15 Apr 2015

Levante e alongue-se para melhorar a sua produtividade

A dica anti-procrastinação de hoje é a seguinte: toda vez que sentir que sua energia está baixa enquanto estiver trabalhando, levante e alongue-se para oxigenar o corpo. Ficar sentado/a por longos períodos prejudica o seu corpo de diversas maneiras e não é todo mundo que pode se dar ao luxo de fazer uma atividade física mais entusiasta no meio do expediente. Porém, há alguns exercícios simples que você pode fazer ao lado de sua mesa mesmo:

  • Junte as duas pernas, pés firmes no chão. Abaixe-se e tente encostar a ponta dos dedos das mãos na ponta dos seus pés. Fique nessa posição durante 10 segundos.
  • Como um jogador de futebol antes de começar o jogo, bata levemente a ponta do pé no chão durante 30 segundos, com movimentos rápidos. Faça isso com os dois pés.
  • Apoie o braço em uma parede e, com o outro, segure a perna dobrada para trás, encostando o pé no bumbum. Fique assim durante 10 segundos, então repita com a outra perna.

E existem alguns exercícios que você pode até mesmo fazer sentado/a. Veja:

  • Levante o braço direito atrás da cabeça, abaixe a mão (como se quisesse tocar o ombro esquerdo) e, com a mão esquerda, “puxe” o cotovelo para a esquerda. Fiquei assim durante 15 segundos e então repita com o braço esquerdo.
  • Levante a perna esquerda, dobrada, com o joelho encostando no seu peito. Procure chegar o mais perto possível do seu peito com a perna (não dobre a coluna – mantenha-se reto/a). Use os braços para segurar a perna. Segure por 10 segundos. Depois, repita com a perna direita.
  • Estique as duas pernas para a frente e tente alcançar seus pés com os braços esticados. Fique assim durante 5 segundos.
  • Faça um movimento de rotação com seus ombros, para frente e para trás. Deixe os braços esticados para baixo ao fazer isso.
  • Com a coluna reta, vire a cabeça para o lado esquerdo e segure por 10 segundos. Depois, repita para o lado direito.
  • Com a mão esquerda, segure sua cabeça e incline-a para o lado esquerdo, forçando levemente o pescoço. Mantenha a coluna reta. Segure por 10 segundos e, então, faça com a mão direita.

Você não precisa fazer todos esses exercícios de uma vez. Escolha um ou dois e vá alternando ao longo do dia. Você verá como melhorará sua energia e conseguirá trabalhar mais animado/a.

Veja na imagem abaixo a demonstração de alguns exercícios citados e outros:

150415-exercicios-escritorio

15 Apr 2015

3 maneiras de fazer seus bichinhos de estimação não comerem os fios e cabos da sua casa

150415-caes-fios

Quem tem bichinhos de estimação em casa já deve ter passado pelo problema contemporâneo de ter cabos e fios mastigados. O problema não é apenas estragar os aparelhos, mas o bichinho ser eletrocutado. Veja neste post 3 dicas pontuais para que isso não aconteça:

  1. Repreenda o bichinho no flagra. Não adianta chegar em casa de noite, depois do trabalho, ver o fio mastigado, e brigar com o gato ou o cachorro. Ele não vai saber do que você está falando. Você precisa repreender assim que ele estiver fazendo, mesmo que só possa fazer isso à noite ou aos finais de semana. Para repreender, não há segredo: seja incisivo com expressões como “não!” e “ei”, ou as que você já usa para ensiná-lo. Então, sempre que o seu bichinho estiver perto dos fios ou apresentando comportamento suspeito, repita o procedimento. Isso vai ensinando-o aos poucos a não mexer naqueles fios.
  2. Evite brinquedos que sejam parecidos com fios – e sei que isso é particularmente comum com gatos. Mas evite, porque na verdade você está ensinando que brincar com fios é legal – está incentivando a prática. Existe uma variedade imensa de brinquedos que você pode oferecer a ele sem que reforce um comportamento que você quer evitar. Tenha sempre algo mais interessante que os cães e gatos podem mastigar, porque isso acaba sendo uma necessidade deles também e eles apenas procuram o que estiver por perto e for mais interessante.
  3. Gatos não respondem tão facilmente à repreensão quanto cachorros, então se as dicas 1 e 2 não estiverem funcionando com ele, você pode simplesmente enrolar seus cabos com algum material como papel alumínio. Além de odiarem a textura, o som também será irritante e isso pode mantê-los longe. Não precisa deixar os fios assim para sempre – somente até os gatinhos aprenderem a não chegar mais perto deles. Quando isso acontecer, você pode desencapar. Outra solução é cobrir os fios e cabos com algum material bastante resistente, à prova dos bichinhos, ou espalhar molho de pimenta nos fios.

