09 Aug 2011

O que te inspira a limpar a casa?

Imagem: Apartment Therapy

Praticamente todo mundo adora a casa limpa – nada fora do lugar, móveis sem pó, aquele cheiro gostoso, sensação de que está tudo em ordem. Mesmo as pessoas que, no geral, têm dificuldades para arrumar e limpar tudo, gostam dessa situação. Então, o que leva determinadas pessoas a gostarem de limpar a casa e outras não? O que falta?

Acho que só quando encontramos um motivo verdadeiro para fazer essas coisas é que conseguimos deixar tudo limpo. Veja alguns posts que podem ajudar a te manter na linha:

“As pessoas comuns pensam apenas como passar o tempo. Uma pessoa inteligente tenta usar o tempo.” – Arthur Schopenhauer. Será que você não está deixando a sua vida passar? E a sua casa, seu santuário, perecendo com o passar dos dias?

Sabe aquela sensação que bate quando terminamos de fazer faxina, de olhar para o cômodo arrumado e sentir uma ponta de orgulho por estar tudo tão gostoso? É isso o que deve inspirar você. O sentimento de coisa bem feita é bom não só quando limpamos a casa, mas quando colocamos a vida em ordem também. A inspiração que você precisa para limpar a casa é a mesma que precisa para se manter viva(o). Não a deixe para lá!

Você está inspirada(o) hoje? O que precisa para ficar?

08 Aug 2011

Planejando os gastos com a mudança

Imagem: Getty Images

Toda mudança é linda e maravilhosa se não existe preocupação com o orçamento. Como isso nunca é o caso, a não ser que você seja milionário, todos(as) nós queremos economizar quando mudamos de um imóvel para o outro. Veja o que você precisa levar em conta na hora de mudar:

Transportadora - Transportar seus bens é caro. Eu cotei semana passada com a Granero e a nossa mudança ficou em R$5.000. Isso porque vamos levar pouquíssimos móveis e poucas caixas no geral. Eu quis cotar pela Granero pois imagino que seja a mais cara do segmento, então eu acredito que a gente gaste bem menos do que isso para levar nossos pertences com uma outra transportadora. Uma dica que foi recorrente ao pedir informações para amigos que já fizeram mudanças é optar sempre por empresas que utilizam caminhão-baú, e não caminhões abertos. Isso porque o risco é menor, não pega chuva, tudo fica melhor acomodado etc. Nós ainda estamos procurando transportadora, mas existe um sério problema de logística que se resume ao seguinte: você solicita um orçamento e mais informações através do site de todas elas. ok. Daí, uma pessoa solícita entra em contato com você e pede para fazer uma vistoria na sua casa, para ver o que será levado. Primeiro, que eu não vou levar tudo o que está na minha casa. Segundo, não estou na minha casa entre às 6h30 e às 20h30 em dias de semana. Terceiro, se eu já passei a lista do inventário, a vistoria serve para que, exatamente? Então, por não poder fazer a tal vistoria, já eliminei diversas transportadoras, especialmente porque os bonitos não trabalham aos sábados. Se você conhecer alguma para indicar, estou aceitando.

Gasto com material para empacotar tudo – Por enquanto não temos gasto muito porque estamos usando caixas que pegamos gratuitamente e as fitas adesivas que já tínhamos. A melhor maneira de economizar no material é com as caixas, eu acredito. Você tem a opção de comprar caixas de papelão para mudança, mas vai gastar consideravelmente, além de ser anti-ecológico. Peça caixas nos estabelecimentos, pois eles têm aos montes. Fitas adesivas, você também vai usar bastante, então compre um pacote na Kalunga com vários rolos e seja feliz. De resto, é necessário jornal velho e plástico-bolha, se você tiver muitos objetos delicados. Todo o resto chega a ser supérfluo e, se você utilizar bem, não precisará de muita coisa a mais. Só que é importante levar em consideração esse gasto, pois R$10 aqui e ali no final chegam aos $100 e já viu.

Móveis  - Vai comprar móveis novos para o novo imóvel? Nós vamos. Então leve em conta o valor deles para colocar no seu orçamento da mudança. Por aqui nós vamos comprar somente o básico e necessário para a mudança e, nos meses seguintes, completamos o que faltar. A melhor forma de economizar é comprar e pedir para entregar já no endereço novo, para não ter itens encarecendo mais (ainda mais móveis, que são pesados) com a transportadora.

Eletrodomésticos - Mesma coisa que os móveis, com a diferença que, além de tudo, eles têm prazo de garantia. Deixe para comprar quando mudar e for usar mesmo.

Aluguel do primeiro mês – Nós vamos alugar um imóvel, então o valor do primeiro aluguel deve entrar no orçamento da mudança – especialmente se alugarmos um mês antes do previsto para nos mudarmos. O motivo? Pintar, limpar, encomendar móveis e eletrodomésticos, para quando nos mudarmos estar 50% pronto. Ainda não sei se é uma boa estratégia (afinal, é um aluguel a mais), mas pelo menos dá a ideia de fazer tudo com mais tranquilidade.

Compra do imóvel - Se em vez de alugar, você irá comprar, também é necessário colocar no papel o valor do imóvel (nem que seja somente a entrada, que é o que você pagará de imediato), o condomínio, a documentação…

Seguro-fiança - No caso do aluguel, se o contrato não for através de fiador, será necessário pagar seguro-fiança. Mais um gasto para colocar no orçamento. Para economizar esse dinheiro, tente conseguir um fiador.

Outros (condomínio, luz água) – Mais gastos a serem levados em consideração, especialmente se você alugar ou comprar o imóvel bem antes de se mudar. As contas já começam a chegar desde o primeiro mês.

