e deixo de atender ligações sem remorso nenhum 🙂 Sem falar que, quando estou no trabalho, ele fica na bolsa, no silencioso. Quando posso, vou lá e checo se alguém ligou e retorno, se for possível. Mas as pessoas acham um absurdo que eu não ande com o celular 100% do meu tempo. Tem gente que fica brava porque me ligou e eu não atendi! E não adianta explicar que eu estava no laboratório, mexendo com produtos químicos, de luvas e tal… Enfim, muita gente mal acostumada mesmo!

    • Monica, identifiquei-me muito contigo e a Thais. Eu também não entendo essa dependência que faz com que as pessoas, ao sentarem-se em grupo à mesa de um restaurante, mantenham seus celulares à mão, ou, pior, muitas vezes navegando pela internet. Não há urgência que justifique tanta falta de educação. Aliás, raramente as pessoas têm algo realmente tão importante a falar. Procuro usar o celular com muita parcimônia, jamais atendo o telefone no trânsito, desligo o aparelho quando entro em consultórios, museus e igrejas. Atualmente isso soa estranho, mas gosto dessa simplicidade. E, como a Thais, eu estabeleci um limite de tempo para uso não-profissional do computador.

  3. Gostei muito do post… Ultimamente o que mais tem me atrapalhado em termos de disciplina é a relação com a internet, tenho tentado maneiras de utilizar o computador apenas para o trabalho. Abços.

  4. Sim, a tecnologia toma muito do nosso tempo. Especialmente as redes sociais. Atualmente, não participo de nenhuma e nem pretendo voltar a utilizar estes serviços. Não me faz falta. Uma coisa que me incomoda muito: você num restaurante e seu(s) acompanhante(s) mexendo incessantemente no celular. Acho falta de resteito!

  5. A parte de ficar olhando o celular nos restaurantes foi escrita pra mim, haha. E a de ter a necessidade de atender o celular sempre foi pro meu marido. Ele fica irritado se perde uma ligação, juro! Ô dependência ruim essa.

    Já mostrei o post pra ele. Vamos ver se deixamos esses hábitos 🙂

  6. Olá Thais,
    Que tal um post sobre os apps que vc utiliza para estudar no tablet?
    Talvez alguns para organização pessoal também… ^^

    Bjocas

    • Sobre um post de estudo com o Tablet seria legal! Thais ou outra pessoa, saberia me informar um programa que fosse leitor(?) de livros e tivesse um tradutor, queria voltar estudar inglês…:) abçs

      • Vim comentar isso, Adriana! Estou querendo comprar um tablet. Tenho um iPhone e penso em comprar um iPad, mas não posso criar planilhas, né? Queria muito saber sobre!
        Up! Post sobre estudando com o Tablet! \o

  7. Só um comentário em relação a armazenar as coisas online (na nuvem): longe de ser paranóia, mas é preciso ter MUITO cuidado. Coisas que estão na internet estão suscetíveis a qualquer dano. Nada é seguro na internet, nem o Google, nem o Facebook, nem coisa nenhuma. Tudo está sujeito a roubo de dados e informações.

    No mais, também utilizo muito da tecnologia, até porque, sou estudante de informática! 🙂

  8. Não,não acho. Já fiz um detox tempos atrás e não tenho conta de celular pos-paga, só atendo conhecidos, e não atendo chamada de número restrito e estou sempre com ele mais para emergências e como um localizador de mim, se é que o meu tem isso, sabe áquela estória de ser sequestrada e te acharem pelo rastreio do celular?kkkk… e no momento não tenho linha telefone fixo, não assisto TV, não gosto de novelas e os programas preferidos são altas horas da noite,(Amaury Jr e Jô Soares) nem Fantástico eu vejo, mas não deixo de ouvir o debate da Band de Domingo, tarde da noite pelo celular, porém uso bastante meu lepitopi, se estou em casa, on line o dia todo, e nos intervalos das tarefas, venho visitar blogs, pesquisar algo, etc Tenho face e blog mas não são com eles que gasto o maior tempo on line. Preciso é de aprender mais sobre tecnologia para tirar maior proveito em menos tempo, e estou pensando em trazer na próxima viagem um Tablet, quase comprei no Natal um na promoção, mas desconhecia a marca e não confiei no fabricante, e está na lista de desejos desde 2011, e como sei que perderei temmmmpo para aprender mexer, deixa quieto, esperando minha filha voltar pra me ajudar.
    Se puder divulgar a marca do seu Tablet que todos usam o mesmo, deve ser bom; e se comprou em loja física ou virtual, já agradecida.

