08 Jul 2013

Doe algumas de suas coisas para quem precisa

Imagem: Pinterest (sem fonte)

Imagem: Pinterest (sem fonte)

Viva a vida com menos – isso é o que está escrito acima. E o que significa viver com menos? Passar necessidade? Claro que não. Viver com menos é um pedido de mudança de atitude para uma sociedade que tem coisas demais. Se você tem a possibilidade de estar lendo este post agora, você é uma pessoa privilegiada que possui acesso à Internet. Isso significa que você tem muitas possibilidades na sua vida. Se você tem Internet, certamente tem um trabalho ou a possibilidade de acessar a rede através de algum meio que, de uma forma ou de outra, demande dinheiro. E, se você tem dinheiro para gastar com isso, eu suponho que não falte dinheiro para você viver, se alimentar e descansar, que são as necessidades básicas de um ser humano.

Analise tudo o que você tem, então, e veja se não existe a possibilidade de doar um pouco para quem precisa. Sempre há pessoas precisando de algo que você tenha e não use mais, desde uma roupa ou sapato até livros e filmes. Gente pobre não precisa só de roupa e comida, mas de cultura também.

Eu acredito que, independente da religião de cada um, ou da ausência de religião, é importante termos esse sentimento de compaixão para com todos os seres vivos. Não existe ninguém melhor do que ninguém, mas as pessoas têm possibilidades diferentes. Se você está em uma posição privilegiada, utilize isso para ajudar quem você puder. E não precisa doar dinheiro. Pode doar coisas que você tenha e que não use. Não estou dizendo para doar algo que seja de uso essencial em sua casa, mas objetos que já não lhe têm serventia. E eu posso afirmar com 99% de certeza que você tem pelo menos alguma coisa da qual pode se desfazer nesse exato momento.

Não deixe de doar por achar que não tem como levar em algum lugar, por exemplo. Há instituições, como o Exército da Salvação ou as Casas André Luiz, que recolhem as doações em casa. Você também pode doar  agasalhos, livros e brinquedos quando for ao supermercado e à farmácia, que sempre têm esse tipo de campanha. Livros podem ser dados de presente para amigos que estejam precisando ler aquele livro em questão, ou você pode doar na sua faculdade ou escola. A biblioteca com certeza os aproveitará. Quem tiver lojas de livros usados em sua cidade também pode levar lá. Roupas e donativos podem ser recolhidos em igrejas. Você também pode doar um agasalho ou cobertor para moradores de rua.

O importante é reconhecer que um objeto que você não usa poderia estar sendo melhor aproveitado por outra pessoa. E, dessa forma, ao se desfazer dele, você na verdade está se comprometendo com o universo, fazendo uma boa ação, além de liberar espaço em sua vida para o novo. Pense nisso. Seja caridoso.

07 Jul 2013

Linkagem de domingo {58}

Toda semana eu separo alguns links que gostei e que achei interessante compartilhar com vocês. Os desta semana são:

Bom domingo!

06 Jul 2013

Visite seus familiares mais velhos para lhes fazer companhia

Imagem: Gaetano Bellei

Imagem: Gaetano Bellei

Certamente o principal receio da maioria das pessoas quando envelhecem é o medo de ficarem sozinhas. E com razão, não é? Os filhos crescem, se casam, têm sua própria vida, sua própria correria e seus muitos problemas. Nós conhecemos o cenário porque passamos por isso. Mas precisamos ficar atentos para não nos esquecermos dos familiares mais velhos. Eles sentem a nossa falta e, mesmo que não sejam tão próximos como um pai ou uma avó, vale a pena planejar uma visitinha de vez em quando para que eles se sintam amados e contentes por conversar com alguém que não vêem há tanto tempo.

Aproveite que agora é o período de férias escolares e leve suas crianças para fazerem uma baguncinha (no bom sentido) na casa dos tios, avós, bisavós. Se você não tiver filhos e for uma pessoa muito ocupada, planeje um final de semana, ou um dia do final de semana, para fazer essa visita e passar a tarde conversando, dando atenção. E não precisa fazer isso só nas férias não! Faça com uma periodicidade maior. Sei que ninguém tem tempo, mas as pessoas continuam existindo independente de não estarmos com elas, e elas sentem a nossa falta.

