ou

Olá pessoal! Eu comentei algum tempo atrás que eu tirei minha certificação de coaching e que estava formatando esse trabalho para o Vida Organizada, a iniciar em setembro. Pois bem, essa hora chegou! <3 Eu já contatei primeiro os leitores que me escreveram antes e agora estou comunicando publicamente que iniciei meus atendimentos. A agenda já está um pouco cheia, mas ainda tenho vagas para iniciar o atendimento agora. Se você tiver interesse, por favor, entre em contato! Atenderei por ordem de chegada dos e-mails.

coaching-top

Como funciona

Inicialmente são de 8 a 10 sessões, com uma hora de duração cada, e semanais. Podemos estender até quinze dias caso nós dois não tenhamos agenda.

As sessões podem ser presenciais, se em São Paulo, realizadas apenas em seu local de trabalho. Ou podem ser virtuais, se você quiser ou morar em outra cidade.

Talvez seja desnecessário dizer, mas as sessões são pagas. Este é um serviço que ofereço com muito carinho e cuidado, e faz parte do meu trabalho. <3

O que é coaching?

Coaching é um processo de aperfeiçoamento, onde o coach (eu) auxilia o coachee (você) a desenvolver seu melhor. Aqui no Vida Organizada, o foco é organização pessoal, produtividade e vida doméstica, de acordo com a sua necessidade, que podemos descobrir nas sessões.

As sessões serão totalmente práticas e funcionais.

A diferença entre coaching e consultoria é que a consultoria serve como um suporte mesmo a questões específicas que você possa ter. Nós também temos esse serviço, se você precisar. O foco do coaching é para aquelas pessoas que dizem que precisam se organizar de qualquer maneira. Ele abrange o gerenciamento da sua vida em totalidade.

Entre em contato se tiver interesse! Fechando os horários iniciais, abrirei novos apenas mais para a frente.

Obrigada!

Thais Godinho
13/09/2016
Veja mais sobre:
Coaching
8
Mudança de servidor
Pinterest do Vida Organizada
Palestra na Livraria Cultura em São Paulo dia 17/1

Gostaria de compartilhar com vocês algumas das muitas lições que eu aprendi quando eu fiz meu curso de coaching, há poucas semanas. Eu acredito que sejam aprendizados que façam grande diferença na vida de qualquer pessoa.

coaching-licoes

Nunca é tarde para começar

Eu sinceramente sempre soube disso, porque tenho exemplos na minha família, entre amigos e vendo em noticiários de pessoas que começaram muito depois “do esperado” a empreender, a fazer uma nova faculdade, tentar outra carreira, e ficaram super bem e felizes. Não importa a sua idade: nunca é tarde para começar o que quer que seja. Nossa professora no curso deu o exemplo de um cliente dela que queria ser jogador de futebol porque amava muito o esporte, mas ele em teoria já tinha passado da idade. Ele descobriu outras maneiras de satisfazer essa vontade, jogando com amigos por hobby e trabalhando como comentarista de jogos esportivos. O que não pode é deixar um sonho ou uma vontade de lado por limitações etárias que podem não existir. Adapte-se, seja criativo(a) e corra atrás!

Ser negativo é natural – enfrente o mundo sendo positivo(a)

O mundo é negativo. Você liga o jornal na TV, e as notícias são negativas. Até mesmo a nossa família, na tentativa de nos proteger, pode jogar um balde água fria em nossos planos. O mundo naturalmente vai te puxar para baixo, então colocar um sorriso no rosto e pensar positivo são as maiores formas de empoderamento e enfrentamento que você pode incorporar daqui para a frente. Ser negativo e começar a reclamar é natural – o caminho mais fácil. Passar por cima de tudo isso, botar um sorriso no rosto e seguir em frente é para os fortes. Seja essa pessoa.

Foque no futuro

Somos humanos e cometemos erros. Se você fez alguma besteira, foque no futuro. Não fique se torturando com o que fez antes de hoje. O que quer que tenha sido, não pode ser mudado. Pense no que está em suas mãos e que pode ser mudado a partir de hoje. Foque sempre no futuro, e não no “oh deus, por quê?” das situações. Não vale a pena. Definir próximas ações vale a pena.

Você influencia outras pessoas

Você dá exemplo pelo que você fala e pela forma como age no dia a dia. Isso vale para a sua família, para as pessoas que trabalham com você, para o atendente da loja que você está tratando da compra de um produto, para as pessoas que te vêem na fila do banco. Tudo aquilo que você acredita, seus valores, aquilo que você – será que tudo isso está refletido na pessoa que você imprime para o mundo?

A responsabilidade sempre é sua

Tudo o que você tem hoje na sua vida (e não tem) é responsabilidade sua. Assuma isso. Em toda e qualquer situação, você deve pensar: qual o meu papel e o que eu posso fazer, o que está no meu círculo de influência nesse momento e que eu posso efetivamente mudar? E esse é o seu papel. Assuma o assento do motorista na sua vida, pare de reclamar dos outros, pare de culpar outras pessoas e situações externas por qualquer coisa. Veja o que pode fazer, vá lá e faça.

Mira na lua!

