31 May 2014

Como organizar desenhos e trabalhos de escola das crianças

Imagem: Indie Mats

Imagem: Indie Mats

Hoje vamos falar um pouco sobre a organização dos desenhos e trabalhinhos de escola dos filhos. Já falei levemente sobre isso em outros posts, mas achei interessante fazer um post especificamente sobre o assunto. Quem tem mais de um filho pode inclusive se perder em meio a tantas folhas de papel que chegam todos os dias da escola. Como organizar tudo isso? Veja algumas sugestões:

Exponha os trabalhos

Imagem: kylieminteriors.ca

Imagem: kylieminteriors.ca

Quando chegarem novos desenhos, escolha alguns para expôr durante a semana e coloque na geladeira e no mural de recados. Os desenhos preferidos podem ser colocados em molduras compradas prontas e penduradas pela casa. Algumas molduras proporcionam uma troca de conteúdo mais fácil, então de tempos em tempos você pode trocar os desenhos. Seu artista vai ficar orgulhoso de ver seus trabalhos expostos pela casa inteira.

Tenho um fichário ou pasta para cada criança

Imagem: kataydee.com

Imagem: kataydee.com

Essa é a maneira mais fácil de organizar quem pretende manter os trabalhos guardados em papel. Utilize um fichário ou pasta etiquetada com o nome de cada criança e vá arquivando ali dentro. Você também pode usar pastas suspensas, dependendo da sua preferência.

Digitalize os desenhos

Imagem: Jamie Rubin

Imagem: Jamie Rubin

Todas as semanas, digitalize os desenhos e envie para uma ferramenta como Evernote, Dropbox ou salve um um HD externo. O legal de ir digitalizando aos poucos é que você evita o trabalho de fazer isso tudo de uma vez quando sentir necessidade porque há muito papel guardado. A vantagem de digitalizar é a preservação dos desenhos, além da possibilidade de compartilhar com outras pessoas da família.

Então vamos lá! Organizar os desenhos e trabalhos de escola das crianças é uma maneira de cuidar delas e dar valor às suas atividades criativas. Além do que, daqui a 10, 20 anos, ter esses arquivos digitalizados será uma lembrança maravilhosa. Vale a pena investir esse tempo.

30 May 2014

Frase da semana: muita coisa ao mesmo tempo

"Meu cérebro tem muitas abas abertas"

“Meu cérebro tem muitas abas abertas”

Para diminuir. :)

29 May 2014

Como foi a minha experiência depois de um mês com a resposta automática nos e-mails

Imagem: PC Mag

Imagem: PC Mag

Há pouco mais de um mês, eu venho utilizando uma resposta automática nos meus e-mails e, como o assunto gerou muitas perguntas dos leitores, resolvi relatar um pouco da minha experiência, contar como as pessoas ao redor reagiram e se meus medos se confirmaram.

Um breve resumo do que aconteceu: habilitei a resposta automática (como aquelas mensagens de férias) para disparar para sempre nos meus e-mails, dizendo que, para organizar melhor meu dia de trabalho, eu estava lendo e-mails ao meio-dia e às quatro da tarde. Que, se fosse algum assunto urgente, as pessoas poderiam me contatar via What’s App, no meu celular.

As reações

No geral, as pessoas mais desorganizadas foram as que reclamaram, mas felizmente elas foram a minoria. No entanto, gerou reações! Muitas pessoas brincaram comigo, especialmente no trabalho. Um diretor e a gerente de RH elogiaram a iniciativa, dizendo que era uma ideia que a empresa poderia aproveitar. Muitos colegas de trabalho elogiaram e disseram que foi uma iniciativa boa.

No âmbito pessoal, alguns amigos brincaram comigo (“que história é essa de só ler e-mail duas vezes por dia, uiuiui”) mas, no geral, aceitaram bem.

Problemas

Não tive qualquer problema decorrente de ler e-mails somente duas vezes por dia. Quando era algo urgente, as pessoas me contatavam por outro canal (telefone, skype ou what’s app), mas aconteceu somente duas vezes (e, sinceramente, sequer eram urgências, apesar de a pessoa achar que era, claro!).

Os e-mails não acumulam. Por incrível que pareça, da primeira vez que se faz isso, aparece bastante e-mail. No entanto, uma hora é tempo suficiente para lidar com todos eles e, na segunda leva do dia (às quatro da tarde), os e-mails são resolvidos rapidamente. Penso que, para mim, uma vez por dia é suficiente para lidar com meus e-mails, mas prefiro manter as duas checagens por desencargo de consciência.