  9. Acho que tudo que é de mais, não é saudável, convivo com gente que entre uma garfada e outra esta com a tela do iphone e ou tablet grudada na cara.

    Eu sou super tranquila em relação a isso, uso quando necessário. Quando vamos para praia no final de semana por exemplo, levo só o celular, e ainda deixo dentro da bolsa, uma vez de manha, outra a tarde e mais uma noite dou uma espiada pra ver se tem alguma ligação ou msg, e só retorno se realmente for importante (se quer acesso e-mail). Prefiro usar o meu tempo para coisas que são únicas, como ficar conversando com minha mãe, brincando com os sobrinhos e o cachorro, vendo um bom filme com o marido. Nossa vida é corrida, e nosso tempo é curto, me permito durante a semana e de forma saudável usar toda a tecnologia, mas aos finais de semana priorizo a família e os amigos. bjs

  10. Oi, Thaís.
    Eu acho que nós fazemos parte de uma geração que ainda consegue se ver sem toda esta tecnologia, mas precisamos pensar que dificilmente os nossos netos conseguirão. Nascemos sem o Google, crescemos sem tablet e assim nos acostumamos (e gostamos) de viver. Mas a tecnologia avança com muita velocidade e faz o homem acreditar que PRECISA dela. Infelizmente, quando chegarem ao mundo os nossos netos, eles nascerão acreditando precisar de tudo isso – e de fato precisarão, pois, acredito, o mundo estará conectado.

    • Mariana,voce disse exatamente o que eu penso,pra quem tem 30 anos ou mais a questao de viver conectado ainda assusta,ainda somos saudosista de como interagiamos ha um tempo atras e achamos que muitas pessoas ficam tempo demais a merce da tecnologia,somos priviolegiados por um lado pois vivemos os dois lados ,o completamente sem tecnologia e essa nova era,mas com certeza nossos filhos serao muito diferentes. Eu tenho um pouco de raiva das redes sociais ( eu gostaria que as pessoas fossem mais presentes) mas o futuro ja comecou,as relacoes humanas passam pela rede,eu queria de volta a roda de amigos,pra quem se mudou e esta distante dos seus nao da,eu me irrito com gente que fala muito ao celular,com quem vive falando das redes sociais ,mas isso porque pertenco a uma geracao que por ter provado da vida com e sem tecnologia gostaria de ter um pouco de cada,mas acho que nao da mais.

      Bjs

  11. Eu não costumo ficar com celular 24hs. As vezes esqueço em casa; o meu é touchscreen mas não é android – é bem simples e não uso gadget algum. Coloquei ele p/ rejeitar chamadas de números restritos. Meu plano é pré-pago e coloco créditos uma vez por mês (e o valor mais barato). Mas o facebook eu tive que dar uma cortada, porque toda hora eu entrava aqui no trabalho. Então estou há mais de 15 dias sem dar nem uma entradinha, e vi que não me faz falta alguma.
    Twitter deletei e não tenho tablet. Tenho apenas um netbook para assistir séries e estudar e Tv raramente vejo (não temos tv a cabo e nem pretendemos ter).
    Amei ter conhecido o dropbox, acho ele muito útil.

  12. Eu tb vivo me fazendo a mesma pergunta: Será que preciso de toda essa tecnologia? A verdade é que não conseguiria… Deus me livre escrever minha tese de doutorado numa máquina de escrever! O meu problema é me controlar de checar e-mail e o Facebook a cada 15 min, e passar tempo livre na frente do computador–às vezes até não dando a devida atenção à minha família. Isso sim devo mudar. Mas não me desfaço da tecnologia de tudo.
    Celular só para emergências meeesmoooo! Nada de lero-lero no celular. E ficar checando o celular a cada minuto tb é um saco pra quem é a companhia. Acho uma falta de respeito!

