Blog Página 30

Editorial: Descanse

49
O editorial de maio chega propício e no tempo certo. Nada faz mais sentido do que descansar um pouco este mês, depois de um mês de abril intenso e com muitas reflexões. Vários questionamentos surgiram aqui no blog no último mês e eu prometo que falarei sobre eles quando estiver pronta para isso. No momento, eu realmente preciso descansar um pouco e deixar as ideias fluírem. Eu tomei diversas decisões em abril e estou bastante satisfeita com elas. Sabe quando você sente que tudo entrou nos eixos novamente? Que você está fazendo a coisa certa? Eu adoro me sentir assim, e é desse jeito que eu finalizo abril (quando escrevo este texto) e entro no mês de maio. A história de que ser organizado é levar uma vida coerente com os nossos valores é real. Fico feliz por poder viver na prática o que eu escrevo aqui para vocês.

vo-mai-2015

Ser blogueira pode se tornar uma coisa muito maluca. Eu escrevo um texto aqui deste lado, em um ambiente, um contexto, e vocês lêem aí, no ambiente e no contexto de vocês. Acho que todos os blogueiros vivem em um eterno debate interno sobre o que deve e o que não deve ser publicado no blog. É muito difícil não compartilhar acontecimentos importantes ou que de certa maneira justifiquem determinadas decisões. Tudo é publicado a um clique de distância, e muitas vezes um movimento não era o certo ou esperado, e você se arrepende, ou quer simplesmente mudar de ideia, mas não é tão simples. De certa forma, todos os leitores acabam fazendo parte dessa construção. Algo que me guia é saber que ninguém quer ler um blog e se sentir mal ou triste, e acredito que todos os blogueiros, de certa maneira, se baseiam nisso também. Essa decisão pode fazer com que os leitores acreditem que o blogueiro aqui do outro lado vive uma vida perfeita e sem problemas, quando na verdade é só mais uma pessoa trabalhando, criando, batalhando como você.

Eu já tive muitos momentos em que me empolguei para compartilhar e, depois, percebi que talvez não tenha sido a melhor coisa, ou tenha sido precipitada. Quer dizer, um novo blog, dividindo o conteúdo? Colaboradores? O que eu estou fazendo no momento? Planos para o blog? Eu gosto de compartilhar. Sou da tal geração Y e faz parte de mim compartilhar o que eu gosto e penso que, de alguma maneira, possa ajudar as pessoas que lêem o que eu escrevo. Mas eu sou humana. Eu erro, eu acerto. Às vezes tenho certeza sobre o que eu estou fazendo, às vezes tenho mais dúvidas que vocês. Eu não estou certa sobre organização o tempo todo, assim como não sei todos os recursos de todas as ferramentas nem tenho as respostas para todas as perguntas. Mas acho importante compartilhar a minha visão, quando vem ao caso. Isso que eu acho engraçado sobre ter um blog – é um espaço seu, como a sua casa, mas ao mesmo tempo é como se qualquer pessoa pudesse entrar e se sentar no seu sofá. Você não conhece quem está ali, mas ela pode gostar tanto de você que se importa, quer trocar ideias, ajudar. E isso me comove, porque o mundo é feito das boas atitudes. Eu acredito muito em uma gratidão universal que envolve todos os seres humanos e que, se você ajuda, receberá essa ajuda de volta. Mas não faço para esperar esse retorno, mas simplesmente porque isso faz muito parte de mim.

Desde 2012, eu venho fazendo palestras e ensinando as pessoas a terem blogs profissionais. Eu venho de uma geração de blogueiras que construíram carreiras super legais, ganham bem, têm blogs influenciadores, com milhões de acessos. Eu vejo esses blogs com cada vez mais conteúdo todos os dias, colaboradores, imagens, vídeos, VEDA, 100 mil seguidores, fotos em tempo real no Instagram, mais dicas, Snapchat, tutoriais, entrevistas, eventos, viagens. Cada vez mais, mais e mais coisas. E, a cada dia que passa, eu percebo que isso não é para mim. Eu tenho uma família. Eu tenho um marido em começo de carreira, estudando e precisando investir tempo em atividades dele também (e não só cobrindo as minhas, se é que me entendem – quem é casado e trabalha sabe como isso acontece muitas vezes). Tenho um filho cuja educação é prioridade no momento. Quero cuidar da minha casa, fazer mais atividades de lazer, mas também quero investir e empreender para que meu trabalho seja um legado que me dê bons frutos financeiros, sem que isso signifique dedicar 24 horas do meu dia a esse tipo de atividade. Não existe milagre quando se fala em organização do tempo – é um simples jogo de tira e põe. E quero deixar claro que não estou julgando o trabalho de ninguém, apenas dizendo que, para mim, as condições e escolhas são diferentes.

