Blog Página 2

Mês organizado

4

Esta página foi feita para ser visualizada no computador. Se estiver acessando via celular, acesse via desktop para uma melhor visualização.

Julho 2016

🍐 Lembretes gentis, dicas úteis e recomendações para o seu mês ser um pouco mais organizado.
DomingoSegundaTerçaQuartaQuintaSextaSábado
1

🕑 Curso de Coaching

✅ Revisão semanal

✅ Planejar o novo mês

✅ Organizar o arquivo de referência rápida (tickler)
2

🕑 Curso de Coaching

✅ Controlar as contas pagas e a pagar
3

🕑 Curso de Coaching

✅ Tirar o pó dos móveis
4

✅ Limpar os batentes

5

6

✅ Planejar o menu semanal

7

✅ Fazer compras com base no menu semanal
8

🕑 Viagem para Fortaleza

✅ Revisão semanal
9

🕑 Turma aberta de GTD em Fortaleza

✅ Pesquisar uma receita diferente para preparar esta semana
10

✅ Tirar o pó dos móveis
11

✅ Fazer um balanço dos seus gastos mensais este ano até agora
12


13

✅ Planejar o menu semanal

14

🕑 Visita a livrarias para divulgação do novo livro

✅ Fazer compras com base no menu semanal
15

🕑 Viagem para Belo Horizonte

✅ Revisão semanal
16

🕑 Turma aberta de GTD em Belo Horizonte
17

✅ Tirar o pó dos móveis

18

✅ Planejar as férias de julho das crianças

19

20

✅ Planejar o menu semanal

21

🕑 Lançamento do livro Casa Organizada na Livraria Cultura do Conj. Nacional

✅ Revisão semanal

✅ Fazer compras com base no menu semanal
22

23

🕑 Turma aberta de GTD em SP

🕑 Happy-hour GTD em SP

🕑 Festa à fantasia
24

✅ Tirar o pó dos móveis
25

✅ Verificar se todas as contas do mês foram pagas
26

✅ Revisar o mês que está acabando e quais foram os marcos, projetos concluídos e aprendizados
27

✅ Planejar o menu semanal
28

✅ Fazer compras com base no menu semanal

✅ Revisão semanal
2930

🕑 Workshop Construa seu estilo e organize seu armário em SP
31

Workshop: Construa seu estilo e organize seu armário em SP

0

home-workshop-armario

Dia 30 de julho (um sábado), a Ana e eu estaremos em São Paulo com nosso workshop queridíssimo e tão necessário nos dias de hoje: Construa seu estilo e organize seu armário. Por que ele é necessário?

Organizar é encontrar soluções para a vida que se tem. Mas como encontrar soluções para o nosso guarda-roupa sem sabermos verdadeiramente qual é o nosso estilo? Por isso, para este workshop, Ana Soares e Thais Godinho uniram forças para ajudar você a encontrar seu estilo pessoal, se desfazer daquelas roupas que não têm absolutamente nada a ver com você, aprender a cuidar daquelas que te fazem bem, fazer boas novas aquisições e organizar o guarda-roupa como um todo: armazenamento, cuidados, rotina de lavagem e muito mais! Um curso completo para que você não apenas economize em uma época tão necessária, como aprenda a aproveitar melhor o que já tem, redescobrindo quem você é!

Inscreva-se aqui

O que você vai aprender:

  • Construindo seu estilo
  • Revitalização do guarda-roupa
  • O que funciona para a vida que se leva, o que serve
  • Como se desprender de referências externas e olhar mais para si, entendendo o que gosta de usar
  • Como fazer boas compras: ler a etiqueta, lojas que tenham a ver com seu estilo, lista dos itens que precisa para versatilizar o que já tem
  • Como diminuir as compras por impulso e ser mais objetiva
  • Destralhando o guarda-roupa
  • Como fazer um inventário do guarda-roupa
  • Dicas sobre cabides e outros organizadores que facilitam
  • Como lidar com roupas sazonais
  • Dicas para organizar o armário (roupas, acessórios)
  • Disposição física do guarda-roupa para facilitar
  • Aprenda a fazer um exercício em frente ao espelho para se conhecer
  • Como se organizar para se vestir diariamente do jeito que você é
  • Cuidados com as roupas no dia a dia / rotinas / lavanderia

Vagas limitadas!

