01 Jul 2013

Checklist de julho 2013

Julho é o primeiro mês da segunda metade do ano. É uma boa época para analisar tudo o que já fizemos e planejar os próximos passos de todos os novos objetivos de curto prazo. Se você gosta de fazer resoluções de ano novo, pode ser uma boa avaliar se o que você se propôs a fazer está caminhando e, se não for o caso, o que ainda pode ser feito até dezembro.

Atualmente, tenho um número muito menor de objetivos (não projetos), tanto de curto quanto de médio e longo prazo. Acredito que, quando temos menos objetivos, a chance de realizá-los é maior porque vamos priorizá-los. No meu caso, tenho cinco objetivos de curto prazo e eles estão em andamento. Tenho metas para todos eles. Metas que se refletem em tarefas para hoje, amanhã, daqui a um mês, até dezembro, até julho do ano que vem ou mais. Já comentei aqui que minha noção de curto prazo é de hoje a dois anos, logo, não faço resoluções anuais.

Uma sugestão de checklist para julho seria:

  1. Avaliar todos os seus objetivos de curto, médio e longo prazo
  2. Se não os tiver, pensar a respeito deles (veja como fazer aqui)
  3. Limpe sua estante de livros – tire todos os livros, limpe-os, tire o pó da estante
  4. Finalize seus planos para as férias escolares
  5. Planeje a volta das férias escolares com tranquilidade – veja se precisa comprar uniformes, material escolar etc.
  6. Reveja sua lista de despensa e modifique o que for necessário
  7. Mantenha sua despensa com o que precisa ter sempre
  8. Visite seus familiares mais velhos para lhes fazer companhia
  9. Doe algumas de suas coisas para quem precisa
  10. Veja em seu calendário atividades e eventos que podem fazer a dois
  11. Comece a escrever em um diário
  12. Planeje uma viagem de final de semana para recarregar as baterias
  13. Revise sua agenda de telefones e passe alguns deles para seu celular
  14. Limpe e organize seus pincéis de maquiagem
  15. Tente esvaziar todos os dias a caixa de entrada do seu e-mail
  16. Faça backup dos seus arquivos do computador, celular e tablet
  17. Limpe todos os fios e cabos de aparelhos eletrônicos
  18. Conserte algo que esteja quebrado ou rasgado
  19. Destralhe os armários do banheiro
  20. Use um caderno para anotar suas ideias e tarefas que precisa fazer – centralize em um só lugar essas informações
  21. Faça uma limpeza completa no carro, dentro e fora
  22. Pinte um cômodo da sua casa para renovar o ambiente
  23. Faça uma lista com seus 15 pratos preferidos e distribua durante os próximos 15 dias – depois, recomece
  24. Compre uma nova peça básica para o seu guarda-roupa
  25. Selecione suas matérias preferidas e recicle o restante das revistas
  26. Tire o pó de todos os quadros e molduras
  27. Deixe um guarda-chuva no carro
  28. Deixe sacolas retornáveis no carro
  29. Organize a sua bolsa ou mochila para o dia a dia
  30. Tente dormir mais cedo todos os dias
  31. Telefone para alguém com quem você ainda não conversou em 2013

Aproveite seu mês! E, a partir de amanhã, você vai ter uma surpresa aqui no blog para ajudá-lo(a) a cumprir seu checklist.

30 Jun 2013

Linkagem de domingo {57}

Toda semana eu seleciono alguns links que li e achei interessantes para vocês. Os desta semana são:

Bom domingo!

29 Jun 2013

Semana maluca

Outro dia meu marido e eu estávamos conversando após um dia longo e cheio de atividades, e então comentei com ele: “Você já reparou em como estamos extremamente ocupados? Fico imaginando como é a vida de pessoas que são ocupadas de verdade, tipo a Angelina Jolie e o Brad Pitt, que estão o tempo todo participando de filmes, congressos, levando os seis filhos para lá e para cá etc”. Ele deu risada e concordou. Não somos atores famosos, mas estamos bastante ocupados ultimamente.

O que acontece é que, de repente, parece que tudo resolveu acontecer na nossa vida. Há muitas oportunidades profissionais – o que é ótimo -, mas precisamos dar uma segurada para não nos estressarmos (tanto).