Custo por cômodo – Uma boa maneira de economizar é fazer uma lista do que pretende comprar e definir um orçamento para cada cômodo. Assim, você terá uma ideia geral do quanto poderá gastar com tudo e vai atrás das melhores ofertas, a fim de ficar abaixo do valor.

Pintura – Você vai querer pintar as paredes do imóvel quando se mudar? Coloque esse gasto na listinha também, incluindo galões de tinta, material (pincéis, rodos, jornais velhos, fita crepe, lixas, bandejas, balde misturador) e mão-de-obra. Você pode dar a sorte de já receber o imóvel pintado e, se não ligar para a cor padrão, pode economizar deixando como está. Eu acredito que pintar e decorar faz parte do “ritual de passagem” e que renova a energia do imóvel instantaneamente, então é um investimento que vamos arcar. Se você também pensa assim, lembre-se que vai mais algum dinheirinho nessa brincadeira.

Será que eu esqueci alguma coisa nessa lista? Se você já se mudou, compartilhe as suas experiências nesse sentido.

07 Aug 2011

Linkagem de domingo {12}

Uma boa semana!

06 Aug 2011

Por onde começar quando está tudo um caos?

Imagem: Getty Images

Você conhece a situação: tudo está um caos, e você não tem ideia por onde começar a arrumar – muito menos ânimo. Eu já estive lá. Para falar a verdade, essas situações aparecem sempre na nossa vida, não só relacionadas à casa. Nos vemos perdidas(os) em meio a tanta bagunça e a única atitude que conseguimos tomar é se trancar no banheiro, fechar os olhos e respirar um pouco. Na pior das hipóteses: simplesmente fechar a porta do cômodo em questão e esquecer que ele existe até precisar procurar algo lá. Estou errada?

O que fazer primeiro, então?

Se existe um primeiro passo para acabar com o caos é se livrar da tralha. Não é possível organizar tralha. Então, se você não sabe por onde começar, pegue uma sacola de lixo e ande pela casa recolhendo tudo o que pode ser jogado fora. Faça isso hoje, mais um pouquinho amanhã, e por aí vai. Se todos os dias você fizer isso, muito em breve sua casa terá menos tralha e será mais fácil dominar a situação.

Foque no essencial

O que é essencial para qualquer ser humano? Alimentar-se bem, descansar, cuidar da higiene e ter roupas para vestir. Concordamos nisso? Então comece por essa parte.

Comida

- Lave a louça suja
- Jogue fora os alimentos vencidos que estão na cozinha, especialmente dentro da geladeira
- Verifique o que você tem na sua despensa e faça uma lista
- Planeje um menu para a semana inteira e faça uma lista de compras com base nos ingredientes que você não tem em casa
- Vá às compras
- Cozinhe todos os dias os pratos práticos e fáceis que planejou com antecedência

Descanso

- Escreva em um papel tudo o que você precisa fazer pela manhã quando acordar
- Veja, na lista que acabou de criar, o que pode ser feito na noite anterior
- Crie uma lista chamada “rotina noturna”, onde você escreverá as tarefas que precisa fazer antes de dormir
- Durma em um horário decente, descansando o número de horas suficiente
- Perca menos tempo pela manhã, pois já organizou muita coisa na noite anterior
- Faça uma atividade de cada vez, durante o dia, para não ficar sobrecarregada(o)
- Não coma comida pesada à noite, para facilitar a digestão

Higiene

- Quando escovar os dentes pela manhã, dê uma geral na pia do banheiro
- Quando tomar banho, dê uma geral no banheiro
- Quando sujar alguma coisa, lave

Roupas

- Separe todos os dias as roupas sujas dentro de um cesto
- Estabeleça uma rotina de lavagem de roupas de acordo com as necessidades da sua família
- Estabeleça um dia da semana para passar as roupas

Cuide da sua saúde

Se você não estiver com a saúde boa, não terá qualquer disposição para fazer nada em casa, no trabalho e em qualquer outro lugar. Toda vez que for comer alguma coisa, pergunte-se se esse é o melhor alimento que pode dar ao seu corpo no momento. Pare de tomar refrigerante. Consuma menos álcool. Durma mais cedo. Alongue-se no decorrer do dia. Tome mais sol. Pare de fumar. Pare de chegar em casa e se jogar no sofá, incentivando a fadiga. Quando ficamos em movimento, a preguiça desaparece.

Não queira fazer tudo de uma vez

Se você tiver pique para isso, ótimo! Senão, comece com uma sacola hoje, outra amanhã, outra depois. Sua casa não ficou cheia de tralhas da noite para o dia nem ficará vazia no mesmo período de tempo. Vá devagar, sem a necessidade de resolver o problema imediatamente. Foi essa atitude  que te levou à situação atual.

Quando tudo está um caos, bate aquele desânimo porque não sabemos por onde começar. Com as dicas acima, eu espero sinceramente que você consiga dar pelo menos o start. O resto você vai fazendo aos pouquinhos, seguindo outras dicas do blog.

04 Aug 2011

5 passos para incorporar um novo hábito em sua vida

Imagem: Getty Images

Todos nós sabemos como é difícil incorporar um novo hábito em nossa vida, porque se estamos forçando determinada coisa é porque ela não é natural para nós. Então como fazer com que seja? Veja cinco passos para incorporar um hábito novo em sua vida:

1. Crie um plano

Planeje como e quando você irá começar. Pode ser que você já tenha feito isso no passado e não tenha dado certo. O problema não foi o planejamento, mas a continuidade. É ok fazer um planejamento. Sem ele, nada começa.

2. Dê o primeiro passo

Comece com um passo pequeno, mas que seja significativo. Suponhamos que você queira deixar de comer carne. Se você disser que passará uma semana inteira sem comer carne, vai parecer complicado. Pense que, só por hoje, você não comerá carne. Então, quando for almoçar, explore outras opções. Não pense no jantar. Apenas almoce. Deixe para pensar no jantar quando chegar a hora de jantar.