    Concordando ou não, é um post que vale a pena ler e pararmos para repensar nas nossas relações cotidianas. Algumas vezes temos que nos desconectar (os eletrônicos) para conectar (com as pessoas). 🙂

  13. Olá,
    Realmente, as vezes é muito bom ficar fora do ar principalmente nos finais de semana, sempre que posso não, não ligo nadinha, só curtindo a família.
    Parabéns pelo blog.
    beijos
    Luh

  14. eu tb estou começando a me encher de redes sociais…ja aproveitei bastante mas ultimamente,tudo o que preciso fazer é acessar e escrever para os amigos e eles idem, não há companhia, com isso meus contatos estão diminuindo e até brigas futeis ando vendo com pessoas que nem conhecemos realmente… rede social, diminui distancias mas não ajuda a explicar diferenças, a regra é evitar assuntos polemicos mas as vezes acabamos respondendo que gostamos de amarelo e o outro que gosta de vermelho, fica querendo satisfações…enfim motivos para encrenca. sem contar as indiretas não sei para quem…
    qto a telefone eu já fui mais dependente mas diminui bastante minhas chamadas e na proxima renovação do meu plano, vou colocar pré pago.
    tablet, penso em comprar para uso em viagens…
    qto ao computador, uso mais o notebook, mas mais para acesso a redes sociais e como vou diminuir meu acesso as redes, vou usa-lo para o trabalho.

  15. Oi,
    Usei celular pré-pago durante anos. Hoje eu pago um plano pós-pago com 3G. Não é essencial, mas gosto de ter. Como todos em casa usam, o dinheiro é bem aproveitado (conta familiar).
    Como dica, quero dizer que de tempos em tempos ligo para operadora para renegociar o plano e pedir descontos ou novos benefícios sem aumento de custo. Tenho consigo mais serviços por menos, porque eles tem alguma margem de negociação. O que vou desligar é o telefone fixo da Telefonica (só me aborrece – telemarketing). A conta de TV a cabo já inclui um número de telefone, que vai servir como linha fixa.
    Já fiquei sem TV a cabo. Prefiro ter. Apenas vou pedir para cancelar um ponto adicional, porque não uso.
    Os cortes da linha fixa e do ponto extra vão gerar economia de 75,00. Parece pouco, mas em um ano dá 1000,00, quantia nada desprezível.
    Se fosse necessário economizar mais intensamente (já fiz isso), não titubearia em cancelar tudo e voltar ao celular pré-pago, que me serviu bem por anos.
    Meu marido cancelou a conta do Facebook e está mais feliz. Eu nem tenho.
    Bjs,

  16. “como mãe, é impossível ficar sem um celular”… concordo contigo Thais. Mas isso porque trabalhamos fora, antigamente as mães ficavam o tempo todo com os filhos então sim, era dispensável o celular.

    A tecnologia não é vilã, foi inventada pra ajudar os seres humanos. Mas como tudo, o uso tem que ser ponderado, tanto pela qualidade de vida, quanto pela parte financeira.
    Eu por exemplo, não uso redes sociais (facebook, twitter), não sei usar aplicativos, meu celular é super básico e apesar de ter plano pós pago, só uso pra ligações e mensagens, mas não abro mão de TV a cabo. Detesto TV aberta, e quero ter opções pra assistir filmes e minhas séries favoritas quando quero relaxar a noite. Meus filhos também já se acostumaram com canais de desenho, então apesar de não pagar o pacote mais caro, também não fico sem.

  17. Tenho tudo celular ,tablet……. E bom senso. Kk. Nao atendo celular em restaurantes , ou quando tem visitas em casa. Como trabalho em casa me disciplinei a ter horarios para usar tablet e outros gagets. Como viajo muito o tablet e muito melhor para levar por ser menos. E andando em Sp tb cabe na bolsa..

  18. A tecnologia realmente invadiu nossas vidas. Acho, no entanto, que assim como todas as outras coisas, temos que tentar trabalhar o equilíbrio: nada em excesso faz bem, inclusive uso de celular, computador, TV.