Esta semana, por exemplo. Vou fazer um mini-diário para vocês verem como nos organizamos:

Sexta-feira - Toda sexta eu faço a minha revisão semanal no trabalho, que é sagrada para mim. Reservo duas horas do meu dia para fazer a revisão de todos os meus projetos. Desta vez, senti a necessidade de aumentar esse tempo para três horas para fazer a revisão de forma mais completa, e tentarei fazer a partir da próxima sexta. Essa revisão faz parte do sistema GTD, que eu falo sempre aqui no blog. Minha avó fez uma cirurgia na terça-feira e estava tendo alta nesse dia, mas meu tio estava com ela e ficaria durante toda recuperação. Porém, eu estava preocupada e ansiosa, querendo estar perto dela, e tudo isso influenciou no meu dia. Tive algumas reuniões, trabalhei muito e, depois do trabalho, saí com alguns amigos que eu não via há tempos para jantar e descansar um pouco. Meu marido já tinha ido para a casa da minha sogra durante o dia com o filhote, pois ele faria um show em São José dos Campos. Cheguei em casa por volta da meia-noite e ainda chequei meus e-mails antes de ir dormir, cansada.

Sábado - Aniversário da minha chefe e de uma grande amiga minha. O presente da chefe eu já entreguei na sexta, porque eu só a veria novamente na quinta-feira seguinte. Minha amiga fez um churrasco para os amigos mais chegados, em São Paulo. Eu estava em Campinas. Acordei, escrevi mais alguns posts para o blog, guardei a roupa limpa, tirei a roupa do varal, limpei os banheiros, passei o mop no chão de todo o apartamento, arrumei minha mala para viajar no dia seguinte e tomei banho – tudo isso das 08:30 ao meio-dia. Almocei tranquilamente, peguei minha mochila e fui para São Paulo, de ônibus. Durante a viagem, aproveitei para estudar um pouquinho. Fui para a casa da minha amiga e, por volta da meia-noite, dormi na casa da minha avó.

Domingo - Acordei cedo para ficar com a minha avó, que está bem. Organizei algumas coisas minhas que ainda ficaram lá depois da mudança e que eu aproveito para tomar providências sempre que estou na casa dela. Almocei e esperei meu marido chegar para voltarmos para Campinas, porque eu tinha um táxi marcado por volta das 15:00 para ir para o aeroporto. Como deixei minha mala já arrumada, fiquei mais tranquila. Chegamos em casa e eu ainda tive tempo de brincar com o meu filho e ler um livrinho com ele antes de partir. Destino: Cuiabá. Cheguei na cidade de noite, peguei o táxi e jantei no hotel. Ainda deu tempo de fazer uma revisão da minha agenda, planejar atividades para a semana e ler um pouco antes de dormir.

Segunda-feira - Eu estava em Cuiabá para fazer um treinamento do meu trabalho. O dia começou bem cedo – acordei, tomei café-da-manhã no hotel e fui para o local do curso. Procurei focar na aula mas, sempre que possível, eu verificava meus e-mails do trabalho para saber se estava tudo correndo bem. Aproveitava as pausas do coffee-break para ir ao banheiro, beber água, esticar as pernas e tomar algumas providências de trabalho que não demandassem tanto tempo. Dessa forma, deu para gerenciar bem enquanto eu estava fora. De noite, jantei no hotel, sem me demorar muito, e aproveitei para trabalhar algumas horas ainda em uma apresentação importante que estou montando.

Terça-feira - O dia segue com o curso, da mesma forma que no dia anterior. Antes que me perguntem, o filhote ficou com meu marido em casa, com sua rotina normal de escolinha e tudo o mais. Tudo tranquilo, tirando a imensa saudade. Ligo cerca de três vezes por dia para falar oi e ver como eles estão. De noite, também jantei rapidamente no hotel e aproveitei para revisar minha apresentação do próximo sábado para o Social Media SP, em Araraquara. Também trabalhei um pouco em alguns documentos que preciso fechar antes de sexta-feira. Deixo minha mala parcialmente arrumada, pois irei embora amanhã.

Quarta-feira - Último dia do curso, então já desço com a minha mala para ir direto do curso para o aeroporto, mais tarde. No aeroporto, aproveito para ler um pouco antes do vôo e durante, pois não consigo dormir no avião. O bom é que consigo ficar off um pouco e aproveitar a leitura. Chego em casa depois das 23:00, tomo um banho e como um lanchinho, preparado carinhosamente pelo meu marido, dou um beijo no filhote e vamos dormir.

Quinta-feira - Felizmente pude acordar mais tarde porque tinha agendado uma consulta no dentista. Ao chegar no trabalho, foquei nas minhas listas do Toodledo (que eu planejei estrategicamente no domingo à noite) e fui resolvendo pendências uma atrás da outra. A ideia é chegar amanhã (sexta) com a maioria das tarefas da semana resolvidas, para poder fazer a revisão semanal com tranquilidade. De noite, gostaria de descansar, mas preciso trabalhar na minha apresentação – depois que o filhote dormir, é claro. Tenho consciência que é característica dessa semana maluca apenas. Respiro fundo e vou adiante. Deixei minha mochila pronta para viajar novamente no dia seguinte.

