Resultados que a organização me proporcionou até hoje

24
1663

Quando eu paro para pensar em tudo o que eu consegui apenas porque me organizei com relação a cada uma das coisas, fico muito feliz por ter conquistado tanto. Ao mesmo tempo, me dá ânimo para aperfeiçoar esse planejamento e conquistar outras coisas legais.

Não que o objetivo seja sempre conquistar mais e mais. A gente tem que curtir as coisas que já conquistou. Mas, às vezes, uma conquista nova não significa nenhuma mudança radical, mas sim “deixar as minhas finanças um pouco mais tranquilas” ou “aperfeiçoar um idioma que vai me ajudar no trabalho que eu tenho agora”.

Listo aqui então as grandes conquistas que eu já tive na vida e que atribuo ao fato de ter me organizado minimamente para cada uma delas. O objetivo é mostrar o poder de transformação que a organização tem e inspirar vocês a se organizarem também.

  • A primeira conquista que eu atribuo ao fato de começar a me organizar foi perceber, no terceiro colegial (hoje Ensino Médio), que o ensino da escola que eu estudava não era suficiente para eu passar no vestibular, e me organizar de acordo com o edital e simplesmente correr atrás do que deveria ser feito. Sem conhecer qualquer método de organização, desenvolvi algo pessoal e consegui passar no curso e na faculdade que eu queria. Foi rápido? Não. Estudei durante o terceiro ano inteiro, depois fiz prova para conseguir bolsa no cursinho, abri mão de muitas atividades nessa época e, então, passei. Nada acontece por milagre. Muitas oportunidades apareceram naquela época (emprego de domingo a domingo, bandas, concurso público interessante), mas eu estava focada.
  • Fazer uma recolocação de carreira ao perceber que não estava feliz na área que eu escolhi. Cursei dois anos de Jornalismo e mudei para Publicidade, acreditando que tinha mais a ver comigo somente quando comecei a trabalhar na área, e foi uma decisão acertada. Eu me organizei para fazer a transição, comecei a trabalhar na área que eu gostava como estagiária e, antes de terminar o curso, eu já era coordenadora de projetos. Todo esse processo foi muito importante para mim e eu atribuo essencialmente a me conhecer, ter metas e me organizar para alcançá-las.
  • Conhecer o GTD deu um modo turbo em tudo isso. Eu conheci o GTD justamente quando fui promovida, porque eu descobri que não bastava ser uma pessoa organizada – precisava cuidar da organização dos outros também. Começar a usar o método que hoje é considerado o melhor método de produtividade do mundo mudou completamente a minha vida e me deu uma visão geral de tudo o que eu tinha e do que eu ainda queria fazer.
  • Criar um blog para falar sobre organização, como hobby, para compartilhar o que eu estava aprendendo depois de começar a usar o método GTD e a ser mais focada em minha organização pessoal.
  • Aprender a respeitar as pessoas que moram comigo. Morei muitos anos com a minha avó e o meu pai, que tinham/têm estilos de organização diferentes dos meus. Quando fiquei apaixonada por organização, queria organizar tudo – as minhas coisas e as deles. Isso não funciona. Hoje sei que o importante é eu cuidar das minhas coisas, que sempre vou ter melhorias a fazer, e eles, se quiserem, entrarão no ritmo comigo. E entram. Toda vez que inicio um destralhamento, meu marido e meu filho querem fazer também porque vêem benefício nisso.
  • Aprender a tocar mais um novo instrumento (bateria).
  • Casar e planejar minha gravidez. Tudo foi planejado. Meu marido assumiu dois trabalhos (porque ele quis), eu comecei a construir uma cartela de clientes para trabalhar em casa durante os primeiros meses da gravidez e do nosso filho bebê, quando parar de tomar anticoncepcional, me informar, conhecer um bom obstetra e tudo o mais. Eu tive complicações de saúde no final da gravidez, e não consigo imaginar como teria sido se eu não tivesse me organizado.
  • Ensinar nosso filho a ter uma rotina. Estudei, testei, respeitei as necessidades dele e, mais do que isso, me dediquei completamente à maternidade nos meses seguintes ao seu nascimento. Quando vi que ele estava com uma rotina mais estável, vi que era hora de voltar a investir na minha carreira.
  • Conseguir todo emprego que eu desejasse. Isso sempre foi maravilhoso. Eu decidia especificamente o que queria fazer (ex: coordenar a área de mídias sociais em uma agência de médio porte) e ia atrás disso fazendo o que precisa ser feito para cada cargo – o que eu deveria saber, com quem eu deveria falar, que tipo de conteúdo precisava criar para gerar auto-relevância, quanto tempo levaria, onde encontrar as vagas. Todos os meus empregos foram assim e eu sei que foi porque eu me organizei e me planejei.
  • Mudar para uma cidade do interior. Em um determinado momento, nos bateu a necessidade de sair de São Paulo para promover mais qualidade de vida no nosso dia a dia e para criarmos o nosso filho. Essa transição não foi fácil – envolveu ir e voltar de ônibus fretado durante quase seis meses, acordando muito cedo e dormindo muito tarde, mas quando nos mudamos valeu a pena durante algum tempo. Depois de três anos, sentimos vontade de voltar e já sabíamos como ter essa mesma qualidade de vida mesmo em uma cidade grande como São Paulo (onde deveríamos morar, o tipo de imóvel etc).
  • Escrever um livro. A partir do momento que coloquei a meta de escrever e publicar um livro, fui fazendo acontecer da mesma maneira. Pouco tempo depois, estava com o contrato assinado de uma grande editora brasileira e, hoje, tenho dois livros publicados por ela.
  • Conciliar uma pós-graduação morando em uma cidade diferente. Ganhos e perdas, sacrifícios e recompensas. Foi uma das épocas mais difíceis da minha vida, mas deu tudo certo porque eu me dediquei a isso.
  • Descobrir a minha missão pessoal. Quando você vai dando sentido à sua vida, se conhecendo e descobrindo o que realmente gosta de fazer, você pode descobrir sua missão pessoal. Quando ela ficou clara, eu descobri que não poderia mais ignorá-la. O que nos leva ao próximo tópico…
  • Começar a trabalhar integralmente com aquilo que eu amo. Formatar toda uma vida, sendo a provedora da família, com um filho pequeno, para viver do que ama não é fácil. Tive medos e dúvidas, todos sanados por planejamento. O que seria suficiente para tranquilizar esse medo? E fui atrás disso. Consegui.
  • Trabalhar com GTD. Costumo brincar dizendo que trabalhar com GTD estava na minha lista de algum dia / talvez, como tantos outros projetos. Se tornou real também, mas nunca teria se tornado se eu não tivesse construído uma série de coisas para chegar ao ponto de ser finalmente chamada para viver disso.
  • Ser professora. Algo que eu sempre quis ser foi virar professora. Achei, erroneamente, que precisava estar em uma escola para fazer isso. Descobri que o que me apaixonava era ensinar algo às pessoas, ajudando-as de alguma maneira através do que eu estava ensinando. Já ministrei aula em pós-graduação, depois passei a fazer cursos com o blog e a ministrar treinamentos em empresas. Tudo gira em torno de um mesmo bem comum.
  • Ter o meu próprio negócio. Esse é um dos principais. Isso mudou a minha vida não apenas pela questão da remuneração, mas pelo poder criativo e a autonomia.
  • Viajar para fora do país. Foi muito legal conhecer os Estados Unidos e a Europa. Eram coisas que eu não imaginaria fazer com meu próprio planejamento quando eu era mais novo, e foi possível porque eu quis que fosse.
  • Conhecer o David Allen, autor do método GTD, e tirar as certificações. Uma coisa constrói a outra, mas essa foi uma das conquistas mais importantes.
  • Poder fazer investimentos e organizar os anos seguintes. Essa é uma conquista que pode parecer boba para alguns de vocês, mas para mim foi muito importante aprender a me organizar financeiramente e começar a pensar no futuro de maneira mais concreta, sem deixar de curtir o presente.
  • Pagar uma escola legal para o meu filho estudar e proporcionar ao meu marido a oportunidade de se dedicar à carreira que ele descobriu quando era mais velho.
  • Ter uma casa legal, onde não falte nada, e estarmos todos bem.
  • Adotar cachorros.

