Blog Página 97

Como estudar para concursos – parte 3 – Depois da autorização

14

Continuando a série sobre organização dos estudos para passar em concursos públicos, hoje o post falará sobre como organizar os estudos depois da autorização.

Antes de continuar, gostaria de dizer que, como expliquei no primeiro post da série, todas as dicas aqui foram fruto de pesquisas em fontes diversas, sempre citadas. Para não restarem dúvidas, seguem as minhas fontes:

  • Livro “Guia de aprovação em concursos públicos” – William Douglas
  • Livro “Como estudar para concursos” – Alexandre Meirelles
  • Livro “Manual de um concurseiro” – Alex Viegas
  • Livro “Vencendo a maratona de concursos públicos” – Lia Salgado
  • Entrevistas do Deme (Demétrio Pépice) coletadas pela internet
  • Dicas de aprovados no Fórum Concurseiros
  • Entrevistas de aprovados no site do Ponto dos Concursos
  • Dicas compartilhadas por amigos e conhecidos aprovados em concursos públicos

Dito isso, vamos continuar com a nossa série. =)

Continue seguindo todas as dicas dadas nos posts anteriores, além do direcionamento novo a partir da autorização, com as dicas deste post.

Analisando todas as dicas que eu li, percebi que existe uma diferença enorme entre você estudar antes do edital e depois da autorização. Por quê? Porque, antes da autorização, você pode até ter ideia de que concurso você quer prestar, mas a autorização dá a certeza de que ele vai acontecer. Significa que, a partir daquele momento, você pode focar exclusivamente naquele concurso. Suponhamos que você esteja estudando para uma área, com as matérias genéricas. A partir da autorização, você pode focar exclusivamente naquele concurso, se for o seu objetivo.

Assim, a primeira coisa que você deve fazer é:

1. Analisar o último edital

Você deve pegar o último edital do concurso em questão e analisar com calma as disciplinas e tópicos abordados. Também deve verificar quantas questões de cada disciplina caem na prova, quais os pesos etc. Essa análise servirá como guia de estudos daqui para a frente. É claro que matérias entram e saem, assim como podem continuar iguais, mas você precisa se arriscar. Vale a pena estudar o que caiu no último edital e depois utilizar o tempo para estudar as matérias novas.

2. Conhecer a banca

Muitas vezes, quando é publicada a autorização do concurso, já é anunciada também a banca que realizará as provas. Se isso acontecer, seu objetivo deve ser conhecê-la. Por quê? Oras, porque as bancas repetem as questões e têm um estilo próprio. É muito diferente fazer uma prova da FCC ou da ESAF, por exemplo. Você precisa entender como funciona a “cabeça” da banca, pois isso já garantirá um avanço enorme na hora de resolver as questões na prova.

Para fazer isso, baixe provas anteriores da banca, fique atento(a) às provas de concursos em andamento e resolva as questões relacionadas às matérias que te interessam. Sempre que acontecer alguma prova da banca com pelo menos uma matéria que consta no edital do seu concurso, vale a pena baixar e fazer.

É consenso entre os concurseiros bem aprovados que a resolução de provas da banca é fundamental na aprovação. Não descarte esse método, pois ele realmente é importante.

3. Fechar as matérias

Vejo muito nas discussões de concurseiros o termo “fechar a matéria”, que basicamente significa ter estudado todos os pontos abordados no edital anterior e um pouco mais, estudando pelos livros ou fazendo cursos. Procure ter essa meta de fechar as matérias antes da publicação do edital. Você terá cerca de três meses (ou mais) até isso acontecer, então foque nos estudos! Agora é a hora de intensificar o seu ritmo e correr atrás do que não fez antes.

Fechando as matérias antes da publicação do edital, você estará apto a pegar o documento e ficar feliz! Pense nisso! Você verá todos os pontos já estudados ali, na sua frente, e poderá se concentrar nas matérias novas que entrarem, por exemplo, ou nos tópicos diferentes. Mas sobre isso eu falarei no próximo post. =)

Ideia para empacotar presentes para crianças

6

presentes-criancas

Que tal fazer do pacote de presente o presente em si? Essa blogueira deu uma ideia muito bacana para as embalagens. No post em questão, tem também um presente embalado com um jogo de caça-palavras! Divertido e muito econômico. Veja aqui.

 

Antes e depois: sala da leitora

15

Oi Thais!