Inscreva-se aqui

Como manter a rotina funcionando com tantos eventos e viagens

7

Minha vida hoje em dia é muito diferente de como era há alguns anos, quando eu tinha um emprego convencional de segunda a sexta. Mesmo naquele meu último emprego, eu costumava viajar bastante, então já lidava com esse tipo de configuração, mas agora as coisas estão bastante diferentes.

Para vocês entenderem o cenário: eu tenho basicamente duas frentes de trabalho, que é o meu trabalho com o Vida Organizada, e o meu trabalho com a Call Daniel (GTD). Com o Vida Organizada, especialmente agora, em época de lançamento de livro novo, eu realizo muitos eventos – palestras, cursos, visitas a livrarias, reuniões. Com a Call Daniel, eu realizo cursos de GTD e viajo pelo Brasil. Justamente por já viajar tanto fazendo os cursos, eu procuro não viajar tanto com o Vida Organizada, que é algo que posso controlar mais.

fortaleza

Junto a tudo isso, tenho a minha casa, meu filho (hoje com seis anos) e meu marido. Eu sei que, quando nosso filho for maior, ficarei mais tranquila para viajar e ele até poderá me acompanhar, se quiser. Mas, por enquanto, não dá para eu me ausentar muito, então procuro reduzir a quantidade de viagens para tudo ficar numa boa.

Uma maneira que encontramos de passar esses anos da infância dele com menos impacto com esse lance das viagens foi morar perto dos meus sogros. Eles nos ajudam bastante com o filhote e eu também tenho duas cunhadas que apoiam e estão sempre por perto, o que me deixa super tranquila quando preciso viajar. Meu filho nem sente mais as viagens porque ele sabe que, quando a mamãe viaja, ele vai “fazer festinha” na casa das avós e com as tias.

É a situação ideal? Sabe-se lá. Cansei de buscar situações ideais na vida. Quando nos mudamos para Campinas, eu imaginei que teríamos uma vida “normal”, com trabalho de segunda a sexta, mas nunca tivemos uma rotina comum porque meu marido trabalhava aos finais de semana como músico. Eu sempre viajei muito a trabalho. Acho que, por sempre termos uma rotina dinâmica assim, nosso filho nunca teve qualquer tipo de trauma ou chateação quando isso acontecia, porque sempre fez parte da nossa rotina.

Hoje, para mim, o principal é pensar em soluções que facilitem o máximo possível essas situações do dia a dia. Se eu percebo que algo não está dando certo, já começo a pesquisar maneiras de facilitar aquela logística toda. Morar perto dos avós dele foi acertado, mas sei que é provisório. Acho que ter perspectiva ajuda bastante também.

Outra coisa que é fundamental é manter a rotina quando estamos todos em casa. Manter as regras, tudo certinho. Isso traz segurança ao nosso filho e eu aprendi lá atrás, quando ele ainda era bebê, graças à Tracy Hogg (A Encantadora de Bebês). Temos muita coisa para melhorar aqui ainda, mas estamos melhorando todos os dias, e é isso o que importa.

Penso que o principal, de tudo, seja não ter medo da mudança. A vida é dinâmica e, se algo não está legal, a gente precisa colocar as engrenagens para funcionar e mudar sem medo, sem neuras, sem esperar muito a situação se complicar ainda mais.

Claro que ser uma pessoa organizada ajuda em tudo também. Planejar a semana, organizar as viagens, ter a malinha sempre pronta com os produtos reabastecidos, colocar as roupas para lavar assim que chego e outras coisas assim facilitam demais a vida.

Ter uma equipe de suporte, do meu marido à nossa família, é fundamental. Mas quem não tem isso pode buscar alternativas. Tendo um objetivo, a gente tem que se virar para chegar lá, e cada um tem os seus.

Também ajuda deixar de perder tempo com o que não tem sentido e aproveitar ao máximo o tempo que estou em casa, com a minha família. Estar realmente presente, e não mexendo no celular enquanto estamos juntos.

Penso que todas as mulheres que tenham um trabalho assim acabem passando por essas reflexões, então postar sobre isso aqui é uma forma de registrar como tem sido essa construção para mim. Espero que de alguma maneira ajude quem estiver passando por algo parecido ou, mesmo que não esteja, inspire a se organizar mais de qualquer maneira.

