27 May 2013

Dúvidas da leitora: GTD, agenda e coisas mais

A Tatiana A. E. enviou suas dúvidas pelo formulário de contato e o e-mail estava ficando tão grande que resolvi postar aqui no blog. Esclareço algumas dúvidas que podem ser de outras pessoas também. Seguem!

Olá Thais!
Navegando pela internet, encontrei o seu site. Fiquei tão encantada que nem me lembro mais o que procurava no dia que vim parar aqui! :)

De cara, me chamou a atenção um post sobre o GTD (que eu desconhecia completamente) e daí um post foi chamando outro e quando vi queria ler o blog inteiro!!! Já li seu post de como ler o blog mas não adianta, estou navegando página por página para ter certeza que nenhum post que me interesse irá passar despercebido! Já indiquei seu blog para todos os meus amigos e estou implementando várias coisas que vi aqui! Lembrei! Acho que parei aqui quando pesquisava sobre o Fly Lady (que eu também desconhecia e que também estou implementando, com adaptações para minha realidade e para o que funciona para mim).

Bom, vamos lá! Adorei o método GTD e acho q finalmente vou conseguir organizar meus projetos e tarefas (comprar o livro do David Allen já está nos planos). No entanto, fiquei insegura quanto a um fato e gostaria de sua ajuda. Analisando o meu dia-a-dia percebi que tenho poucos compromisso e muitas tarefas e projetos. Assim, acho que no meu caso uma agenda seria de pouca utilidade, certo? Hje uso a agenda do google e marco lá o que não quero esquecer: aniversários, reuniões, consultas. Acho que isso já basta né, sem a necessidade de uma agenda de papel.

Bom, você usa a agenda do Google! =) Acho que, de alguma forma, todos precisam de uma agenda para anotar compromissos, senão perdemos o controle. Não vale a pena guardar essas informações na cabeça. A agenda pode sr usada para anotar outras informações além dos compromissos. Veja o post Utilizando a agenda de forma organizada.

Sobre a agenda ser eletrônica ou de papel, tanto faz. Basta usar o que for mais adequado ao seu estilo de vida. Eu comecei com papel, fui para a do Google, e agora voltei para o papel. Não existem soluções definitivas. É legal ir testando o que funciona melhor para a gente com o passar do tempo.

Quanto ao caderno caixa de entrada, pensei em deixá-lo para anotar tudo o que vier a cabeça (tarefas, projetos) e depois passar para o toodledo (q também não conhecia e adorei), mas fiquei em dúvida se eu deveria separar o caderno por contextos ou não.

Não. Quando você ler o livro do David Allen, vai ver que ele fala sobre cada uma das etapas do método GTD. Eu pretendo fazer uma série de posts sobre todas as etapas também, muito em breve. Mas, basicamente, quando você insere informações na sua caixa de entrada, você está realizando a coleta das informações. A organização por contextos entra depois, quando você processar essas informações e organizá-las. Se você usar a caixa de entrada com contextos, pode perder o raciocínio e não processar direito.

A coisa de escrever na caixa de entrada e depois analisar, para processar e organizar, é justamente para a sua mente estar mais clara quando você for lidar com aquelas informações. Cansei de riscar informações da minha caixa de entrada porque, quando escrevi, pareciam ideias maravilhosas mas, analisando com calma algumas horas depois, vi que não eram prioridade e nem deveriam entrar nas listas de projetos.

Por isso, recomendo que a caixa de entrada seja mesmo um caderno com texto corrido, onde você vai lidando com um item por vez. O próprio David Allen recomenda que seja dessa forma também. A caixa de entrada precisa ser acessível (estar sempre com você), simples, senão você vai achar mais fácil não escrever nela que escrever e se perder em meio às informações.

Por fim, vi que no blog tem muitos textos sobre gerenciamento de projetos. Mas fiquei curiosa em saber como você registra o seus nas “folhas em branco” que carrega! É que quando pesquiso sobre o assunto só encontro referências sobre projetos como os que tínhamos que fazer na faculdade… Queria algo mais simples. Você teria alguma dica?

Não entendi exatamente a questão das folhas em branco, Tatiana. Você quer dizer os arquivos de apoio aos projetos? Se sim, eu não as carrego comigo. Tenho uma pasta em casa e outra no trabalho, que me bastam. Procuro ter o mínimo possível de papel comigo, digitalizando o restante.

Se for outra coisa e eu entendi errado, por favor, escreva nos comentários que eu edito aqui no post.

Bom, já me estendi demais, desculpe! Parabéns pelo blog! É sensacional! Tenha certeza que ele é a salvação para muitas pessoas e fonte de mudanças também! Bom, para mim foi!
Abraços!

