12 Jun 2013

A rotina noturna da nossa família

Eu gostaria de rechear este post com fotos, mas vocês sabem como o dia a dia é corrido e, se eu fosse esperar por isso, não conseguiria terminar nunca este post! (acho que ele está no forno há quase dois meses!) Como muita gente estava me pedindo, resolvi escrever para contar um pouco sobre a nossa rotina noturna atual.

Uma pequena introdução para quem é novo no blog e não conhece o contexto: nosso filho tem três anos, meu marido é músico (e trabalha em horários alternativos) e eu trabalho fora o dia inteiro.

Basicamente, meu horário de chegar em casa varia, pois às vezes faço hora extra no trabalho. Sou a única na minha área por enquanto e muitas vezes preciso ficar até mais tarde (geralmente em época de eventos etc). Não vou colocar o horário exato em que chego em casa, por questões de segurança. Mas coloque aí uma variação de duas horas quando faço hora extra.

Quando eu chego em casa, normalmente meu filho já jantou e meu marido já preparou o jantar. Eu já troco de roupa (visto a roupa da academia, senão bate um desânimo danado) e janto. Depois, fico com o meu filho até a hora de ele dormir. Nesse meio tempo, meu marido aproveita para fazer algumas coisas dele, como tirar música ou ficar na Internet. Eu também acabo fazendo algumas coisas em casa, como trocar lixeiras, pendurar roupa, enfim, tarefas cotidianas mais simples.

Depois de mais ou menos uma hora depois que o meu filho jantou, é hora de tomar banho. Alternamos entre meu marido e eu para dar banho no filhote (depende do que cada um tem para fazer no dia). Enquanto um dá banho, o outro já separa a roupa e prepara o leite. Dou mais uns agarrões no meu filho, beijo de boa noite e vou para a academia. Meu marido o coloca para dormir, o que também é bastante rápido, porque ele dorme no quarto dele sozinho. Enquanto eu estou na academia, meu marido tem esse tempinho para ele, quando aproveita para fazer o que quiser, seja cuidar de algo na casa (lavar a louça, por exemplo) ou ver um pouco de TV.

Quando eu volto, vou direto para o banho. Tenho um dia da semana que é um “dia de folga”, que elegemos como a noite de ver filme. Nas outras noites, eu vou estudar. Estudo de duas a três horas por dia, dependendo do meu cansaço. Depois disso, separo a minha roupa para o dia seguinte, dou uma geral na bolsa para tirar papéizinhos etc, faço minha higiene pessoal e vou para a cama. Sim, eu durmo tarde. Foi uma escolha que eu fiz, para conseguir estudar mais.

Mas nem sempre é assim. Nos dias em que estou muito cansada, privilegio o descanso. Nos dias em que precisamos sair à noite, precisamos nos adaptar também e compensar (o estudo) nos outros dias, especialmente finais de semana.

Finais de semana

A rotina noturna nos finais de semana é mais tranquila, especialmente porque temos mais tempo para fazer tudo durante o dia. Se eu estiver bem (ou seja, não cansada) e meu marido não estiver em casa (porque foi trabalhar), eu fico estudando ou vendo alguma série ou filme que eu goste. Quando ele não trabalha em algum dia do final de semana, costumamos fazer algo juntos, sair para jantar, ir ao cinema ou simplesmente ficar em casa.

Limpeza

Com relação à limpeza da casa, repito o que já comentei em outros posts: temos listas! A lista de tarefas diárias é curta, com o essencial mesmo, e nós dois nos revezamos para cumprí-la (se meu marido não fez durante o dia, eu faço de noite). Mas, como dividimos as tarefas, não fica sobrecarregado para ninguém e é bem tranquilo cuidar da casa ao longo dos dias.

Meu marido sabe que, quando eu chego em casa, de noite, não vou ter muito tempo para cuidar da casa, então ele não deixa nada pesado para eu fazer. Muitas vezes o que acontece é que eu gosto de fazer, mas sempre me arrependo um pouco, porque ele poderia ter feito durante o dia ou eu poderia ter deixado para o final de semana. É que às vezes me batem 5 minutos e quero arrumar isso, limpar aquilo. Mas tento me policiar para não ficar tão cansada.

Mas basicamente é isso. Deixamos a noite para fazer outras coisas. Claro que isso só é possível porque meu marido está por aqui durante o dia (na maioria das vezes) e consegue limpar a casa. Se ambos trabalhássemos fora, a rotina seria diferente. Provavelmente eu deixaria de fazer academia, por exemplo, para ter mais tempo para cuidar da casa. A vida é assim mesmo, feita de adaptações. Já passamos por períodos em que simplesmente não parávamos em casa (quando eu trabalhava e fazia faculdade, e ele trabalhava de dia e tocava à noite), mas aí a casa sujava menos também…

Para nós, é muito importante existir esse equilíbrio. Já passei por grandes períodos de estresse na vida e sei que não é saudável viver assim. Tanto que, hoje, preferimos ter menos dinheiro mas manter essa estrutura em que meu marido possa ficar mais com o nosso filho, cuidar da casa etc. Foi uma escolha que fizemos e que pode mudar também, porque a vida é feita disso, mas que por enquanto tem se mostrado uma decisão acertada.