    Pra mim o mais importante de tudo que você falou está no quarto ponto da conclusão: “Estabeleça uma hora do dia para respondê-los (e-mails) em vez de interromper o que está fazendo a cada minuto que receber uma mensagem.”. Vi uma diferença incrível na minha produtividade depois que passei a receber e-mails apenas de 2 em 2 horas (não mais de 5 em 5 minutos como o Outlook vem configurado). Inclusive, falo exatamente sobre isto em um post do meu blog 🙂

  19. minhas paranóias de comportamento minimalista:
    -Bem, ola a todos, gostaria de dividir com voces alguns habitos que foram aparecendo conforme fui me tornando minimalista nos ultimos 2 anos:
    -Eu me LIBERTEI! do facebook e orkut!!!, me sinto livre e sem mais esta obrigação de olhar, ler e responder amigos e afins…já fazem uns 6 meses, e nesta cola foram embora a conta do twitter e de um blog sem sentido que eu escrevia meio que por obrigação.
    -Celular (no meu caso corporativo), é ligado automaticamente uma hora antes do inicio do meu turno de trabalho e desligado automaticamente 30 minutos apos o fim., já é assim a dois anos, não morri, ninguem morreu!.
    Tenho um celular particular que praticamente não uso, alias uso bastante como camera, gps e player, o numero: só esposa, mãe, pai e irmãos tem, apenas para emergencias reais.. kkkk. nem sei o numero de cor!
    -Todos cds, livros e fotos viraram digital, não tenho mais o “fardo” de ter que cuidar destas coisas.
    -Sempre fui uma pessoa de ter 5, 6, 8 hobbies. Hoje tenho um só que é a musica, e apenas um instrumento sem apego emocional (meu violão).
    -Tenho uma pequena caixa de fotos que selecionei quando digitalizei tudo, pequena mesmo!, acho quem umas 150 fotos muitos especiais, esse é o unico ítem que tenho hoje, vamos assim dizer de apelo emocional, isso pra mim foi muito legal, pois desapeguei de toda tralha emocionei que eu tinha.
    -vendi os 2 relogios de pulso! – não tenho mais nenhum, outra libertadade!!
    -aboli a carteira ! no bolso apenas dinheiro dobrado, CNH com carteira do convenio médico, e o cartão de debito quando sei que vou usa-lo, do contrario fica em casa! ah: – não tenho mais cartão de credito. (esse lance da carteira é anterior ao minimalismo, fiz isso a 10 anos atras)
    – tenho a vantagem de ser homem e aboli os adornos, uso apenas aliança de casamento, nada de correntes, pulseiras, aneis, etc. etc.
    – uma conta bancaria apenas.
    – uma conta de email apenas (particular).
    – minha conta de email corporativa eu recebo cerca de 40 mensagens por dia, mas graças ao tipo de atividade que exerço, (que não cabe explicar aqui) geralmente são informativos do meu trabalho e não exigem respostas, ai graças a Deus sobram apenas umas 6 por dia que tenho que responder, sei que sou previlegiado neste quesito.
    – Conta de email particular: só amigos reais e proximos tem o endereço, é usado apenas para coisas importantes, não recebo spams, não recebo promoções, não recebo piadas, nada!!!! chego a ficar um, dois, tres dias sem cair mensagem, sei que quando chega uma ela tem uma certa importancia, isso é muito legal.
    -MATO as coisas na raiz, chegou uma correspondencia que não me interessa (promoção por exemplo), já é devolvida para o carteiro como recusada, geralmente não volta mais !, a mesma coisa com email, se cair algo estranho, já vira spam, ou faço descadastramento no ato, se for piada aviso o amigo que me enviou que não me copie para este tipo de email, explico que não tenho interesse!, isso funcionou comigo, a meses não recebo este tipo de mensagem. E eu só envio email se for informação relevante!
    -Roupas: poucas e só as que realmente uso.
    -Em casa um movel o eletrodomestico tem lugar somente se tiver utilidade!.
    -ufa!!! ai voces podem pensar: que cara chato!!!, não me acho!, apenas dou valor ao meu tempo, que garanto começou a sobrar em abundancia! 70% dos compromissos que arrumamos não precisavamos arrumar, aí sobra tempo para o que realmente interessa!