Sexta-feira - Revisão semanal. O dia foi bastante intenso porque, como fiquei fora alguns dias fazendo o curso, preciso recuperar o tempo perdido, mas as listas me salvam. Saí no horário certo do trabalho porque preciso passar em casa e pegar minhas coisas para ir para Araraquara, pois amanhã é dia de Social Media SP. Como deixei minha mochila arrumada, foi bem rápido – apenas jantei e parti. Na viagem, aproveitei para ler e estudar um pouco. Ao chegar no hotel, tomei banho, comi um lanche (que levei de casa para não gastar muito dinheiro) e chequei meus e-mails antes de ir para a cama.

300613-semana-malucaEssa semana tem sido tão intensa que eu fico me perguntando o que seria da minha vida se eu não fosse organizada. Hoje (sábado) tem Social Media SP o dia todo, em Araraquara, onde faço uma palestra sobre blogs profissionais. Se puder, apareça por lá! Amanhã (domingo) volto para Campinas e meu marido vai chegar com as minhas sobrinhas, que estão de férias e passarão a semana conosco. Antes de elas chegarem, vou dar uma geral no apartamento. Já tinha feito uma listinha anteriormente e meu marido comprou algumas coisas no mercado na quinta-feira para não termos que nos preocupar com isso. Além de recebê-las, nesse domingo ainda precisarei trabalhar, pois na segunda terei uma apresentação importante para fazer, depois do trabalho. E aí já será julho.

Minha gente, que loucura essa próxima semana também. E, como as meninas ficarão conosco, já temos toda uma programação de coisas que faremos com elas, mas meu marido que cuidará de 90%, pois ainda trabalho durante o dia e um pouco à noite. O bom é que o filhote fica muuuuito feliz quando elas estão aqui, então me sinto menos culpada se tiver que fazer outras coisas enquanto ele estiver acordado.

Quis registrar essa semana aqui porque ela foi a mais maluca em muito tempo. É claro que a nossa vida não é assim sempre, mas foi uma amostra de como nos viramos quando acontece isso. Eu tenho muitas novidades em termos profissionais que gostaria de contar para vocês, pois duas delas têm a ver com o blog e tenho certeza que vocês vão gostar. Até lá, apenas peço um pouco de paciência porque ainda estamos nos adaptando a essa nova realidade beeem mais ocupada que a anterior, então posso deixar de responder alguns e-mails, comentários e mensagens que recebo diariamente, mas eu juro que é por uma boa causa.

Obrigada por tudo, pessoal.

 

28 Jun 2013

Quarto do filhote

Fiz algumas mudanças no quarto do nosso filho e gostaria de mostrar como ele está atualmente.

Nosso filho gosta muito de brincar em seu próprio quarto e, desde que nos mudamos, ele dorme na caminha (fizemos a transição do berço para a cama). Por isso, acho importante ele ter um cantinho só dele para guardar seus brinquedos, livros e coisinhas. Ele está com três anos e dois meses de idade.

290613-quarto-estante

A estante serve para guardar os seus brinquedos, basicamente. Nesse dia da foto ela estava um pouco vazia porque tinha acabado de limpá-la. Geralmente meu filho deixa os carrinhos em cima, ou outros brinquedos, e arrumamos quando dá.

Os quadrinhos têm diferentes origens. As duas telinhas foram pintadas por uma das primas dele. O quadrinho roxo foi feito pela minha mãe com E.V.A. (aliás, ótima sugestão de moldura para quem quiser fazer um quadrinho com foto). O quadro branco com quatro fotos foi feito pela minha mãe.

O calendário veio em uma revista que eu costumo comprar, voltada para professores de educação infantil. Gosto de me envolver bastante com a educação do nosso filho e essas revistas sempre trazem atividades e ideias interessantes. O calendário veio na edição de dezembro ou janeiro, se não me engano, mas pendurei no quarto há pouco tempo, quando ele começou a se interessar pelos dias e meses.

Muitas pessoas me perguntaram de onde é essa estante, e eu a comprei no site do Walmart. Não recomendo! Quer dizer, o site é excelente e a entrega foi rápida, mas a estante é de péssima qualidade. Sabe quando fica molenga? E já soltou umas duas vezes. Foi só essa estante mesmo porque já comprei outros dois móveis lá que estão ok. Pretendo comprar uma estante nova para ele em alguns meses.

Ao lado da estante, um carrinho com blocos de madeira dentro. Nas prateleiras, livros e brinquedos.

290613-livrinhos

Costumo doar de tempos em tempos alguns livrinhos dele, quando ele já passou daquela fase. Ele gosta bastante de ler junto com a gente, pois é um momento gostoso que passamos juntos.

