04 Dec 2014

Depoimento da leitora: “Frequentemente me via sem foco, sem determinação e perdida em questionamentos”

Eu costumo receber comentários de leitores que me contam como blog tem ajudado a melhorar alguns aspectos de suas vidas. Esses comentários me deixam muito comovida. Agradeço imensamente esse carinho que vocês têm ao compartilhar um pouco da vida de vocês comigo.

Algumas vezes, sinto que esses relatos podem ajudar outros leitores também. Nesses casos, peço autorização da pessoa para publicar o depoimento em formato de post. Espero que vocês gostem tanto quanto eu.

Segue hoje o depoimento da leitora Jess:

Oi Thais. Que fantástico. Me animei a deixar o meu depoimento também. Principalmente porque 2014 está acabando e seu blog foi FUNDAMENTAL nesse ano para mim.

Sempre fui uma pessoa minimamente organizada. Quer dizer, pelo menos, tentava e mantinha as coisas em um certo controle, mesmo que as vezes tudo ficasse um pouco bagunçado. Acontece que a vida se tornou cada vez mais complexa e eu sentia cada vez mais dificuldade de lidar com tudo. Aquilo foi me consumindo, juntamente com vários problemas que surgiam. A insatisfação com uma graduação que já não me agradava, as dúvidas se devia terminá-lo (estava no 4º ano) e a recém mudança para uma vida fora da casa dos meus pais, com muitas responsabilidades e coisas novas. Todo esse processo foi incrível, mas me mostrou que eu precisava de ajuda, pois frequentemente me via sem foco, sem determinação, perdida em questionamentos e muitas dificuldades de manter minimamente a ordem nas coisas externas (já que por dentro, estava ainda mais difícil). E foi nesse período que comecei a visitar o blog.

Confesso que já tinha visitado antes algumas vezes, mas achava ele muito confuso e difícil de entender. Isso porque eu acredito que pra iniciar o processo de aprendizagem nós precisamos antes de tudo estar disposto a enfrentar as dificuldades que surgem no início (que são muitas) e querer acima de tudo iniciar um processo de mudança. Por isso, todas as vezes que visitei antes não me moveram a tentar ir além das dificuldades e acabei abandonando a leitura. Mas foi no momento de estopim dos problemas que eu disse para eu mesma que era a hora. Precisava fazer um esforço e foi quando tudo começou a mudar.

Seu blog foi de certa forma, o combustível e o centro da mudança. Claro, que eu tive que vencer meus medos e confusões pessoais, mas acredito que isso só foi possível porque eu vinha aqui todo o dia e saia super motivada para colocar mil idéias em prática. No começo, a maioria falhava. Mas eu ia aprimorando, adaptando e fazendo uma mudança que ia além de jogar coisas foras e colocar outras no lugar, sentia que estava limpando minha alma e moldando a em outro tipo de pensamento. Entende o que eu falo? É como se a própria forma de eu enxergar as coisas estivesse mudando a partir de seus ensinamentos.

Tudo isso aconteceu em meados de 2013. Desde lá, leio quase todos os dias o blog. 2014 começou cheio de planos e em um momento que eu já estava mais madura em algumas questões. O GTD ainda é um processo complicado para mim, mas estou no 2º ano de testar e implementar e vejo mudanças muito positivas. Mas algumas outra questões eu já podia sentir a mudança, pois eu era uma pessoa mais clara, objetiva e focada. Como nunca acho que fui. E me senti mas forte para enfrentar algumas dificuldades que eu havia deixado em suspenso.

Voltei para a graduação que tanto me aterrorizava depois de um semestre longe. Estou fechando o 2º semestre desse ano e já conclui todas as disciplinas que optei cursar. Decidi ir com calma, mas não desistir, afinal, seriam 4 anos jogados fora. Comecei um curso paralelo na área que já estava trabalhando, me descobri profissionalmente e tenho conseguido crescer muito no que havia proposto. tenho meu negócio e com ele tenho conseguido tirar o dinheiro suficiente para me manter sem depender de ninguém. E isso por si só já é fantástico. Tudo isso, devo muito a você e seus ensinamentos.