    • Edvaldo, muito bom seu depoimento, obrigada por dividir. Também estou entrando no minimalismo, gosto muito de ler sobre como as outras pessoas conseguiram. É muito libertador.

    • Ótimo depoimento. Também modifiquei vários comportamentos com relação à tecnologia e a vida pessoal. Não participar de redes sociais e ter um único e-mail é libertador, como você mesmo disse. Parabéns! 😀

  20. Olá Edvaldo, adorei seu comentário. Ultimamente estou assim também. A verdade é que é fácil viver a vida, nós é quem complicamos as coisas.
    Estou para dar um fim no meu celular. É um smartphone, com 2 chip. Ele até que é bem útil sabe, mas o duro é que a bateria não dura quase nada. Todos os dias tenho que ficar carregando, é isso é chato. Agora quero um celular bem simplesinho, desses de 100,00 que só faz/recebe ligação e a bateria dura 1 semana!

  21. Olha, eu acho que quem usa tecnologia a seu favor, não tem nem que pensar em se livrar totalmente dela, né? Mas estamos falando de gente que fica o tempo todo no celular, smartphone… aquelas pessoas que não conseguem trocar duas palavras com quem está na frente delas sem parar pra checar as mensagens. Então, né, claro que essas pessoas precisam. Eu entendo que quem tenha filho tenha uma preocupação constante, mas fora isso – e se você não for um médico que atenda emergência – não tem porque não dar um tempinho.

    • Concordo que a tecnologia traz comodidade e facilita a vida da gente, mas o que se ve na maioria das vezes (minha opinião), que as pessoas ficaram na verdade escravas disto, não precisa ir muito a fundo e perceber que a maioria das pessoas almoçam e jantam com o celular do lado do prato, isso é praticidade ou escravidão?

      Você ter que estar disponivel para atender o celular, responder um email ou facebook a todo momento, inclusive nas refeições, no banheiro, dirigindo, na praia, é praticidade ou escravidão?
      Brinquei com o lance da praia pois tenho um colega de trabalho que se encaixa bem nas situações acima, ele importou um carregador de celular solar porque diz que já ficou sem celular na praia varias vezes!!! eu particularmente acho um absurdo, mas tem louco pra tudo.

      A tecnologia esta aí a nossa disposição para facilitar a vida, mas use com parcimônia !

      • Concordo totalmente. Pôxa, quantas vezes eu deixei um assunto pela metade porque a outra pessoa parou pra atender o celular – e nem era uma emergência, era bate papo. Acho que a gente tem que ter cuidado pra não perder de vista as prioridades. Porque né, gente, quem está com você, em pessoa naquele minuto, devia merecer um pouco mais de atenção que quem está ao telefone.

        Tem algo que eu vivo falando pras pessoas que reclamam que eu nem sempre atendo o celular: celular é pra facilitar a minha vida, não pra me deixar 24 horas disponível. Eu tenho mais coisa pra fazer que ficar atendendo telefone.

        Acho absurdo essa paranoia que a gente – como sociedade – desenvolveu de que estar conectado o tempo todo é praticidade. Que nem seu colega. Tá na praia, curte a praia 😉

        • é verdade, esse lance de telefone me encomada tanto atualmente que ate o fixo aqui de casa anda sob o alvo dos meus olhares, se não fosse minimalista já teria comprado, mas ando pensando seriamente em adquirir uma secretaria eletronica e não atender mais imediatamente, pq garanto que se não for importante a pessoa nem chega a deixar recado. E tem épocas que encomada tanto como em eleições que os candidatos covardementes e sem autorização colocam gravações automaticas para as casas das pessoas, ou mesmo estas campanhas para ajudar x ou y. Já fiz o descadastramento do meu telefone a um bom tempo atras para não receber mais este tipo de ligação, elas diminuiram mas não acabaram.
          Saúde a vida livre !