O que me permitiu fazer tudo isso foi não apenas o meu poder de fazer acontecer como o suporte de pessoas maravilhosas que eu conheci em meu caminho, e a todas elas eu agradeço. Inclusive vocês, leitores. Vocês fazem parte disso. Demais! Obrigada.

Espero que o post os inspire a correr atrás do que vocês querem também. Com foco e organização a gente consegue qualquer coisa.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorListas são complicadas?
Meu nome é Thais Godinho e sou organizadora profissional, o que significa que ajudo as pessoas a se organizarem quando elas precisam de uma forcinha para isso. A maneira que encontrei para ajudar foi criando este blog, ministrando cursos e realizando outros eventos.

24 Comentários

  1. Olá Thais! Sempre pensei que eu fôsse uma pessoa organizada, mas há algum tempo percebi que não sou tão organizada assim e resolvi mudar isso…foi aí que encontrei seu blog e estou começando a aplicar suas dicas.
    Estou fazendo tudo no meu tempo, um pouco de cada vez, mas já estou vendo resultados e isso, realmente, estimula a continuar e melhorar a cada dia.
    Muito obrigada por dividir seus conhecimentos! Bjs e sucesso

  2. Thaís, será que você poderia desenvolver um post sobre o primeiro tópico? Como foi executado esse planejamento “intuitivo” pessoal seu para os estudos no ensino medio. GRATA.

  3. Thais, acompanho seu blog e sou muito grata pelo aprendizado que me proporciona a cada post. Muito legal ver quantas conquistas obteve através da sua organização! Parabéns pelos êxitos e muito mais sucesso e conquistas em sua vida!

  4. Obrigada Thais! Ótimo post! Me inspirou a relacionar minhas “conquistas” também. Gosto muito do seu trabalho!

  5. Que lindo, que inspirador! Feliz por você e parabéns pelas conquistas. Você tem me ajudado em correr atrás das minhas também. Obrigada.

  6. Oi. Engraçado. Li o site todo e há um tempo venho implementando o GTD, mas sempre sinto medo. Ao ler esse texto senti também. Não sei se o medo impulsiona. É a sensação de não deixar se cumprir, de ir atrás também. Só preciso lidar com a ansiedade.

DEIXE UMA RESPOSTA