290613-cesto1

Em um dos cestos, na parte de baixo da estante, ficam todos os bloquinhos de montar. Facilita bastante porque, além de manter arrumado, se ele quiser brincar na sala, basta pegar o cesto inteiro e levar para lá. Depois ele nos ajuda a guardar.

290613-cesto2

No outro cesto, deixo itens menores variados. Tem carrinhos pequenos, instrumentos musicais e trilhos de trenzinho.

290613-mesinha

Essa mesinha fica na parede da janela e foi presente da minha avó. Ali, deixo um copo cheio de giz de cera, papéis para ele desenhar e livrinhos e revistas de atividades. O banquinho de madeira foi comprado pela minha mãe em Embu das Artes. Meu filho não gosta muito de usar essa mesa, pois prefere desenhar na sala, sentado no tapete. Quando ele crescer mais, vou comprar uma escrivaninha de verdade para ele desenhar e fazer lição.

290613-mesinha-cima

A mesinha vista de cima.

Visão geral do quarto:

290613-quarto-paul

Na parede da frente, fica o guarda-roupa embutido. Como o guarda-roupa daria assunto para um post inteiro, vou deixar para falar dele em outra ocasião. Mas o aspecto geral do quarto é esse que vocês estão vendo aí em cima.

Espero que tenham gostado. <3

27 Jun 2013

Inverno: coletânea de posts

Imagem: Pinterest (sem fonte)

Imagem: Pinterest (sem fonte)

Um apanhado de posts já publicados para você se organizar nesse inverno:

Não se esqueça de curtir a fan page do blog no Facebook, pois lá estou postando diversas vezes por dia várias dicas mais pontuais para o inverno e sobre organização no geral. =)

Bom inverno para você!

26 Jun 2013

Faça você mesma(o): moldura de espelho com papel contact

Nós moramos em um apartamento alugado, então precisamos tomar cuidado quando fazemos algumas mudanças, pois nem todas são permitidas. O espelho do meu banheiro é um espelho simples, colocado pelos proprietários, e nunca teve moldura. No início, estava tudo bem. Porém, com o passar do tempo, a umidade começou a agir e as bordas dele ficaram feias, com manchas que vão aumentando pouco a pouco.

Eu tinha considerado fazer uma moldura de pastilhas, mas demorei tanto para decidir se faria ou não que acabou ficando como estava. A saber:

280613-mancha

Foi quando eu estava em casa e me deu um estalo: por que não tentar fazer uma moldura com papel contact? Dei uma olhada nos meus rolos e vi que eu tinha um com estampa de zebrinha, que eu tinha usado pouco. Pensei: “é ele mesmo!”.

A primeira providência foi definir o tamanho (largura) da moldura. Não queria que fosse muito grossa, mas ela precisaria cobrir as manchas. Como o papel contact tem a medida marcada atrás em centímetros, decidi usar pedaços de 5cm de largura.

280613-papel

Veja acima as marcações do papel contact.

Imaginei que precisaria de umas 10 ripinhas de 5cm e simplesmente as cortei.

É importante tirar 1cm de cada ponta, pois as bordas do papel contact costumam ter uma linha branca, que corta o desenho. Infelizmente não tirei foto desse passo, mas é bem simples – basta cortar cada ponta da ripinha.

Para colar, todo o cuidado do mundo, né? Tem uma dica boa que é você misturar um pouco de água com sabão e passar com um pano na superfície onde vai aplicar o papel contact. Isso facilitará na hora de remanejar o papel. Se você não fizer isso, vai passar nervoso!

Leve também um estilete com você, caso precise cortar pontas que fiquem para fora.

Enfim. Muito pacientemente, colei as ripinhas.

Era assim:

280613-antes

Ficou assim:

280613-depois

Bom, é uma pena que não deu para encaixar cada ponta com o desenho correspondente, mas ao vivo eu acho que não fica tão evidente essa pequena falha. Eu estou muuuito satisfeita com o resultado porque aquelas manchas antes estavam me deixando nervosa. Fora que o papel contact de zebrinha deixou o banheiro bem feminino e combinou com as orquídeas rosa que ficam ali.

280613-final

Resultado final ainda sem limpar o sabão do espelho

O que é legal no papel contact é que ele é uma intervenção barata, simples e fácil de remover depois (água quente). Se eu enjoar e quiser mudar, não terei dificuldades. E para limpar também é muito simples – basta um pano úmido e está tudo certo.

Eu imagino que com um papel contact que tenha uma estampa mais uniforme o resultado seja muito melhor. Fica a dica se você quiser fazer na sua casa.

Deu um up no meu banheiro! Adorei!

