ou

Entrando em casa…

unnamed-2

No post anterior, nós falamos sobre a importância de termos uma entrada da casa harmonizada, atrativa, de como é possível torná-la cada vez mais sintonizada com as melhores vibrações.

Hoje eu quero que você continue com a “visita feng shui”, afinal, a nossa proposta é que você sinta o seu espaço, como se fosse um consultor. E agora nós vamos abrir a porta da entrada e cruzar a linha imaginária que nos separa do mundo profano, colocando-nos numa área onde supostamente estamos a salvo – o nosso refúgio.

Se você tem duas portas, por favor, quero que entre pela porta social, porque você já sabe, é preciso mostrar ao universo que você quer sempre o melhor – sim, é um ótimo exercício para aumentar a autoestima.

Cabeça erguida e olhos bem abertos: o que se vê? Esse momento é muito importante. Que aspectos a sua casa revela logo à entrada? Lembre-se que a energia ch’i (vital) faz o mesmo caminho que você e é igualmente recepcionada. Suponhamos que…”no meio do caminho tem uma parede…”

unnamed-4

Nesse caso, a parede e a pedra têm o mesmo papel. Quando você abre a sua porta e dá de cara uma parede, você tem uma mensagem subliminar: caminhos fechados, bloqueio…e a energia pode simplesmente fazer meia volta e não entrar. Você está diante de algo muito comum hoje em dia. Para aproveitar espaços, as plantas das casas e apartamentos têm apresentado uma configuração muitas vezes desaprovada pelo Feng Shui, mas não existe o imóvel perfeito, então vamos fazer as curas necessárias.

Esse espaço conhecido como vestíbulo ou hall de entrada é muito importante para nós, pois ele faz a transição do profano para o sagrado e vice-versa. Precisa ser acolhedor e receptivo, além de muito bem iluminado, ainda que artificialmente e com uma decoração que favoreça. Muitas vezes esse espaço não existe oficialmente, você pode adentrar a casa e já estar na sala, por exemplo, mas energeticamente ele sempre estará lá, como um espaço “recebedor” – essa é a sua função. No caso de encontrar uma parede, vamos torná-la muito bonita, adornada com uma bela arte, um quadro alegre, com algo que lembre bênçãos, como flores, divindades, sol ou um belo espelho (que também é luz), no qual a pessoa mais alta da casa consiga visualizar a própria cabeça. E sem atulhar o espaço, se possível; ter ali tudo que dê as boas-vindas a quem chegar: local para depositar bolsa, compras, casacos e outras coisas que trazemos do mundo exterior. Há quem deixe os calçados, enfim, manifestar aconchego, “abraçar” quem entra, ainda é o melhor jeito de se dizer “seja bem-vindo”.

unnamed-5

Às vezes (ai, as construções contemporâneas…) a coisa é pior: abrimos a porta e damos de cara com um lavabo e a gente sabe que energeticamente banheiros e similares são “males necessários” segundo o Feng Shui (ainda vamos falar sobre isso em detalhes), então, óbvio, estamos diante de um problema. Conselho: deixe a porta sempre fechada e enfeite-a com algo bem bacana, como um adesivo, um letreiro, um quadrinho…Lavabos são sugadores de boas energias e podem puxar para si as boas oportunidades que chegam para você, que irão literalmente ralo abaixo. É preciso um a proteção mais elaborada, mas por hora cuide da porta.

E você pode ter também uma escada, que vai deixar a energia surtada…às vezes são duas escadas, uma para cima e outra para baixo, bastante comuns em coberturas. Escadas confundem a energia, que não sabe se sobe, se desce. Aqui a correção é mais complicada, é preciso visualizar, estudar e aplicar uma cura bem assertiva.

unnamed-3

E tem aquela casa, tipo loft, que você é recepcionado pela cozinha. O Feng Shui adverte: isso engorda! Entrar na casa pela cozinha faz com que a gente coma muito mais. Outro motivo para evitar a porta de serviço sempre que possível. E tem mais, para os chineses, exibir a sua cozinha é mostrar algo muito íntimo – a sua riqueza. Isso pode tornar a sua casa alvo de pessoas não muito bem intencionadas (sabe aquelas, que a salada do outro é mais verdinha?). Melhor evitar…um biombo é algo muito charmoso e pode ser bem funcional, tem uns com motivos orientais que são fofos e por serem feitos de papel de arroz, chamam a sorte! E com paletes então? Sustentabilidade e bom gosto. E dá para fazer uma decoração bem especial.