Enfim, foi um resumão de dicas de organização este post, né? 🙂

Avaliação de documentos: o fim do arquivo morto

5

Identificar os conjuntos documentais que produzimos e acumulamos, relacionando-os com as funções e atividades que desempenhamos ao longo da vida, é um passo inicial e fundamental para assumir o controle efetivo sobre nossos arquivos.

Por si só, no entanto, esta medida não é capaz de resolver o problema da acumulação indiscriminada, que gera o que costumamos chamar de “Arquivo Morto”.

Acontece que, de maneira geral, só conseguimos distinguir, no máximo, documentos que chamamos de ativos – os que usamos com frequência – dos inativos, ou “mortos” – todos aqueles que já não temos necessidade de manter por perto, mas não sabemos exatamente que destino dar a eles.

É este desconhecimento sobre o destino dos documentos depois que eles cumprem sua função inicial nas empresas ou nas residências que resulta no acúmulo indiscriminado de grandes massas de documentos, geralmente em locais insalubres, onde é cada vez mais difícil localizar uma informação. É a essa massa de documentos praticamente inacessível e em constante crescimento que comumente é chamada de “Arquivo Morto”.

Arquivo Morto: Indefinição gerando desperdício de espaço e perda de informação
Arquivo Morto: Indefinição gerando desperdício de espaço e perda de informação

Após o processo de identificação e classificação, é preciso avaliar cada conjunto, determinar o tempo pelo qual deverá ser mantido e o destino que será dado a ele quando este prazo expirar.

O resultado deste processo de avaliação é consolidado num instrumento chamado Tabela de Temporalidade, onde cada conjunto de documentos tem seu destino traçado, desde o momento de sua produção até a destinação final.

Para sua elaboração, é necessário identificar os valores – imediatos e mediatos – dos documentos, analisar seu ciclo de vida, levantar suas implicações administrativas e legais, e considerar ainda aspectos culturais de seus proprietários.

Tabela de Temporalidade: Traçando o futuro dos arquivos
Tabela de Temporalidade: Traçando o futuro dos arquivos

Este procedimento, vital na gestão dos documentos, cumpre um duplo papel: o de racionalizar os arquivos, determinando que cada documento seja mantido apenas pelo tempo necessário ao cumprimento de suas funções; e o de ajudar a contar a história do indivíduo, família ou instituição, elegendo aqueles documentos que serão mantidos para sempre, o chamado Arquivo Histórico.

Classificar e avaliar são, portanto, providências-chave no processo de gestão de seus arquivos, e podem gerar economia de espaço, rapidez na localização e ainda cumprir importante papel na preservação da memória.

E você, já estabeleceu prazos de guarda para seus documentos? Já elegeu aqueles que quer guardar para contar sua história?

Livro Casa Organizada: já à venda nas principais livrarias

26

Olá pessoal! Este post é apenas para avisar que o livro Casa Organizada já está disponível nas principais livrarias tanto em versão física quanto digital.

Lançamento em agosto 2016
Lançamento em agosto 2016

Livro físico:

Saraiva

Livraria Cultura

Amazon

Travessa

Livraria da Folha

Cia dos livros

Submarino 

E-book:

Amazon

Livraria Cultura/ Kobo

Google Play

iTunes

Lembrando que o evento oficial de lançamento será em São Paulo, dia 21 de julho, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, às 19 horas. Não perca!

Reserve_a_Data_Casa_Organizada_SP

Ainda não há previsão de eventos em outros cidades, mas assim que eu tiver novidades postarei aqui!

Obrigada!

Toda uma vida nova

57

Férias não é um termo certo para descrever o período que o blog passa atualmente, apesar de eu ter determinado que, de alguns dias para cá e durante os próximos, eu me programei para não publicar nada porque não estarei perto do computador aprovando e respondendo comentários.

Como vocês sabem, eu sou bastante organizada com o calendário editorial e tenho os posts escritos e agendados às vezes com meses de antecedência.

E o que aconteceu com julho é que o editorial que eu tinha escrito, assim como uma série de textos, tiveram que ser completamente modificados porque eu mesma estou passando por um período profundo de mudanças que não sei se este post será capaz de exprimir.