E, sabe, você pode ter um blog de sucesso. Todas as fórmulas conhecidas que existem para isso realmente dão certo. Só que você precisa se dedicar, e se dedicar com constância, durante anos e anos. Quando a vida muda, as prioridades também mudam. E aí você precisa optar por terceirizar algo que é autoral e arcar com todas as consequências disso (que muitas vezes valem a pena – existem blogs que são verdadeiras revistas virtuais, maravilhosos) ou entender que seu ritmo é diferente, e respeitá-lo. Eu aprendi na vida que a melhor maneira de fazer as coisas é fazer o que funciona para mim, e não o que é considerado certo (às vezes coincidem). Mesmo porque, não há “o jeito certo”. Existem padrões, fórmulas, truques. E você pode seguir todos eles e deixar seu bebê recém-nascido no berço, depois de uma exaustiva jornada de quatro horas de choro de cólica, para postar exausta em seu blog, porque estabeleceu que, em um dia, precisa escrever três posts, editar fotos, vídeos, postar no Instagram e responder todos os comentários no Twitter. Não precisa. E os leitores precisam entender que cada blogueiro tem a sua dinâmica também. Você pode ter essa rotina se for blogueiro, mas também deve ter a consciência de que isso pode gerar uma espécie de burn out que vai te levar à estafa e ao saco cheio de tudo relacionado ao seu blog.

Eu amo o meu blog e ele é importantíssimo como parte do meu trabalho e sustento da minha família, mas eu preciso cuidar dele de uma maneira que seja real para mim. Eu também quero resgatar o que considero ser a essência dele – ajudar as pessoas. E não tenho me sentido bem da forma como estou misturando tanto o que faço nele com o meu trabalho com retorno financeiro em si. Estou repensando as formas de monetização e o meu trabalho como um todo, para fazer mais sentido. O mês de abril foi fantástico para tudo isso, porque me trouxe reflexões que fizeram a diferença e me deixaram mais tranquila.

Penso na minha casa, e na casa das pessoas, que com um único movimento entre os cômodos já fica mais arrumado. Penso nas pessoas que começaram a usar o GTD por minha causa e no meu próprio aprendizado do método, que evoluiu demais ao longo dos anos por estudá-lo tanto para postar aqui. Penso nas famílias que têm uma rotina mais tranquila porque pegaram uma ou outra dica aqui no blog que revolucionaram a maneira como faziam as coisas no dia a dia. Eu vejo a organização que eu ensino a fazer do momento que eu acordo e tenho preguiça de arrumar a cama até o momento em que vou dormir e deixo separada a minha roupa para o dia seguinte. Tudo na minha vida tem a ver com o blog e me dá ideias para atualizá-lo e compartilhar com vocês, mas nem sempre vou tomar as melhores decisões e fatalmente cometerei erros ao longo do caminho, porque isso é vida, e não um plano estratégico de negócios do Warren Buffett. Eu adoro poder contar com muitas pessoas ao meu redor para dar palpites e me ajudar nesse processo todo, porque tudo não passa de um processo de criação, e criar é se divertir, assim como viver.

No segundo semestre de 2014, eu comecei a estudar e definir a linha editorial que guiaria os meses de 2015 no blog. De certa maneira, os temas mensais estão sendo algo como previsões, o que acho assustador na mesma medida que acho incrível, porque isso significa não só que vou descansar este mês, como vou ter coisas boas nos próximos. Tem bastante coisa acontecendo, mas eu acho importante aprender a não me cobrar tanto. Esse post foi mais um desabafo que um editorial, mas acredito que ele passe o espírito do mês que eu estou entrando no momento.

010515-digasim

Feliz maio, e obrigada por estar comigo nessa jornada. <3

Resumo do mês de abril 2015 aqui no blog

18

Reli o editorial de abril para poder escrever este post. O tema do mês de abril aqui no blog foi Foque e meu objetivo era realmente focar nas minhas atividades, de modo que isso se refletisse aqui no blog. O trabalho interno foi tão grande que o blog acabou ficando um pouco de lado. No editorial de maio, que entra amanhã, escrevi de coração sobre um determinado assunto que deixará o que estou falando aqui mais claro.

Eu passei o mês inteiro buscando meu foco e, hoje, posso dizer que minha missão foi bem-sucedida! Foi um mês de grandes transformações internas e estou extremamente feliz com as decisões que tomei e os caminhos que estou trilhando.

vo-abr-2015

Vamos fazer um resumo do mês de abril aqui no blog, então?

Post resumão para fechar o mês! Espero que tenham gostado e tido um abril muito legal.

7 ideias de presentes para o Dia das Mães

10

Eu tenho um guia definitivo do blog para presentear qualquer pessoa, que pode servir como base para todas as ocasiões. De qualquer maneira, eu quis fazer um post com ideias mais atuais para o presente de Dia das Mães. São presentes que eu mesma gostaria de ganhar (afinal, o blog é autoral), mas espero que possa ter algumas ideias para os seus presentes também.

290415-diadasmaes

1. Luminária Flor de Luz de tecido, Imaginarium; 2. Máscara de dormir Loading, Hmmm; 3. Lixeira para carro de gatinho, Fábrica 9; 4. Bolsa saco, Renner; 5. Carteira Mulher Maravilha, Monky Design; 6. Kit Ritual Terapeutics Lavanda, Granado; 7. Livro Arte como terapia, Livraria Cultura.