25 Jun 2013

Como escolher entre os diversos tipos de panelas que existem no mercado

Este texto foi originalmente publicado no site E-Cycle, parceiro do blog. Para conferir o texto original, clique aqui.

Atualmente, existem tantas panelas, feitas de tantos materiais diferentes, que ficamos até confusos quando vamos comprar um jogo. Para ajudar com esse problema, a eCycle faz uma lista com os principais tipos de panela disponíveis no mercado e suas vantagens e desvantagens.

Alumínio: o modelo mais barato de panelas é também motivo de muita discussão.Pesquisadores da USP descobriram que panelas de alumínio e de aço inoxidável podem soltar metais pesados durante o preparo dos alimentos. Ao ferver uma solução de 4 litros de água e 10 gramas de sal por 3 horas, houve o desprendimento de 20 miligramas do metal por cada litro de água. Por outro lado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o metal é seguro nas suas aplicações culinárias. Panelas de alumínio podem ser recicladas;

Inox: a principal vantagem é o fato de as panelas não oxidarem. Além disso, o material é resistente e distribui o calor de forma igual por sua superfície. Seu problema principal está no fato de sua composição levar níquel, que é extremamente tóxico, e que se desprende da panela ao longo do uso. Mesmo as quantidades liberadas do metal sendo pequenas, assim como no caso das panelas de alumínio, ainda não há um consenso entre pesquisadores sobre o nível de toxicidade das panelas feitas com esses materiais. Mas estudos apontam que seu uso não é indicado a pessoas alérgicas. Exposição ao níquel e seus compostos pode causar alergias e levar ao desenvolvimento de câncer;

- Cobre: assim como as inoxidáveis, as panelas de cobre são boas condutoras de calor. Mas não podem ser utilizadas para cozinhar todo tipo de alimento. Ao entrar em contato com o sal ou alimentos ácidos como tomate, limão e vinagre o cobre pode se desprender da panela. Fique atento sobre que tipo de comida é feita nesse tipo de panela. A intoxicação por cobre pode causar náusea, dores abdominais, problemas gastrointestinais e, em longo prazo, danos aos rins e ao fígado. A vantagem é que pode ser reciclada;

- Ferro: a utilização desse tipo de panela traz alguns benefícios à saúde. Em pesquisarealizada na Unicamp, foi provada a transferência do mineral presente na superfície das panelas de ferro e de pedra-sabão para os alimentos, transformando-as em importantes aliadas no combate à anemia. O mesmo foi constatado para as panelas de aço inox.  Mas tenha cuidado com a manutenção. Ela pode enferrujar facilmente e se esfregada, a ferrugem pode se soltar. Lave-a com água quente e sabão, deixe secar no fogo e espalhe uma película de óleo sobre sua superfície antes de guardar para evitar a ferrugem. Também podem ser recicladas;

Antiaderentes: esse é o mais controverso tipo de panela disponível no mercado. Em sua composição, estão o ácido perfluorooctanóico (PFOA) e o politetrafluoretileno (PTFE), ambos extremamente problemáticos. O PTFE, quando exposto a altas temperaturas, libera gases tóxicos como os fluorocarbonos, que causa sintomas similares aos da gripe. Já o PFOA, segundo estudos, está ligado ao desenvolvimento de câncer de rim e fígadoproblemas da tireoideproblemas no coração e muitas outras complicações. Os compostos presentes nas panelas antiaderentes também são notórios obesogênicos (saiba mais na nossa matéria especial sobre o assunto). Se sua panela antiaderente estiver riscada ou se sua superfície estiver se desprendendo, descarte-a imediatamente;

Cerâmica: apesar de serem um pouco mais caras que as outras panelas, o investimento vale a pena, já que são fáceis de limpar, antiaderentes e conservadoras de calor. Mas atenção para uma certificação que aponte para a utilização de materiais atóxicos na fabricação. Pesquisas realizadas em Israel afirmam que a tinta presente em panelas não certificadas pode conter chumbo ou cádmio, que se desprendem durante o preparo dos alimentos. Além disso, demora mais tempo que o normal para esquentar, o que faz com que o consumo de energia aumente;

Barro: indicada para fazer alimentos líquidos ou com caldo, como sopas, molhos, feijão e ensopados. Assim como a panela de cerâmica, demora para esquentar, mas mantém o calor por um longo período de tempo. Alimentos com baixo teor de água podem ficar ressecados se preparados nessa panela;

Pedra-sabão: indicada para o preparo dos mesmos tipos de alimentos que podem ser feitos na panela de barro. Por ser porosa, pede atenção especial ao ser lavada para que não haja proliferação de microrganismos. Aqueça-a em fogo baixo para que a panela não rache pelo choque térmico;

Vidro: um dos modelos mais seguros para a saúde, a panela feita desse material não possui nenhum tipo de contraindicação. É fácil de limpar e não passa nenhum tipo de substância para os alimentos durante o preparo. Por outro lado, é cara, pesada, frágil e não pode ser reciclada por ser feita com vidro temperado.

