28 Oct 2011

A mulher ocupada e sua busca pela simplicidade

Recebi pelo grupo no Facebook a indicação de um blog muito bacana: The Busy Woman And The Stripy Cat. A Rita, autora do blog, resolveu dar a ele uma pegada mais voltada ao tema minimalismo e contar um pouco sobre suas transformações diárias. Super recomendo. Fiquei bem nostálgica porque me lembrou a época quando descobri o conceito também, há uns três anos, e revolucionei a minha vida. Inspirada nela, vou contar aqui o que eu fiz na época e me ajudou muito a praticar o desapego das coisas materiais que eu tinha aos montes:

  • Já contei no grupo que eu tinha uma coleção enorme de revistas Vogue nacionais e importadas desde os anos 90, e joguei TODAS fora. Sim, eu me arrependi. Mas, na época, confesso que fiquei muito aliviada por ter liberado aquele espaço.
  • Meu quarto se resumia à minha cama, uma escrivaninha, a estante cheia de livros e o meu violão.
  • Reduzi demais todo o meu guarda-roupa e usava somente calça jeans, camiseta e tênis. Tinha umas 12 camisetas pretas, duas calças e uns três tênis, e me vestia igual todos os dias. Eu acreditava que a moda complicava demais o dia-a-dia, além de fazer a gente gastar demais com besteiras.
  • Eu simplesmente parei de comprar coisas e nunca tive tanto dinheiro no bolso. Meu salário chegava até o final do mês com tranquilidade.
  • Me aproximei muito mais da natureza. Foi quando me dediquei ao hiking e fazia muitas trilhas e acampava em montanhas. Viajar era o que mais me fazia feliz.
  • Pedi demissão e me desfiz de muito mais para zerar a vida e recomeçar buscando o que fosse somente o essencial.
  • Descobri o zen budismo com força.

O principal foi que eu aprendi muita coisa na época. O que eu trago de ensinamentos se resume basicamente no seguinte:

# Respeite os mais velhos.

# “Um discurso não cozinha o arroz”.

# Tente superar os seus defeitos.

# Trabalhe para alcançar alguma meta.

# Não continue com ações que não tenham um objetivo.

# Trabalhe em prol da paz.

# “Tenta achar que não é assim tão mal – exercita a paciência”.

# “A felicidade não é o objetivo, é o caminho”.

# Aprenda com seus inimigos a ter paciência.

# “Sem paz interior, é impossível ter paz mundial”.

# Confie.

# “Se um problema não tem solução, não adianta se preocupar. Se ele tem solução, não precisa se preocupar”.

# Veja toda situação como uma forma de aprendizado.

# Cultive seus talentos próprios.

# “Curva tua cabeça e escuta, ó bodisatva”.

# Seja gentil.

# Faça o bem sem esperar nada em troca.

# Deixe o pedaço maior para a outra pessoa.

# Se estiver com raiva, medite.

# Se estiver feliz, medite.

# “Ninguém ficou pobre por dar esmolas”.

# Ouça mais, fale menos.

# Interesse-se verdadeiramente pelas pessoas.

# Não faça publicidade de suas boas ações.

# Ajude as pessoas no que puder.

# Respeite a natureza.

# Seja humilde.

Eu já contei aqui no blog como eu me tornei uma pessoa organizada e, no texto, eu falo sobre essa época e como eu radicalizei para conseguir me estabilizar um tempo depois. Naquele tempo, aquela mudança radical foi necessária, mas ela é uma destruição de conceitos. Acho que, pelo menos uma vez na vida, é necessária. Você praticamente faz desabar tudo aquilo em que acredita e recomeça do zero. É desafiador, mas essencial. E só fazendo isso que eu pude chegar onde estou hoje, nessa posição.

E ainda tenho tanto a aprender!

14 comentários . Comentar via blog

  1. Caramba, Thais muito legal, sabe eu sou crsitã, mas não discuto religião, pois cada um vive a sua fé. Por isso eu admiro os ensinamentos budistas, são bem simples e se caracterizam pelo desapego das coisas materiais e isso é muito bom.