Procure não fazer da sua visita um trabalho. Lave a louça, não suje nada, não faça bagunça e não incomode. Se puder, leve alguma coisa para comer, como a torta preferida do seu parente ou algum presente que ele ou ela vá gostar. Mas não pense no gasto em dinheiro que vai ter. Uma foto ou flor pode ter mais efeito que algo que você tenha comprado.

Esteja presente também de outras formas. Que tal planejarem uma viagem juntos? Ou incentivar essa pessoa a ler um livro, ver um determinado filme ou mesmo fazer um curso para desenvolver um novo hobbie? No dia a dia, procure arranjar tempo para telefonar. Não precisa ficar três horas no telefone – apenas diga que ligou para dizer olá.

O que não vale é viver a vida e dizer que não tem tempo para se dedicar a eles, tá bem? Um dia você vai chegar lá também. Especialmente para quem tem filhos, é importante plantar o exemplo para colher no futuro.

05 Jul 2013

Reveja sua lista de despensa e modifique o que for necessário

Imagem: Make Bake Celebrate

Imagem: Make Bake Celebrate

Ter uma lista de despensa é legal porque nos ajuda a não precisar pensar nisso sempre que precisamos ir ao supermercado. Eu já fiz alguns posts sobre organização da despensa antes que podem ajudar. Veja quais são:

Por fim, ter uma lista para a despensa facilita e muito. O ideal é que você tenha uma lista com todas as necessidades da sua família (nomes dos produtos e quantidades) e reabasteça a despensa sempre que necessário. Não tem muito segredo além disso. Aqui em casa, prefiro fazer compras semanalmente, pois acho que assim controlamos melhor as validades. Isso também porque não temos muito espaço, então não podemos comprar em grandes quantidades. Mais uma vez, não existe um modo certo de fazer as coisas, mas aquele jeito que funciona para cada um.

Onde guardar essa lista?

No seu control journal! É sem dúvida o melhor lugar para guardar sua lista de despensa.

Você também pode fazer como na foto acima e deixá-la na própria despensa, seja pendurada na porta, seja em um caderno ou pastinha dentro da estante. O importante é que seja prático de consultar, atualizar e levar ao mercado.

Você também pode deixar a lista no seu celular, mas isso só funciona se você for a única pessoa a fazer compras na sua casa.

Revisão sempre

É importante fazer uma revisão frequente dessa lista para ver se você não está colocando coisas a mais (e gastando mais) ou se as quantidades estão insuficientes. Faça ajustes. A dinâmica de cada família muda com o passar do tempo, assim como a lista sofre variações ao longo do ano, dependendo do clima. É importante sempre prestar atenção.

O objetivo de se fazer a lista de despensa é justamente não precisar quebrar a cabeça quando for ao supermercado, mas a missão final dela é justamente fazer com que sua família não passe necessidades. Logo, a revisão é fundamental. Recomendo uma revisão semanal para verificar o que precisa ser comprado e uma revisão mensal das necessidades, especialmente porque você pode precisar comprar itens para festinhas e outros que não estejam incluídos na lista normal.

Boas compras.

04 Jul 2013

Finalize seus planos para as férias escolares

Imagem: Mini Time

Imagem: Mini Time

Quem tem filhos vive em julho o período de férias escolares. Tem um texto no blog sobre como se virar caso seus filhos estejam de férias e você não que vale a pena olhar caso seja a sua situação por aí. O post de hoje é sobre a finalização desse planejamento – afinal, já estamos no meio da coisa toda! Este não é o momento de planejar, e sim ter controle do que vai acontecer durante todo o mês.

1. Primeira coisa: seu calendário

050713-calendario

Use um calendário ou agenda para se localizar. isso é essencial! Pegue agora seu calendário ou agenda e verifique todos os compromissos que a sua família tem esse mês.

2. Veja quando acabam as férias

A primeira coisa que você deve verificar em sua agenda é quando acabam as férias. Isso te dará a noção do tempo e assim você poderá planejar o que deve fazer durante esse período e antes de as crianças voltarem às aulas.

Aqui em casa, meu filho voltará dia 31, o que me dá 26 dias de férias dele.