Eu dediquei meus últimos dias a uma formação intensiva de coaching aqui em São Paulo, que era um curso que eu gostaria de fazer já há algum tempo. Minha motivação para fazê-lo foi a seguinte: eu ensino as pessoas a se organizarem através do blog, dos meus livros, dos nossos cursos. Porém, como se trata de uma mudança de hábitos, eu queria aprender a ensinar de maneira melhor. Pensava que o trabalho um a um seria algo legal a oferecer como parte desse processo, e eu simplesmente achava que iria ao curso aprender as técnicas de coaching e sairia de lá com uma certificação em mãos. Mal sabia o que me aguardava.

O processo todo da certificação de coaching consiste em você testar todas as técnicas em você mesma(o) para entender como aplicar em outras pessoas depois. E, com isso, você vivencia momentos extremamente intensos, que eu até agora não consegui processar direito, mas que são completamente transformadores. Foram quatro dias com cerca de 12 horas de aulas por dia, todas pautadas em exercícios de auto-conhecimento, controle das emoções, planejamento da vida, de objetivos, valores, missão pessoal, plano de ação, resolução de problemas. Eu me perguntava o tempo todo como eu voltaria à minha vida normal na segunda-feira depois daquilo tudo. Não voltaria. Não tinha como.

O coaching, acima de qualquer coisa, ajuda você a descobrir seu potencial e te leva aos resultados que você quiser atingir. E, uma vez que você descubra qual é o seu melhor, você não consegue mais viver com nada que não seja esse melhor. Você quer manter esse mindset pra sempre. Quer que as pessoas tenham esse mindset também. Quer tirar da sua vida tudo aquilo que você nunca deveria ter perdido tempo e focar no que realmente importa. É como se você tivesse trocado as lentes e se configurado em uma versão turbo.

Eu fiz muito bem em ter programado alguns dias de folga (ou quase) esta semana porque eu ainda estou digerindo tudo e planejando como será a minha vida daqui para a frente, ao mesmo tempo que tenho uma clareza absurdamente gigantesca de todos os meus relacionamentos, todas as minhas atividades profissionais, todos os meus objetivos, e de quem eu sou de verdade.

Não ia escrever esse texto hoje, mas ao mesmo tempo tive vontade de escrever ainda um pouco no calor da situação para não perder esse ar de novidade e choque que ainda tenho. Sinto com muita intensidade o que o David Allen disse uma vez: “Como a gente pode não fazer isso, se isso é o que a gente é?”. Tive a oportunidade de presenciar uma sessão de coaching da master coach em sala com uma aluna do curso, e naquele momento eu tive certeza de que é aquilo que eu quero fazer pelo resto da vida: ajudar as pessoas a encontrarem o seu potencial, darem um jeito na vida, se planejarem, conquistarem seus objetivos. Eu vejo todos os dias muita gente sofrer com estresse, desanimada, se afundando em um mundo de atividades no dia a dia e sem foco, sem motivação, e sei que a organização é um caminho para resgatar a VIDA. Organização é isso. Uma vida organizada é isso.

Nunca estive tão certa do que quero fazer, e olha que já me senti certa muitas vezes. É diferente. É mais intenso. É mais maduro.

Como sou grata por ter feito esse curso, e me sinto em deleite! Bora viver essa vida que recomeça a cada segundo, a cada respirada, a cada sorriso, a cada pensamento, a cada ideia… a cada passo, a cada manhã. Que sua vida organizada seja uma vida extraordinária como a minha se tornou a partir de hoje.

facebook-renasceu

Novidades no Todoist Premium e Business agora em junho

6

Uma das coisas que mais me perguntam nos treinamentos que ministro em empresas ou mesmo pessoas que acessam o blog e gerenciam empresas, é como utilizar o Todoist não apenas para a sua vida pessoal, mas para organizar projetos profissionais. Para todas essas pessoas que gerenciam equipes existe o Todoist Business, que lançou ontem algumas novidades bacanas (algumas também para a versão Premium) que eu gostaria de compartilhar com vocês.

Um dos grandes diferenciais do Todoist para gerenciar projetos é a integração entre as pessoas, e esse foi o foco das atualizações. Organizar o seu trabalho e o trabalho dos outros pode ser muito chato se isso for algo trabalhoso de se fazer, e acho que a simplicidade do Todoist é chave nesse quesito.