Apesar de todas as conquistas foi um ano muito, muito difícil. No meio do ano minha avó sofreu um AVC e simplesmente não se recuperou das sequelas. Ela foi diagnosticada com um quadro grave de demência e praticamente deixou de ser que ela era. Isso foi a coisa mais difícil que nos ocorreu e abalou toda a família. Não tem sido fácil lidar com as demandas que surgem a partir disso, principalmente trabalhando muito como autônoma, fazendo um curso técnico e uma graduação. Sabe? Alguns acham que estou louca, mas sempre me recordo de quando você nos contou como era difícil trabalhar fazer pós e cuidar do seu filhote. As vezes temos que fazer sacrifícios, aprender a dizer não (mesmo que fruste as pessoas ao nosso redor) e equilibrar as coisas para realizar alguns sonhos que temos, sem perder a noção da realidade e das pequenas coisas que devemos fazer para manter tudo em pé.

O ano está chegando ao fim e estou cansada. Mas não estou perdida. Sei o que quero e estou exatamente construindo isso. Seu blog me ajudou a ter essa clareza, e hoje sei que clareza é o elemento principal na organização. Quando você sabe o que quer e como quer, é mais fácil traçar um plano para chegar lá e muito mais fácil não enlouquecer com as dificuldades da vida.

Enfim, 2014 foi um ano pesado para muitos. Mas sei que muitos dos seus leitores conseguiram lidar bem melhor com ele devido a todos ensinamentos preciosos que você tem nos passado.

Por isso muito obrigada Thais e todo o sucesso do mundo para você!

Envie seu depoimento também deixando um comentário no blog. Eu leio todos!

Obrigada por tudo, pessoal.

03 Dec 2014

Como encontrar sua missão pessoal

Já falei sobre a minha missão pessoal muitas vezes aqui no blog, que é inspirar as pessoas a se organizarem para que consigam transformar seus sonhos em objetivos, sendo mais felizes. É uma missão que, apesar de estar sempre em construção (as palavras que uso), nunca muda sua essência. Não foi fácil ou rápido descobrir qual é, mas me pedem para falar sobre como descobrir, então aqui vão minhas considerações sobre o assunto. Achei pertinente falar sobre isso em dezembro, o último mês do ano, que sempre nos faz repensar a nossa vida (levante a mão quem não faz isso!).

A primeira coisa a dizer é que não é um processo rápido, mas também não precisa demorar tanto. Depende muito de cada um. Tem gente que com 8 anos já sabe que quer ser médica quando crescer, ou cantora, ou professora. Eu sempre tive muitos interesses na vida, então talvez, por conta disso, eu tenha ficado um pouco perdida no mar de possibilidades. A questão de gostar de ajudar os outros veio com o tempo, porque não era algo que eu tinha como foco quando era mais nova. Lá no fundo, eu já tinha os meus valores, mas não tinha aprendido a externar isso de modo que esses valores norteassem quem eu queria ser e o que eu queria fazer. Fica aqui então a primeira dica, que é conhecer os seus valores. O que é importante para você? O que faz parte do seu caráter? O que você jamais aceitaria fazer? (Às vezes pode ser mais fácil a gente saber o que nunca faria do que o que a gente gostaria de fazer).

Eu fui descobrir isso aos poucos, talvez quando comecei a me envolver mais com a minha religião (Budismo), mas também veio do interesse que eu sempre tive por dar aulas (eu era aquela criança que adorava brincar de escolinha – sendo a professora e passando lição!). Fica a segunda dica, que é olhar para trás e analisar o que você sempre gostou de fazer, desde a infância. Mas aqui é um pouco mais complicado, porque não é pelo fato de você tocar piano com 12 anos de idade que vai ser pianista, por exemplo. Mas isso pode querer dizer que você gosta de metodologias, disciplina, esforço e exercer a criatividade.