3. Verifique todos os compromissos já agendados

Veja todos os compromissos que a sua família já tem agendados durante o mês de julho. Consultas médicas, cursos de férias, viagens, passeios. Para esses compromissos, já elabore suas listinhas de coisas a fazer. Se vocês vão viajar, talvez você queira fazer uma revisão do carro, fazer uma faxina geral na casa antes de deixar tudo vazio ou deixar as compras feitas. cada família ter suas necessidades! Liste-as para não ter que pensar nisso um dia antes.

4. Veja o que as crianças querem fazer

Mostre para as crianças a programação do mês e pergunte se elas gostariam de fazer algo que não demande planejamento ou gastos expansivos. A programação pode incluir ir ao cinema, ao parque, tomar sorvete, comer em um restaurante gostoso, empinar pipa e coisas do tipo. Eu acho legal esse passo para mostrar para as crianças que a opinião delas importa para você. E também porque muitas vezes estamos tão entretidos na correria do dia a dia que acabamos não conhecendo os gostos dos nossos filhos. Conversar nesse momento pode dar essa noção. Eles também vão sentir que estão fazendo parte da coisa toda, e não apenas obedecendo ordens.

5. Tire fotos!

Registre os melhores momentos para recordar depois. Não se esqueça disso!

Você também pode revelar algumas fotos depois e montar um mural no quarto dos seus filhos, para que eles vejam até as próximas férias e relembrem os bons momentos com os pais.

6. Faça uma lista de tudo o que precisa resolver antes da volta às aulas

Comprar mais uniformes, algumas peças de roupas (como meias), trocar os tênis das crianças, costurar o rasgo na mochila, comprar mais material escolar, etiquetar tudo etc. Liste todas as providências que precisa tomar e procure resolver com mais de uma semana de antecedência.

7. Um dia antes, deixe tudo pronto

Na véspera da volta às aulas, deixe a mochila de cada um já pronta, os lanches separados, os uniformes limpos, passados e guardados em local de fácil acesso. Não deixe para fazer isso pela manhã, senão as crianças já começarão com o pé esquerdo.

Não precisa fazer muita coisa, porque o planejamento no geral já foi feito antes. Agora é só curtir as férias com a criançada e, se você não estiver de férias também, monitorar tudo direitinho para que ninguém passe necessidades.

Boas férias!

03 Jul 2013

Limpe sua estante de livros

Imagem: There's a blog in my soup

Imagem: There’s a blog in my soup

Sua missão para o dia de hoje é limpar sua estante de livros.

Frequência recomendada:
Tirar o pó dos livros e da estante: 1x por semana
Fazer a limpeza completa: 1x a cada seis meses

Duração:
Tirar o pó dos livros e da estante: 5 minutos
Fazer a limpeza completa: 2 horas (dependendo da quantidade de livros – aqui estimo para uma quantidade de 300, 400 livros)

Material necessário para a limpeza completa:
- 2 flanelas secas
- 1 pano úmido
- 1 escada

Como fazer

  1. Organize um espaço no chão para colocar todos os livros da estante. Você pode querer colocá-los em cima de um tapete para não entrarem em contato direto com o chão. Abra as janelas e deixe o ambiente bem ventilado, se possível.
  2. Comece pelas prateleiras superiores e vá descendo. Tire os livros do topo da estante e coloque-os no chão. Passe uma flanela seca para tirar o pó das prateleiras. Tenha outra flanela para tirar o pó dos livros (lombada, folhas – especialmente em cima). Se os livros estiverem sujos, pode ser uma boa passar um pano úmido na capa para tirar a “meleca”. Cuidado para que os livros não fiquem perto da estante, senão todo o pó que você limpar das prateleiras cairá em cima dos livros.
  3. Ao terminar a primeira linha de prateleiras (a superior), guarde os livros novamente. Nunca guarde um livro que ainda esteja úmido, caso tenha limpado a capa com o pano. Espere secar para guardar.
  4. Deixe as lombadas alinhadas com a borda da estante. Isso diminuirá a formação de pó. Se sua estante tiver portas de vidro, é o ideal.
  5. Vá repetindo o procedimento com as prateleiras inferiores, até finalizar.
  6. Limpe embaixo da estante, caso ela tenha pés que formem um espaço entre ela e o chão. Use o pano úmido que usou para limpar os livros, já que agora não o usará mais para este fim.

Prontinho!