Vamos ver quais foram essas mudanças:

Log de atividades mais completo

Activity_Log

Acho que esse é um dos recursos mais pedidos pelas pessoas em sala de aula, especialmente gestores: eles querem saber o status dos projetos e das tarefas, sem ter que ficar perguntando para todos na equipe o tempo todo. Então agora o Todoist tem esse log de atividades muito mais claro e completo, que mostra quem fez o que e quando.

Basta abrir o Registro de Atividades clicando em “Ações da tarefa” ao topo da lista de tarefas de qualquer projeto, escolher “Registro de Atividades” e ver o fluxo das atividades mais recentes através dos seus projetos. Você ainda poderá filtrar essas atividades:

  • Por Colaborador – para se atualizar sobre o status do trabalho de um determinado colaborador
  • Por Projeto – para ver tudo o que está acontecendo em um determinado projeto ou
  • Por Ação – para ver todas as atualizações de tarefas ou comentários adicionados

Dá para ver pelo celular também.

Comentários em projetos

Ah! Esse recurso eu mesma estava esperando com ansiedade! Agora cada projeto (e não apenas cada tarefa) pode ter seus próprios comentários, facilitando a centralização das informações sobre o projeto em questão.

Project_Comments_android

Você pode inserir o propósito do projeto, o resultado desejado (alô, GTD lovers!), arquivos com o orçamento alocado, por exemplo, e o que mais considerar útil centralizar sobre o projeto para a sua equipe visualizar.

Notificações inteligentes

Nada mais chato que notificações. Notificações em excesso são as grandes vilãs da produtividade. Por isso, você precisa usar de maneira inteligente, fazendo sentido. Aqui, essa atualização do Todoist faz o seguinte: as notificações foram inteligentemente colapsadas, dando as informações de que você precisa para saber o que está acontecendo em seus projetos compartilhados rapidamente, seja consultando-as no seu computador ou no seu aparelho celular a caminho de casa.

Notification_Collapsing-GIF

Simplificação do compartilhamento de projetos

Aqui são detalhes que, para quem já usa a ferramenta, vai ver bastante diferença. Para compartilhar um projeto com alguém, basta adicionar com um toque diretamente de sua lista de contatos ou de pessoas que você já adicionou em outros projetos.

Você também pode optar por auto-aceitar convites de projetos de colaboradores conhecidos, de modo que você possa começar a colaborar imediatamente assim que for convidado para um projeto.

Adição rápida de tarefas

Adicionar e delegar tarefas no Todoist agora ficou ainda mais rápido: você pode agora adicionar uma tarefa com data de vencimento em um projeto específico, adicionar uma etiqueta e ainda delegar a um colaborador ao digitar tudo em uma única linha.

Veja essa planilha de “cola” disponibilizada no próprio site do Todoist:

cola-business

Vale lembrar que todos os recursos do Todoist Business são disponibilizados também para quem é usuário Premium (tirando, claro, os que envolvem gerenciamento da equipe, que é o diferencial do plano Business).

A grande verdade é que o Todoist, hoje, é certamente a plataforma mais simples e ao mesmo tempo mais customizável para gerenciamento de projetos pessoais e de projetos de equipes. Vale a pena explorar mais os recursos da versão Business, se for o seu caso.

Espero que tenham gostado das novidades!

As imagens deste post foram retiradas do site oficial do Todoist. Thais Godinho é embaixadora oficial do Todoist no Brasil e pode utilizar as imagens em seu blog.

O que são áreas de foco

22

Áreas de foco são um conceito bastante utilizado no método GTD e dizem respeito ao Horizonte 2.

Tratam-se das responsabilidades que você tem na sua vida hoje. Os papéis que você desempenha, as áreas que precisa cuidar, manter em um certo padrão, tanto com foco pessoal quanto com foco profissional.

O David Allen tem uma frase fantástica que diz: “Se você não tem certeza do que seu trabalho é, você sempre vai se sentir sobrecarregado(a).”. Então fazer uma revisão das suas áreas de foco te ajuda nisso, porque essa revisão serve justamente para que você obtenha equilíbrio entre elas. Também te ajuda a ter um senso de prioridade mais aflorado.