Ajuda

Não temos diarista, nem empregada, nem outra pessoa que nos ajude. Gosto de cuidar da casa eu mesma. Aliás, esse é o mote do blog: ensinar como podemos nos virar sozinhos(as) com relação a tudo relacionado a organização (incluindo a limpeza de casa).

Já considerei muitas vezes a ideia de ter alguém aqui, mas meu marido nunca quis. No final das contas, eu acho que ele tem razão e eu penso da mesma forma.

Lição de casa

Por enquanto, nosso filho ainda não tem que fazer lição de casa, então isso é uma coisa a menos para nos preocuparmos. Mas em breve isso acontecerá e é claro que eu vou postar aqui no blog para vocês acompanharem a mudança.

Compras

Geralmente vamos ao supermercado durante a semana pois, aos finais de semana, além de estarem muito cheios, meu marido pode estar trabalhando e só ele dirige (por enquanto). Elegemos um único dia da semana para fazer isso, mas ultimamente ele tem ido durante o dia, de forma que não precisamos gastar uma noite da semana para fazer isso. Quando acontece, vou logo depois do trabalho (geralmente no dia em que saio no meu horário mesmo), então não interfere muito na nossa rotina noturna.

Preparo das refeições

Meu marido é o cozinheiro da casa, apesar de eu também gostar de cozinhar e não fazer tanto por falta de tempo mesmo. O que costumamos fazer é preparar algumas “bases” em um dia e deixar para toda a semana (congelados), como: arroz, feijão e sopa. Uma vez por semana meu marido gosta de fazer macarrão para ele e para o filhote, que costuma durar dois dias. Aí, no dia a dia, basta assar ou cozinhar alguma carne, então o processo todo é bem rápido.

Meu marido não é muito fã da história do menu semanal, então fazemos uma adaptação desse esquema aqui em casa: planejamos a semana, mas não o que vamos comer em cada dia. Pensamos em sete refeições, compramos os ingredientes, mas ele prepara de acordo com o humor dele no dia. Tem dado certo para nós e é uma maneira de simplificar o menu semanal, cujos principais benefícios são economizar nas compras e não precisar quebrar a cabeça todos os dias pensando no que vai preparar.

A coisa de congelar quebra um galho enorme. Sei que não é o ideal (também prefiro comer a comida fresquinha), mas agiliza demais o dia a dia. Para saladas, também costumo comprar aquelas que já vêm pré-lavadas. São mais caras, mas economizamos em todo o resto, e o investimento vale a pena pela economia de tempo que temos diariamente.

Acho que consegui abordar todos os pontos! Se alguém tiver mais alguma dúvida, por favor, poste nos comentários!

11 Jun 2013

Destralhando a casa: o que é para jogar fora, o que é para doar e o que é para vender

Muitas pessoas, ao destralhar a casa, ficam com dúvidas: O que posso doar? O que devo vender? O que é para jogar fora? Então escrevi este post para servir como uma espécie de guia sobre o que fazer em cada caso. Espero que ajude!

Ao destralhar a casa:

Pode jogar fora:

  • utensílios domésticos muito gastos
  • brinquedos estragados
  • livros sem capas e/ou com páginas faltando
  • cadernos usados
  • material escolar gasto ou usado
  • catálogos, agendas e calendários velhos
  • utensílios enferrujados
  • peças de meia sem par
  • objetos quebrados que não têm conserto

Pode doar:

  • eletrodomésticos pequenos
  • objetos quebrados que podem ser consertados
  • eletrônicos
  • brinquedos
  • revistas
  • roupas de cama, mesa e banho
  • roupas e acessórios no geral
  • utensílios domésticos novos
  • livros diversos
  • livros didáticos em bom estado
  • tecidos
  • bichos de pelúcia
  • computadores
  • artigos para jardinagem
  • CDs e DVDs
  • cadernos novos
  • material escolar sem uso

Pode tentar vender:

  • artigos de decoração
  • roupas e acessórios de grifes conhecidas
  • roupas e acessórios vintage
  • roupas e acessórios novos
  • eletrodomésticos grandes
  • brinquedos grandes
  • equipamentos esportivos
  • móveis
  • jóias, pedras preciosas e relógios
  • livros diversos
  • discos de vinil
  • revistas de colecionador
  • antiguidades
  • objetos de arte

Lembre-se que tudo o que pode ser vendido também pode ser doado.

A regra geral é: se estiver imprestável, jogue fora (sempre reciclando o que puder); se estiver em boas condições, doe; se estiver novo e tiver um valor considerável, venda.

Como jogar fora: Procure postos de reciclagem em sua cidade. Alguns condomínios realizam coleta seletiva. Algumas cidades também têm esse tipo de coleta – informe-se no site da sua prefeitura. O ideal é que você consiga reciclar o que for possível.

Como doar: Eu costumo doar para as Casas André Luiz, pois eles buscam as doações em casa. Também dôo artigos de frio para moradores de rua. Existem outras entidades que também buscam as doações, como o Exército da Salvação. Igrejas costumam recolher doações também, assim como drogarias e mercados em época de frio. Você também pode doar objetos para amigos e parentes.

