01 Apr 2015

Editorial: Foque

010415-editorial

Se tem algo que eu venho fazendo de uns tempos para cá, é focar mais no que é importante para mim. Percebi que eu consigo fazer tudo aquilo que eu quiser se diminuir as expectativas, me pressionar menos e ser menos perfeccionista. Muitas vezes me vi cobrando coisas que eram humanamente impossíveis de se conseguir – cobrando de mim mesma. Estou bastante interessada, no momento, em viver uma vida tranquila, estabilizar as minhas conquistas, aperfeiçoar o que estou fazendo no momento. Tenho uma família para cuidar – o que, por si só, já é um mundo inteiro de atividades. Filhote na escola, o acompanhamento que faço diariamente, tempo de qualidade, recreação, diversão, saúde, alimentação. Meu marido, apesar de adulto, precisa da companheira ao lado dele, apoiando, dando risadas, assistindo um filme, dando conselhos.

Minha casa, como você bem deve saber, tem sempre muita coisa para fazer. Louça, roupa, faxina, organização, arrumação, decoração, reparos. Nos mudamos há pouco tempo e eu sinto que as coisas estão se encaixando, mas os problemas não param de surgir. Sempre tem uma coisinha aqui ou ali para mexer. O importante é buscar soluções rapidamente, sem neuras. Minha vida pessoal, que envolve saúde, espiritualidade, hobbies e outros assuntos, também é uma infinidade de possibilidades legais.

Se eu começar a falar sobre o meu trabalho, vou longe aqui! Mas eu tenho todo o meu trabalho com a editora, que envolve a divulgação do livro aqui no Brasil e em Portugal, a produção de novos conteúdos, o segundo livro para o ano que vem. Tenho os workshops, com um tema diferente por mês – o que envolve pesquisa de um tema diferente, produção de material de tema diferente, planejamento da dinâmica do curso para cada mês um tema diferente. Isso está me tomando um tempão, e preciso dedicar esse tempo, porque é uma iniciativa importante. Tenho todo o meu trabalho envolvendo o GTD – livro novo do David Allen sendo estudado, treinamentos, capacitação dos instrutores, melhorias nas apostilas dos cursos, entre outros projetos. Nem falei do blog ainda. É bastante coisa.

Frequentemente me perguntam como eu consigo fazer tudo. Posso dizer que estou aprendendo a delegar mais e estou dizendo não a bastante coisa. Muitas delas, até com dor no coração. Já disse não para muita iniciativa legal que eu simplesmente não conseguiria abraçar porque estou cuidando de outras coisas bem legais também. Hoje, estou buscando cada vez mais automatizar o meu trabalho, e isso está altamente relacionado ao ato de delegar tarefas. Será que, para tudo o que eu faço, eu sou a melhor pessoa para fazer? Quando eu me pego perdendo muito tempo com algo menos importante que algo realmente importante, eu me pergunto como posso automatizar aquilo. Tomar essa decisão é fundamental porque, senão, o que eu realmente gosto de fazer – e onde eu sou melhor – vai ficar de lado ou sendo mal feito. Ou pior: vou ter que trabalhar mais horas, tirando tempo que é da minha família, ou meu pessoal. Não acho isso certo.

Os temas de todos os meses foram definidos no ano passado, mas o tema de abril não poderia ser mais certeiro. Se tem algo que eu vou fazer agora em abril, é focar no que é mais importante. Espero que os novos posts do blog ajudem você a conseguirem focar também.

vo-abr-2015

30 Mar 2015

Como organizar: Rotina matinal de trabalho

Eu sou aquela pessoa que demora naturalmente para acordar e pegar o ritmo de trabalho pela manhã, então precisei criar uma espécie de checklist de atividades que me colocam naquele estado de produtividade, pronta para enfim começar a trabalhar nas minhas tarefas do dia em questão. Esta é uma rotina que eu aplico todos os dias de trabalho e que me ajuda a entrar nesse modo mental para produzir com foco depois.

O que eu recomendo é que você tenha uma sequência de atividades que te ajudem a chegar lá também. Pode ser que, ao chegar no trabalho, já funcione para você começar a trabalhar em uma tarefa específica. Isso é ótimo! Essa pode ser a sua rotina diária: chegar, ligar o computador e fazer tal tarefa importante. Eu preciso de um tempo para despertar e focar.

300315-rotinamatinaltrabalho

Como vocês sabem, eu trabalho em casa. Porém, mesmo antes, quando eu trabalhava em um escritório externo, precisava de uma rotina para começar a trabalhar. A rotina que eu tenho hoje está em formato de checklist e é a seguinte:

  • Ligar o computador
  • Abrir o Spotify
  • Checar meus feeds
  • Processar caixa de entrada física

Vou comentar cada um dos itens.

