ou

“Quantas horas você trabalha por semana?”. Costumo ouvir essa pergunta sempre que comento que esvaziei minha caixa de entrada em um domingo de manhã ou quando faço um webinar durante a semana, à noite. E eu sempre respondo com outra pergunta: “Quantas horas por semana você é mãe ou pai?” ou “Quantas horas por semana você cuida da sua saúde?”.

Outra pergunta que também ouço sempre é: “Devo organizar minhas listas de projetos para fazer no trabalho e ter outra para a minha vida pessoal?”. E eu também replico com perguntas como: “Se você vai fazer uma viagem a trabalho e isso impacta na sua rotina em casa, esse é um projeto pessoal ou profissional?”. O que gera um certo bug mental sempre que faço essa e as perguntas acima.

Agora, por quê? Porque somos uma só pessoa, com diversas áreas na nossa vida. Não se trata de “pessoal X profissional” mais. Você se preocupa e trata de problemas “pessoais” enquanto está no trabalho, assim como tem ideias sensacionais para projetos “de trabalho” quando está de férias ou em casa, descansando.

Este post é uma proposta para você. Afinal, estamos em clima de ano novo, e pode ser propício. Faça as pazes com a sua vida pessoal e profissional. Você tem UMA vida, e essa vida tem múltiplas facetas, múltiplos interesses, múltiplas áreas que devem ser equilibrados da melhor maneira para você. 

Atenção: isso não é uma permissão para se desfazer de limites. Não significa que é ok trabalhar 20 horas por dia e deixar de lado outras coisas. Muito pelo contrário. Significa que é ok você querer planejar um projeto “de trabalho” em um final de semana, se você estiver a fim de fazer isso. Sem neuras. Assim como é ok você fazer a lista de supermercado enquanto estiver no horário de trabalho.

Se a gente parar para analisar, a separação entre pessoal e profissional é recente na história da humanidade. Essa coisa de “deixar o trabalho no trabalho” ou “bato o cartão às 17:00 – depois disso esqueço do trabalho” é algo que a revolução industrial trouxe para a vida das pessoas. Pergunte a um fazendeiro se ele separa a vida pessoal da vida profissional. Não existe – é uma vida. Tudo se relaciona e se equilibra.

Antigamente os pais chegavam em casa do trabalho e a família nem sabia o que ele fazia no trabalho. Isso não existe mais hoje, porque as pessoas estão buscando engajamento com propósito. O que é ótimo. Estamos vivendo uma época que tudo está se misturando novamente. A partir do momento que você vai conquistando propósito na sua vida, é natural curtir as coisas do seu trabalho mesmo fora dele.

Mas atenção novamente: não estou dizendo que todo mundo tem que ser workaholic. Muito pelo contrário! Estou dizendo que cada vez mais as pessoas estão buscando trabalhos que permitam que, em uma terça-feira à tarde, elas possam parar para ler um livro. Ou pintar um quadro. As regras não estão mudando – elas estão voltando a um estado natural da humanidade. Então a gente precisa entender isso, se cobrar menos e equilibrar todas as áreas da nossa vida de acordo com o que faz sentido.

Uma vez que você tenha controle de todas as coisas que você precisa fazer, não importa se elas são pessoais ou profissionais – você vai realizá-las no contexto mais adequado. Mas vai economizar horas. O modelo de oito horas diárias de trabalho pode ser reduzido a três, quatro. Porque você aproveita melhor o seu tempo.

E, uma vez que você tenha algo a fazer, sua mente só consegue focar naquela coisa. Se você não tiver controle sobre tudo aquilo que não está fazendo, aquilo vai ficar te interrompendo mentalmente, seja pessoal ou profissional. E isso independe do lugar onde você esteja – em casa ou no escritório.

ANOTE tudo o que precisa fazer!

Fazer as pazes com a sua vida pessoal e profissional começa entendendo que não existem duas vidas diferentes, mas uma única vida com diversas áreas de foco que você vai aprendendo a equilibrar. Afinal, seu trabalho no escritório é tão importante quanto a sua saúde, seus cuidados com a casa, com a família, suas horas de lazer, de sono, tudo. Então nada deve ser negligenciado em detrimento de outra coisa.

Fala-se tanto hoje em “home-office como tendência” ou “usar ferramentas que tornem a nossa vida mais produtiva”, mas o núcleo da questão é outro: estamos vivendo em um mundo 24/7 que não pediu permissão para chegar e cada um tem as suas próprias regras sobre o que deve ser feito. Enquanto para uma pessoa é normal enviar uma mensagem no What’s App sobre um projeto no trabalho às onze da noite, para outra isso é o cúmulo, inadmissível. Enquanto o mundo se adapta a essa nova realidade, precisamos estabelecer limites próprios, e esses limites nascem apenas de uma busca por uma vida mais equilibrada, em todos os setores. Afinal, qual a diferença entre um What’s App de trabalho às 23h e um What’s App de um amigo? São interferências do mesmo jeito.