É importante, ao limpar cada livro, verificar se as páginas não estão coladas, se há mofo ou outros estragos. Se for o caso, separe-os para tomar providências. Mas já defina quais são essas providências e coloque-as em sua lista de tarefas para resolver o mais breve possível. Tempo para resolver isso: um mês. Esse é o seu prazo.

Veja um outro post sobre cuidados com livros.

02 Jul 2013

Analise seus objetivos de curto, médio e longo prazo

Como parte do novo planejamento do blog, tentarei este mês escrever posts que estejam relacionados com o checklist mensal para ajudar cada um de vocês a se organizar. Infelizmente, não posso atender pessoalmente cada pedido de ajuda que chega até mim, então o blog é a minha maneira de ajudar. Tento ser sempre bastante didática para que todos vejam que se organizar não é um ideal distante, mas algo que podemos fazer aos pouquinhos e, assim, tomar controle do nosso tempo.

Hoje eu gostaria de falar sobre objetivos de curto, médio e longo prazo. O que são esses objetivos?

Quando eu falo em objetivos de curto prazo, estou me referindo ao prazo de hoje até daqui a dois anos. Não gosto de fazer resoluções anuais porque acho que muitos objetivos demandam um pouco mais de tempo. Considero dois anos um período legal, que dê para a gente se basear com uma margem maior. Dá para tomar providências que demandem um pouquinho mais de tempo, mas que ainda assim estão sob nosso controle e planejamento.

Objetivos de médio prazo já são aqueles que podem ser para daqui a três ou cinco anos. São objetivos que temos em mente, mas que não temos disponibilidade no momento. Objetivos de médio prazo clássicos: ter um filho, começar um mestrado, aprender um novo idioma, mudar de casa, viajar para o exterior etc.

Os objetivos de longo prazo são basicamente os objetivos de vida. É para pensar não só daqui a 10 anos, mas daqui a 30, 40 anos. Lá na frente. Quando você morrer, o que gostaria de ter realizado? “Ah, eu gostaria de ter estabilidade financeira.” “Eu gostaria de dizer que fui o melhor pai possível.” “Quero ser lembrado(a) como um(a) amigo(a) presente.” Essas coisas, mais etéreas. Os objetivos de longo prazo revelam nossas intenções e missão de vida. O legal de pensar a respeito deles é que eles dizem muito sobre o nosso caráter.

Mas como começar?

Comece pelos objetivos de longo prazo, sempre. Eles serão o seu norte. Pegue uma folha de papel e reflita sobre como gostaria de ver sua vida quando estiver no final dela. É claro que estamos levando em conta uma vida longa e próspera. Mesmo que você já tenha mais idade, pense lá na frente. Pense no que gostaria de ter realizado no momento em que fechar os olhos pela última vez.

Elaborar essa lista pode parecer difícil mas, na prática, você vai ver que é bastante natural. Todos nós já sabemos o que queremos ser. E tudo bem se essa lista mudar. Não pense nisso agora. Monte sua lista e avalie-a de tempos em tempos. Você vai perceber que o essencial dificilmente vai acabar mudando, mas é ok mudar. Não se preocupe com isso – você não está escrevendo regras em pedra. É apenas uma reflexão.

Com base na sua lista de objetivos de longo prazo, tente trazer para mais perto. Por exemplo, se você deseja ter estabilidade financeira, o que pretende fazer a médio prazo (três a cinco anos) para alcançar esse objetivo? Comprar um apartamento, passar em um concurso público, ter uma poupança com X reais no banco, abrir um negócio. Para cada objetivo de longo prazo, você pode ter um ou mais objetivos de médio prazo que sejam relacionados.

Isso serve até mesmo para você questionar seus objetivos de médio prazo. Se você tinha em mente comprar um apartamento daqui a quatro anos, pense em como isso colabora com seus objetivos de longo prazo. Se não colaborar com nenhum, veja se é um objetivo importante. Se for, talvez você deva refletir sobre um objetivo de longo prazo que se relacione com ele, como por exemplo, cuidar da sua família ou proporcionar segurança financeira para quando estiver mais velho.