Meu computador, como todos que existem, demora alguns minutos para entrar e estabilizar – ou seja, estar pronto para clicar em qualquer programa e abrir imediatamente. Nesses poucos minutos, acabo preparando um chá ou lendo o trecho de algum livro que eu esteja lendo no momento, que costumo deixar na minha mesa de trabalho para ler nesses momentos de demora do computador.

Quando o computador está ok, abro o Spotify (um programa de streaming de músicas) e coloco para tocar a trilha sonora mais adequada ao meu mood naquele dia. No geral, acabo preferindo músicas mais calmas, porque senão fico com dor de cabeça. Invisto em um folk, MPB ou música clássica.

Na sequência, eu checo meus feeds através do Feedly, um agregador. Isso me ajuda a ter inspiração logo cedo, ver o que outros blogueiros postaram de um dia para o outro e tirar ideias para os meus blogs. Eu já fico com muita vontade de começar a trabalhar lendo os meus feeds!

Processar a caixa de entrada física me faz voltar a atenção para alguns aspectos da vida real que não podem esperar até o final do dia para serem levados em consideração (ao final do dia, faço um processamento bastante focado da minha caixa de entrada). Processar é uma atividade relacionada ao método GTD. É aquele momento quando pego cada item que coletei e decido o que vou fazer com ele. Uma simples anotação, por exemplo, pode virar um projeto gigantesco.

Ao terminar de processar a minha caixa de entrada, eu já estou com a energia boa para trabalhar nas minhas atividades.

Essa rotina eu aplico começando a trabalhar às 6h da manhã ou às 10h. Me ajuda a “começar”. Acho importante inserir atividades que me dêem prazer, como ouvir música e ler meus feeds, porque senão vira uma rotina obrigatória e chata, que não ajuda em nada.

Como organizar

Eu criei uma lista na seção de Outlines do Toodledo, que é a ferramenta que gosto de usar para gerenciar minhas ações. Sua checklist pode ser organizada em qualquer lugar. Pode ser uma nota no celular, uma nota no Evernote (que você pode colocar na área de atalhos), um compromisso na agenda com a checklist na descrição, ou até mesmo um pequeno post-it colado no seu monitor. Faã como funcionar melhor para você.

Você já tem alguma espécie de rotina matinal para começar a trabalhar? Como você faz? Poste nos comentários!

27 Mar 2015

Temos objetivos demais?

260315-objetivos-demais

Estou em uma fase de total conexão com a versão 2015 do livro do David Allen sobre o método GTD, como vocês podem ter percebido pelos últimos posts, e hoje cheguei em um ponto do livro onde ele faz uma reflexão tão tocante que me senti impelida a escrever sobre.

Em tradução livre, ele diz algo como: “Mais metas não são necessárias para você agora – você precisa se sentir confortável com o que você já colocou em ação, e a confiança de que pode executar elegantemente qualquer nova meta que tiver”. Pare e pense por um momento nesse trecho.

O que ele diz, no capítulo sobre a revisão e o planejamento, é que muitas vezes ficamos tão preocupados com o objetivo lá na frente, que não percebemos nem damos atenção devida ao que está acontecendo agora. O que está acontecendo agora deixa de ter importância porque já começou a ser executado – então ficamos buscando alcançar mais e mais objetivos.

Não me entendam mal – sou fã de ter objetivos. Acho que eles movem a vida, de verdade. Mas o que ele quer dizer, e eu concordo, é que não podemos achar que a nossa motivação só vem de termos esses objetivos, sem curtir o caminho que nos leva até eles.

É muito legal sentar e pensar em objetivos novos. O que eu quero fazer ano que vem? Para onde quero viajar nas minhas próximas férias? Mas de que adianta pensar lá na frente se nossos e-mails estão uma bagunça, não sabemos por onde começar o dia ou todo o resto está um caos? Não parece meio contraditório fantasiar com um objetivo sendo que tem outras coisas demandando a nossa atenção agora?

E essa acaba sendo a importância de a gente se organizar, né? Porque, quando a gente se organiza, domina o caos, por assim dizer. Faz as coisas com mais calma e encontra significado no dia a dia. Muito do que estamos fazendo hoje eram objetivos no passado. Curta-os. Vivencie-os bem.

É ótimo querer sempre mais, mas a vida não é feita apenas de coisas novas. Celebre suas conquistas. Valorize sua vida hoje, as pessoas ao seu redor, os seus momentos. Tem muita coisa para colocar em ordem antes de ficar apenas imaginando outras iniciativas.

Se você valorizar o que está acontecendo no momento – suas ações, seus projetos -, quando vierem outras, será muito mais tranquilo planejar, priorizar, executar. É um processo de aprendizado. Ter objetivos não significa começar a cumprí-los, mas também finalizar antes de partir para o próximo. Estabilizar, aprender com eles. E tem coisa que não dá para apressar – requer experiência.

O que você fez hoje?