É um prazer finalmente participar do seu blog! Eu comecei a me organizar ém setembro do ano passado, comecei pela parte financeira 🙂 Hoje posso dizer que já sou uma xiita no assunto !!!

Depois comecei a organizar minha casa, era mãe solteira, morava numa casa grande só eu e meu filho de 4 anos!!! (E um monte de animais domésticos) Trabalho em casa, então era fundamental arrumar as coisas…

A foto que eu mandei é da minha sala de jantar e sala de TV, ela era desse jeitinho no começo do ano!! MAS alguns meses depois minha vida sofreu uma reviravolta, engravidei e meu namorado veio morar com a gente!! Estamos começando a nos organizar tudo denovo! mas meu escritório virou o quarto do bebê e a escrivaninha, estante, impressora, etc mudaram pra sala… Mas foi legal achar essa foto da minha sala organizadinha! Sei que com o bebê e o novo morador da casa ainda vai demorar um pouco pra arrumarmos tudo, mas com certeza ler seu blog faz com que a gente queira manter a ordem…

Parabéns pelo blog, ele é muito inspirador!!!

Bjos,

Gabi

Gabi, eu achei chocante! Obrigada por compartilhar. =)

Quer participar do blog? Veja como.

Linkagem de domingo {31}

10

Toda semana eu seleciono alguns links que li, gostei e achei interessantes para os leitores do Vida Organizada. =)

Os dessa semana são esses:

Um bom domingo para você.

Decoração de Natal da casa da Martha Stewart

4

ms2 ms3

ms2

A tia Martha postou em seu blog um pouco do que ela anda aprontando com a decoração de Natal da casa dela. Ela disse que tem estado bastante ocupada (ah vá!)  esta semana cuidando de tudo relacionado ao Natal, mas quis postar algumas fotos de sua fazenda e de como ela tem se preparado. Para conferir, clique aqui.

Mudanças no blog a partir da pesquisa

22

Outro dia postei no blog o link para uma pesquisa sobre os leitores. Você já participou? Por favor, veja aqui. Ela ficará aberta para sempre, pois quero sempre receber de vocês esse feedback para ir melhorando uma coisinha aqui e outra ali no blog.

Este post é para falar sobre algumas mudanças que já fiz, até mesmo para dar esse retorno para vocês.

Queria agradecer MUITO a todos que participaram, pois a opinião de vocês é o que mais importa. Só assim eu posso saber o que estou fazendo de certo e errado e tentar consertar o que não está muito legal.

Vejam aqui um status do que foi feito:

  1. A barra lateral voltou para o lado direito, facilitando a leitura do post.
  2. Minha foto foi trocada. Prometo que colocarei uma melhor logo logo.
  3. O fundo também foi trocado.
  4. Inseri a descrição ao lado do logo.
  5. Inseri um calendário na lateral com os posts por dia.
  6. Melhorei a cor do menu de categorias para facilitar a leitura.
  7. Mudei a cor do título dos posts, para identificá-los melhor.
  8. Estou postando mais de uma vez por dia (de 1 a 3 posts).
  9. Os posts aparecem inteiros nos resultados das buscas, nas páginas de categorias e outras.
  10. Diminuí a minha foto na lateral.
  11. Troquei a foto na barra lateral por um vídeo de boas-vindas. – 15/12/12
  12. Inseri os ícones com as redes sociais do blog na barra lateral. – 15/12/12

Mais uma vez, obrigada por estarem participando. Espero que estejam gostando das mudanças. =)

Gostaria de responder algumas dúvidas que postaram também, então criei uma página de FAQ para ir atualizando aos pouquinhos.

Procurando inspiração para o Natal? Pinspiration, a novidade do Pinterest

2

Como se não bastasse ser a base de inspiração de muita gente já de forma normal, o Pinterest resolveu colocar no ar uma página chamada “Pinspiration”, onde em todos os dias de dezembro são publicadas dicas relacionadas às festas de fim de ano. Pessoas comuns, marcas e celebridades participam com suas recomendações. Gostei muito! Aqui.