3. Conte para alguém

É difícil continuar sem incentivo. Conte para alguma pessoa que geralmente tem uma postura positiva com relação à vida que você tomou determinada decisão e está seguindo com progressos. Um simples elogio fará com que você continue, além da obrigação velada que você terá em mente – como outra pessoa já sabe, você “não pode” desistir.

4. Participe de algum grupo na internet

Encontre blogs, sites, listas de e-mails, comunidades no Orkut, pessoas falando sobre isso no Twitter, páginas ou grupos no Facebook sobre o assunto. Faça parte. Interaja. Isso manterá você motivado(a).

5. Dê um prêmio a si mesmo(a)

Quando você alcançar algum progresso significante (como por exemplo, fumar somente um cigarro por dia quando antes fumava um maço inteiro), presenteie-se com algo que queira muito. Você pode até fazer uma lista de prêmios para olhar sempre e se motivar a merecê-la.

Incorporar um novo hábito à nossa rotina é difícil porque temos a tendência em fazer tudo de uma só vez, então fracassamos. Fazendo com pequenos passos, tudo fica mais fácil e natural.

E você, gostaria de implementar algum hábito em sua vida? Qual?

03 Aug 2011

Como organizar a chegada do bebê

Imagem: Getty Images

Este é um guia para mães e pais que estão aguardando a chegada do bebê e querem se organizar o máximo possível.

Eu preciso dizer uma coisa importante: apesar de vocês se organizarem direitinho, a chegada do bebê transforma radicalmente a rotina de uma casa e é muito provável que vocês abram mão de muitos pormenores envolvendo a organização. As dicas que eu darei aqui são baseadas em minha própria experiência e eu espero que ajudem, mas eu realmente peço para que vocês não queiram seguir tudo a risca, pois dependerá muito desse bebezinho que vem chegando por aí.

Os bebês, quando nascem, fazem só três coisas: mamam, dormem e fazem cocô. Não existem períodos de atividade muito extensos, especialmente nas duas primeiras semanas. As atividades de vocês, no entanto, triplicam. Eu sei que existem infinitos modelos de famílias, mas como não posso falar por todos, focarei em uma família que seja composta por pai, mãe, bebê e algumas pessoas que possam ajudar ocasionalmente.

Fica a cargo da mãe:

- Descansar tanto quanto puder, pois o bebê dorme bastante, mas acorda com muita frequência, especialmente à noite. Não espere dormir mais de 3h seguidas no começo, pois você tem 99% de chances de não conseguir. Logo, você precisará aprender a dormir em curtos espaços de tempo. Isso foi complicado para mim, pois eu demoro para pegar no sono (mesmo exausta) e, quando dormia, meu filho acordava. Para não ficar com dor de cabeça, eu praticamente não dormia. Eu deveria ao menos ter ficado deitada, e não inventando de fazer coisas para lá e para cá, pois é cansativo.

- Se alimentar direito, pois a alimentação do bebê depende da alimentação da mãe. E demanda muito! Para se ter uma ideia, eu emagreci 10kg na primeira semana após o parto e fiquei com anemia profunda. Precisa se cuidar! Vou falar mais para a frente como organizar a questão da alimentação para vocês não se preocuparem com isso.

- Amamentar o bebê.

- Cuidar do bebê.

Fica a cargo do pai:

- Aproveitar os poucos dias de licença-maternidade para descansar junto com a mãe, pois o bebê acorda ambos. Se você tiver a sorte de trabalhar em casa ou ter tirado férias, melhor para vocês.

- Cuidar do bebê. A única coisa que o pai não pode fazer é amamentar, mas trocar fralda, dar banho, cantar e colocar para dormir, sim. Inclusive durante a madrugada, só para constar.

- Deixar a esposa descansar, pois a amamentação cobra muitas energias dela.

Veja algumas dicas para organizar todas as atividades relacionadas ao bebê e à casa no geral:

Amamentação

- Até a primeira consulta com o pediatra, o bebê precisa mamar bastante, o máximo que você puder aguentar. Mamar de 2 em 2h é um intervalo ok. Algumas mães defendem a livre-demanda, que basicamente significa deixar o bebê mamando o tempo todo que ele quiser, mas geralmente ficamos tão cansadas na primeira semana que isso só torna tudo mais exaustivo. Se você se der bem com a livre-demanda, melhor! Se não, de 2 em 2h está ok. O que é importante saber: estabeleça bem a amamentação. Quando o bebê estiver mamando direitinho e ganhando peso, ele começará a espaçar as mamadas naturalmente, com o passar do tempo. Eu sei que na primeira semana é muito cansativo, mas tenha perspectiva. Seu bebê precisa de você e tudo melhora aos poucos.

- Como o bebê é muito novinho e não sabe ainda sugar o leite, as mamadas serão mais demoradinhas (cerca de 1h). Tente amamentar sempre em algum lugar calmo e longe de outras pessoas. A amamentação é um processo interativo entre a mãe e o bebê – você também precisa prestar atenção. É fundamental acertar a pega do bebê no seio, para que eles não doam tanto, e também para que ele consiga mamar efetivamente. O que é importante saber: você pode amamentar deitada, para descansar melhor. Só atente para a segurança da cama.

- Como você pode organizar a amamentação? Deixando sempre em mãos o que você precisará durante as mamadas. Eu deixava sempre um pano de boca limpinho e uma garrafinha de água cheia, porque dá muita sede (descomunal mesmo).