A diferença entre projetos (Horizonte 1) e áreas de foco (Horizonte 2) é que os projetos têm fim – uma área de foco não. Em teoria, é algo que você vai cuidar, melhorar, ter atividades relacionadas até o dia em que você morrer. “Cuidar da saúde”, por exemplo, não é um projeto, mas sim algo relacionado a manter determinado padrão em uma área de foco. Você pode ter projetos relacionados a isso, como “Fazer matrícula na academia” ou “Estabelecer novo programa de nutrição”, porque é um horizonte imediatamente abaixo onde você consegue definir um resultado desejado e sabe quando ele pode ser concluído.

O David diz que normalmente uma pessoa tem uma média de sete áreas de foco pessoal e sete áreas de foco profissional, mas é realmente uma média. E a maneira que você tem de saber isso é simplesmente fazendo uma lista ou mapa mental com as suas áreas. Alguns exemplos:

Áreas de foco – Pessoal

  • Relacionamentos
    • Família
    • Parentes
    • Animais de estimação
    • Amigos
    • Colegas de trabalho
  • Lazer
    • Viagens
    • Filmes e séries
    • Livros
  • Saúde e energia
    • Exercícios
    • Alimentação
    • Sono
  • Carreira
    • Inglês
    • Formação universitária
  • Espiritual
    • Meditação
  • Desenvolvimento pessoal
    • Habilidades no computador
    • Maestria no GTD
    • Auto-estima
  • Vida doméstica
    • Organização
    • Limpeza
    • Finanças
  • Comunidade
    • Trabalho voluntário
  • Criatividade
    • Pintura
    • Fotografia
    • Culinária

Áreas de foco – Profissional

Suas responsabilidades no seu trabalho hoje (pode ajudar dar uma olhada na descrição do seu cargo):

  • Contratações
    • Definição de escopo
    • Orientação dos novos funcionários
    • Recrutamento
  • Gerenciamento da equipe
    • Reuniões de alinhamento
  • Coordenação de projetos
    • Cronogramas
    • Acompanhamentos
  • Cultura da empresa
    • Qualidade de vida
    • Pesquisas
  • Comitês
    • Financeiro
    • Estratégico
  • Desenvolvimento da organização
    • Consultoria
    • Construção de bons times
    • Comunicação
    • Plano de sucessão
  • Treinamentos
    • Alocação de recursos para treinamentos

A ideia é que você monte essa listagem uma vez e, de vez em quando, revisite-a para ver se está tudo bem, tudo tranquilo, ou se precisa tomar alguma providência para deixar aquela área específica mais tranquila. Você pode identificar ações ou projetos.

Você pode ter um único nível listado ou quebrar em sub-níveis, como eu fiz acima. Não existem regras nem certo ou errado – é como se fosse um brainstorm. Destrinche até onde quiser (se deixar, vai até o infinito esse destrinchamento).

O objetivo operacional de ter suas áreas de foco definidas é que, assim, você garante que tenha definidos todos os projetos e ações necessários para gerenciar suas responsabilidades apropriadamente.

15 recomendações para você aplicar na sua vida esta semana

13

Seguem algumas recomendações que podem fazer a sua semana ser uma pouco mais tranquila.

  1. Cancele uma reunião. Resolva o assunto de outra maneira.
  2. Esvazie sua mente antes de dormir: pegue um bloco de notas, uma caneta e escreva tudo aquilo que esteja te preocupando. Durma tranquilo e apenas no dia seguinte pegue as anotações para processar e resolver alguma coisa.
  3. Revise toda a sua lista de coisas a fazer desta semana e veja o que você pode, sem dó, deixar para depois. Mantenha o que for importante para você, mesmo que signifique tirar algo que seja prioridade de outras pessoas. A pergunta chave é: preciso fazer isso esta semana?
  4. Aliás, escolha as três coisas mais importantes que você precisa fazer esta semana e veja-as como metas. Podem ser atividades como ir à academia na quinta de manhã ou concluir projeto X. Dê a si mesma(o) algum prêmio quando conseguir concluí-las, como uma hora de soneca no sábado à tarde ou assistir três episódios seguidos.
  5. Quando estiver fazendo alguma atividade chata no trabalho, pergunte-se: tem alguma mais fácil de fazer isso? Eu sou a pessoa certa para fazer ou outra pessoa deveria estar fazendo?
  6. Escolha um ponto forte seu, algo que você goste muito em você, e foque nele esta semana. Por exemplo: se você gosta do seu sorriso, perceba como você sorri para as pessoas e em que situações.
  7. Desligue as notificações de todas as redes sociais do seu celular.
  8. Pague uma conta cujo vencimento ainda está longe.
  9. Pense no maior problema da sua vida neste momento. Imagine esse problema daqui a 10 anos. Ele ainda será importante?
  10. Atualize seu perfil no Linkedin.
  11. Envie uma mensagem elogiando alguém.
  12. Troque seu travesseiro por um novo.
  13. Preste atenção no seu corpo. Onde você sente dor? Onde você se sente desconfortável?
  14. Diga “não” para algo que você não quer fazer.
  15. Compartilhe uma dessas dicas com alguém que você goste e precisa delas.