Como planejar a ceia de Natal

4

Se você vai receber a família para a ceia de Natal, veja algumas dicas para planejar direitinho:

  1. A primeira coisa que você deve fazer é uma lista de quem participará da ceia na sua casa. A quantidade de convidados definirá todo o restante.
  2. Planeje o cardápio! Você já deve ter suas receitas preferidas, mas pode pesquisar ideias na Internet para fazer algum prato diferente. Se puder pedir para algum convidado trazer algo, peça! É normal dividir as tarefas para a ceia e nossos parentes já estão acostumados com isso. Você sempre pode pedir para alguém trazer alguma sobremesa ou outro prato.
  3. Planeje o que ficará sob os seus cuidados e faça uma lista de tarefas. Antecipe o que puder (congelando alimentos, por exemplo). Veja a checklist de Natal que publiquei no blog outro dia.
  4. As compras de alimentos devem ser feitas uma semana antes. Alguns legumes, verduras e frutas podem ser comprados poucos dias antes.
  5. Se possível, estabeleça um lugar para ser o “centro de buffet” na sua casa. É mais prático deixar todas as comidas em um único lugar que encher a mesa de pratos que ocupam muito espaço.
  6. Sirva comidas que não precisam de preparo, como frutas secas, panetones, queijos, saladas, biscoitos. Isso diminuirá bastante a sua carga, se tiver que fazer a maioria das coisas sozinho(a). Aliás, ter esses petiscos disponíveis já na chegada dos convidados evita fazer com que todos passem fome aguardando o jantar.
  7. Não se estresse! Basta se planejar direitinho e fazer tudo com calma. Se algo não sair como o planejado, é normal. Não se culpe. É uma reunião familiar, foque na presença das pessoas que você gosta.

A escolha do cardápio é algo bastante particular para cada família e as opções são infinitas. De qualquer forma, atente para as restrições alimentares dos convidados. Se tiver uma tia ou um tio diabético, por exemplo, é de bom tom ter um doce dietético, como gelatina, para não fazer a pessoa passar vontade e mostrar que você se importa. Se tiver alguém vegetariano, verifique se há opções.

O mais importante ao receber pessoas é curtir cada momento e fazer com que se sintam bem e confortáveis. De nada adianta a comida estar impecável se você não sai da cozinha e quer lavar a louça o mais rápido possível enquanto os convidados ainda estão na sala. Uma ceia de Natal, assim como qualquer jantar ou encontrinho em casa, serve justamente para curtir a presença das pessoas. Todo o resto deve servir vocês, não o contrário. Pense em proporcionar uma noite agradável a todos e delineie seu planejamento por aí. Não pense na comida como principal, mas sim nos seus convidados. Todo o resto, como comida, mesa, decoração e música vão partir das decisões que você tomar a respeito de cada um dos presentes.

Como você costuma planejar a ceia de Natal na sua casa?

Faça você mesma(o): móvel para armazenar discos

6
Fonte: A Beautiful Mess

Que tal fazer você mesma(o) um móvel para guardar seus discos de vinil? Em casa eu utilizo cubos de mdf da Evolukit (já comprados prontos), mas adorei essa ideia e quis compartilhar com vocês. Neste link tem o passo-a-passo com imagens (em inglês, mas as imagens ajudam bastante).

Natal e as lembranças queridas da infância

3

Natal na Sunny

Fui convidada pela Sunny Brinquedos para dar um depoimento sobre alguma lembrança feliz que eu tivesse da minha infância, relacionada ao Natal. Se quiser conferir, corra lá no blog da marca e deixe o seu também. =)

Como estudar para concursos – parte 2 – Antes do edital

14

Continuando a série sobre organização dos estudos para passar em concursos públicos, hoje o post falará sobre como organizar os estudos antes da publicação do edital.

  • Parte 1 – Como começar
  • Parte 2 – Como estudar antes do edital
  • Parte 3 – Como estudar depois da autorização
  • Parte 4 – Como estudar depois do edital

Já é consenso entre os concurseiros aprovados que é imprescindível começar a estudar antes da publicação do edital. É claro que existem pessoas que conseguem passar estudando somente depois da publicação, mas isso depende de uma série de fatores, além de ser a exceção. O intervalo entre a publicação do edital e as provas é de 45 a 75 dias, se não me engano, então é realmente muito pouco tempo para se preparar para concursos de nível superior, por exemplo. O planejamento deve começar bem antes.

O bom de ter bastante tempo é que você pode comprar bons materiais aos poucos, estudar todas as matérias com calma e cuidado, fazer cursos, enfim, estudar de verdade. Veja algumas dicas para esta fase do seu estudo, então.