- Na primeira semana, especialmente se você fizer cesárea, é fundamental ter a ajuda de alguém para que você possa descansar. Assim, quando o seu leite começar a descer, tire-o com a bombinha e deixe estocado para alguém amamentar seu bebê alguma vez durante o dia, enquanto você dorme. Se alguém puder amamentá-lo durante a noite, aí você descansará bem. O descanso é importante para a produção de leite. O papai pode dar essa mamadeira para participar também da alimentação do bebê. O que é importante saber: se você pretende voltar a trabalhar em alguns meses, acostumá-lo com a mamadeira é fundamental. Há bebês que não pegam a mamadeira depois e as mães ficam desesperadas. A sugestão da Encantadora de Bebês (apelido da inglesa Tracy Hogg, especialista em cuidados com bebês) é dar essa mamadeira à noite, de preferência pelo pai do bebê, para que ele também participe. Você fica com uma mamada de descanso. No entanto, se você não pretende voltar a trabalhar e não quer correr o risco de desmamar o bebê precocemente, melhor não dar a mamadeira.

- Depois da primeira consulta com o pediatra (geralmente quando o bebê tem 1 semana de vida), você saberá se ele está ganhando peso corretamente ou não. Se estiver, poderá se organizar melhor e passar para uma rotina de 2,5hx2,5h na segunda semana e de 3hx3h a partir da terceira semana, sempre respeitando o ritmo do bebê. O que é importante saber: se a amamentação estiver bem estabelecida, você pode começar a diferenciar os choros do bebê, pois nem sempre choro significa fome. Até lá, encare todo choro como fome ou sono, para não correr o risco de deixá-lo sem leite o suficiente.

- Se por algum motivo seu bebê precisar tomar leite artificial, aproveite para dividir as tarefas com o pai do bebê, sua mãe ou alguma outra pessoa disposta a ajudar. Uma mamada que você descanse já faz muita diferença na sua recuperação. Vocês podem revezar para que tanto mãe quanto pai descansem algumas horas.

- Se estiver dando leite artificial, deixe tudo pronto para a madrugada ser mais tranquila: mamadeiras limpas e esterelizadas, panos de boca, água quente na garrafa térmica e porções do leite em pó separadas. Isso fez uma diferença tremenda aqui em casa, além de ser mais ágil e não deixar que o bebê desperte de vez por esperar tanto tempo.

Atividades

- Pela manhã e no final da tarde, leve seu bebê a algum lugar ao ar livre, para que ele tome um solzinho e ar fresco.

- Quando ele começar a fazer bastante cocô, é bom dar dois banhos por dia – um de manhã e outro no começo da noite. O segredo é ter tudo em mãos antes de começar: toalha, fralda limpa, roupa, pomada, escova, frascos abertos e o que mais você quiser usar. Deixe para limpar e guardar tudo somente depois que o bebê dormir.

- Para a troca de fraldas, mesma coisa: mantenha tudo à mão. Trocador livre de tralhas, estoque de fraldas limpas, garrafa térmica com água quente, pote com bastante algodão. Eu comecei a usar lenços umedecidos somente quando ele tinha 1 mês de idade, mas mesmo assim fiz um teste para ver se ele não tinha nenhuma reação alérgica. Não teve, então passei a usar.

Sono

- Seu bebê não sabe o que é um dia de 24h, mas você pode ir ensinando-o o que é dia e o que é noite. Escureceu, é hora de dormir. Inicie o ritual do sono quando anoitece (por volta das 18h), dando banho, amamentando-o e colocando-o no berço. Deixe-o acordar quando estiver com fome (a não ser por recomendação médica de acordar em intervalos regulares). Quando ele acordar, não acenda a luz nem tire-o do quarto. Dê de mamar ali mesmo, no máximo com a luz de um abajour. Só troque a fralda se tiver feito cocô. Não estimule o bebê. Beije, dê carinho, mas não seja divertida(o). E coloque-o novamente para dormir.

- Não o deixe dormir mais de 2h por soneca durante o dia. Essa é uma das diferenças do dia para a noite: de dia, você o acorda. De noite, não.

- Estabeleça um ritual do sono fazendo todos os dias as mesmas coisas antes de colocá-lo para dormir, pois assim ele passará a associar esse momento à hora de dormir.

- Se seu bebê não dorme, provavelmente está com fome, na primeira semana. Bebês satisfeitos dormem rápido. Sim, é difícil e cansativo, mas passa rápido.

- Durmam quando ele dormir. Só assim vocês conseguirão descansar.

Outras coisas

- Quando se sentirem bem dispostos, deixem tudo limpinho: quarto, berço, mamadeiras. Não se preocupe com a casa inteira agora – somente com o que for relacionado a vocês e ao bebê. Todo o resto pode esperar. Se você puder ter uma empregada, ótimo para você! Facilitará muito no início.

- Usem os momentos de boa disposição do dia para ir colocando ordem em tudo. Se estiverem cansados, não façam nada – só descansem. Mesmo um de vocês trabalha em casa, respeite o resguardo. Passa rápido. Isso vale especialmente para a mãe, que ainda se recupera fisicamente do parto.

- Tenham na agenda as datas de vacinação e das consultas no pediatra.

- Mantenham uma pasta com todos os documentos necessários para quando forem em consultas médicas. Isso inclui exames. Uma pasta com divisórias é a melhor opção.

- Organizem o horário de visitas para que a sua casa não vire uma bagunça – nem sua vida. Peça para alguém tomar conta disso para você. Eu preferi não receber muitas visitas no início e foi a melhor coisa que aconteceu. Galera geral precisa entender que o bebê ainda é muito novo para tanta agitação e que todos terão a vida inteira para visitá-lo. Você perceberá como muitas visitas deixam o bebê agitado porque ele vai chorar e ter dificuldades para dormir.

- Procurem revezar nas atividades. Por exemplo, a mãe amamenta o bebê, então o pai pode dormir enquanto isso e, quando ela acabar, ela pode descansar enquanto o pai troca a fralda e o coloca para dormir. É importante o pai fazer o máximo possível pois a mãe ainda está muito debilitada fisicamente com a recuperação do parto, as dores nos seios, a falta de energia demandada da amamentação e a queda dos hormônios, que podem gerar (e geralmente geram) uma depressão pós-parto.