Os objetivos de curto prazo também devem se relacionar aos de médio e longo prazo. Mas aí o raciocínio é o seguinte: verificar seus objetivos de médio prazo e ver o que pode fazer atualmente, de hoje a dois anos, para alcançar esse objetivo. Continuando com o exemplo do apartamento, você pode colocar como objetivo de curto prazo guardar Y reais por mês na poupança para conseguir ter Z reais daqui a dois anos. Ou pode optar pela pesquisa de apartamentos na planta. Enfim, as possibilidades são inúmeras e muito pessoais. Não tem como ninguém definir esses objetivos por você.

Os objetivos de curto prazo se transformarão em projetos. E esses projetos são os que você vai começar a trabalhar agora, correndo atrás de seus objetivos. Você vai destrinchar cada um desses objetivos de curto prazo de modo que se transformem em tarefas que você pode fazer já. Por exemplo, se você precisa guardar R$400 todo mês porque quer juntar X dinheiro ao final de dois anos para dar uma entrada em um apartamento logo em seguida, você pode definir que vai cortar gastos aqui e ali, transferir R$100 para a poupança toda semana etc. Os seus objetivos lá da frente se transformaram em tarefas que você pode fazer agora. Não é emocionante?

E por que ter objetivos?

Muitas pessoas dizem que não gostam de ter objetivos porque querem que a vida seja uma eterna surpresa e que não gostam da ideia de ter tudo esquematizado até o dia em que morrerem. Cada um pensa de um jeito. No entanto, se você tem sempre a sensação de que sua vida está passando e que você não está aproveitando como deveria, acho que vale a pena fazer esse pequeno planejamento. E mais uma vez: ele não está escrito em pedra. Faça para refletir sua vida e, se não quiser seguí-lo, é só deixar de lado ou usá-lo como norte de maneira informal. Não precisa seguir à risca.

O legal de ter objetivos é saber onde você quer chegar e aproveitar seu tempo. É não chegar daqui a 30 anos e dizer que deveria ter começado a poupar dinheiro quando tinha 20. Ou se arrepender por não ter feito a faculdade X. Ou n outras coisas.

Ter objetivos te faz levar uma vida coerente e tranquila. Você que está realizando hoje uma tarefa porque ela se reflete em um objetivo de médio ou longo prazo. Sua vida ganha significado. Você não fica com aquela sensação de que está perdendo tempo ou com dúvidas sobre estar investindo em algo que não precisa. Tiramos a ilusão da vida. Ficamos mais tranquilos.

Como eu faço

Exatamente como eu comentei acima. Eu reviso semanalmente meus objetivos (faz parte da minha revisão semanal com o GTD), pois faz parte da minha rotina pessoal. Você pode revisar quando você quiser, mas eu recomendo que seja feita pelo menos uma vez por mês. Os objetivos de curto prazo podem ser alterados, se você achar que não estão condizendo com os outros, ou você pode até mesmo excluir alguns, pois viu com o tempo que eles podem ter se tornado irrelevantes. Nós crescemos e amadurecemos, e é normal haver mudanças. Eu comecei 2013 com uma lista de uns nove objetivos de curto prazo, e agora tenho somente cinco. A revisão constante é importante justamente para você parar e pensar: “Ok, como a minha vida está caminhando? Estou alcançando meus objetivos?”. E a sensação de ter controle sobre isso e de poder fazer mudanças é indescritível. Só fazendo para ver.

Portanto, quando eu sugeri no checklist mensal que você analisasse seus objetivos de curto, médio e longo prazo, foi justamente para ajudar quem tivesse dúvidas como essas:

“Não sei o que fazer da minha vida!”
“Trabalho o dia inteiro e chego exausta em casa, e nunca sei o que devo fazer primeiro.”
“Estou em um trabalho que eu odeio.”
“Minha vida é muito corrida e eu não consigo fazer nada.”
“Eu não sei por onde começar!”

Comece definindo seus objetivos. O restante vai se clareando. ;D

Até amanhã.

01 Jul 2013

A organização e a vida

Meu amigos,

É assim que eu gosto de chamá-los, porque sei que os leitores do blog acabam sendo meus amigos. A amizade é diferente da que temos com nossos amigos íntimos, é claro, mas a verdade é que escrevo aqui coisas que muitas vezes não converso com meus amigos. Assim como sei que vocês me escrevem contando partes da vida de cada um de vocês que não são ditas por aí a qualquer um. Por essa confiança, muito obrigada.