Boa semana.

Linkagem de domingo

0

Algumas vezes, eu gosto de reunir alguns posts, vídeos e notícias que li ao longo da semana e que achei que seria legal compartilhar com vocês.

Eu também gravei alguns vídeos no meu canal no YouTube. Assine para ver antes! 🙂

Boa semana para você.

O que fazer quando você tem 40 anos e ainda não pensou na aposentadoria?

11

Se você chegou na casa dos 40 sem ter pensado nadinha no período da sua aposentadoria, em algum momento já deve ter percebido que poderia ter refletido sobre esse assunto com mais antecedência. Esteja você amando o que você faz ou contando os minutos para pedir sua aposentadoria, nunca sabemos o dia de amanhã e do que vamos depender, então é importante estarmos preparados.

Mas não se sinta culpado: uma pesquisa de 2013 mostra que 48% dos brasileiros nunca sequer pensou na aposentadoria. Porque esse não é o tipo de assunto que se ensina na escola (talvez devesse ser). Vamos ver o que você pode fazer então se estiver nessa faixa etária para se preparar para os anos que vêm por aí?

Leia o livro do Gustavo Cerbasi: “Adeus, aposentadoria”

Você deve achar que eu estou brincando – recomendar um livro que dá adeus à aposentadoria em um post sobre como se preparar para a aposentadoria. Na verdade, o que o especialista em finanças Gustavo Cerbasi propõe é uma nova forma de se pensar sobre a aposentadoria. Ele propõe que a gente pense sobre independência financeira, e fala sobre todos os formatos de aposentadoria (INSS, viver de renda etc). Vale a leitura para que você conheça todas as suas opções.

Se tiver dúvida sobre a leitura valer ou não a pena, leia a resenha que eu fiz aqui no blog um tempo atrás.

Procure ter desde já um estilo de vida razoável

Isso significa não gastar à toa, e só você pode saber o que é gastar à toa no seu caso. O que é necessidade para uns pode não ser para outros. Muitas pessoas acabam descobrindo que um determinado imóvel é grande demais e mudam para um menor, sem que isso fira seu orgulho de alguma maneira, ou trocam seu carro por um modelo mais popular para poder investir a diferença do valor das prestações em uma previdência privada.

Segundo o método de organização do Vida Organizada, para organizar qualquer coisa, é necessário começar destralhando, e destralhar significa exatamente tirar da sua vida o que não faz mais sentido para você. Esse exercício acontece o tempo todo. Se você reduzir as despesas para ter um estilo de vida mais razoável, não precisará de tanto no futuro e, voilá: conseguirá guardar mais também.

Com essa conscientização e mudança de estilo de vida desde já, você poderá ter uma ideia do quanto precisa ter mensalmente para sobreviver e, com base nisso, fazer algumas contas e encontrar valores que precisa acumular para chegar com segurança em uma possível aposentadoria.

Otimize seus investimentos

Uma ideia pode ser aumentar o que você investe em previdência privada ou os aportes no INSS (para chegar ao teto do programa). Outra sugestão é fazer investimentos diversificados. Ainda melhor seria se você pudesse aumentar sua renda de alguma maneira, de modo a ter mais dinheiro para investir nesses fundos.

Também não precisa deixar de viver…

Todas essas recomendações não são para fazer com que você pare de ir ao cinema, compre um livro ou uma roupa nova – apenas repense os gastos como um todo. É muito triste economizar uma vida inteira pensando em guardar para uma aposentadoria que pode sequer chegar. Não estamos falando em 8 ou 80. Leve uma vida legal, com um estilo que abranja suas necessidades e vontades, mas sem deixar de pensar no futuro. Porque também é muito ruim gastar tudo e, quando chegar lá na frente, não ter absolutamente com o que contar.