Se você costuma dividir a sua vida entre pessoal e profissional porque não quer ser interrompido quando está fazendo uma coisa ou outra, aqui vai uma notícia para você: você vai ficar chateado(a) se brigou com a sua mãe mesmo tentando se concentrar na reunião com o cliente. Você vai continuar tendo ideias para os seus projetos enquanto estiver tomando banho ou de férias. Não se cobre por isso. Faça as pazes com a sua mente e aprenda a capturar essas ideias e organizá-las adequadamente, de modo que, depois, você possa lidar com elas no momento que considerar mais apropriado. O ideal, na realidade, é que você possa fazer uma coisa de cada vez, sem ser interrompido especialmente pelos seus pensamentos. E é aqui que a organização te ajuda, porque te permite ter o controle de tudo o que você não está fazendo naquele momento, o que te dá tranquilidade.

Mas, sinceramente, sua vida é o seu trabalho. Viver é um trabalho. A qualquer momento, estando em casa, no escritório, na academia, na faculdade, você deve ser capaz de deixar todo o resto, seja o que for, de lado, e se concentrar no que precisa ser feito. E isso não tem nada a ver com uma separação simplista como “pessoal X profissional”. A pergunta a se fazer é: quais são as áreas da sua vida que demandam atenção e como você tem lidado com as demandas de cada uma delas? Isso é equilíbrio.

Responder e-mails em um domingo de manhã é super ok se foi uma escolha sua – e não algo que você está fazendo porque não deu conta durante a semana, te obrigando a deixar coisas mais importantes – como descansar ou ficar com a família – de lado.  Optar pela melhor escolha naquele momento, para você, é a chave.

Thais Godinho
07/01/2017
35
Pergunta do dia: qual a sua paixão?
Seus objetivos conversam entre si?
Faça as pazes com sua vida pessoal e profissional

Aproveite o mês de janeiro e o Carnaval para ler livros que remetam a recomeços e renovação. Neste post, vamos indicar livros que façam alusão aos nossos 5 “Rs” de janeiro: Relaxe, Renove, Refresque, Resete e Recomece.

💙 Relaxe: “Resiliência”, Erika Stancolovich. “O vento não quebra uma árvore que se dobra” (provérbio africano). A Resiliência, que, em termos organizacionais, pode significar “a capacidade de gerenciar flexivelmente e crescer na adversidade’’, pode ajudar os professores a alcançar resultados positivos e fazer com que eles possam conseguir manter suas competências perante situações ameaçadoras e imprevisíveis. O termo Resiliência veio da Física e significa a propriedade de alguns materiais acumular energia, quando exigidos e estressados, e voltar ao seu estado original sem qualquer deformação. Em Ciências Humanas, seu significado é: “A capacidade de um indivíduo possuir uma conduta sã num ambiente insano, ou seja, a capacidade de o indivíduo sobrepor-se e construir-se positivamente perante adversidades.” Os indivíduos resilientes têm sido descritos como possuindo um locus interno de controle, otimismo, significação, confiança, força de ego, perseverança, habilidade para resolver problemas e flexibilidade.

💙 Renove: “Isso me traz alegria”, Marie Kondo. Cheio de dicas práticas e explicações detalhadas, o livro ensina como guardar cada tipo de roupa, documento e utensílio, como arrumar armários, armazenar alimentos, organizar maquiagens, CDs e fotografias, como envolver as crianças no processo e muito mais. Respondendo às principais dúvidas dos seus clientes e leitores, Marie aborda temas que ficaram de fora do livro anterior e reafirma a etapa mais importante do seu método: descobrir, entre tudo aquilo que está à sua volta, o que realmente lhe traz alegria – e descartar o restante. Quando nos cercamos apenas de coisas que amamos, a vida flui de forma muito mais leve. A bagunça não retorna e tudo se transforma. E é aí que a mágica acontece.

💙 Refresque: “Atenção plena”, Mark Williams. Mais do que uma técnica de meditação, a atenção plena (ou mindfulness) é um estilo de vida que consiste em estar aberto à experiência presente, observando seus pensamentos sem julgamentos, críticas ou elucubrações. Ao tomar consciência daquilo que sente, você se torna capaz de identificar sentimentos nocivos antes que eles ganhem força e desencadeiem um fluxo de emoções negativas – que é o que faz você se sentir estressado, irritado e frustrado. Este livro apresenta um curso de oito semanas com exercícios e meditações diárias que vão ajudá-lo a se libertar das pressões cotidianas, a se tornar mais compassivo consigo mesmo e a lidar com as dificuldades de forma mais tranquila e ponderada. Você descobrirá que a sensação de calma, liberdade e contentamento que tanto procura está sempre à sua disposição – a apenas uma respiração de distância.