A importância da ajuda

O fundamental desse começo é vocês terem ajuda. É muito trabalho mesmo para duas pessoas. Conversem com quem vai ajudar vocês antes do parto, para não se preocupar depois. O que essa(s) pessoa(s) pode(m) fazer por você:

- preparar a comida
- lavar suas roupas e as do bebê
- trocar as lixeiras
- limpar a casa
- trocar as fraldas
- dar banho no bebê

Se você for se virar sozinha (ou no máximo com o seu marido), seguem mais dicas:

- Deixem porções de comida congeladas no freezer para pelo menos as duas primeiras semanas. Acredite: vocês não terão tempo – nem pique – para cozinhar. Façam isso ainda durante a gravidez.

- Comprem roupas a mais quando fizerem o enxoval, para precisarem lavar menos vezes. Roupas para o bebê e para a mãe também (você pode sujar calças e calcinhas de sangue, vai vazar leite e molhar a blusa etc.)

- Tenham estoque de tudo para as primeiras duas semanas, no mínimo. Isso vale para fraldas, itens do bebê, comida, roupas, cosméticos seus e outros itens da despensa.

Quando meu filho nasceu, eu achei que poderia cuidar da casa enquanto ele dormia, por exemplo. Pura ilusão. Precisei ficar de cama a maior parte do tempo (resquícios da pré-eclâmpsia e a anemia profunda que me pegou) e não conseguia ter forças nem para amamentar direito. Foi uma época muito difícil, mas me ensinou que não tenho controle de nada na minha vida. Tudo depende das circunstâncias e da nossa disposição física e mental. Quando chegamos a um extremo assim, não dá para pensar em mais nada que não seja essencial. Portanto, quando o seu filho nascer, lembre-se do que eu falei: atenha-se ao realmente necessário. Todo o resto pode esperar. Mesmo. Questão de sobrevivência. Foque no bem-estar do filhote e no de vocês, para só depois, aos poucos, ir estabelecendo uma rotina e voltando a cuidar dos outros afazeres.

Boa sorte.

02 Aug 2011

Andamento da mudança – parte I

Imagem: Getty Images

Desde que nós tomamos a decisão de fazer a mudança, já começamos a agitar porque há muita coisa a ser feita. Veja uma lista de providências que você já pode tomar assim que decidir se mudar. Abaixo, você confere o andamento das coisas por aqui:

Fazer uma lista de inventário - Basicamente, uma lista de todas as coisas que nós temos e já pensar no que deve ir ou ficar. Isso dependerá muito do tamanho do imóvel, mas já estamos conseguindo ter uma ideia.

Começar a empacotar as coisas (etiquetando tudo) - Vocês conhecem o meu método de empacotamento, mas ainda farei um post mais específico a respeito. Se eu já tenho o suficiente para encher uma caixa com coisas de cozinha, por exemplo, vou adiantando. Por enquanto, temos seis caixas fechadas. Só não temos mais porque precisamos caçar mais caixas por aí!

Doar, vender ou reciclar o que não vai - Existe uma sacola gigantesca no meio do nosso corredor com roupas para doar. Eu a deixei ali para facilitar o processo para o meu marido e eu, pois nunca sai de vista. Toda hora nos lembrarmos de separar mais roupas e, quando ela estiver cheia, ligarei para as Casas André Luis para fazer a doação. Por enquanto, não pensei em vender nada, mas talvez eu pense mais para a frente, quando for lidar com o equipamento de estúdio que não usamos desde a reforma que meu pai estava fazendo. Estou jogando muita coisa fora, muita papelada, principalmente revistas. Tenho uma coleção enorme de revistas de moda e ainda não tenho certeza sobre o que fazer com elas.

Juntar caixas - Sempre que vejo alguma caixa limpa dando sopa e tenho como levar para casa, eu faço isso. É uma boa pedir no supermercado, mas geralmente as caixas que eles têm são muito pequenas (boas para livros). Me recuso a comprar caixas somente para a mudança, mas em último caso acabaremos fazendo. Por enquanto, estamos nos virando. Uso as caixas de fraldas e as caixas da Avon (eu revendo, então a cada campanha chega uma boa caixa com os produtos).

Providenciar fitas grossas adesivas - O negócio é ir até a Kalunga e comprar um pacote com vários rolos, pois usa-se muito! Eu tinha dois rolos aqui em casa e estou usando porque já tenho, mas a ideia é comprar mais logo logo.

Comprar caixa de ferramentas - Acreditem, eu não tenho. Tenho ferramentas avulsas, mas sempre falta uma ou outra. Quero ainda este mês comprar uma caixa completa para usar na mudança (desmontando coisas aqui e montando lá). Usa-se muito, desde móveis até instalação elétrica. Ainda não comprei, mas farei isso ainda em agosto.

Procurar o imóvel - Por enquanto, estou fazendo uma busca pela internet (Canal do Imóvel, ImóvelWeb e Zap Imóveis são meus sites preferidos) e conversando com moradores da cidade para pegar boas referências de bairros. Dá para ter uma boa noção de preços dos aluguéis e do tamanho (quantos cômodos, vagas na garagem etc).

Providenciar sacos plásticos pequenos para guardar miscelâneas - Se você já desmontou um móvel, sabe a importância de um lugar para centralizar porcas e parafusos. Nós estamos utilizando saquinhos que vêm em compras pequenas mesmo, como remédios na farmácia.

Providenciar outros materiais para a mudança - Como luvas (carregar objetos resseca, suja e machuca demais as mãos) e etiquetas. Também tenho um fichário onde centralizo todas as informações (já comentei sobre ele no outro post).