Sonhar grande dá o mesmo trabalho que sonhar pequeno. Para qualquer meta que você tiver, tente ampliá-la, nem que seja pelo exercício mental de ver como se planejar para alcançá-la. Muitas vezes, nos limitamos a certos padrões que nem percebemos. Isso vem de crenças limitadoras, ideias fixas e outras experiências. Faça isso nem que seja como exercício. Como você pode chegar onde você quer? E como você pode trazer aquela meta lá na frente para o hoje? Que caminho você vai percorrer? Tudo isso é planejamento na prática.

Eu aprendi muita coisa nos quatro dias de curso que eu fiz, e continuo aprendendo, porque o esforço é contínuo e não tenho parado de estudar desde então. Mas eu acredito que essas tenham sido as principais lições que eu considero essenciais para a vida de qualquer pessoa, e o coaching ajuda a potencializar todas elas.

Thais Godinho
19/07/2016
Veja mais sobre:
, Coaching
18
8 maneiras de levantar o moral em tempo frio
Organizar também é cuidar de si mesmo
Fique atento(a) à validade dos alimentos

Férias não é um termo certo para descrever o período que o blog passa atualmente, apesar de eu ter determinado que, de alguns dias para cá e durante os próximos, eu me programei para não publicar nada porque não estarei perto do computador aprovando e respondendo comentários.

Como vocês sabem, eu sou bastante organizada com o calendário editorial e tenho os posts escritos e agendados às vezes com meses de antecedência.

E o que aconteceu com julho é que o editorial que eu tinha escrito, assim como uma série de textos, tiveram que ser completamente modificados porque eu mesma estou passando por um período profundo de mudanças que não sei se este post será capaz de exprimir.

Eu dediquei meus últimos dias a uma formação intensiva de coaching aqui em São Paulo, que era um curso que eu gostaria de fazer já há algum tempo. Minha motivação para fazê-lo foi a seguinte: eu ensino as pessoas a se organizarem através do blog, dos meus livros, dos nossos cursos. Porém, como se trata de uma mudança de hábitos, eu queria aprender a ensinar de maneira melhor. Pensava que o trabalho um a um seria algo legal a oferecer como parte desse processo, e eu simplesmente achava que iria ao curso aprender as técnicas de coaching e sairia de lá com uma certificação em mãos. Mal sabia o que me aguardava.

O processo todo da certificação de coaching consiste em você testar todas as técnicas em você mesma(o) para entender como aplicar em outras pessoas depois. E, com isso, você vivencia momentos extremamente intensos, que eu até agora não consegui processar direito, mas que são completamente transformadores. Foram quatro dias com cerca de 12 horas de aulas por dia, todas pautadas em exercícios de auto-conhecimento, controle das emoções, planejamento da vida, de objetivos, valores, missão pessoal, plano de ação, resolução de problemas. Eu me perguntava o tempo todo como eu voltaria à minha vida normal na segunda-feira depois daquilo tudo. Não voltaria. Não tinha como.

O coaching, acima de qualquer coisa, ajuda você a descobrir seu potencial e te leva aos resultados que você quiser atingir. E, uma vez que você descubra qual é o seu melhor, você não consegue mais viver com nada que não seja esse melhor. Você quer manter esse mindset pra sempre. Quer que as pessoas tenham esse mindset também. Quer tirar da sua vida tudo aquilo que você nunca deveria ter perdido tempo e focar no que realmente importa. É como se você tivesse trocado as lentes e se configurado em uma versão turbo.

Eu fiz muito bem em ter programado alguns dias de folga (ou quase) esta semana porque eu ainda estou digerindo tudo e planejando como será a minha vida daqui para a frente, ao mesmo tempo que tenho uma clareza absurdamente gigantesca de todos os meus relacionamentos, todas as minhas atividades profissionais, todos os meus objetivos, e de quem eu sou de verdade.

Não ia escrever esse texto hoje, mas ao mesmo tempo tive vontade de escrever ainda um pouco no calor da situação para não perder esse ar de novidade e choque que ainda tenho. Sinto com muita intensidade o que o David Allen disse uma vez: “Como a gente pode não fazer isso, se isso é o que a gente é?”. Tive a oportunidade de presenciar uma sessão de coaching da master coach em sala com uma aluna do curso, e naquele momento eu tive certeza de que é aquilo que eu quero fazer pelo resto da vida: ajudar as pessoas a encontrarem o seu potencial, darem um jeito na vida, se planejarem, conquistarem seus objetivos. Eu vejo todos os dias muita gente sofrer com estresse, desanimada, se afundando em um mundo de atividades no dia a dia e sem foco, sem motivação, e sei que a organização é um caminho para resgatar a VIDA. Organização é isso. Uma vida organizada é isso.

Nunca estive tão certa do que quero fazer, e olha que já me senti certa muitas vezes. É diferente. É mais intenso. É mais maduro.

Como sou grata por ter feito esse curso, e me sinto em deleite! Bora viver essa vida que recomeça a cada segundo, a cada respirada, a cada sorriso, a cada pensamento, a cada ideia… a cada passo, a cada manhã. Que sua vida organizada seja uma vida extraordinária como a minha se tornou a partir de hoje.

facebook-renasceu

Thais Godinho
04/07/2016
Veja mais sobre:
, Coaching
69
O que eu aprendi com Larissa, Lia e Lolla
Meus objetivos para 2012 – e como eu organizo meus projetos