💙 Resete: “Por que fazemos o que fazemos?”, Mario Sérgio Cortella. Bateu aquela preguiça de ir para o escritório na segunda-feira? A falta de tempo virou uma constante? A rotina está tirando o prazer no dia a dia? Anda em dúvida sobre qual é o real objetivo de sua vida? O filósofo e escritor Mario Sergio Cortella desvenda em Por que fazemos o que fazemos? as principais preocupações com relação ao trabalho. Dividido em vinte capítulos, ele aborda questões como a importância de ter uma vida com propósito, a motivação em tempos difíceis, os valores e a lealdade – a si e ao seu emprego. O livro é um verdadeiro manual para todo mundo que tem uma carreira mas vive se questionando sobre o presente e o futuro.

💙 Recomece: “Mais rápido e melhor”, Charles Duhhig. O autor faz um exploração inovadora da ciência da produtividade e por que, no mundo de hoje, como você pensa é muito mais importante do que o que você pensa. Com base nas últimas descobertas da neurociência, psicologia e economia comportamental Duhigg explica que as pessoas, empresas e organizações mais produtivas não apenas agem diferente, elas veem o mundo de modos profundamente diferentes. Elas sabem que produtividade tem a ver com fazer escolhas. A maneira como tomamos decisões; as grandes ambições que colocamos em primeiro lugar e as metas fáceis que ignoramos; a cultura que estabelecemos para estimular a inovação; o modo como interagimos com as informações que temos diante de nós: é isso que separa os simplesmente ocupados dos genuinamente produtivos.

E você, pretende ler que livro nas férias? Se não estiver de férias, me conte o que está lendo atualmente nos comentários!

Thais Godinho
03/01/2017
Veja mais sobre:
, De férias/folga
23
Checklist de agosto 2013
10 ideias para ter em mente todos os dias
Rapidinhas: A armadilha do “faça o que você ama”

Checklists são listas de referência, que você verifica para garantir que aquilo que você já faz em piloto automático está sendo realmente feito, a fim de garantir um certo nível de qualidade que você espera ter em sua vida.

Uma checklist anual traz itens que devem ser feitos uma vez por ano, mas que são incrivelmente importantes. Gosto de verificar essa checklist justamente na semana em que estamos – entre o Natal e o Ano Novo -, porque ela me ajuda a fazer uma revisão do ano que passou e também pensar com um pouco mais de significado no ano seguinte.

Ferramenta usada: Todoist

O que tem em cada um dos itens:

Obrigações de final de ano: Aqui entram itens básicos, como pagamento do décimo terceiro da minha contadora e fechamento fiscal da minha empresa. São coisas que eu tenho que fazer antes do ano acabar.

Faxina de final de ano: Aqui eu listo as coisas que gosto de fazer em casa para ser um faxinão de ano novo. Inclui lavar paredes externas, substituir travesseiros, fazer uma limpeza mais completa na geladeira e no congelador, lavar cortinas e outros itens do tipo. Também verifico se há necessidade de promover algo com relação à segurança da casa ou se quero pintar alguma parede.

Revisão de final de ano (GTD): Uma vez por ano, gosto de reimplementar o método GTD do zero, seguindo as recomendações do David Allen: separo dois dias para fazer uma super coleta e então esclarecer e organizar tudo. É magnífico. Também gosto de revisar o sistema como um todo, especialmente os projetos concluídos, e também atualizar o meu arquivo de referência de maneira geral (documentos, papéis, e-mails).

Para revisar finanças e projetos de vida: Este ano, em uma das edições da revista Você S/A (“Dinheiro: como fazer escolhas melhores?”, disponível no iPad), o especialista em finanças Gustavo Cerbasi compartilhou uma checklist muito legal para você revisar anualmente seus projetos de vida e finanças, então passei para cá. São perguntas muito boas, tais como: “sua família está informada sobre seus objetivos de curto, médio e longo prazo?”, “algum projeto terá que ser adiado por conta do orçamento atual?”, “quais os gastos que mais cresceram nos últimos 12 meses?”. Aliás, recomendo tudo o que você puder acompanhar do Gustavo Cerbasi fortemente. As dicas dele são ótimas.

Planejamento anual: Aqui, de modo geral, eu tenho uma visão do ano que vai começar (feriados, períodos de férias escolares, eventos já agendados) e lembro de projetos recorrentes, como fazer um check-up médico anual e organizar os documentos para o imposto de renda. Também insiro perguntas como “você vai em algum festival budista este ano?” ou “você pretende fazer algum curso?”, que me ajudam a analisar as possibilidades de investir tempo nesses projetos.

De modo geral, todas as revisões conversam com a revisão semanal do GTD, que é o que mantém o sistema como um todo atualizado, especialmente com relação aos projetos que estão em andamento e os que estão em stand-by.

Esta semana é um bom momento para você avaliar o que é importante revisar anualmente e montar sua checklist anual. Por favor, deixe um comentário comentando se você já faz algo do tipo ou compartilhando ideias. Vou adorar!

Thais Godinho
26/12/2016
Veja mais sobre:
, De férias/folga
15
Organizando o menu semanal no Evernote
Frase da semana: Dinheiro
{Enquete} Qual a principal dica de organização que você aprendeu com a sua mãe?