Eu não gosto (na verdade, abomino) de presentes relacionados a tarefas domésticas nesse dia, a não ser que seja um hobby da mãe cozinhar, costurar ou fazer outra atividade. Mesmo assim, acho que um presente desses pode ser dado em outra época.

Sou a favor de presentes que sejam mimos ou relacionados à cultura, como livros, filmes. Outra maneira especial de presentear é proporcionar alguma experiência bacana, como levar a um restaurante legal, fazer uma viagem ou ir ao teatro.

Você costuma presentear no Dia das Mães? Qual sua tradição com relação a esse dia?

Como organizar: Feriado em casa

39

Tivemos dois feriadões em um espaço pequeno de tempo e, quando isso acontece, vejo que algumas pessoas escolhem fazer um passeio ou uma viagem em um e, no outro, preferem fazer atividades mais perto de casa. Por isso, se esse for o seu caso para o próximo final de semana, eu quis escrever este post com ideias para você organizar o feriado na sua casa. São atividades que eu pretendo fazer e que penso que podem inspirar vocês.

290415-feriado-casa

Fazer uma revisão dos meus e-mails

Gosto de pelo menos uma vez por semana revisar os e-mails que coloco em pastinhas (coisas que demandam ação ou que eu esteja esperando de outras pessoas), mas minhas últimas semanas têm sido bastante tomadas por compromissos externos e, por isso, vou aproveitar um pouquinho do feriado, quando isso não interferir nas atividades com a minha família, para fazer uma revisão e ver se não estou deixando passar nada. Vou aproveitar para responder alguns e-mails que acabam se acumulando porque demandam respostas maiores ou uma concentração que, no dia a dia, às vezes a gente não tem.

Organizar o meu guarda-roupa

Meu guarda-roupa é pequeno, então preciso otimizar o espaço ao máximo. Por isso, quando nos mudamos, em fevereiro (verão), guardei as roupas de frio em compartimentos em cima do guarda-roupa, pois foi a melhor maneira de organizar. Agora, o friozinho já está chegando em São Paulo e está na hora de descer essas roupas e guardar as de verão. Também voltei a fazer academia recentemente e quero organizar melhor as roupas que eu uso para me exercitar.

Escrever

Estou trabalhando nos materiais dos próximos workshops, que são apostilas grandes, quase livros, além de ter meus três blogs e outros conteúdos em desenvolvimento. Quero aproveitar as janelas do feriado para conseguir escrever um pouco e adiantar alguns textos. Eu também acho que é importante, como escritora, praticar diariamente.

Me exercitar

Estou frequentando uma academia que tem uma boa variedade de atividades físicas, o que me motiva a fazer, porque não sou fã de fazer apenas musculação. Quando é feriado, a academia fica vazia, o que é uma excelente oportunidade para ir e conseguir usar os aparelhos. Tenho aula de pilates no sábado de manhã, então vou aproveitar para fazer e, depois passar na feira, que é perto. Também pretendemos andar de bicicleta com o filhote. Tem sido muito bom fazer atividade física quase todos os dias, porque vai entrando na nossa rotina como qualquer outra atividade e o corpo vai se acostumando.

Levar o filhote ao teatro

Eu adoro ir ao teatro e fazer atividades low-tech de vez em quando, especialmente com o Paul. Aqui em São Paulo, sempre há muitas peças infantis em cartaz, então pretendo levá-lo a alguma no sábado ou no domingo.

Assistir “Os Vingadores”

Se possível, gostaríamos de ir ao cinema assistir “Os Vingadores”, que foi recém-lançado nos cinemas. Nós adoramos ir ao cinema, mas nem sempre conseguimos, porque ele estuda e, para fazermos isso, precisamos deixar o nosso filho na casa da avó. Eu não gosto de dar trabalho para os outros mas, de vez em quando, os avós dele gostam muito que ele fique lá e, nessas oportunidades, aproveitamos para fazer algo juntos, meu marido e eu.

Fazer comida de boteco em casa

Nós também adoramos comidinhas e, apesar de gostarmos de comer fora, nem sempre conseguimos, por muitos motivos. Também adoramos ficar em casa, ver um filme no Netflix e fazer qualquer tipo de hand-food para comer enquanto assistimos – bolinhos, quitutes, porções diversas. Nos divertimos escolhendo, fazendo e comendo depois, com o diferencial de estarmos na nossa casa, sem barulho e inconvenientes diversos. Nós também gostamos de receber pessoas mas, nesse feriado, queremos ficar sozinhos e curtir um pouco um ao outro.

E você, o que pretende fazer no feriado?

Aprenda GTD: O caminho da maestria

35

Continuando a nossa série Aprenda GTD, hoje gostaria de falar um pouco sobre onde o GTD pode nos levar e como fazer para chegar até lá.