1. Encontrando tempo para estudar

A principal dúvida de quem começa a estudar é sobre como encontrar tempo. A primeira coisa que você deve fazer é um quadro com os sete dias da semana e anotar suas atividades regulares. Você descobrirá quanto tempo de estudo poderá disponibilizar. E sim, será necessário fazer alguns sacrifícios, como cancelar o curso de inglês, por exemplo.

Uma coisa que eu li no livro do Alex Viegas (“Manual de um concurseiro”) é a seguinte: toda vez que tiver que fazer algo na vida, pergunte-se se aquilo lhe favorece de alguma forma a passar no concurso. Se a resposta é não, descarte. Passar no concurso é o objetivo-mor agora. Se não for, talvez você deva buscar outro objetivo. Estudar para concursos é cansativo e demorado, demanda disciplina e motivação. Se você não estiver motivada(o) e disposta(o) a abrir mão de supérfluos no seu dia a dia, ficará quase impossível de passar.

Vale lembrar que cada tempinho é importante. Você pode estudar meia hora de manhã no trânsito fazendo uma pequena revisão do que estudou ontem, fazer exercícios na hora do almoço e estudar três horas de teoria de noite, depois que chegar do trabalho. Quanto mais você fizer isso, menos ficará tentada(o) a abrir mão do seu tempo de estudo para outras atividades desnecessárias.

Sua vida não para enquanto você está estudando para um concurso. Se o edital for publicado, segure as pontas durante uns dois meses até a prova, tudo bem. Mas, sem edital à vista, dIe atenção às pessoas que você gosta. Tenha uma noite para sair com o(a) namorado(a) ou ver um filme, separe um dia inteiro da semana para ficar com seus filhos etc.

2. Obtendo ajuda

Desnecessário dizer que, se você vai deixar de exercer uma série de atividades em casa, alguém terá que ocupar seu lugar. Por isso a conversa com parentes é tão importante. Seu companheiro (ou companheira) terá que assumir um monte de outras tarefas, pois você fará muito menos do que antes. Pode ser interessante contratar uma diarista para ir uma vez por semana ou a cada 15 dias, se existir a possibilidade financeira.

Muitas pessoas têm a possibilidade de somente estudar, sem trabalhar. Se esse for o seu caso, provavelmente a grana estará curta. Assim, tente intercalar as horas de estudo com as horas de cuidado com a casa. Encare o período de estudo como seu horário de trabalho e cuide da casa depois, por exemplo.

3. Métodos de estudo

Cada pessoa deve encontrar o melhor método de estudos para si mesma, que provavelmente será uma mistura de diversos métodos já conhecidos. Leia livros voltados à preparação para concursos públicos, como o do Alexandre Meirelles (“Como estudar para concursos”), o já citado do Alex Viegas (“Manual de um concurseiro”) e do William Douglas (“Guia de aprovação em concursos”). Todos eles oferecem métodos bacanas de estudos e podem servir pelo menos como base para você encontrar seu próprio ritmo.

4. Priorizando disciplinas

Como eu comentei no primeiro texto desta série, é importante escolher uma área para focar, pois seus estudos renderão mais. Desta forma, pegue o edital do último concurso que pretende passar e separe as disciplinas em categorias. Veja as que possuem peso maior na prova, as que são comuns a outros concursos da mesma área e as matérias que são mais específicas. O Alexandre Meirelles recomenda que se comece pelas básicas, pois assim você pode ter uma boa base nelas e prestar concursos semelhantes nesse meio-tempo. Quando estiver bem nelas, comece a adicionar outras e assim por diante.

5. Estudo em ciclos

O estudo por ciclos também foi inventado pelo Alex Meirelles (sou fã) e eu já falei um pouquinho sobre ele aqui.

6. Aulas

Algumas matérias difíceis ou que você não tem qualquer base podem demandar uma atenção especial. Se puder fazer cursos sobre elas, todos voltados para concursos, claro, será melhor. As aulas são boas para quem tem tempo, o que é o caso do estudo antes da publicação do edital. Procure no Fórum boas recomendações de professores e vá atrás deles.

7. Revisões constantes

O grande problema do estudo para concursos é que trata-se de uma quantidade massiva de disciplinas que você vai estudar durante muito tempo, provavelmente anos. Como se lembrar de tudo? Impossível se você não fizer revisões. Assim como com os métodos de estudo, cada pessoa encontrará a melhor forma de se fazer isso. O importante é que o conteúdo seja revisado constantemente para que nada se perca. De nada adianta estudar bastante e na semana seguinte não se lembrar de mais nada. A matéria precisa estar sempre fresquinha no cérebro.