Antes que vocês pensem, não, o blog não vai acabar! Vamos descontrair logo antes que vocês pensem nisso. XD Eu só quis escrever um pouco de uma forma mais íntima, abrir meu coração de verdade, justamente pelo respeito que tenho a todos os leitores do blog.

Eu fiquei com dúvidas sobre a publicação deste post ou não. Agendei e cancelei três vezes. Toda vez que escrevo algo mais pessoal no blog, recebo comentários que costumam me deixar um pouco chateada, e gostaria de evitar isso. Ter um blog é dar a tapa a cara, eu sei. Mas eu sou apenas uma pessoa normal escrevendo do outro lado do computador – uma pessoa como qualquer outra. Enfim, de qualquer forma, eu quis publicá-lo, e agradeço quem sempre está por aqui e comentando de forma positiva, pois é isso que faz com que o blog continue existindo.

Ser uma pessoa organizada é uma bênção para mim. Juro, assim considero. Outro dia estava conversando com o meu marido antes de dormir e agradeci a ele por todo o suporte que ele me dá, porque senão eu jamais conseguiria lidar com tudo o que está acontecendo sozinha. Com certeza nosso casamento é um dos meus principais patrimônios. Já passamos por muita coisa juntos, e é maravilhoso saber que você tem alguém que estará sempre ao seu lado te apoiando e construindo uma vida com você. Hoje, meu marido é a pessoa que mais faz coisas em casa (tem dias que nem lavar a louça eu consigo) e que fica com o filhote quando eu estou trabalhando. Eu não seria NADA se não fosse por ele.

Eu só tenho a agradecer por todas as oportunidades que têm aparecido na minha vida profissional. Tem acontecido de tudo em 2013, minha gente. É tanta coisa que eu preciso sambar para conseguir dar conta, especialmente porque eu estou absorvendo somente projetos que realmente tenham relevância para mim. Preciso dizer não quase chorando a algumas oportunidades simplesmente por não ter como disponibilizar meu tempo para elas. Eu já estava me sentindo cansada e me questionando se tudo valia a pena quando encontrei o seguinte raciocínio: “Este é o momento de trabalhar, construir estabilidade financeira e profissional, fazer mil coisas ao mesmo tempo mesmo, pois ninguém sabe o dia de amanhã. Isso inclui ser a melhor mãe possível, e não somente trabalho profissional. Ser uma boa esposa. Cuidar de mim. Etc.” A partir desse momento, como um “clic”, tudo passou a fazer muito mais sentido para mim.

Muitas (muitas!) pessoas me perguntam porque eu não “largo tudo” para viver do blog. Isso já passou pela minha cabeça diversas vezes, como vocês podem imaginar, e hoje posso dizer que tenho uma postura mais racional com relação ao assunto. Respondendo a quem tem essa dúvida, eu digo o seguinte: há dois motivos muito fortes, ambos importantes. Eu trabalho desde a minha adolescência e estudei muito para construir uma carreira. Quem já conhece o blog há um tempo sabe que eu fiz faculdade de Jornalismo (tranquei) e Publicidade, e essas são as duas profissões que eu vivo intensamente hoje. Terminei minha pós-graduação ano passado, o que foi um grande investimento de tempo e dinheiro (tive aulas aos sábados quando meu filho ainda não tinha sequer um aninho), e esse investimento gerou resultados. Hoje tenho um bom emprego graças a todo o trabalho que faço na vida há anos e ao investimento que fiz na minha educação (estou sempre estudando muito). Eu adoro o que eu faço. Estou há dois anos no meu emprego atual e ainda tenho muito o que aprender e desenvolver lá. Além de gostar, é o meu emprego que mantém a nossa família. Lembrem-se que o meu marido é autônomo, então sou eu que garanto o sustento de todos nós. Não seria responsável de minha parte largar um bom emprego para “viver do blog”. Se meu marido tivesse uma estabilidade legal, talvez eu considerasse essa possibilidade. Porém, mesmo assim, não quero deixar de trabalhar, justamente porque gosto do que faço. E eu sei que dá para conciliar porque venho fazendo isso há seis anos.