Nem todo mundo que começa a usar o GTD se encontra no caos. Muitas pessoas, como eu, já eram organizadas ou gostavam do assunto, e por fim acabam se interessando. Assim, o ponto do start, de onde as pessoas começam, é variável. O que podemos estabelecer é um pequeno padrão que o próprio David encontrou observando os praticantes com o passar dos anos.

É importante conhecer esse caminho porque ele vai guiar bastante a nossa série. Afinal, por onde começar? O que eu tenho que fazer primeiro se eu quiser usar o GTD? Todas essas perguntas serão respondidas ao longo dos textos publicados.

Quanto tempo leva para uma pessoa implementar o GTD?

Lendo o livro ou fazendo um curso, o David sugere que a pessoa reserve dois dias para implementar. Depois de implementar, ela vai percorrer um caminho que tem uma curva de aprendizado. O GTD é um aprendizado para a vida, então você sempre fará mudanças, aprenderá coisas novas e implementará esses aprendizados. Porque a vida muda! De acordo com as fases da nossa vida, vamos tendo novos projetos, novas áreas e responsabilidades, novos objetivos e por aí vai. O que o GTD faz é te orientar para que você consiga ter controle e perspectiva sobre tudo isso.

Como começar a usar?

Eu já vi de tudo. Tem gente que gosta de ler o livro inteiro e ir fazendo o que ele orienta aos poucos, à medida que for lendo, então pode demorar mais. Outras pessoas preferem ler o livro primeiro, e só então começar. Outras ainda preferem começar seguindo apenas guias e textos que encontrou na Internet, sem ler o livro.

Existem formas de começar. Eu, quando comecei, li o livro e fui implementando sozinha. Hoje, existe a possibilidade de serem feitos cursos, o que teria facilitado enormemente a minha vida na época, se eu tivesse começado assim. Tanto o curso quanto o livro são a introdução, e depois o caminho é seu.

Você pode dizer que está usando GTD quando está com os cinco hábitos implementados. Você pode ler mais sobre eles aqui.

Quanto tempo leva?

O fato é que o GTD tem um caminho a ser percorrido, que os mais experientes dizem levar aí belos dois anos para você chegar em um estado considerado o de faixa-preta – ou seja, super evoluído na metodologia e com poucos pontos a melhorar sempre, porque é uma eterna construção. Você não precisa mirar nesse ideal – ele é consequência. Não se trata de status, mas de sentimentos com relação à sua produtividade. Prepare-se que tem bastante coisa para fazer! Todas muito legais e que dizem respeito a colocar sua vida em ordem e depois ir além, pensando em projetos, objetivos, áreas de foco e propósito de vida.

Parâmetros

O David Allen publicou em sua rede de usuários (GTD Connect) uma lista com parâmetros para você saber o que provavelmente estará fazendo em cada uma dessas fases. São apenas referências, mas deixo aqui a título de curiosidade.