A grande verdade é que nada disso é verdadeiramente seguro. Há gatos que gostam de alumínio, assim como você pode ter outros tipos de bichinhos em casa como coelhos, porquinhos etc. A única maneira de mantê-los a salvo é deixá-los o mais longe possível dos cabos e fios, talvez restringindo o acesso quando você não estiver por perto (para supervisionar), ou colocando-os em outro cômodo quando for usar o aspirador de pó, por exemplo.

Caso você tenha alguma dica que tenha funcionado com você, por favor, poste nos comentários. Pode ajudar outros leitores. Obrigada!

14 Apr 2015

Aprenda GTD: Introdução

140415-aprenda-gtd

Um dia eu descobri uma metodologia de produtividade que mudou a minha vida. Agora, eu quero que todo mundo mude a sua também.

A ideia desta série é ensinar você a usar o método GTD (Getting Things Done, criado por David Allen) e chegar ao estado de mente tranquila como água. Se eu pudesse resumir o GTD em poucas palavras, diria que sua essência é alcançar um estado mental tranquilo, sem distrações, em qualquer situação, que ensina cada pessoa a aproveitar melhor seu nível de energia e criatividade. Você não se esquecerá mais de enviar convites, não chegará mais atrasado em compromissos nem deixará de passar tempo ao lado de sua família para ficar trabalhando.

O livro original, Getting Things Done, foi publicado no Brasil pela Ed. Campus com o título A arte de fazer acontecer. David Allen, ao escrever essa primeira versão do livro, admitiu ele mesmo ter tentado colocar o máximo possível de informações, o que pode ter sido “demais” para a maioria das pessoas. Quando eu comecei a praticar o GTD, em 2006, tinha somente o livro como referência. Não posso dizer que foi difícil, mas me ajudaria muito se eu tivesse, como temos hoje, uma ampla rede de usuários da metodologia discutindo boas práticas, posts em blog esclarecendo como fazer, vídeos, podcasts, cursos da própria David Allen Co. e da Call Daniel no Brasil. Em 2015, temos uma nova versão do livro, reescrito totalmente pelo David, que busca tornar o caminho mais fácil a todos. O texto flui muito melhor e as informações estão mais fáceis de serem absorvidas.

Por isso, como parte dessa expansão do GTD pelo mundo, e por receber muitos pedidos no blog, eu resolvi criar uma série para iniciantes, mas que também pode ser encarada como uma espécie de revisão para praticantes mais experientes. Nela, quero falar sobre os ensinamentos do David e trazer um pouco da minha experiência com relação ao método. Espero conseguir ser o mais fiel possível e esclarecer todas as dúvidas que surgirem. Na verdade, o que eu quero é que todo mundo use o GTD, porque realmente acredito que seja algo que transforme a vida das pessoas.

Einstein já dizia que a gente tem que buscar fazer as coisas de forma simples, porém não simplista. Eu penso que isso tem muito a ver com o GTD. Tirar as coisas da cabeça, definir as ações que você precisa tomar com relação a elas e organizá-las de forma que consiga revisar frequentemente não são passos difíceis de se fazer, mas são hábitos. Eu sei que hábitos não são fáceis de adquirir. Eu mesma demorei anos para entender a importância de fazer a revisão semanal toda semana, e demorei também para encontrar meu ritmo certo para fazê-la. O GTD é realmente uma habilidade a ser desenvolvida e que a gente vai aperfeiçoando com o tempo. Fazer as coisas acontecerem não é um processo automático – demanda certo esforço de nossa parte. Porém, esse esforço é um compromisso que temos com nós mesmos a partir do dia em que nascemos. Afinal, estamos neste mundo para quê? Para executar sem critério e enlouquecidamente? Eu tenho certeza que não.

O GTD propôe cinco passos para chegarmos a um nível de claridade mental que nos ajude a executar com significado. Nesta série, você aprenderá quais são eles e como funciona esse fluxo que faz do GTD a melhor metodologia de produtividade do mundo. Além dos cinco passos, o GTD tem o nível de complexidade que você quiser. Eu vou começar do básico, porque quero desbravar esse mar de informações que eu mesma contribuí para espalhar ao redor da web. Quis juntar tudo em um guia conciso, fácil e intuitivo, que ajudará aquele que nunca ouviu falar em GTD a implementar.

Meu plano é fazer um novo post a cada 15 dias, para que ele seja criado com qualidade e bom planejamento, mas pode ser que eu encurte ou prolongue essa frequência, de acordo com o grau de complexidade de cada post. Você pode preencher o formulário abaixo e receber as atualizações por e-mail, se preferir.

Seja bem-vindo/a ao caminho da maestria no GTD.