  22. Procuro deixar meu celular somente no vibra, assim não estressa as crianças ter um celular tocanto o dia todo e com isso atendo somente quando quero e acho necessário….

  23. Thais, esse post foi uma mão na roda! Estou tentando me adaptar e entender o Evernote, usá-lo como agenda, tentando diminuir papel. Parabéns pelas blogagens, sempre pertinentes.

  24. Adorei o post, recentemente comecei a destecnologizar e algumas coisas parecem ser mais simples assim. Como o método GTD por exemplo, antes sempre tentava os aplicativos de celular para isso ou para aquilo mas quando fiz o caderninho com as abas que começou a funcionar. Comprei um Kindle para diminuir a papelada, e me ajudou muito, pq eu tinha muita dificuldade para ler em tablets, e como ele é preto e branco e bem simples de ler nem parece eletrônico, parece um livro mesmo. Uso computador o dia todo no trabalho, então, raramente quando chego em casa tenho vontade. Odeio quando estou com uma pessoa e ela fica mais tempo falando no celular que comigo, é uma falta de etiqueta tecnológica.
    beijos

    • Oi Camila!

      Por que você optou por um kindle ao invés do tablet? Quais as vantagens do kindle? Sou advogada e temos que lidar muito com códigos. O problema é que constantemente saem leis novas e o código de papel acaba ficando desatualizado. Por estes motivo estou pensando em adquirir ou um tablet ou um kindle.

  25. Adorei este artigo! Concordo na maioria dos aspectos citados. E, realmente, depois que larguei daquele vício incontrolável de estar 24 horas por dia no computador, melhorei muito o meu jeito de ser, de pensar, e de agir no dia-a-dia. E, principalmente, melhorou muito os meus relacionamentos.

    Vejo o “celular” como um bicho de sete cabeças, sério! Nem faço ligação por ele. Se for para ligar que seja pelo telefone de casa para o telefone da casa da pessoa, pois assim não cobra nada. Os meus créditos duram o mês inteiro, ou seja, não faço ligação algum, só recebo. E olha que o meu celular foi escolhido a dedo, pelo fato de que detesto tela touch screen, e é um Nokia X2 que na época foi R$ 200,00, barato não é?, e se puder ficarei com ele a vida inteira! Ah!, e ele é bem prático por não ter aqueles inúmeros aplicativos.

    Redes sociais“? Estou correndo horrores desse monstro, isso sim! De praxe só tenho conta no gmail. Não sou o tipo de pessoa que gosta de jogar assunto fora ou perder tempo com fofocas seja do colégio ou da vida alheia (vulgo “celebridades”). Por isso, rede social? Não tenho nenhuma e não faço questão de ter. Se alguém estiver interessado em mim que marque um encontro então, poxa.

    Hoje em dia o meu “notebook” fica praticamente o dia inteiro fechado, raramente o abro. Só o uso para baixar algum filme ou livro (ebook), e ler algum artigo em um dos sites que ficam nos favoritos, e não fico mais de 30 minutos. Também gostaria de citar a questão de organização, não só no espaço real como no virtual. Não sou do tipo que gosta de ficar criando inúmeras pastas mais com inúmeros arquivos, no máximo uso aquele minimalismo extremo.

    Em questão da “TV“, aqui em casa usamos a da CTBC. Muito boa em questão de programação, principalmente por passar os vários sub-programas do Discovery Channel, que é o meu canal preferido. Motivo? “Documentários, séries e programas educativos sobre ciência, tecnologia, história, meio ambiente e geografia”, wikipédia. E sempre há uma programação extremamente interessante. Agora, já nos outros canais, quem os assiste é minha família.

    E, para finalizar o enorme texto, fico bastante grata por encontrar outras pessoas que compartilham de minha leve aversão ao “vício tecnológico”.

    • Olá Lisse, o legal de compartilhar estas coisas e ver que existem pessoas que pensam igual a gente percebe, é que percebemos que não ficamos loucos…kkk

      porque este tipo de assunto quando comentado para as pessoas “normais”, Deus do céu, só falta a gente ser cruxificado!
      abraços

DEIXE UMA RESPOSTA