  • Faixa branca (de 0 a 1 mês utilizando o método todos os dias)
    • Você tem um fluxo de atividades consciente através do uso de listas e agenda (ou calendário). Não está totalmente sob controle, mas você consegue identificar quando algo não está bom e precisa melhorar. Já consegue usar efetivamente uma agenda, anotando seus compromissos e lembretes nela.
    • Mesmo que isso não aconteça sempre, você já se sentiu produtivo e tranquilo algumas vezes desde que começou a implementar o GTD.
    • Você está familiarizado com o conceito de caixa de entrada e sabe que o que está ali dentro são materiais ainda não processados. Porém, ainda não sabe com certeza se está processando da melhor maneira.
    • Você tem anotados todas as ideias e lembretes de coisas que tem para fazer e colocado na caixa de entrada.
    • Está testando alguma ferramenta recomendada por outros usuários para organizar as suas listas de tarefas.
  • Faixa verde (de 1 a 8 meses)
    • Suas listas de próximas ações estão sob controle. Você já sabe o que deve entrar em cada uma e consegue executá-las bem ao longo dos dias.
    • Você tem projetos! E sabe diferenciar os projetos ativos dos projetos para algum dia, talvez.
    • Já conseguiu processar toda a sua caixa de entrada algumas vezes e sabe como isso te deixa tranquilo por saber que não tem nada pendente.
    • Você conseguiu montar uma primeira versão de arquivo físico e digital de referência que faz sentido, mesmo que ainda precise melhorar algumas coisas.
    • Alguma área da sua vida que estava chamando a atenção antes de usar o GTD já está com algum projeto em andamento que você estabeleceu depois de começar a usar a metodologia.
    • Você já conseguiu fazer pelo menos uma revisão semanal e, apesar de ter dúvidas sobre se está fazendo da maneira certa, se sentiu tranquilo ao tê-la feito.
    • Você tem aplicado a regra dos 2 minutos no seu dia a dia e confessa que está bastante empolgado com ela!
    • Você tem sempre um bloquinho ou caderno com você para anotar o que lembrar, ou usa algum aplicativo no celular para isso.
    • Você já usa termos do GTD no seu dia a dia (próxima ação, revisão semanal) e tem comentado com as pessoas que a metodologia tem te ajudado muito.
  • Faixa marrom (de 9 a 18 meses)
    • O hábito de coletar faz parte da sua vida. Você não titubeia em anotar qualquer coisa que venha à sua mente, seja uma ideia ou lembrete. As coisas não ficam pipocando na sua cabeça sem que você as anote.
    • Seu trabalho e sua vida pessoal estão razoavelmente sob controle.
    • Criar listas de tarefas e projetos já é uma atividade recorrente para você.
    • Sua caixa de entrada não fica cheia de coisas por muito tempo.
    • Você pode olhar para a sua lista de projetos e saber que pelo menos 80% do que você tem para fazer está ali sob controle.
    • Você consegue aproveitar as janelas de tempo do seu dia a dia para executar pequenas coisinhas, em vez de ficar entediado na fila ou esperando o tempo passar.
    • Você fica extremamente satisfeito quando consegue completar todas as ações que tinha que completar naquele dia.
    • Você começou a ficar um pouco intolerante com as pessoas que são menos organizadas que você.
    • Você já aprendeu a definir uma próxima ação de verdade, sem que ela fique parada ali por ter sido processada errada.
    • Seu foco está em fazer coisas, não pensar nelas.
  • Faixa preta (de 18 a 24 meses)
    • Você já está acostumado a se guiar pelas suas listas para saber o que precisa fazer, para quem precisa ligar e qual tópico precisa ser abordado em determinada reunião. Não consulta mais nada de cabeça.
    • Não existem mais veios soltos. As coisas estão sob controle.
    • A revisão semanal é um hábito. Você fica, no máximo, duas semanas sem fazer uma revisão.
    • Você consegue capturar todas as suas ideias sem tirar a concentração do seu trabalho.
    • Você não diz mais que não tem tempo.
    • Sua caixa de entrada pode estar cheia, mas você está tranquilo porque sabe que tudo aquilo será processado em breve.
    • Você já conseguiu pegar alguns projetos que antes pareciam inviáveis, que estavam em sua lista de algum dia, talvez.
    • Você adora começar novos projetos e tem um esquema para planejamento que facilita as suas ações.
    • Seus sistemas estão facilmente acessíveis. Você consegue encontrar qualquer tipo de informação rapidamente.
    • Você sabe lidar facilmente com imprevistos e interrupções sem que isso atrapalhe o seu fluxo de trabalho.
    • Você não reclama mais da sobrecarga porque sabe que, quando se sente assim, basta tomar providências para voltar ao estado de produtividade tranquila.
  • Faixa preta de 2º grau (depois de 24 meses)
    • O tempo flui para você com tranquilidade.
    • Tem dias que você faz tantas coisas que fica admirado como não se sentiu sobrecarregado um só minuto.
    • Toda vez que você tem dúvidas sobre a vida ou sobre seus projetos, você sabe analisar suas prioridades de acordo com seu propósito e horizontes de foco.
    • Você tem uma vida plena e com significado, tendo muito menos esforço que antes, quando não usava o GTD.

Eu utilizo o método há dez anos e errei e acertei muito ao longo do tempo. Hoje, me considero faixa-preta, mas vivo revisitando os níveis menores para promover melhorias.

Apesar de existir esse caminho, você já sente os benefícios do GTD assim que começa a utilizar o método. A melhoria da aplicação não tem fim, porque é uma habilidade para toda a vida, como você leu no primeiro post.

Como organizar: Rotina da família para prevenir contra a dengue

6

Não sei se vocês já perceberam, mas os casos da doença aumentaram muito nos últimos meses. Eu conheço muitas pessoas que foram infectadas ou estiveram com suspeita, indo ao hospital fazer exames e tudo o mais. Por isso, precisamos organizar a nossa rotina para que possamos proteger a nossa família desse mal.

O grande negócio com relação à prevenção é que não depende apenas das nossas ações, mas também de nossos vizinhos e outras pessoas que convivem conosco. Por isso, o foco das campanhas tem sido o da conscientização, pois só assim conseguiremos fazer diferença. Ou seja, além de fazer a nossa parte, precisamos divulgar o máximo possível de informações para engajar outras pessoas também.

publi-sbp

Aqui em casa, estamos tomando as seguintes providências para prevenir a picada do mosquito da dengue:

  • Nunca, jamais, deixar água parada em baldes, vasos de plantas e qualquer outro tipo de recipiente. Essa é a dica mais básica mas, se você percorrer sua casa agora, pode encontrar qualquer tipo de cantinho em que possa ter uma pocinha de água, como atrás do tanque ou restinho de água que ficou no balde depois da limpeza, por exemplo. Vale a pena checar tudo, especialmente quem tem quintal em casa ou varanda grande em apartamento.
  • Caixa d’água tampada sempre. Muitas pessoas vêm comprando uma segunda caixa d’água com a preocupação com a falta de água, então é importante prestar atenção se o armazenamento e a vedação estão corretos.
  • Usar repelente (especialmente no filhote).
  • Olhar com frequência calhas, telhas e outros locais da casa que, em outros casos, não damos tanta atenção. Também podem ter água parada.
  • Trocar com frequência a água do cachorro e lavar o potinho.
  • Instalar telas nas janelas da casa para que possamos deixa-las abertas sem o risco de o mosquito entrar, mas com circulação de ar.
  • Ao contrário do que se pensa, os mosquitos da dengue não depositam os ovos diretamente na água. Eles ficam grudados nas paredes do recipiente em contato com a água. Por isso, sempre lave com buchinha os recipientes que não serão jogados fora.
  • Usar um inseticida bom e eficiente dentro de casa todos os dias. Eu utilizo nas portas e janelas e em todos os ambientes pela manhã e ao anoitecer, pois os mosquitos, dependendo do gênero, atacam em horários diferentes.

Pensando em tudo isso, a SBP criou um site com tudo o que você precisa saber sobre a doença e muitas dicas e imagens para compartilhar em suas redes sociais. Clique aqui para conferir.

mosquito da dengue voa baixo, em média a 50 centímetros de altura. Como ele pica principalmente do joelho até os pés, é importante passar bastante repelente nessa área do corpo. Mesmo se estiver usando calça comprida, não se esqueça de passar o produto. A parte que o inseto usa pra chegar até o vaso sanguíneo e sugar sangue consegue atravessar o tecido. Então, mesmo se você estiver usando calça jeans, o inseto consegue te picar.

mosquito da dengue costuma se distanciar até cerca de 200 metros do lugar onde nasceu, exceto na desova. Então, se você identificar um mosquito, procure perto do local o possível foco de dengue, elimine-o ou denuncie.

Não deixe a dengue se espalhar. A prevenção pode ajudar você e você pode e deve ajudar a sua cidade. Informe seus vizinhos sobre o risco de contágio. Nessa luta, somos um.

E você, tem feito a sua parte? A solução mais efetiva contra a dengue é a conscientização. Por isso, compartilhe este post e as dicas que a SPB postou em seu site especial sobre o assunto, para conscientizar as pessoas ao seu redor.

#nossacidadesemdengue

publicidade-vida-organizada

5 coisas para deixar sua casa com clima de outono

7

260415-casa-outono

1 – Manta, Etna; 2 – Vela Black Vanilla, Zara Home; 3 – Pot-pourri de frutos, Tok&Stok; 4 – Botão d’água, folhagem, Tok&Stok; 5 – Sabonete esfoliantes de amêndoa, L’Occitane.

Ideias para organizar artigos de jardinagem

2

Algumas ideias para inspirar o seu sábado para organizar seus artigos de jardinagem:

Imagem: Country Living
Imagem: Country Living

Um carrinho ou estante que fique no quintal ou varanda possibilita centralizar todos os artigos em um único lugar. Perceba o uso de cestos e caixas reaproveitados de outras ocasiões, assim como o formato de lousinha para escrever o que tem dentro. Acho que não está faltando nada nesse aí!

Imagem: Country Living
Imagem: Country Living

Outra opção é usar o espaço vertical, se não tiver lugar para colocar um carrinho ou estante. Na imagem acima, foram instaladas algumas faixas de madeira e, nelas, ganchos ou cabides de parede. São muito versáteis e, aqui, serviram bem para organizar os artigos de jardinagem.

Imagem: Better Homes & Gardens
Imagem: Better Homes & Gardens

Não é o caso da imagem acima, apesar de ela ter me inspirado para dar essa dica. Sabe aqueles porta-talheres que têm um alça para carregar da mesa para o balcão etc? Que tal reaproveitá-los para guardar e carregar seus artigos de jardinagem?

Imagem: Better Homes & Gardens
Imagem: Better Homes & Gardens

Quis postar essa imagem porque achei a ideia incrível: usar fitas penduradas, uma para cada mês, com as sementes que devem ser plantadas em cada época. Praticamente um tickler da jardinagem!

DIY: Reaproveite qualquer papelão para fazer caixas

3

Se você é daquelas pessoas que fica com dó de jogar fora (mesmo que você recicle) qualquer tipo de papelão, caixa de embalagem ou objetos diversos com esse material, agora pode aproveitá-los para criar caixas que podem ser usadas na organização da sua casa, para guardar objetos pequenos, ou para fazer embalagens de presente com ar mais rústico. Veja como:

Imagem: Apartment Therapy
Imagem: Apartment Therapy

Você vai precisar de:

  • 1 estilete
  • 1 superfície para cortar o papelão sem danificar sua mesa
  • 1 régua de metal
  • 1 material de papelão a ser reaproveitado (sugestão: capa de disco antiga)
  • 1 lápis
  • 1 tesoura
  • 1 grampeador

Na Internet, você consegue encontrar moldes para todos os tipos de caixas. Eu trouxe aqui dois modelos para caixas quadradas – com e sem tampa. Clique nas imagens para ampliá-las e conseguir imprimir:

TAMPINHA cubo

Como fazer:

  1. Imprima o molde que quer usar e corte com a tesoura para que ele fique no formato correspondente.
  2. Passe a cola em sua superfície e, depois, cole no papelão que deseja reaproveitar. Atenção: cole no verso do lado do papelão que quer que apareça. O molde será a parte interna.
  3. Depois de colar o molde no papelão, corte ao redor dele com o estilete, seguindo o formato.
  4. Siga a marcação do molde para dobrar o papelão nas partes necessárias.
  5. Nas abas, passe cola e junte firmemente. Se quiser, você pode usar o grampeador para deixar ainda mais firme.
Imagem: Woodenbee
Imagem: Woodenbee

Prontinho! Agora é só colocar a caixa em alguma estante ou gaveta ou usá-la como embalagem para algum presente. Se fizer isso, use fitas com aparência mais rústica ou sisal, para complementar o efeito.

O que eu aprendi sobre produtividade com Tim Ferriss: parte 6

18

Continuando a série, hoje vem a parte 6!

produtividade-timferriss

Um dos assuntos que o Tim fala em seu livro “Trabalhe 4 horas por semana” é sobre como estamos reféns das interrupções em nossa vida. Foi ele que me ensinou a desligar de todas as notificações possíveis da vida e passar a ser rebelde com o celular, deixando-o desligado ou sequer levando ao sair de casa. Algumas dicas pontuais que ele dá sobre tais questões:

  • Desligue os alertas de e-mails.
  • Desligue as notificações de novas mensagens e e-mails no seu celular.
  • Confira seus e-mails uma vez depois do almoço e outra antes do fim do expediente.
  • Não confira seus e-mails logo que começa a trabalhar. Em vez disso, trabalhe em coisas importantes.
  • Crie uma resposta automática dizendo sua frequência de leitura até treinar as pessoas que convivem com você.
  • Tenha um celular para chamadas não urgentes e uma linha para as urgentes. Use seu correio de voz para deixar recado para as outras pessoas que te ligarem quando você não pode atender.
  • Se alguém ligar no seu celular, trate como urgência (porque deveria ser). Diga que está ocupado, mas tem 1 minuto. Não deixe a pessoa ligar mais tarde – force-a a ser objetiva. Se ela ligar depois, vai presumir que agora sim você terá tempo para bater papo!
  • Evite reuniões, pessoal ou remotamente, que não tenham objetivos claros. “9 em cada 10 vezes você pode responder perguntas via e-mail em vez de fazer uma reunião”.
  • A ordem de comunicação, para o Tim, é: e-mail, telefone e encontro pessoal.
  • Responda os recados de sua caixa de voz via e-mail para treinar as pessoas a serem concisas e mostrar que meio de comunicação você prefere.
  • Quando a reunião for inevitável e a pessoas perguntar quando você pode, sugira três opções de horários para evitar o ping-pong interminável de e-mails com “nesse dia eu não posso, que tal nesse?”.
  • Não permita visitantes casuais em seu espaço de trabalho. Use avisos de “não perturbe”, coloque fones de ouvido, mostre que está ocupado.
  • Raramente há emergências verdadeiras. Dizem por aí que urgente é tudo aquilo que o responsável não fez em tempo hábil e quer que você faça em tempo recorde.

O contato improdutivo desperdiça tempo e as pessoas ficam ocupando seu tempo com detalhes sem importância. Elas não leram o livro do Tim. Se você leu, ou está aplicando as dicas dele, precisa entender que, para tais pessoas, as dicas podem soar como heresia. Logo, tenha paciência também para ensiná-las como é o seu novo modo de trabalhar. Um dos principais desafios é ensinar as pessoas que quem interrompe precisa aprender a esperar – seja por e-mail, por mensagem ou pelo telefone. “Faz parte do seu trabalho ensinar as pessoas a serem eficazes e eficientes – ninguém mais o fará para você”, ele diz.

Ele ensina também a famosa “tática do cachorrinho de estimação”, que se trata do seguinte: Você já foi criança e tentou levar um cachorrinho para casa? E não prometeu à sua mãe que limparia o cocô e cuidaria dele? O vendedor da loja não disse que, se você não se adaptasse, poderia devolver para a loja? Use a mesma tática com relação às reuniões – não mostre nunca como algo definitivo. Em vez de dizer “não vou mais a essas reuniões porque estão sendo improdutivas”, diga “preciso terminar algumas coisas importantes – posso não ir à reunião apenas hoje? eu prometo me atualizar com fulano sobre os pontos mais importantes depois”. É muito mais fácil de conseguir e você ganhará horas preciosas para trabalhar no que importa.