Obrigada, Tatiana! Escreva quando quiser.

26 May 2013

Linkagem de domingo {52}

Toda semana eu separo alguns links que gostei e achei interessante de compartilhar com vocês. Os desta semana são:

Bom domingo para vocês!

25 May 2013

Pensando sobre os papéis que exercemos na vida

Nossa vida é uma só. Nós também. Isso não significa, no entanto, que a gente seja somente de um jeito, ou tenha uma única atividade. Todos somos múltiplos – trabalhamos, temos uma família, amigos, hobbies. Exercemos diversos papéis ao longo da vida, mas é importante refletir sobre os papéis que exercemos no momento. Por que isso importa? Porque só assim podemos dar atenção a todos eles. Pensar a respeito também nos ajuda a perceber onde queremos chegar e o que precisamos fazer para atingir esses objetivos.

Para exemplificar, vou entrar na minha vida pessoal e mostrar para vocês como eu faço. Atualmente, identifico na minha vida os seguintes papéis:

mãe

esposa

indivíduo

emprego

amiga

editora do blog

dona de casa

estudante

professora

escritora

palestrante

Esses são os papéis que eu exerço na minha vida hoje. É coisa para caramba! Imaginem como seria complicado me organizar se eu não tivesse consciência deles.

Eu recomendo então que você pegue seu caderninho e anote quais os papéis que você desempenha na sua vida. Não pense no passado nem no futuro que você gostaria de ter – foque no presente. Por exemplo, eu poderia ter colocado “música”, porque a minha vida inteira eu tive banda. Porém, isso, hoje, não é algo que eu esteja desempenhando, pois não é minha prioridade. Não tenho qualquer projeto de vida em andamento com relação a esse papel. Logo, eu não o incluí, apesar de ele existir. Faça o mesmo. Reflita sobre todos os projetos em andamento na sua vida e liste os papéis que você desempenha.

Essa reflexão pode ser feita constantemente – geralmente, quando você achar que está desempenhando um novo papel ou deixando um deles de lado.

Perceba como sua consciência a respeito da vida aumenta quando você lista os seus papéis. Dá para ter uma noção melhor da responsabilidade que nós temos.

Definindo prioridades

E aí a gente pode definir prioridades quando sabe quais são os papéis que exercemos. Como? Vou explicar.

Para cada papel que você desempenha, você deve escrever seus objetivos de longo prazo. E, quando digo longo prazo, quero dizer: “quando morrer, quero ficar satisfeita(o) por ter feito isso, isso e aquilo”. Longo prazo mesmo.

Eu uso o método GTD, então meus objetivos de vida estão divididos assim:

Objetivos de longo prazo - Objetivos de vida, que eu quero ficar satisfeita de ter feito quando minha vida terminar. Vão fundo no caráter, definem quem somos. Um exemplo: “Ser uma mãe sempre presente”. Esses objetivos costumam ser mais abstratos porque na verdade constituem verdadeiros lemas de vida. São o nosso ideal. Precisamos conhecê-los, senão não tem sentido pensar em objetivos de curto prazo.

Objetivos de médio prazo (3 a 5 anos) - Com certeza você tem uma ideia do que gostaria de fazer daqui a 3 ou 5 anos. Ter um filho, mudar de cidade, fazer mestrado, passar 6 meses fora do país. Você pode não ter nada definido, mas tem uma vaga ideia do que pretende.

Objetivos atuais (de hoje a 2 anos) - Projetos que estão na sua cabeça atualmente, que você pretende colocar em prática em no máximo 2 anos. Emagrecer, estudar inglês, vender a casa. Só você pode saber quais são os seus objetivos atuais.

Projetos em andamento - Ao listar os papéis que você desempenha na vida, certamente passou pela cabeça tudo o que está relacionado a eles – especialmente objetivos. Você deve ter um montão de projetos em andamento para cada papel que desempenha, senão teria listado tais papéis (lembra que eu falei lá em cima para listar somente os papéis ativos? É isso).

Tarefas cotidianas - Todo projeto tem tarefas, e são elas que você executa diariamente. O David Allen (autor do método GTD) diz que essas são as tarefas que estão no nível do chão. É onde estamos com os pés.

