06 Jan 2014

Aprenda passo a passo a simplificar sua vida

Imagem: tealcheesecahe.tumblr.com

Imagem: tealcheesecahe.tumblr.com

É muito fácil dizer para outra pessoa: simplifique sua vida. O conceito é maravilhoso, pois todos nós vivemos vidas atribuladas e queremos simplificar as coisas. Se fosse simples assim, ninguém mais teria uma vida complicada, você pode estar pensando. Por isso eu resolvi escrever este post com um passo a passo para você simplificar sua vida de uma vez por todas. Mas fica a dica: depende de você! Não espere milagres, apenas orientação.

1. Liste as áreas de responsabilidade da sua vida

Pegue uma folha de papel e liste todas as suas áreas de responsabilidade. Exemplos de áreas: família, indivíduo, trabalho, docência, hobbies, amizades, religião, esportes, entre outras.

2. Liste seus papéis em tais áreas

Em cada área, você exerce um ou mais papéis. Em família, por exemplo, você pode ser mãe ou pai, filho ou filha, esposo ou esposa, neto ou neta etc. São muitos papéis! Tente listar todos ou, pelo menos, a maioria.

3. Setorize esses papéis e áreas

A gente pode fazer tudo o que quiser, mas não ao mesmo tempo. Examine as duas listas acima e separe-as em listas prioritárias A, B e C.

Na lista A, você coloca tudo aquilo que não dá para você abrir mão. Se tiver um filho, pode ser o papel de mãe ou pai. Se seu sustento depende do seu trabalho, ele também deve estar nessa lista. Se você teve um infarto e agora precisa ter hábitos saudáveis, o que for relacionado a isso também entra aqui. São exemplos. Cada um sabe o que é essencial de verdade na própria vida.

Na lista B, você coloca tudo aquilo que, se cortar, vai fazer sua qualidade de vida cair muito. Não são coisas essenciais, mas fazem parte da sua vida e têm importância, em maior ou menor escala. Pode ser uma segunda atividade remunerada, uma atividade esportiva ou um hobbie preferido que te faz muito bem e você não se imagina vivendo sem.

Na lista C, você coloca todas as outras atividades que sobraram. Geralmente, são compromissos que assumimos por não saber dizer não, hobbies que não investimos mais tanto tempo e outros do tipo.

4. Desapegue e corte

Simplesmente corte tudo da lista C. Nem pense mais a respeito. Apenas corte. Formalize isso com pessoas, caso estejam envolvidas, delete os compromissos da agenda (desmarque-os antes, é claro), delete as tarefas relacionadas.

5. Compare as listas A e B

Verifique se você investe tempo tanto nas coisas da lista A quanto nas coisas da lista B. Se está faltando tempo para coisas da lista A, corte coisas da lista B.

A regra geral é: nunca deixe de fazer uma coisa da lista A em detrimento de coisas da lista B. Você pode ser cinéfilo, mas não pode deixar de trabalhar em uma quarta à tarde para ir ao cinema, por exemplo, se há muito trabalho a fazer. Da mesma forma, você pode ter marcado um encontro com fãs de Star Wars no único dia da semana disponível para ficar com seu filho depois de uma viagem a trabalho. Nem precisa dizer, né? B nunca vem antes de A – são atividades para a gente encaixar no meio tempo.

6. Distribua melhor as atividades da lista B

Verifique a melhor forma de distribuir na sua agenda as atividades da lista B. Você pode adorar jogar tênis, mas será necessário fazer isso 3x por semana, abrindo mão de outras prioridades que estejam na lista A? Se você pude fazer isso sem problemas e for algo realmente importante para você, talvez você até tenha categorizado errado e esteja na lista A. Para saber, basta comparar com os demais itens da lista A. Sua consciência lhe dirá.

A ideia é refletir sobre o tempo investido em atividades que não sejam essenciais, mesmo que sejam importantes. Às vezes a gente vai se envolvendo e não percebe como nosso tempo vai embora enquanto fazemos algo relacionado.