Pensando na decoração - Como vocês sabem, eu tenho uma conta no Pinterest, onde eu estou montando mais ou menos como eu quero que seja cada cômodo. Isso é bom para planejar porque dá uma visão geral. Além disso, já estou comprando pequenas coisas que posso adiantar, como roupa de cama e outras miscelâneas.

Essa fase da mudança dá uma certa ansiedade porque é muita coisa para fazer e muita coisa que depende de outras que ainda não aconteceram, mas está tudo caminhando bem.

01 Aug 2011

Checklist de agosto

Hoje é o primeiro dia do mês, o que significa que é dia de fazer listinhas! O que você pretende fazer em agosto?

1. Defina seus objetivos do mês

Estamos na metade do ano! Veja o que você fez de janeiro até hoje e o que espera finalizar antes do final do ano. Mas seja realista: defina somente o que realmente pretende fazer e o que conseguirá cumprir. Analise seus projetos e defina pequenas metas que podem ser alcançadas.

2. Cheque seus arquivos mensais

Se você utiliza o GTD, deve ter em casa seu arquivo de referência rápida. Cheque os arquivos do mês em questão e distribua nas pastas diárias correspondentes. Você pode fazer algo semelhante com anotações em sua agenda, especialmente com relação às suas contas.

3. Conserte seu horário de uma vez por todas

Você tem acordado cansada(o) todos os dias e tem certeza que isso acontece por ter ido dormir tarde na noite anterior? Veja o que você pode mudar na sua rotina para conseguir descansar a quantidade de horas de sono necessárias para você ficar bem. E sim, é provável que você tenha que abrir mão de algumas coisas. Faz parte. Veja o que é prioridade. No entanto, para agosto, elimine esse item do seu checklist.

4. Estabeleça um menu semanal para a sua família

Seus dias têm sido difíceis porque você nunca sabe o que cozinhar ou as crianças reclamam de fome quando você sequer chegou à cozinha? Crie um menu semanal, faça as compras com antecedência e livre-se do estresse com relação a esse assunto. Se sua família tem problemas com alimentação, resolva este mês. Para de postergar.

5. Faça retoques de pintura em sua casa

Sempre temos uma coisinha ou outra precisando de algum retoque: o espelho de luz, o rodapé, ou mesmo uma parede inteira. Que tal fazer isso este mês?

6. Crie um kit com velas para quando faltar a luz

Você tem velas, fósforos e candelabros fáceis de encontrar em sua casa quando acaba a luz? Se não, providencie.

7. Retome um sonho antigo

Com certeza você tem algum projeto que tenha deixado para trás há alguns anos por falta de tempo ou dinheiro. Que tal retomá-lo? Muitas vezes deixamos projetos importantes para trás e voltar a pensar neles dá uma injeção de ânimo no dia-a-dia.

O que mais está na sua checklist de agosto? Compartilhe nos comentários.

28 Jul 2011

Mantendo o astral alto em um dia de trabalho

Imagem: Getty Images

Saiba como dividir seu dia de modo que seu corpo e sua mente fiquem bem mesmo estando o dia inteiro dentro de um escritório.

Pela manhã (antes de sair de casa)

  1. Exponha-se ao sol e alongue o corpo, se espreguiçando.
  2. Mexa-se um pouco. Tenho uma amiga que vai para a academia diariamente às 6h (admiro, confesso) e já tive a rotina de caminhar meia hora no parque perto de casa antes de voltar para casa, tomar banho e ir trabalho. Você também pode ir a pé para o trabalho, se isso for possível. Na pior das hipóteses, ande até um ponto de ônibus mais longe ou suba e desça as escadas de casa umas dez vezes.
  3. Procure coisas que você ama. Leia o bilhetinho que seu filho escreveu há algumas semanas para você. Olhe para aquele quadro engraçadinho. Ouça sua música preferida enquanto prepara o café.
  4. Tome um banho. Apesar de tomar um tempinho considerável de manhã, vale a pena pois é um despertador instantâneo.
  5. Edite sua roupa. Dê algum toque diferente, exótico, colorido ou engraçadinho à roupa do dia-a-dia.
  6. Tome um café-da-manhã colorido. Nada de pão e leite todos os dias. Coma uma fruta, tome um iogurte, faça uma vitamina ou um suco diferente.
  7. Tome vitaminas. Converse com o seu médico sobre a possibilidade de tomar vitaminas. Elas complementam sua alimentação e mantém seu corpo no ritmo mesmo quando você se alimenta de forma deficitária uma vez ou outra.

Pela manhã (chegando ao trabalho)

  1. Trabalhe muito durante 90 minutos e faça uma pausa. Foque em seu trabalho durante esse tempo e então pare para dar uma caminhada pelo escritório, ir ao banheiro ou beber água.
  2. Corte a conversa no trabalho, pelo menos enquanto estiver focada(o). Quando ficamos o tempo todo só conversando, vemos o momento de trabalhar em si como algo chato e nossa produtividade cai tremendamente. Isso não é legal. Saiba a hora de trabalhar e a hora de descansar um pouquinho.
  3. Beba café. Eu não costumo beber café depois do almoço porque prejudica meu sono à noite, mas de manhã eu acho bom tomar, especialmente na primeira pausa do dia, quando começa a bater uma fominha.
  4. Brinque e se distraia um pouco, quando fizer as suas pausas. Dar risada deixa tudo um pouco melhor. Você também pode telefonar para alguém para combinar algo mais tarde, ou dar os parabéns pelo aniversário. Essas intervenções festivas no decorrer do dia dão uma quebrada na concentração estressante que muitas vezes tendemos a ter.
  5. Respire! Sempre que se lembrar, pare e respire fundo durante alguns segundos.

Na hora do almoço

  1. Almoce bem. Coma proteínas, fibras e carboidratos complexos. Você pode trazer de casa um sanduíche de pão italiano com peru ou frango e molho de pesto ou tomate. Se puder fazer em casa, um filé de peixe com salada e arroz integral servem bem. São alguns exemplos.
  2. Pense em algo para planejar adiante. Talvez uma viagem? Um projeto novo?

