ou

Alguns leitores do Vida Organizada comentaram que já até fizeram a declaração, que iniciou na quinta-feira passada, dia 2 de março. Não deixe para a última hora (28 de abril) para fazer! Quanto antes você declarar, mais chances tem de receber a restituição do valor (se houver alguma) nas primeiras levas, daqui a alguns meses (início em 16 de junho). Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade.

Se você teve recebimentos no ano passado (2016) acima de R$ 28.559,70 em 2016, você deve declarar o imposto. O valor subiu 1,54% em relação ao ano passado, quando somou R$ 28.123,91 (relativos aos recebimentos em 2015). A multa para quem não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo será de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo corresponde a 20% do imposto devido.

De acordo com a Receita Federal, também estão obrigados a declarar o Imposto de Renda neste ano:

  • Os contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado.
  • Quem obteve, em qualquer mês de 2016, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas.
  • Quem teve, em 2016, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Quem teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil.
  • Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2016.

A única coisa que muda na declaração deste ano é que os contribuintes terão que informar o CPF das pessoas listadas como dependentes e que tenham 12 anos ou mais. Até o ano passado, a exigência era para dependentes acima dos 14 anos.

A entrega da declaração do Imposto de Renda 2017 poderá ser feita pela internet, com o programa de transmissão da Receita Federal (Receitanet), online (com certificado digital), na página do próprio Fisco, ou por meio do serviço “Fazer Declaração”, disponível para tablets e smartphones. Se você for trabalhador empregado, com vínculo CLT, pode ser mais fácil (e mais barato) fazer você mesmo(a) a declaração. Caso tenha dúvidas, consulte um(a) contador(a). Mas não deixe para a última hora! Este é o período do ano em que eles mais trabalham e podem não ter mais agenda para você.

Uma maneira fácil de organizar os documentos ao longo do ano é ter uma pasta para guardar exclusivamente os comprovantes para a declaração do ano seguinte, pois assim você não precisa ficar procurando ou buscando em lugares diferentes. Experimente para o ano que vem, se você ainda não faz assim.

Thais Godinho
06/03/2017
8
Em busca do apartamento perfeito
Organize seus documentos para a declaração do Imposto de Renda
Organizando um orçamento mensal para roupas

Nessa transição de um ano para o outro, é comum pensarmos mais nos nossos objetivos. O que é tudo bem mas, será que eles estão coerentes entre si? Ou seja, o que você quer a curto prazo tem a ver com o que você quer a longo prazo? Seus projetos atuais refletem tais objetivos? Neste post, você vai aprender a identificar e refletir sobre o que quer alcançar em curto, médio e longo prazo na sua vida, sem pressão. A ideia é entender se o seu tempo está sendo aproveitado de uma maneira que te deixa feliz.

A vida é uma aventura. Definir objetivos significa ter um mapa em mãos quando se coloca o pé na estrada. Você pode até mudar um pouco um percurso mas, se se perder, você sabe que o seu mapa está ali para te ajudar. A ideia de ter objetivos listados é a mesma. Eles não são engessados, cravados em pedra. Você pode mudá-los, se sua vida caminhar para isso. Mas, uma vez que você os tenha definido, isso te ajuda a não perder coisas que não tenham a ver com você e com a vida que você quer viver.

Às vezes é mais fácil pensar em objetivos de longo prazo, pois eles denunciam valores importantes. Por isso, podem ser um ponto de partida. No entanto, não existe jeito certo de definir objetivos. Você pode simplesmente identificá-los.

Vamos às definições:

  • Um objetivo de curto prazo é um objetivo que você pode querer alcançar em até dois anos. Essa definição tem muito a ver com o GTD (método de produtividade). O que você quer que seja verdade até o fim do ano que vem? Essa abordagem é interessante porque permite que a gente reflita sobre estados que não temos hoje em nossa vida. Analisando todas as áreas da minha vida, o que eu quero que seja verdade em cada uma delas? Em Finanças, por exemplo, pode ser algo como “Guardar X reais para dar entrada em um apartamento”. Em Saúde, pode ser “Emagrecer 10kg”. Em Carreira, pode ser “Mudar de emprego”. Perceba que todos esses objetivos podem levar menos tempo que até dois anos, por isso que falamos em “até”, e não “em”. Os objetivos de curto prazo expressam vontades.
  • Um objetivo de longo prazo é aquele objetivo de vida, que você vê lá na frente, como algo que você quer conquistar na sua vida. Pode ser “Comprar um apartamento no bairro desejado” ou “Ter uma família grande e unida”. Os objetivos de longo prazo expressam valores.
  • Já o objetivo de médio prazo é aquele no meio termo, que engloba a maior parte da sua vida. De 3 a 10, 20 anos adiante, você pode ter objetivos de médio prazo. Os objetivos de médio prazo expressam seu estilo de vida. Como eu quero estar vivendo daqui a 10, 15 anos? Como eu quero que seja o meu trabalho daqui a 20 anos? E, uma vez identificados, você consegue trazer metas intermediárias para mais perto, que talvez vão gerar projetos.