Para aproveitar melhor o seu tempo, o que o Tim recomenda é que você crie lotes de tarefas semelhantes para fazer tudo de uma vez. Para você entender o raciocínio, imagine o seguinte cenário: você tem 10 coisas para comprar no supermercado esta semana. Você pode ir ao mercado todos os dias e comprar 2 coisas ou ir uma única vez e comprar tudo. De que maneira você economiza mais tempo? O mesmo vale para tarefas semelhantes, como responder e-mails, desenvolver relatórios, digitalizar documentos, fazer telefonemas. Isso tem tudo a ver com as listas de contextos do GTD, porque é isso o que elas fazem: agrupam itens que podem ser feitos dentro de um mesmo contexto, a fim de otimizar o tempo. No mais, existe um tempo de preparação para começar a executar determinada tarefa (que seja abrir um programa no computador). Agrupando tarefas semelhantes, você passará por esse processo apenas uma vez. Tente! “Fazer as coisas em lotes me economizou centenas de horas de trabalho redundante”.

No próximo post, vou começar com uma parte que gosto muito, que são as dicas para delegar e terceirizar muitas atividades na vida. Por enquanto, compartilhe nos comentários o que achou das dicas do Tim para interrupções! Obrigada!

 

Para fazer hoje: organize sua despensa

13

Eis um projeto simples (mas necessário) para fazer no dia de hoje: organizar sua despensa. Você não precisa ter um cômodo inteiro dedicado a ela – poucas pessoas sortudas têm. A maioria tem um único armário dentro da cozinha destinado a armazenar os alimentos que não vão na geladeira. De vez em quando vale a pena organizar ou reorganizar a despensa para jogar fora o que já venceu, aproveitar os alimentos que estão para vencer e limpar as prateleiras. Veja neste post dicas pontuais para fazer isso hoje sem perder muito tempo:

  1. Tire tudo de dentro do armário. Infelizmente não será possível organizar a despensa sem este passo. Tire tudo de dentro do armário e coloque em cima da mesa ou do balcão da cozinha.
  2. Passe um pano úmido nas prateleiras para limpá-las.
  3. Veja o que você tem. O que venceu, jogue fora. Tire e guarde no lugar certo aquilo que não pertence à despensa (às vezes podemos colocar qualquer objeto junto com os alimentos por comodismo do dia a dia, você sabe como é!).
  4. Olhe para o seu espaço e repense a organização. Idealmente, os itens mais usados devem ficar na altura dos olhos. Alimentos que podem ser pegos por crianças devem ficar na altura delas. Doces e guloseimas podem ficar mais no alto, para que elas não tenham fácil acesso. Itens pesados, como garrafas e potes de suco ou leite, podem ficar na prateleira inferior.
  5. Não deixe na despensa itens que você usa apenas ocasionalmente, como velas de aniversário, por exemplo. Guarde em outro lugar. Para quem tem poucos espaço, é necessário aproveitar muito bem o que tem para as funções específicas. Mantenha apenas alimentos na sua despensa.
  6. Uma boa maneira de agrupar os itens é copiar o modelo do supermercado: mercearia, padaria, feira, bebidas. Isso pode ajudar inclusive na hora de montar a lista de compras.
  7. Procure usar o espaço vertical, colocando um item em cima do outro, quando possível. Isso serve para caixas, latas e pacotes.
  8. Quando tiver itens pequenos, utilize compartimentos para agrupá-los. Se não tiver cestinhos em casa, pode reaproveitar caixas de papelão, por exemplo. Se não tiver como fazer hoje, deixe os itens juntos e anote em sua lista que precisa providenciar esses acessórios para armazenamento. Existem muitos produtos específicos para armazenamento na despensa que você pode comprar, se quiser investir seu dinheiro nisso.
  9. Use potes para armazenar alimentos que duram mais tempo que uma única vez, como arroz, macarrão, grãos no geral. Se dá para abrir o pacote e usar de uma vez, mantenha no pacote original. Se usar potes, coloque etiquetas neles.

Veja muitas imagens no painel de despensa no Pinterest do Vida Organizada para se inspirar.

É legal fazer essa reorganização a cada três meses, mais ou menos. Quem usa checkists de limpeza, pode inserir na sua checklist sazonal.

Dica de segunda: ouça as pessoas de fato

10

Você já parou para prestar atenção à maneira como você ouve as outras pessoas? Ao reparar, você pode identificar muitos problemas relacionados à produtividade e ao relacionamento de vocês. Portanto, nesta segunda eu gostaria de dar dicas pontuais para que você ouça as pessoas de fato no seu dia a dia:

  1. Esteja presente. Nada de ficar mexendo no celular ou no computador enquanto a outra pessoa estiver falando. Pare e preste atenção.
  2. Se ficar em dúvida, pergunte. Isso vale não só para demandas que chegam até você (e envolvem sua responsabilidade) mas para demonstrar interesse em uma conversa que não seja “útil”. Quando você faz perguntas, a pessoa sente que o que ela está dizendo é importante.
  3. Não ouça uma conversa formulando uma resposta em sua cabeça. Isso é terrível e pode fazer com que você nem espere a pessoa terminar de falar para você já responder. Além do que, se você estiver pensando em uma resposta, sua mente não prestará atenção totalmente à conversa. Não seja reativo. Conversa não é competição.

Algumas dicas para testar e depois comentar se funcionaram. Boa segunda-feira!