Imagem: Life Hack

Imagem: Life Hack

Para ir além, você deve se perguntar: qual é a razão da minha existência? Por que eu estou aqui no Planeta Terra, nesta vida? O que eu nasci para fazer? Se a resposta vier de bate-pronto (muitas vezes vem!), você muito provavelmente já terá a sua missão pessoal. Se você não souber, vale a pena pensar sobre o assunto e ir observando o que você tem de valores e o que gosta de fazer. Pode te dar pistas. Sua missão “é a união de seus papéis, de seus corpos, de seus sonhos, crenças e valores” (Christian Barbosa, “A tríade do tempo”). E continua: “Uma declaração de missão descreve o que você é e a forma como você contribui com o mundo. (…) É o verdadeiro sentido da sua vida”.

Você pode começar assim:

“Eu acredito que…”

“Fico feliz quando posso…”

“Dou meu melhor quando…”

“Eu nasci para…”

“Estou aqui para…”

A ideia da missão é você tê-la sempre com você e reler para se inspirar e tomar decisões no dia a dia. Você verá como se tornará mais fácil decidir o que vai ou não fazer. Se não estiver de acordo com a sua missão pessoal, você terá respaldo para dizer “não”, e não ficará com a consciência pesada por conta disso.

É importante saber que missão não é a mesma coisa que objetivo. Missão é seu testamento pessoal, o seu motivo de viver, o que te faz levantar todos os dias de manhã e fazer o que você faz – ou correr atrás dos seus sonhos, estes sim seus objetivos. Sua missão deve ser inspiradora, motivadora, além de abranger todas as áreas da sua vida, e não somente a profissional ou a pessoal, por exemplo. Você deve conseguir aplicar sua missão a absolutamente tudo o que você faz na sua vida. Deve guiar os seus passos. Por isso, ela também deve ser atemporal – ou seja, não deve ser aplicada a algo que, depois, não fará mais sentido. Exemplo: “ser um bom estudante na faculdade”. Sua faculdade vai acabar um dia.

Mais uma vez, quero dizer que não é fácil encontrar sua missão pessoal, apesar de algumas pessoas já a terem em vista. Vale a pena tirar um tempinho e refletir um pouco sobre quem você é, quais seus valores, quais suas principais qualidades e dons. Também é necessário entender o que é importante na sua vida – ter uma família, ter estabilidade financeira, ser independente? Todas essas escolhas podem pautar a sua missão. Pense no que você mais admira em determinadas pessoas – também são qualidades a ser exploradas na sua missão pessoal. Você também pode pensar o seguinte: se você pudesse ser um super-herói para o planeta, qual seria a sua super-missão? Para que você trabalharia todos os dias, incansavelmente? E, por fim, minha preferida: se você morresse hoje, qual seria seu legado para o mundo? O que você gostaria de deixar de herança por tudo o que você fez? O que faria diferença?

As perguntas acima podem ajudar você a ter um norte e encontrar sua missão pessoal. E, uma vez encontrada, você passará a ver como muitas coisas farão mais sentido (outras, menos) e as decisões ficarão mais fáceis na sua vida. Sabe aquela sensação de dúvida, de não saber por que caminho seguir? Ter uma missão pessoal é a garantia de que você não passará mais por isso, pois ela será sua base para a resposta. No final das contas, nem toda pessoa é pianista, mas todas são artistas. Viver é uma arte que está em eterna construção.

Imagem: Facie Populi

Imagem: Facie Populi

Boa sorte, bom dezembro e feliz 2015, que está chegando. :)

Obrigada por tudo, pessoal.

02 Dec 2014

Organize-se para o Natal

Estou atendendo as sugestões dos leitores enviadas através do formulário que fica na lateral do blog, sugerindo temas. Aliás, você já enviou a sua sugestão? Pode enviar por aqui também. Hoje eu gostaria de mostrar o que já vou publicado aqui no blog sobre natal e Ano Novo. Como o blog existe desde 2006, muitos textos já foram publicados sobre isso. Porém, para facilitar a navegação para os leitores, resolvi reunir tudo em um único post!

1-1251137919CE1L

Antes

Durante

Depois

Boas festas!