À tarde (depois do almoço)

  1. Tome um chá para fazer a digestão. Você pode levar uma garrafa térmica pequena para o trabalho e os saquinhos na bolsa.
  2. Cronometre suas atividades. Eu costumo usar a agenda do Google para ir documentando minhas atividades ao longo do dia. É bom para saber quanto tempo estou me dedicando a cada uma delas e para ver se meu dia está sendo produtivo.
  3. Tenha coisinhas relaxantes ao seu redor, como bolinhas de apertar e massageador de costas. Use sempre que sentir aquela indisposição.
  4. Levante-se e ande um pouco. Geralmente intensificamos nossas atividades à tarde. Lembre-se de fazer aquela pausa a cada 90 minutos e mexa-se para mão enferrujar.
  5. Espante o sono! Tenha foco, beba água gelada e dê um bocejo bem grande. Essas três táticas eu costumo usar em reuniões e funcionam bem.

No final da tarde

  1. Faça uma lista de tarefas para o dia seguinte. Isso te ajuda a se planejar melhor e saber o andamento de todos os projetos.
  2. Coma um lanche para não chegar em casa morrendo de fome (e com vontade de devorar o que vir pela frente). Um pedacinho de queijo, soja torrada e frutas secas são boas opções.
  3. Ouça música. Chega um momento do dia que só música salva e dá um up. Coloque seus fones e mande ver, mas cuidado com o volume.
  4. Sorria! Nossa expressão vai ficando cansada com o passar das horas e sequer percebemos. Force alguns sorrisos que os próximos saem naturalmente.

À noite (chegando em casa)

  1. Faça um exercício leve. Você pode caminhar na esteira, cuidar do jardim, passar um pano úmido no chão da cozinha, estender roupas, dançar durante alguns minutos. Só evite chegar e se jogar no sofá.
  2. Jante 3h antes de dormir para facilitar a digestão. Coma alimentos leves – se possível sem carne, que demora mais para ser digerida.
  3. Tome um banho quente para ajudar seu corpo a relaxar. De lá, vá direto para o pijama.
  4. Use um produto extremamente gostoso no banho. Aromas e texturas fazem toda a diferença no dia-a-dia. Pode parecer frescura, mas na hora você percebe como faz diferença no seu bem-estar. Dá aquela sensação de “eu mereço isso”.
  5. Veja algo positivo e calmante na TV. Nada de noticiários cheios de sangue ou filmes de terror. Você pode até gostar dessas coisas, mas deixe para o final de semana. Quando estiver em casa depois de um dia de trabalho, veja somente programas e filmes agradáveis.
  6. Leia algo tranquilo. Seguindo o mesmo raciocínio, leia um pouquinho de algum livro ou revista, mas nada relacionado ao trabalho ou artigos técnicos. Relaxe.

À noite (hora de dormir)

  1. Coloque um alarme para a hora de dormir. Quando ele tocar, pare tudo e vá para a cama, não importa a quantidade de sono que você esteja. Vá descansar.
  2. Crie a melhor condição possível para o sono. Apague a luz, invista em uma boa roupa de cama, aromas, tire a TV do quarto etc.
  3. Conheça seu ritmo e respeite-o. Se você está cansada(o) de saber que, se dormir tarde, fica um caco no dia seguinte, não faça isso. Respeite suas necessidades básicas.

Eu tenho essa listinha dentro da minha agenda para sempre me lembrar de fazer essas coisas. Faz uma diferença enorme quando eu a sigo, além de ser uma ótima maneira de acompanhar o andamento do dia!

27 Jul 2011

Como decorar o quarto do bebê

Foto do quarto do meu filho (arquivo pessoal)

Há dois anos, quando descobri que estava grávida, eu mergulhei no universo materno para conseguir decorar o quarto do nosso filho. O resultado foi uma parede com o passarinho do Twitter, muito azul, verde, marrom e branco. Agora, estou planejando o futuro quarto dele (confira o Especial – Mudanças) e pensando novamente sobre o assunto. Confira algumas dicas que eu já havia publicado no Portal da Maternidade para ajudar você a decorar o quartinho do seu filhote:

Escolha uma cor predominante

De preferência, a sua cor preferida. Se você vai ter uma menina, será que precisa ser rosa, mesmo você preferindo laranja, por exemplo? Dá para usar qualquer cor. Esqueça o velho clichê de rosa para menina e azul para menino. Dá para fazer combinações lindas usando quaisquer cores. Escolha a cor principal e já terá um guia. Dica: escolha uma cor que já tenha predomínio em outras áreas da casa.

Exemplo de quarto azul para menina.

Escolha as outras cores

Não é preciso ser uma expert em artes ou decoração para combinar cores. Um esquema que dá muito certo é o seguinte: ter uma cor principal, que norteará a decoração (você já escolheu acima); duas cores neutras que geralmente guiarão os móveis, mas fuja do combinandinho (branco, marrom, preto, bege, prata, cinza etc); uma cor pastel relacionada à cor principal (rosinha para pink, azul calcinha para turquesa, ou verde limão pastel para turquesa, azul calcinha para vermelho, amarelo para laranja etc); e uma outra cor forte contrastando com a cor principal. Difícil?

(daqui) -> veja o link, é interessante

Suponhamos que a sua cor principal seja o vermelho. As cores pastéis que vão bem são as cores ao lado: rosinha e salmão, por exemplo. A cor forte que contrasta é o verde. Certo? Sim, mas nada impede que você brinque com as cores. Você pode usar um verde pastel com o vermelho também.