    Achei bastante interessante tudo o que vc relatou. Eu mesma, optei por fazer isso, realmente se a gente não tomar cuidado, o mundo da moda, maquiagem etc enchem nossa cabeça e esvaziam o nosso bolso. Eu gosto demais de moda, e maquiagem, mas traçei pra mim mesma um limite. Aprendi a esperar, dar prioridade as coisas realmente importantes na vida. e graças a Deus tá dando tudo certo…

    Vida simples é menos dor de cabeça.

    bjinhosss

    Responder
  2. Roberta Nagai

    Fiquei muito tocada com a publicação de hoje, muito obrigada pela generosidade de compartilhar de forma tão bonita, as coisas que disse.
    Essas coisas nos fazem querer ser pessoas melhores e não existe nada melhor do que promover isso no interior de quem possamos alcançar. Fiquei pensando em situações em que nos sentimos injustiçadas e indignadas e percebi que talvez esse sentimento venha porque nos sentimos responsáveis de alguma forma, por ter criado uma situação em que a pessoa que nos machucou tenha tido espaço para fazer isso e consequentemente, despertado esse sentimnto ruím em nós.
    Mas não podemos desanimar e achar que não vale a pena agir de acordo com nossos valores.
    Obrigada novamente por me ajudar num momento em que estou sentindo tantas coisas confusas, sua publicação me fez sentir coisas boas de novo.
    um grande beijo.

    Responder
    1. Thais Godinho
      Thais Godinho

      Obrigada, Roberta. =)

      Responder
  3. Nossa, muito obrigada, hoje estava precisando de inspiração, tarde dificil, noticias chatas e leio isso, que as vezes é necessário começar do zero para conseguir mudar algo muito importante, muito obrigada!

    Responder
  4. Thais, obrigada pela tua referência ao meu blog! Também gosto muito do teu, e é muito bom ler coisas sobre simplicidade e organização em português!

    Responder
  5. Michelle Tulio Amorim

    Muito bom o post Thais. Acho que depois que nos tornamos mães, acabamos naturalmente por deixar muitas coisas que julgávamos imprescindíveis, em segundo plano e tentamos tornar tudo mais simples =)

    Responder
  6. amei!, ta aberto desde ontem aqui e sempre que paro dou mais uma olhada.

    simplicidade deixa a vida muito mais facil e gostosa :-)

    Responder
  7. Sara

    Que engraçado! Numa semana descobri o site da Rita e o teu (por esta ordem), embora os tenha descoberto separados… e agora o link para blog da Rita neste post. Foi uma coincidência engraçada!
    Já agora, estou a gostar muito do teu blog e de como transmites o método Flylady. Eu descobri esse método há uns 4 ou 5 anos, mas achei o sistema de alertas e o próprio site um pouco confusos. Estou a redescobri-lo contigo e estou a gostar. Obrigada. Um olá do lado de lá do oceano!

    Responder
    1. Thais Godinho
      Thais Godinho

      Olá, Sara!

      Responder
  8. Oi Thais,

    Descobri o seu blog hoje e achei fantástico! Li o feed inteiro e gostei muito do que encontrei, vai me ajudar bastante.

    Quero te perguntar sobre suas revistas. Você tem assintura delas? Como você organiza ou o que você faz com elas depois de ler?

    Eu tenho pilhas de dois anos de Vogue e Elle nacionais e americanas, Você S/A e Seleções.. E não sei o que fazer com elas! Estava pronta para levar para o lixo, aí li esse post e fiquei na dúvida, pois você disse ter se arrependido. O que você teria feito hoje?

    Por hora cancelei a assinatura de todas, para não acumular ainda mais..

    Responder
  9. Kelle

    Olá Thaís tudo bem! Descobri seu blog há um pouco mais de um mês. estou amando! Você fala de forma simples e dá exemplos do nosso dia-a-dia, coisas que também acontece com nós que lemos seu blog, eu me identifico em muitos posts por isso gosto tanto! Não consigo mais deixar de ler, estou acompanhando diariamente. Estou gostando muito dessa idéia de minimalismo, minha mãe é assim e eu nem sabia que isso era uma filosofia de vida! Não precisamos de muita coisa para ser feliz “o essencial é invisível ao olhos”. Obrigada pelo blog!Ele me faz muito bem! Bjs

    Responder
  10. yara asche

    Oi Thais, acompanho o seu blog há um tempo mas agora que resolvi te enviar uma mensagem porque voce é sempre uma inspiracao. Nunca fui muito organizada nem completamente bagunceira, mas acredito cada dia mais que para ter uma vida tranquila é necessario ser organizada e tambem minimalista, como a Rita, que tambem conheci pelo seu blog. Gostei dela por nao ser radical e como voce expoe muito bem seus conceitos.
    Obrigada por nos ajudar e compartilhar seus conhecimentos
    Bjs

    Responder

Deixe um comentário