Mas então, qual comprar?

Não há um tipo de panela perfeita. A ideia é manter em mente a funcionalidade de cada modelo para tirar máximo proveito dos seus jogos. No entanto, não adquira os modelos que contenham PFOA e PTFE (antiaderentes). As de alumínio também não são muito recomendáveis devido à possibilidade de desprendimento do material nos alimentos.

Portanto, os modelos de vidro e de cerâmica são os que trazem menos risco à saúde humana, desde que obedeçam aos padrões estabelecidos para esse tipo de equipamento. Ao adquirir essas panelas, tente conservá-las ao máximo, já que a reciclagem ainda não é possível para os tipos citados.

Na sequência, os modelos de metal, de cobre e de ferro podem ser boas opções, se utilizados de maneira correta. Fazer uma combinação de panelas, levando em conta cada uma de suas características, também pode ser uma solução. Uma mistura de panelas de cobre e de cerâmica ou barro para preparar alimentos ácidos mais salgados é uma possibilidade.

Visite a página do E-Cycle para encontrar os pontos de reciclagem de panelas mais próximos da sua residência.

24 Jun 2013

Como organizar seu guarda-roupa

Não sei se vocês já notaram, mas eu não costumo fazer muitos posts genéricos sobre organização aqui no blog, pois acho que esse tipo de dicas todo mundo já pode encontrar em livros e em outros blogs de organização. Porém, notei que estavam faltando alguns posts básicos, caso algo queira ter como referência, e a organização do guarda-roupa é um desses assuntos. Para variar, vou escrever tudo sob o meu ponto de vista, que não é o da organização perfeita.

Como qualquer outro lugar da casa ou da vida, não é possível organizar um guarda-roupa se ele tiver tralha. E o que é tralha no guarda-roupa? Roupas que você não usa, roupas que não servem mais, roupas rasgadas ou precisando de reparos.

Eu entendo que o guarda-roupa desperte alguma espécie de memória afetiva, especialmente nas mulheres. Quem teve a disciplina para manter o mesmo corpo de quando era adolescente deve ter MUITAS roupas acumuladas ao longo dos anos e uma dificuldade tremenda de se desfazer. Eu tenho uma amiga, por exemplo, que quase nunca compra roupa. Isso porque a calça social que ela comprou há uns 15 anos ainda serve. Pois é. Isso é bom guarda-roupa: comprar peças boas, conservá-las e conservar seu peso também. Porque, cada vez que você engorda alguns quilinhos, já é necessário fazer algumas compras. Claro que eu, que engordei dezenas de quilos desde a adolescência, passei minha vida gastando dinheiro com roupas, justamente por causa dessa variação de peso.

Mas, independente disso, a “grande verdade” é que você precisa olhar seu guarda-roupa com uma frieza tal qual consiga eliminar o que não usa mais. Se tiver muita dificuldade para fazer isso, chame um amigo ou amiga. Mãe não vale, por vários motivos. Chame alguém que não esteja envolvido dessa forma com você, e tudo dará certo. Alguém se lembra da clássica cena do filme Sex and the city, quando a Carrie vai selecionar o que ela leva e o que não leva de roupas para o apartamento novo? Ela chama as suas três amigas e elas ajudam na seleção. Pode ser meio irreal, mas a ideia é mais ou menos aquela.

Imagem: Glamour.com / Sex and the city, o filme

Imagem: Glamour.com / Sex and the city, o filme

O pensamento deve ser o seguinte: se a roupa não é incrível, ou extremamente básica, daquelas que você usa com qualquer outra, ou uma peça que você use o tempo inteiro, deve partir. O que eu falei lá no começo, de se desfazer de roupas largas, apertadas, rasgadas, desbotadas, sinceramente, é o mínimo. Mesmo depois dessa triagem inicial, ainda vão sobrar muitas peças e você precisa decidir se realmente precisa delas, ou se ainda refletem o seu estilo hoje. Eu fui montando um guarda-roupa muito mais conservador com o passar do tempo, o que foi até uma surpresa para mim, e há muitas roupas de dez anos atrás que eu não usaria hoje em dia. Não sei se isso é bom ou ruim, mas é a realidade. E para que mesmo a gente quer manter no guarda-roupa peças que não usa?

Feita essa triagem inicial, separe tudo para doação. Se tiver roupas que gostaria de consertar, ou fazer a barra, aquela velha história que já conhecemos, providencie logo. Dê a si mesma(o) o prazo de um mês para resolver esse problema e, se não conseguir, dê adeus à peça. Não estou falando isso para que você desperdice uma peça que goste, muito pelo contrário – espero que esse prazo te dê o empurrão para resolver de vez o problema.