Berço vermelho (cor guia vista também no móbile), branco (cor neutra),
amarelo (cor fraca secundária) e verde bandeira + turquesa (cores fortes contrastantes).
Azul (cor principal), verde limão pastel + azul pastel (cores secundárias),
marrom + branco (cores neutras) e laranja (cor contrastante).

Não use as cores fortes em excesso

Escolha poucos itens, talvez os que você queira destacar, ou mesmo pequenos detalhes. Um bichinho de pelúcia, um abajour, um detalhe em um quadro, uma almofada. Se quiser pintar algo grande em uma cor forte (o berço, por exemplo), pegue leve no restante.

Use mais as cores neutras e fracas (pastéis)

Paredes, tapetes, cortinas, roupa de cama.

Definida a primeira cor, já comece a garimpar

Desde o começo da gravidez. Se você deixar para começar a decoração lá na frente, vai ter que se sujeitar aos artigos de sempre comprados nas lojas de bebês. Garimpe! Em seus passeios, vá ao shopping, em lojas de decoração, em feiras de antiguidades, em lojas de arte, em feiras de artesanato. Leia blogs, sites e revistas de decoração, quando tiver um tempo. Isso lhe dará uma informação enorme de decoração e ideias ótimas.

Compre somente itens pelos quais se apaixonar

Nada de ir ao Brás e comprar uma infinidade de coisas só porque são baratas. Fuja da quantidade e preze pela qualidade. Tenha a sua cartela de cores em mente quando for em lugares assim para comprar bastante coisa. De nada adianta ver um cobertor rosa e vermelho lindo se está usando lilás na decoração. É esse tipo de detalhe que faz diferença entre um quarto lindo e um quarto qualquer, bagunçado, desordenado. E compre somente aquelas coisas que vir e disser: “é lindo, precisamos comprar um desses!”. Nada de toalhas “porque estavam tão baratinhas” ou um kit berço que foi presente, se não tem nada a ver com o restante do quarto.

Fuja do óbvio

Border, móveis brancos, cores pastéis em demasia, formato berço + guarda-roupa + poltrona de amamentação. Como se foge do óbvio? Garimpando antes, com calma, em vez de deixar tudo para a última hora.

Não procure só em lojas de bebês

Vá por último nessas lojas! Como eu disse acima, frequente lugares diferentes. Se você fizer direitinho, deixará pouca coisa para ser comprada nas lojas específicas para quartos de bebês. Geralmente, do berço não dá para fugir. Apesar de berços comprados em lojas de antiguidades serem lindos, preze sempre pela segurança do bebê.

Customize

Você sempre pode pintar um berço branco de outra cor, contanto que faça isso meses antes de o bebê nascer (por causa do cheiro forte da tinta). Não fique de mimimi porque só existem berços brancos. Você também pode encapar caixas com um papel lindo que encontrou em suas andanças. Ou pedir para a sua mãe habilidosa para costurar a capa do trocador, ou fazer a cortina. Não pense só em comprar itens prontos. Muita coisa pode ser feita! Caixas pintadas, kit higiene, roupa de cama, bichinhos de pano, enfeites diversos de decoração. Na internet há um passo-a-passo para cada coisa que você quiser fazer.

Cuidado com “temas”

Escolher um tema para um quarto é chato e a coisa mais óbvia que existe. É claro que você pode ter, lá na sua cabeça, um tema para nortear algumas aquisições. Mas temas tipo “Princesas Disney”, “Moranguinho”, “Carrinhos”, “Trenzinhos”, “Safári” são chatos, clichês e fogem do original. É claro que você pode utilizar um tema, mas não caia na armadilha da decoração fácil, deixando o quarto do seu filho tão genérico e sem personalidade que qualquer bebê poderia viver ali. Tenha o tema mas vá além – não se prenda às ideias das lojas para bebês. Quer fazer safári? Comece pensando em cores diferentes, estampas, bichinhos comprados em outro lugares, e não no velho bege, verde, marrom, laranja, leões, girafas, hipopótamos bordados… zzz…

Foque nas funções que o quarto precisa ter

Um lugar para amamentar, um lugar para o bebê dormir, um lugar para trocá-lo. Não coloque a decoração acimas dessas necessidades, pois além de lindo o quarto também precisa ser funcional.

Não pense só no recém-nascido

Pense também no bebê que seu filho se tornará daqui a poucos meses. Um bebê que engatinha terá espaço nesse quarto? E brinquedos? Se encontrar um brinquedo super fofo, mas que só será usado quando ele tiver uns 8 meses, compre mesmo assim! Ele vai usar e você já deixa no quarto, dando personalidade. O mesmo serve para livros. Atente também para a segurança do quarto. Pense em tudo desde já, ou deixe margem para as modificações (um portãozinho na escada, grades nas janelas etc).

Fique dentro das suas necessidades

E espaço. Não adianta querer entulhar um quarto pequeno de móveis se você não tem espaço para tanto. Procure soluções proporcionais ao que vocês tem. Também não saia comprando desenfreadamente se você pode utilizar itens que já tem em casa. Aquela poltrona linda, sem uso, não pode servir de poltrona de amamentação? Claro que pode! Faça compras em casa também e descobrirá o quanto você já tem. Esqueça aquelas listas enormes de enxoval – na verdade, utilize-as somente como guia, jamais como regra. Não compre algo que seja bonito mas que não caberá ou não ficará bem no quarto. Esqueça. Existem milhares de opções e você encontrará outra mais adequada.

E, por último: fuja das regras! Ignore tudo o que eu falei acima e siga seu coração, pois o quartinho do seu filho deve ter a cara de vocês, única e exclusivamente. As dicas acima são somente uma orientação. Tenho certeza que você já tem muitas ideias e não vê a hora de colocar a mão na massa! Só espero que a minha experiência possa te nortear um pouco.

Você já passou por isso? Já decorou o quarto do bebê? Deixe mais dicas nos comentários!