Também pode acontecer de estarmos usando o horário e dia errados para atividades da lista B. Analise com tranquilidade. Não é para cortar atividades da lista B a esmo, mas avaliar se pode fazer menos ou em horários alternativos que não prejudiquem suas atividades essenciais da lista A.

7. Equilibre as atividades da lista A

A sua lista A é o seu melhor – são as coisas que realmente importam na sua vida, que você não pode viver sem. É aqui que você deve investir seu tempo mas, mesmo assim, é necessário que haja um equilíbrio entre elas.

Faça uma tabela estimativa de quanto tempo investe por semana com cada item dessa lista.

Você pode perceber que, trabalho, por exemplo, ocupa 50 horas da sua semana, enquanto passa somente 14 horas com a sua família. Será que não vale a pena diminuir a carga de trabalho para fazer outras coisas? Veja sempre o que pode diminuir. Focar no essencial é ter o mínimo possível, só o que precisa mesmo. Especialmente com o que for relacionado a trabalho, precisamos ser rigorosos.

8. Organize a sua nova agenda

Com base nas decisões acima, reorganize a sua agenda. Se você utiliza agenda eletrônica, pode categorizar as atividades A e B com cores diferentes, para ver o equilíbrio final. Se usar agenda de papel, use canetas em cores diferentes.

9. Respeite suas decisões

Encare suas decisões como compromissos. Se você vai ter uma hora por dia de atividade física, faça valer seu compromisso assim como você faria se fosse uma reunião de trabalho. Se você não consegue fazer isso, reavalie e veja se é mesmo uma atividade das listas A e B.

Geralmente, a gente quer ter uma vida mais simples para ter mais tempo mas, se não sabemos nos organizar, vamos acabar desperdiçando esse tempo livre com outras atividades insignificantes. Os passos acima poderão ajudar você a definir suas prioridades e cortar sem dó o que não era para estar te atrapalhando no momento. Boa sorte. =)

05 Jan 2014

Linkagem de domingo {76}

Alguns links indicados neste domingo:

Eu, em outros lugares:

Boa semana!

04 Jan 2014

Silêncio

Imagem: crossingilandmono.tumblr.com

Imagem: crossingilandmono.tumblr.com

O tema da revista Vida Simples de janeiro é relacionado a apreciar o silêncio. Caiu como uma luva, pois estou escrevendo sobre simplicidade para o blog, e esse definitivamente é um tema relevante para o nosso bem-estar no dia a dia.

Nós estamos tão acostumados com o barulho! Depois que descobri que me concentro melhor quando estou em silêncio, é bastante difícil me adaptar a ambientes barulhentos.

O que eu tenho feito é andar com protetores auriculares por todos os lados. São magníficos para andar de ônibus, viagens coletivas e até mesmo para dormir, se você tiver sono leve como eu. Esses protetores (plugues) vendidos em farmácias não cortam o som completamente, apenas abafam, então não há o perigo de você não ouvir o despertador, por exemplo, ou o alarme de incêndio do seu prédio.

Há protetores mais fortes usados por profissionais da área de construção civil, que cortam quase totalmente o som. Podem ser bons para estudar ou escrever.

Outra opção é usar ruído branco de fundo e ficar com um fone de ouvido. Ruídos brancos são ruídos contínuos que cortam um pouco o barulho exterior. Ventiladores ligados, por exemplo, são um exemplo de ruído branco. Há estudos dizendo inclusive que eles ajudam a relaxar. (Veja este site com ruído branco disponível para estudos e concentração de forma geral)

Muitas vezes, a saída é ir para um lugar silencioso mesmo. Se não for possível, as dicas acima talvez te ajudem, caso você seja um(a) apreciador(a) dos momentos silenciosos como eu.

E, se você for uma pessoa barulhenta, por favor: repense. As pessoas silenciosas não incomodam quem é barulhento . Trata-se não somente de respeito, mas de qualidade de vida no trabalho, no ônibus, em casa, na rua, onde for.