Aí sim você pode começar a pensar em organizar…

A situação é essa: todo mundo precisa de mais espaço no guarda-roupa. Com certeza. Mas, se não é possível no momento, precisamos nos virar com o que temos. A gente pode até tentar descolar algumas soluções baratinhas e simples mas, no geral, em termos de espaço, é importante se conformar. Logo, atenha-se ao espaço que você tem. Isso significa sim reconsiderar manter algumas roupas que simplesmente não caibam no seu guarda-roupa. Eu, por exemplo, toda vez que vejo algum sapato lindo e que gostaria de comprar, deixo de comprá-lo porque não tenho mais espaço no meu guarda-roupa para mais sapatos. Se eu comprar, porque estiver precisando, vou ter que me desfazer de algum deles. Essa é regra. Preciso ser chata porque, quando abrimos exceção, a bagunça toma conta. Conhecer o espaço que se tem e respeitá-lo é o primeiro passo para começar a organizar o guarda-roupa.

Se você acha que tem pouco espaço, na verdade apenas tem coisas demais!

Depois disso, você precisa esquematizar o espaço. Quantas gavetas? Quantas prateleiras? Quantos varões? Faça um desenho em um pedaço de papel (olha aqui para o que serve o famoso caderno de caixa de entrada que eu tanto falo no blog… para não precisar procurar um papel de rascunho uma hora dessas).

Imagem: kwyjibo.com

Imagem: kwyjibo.com

O desenho não precisa ser nada profissional – basta delimitar os espaços. Usei o exemplo acima somente para ilustrar. Eu, quando faço, rabisco uns retângulos gigantes e está tudo certo.

Com esse esquema em mãos, e usando o desenho acima para exemplificar, posso dizer que o guarda-roupa tem, então, dois varões, cinco gavetas, três prateleiras pequenas, seis prateleiras mais largas e uma prateleira larga, porém baixinha. E, com essa consciência de espaço, você vai começar a planejar a sua organização.

Como planejar a organização do guarda-roupa

Separe suas roupas por categorias. Pode ser em cima da cama mesmo. Vamos lá: camiseta com camiseta, calça com calça, saia com saia, vestido com vestido, paletó com paletó, roupas íntimas, meias, toucas, chapéus, camisas etc. Ao fazer isso, você já vai perceber que tem mais de alguns itens que outros. Ok, guarde essa percepção. Você vai precisar dela daqui a pouco.

A diquinha básica de organização é a seguinte: se tiver espaço, pendure o que puder. Mesmo camisetas ficam melhores penduradas que dobradas em prateleiras ou gavetas. No entanto, poucas pessoas dispôem desse espaço, então acabam pendurando somente o inevitável. Vamos lá:

O que você deve pendurar:

Camisas
Paletós
Blazers
Coletes
Blusas de tecido mais fluido
Calças
Saias
Casacos
Vestidos
Bermudas

O que pode ir nas prateleiras:

Camisetas
Malhas
Roupas de academia
Leggings
Moletons
Roupas de cama
Roupas de banho

O que pode ir nas gavetas:

Roupas íntimas
Meias
Artigos de frio (toucas, cachecóis)
Pijamas

Com essa lista acima, basta arrumar.

Alguns truquezinhos de organização profissional

  • Use cabides da mesma cor e material para dar unidade visual ao guarda-roupa. Cabides de materiais e cores diferentes deixam tudo parecendo mais bagunçado do que já é. Sobre os tipos de cabides, o assunto rende um post só para ele, mas o que você precisa saber é que vai do gosto pessoal. Claro que existem cabides de melhor qualidade, e roupas que ficam melhores em um tipo de cabide que em outro, mas este não é o foco do post. Prometo que faço um post sobre isso em breve, tá bem?
  • Use cabides infantis para pendurar calças, pois elas se encaixam melhor. Esta dica se aplica mais para peças femininas. As peças masculinas podem não caber nesses cabides.
  • Separe as peças por categoria e depois por cor. Pode parecer que dá trabalho, mas na verdade dá na mesma. À medida que for pendurando, já coloque da mais escura para a mais clara ou ao contrário – depende do gosto do freguês.
  • Tenha um “gabarito”, que é uma espécie de molde para dobrar as peças que vão em prateleiras, para que elas fiquem da mesma largura e comprimento. Você pode fazer um com papelão e papel contact (é o ideal, porque terá a largura da sua prateleira) ou comprar pronto. Eu uso um que comprei pronto (veja aqui), pois procuro ser prática no dia a dia.
  • Tente caprichar nos detalhes! Se achar que as calcinhas ou cuecas estão sambando dentro da gaveta, compre uma colméia organizadora (vendida nas principais lojas de produtos organizadores pela Internet), por exemplo.
  • Organize itens pequenos em caixas. As caixas substituem gavetas. Se você tiver pouco espaço, pode usá-las para guardar cachecóis, lenços, cintos, toucas, roupas de banho, entre outros acessórios. Lembre-se de etiquetar todas elas.