E se você já entra e está praticamente na sala, preste atenção no seguinte: a sua sala “abraça”? Ela tem móveis bem dispostos? Você caminha perfeitamente sem bater a canela na mesa de centro? Sim, quanto mais espaço, mais a energia circula e consegue ir abastecendo a casa toda. Quanto mais obstáculos no caminho…menos fluxo e mais problemas de saúde, vida que não caminha, enfim…vamos começar a mexer com essas enfermidades que assolam as moradias e o mal não é pequeno.

Coisa comum hoje em dia também, por conta dos arranjos arquitetônicos, é o sofá ficar de costas para quem entra, o que faz com que o visitante ou até mesmo o morador se sinta rejeitado, com vontade de nem entrar ali. Solução: um banco, um aparador, algo bem bonito que conte um pouco a história da família, os costumes e ainda mitigue a mensagem negativa das costas do sofá. E por falar em poltronas e sofás, cuidado com as vigas (personagens também da mania das pessoas derrubarem paredes deliberadamente) que são opressivas, mexem com os relacionamentos e minam a saúde. Saia debaixo delas!

unnamed-6

Agora vou pedir uns minutos com olhos fechados…que sensação você tem? Sua casa é agradável? Você sente que ela lhe traz felicidade, realização, enfim…é tranquila e favorável? Isso é absolutamente sensorial. Já ouvi gente dizer que ao girar a chave de casa, sentia uma vontade súbita de voltar para o trabalho. Algo errado, não? Você pode precisar de ajuda de um especialista. Energias são muito complexas, precisam ser prospectadas, estudadas e tratadas, não hesite em chamar um profissional e harmonizar o seu espaço. A vida é muito breve para você morar numa casa que não esteja a seu favor!

Para quem quiser conhecer algumas técnicas de limpeza energética e proteção para o seu espaço, tenho um vídeo bem interessante e muito explicativo, que deixo aberto para os leitores do “vida organizada”.

https://www.youtube.com/watch?v=Zb_uvYd6Gww

E depois desse exercício de reconhecimento do seu local de poder, conte-me tudo, não me esconda nada…seu comentário, sua pergunta podem ser valiosos também para outros leitores!

Wanice Bon'ávígo
06/04/2016
Veja mais sobre:
28
Como fazer uma revisão no meio do ano
Rapidinhas: Organizando calças em nichos
Leia blogs sobre organização

Gostaria de compartilhar com vocês essa espécie de revisão mensal que faço sempre que chega um novo mês. Eu costumo fazer ao final do mês anterior, para já entrar no mês novo com ele planejado. Ela leva de 60 a 90 minutos.

Reviso minhas áreas de foco

Captura de tela 2016-04-04 12.29.52

Tenho dois mapas mentais que uso para analisar minhas áreas de foco na vida – um mapa com foco pessoal (eu, como indivíduo) e outro com foco profissional (meu escopo de trabalho). Essa análise é muito legal porque me permite ver:

  • Se as três áreas que quis focar este ano estão evoluindo
  • Se há equilíbrio
  • Se há projetos que preciso implementar para que elas caminhem em direção ao nível de tranquilidade que espero ter em cada uma delas

Eu utilizo uma ferramenta chamada Mind Meister para criar meus mapas mentais.

Checo o tickler para o mês

Tenho um arquivo de pastas suspensas com todos os meses do ano e os dias do mês, que utilizo para guardar material que vou acessar apenas nas datas específicas. Veja mais aqui sobre o que é o tickler e como funciona.

Uma vez por mês, verifico a pasta do mês que vai entrar e, se tiver algo ali, distribuo para os dias específicos.

Leio alguns pensamentos que gosto de rever uma vez por mês

Tenho no meu Todoist uma lista com 8 a 10 pensamentos que, mensalmente, gosto de reler. Eles me ajudam a ter foco no que importa. Exemplo de pensamento que tenho lá:

Captura de tela 2016-04-04 12.37.38

Vejo minha pipeline de projetos

Captura de tela 2016-04-04 12.40.31

Tenho uma planilha que montei no início do ano com uma pipeline de entrega de projetos. Ela fica no Google Drive e, mensalmente, a acesso para ver qual será meu foco de trabalho no mês e não perdê-lo de vista.

Ela tem sido bastante útil para me ajudar a não pegar trabalhos diversos que possam tornam minha vida muito corrida. Por exemplo, se tenho duas entregas importantes para este mês, sei que ficarei bastante envolvida com elas, então não vou pegar nada novo e que demandará muita atenção.

O que está em vermelho é quando o projeto pega fogo – ou seja, quando as atividades relacionadas a ele ficam mais intensas.

Este ano foi a primeira vez que eu fiz isso e estou gostando bastante de fazer. Ainda preciso fazer alguns ajustes, mas no geral tem sido bom e tem me dado perspectiva.