Como vender: Diretamente para amigos, parentes e colegas de trabalho. Pode criar um álbum no Facebook com o que estiver vendendo. Pode usar o Mercado Livre ou o Ebay. Pode montar um blog e colocar os produtos à venda com o sistema PagSeguro.

10 Jun 2013

Organizando uma cozinha pequena: dicas práticas

Que as cozinhas dos apartamentos hoje em dia são pequenas, todo mundo já sabe. Só que ninguém ensinou a gente a fazer essa adaptação praticamente radical das cozinhas maiores para as menores sem refletir exatamente sobre como realizar essa façanha. Nós ainda queremos uma geladeira grande, todos os apetrechos possíveis e louça para oferecer um jantar para dez pessoas. Será possível? Do que precisamos: de mais espaço ou de menos expectativas?

Imagem retirada do Pinterest - sem fonte

Imagem retirada do Pinterest – sem fonte

O apartamento em que moramos atualmente tem uma cozinha com uma parede e meia – uma parede onde tem espaço para o fogão um armário de duas portas em cima, duas portas embaixo e um gaveteiro. Na parede da frente, que vai só até a metade, está a geladeira e uma estante de inox onde ficam o microondas e outros objetos de apoio. Só. Não cabe absolutamente mais nada na nossa cozinha. A despensa fica em um armário colocado estrategicamente na área de serviço, cômodo vizinho e igualmente pequeno. Por esse motivo, precisamos ser bem sucintos quando se trata de utensílios domésticos.

Quando compramos a geladeira, quis um modelo grande (360 litros) porque compramos muitas frutas, legumes e verduras por causa do filhote, além de prepararmos refeições de um dia para o outro etc. De fato, a geladeira nos atende bem. O único problema é que ela é bem grande e pode não caber em outros apartamentos (já aconteceu). Se o apartamento fosse meu, eu instalaria um balcão na parte aberta da parede da geladeira, para virar uma cozinha estilo americana. Com isso, eu ganharia um balcão e pelo menos mais duas prateleiras, que guardariam itens como batedeira, liquidificador, entre outros.

Atualmente, o espaço está dividido assim:

No armário embaixo da pia, há duas prateleiras. Em uma delas, ficam as panelas. Sei que não é o mais adequado, mas simplesmente não existe outra alternativa, pois é o único armário. Na outra prateleira, ficam os potes (tupperwares), jarras de suco e itens afins.

No armário de cima, que tem duas portas (mas somente uma prateleira), de um lado ficam os pratos, copos e canecas, e do outro ficam baixelas, xícaras, potes de sobremesa e outros itens parecidos.

Em cima do armário superior, ficam os potes com mantimentos (arroz, feijão, macarrão, sal, açúcar) e os livros de receitas.

Na estante de inox, que fica em frente à pia, estão o microondas, uma cestinha com temperos (azeite, pimentas etc), duas cestinhas com alho e cebolas, duas cestinhas com frutas, a batedeira e uma caixa com sacolinhas de plástico. Não tem mais espaço.

Para organizar uma cozinha pequena

Não tem segredo: tem que ter somente o necessário. Nada mais, nada menos. Tem que se conformar que não dá para manter louça que não usa (vale mais a pena alugar nas raras ocasiões em que receber convidados) ou utensílios que sequer sabe o que significam.

A outra dica prática é separar a cozinha por áreas de atividade. Um canto para preparar alimentos, onde ficarão as facas e tábuas de corte, assim como um canto para fazer café, com cafeteira, garra térmica, xícaras, e assim por diante. Setorizar a cozinha é a melhor maneira de organizá-la.

Também é fundamental manter com fácil acesso os itens de uso diário. Superfícies, suportes na parede, primeiras gavetas e prateleiras na altura dos olhos são os melhores lugares para tais itens.

O parâmetro é: se você se irrita para pegar alguma coisa, ela está no lugar errado. Veja como pode melhorar.

Antes de lamentar o pouco espaço que tem na cozinha, procure soluções diversas. Olhe para as paredes, para os pequenos espaços que podem ser aproveitados. Você pode pendurar panelas no teto, instalar ganchos, embutir eletrodomésticos, instalar prateleiras, móveis de canto etc.

Se o imóvel for seu, dá para pensar a longo prazo e buscar a melhor solução possível. Se for alugado, basta encontrar alternativas que possam ir embora com você, como ganchos e móveis avulsos. De qualquer forma, dá para contornar a situação se você não tiver muita coisa para guardar.

Sempre privilegie o que você usa no dia a dia e questione a posse de objetos que não usa muito, como batedeiras e quilos de tupperwares. Às vezes eles não valem o espaço que ocupam.

09 Jun 2013

{Vídeo} Arrumação se faz todo dia

Uma pequena reflexão para o seu final de domingo.

Boa semana!

09 Jun 2013

Linkagem de domingo {54}

Toda semana eu separo alguns links que li e gostei, além de ter achado que seriam interessantes para os leitores do blog. Os desta semana são:

Bom domingo!