Não viver do blog me dá segurança em alguns aspectos e não me deixa frustrada, porque ele continua existindo. Tenho até um pouco receio de transformá-lo em um blog cheio de publicidade, caso isso acontecesse. Não viver do blog me permite mantê-lo com a minha cara, pessoal, até informal, que é como eu gosto que seja. Se dá para eu manter essas duas coisas, não vejo porque excluir uma ou outra.

O que aconteceu em 2013 foi um verdadeiro boom profissional para mim. Graças ao blog, fui contatada por algumas editoras para escrever alguns livros de organização – um projeto que eu já tinha em mente desde sempre, pois escrever é algo que faz parte de mim. Como disse o Hemingway, não existe essa coisa de escrever – você apenas se senta em frente à máquina de escrever e “sangra”. É exatamente isso: escrever é um ato pessoal, que a gente faz com a alma, por meio das mãos.

Eu acho que eu mesma alimentei uma cobrança maior com relação ao blog do que realmente precisava. Eu sou muito perfeccionista e detalhista. Estou aprendendo a ser menos assim e a desapegar um pouco do blog. Houve um tempo em que tudo o que eu fazia era trabalhar e cuidar do blog como hobbie. Hoje, além de ele ter crescido muito, eu tenho outros projetos profissionais, então eu preciso delegar algumas tarefas. Menos escrever. Isso eu já vi que não dá certo aqui no blog e eu mesma me sinto mais à vontade escrevendo. Afinal, ele é um blog pessoal.

Ser publicitária e ter o blog me abriu muitas portas, como participar do Social Media SP, um evento que adoro fazer. Uma coisa leva à outra, e também vou começar a dar aulas em um curso de pós-graduação. Paralelo a isso tudo, em uma conversa incrível que tive com o Daniel Burd (da Call Daniel), ele me convidou para coordenar as ações de marketing digital dele, confiando no meu trabalho e no meu amor pelo método GTD. E, como são todos projetos importantes para mim, eles fazem parte da minha vida agora. Só que, para fazer tanta coisa ao mesmo tempo, precisamos nos organizar, delegar mais e desapegar um pouco de outras que talvez a gente levasse a sério demais. E eu estou fazendo isso.

O que acontece, meus amigos, é que não pretendo ficar estressada e ter um infarto aos 31 anos de idade (nem com qualquer idade). Por isso, voltei a cuidar mais da minha espiritualidade também e reduzir meus objetivos, minhas tarefas. Abri mão de várias. Percebi que deveria dar mais atenção a outras. Isso é priorizar. Obrigada, David Allen, por me passar esse legado do GTD. Não sei como seria se não fosse por você e esse método maravilhoso.

Vejam vocês então que tenho aí por volta de cinco ou seis projetos profissionais que são praticamente um emprego cada um, e eles demandam tempo. Nunca estive tão ocupada, mas também nunca estive tão feliz! Porque parece que, quanto mais coisas tenho para fazer, melhor consigo equilibrar a minha vida. Estou abrindo muito mais espaço para ficar com o meu filho agora – não que antes não fizesse isso, mas eu estou dividindo tudo muito melhor no momento. Eu aprendi a não ver meus e-mails do trabalho em casa, por exemplo. Antes eu fazia isso, tranquilamente. Quando estou com o meu filho, estou com ele. Estou implantando diversas ideias de homeschooling (estudo em casa, como dizem nos Estados Unidos) adequadas à idade dele (sim, pretendo falar um pouco em um futuro post), e isso me permite ter a tranquilidade de que estou participando ativamente da sua educação, cuidando disso com carinho. Também estou cuidando melhor da rotina com o meu marido, para que a gente não passe muito tempo sem fazer coisas bacanas um com o outro – passear, jantar fora, ir a um show ou ao cinema, essas coisas.

Por isso eu intitulei o post como “A organização e a vida”, porque é isso, minha gente. A organização proporciona essa sensação de utilidade com relação ao que é prioridade para cada um de nós. Faz a gente pegar tudo o que está fazendo e verificar o que é realmente importante e focar somente naquilo.

Eu quis escrever tudo isso porque recebo tantos e-mails, mensagens e comentários diariamente, e não consigo responder rapidamente a todos eles. Talvez eu passe a atualizar o blog com uma frequência menor também. Não quero que vocês entendam isso como um descaso meu, mas apenas que a vida segue sua ordem natural das coisas. O blog continua sendo e sempre será uma parte muito importante de mim – do contrário, jamais investiria tempo e dinheiro nele. Mas outras coisas são importantes também. Dá para ter todas elas se abrir mão um pouquinho aqui e ali.