Organizando itens diferentes

  • Chapéus devem ser acomodados em caixas, de preferências as suas próprias. Apesar de lindos, não vale a pena deixá-los exposto porque, como não são peças tão usadas na maioria das vezes, podem pegar muito pó.
  • Bonés podem ser compactados (quando a gente coloca a parte de trás para dentro do boné, de forma que um encaixe no outro) e guardados em uma caixa ou gaveta.
  • Bolsas podem ser guardadas em prateleiras, umas ao lado das outras. Você pode enchê-las com jornal amassado para que elas fiquem de pé, ou usar forros de almofada, ou mesmo bolsas menores. Carteiras podem ser guardadas em caixas.
  • Mochilas podem ser guardadas dentro de malas de viagem. Aliás, malas de viagem podem armazenar diversos itens, como cobertores ou outros menos usados.
  • Cintos, lenços, cachecóis podem ser guardados em caixas ou gavetas, ou em cabides específicos para isso.
  • Sapatos devem ser guardados em sapateiras, preferencialmente, para não terem contato com as roupas. Se não for possível, devem ficar em um compartimento separado. Se o espaço for um problema, você pode guardá-los em caixas específicas.
  • Gravatas podem ser penduradas em cabides específicos para isso.
  • Jóias podem ser penduradas em ganchinhos na porta do guarda-roupa ou guardadas em porta-bijous (uns mini-gaveteiros vendidos em lojas de organização ou de artesanato).

Ter um guarda-roupa organizado facilita o manuseio no dia a dia, conserva as roupas de forma mais eficiente e faz com que você aproveite mais o que você tem.

23 Jun 2013

Linkagem de domingo {56}

Toda semana eu separo links que gostei e que talvez vocês possam gostar. Os desta semana são:

Bom domingo!

22 Jun 2013

Como organizar as gavetas da cozinha

As gavetas da cozinha têm muito potencial para bagunça! Se elas não forem organizadas direitinho, isso fica ainda mais fácil de acontecer. Organizar é encontrar soluções, não arrumar. A gente arruma quando já pensou na organização e deixou tudo pronto para arrumar no dia a dia. Se você não consegue manter as suas gavetas arrumadas, pode ser que não tenha encontrado a melhor solução de organização. Por isso, seguem algumas dicas para você organizá-las:

Imagem: retirada do Pinterest - sem fonte

Imagem: retirada do Pinterest – sem fonte

O importante é conhecer o espaço que você tem. Conte o número de gavetas. Aqui em casa, temos quatro. Dessa forma, já fica mais fácil planejar o que irá em cada uma delas.

A primeira gaveta deve ter, via de regra, os talheres mais usados no dia a dia. Já é intuitivo saber que os talheres estarão ali, com fácil acesso. Se a sua primeira gaveta já não vier com separadores embutidos, você pode comprá-los. Eles são vendidos em lojas de 1,99, supermercados, lojas como Tok&Stok e até nas revistas da Avon! São muito populares e bem baratinhos. Encontre um que se encaixe melhor na sua gaveta e instale-o ali. Garfos, colheres, facas, colheres de chá e café, abridores de lata e colheres de pau podem ficar nessa gaveta.

A segunda gaveta pode levar os talheres e utensílios menos usados, mas que ainda assim são usados ocasionalmente, como espremedor de frutas, cortador de pizza e outros do tipo.


Você pode destinar a uma gaveta o armazenamento de panos de prato. Aqui eu faço assim e acho bastante prático, pois troco o pano diariamente – algumas vezes, mais de uma vez por dia. Se couber, você também pode deixar um estoque de esponjas dentro da mesma gaveta.

Na última gaveta, costumo guardar aventais, bolachas para copos, saquinhos plásticos, etiquetas e outros acessórios.

Algumas pessoas gostam de ter uma “gaveta da bagunça”, mas a verdade é que essa gaveta acaba concentrando coisas quebradas e outras tralhas. Sinceramente, evite. Não há nada pior que espaços mal-aproveitados, especialmente se a cozinha for pequena.

Se você tiver uma cozinha grande, com aqueles gavetões, pode ser interessante guardar panelas. Gavetas mais rasas podem ser usadas para guardar mantimentos.


E você, como organiza as gavetas da sua cozinha?