O exercício aqui só pode ficar mais personalizado se nós trabalharmos juntos no processo de coaching. <3 Porque a ideia é você exercitar esse raciocínio em cada uma dessas esferas e aí comparar um com o outro. Por exemplo: se eu quero ter uma família grande e unida, o que precisa acontecer antes? Casar, ter um, dois filhos, ou adotar. E para isso acontecer, o que tenho que fazer? Como isso impacta no meu hoje? Exemplo prático:

Objetivo de longo prazo: Comprar um apartamento no bairro desejado
Objetivo de médio prazo: Comprar um apartamento
Objetivo de curto prazo: Guardar X reais para dar entrada em um apartamento
Projetos que podem ter a ver: Buscar investimentos com lucratividade X por mês, Buscar uma segunda atividade remunerada, Definir o tipo de apartamento que consigo comprar e por aí vai.

Dá pra tirar uma tarde para pensar nisso, não? 😉

Thais Godinho
16/01/2017
11
Em que fuso horário você está?
Pergunta do dia: qual a sua paixão?
Faça as pazes com sua vida pessoal e profissional

Planners estão na moda. Para quem não conhece o termo, estamos falando de agendas ou fichários que podem ser personalizados para gerenciar não apenas seu calendário, mas também outras informações, como metas, projetos, finanças etc. Mas se você não gosta de carregar um planner ou bullet journal em papel com você e for mais chegado em aplicativos tecnológicos, você pode montar algo semelhante no meio digital também. Vamos ver neste post como fazer isso usando a ferramenta Todoist.

O Todoist é muito intuitivo e possui uma interface simples. Ao longo de quase dois anos trabalhando com a ferramenta e ensinando em sala de aula, pude ver como a curva de aprendizado é simples entre as pessoas. Basta criar uma conta e sair mexendo, que você aprende rapidinho. Para saber o básico sobre os recursos do Todoist, por favor, confira um vídeo que gravei no início de 2016 repassando todos os conceitos.

Basicamente, o Todoist trabalha com Projetos, Etiquetas e Filtros. Hoje vou trabalhar apenas com Projetos, que é como se fossem pastas, listas que criamos na ferramenta.

Para criar o seu planner, eu sugiro a seguinte configuração inicial de listas:

Planejamento

Na sessão Planejamento, você deverá incluir tudo aquilo relacionado ao seu planejamento diário, semanal, mensal e anual. Você pode, obviamente, personalizar como quiser e inserir outras frequências, como quinzenal e semestral – fica a seu critério. Tente não complicar.

O primeiro sub-projeto (ou sub-lista – vou usar esse termo daqui em diante para não confundir) será Visão geral: 2017. A ideia é que você possa registrar e ter uma visão geral do seu ano como um todo, dos principais acontecimentos.

A sub-lista Planejamento mensal pode ser criada sob demanda, mês a mês, como se fosse um bullet journal (ou você pode querer criar todos os meses de uma só vez também). A ideia é listar seus compromissos e tarefas do mês. Você pode adicionar outras seções também, se quiser, claro, como “contas do mês” e outras.

Você não precisa se preocupar com a quantidade de itens aqui porque, à medida que for executando, eles vão sumindo e dando lugar aos outros meses.

No Planejamento semanal, você separará por semana e inserirá tudo aquilo que precisa ser revisado semanalmente.

Por fim, em Rotina diária, você pode colocar hábitos que quer alimentar, além de suas rotinas propriamente ditas. Tudo aquilo que você faz diariamente pode entrar aqui. Lembre-se de deixar a bolinha de “ticar” uma tarefa apenas para as tarefas que você precisa se forçar a lembrar. O que já faz em piloto automático, não precisa.

No final das contas, as sub-listas de Planejamento ficarão assim:

Projetos

Na lista de Projetos, você vai inserir todos os seus projetos pessoais e profissionais. Procure simplificar aqui. Minha recomendação é:

Dentro de cada lista, liste as tarefas e informações relevantes àquele projeto.

O bom de fazer assim é que você pode compartilhar projetos individualmente com outras pessoas que também tenham Todoist.

Outra sugestão de seção é para “projetos incubados”, onde você pode listar projetos que estão em espera.

Objetivos

Ter todos os seus objetivos listados em um único lugar é muito bacana. Aqui, a sugestão de organização é semelhante à dos projetos: insira dentro de cada objetivo as informações e tarefas relacionadas.

Para as sub-listas, recomendo o seguinte:

Referências

Nesta seção, a ideia é inserir informações que não cabem em outros lugares. Algumas ideias:

Você pode inserir aqui seções personalizadas.

Trabalho

Lista aqui tudo o que for importante você deixar em um único lugar, referente ao seu trabalho. Lembre-se que nem tudo é projeto e objetivo. Se você tem rotinas específicas, por exemplo, elas podem entrar aqui.

Se você for blogueira(o), por exemplo, pode querer inserir sua programação de posts e outras informações relacionadas.

Personalize de acordo com suas atividades profissionais.

Pessoal

Aqui, mesmo raciocínio, mas com atividades pessoais.

A ideia é que você possa personalizar seu Todoist assim como você faria com um planner ou bullet journal, mas com tecnologia.

Este post traz ideias básicas, apenas para mostrar como configurar, mas você que deve buscar a personalização adequada que vai te servir.

Estou louca para ver como você configurou! Compartilhe comigo no Instagram! @blogvidaorganizada

Thais Godinho
29/12/2016
Veja mais sobre:
, Até 2 horas, No trabalho, Organizar
49
Novidade Todoist: Calendário das ações de um projeto
Como organizar projetos no Todoist
Como montar um planner 2017 no Todoist