Espero que o post tenha ajudado de alguma maneira. Se você tiver qualquer dica nesse sentido e quiser compartilhar com outros leitores, por favor, deixe um comentário. Obrigada!

O feng shui feito com amor

11

Não importa a corrente que a gente siga para aplicar o Feng Shui em qualquer espaço, o começo de um projeto bem sucedido será sempre o mesmo: o destralhamento. Ok, mas até aí isso não é novidade…

Pois é, mas quando li o primeiro livro de Marie Kondo (A Mágica da Arrumação – A Arte Japonesa de Colocar Ordem na Sua Casa e na Sua Vida), que a Thais fez uma ótima resenha aqui no Vida Organizada, muita coisa que eu já fazia intuitivamente se revelou para mim de forma muito clara.

O que fazemos para a nossa casa estamos fazendo a nós mesmos. Aquilo que dedicamos à nossa casa, chegará até nós implacavelmente. Se abençoamos a nossa casa, somos abençoados; se devotamos amor a ela, é amor que vem para a gente… e quem não está em busca de amor?

junho-feng-shui1

Destralhar pode ser também um ato de amor. Kondo propõe que você, no momento de uma seleção para descarte, toque aquele objeto e se pergunte se aquilo te faz feliz, sendo a pessoa que você é HOJE. Ao tocar esse item, através das suas mãos e do questionamento ao seu coração, o corpo reage. Você pode sentir uma sensação percorrendo o seu corpo, como uma onda, que ela chama de uma faísca de alegria (sparkle joy) – essa é a resposta de que vale a pena manter esse objeto. Certamente ele tem um papel muito relevante na sua história, pois os objetos querem ser úteis e desempenharem suas funções. Muitas vezes, a sensação que temos é que aquilo já não mais se faz necessário, talvez nunca tenha feito sentido para nós ou já tenha cumprido aquilo que se esperava dele. Momento de libertação!

Quando retemos um objeto deixando-o “encostado” e inerte num canto qualquer, estamos interrompendo a sua história, impedindo que ele cumpra seus objetivos. Deixá-lo ir, seguir o seu caminho, talvez causar uma onda de alegria a outro alguém, pode ser também uma atitude amorosa. Despedimo-nos com respeito, com gratidão e fazemos o devido encaminhamento.

E quando se trata de um presente dado por alguém querido, mas que não nos causa a faísca de alegria? Essa onda de felicidade foi concedida a quem presenteou, que dessa forma conseguiu manifestar o seu carinho, a vontade de fazer o presenteado feliz, o que não deve impedir ninguém de descartar o presente assim mesmo, sem culpa, com respeito e gratidão.

spark joy

Essa decisão de tocar cada objeto, de selecionar o que te faz feliz ou não, fortalece o poder de decisão, a capacidade de escolha. É uma forma também de fazer as pazes com o passado e aumentar a confiança no futuro, uma espécie de inventário, onde se constata do que a gente realmente gosta, quem se é e quem se quer ser.

A gratidão é algo que nos conecta com o amor universal, pois reconhecemos o que nos é concedido. Em relação ao que temos em casa, podemos expressar a nossa amorosidade cuidando e tocando nossos pertences. Quando dobramos e guardamos nossas roupas, podemos fazer isso roboticamente ou dobrando-as carinhosamente e guardando-as de forma que se sintam “confortáveis”. O fato de tocá-las, alisá-las com afeto e gratidão é uma forma natural de energizarmos as nossas roupas, uma vez que nossas mãos são naturalmente magnéticas e têm uma conexão direta com o nosso coração, o epicentro do amor.

Para os japoneses, a expressão “te-ate” significa “impor as mãos”, mas no sentido de “curar”. Então, com esse pequeno ritual, “acalmamos” o que tocamos e somos capazes de transferir energia de amor e paz, não somente às nossas vestimentas, como a tudo que nos serve de alguma forma, tornando a nossa vida mais fácil, mais bela e mais digna.

E você, acredita que fazer com amor possa trazer uma resposta amorosa à nossa vida?

Esta semana

Resultados que a organização me proporcionou até hoje

Quando eu paro para pensar em tudo o que eu consegui apenas porque me organizei com relação a cada uma das coisas, fico muito...