8. Exercícios e provas anteriores

Outra dica que todos os aprovados sempre dão é para estudar pelos exercícios e provas anteriores da banca realizadora do concurso. Por quê? Em primeiro lugar, porque você treina seu aprendizado. Em segundo, e principalmente, porque as bancas são repetitivas e podem fazer perguntas semelhantes no concursos que você vai prestar. Pode acontecer de você já saber a resposta da questão antes mesmo de ler as alternativas, pois já fez outra parecida antes. Por isso, fazer provas anteriores da banca é essencial.

9. Registrando seu tempo de estudo

É legal registrar o seu tempo de estudo para saber quanto tempo você demora para resolver exercícios, por exemplo, ou ler um capítulo novo de matéria teórica. Além disso, você controla suas horas líquidas de estudo. É muito fácil dizer que estudou das 21h à meia-noite se você fez uma pausa no meio, tomou banho e jantou, tendo estudado 1h30, na verdade. Então, sente-se para estudar, olhe no relógio, anote a hora que começou e, quando terminar, anote novamente. Isso também dará um controle melhor do quanto você está estudando e permitirá que você preencha lacunas ao longo do seu dia.

Para registrar, você só precisa de um bloquinho ou caderno, onde anotará a disciplina estudada, o início, o fim e o que estudou.

10. Cuide do seu corpo

Pode parecer uma bobagem, mas estudar dá dor nas costas, ficamos mais cansados (física e mentalmente), entre outros efeitos. Encontre uma atividade física que lhe dê prazer (mas que não lhe tome tanto tempo), alimente-se melhor e pesquise sobre melhores maneiras de “alimentar o cérebro”. Cuide bem de si mesma(o) para estar sempre bem e 100% pronta(o) para estudar sem outros problemas te atrapalhando.

Bons estudos. =)

Dica da leitora: quando a organização salva

30

Este post foi escrito pela leitora Erika da Matta.

Oi Thaís! Estou enviando minha dica de organização, em especial por fazer tanta diferença na minha vida, mas também porque seu blog, além de ser sobre organização e ter a tag de leitores, é muito acessado por mães e por um público bem diverso, que pode se identificar com a minha situação. Acho que detalhei bem no texto, mas se restar alguma dúvida, me fala 🙂

Beijão, amo seu blog :))

Oi! Meu nome é Erika, tenho 21 anos, há 6 diagnosticada com TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Já li muito sobre o assunto, fiz tratamentos clínicos e medicamentosos diversos e acho que hoje eu já “melhorei” muito, ou seja, aprendi a me controlar em diversos aspectos, mas, é claro, é uma vida de altos e baixos e de muita vigilância. Quem tem ou convive com alguém com TDAH sabe que o dia-a-dia pode ter grandes desafios até nas pequenas coisas, talvez principalmente nelas.

Uma pessoa com TDAH pode perder coisas com facilidade, não se lembrar de coisas importantes por estar hiperfocado em alguma outra atividade (geralmente mais lúdicas e pouco produtivas), achar que “o tempo estica” (como diria a minha mãe), levando a atrasos freqüentes, dentre diversas outras questões. Estive um tempo sem ler um livro querido sobre o assunto (“Mentes Inquietas”, de Ana Beatriz Barbosa Silva) e, ao reler os principais pontos, percebi que estou mais controlada em diversos deles e me pus a refletir sobre o que estaria fazendo de diferente que teria gerado essa melhora… Organização!

Em um tratamento clínico que realizei logo após o diagnóstico, me foi dito sobre a importância da rotina para quem tem TDAH, mas ninguém me explicou exatamente como colocar isso em prática e, até pouco tempo, tinha ficado tudo isso por isso mesmo, até que decidi me organizar. Assim, aqui eu conto as minhas grandes estratégias:

– Desde os 12 anos, ou menos, eu compro uma agenda todos os anos, que, em geral, virava diário e depósito de figurinhas (hehehe), sempre fui incapaz de usá-las propriamente e também não me adaptei às formas digitais. Com o avançar do tempo, estava sofrendo os efeitos disso e percebendo a grande necessidade de mudança e, no início desse ano, passei a usar direitinho uma agenda perfeita pra mim: pequena, com visualização semanal, sem frufrus. Não vou dizer que deu certo 100% do tempo, mas diria que em uns 80%, o que já é excelente. Também comecei a utilizar o calendário do computador (que sincroniza com o do Google, do celular e do iPod), mas isso anda me atrapalhando, pois não está centralizado, então ainda estou avaliando como melhorar isso, mas a questão é que agora eu consigo me programar e dificilmente perco um compromisso. Para isso, leio a agenda todos os dias, tanto a noite quanto pela manhã e me programo de acordo;