Verifico minha checklist de comprimissos que precisam ser agendados todo mês

Garantir o planejamento do próximo curso online do blog, ver se farei algum evento gratuito para os leitores, webinars, definir a quantidade de treinamentos de GTD, enfim: eventos. No final das contas, cada mês tem apenas quatro semanas e eu preciso conhecer bem o meu tempo para saber o que serei capaz de fazer ou não. Ter essa lista de gatilhos recorrentes me ajuda a pensar nessas definições. Tenho uma agenda bastante cheia e, muitas vezes, começo um mês já com ela bastante tomada com essas atividades.

A revisão das áreas de foco ajuda bastante na busca por esse equilíbrio. Tudo se conversa.

Não só para o lado profissional, mas também o pessoal. Vejo os eventos na escola do nosso filho, os shows da banda do meu marido, passeios que podemos fazer e todo esse tipo de coisa. Também dou uma passada geral nas contas do mês para ver se está tudo encaminhado.

Verifico minha checklist de atividades recorrentes todo mês

Além de compromissos, tenho atividades que faço mensalmente, especialmente em casa.

Vejo minhas listas de compras

Tenho algumas listas de compras padrão que verifico todo mês para itens que preciso verificar apenas com essa periodicidade – geralmente itens de limpeza, cosméticos, utensílios etc. É bastante útil porque, muitas vezes, acabo fazendo essas compras pela Internet mesmo, para facilitar (as compras de perecíveis fazemos semanalmente de acordo com o menu semanal).

Programo meus cuidados pessoais

Cortar cabelo, tingir, hidratar, cronograma capilar, manicure, sobrancelha e coisas do tipo são programadas mensalmente. Muitas coisas faço em casa mesmo, mas gosto de me programar para não deixar passar tempo demais.

Vejo minha checklist de coisas que adoro fazer

Tenho uma checklist de coisas que adoro fazer que criei para sempre ficar bem. São coisas simples, como passear na Livraria Cultura ou tomar um café com uma amiga, que gosto de revisar mensalmente para ver se conseguirei fazer alguma delas. Passo item por item e verifico se conseguirei fazer. É bem legal.

Reviso minhas listas de limpeza detalhadas

Isso é coisa da FlyLady. Anoto qual o hábito do mês (tudo está no site dela) e depois verifico quais semanas serão dedicadas a que cômodo. Tenho detalhadas as minhas listas de limpeza de cada um e, depois, semanalmente, vejo as tarefas a serem feitas e defino como ações para a minha semana.

Mensalmente, no entanto, gosto de revisar as listas de limpeza para ver se estão ok, se falta algo ou se mudou alguma coisa.

Faço um resumo do mês que passou

Outra coisa que gosto de fazer é um resumo do mês que acabou. Tenho algumas perguntas que me guiam nesse processo, bem pessoais, relacionadas a felicidade, equilíbrio, relacionamentos. Crio uma nota no Evernote e escrevo sobre o mês que passou. Me ajuda bastante a refletir e fazer um balanço dos acontecimentos.

Tudo isso que eu escrevi acima está esquematizado no meu Todoist em formato de bullet journal (leia aqui sobre bullet journal). Em breve farei um post mostrando mais desse esquema. 🙂

E você, como costuma planejar o seu mês?

Thais Godinho
04/04/2016
Veja mais sobre:
42
Minha checklist diária
Minha rotina de escrita
Andamento da mudança – parte II

Hoje vim falar de uma tendência mundial que tem o nome de Bible Journaling, ou “fazendo diário na bíblia” que, apesar de ter sido criada para um livro específico, pode ser uma técnica usada para livros de outras religiões e mesmo sobre outros temas. Como é, além de bonito, com um viés prático (você facilita seus estudos e absorção do tema), quis postar aqui para inspirá-los.

Imagem: Kimberly Layton

Imagem: Kimberly Layton

Imagem: sillybeeschickadees

Imagem: sillybeeschickadees

A ideia é adicionar toques do seu estilo pessoal ao grifar trechos importantes ou significativos ou ao fazer anotações.

Imagem: Instagram/karladornacher

Imagem: Instagram/karladornacher

Imagem: Magnolia Magenta

Imagem: Magnolia Magenta

Você pode usar lápis de cor, giz de cera, aquarela e até washi tape (fita adesiva decorada). Use sua imaginação!

Imagem: constancedenninger

Imagem: constancedenninger

Quem não gosta de desenhar pode usar recortes e adesivos também.

Imagem: Instagram/mpjournalingbible

Imagem: Instagram/mpjournalingbible

Gostou da ideia? Deixe um comentário!

Thais Godinho
30/03/2016
Veja mais sobre:
39
Testando o Google Tarefas
Como foi: Curso de organização de arquivos com Tadeu Motta em SP
Livro Vida Organizada já a venda nas seguintes lojas