Um medo que eu tinha era o de as pessoas me ligarem no número fornecido para o What’s App mas, tirando alguns números desconhecidos (que eu nunca atendo), não fui incomodada. Pelo contrário – alguns contatos comerciais me adicionaram no What’s App e algumas mensagens se tornaram bem mais ágeis que e-mails (geralmente recados em que a única resposta é “ok”).

Conclusão

Apesar de funcionar bem, acredito que não seja necessário ter uma resposta automática para ler e responder e-mails duas vezes por dia – ou seja, a frequência é grande – não precisa encher a caixa de entrada do remetente com as respostas automáticas sempre. Só um ponto sobre isso: a ideia é justamente encher a caixa da pessoa que te escreve muito e fazê-la ser mais sucinta, te copiar somente quando necessário ou enviar menos e-mails. ;D Isso funcionou super bem, talvez justamente porque as pessoas não gostem de receber essas mensagens. Porém, eu sinto que não preciso ter essa resposta para checar meus e-mails duas vezes por dia. Talvez fosse adequada se eu visse somente uma vez por dia ou uma vez a cada dois ou três dias, por exemplo. Depende da necessidade de cada um. Portanto, continuarei com a minha frequência de leitura, mas tirarei a resposta automática, para testar se o resultado é o mesmo.

Casos específicos

Algumas pessoas comentaram que não podem trabalhar sem estarem com a caixa de entrada aberta o tempo todo ou com mensagens automáticas. nesse caso, basta não seguir a dica, pessoal. O blog é um cardápio – escolha o que achar interessante, adapte à sua vida e organize-se do seu jeito.

Alguém chegou a fazer o teste com a diminuição da checagem dos e-mails e com a resposta automática? Por favor, comente sua experiência nos comentários. Obrigada!

28 May 2014

Erros de finanças que a gente comete ao longo da vida (e como consertá-los)

Imagem: Economic Times

Imagem: Economic Times

Eu nunca tive uma educação financeira na escola e em casa. Aprendi na marra, como praticamente todo mundo. No entanto, sempre gostei muito de comprar coisas, e isso manteve minhas finanças bagunçadas. Mesmo hoje, depois de tanto tempo, ainda tenho muitas dificuldades, mas já vejo um grande avanço desde que eu comecei a trabalhar pela primeira vez até hoje em dia, em um momento de maior autonomia profissional.

Os erros que cometi, cometo e vejo outras pessoas também cometendo, são os seguintes:

Considerar o limite do cheque especial como saldo disponível do mês. Gente, é impressionante como, se a gente não tiver disciplina, isso acontece. A solução seria cortar o limite do cheque especial? Talvez, mas o ideal mesmo é a gente diminuir nossos gastos ao estritamente essencial até ficar em uma situação azul de novo.

Comprar loucamente com o cartão de crédito. Nunca vou me esquecer da primeira vez que eu me dei conta que estava trabalhando, tinha um cartão e podia finalmente comprar coisas que eu queria, como roupas e sapatos. No começo, a gente até controla direitinho mas, se deixar, um cartão atropela o outro (especialmente esses de loja de departamento) e, quando vê, a dívida está enorme! Sobre a solução, há duas vertentes: tem gente que prefere pagar absolutamente tudo (inclusive contas), para aproveitar os programas de milhagens, enquanto há outras pessoas que usam o cartão para pagar somente quando há alguma vantagem no parcelamento. Também existem as pessoas que não utilizam o cartão para nada, claro. Seja qual for sua escolha, é fato que o cartão não deve ser usado desordenadamente, mas sim de maneira planejada.

Não construir um fundo para emergências. O que aconteceria hoje se você perdesse o seu emprego? Quanto dinheiro você deveria ter disponível para aguentar alguns meses, até conseguir outro trabalho? O Gustavo Cerbasi, conhecido consultor de finanças, diz que devemos ter o mínimo para aguentar seis meses bancando nossas despesas e, se possível, um ano. Ou seja: se você ganha R$3.000 por mês, deve primeiro ter R$18.000 guardados e, depois, R$36.000. Esse é o seu fundo de emergência. Portanto, toda vez que se perguntar “vou guardar dinheiro para quê?”, é para isso. Seu objetivo deve ser construir esse fundo para, depois, ficar tranquilo(a) e poder decisões na vida sem se preocupar tanto com o dinheiro (mudar de emprego, por exemplo).

Gastar o que sobrar no banco todo mês. Levante a mão quem nunca conferiu uma conta azul no final do mês e se permitiu uma comprinha! Se você tem dinheiro sobrando, guarde-o na poupança, com o objetivo citado no item acima. Gaste somente se realmente precisar.