– Também estabeleci as rotinas matinais e noturnas que a Thaís tanto fala, o que tem sido crucial para que eu não esqueça algo importante em casa ou perca tempo de manhã e isso é o que mais tem funcionado 🙂 penso em tudo o que vou fazer e precisar e lá vai pra bolsa. Consulto a previsão do tempo à noite, mas também dou uma olhadinha de manhã pra grantir (eu moro em São Paulo, né hehehehe) e checo tudo antes de sair de casa. Não costumo comer antes de sair, então já deixo lanchinhos separados em uma caixinha no armário da cozinha, aí de manhã é só pegar!

– Aprendi a estabelecer um lugar certo para cada coisa e manter tudo no devido lugar. Escorrego? Muito, mas acho que não por falta de disciplina e sim de um lugar certo para diversas coisas. Assim, estou reformulando o meu quarto para atender às minhas reais necessidades. Dessa forma, eu sei sempre onde está o que eu preciso, o que evita distrações (estar procurando uma pasta, achar um livro legal e resolver parar pra ler, ou ver que o armário está sujo e resolver limpar, esquecendo completamente da pasta, por exemplo);

– Outra coisa muito importante é utilizar despertador e timer para tudo, tudo mesmo. Vai fazer um bolo? Timer. Vai estudar? Timer. Resolveu parar para descansar? Soneca? Se arrumar para sair? Banho? Fazer as unhas? Ver TV? Jantar? Timer, timer, timer! Essa foi a forma que eu encontrei de controlar a tal “esticada do tempo”, pois, ao acionar o timer, eu já tomo a consciência de que tenho X minutos para aquela tarefa, diminuindo minhas chances de distração, que, mesmo que ocorra (beeeem freqüente), não me fará perder a hora e estragar a minha programação. Aliado a isso, tenho relógios sempre por perto (de pulso, de parede, do celular, do carro, ta TV) e criei o hábito de checá-los com bastante freqüência. Inclusive, procuro ter horários para fazer as coisas, de preferência em horas cheias, assim, havendo horários específicos em que eu preciso fazer determinadas tarefas, procuro associar umas às outras para facilitar. Por exemplo: se eu preciso escolher um horário para tomar um remédio diariamente, escolho um em que eu já faça algo, como o horário em que saio para ir para a faculdade ou o horário em que termina ou começa alguma aula. Isso também contribui para que eu não deixe de realizar minhas tarefas diárias que, aliás, eu anoto em listinhas. Ainda não criei um padrão para elas, mas uso muito post-its;

– Adicionalmente, também criei o hábito de organizar os mantimentos e os armários da cozinha como a Thaís ensina no blog, evitando (mas ainda não eliminando :P) não ter os ingredientes necessários para cozinhar e ter sempre uma refeição planejada ou feita.

Planos para o futuro? Rearranjar o meu quarto e setorizar tudo, melhorar cada um dos métodos acima, terminar de ler o livro do David Allen (“A Arte de Fazer Acontecer”) e colocar em prática o método GTD (em especial o caderninho com divisórias, que promete me ajudar muitíssimo, principalmente por deixar a cabeça livre), destralhar, simplificar… E, devido ao meu momento atual, buscar um grupo de apoio a portadores de TDAH, partilhando experiências e aprendendo novas estratégias!

Essas atitudes são tão importantes que, se deixo de realizá-las, minha vida vira o caos e os sintomas se intensificam: parece que “volta tudo”, como se eu nunca tivesse feito tratamento algum, o que só reforça o quanto essas atitudes devem ser hábitos para sempre!

Enfim, essas são as pequenas estratégias que eu adotei para me disciplinar e desocupar a minha mente um pouquinho…

Acho que deve ajudar a todos, mas é vital para quem tem TDAH! Na fase adulta é muito importante para dar conta dos compromissos e, na infância, é importante para criar os hábitos que durarão a vida toda e facilitarão conviver com o transtorno, o que será sempre um desafio.