Eu me dôo muito ao blog, pois faz parte da minha missão de vida ajudar as pessoas da forma que eu puder. Sei que hoje em dia ninguém tem tempo e um blog que fale da organização de forma prática e descomplicada pode ser muito útil. O preço a se pagar por toda essa exposição existe, mas os benefícios também. Sou muito grata pela minha vida, pela minha família, pela minha saúde e a dos meus. Tento não me expôr tanto quando escrevo no blog, mas quem consegue não se expôr quando está escrevendo, sendo que essa é a principal maneira de mostrar sua alma para os outros?

01 Jul 2013

Checklist de julho 2013

Julho é o primeiro mês da segunda metade do ano. É uma boa época para analisar tudo o que já fizemos e planejar os próximos passos de todos os novos objetivos de curto prazo. Se você gosta de fazer resoluções de ano novo, pode ser uma boa avaliar se o que você se propôs a fazer está caminhando e, se não for o caso, o que ainda pode ser feito até dezembro.

Atualmente, tenho um número muito menor de objetivos (não projetos), tanto de curto quanto de médio e longo prazo. Acredito que, quando temos menos objetivos, a chance de realizá-los é maior porque vamos priorizá-los. No meu caso, tenho cinco objetivos de curto prazo e eles estão em andamento. Tenho metas para todos eles. Metas que se refletem em tarefas para hoje, amanhã, daqui a um mês, até dezembro, até julho do ano que vem ou mais. Já comentei aqui que minha noção de curto prazo é de hoje a dois anos, logo, não faço resoluções anuais.

Uma sugestão de checklist para julho seria:

  1. Avaliar todos os seus objetivos de curto, médio e longo prazo
  2. Se não os tiver, pensar a respeito deles (veja como fazer aqui)
  3. Limpe sua estante de livros – tire todos os livros, limpe-os, tire o pó da estante
  4. Finalize seus planos para as férias escolares
  5. Planeje a volta das férias escolares com tranquilidade – veja se precisa comprar uniformes, material escolar etc.
  6. Reveja sua lista de despensa e modifique o que for necessário
  7. Mantenha sua despensa com o que precisa ter sempre
  8. Visite seus familiares mais velhos para lhes fazer companhia
  9. Doe algumas de suas coisas para quem precisa
  10. Veja em seu calendário atividades e eventos que podem fazer a dois
  11. Comece a escrever em um diário
  12. Planeje uma viagem de final de semana para recarregar as baterias
  13. Revise sua agenda de telefones e passe alguns deles para seu celular
  14. Limpe e organize seus pincéis de maquiagem
  15. Tente esvaziar todos os dias a caixa de entrada do seu e-mail
  16. Faça backup dos seus arquivos do computador, celular e tablet
  17. Limpe todos os fios e cabos de aparelhos eletrônicos
  18. Conserte algo que esteja quebrado ou rasgado
  19. Destralhe os armários do banheiro
  20. Use um caderno para anotar suas ideias e tarefas que precisa fazer – centralize em um só lugar essas informações
  21. Faça uma limpeza completa no carro, dentro e fora
  22. Pinte um cômodo da sua casa para renovar o ambiente
  23. Faça uma lista com seus 15 pratos preferidos e distribua durante os próximos 15 dias – depois, recomece
  24. Compre uma nova peça básica para o seu guarda-roupa
  25. Selecione suas matérias preferidas e recicle o restante das revistas
  26. Tire o pó de todos os quadros e molduras
  27. Deixe um guarda-chuva no carro
  28. Deixe sacolas retornáveis no carro
  29. Organize a sua bolsa ou mochila para o dia a dia
  30. Tente dormir mais cedo todos os dias
  31. Telefone para alguém com quem você ainda não conversou em 2013

Aproveite seu mês! E, a partir de amanhã, você vai ter uma surpresa aqui no blog para ajudá-lo(a) a cumprir seu checklist.

30 Jun 2013

Linkagem de domingo {57}

Toda semana eu seleciono alguns links que li e achei interessantes para vocês. Os desta semana são:

Bom domingo!