Ignorar a sua conta ao longo do mês. Tem muita gente que vai gastando e mantendo um registro “de cabeça”. Isso dificilmente dá certo, especialmente se o seu orçamento é apertado. Quem não gosta de registrar seus gastos e atualizar planilhas diariamente pode fazer um planejamento mensal, ver quanto gastará com contas e outras obrigações e, o que sobrar, administrar mentalmente. Não é o ideal, mas pelo menos é uma solução melhor que deixar todo o seu dinheiro nessa roleta-russa.

Não investir em nada. Quem pensa em investir com 20 e poucos anos? Poucas pessoas. Abrir uma caderneta de poupança é um investimento, mas existem muitos outros. Até mesmo coisas que a gente compra podem ser investimentos, se soubermos o que estamos fazendo. A recomendação, então, é começar a investir, nem que seja na caderneta de poupança, antes de tentar vôos mais altos. Pode valer a pena conversar com aquele amigo que entende tudo de investimentos, contratar um consultor ou falar com o gerente do seu banco. Se você é muito jovem, a poupança pode ser um bom começo.

A gente deveria aprender finanças na escola, mas isso não acontece, infelizmente. Por isso, cometemos erros, muitas vezes por pura falta de orientação. À medida que a gente cresce, vai aprendendo algumas coisas na marra, mas o importante é reconhecer os erros e estar disposta(a) a corrigir.

E você, comete alguns erros dessa lista? Como você faz para consertá-los?

27 May 2014

Prepare sua casa para assistir os jogos da Copa

Independente de qualquer tipo de polêmica, o blog está aqui para trazer ideias de organização para todas as ocasiões da nossa vida. A Copa do Mundo é um fato e, apesar de muitas pessoas serem contra, existem as pessoas que estão curtindo a Copa e querem fazer festa nos dias de jogos da seleção, recebendo amigos em casa ou mesmo se divertindo com a própria família. Também há pessoas que fazem aniversário nessa época e gostariam de aproveitar o tema. Por isso, este post traz algumas ideias para decorar e entreter o pessoal nesses dias. Enjoy!

A maneira mais fácil é investir nas embalagens em verde, amarelo, azul e branco. Apenas fazendo isso, já dá uma carinha de Copa para a festa. Na foto abaixo, as bandeirinhas dão o toque final e podem ser compradas prontas (o que mais a gente vê em qualquer loja de variedades hoje em dia são bandeirinhas do Brasil) ou imprimir em casa / em uma gráfica.

Imagem: brigadeirocaseirosalvador.blogspot.com

Imagem: brigadeirocaseirosalvador.blogspot.com

Quem tiver mais habilidade pode fazer cupcakes temáticos:

Imagem: Click RBS

Imagem: Click RBS

Outras alternativas relacionadas a docinhos pode ser fazer brigadeiros com granulados em verde e amarelo, ou beijinhos com embalagem azul. As ideias são inúmeras!

Imagem: UOL

Imagem: UOL

Imagem: Artigo para festa

Imagem: Artigo para festa

Continuando as comidinhas verde e amarela, também há diversas opções.

Pipoca verde e amarela: misture açúcar com anilina comestível e jogue em cima:

Imagem: Panelinha

Imagem: Panelinha

Quem não gosta de corantes artificiais pode preparar um delicioso arroz com vagem (ou ervilhas) e milho. Perfeito para o frio!

Imagem: Chucrute com salsicha

Imagem: Chucrute com salsicha

O tradicional milho verde das festas juninas pode marcar presença e nem precisa de disfarce para ficar caracterizado:

Imagem: Panelinha

Imagem: Panelinha

Outra opção muito bem-vinda são as sopas. Dá para usar e abusar de elementos em verde e amarelo, como no nosso tradicional caldo verde:

Imagem: Me dá uma luz

Imagem: Me dá uma luz

As bebidas também podem entrar no embalo e serem verde e amarelas! Sucos de abacaxi com hortelã, limão e manga são bem-vindos. Os mais animados podem preparar drinks azuis, como o famoso curaçao blue.

Imagem: Diário das dicas

Imagem: Diário das dicas

Imagem: Portal Lar Coiris

Imagem: Portal Lar Coiris

Imagem: Best Destination Wedding

Imagem: Best Destination Wedding

Em termos de entretenimento, vale o que for legal para cada família: corneta, bandeirinha (afinal, será época de festa junina também), bandeiras do nosso país, chapéu e pintura no rosto.

Ontem aqui no blog eu postei uma dica para inserir todos os jogos da Copa na sua agenda do Google. Caso não tenha visto, clique aqui.