E como gerenciar tudo isso? Basta listar seus objetivos dentro dessas categorias. Mas não é para fazer isso aleatoriamente – você precisa começar pelo nível mais alto, os objetivos de longo prazo e, a partir dali, ir “descendo”. Quando você definir um objetivo de médio prazo, verifique se ele contribui com algum objetivo de longo prazo. Se isso não acontecer, você deve refletir sobre a situação. Ou o objetivo de médio prazo é algo que não vale a pena buscar ou está faltando algo importante nos seus objetivos de longo prazo. Essa é a forma mais interessante de definir objetivos de vida, porque tantas vezes nos perdemos em coisas que achamos que queremos, não é? Partindo dessas definições, fica muito mais fácil priorizar e dizer não, pois você terá tranquilidade para fazer isso. Você sabe que, se estiver envolvida(o) em um projeto, é porque ele tem um significado. E, que se não tem sentido para você realizar algo, você simplesmente não precisa fazer. Sem culpa.

O divertido também é perceber que, de repente, você não consegue definir um objetivo de longo prazo para um papel que você desempenhe atualmente. E aí você já sabe a resposta, né? Você deve repensar se esse papel realmente precisa continuar a ser desempenhado na sua vida. Olha só que reflexão bacana podemos fazer apenas com uma caneta e um caderno na mão. Você pode perceber, nessa reflexão, que está desperdiçando sua vida em algo que não tem sentido algum para você e que não contribui em nada com a pessoa que você gostaria de ser.

Continue definindo seus objetivos sempre com base no nível superior. Definido o objetivo de longo prazo, veja qual o objetivo de médio prazo relacionado a ele. Conhecendo esse, você pode definir um objetivo para curto prazo, para fazer de hoje a 2 anos. Não é extremamente compensador trabalhar em um projeto que está contribuindo enormemente para algo que você deseja ter daqui a 3, 5, 50 anos?

A reflexão deve continuar com os projetos em andamento e as tarefas cotidianas. A ideia é realmente questionar a importância de todas elas. Mas não se engane: infelizmente, precisamos executar muitas tarefas que podem parecer inúteis e que sejam enfadonhas. Não é para parar de fazê-las, pois muitas representam obrigações. Mas pensar sobre cada uma delas é fundamental, pois podemos verificar se estamos investindo o nosso tempo no que é importante, urgente ou circunstancial somente. E ter esse controle do nosso tempo é o que nos dá a sensação de dever cumprido, pois podemos fazer ajustes aqui e ali. É muito comum perceber que passamos os dias deixando o que é importante de lado. Reconhecer que isso acontece e identificar o que está fazendo é o primeiro passo para mudar esse cenário.

Sobre a rigidez

Muitas pessoas não gostam de definir objetivos porque acreditam que isso torne suas vidas rígidas. O que eu digo a essas pessoas é o seguinte: os objetivos não estão escritos em pedra. A vida vai acontecendo, nós mudamos e muitas circunstâncias podem nos levar a outros caminhos. Então, basta reformular novamente todos os seus objetivos. Isso acontece, é normal. Mas eu considero de extrema importância pensarmos nessas definições justamente para não perder tempo e focar no que for de nossa essência.

Eu mesma pensava dessa forma, até perceber que, em vários anos, os objetivos de longo prazo pouco se alteravam. Acho que isso acontece porque vamos amadurecendo e sabendo bem o que queremos e o que não queremos. Os objetivos de longo prazo são o “o que”, enquanto todos os outros são somente formas e caminhos que nos levam até lá. Como isso será feito, obviamente que mudará ao longo dos anos. E essa é a coisa mais legal da vida, na minha opinião. Já pensou se tivéssemos tudo definido e programado? Qual seria a graça?

Eu acredito que toda pessoa tenha vindo ao mundo para cumprir uma missão pessoal, seja qual for, da magnitude que for. Descobrir essa missão é o que nos torna humanos – é o que dá sentido para a nossa vida, essa eterna busca. Isso está longe da rigidez. Tem a ver com saber que a vida é uma só e que existe um mar de possibilidades, mas que apenas parte delas está ao nosso alcance ou seja de nosso desejo. Além de tudo isso, existem os papéis que desempenhamos, as nossas responsabilidades. Tem que ser muito malabarista para dar conta de tudo, então eu acho sim que pensar sobre nossos papéis, objetivos e projetos seja sempre um processo muito válido e de cuidado com o tempo que temos.

Espero que este post possa te ajudar a fazer isso também. <3

"São as nossas escolhas que mostram quem nós realmente somos, mais do que nossas habilidades." - J. K. Rowling

“São as nossas escolhas que mostram quem nós realmente somos, mais do que nossas habilidades.” – J. K. Rowling

 

24 May 2013

Social Media SP em Ribeirão Preto: é amanhã!

240513-smsp

Amanhã, sábado (25/05), estarei em Ribeirão Preto para a primeira edição de 2013 do Social Media SP, um evento incrível que roda o estado inteiro com palestras e bate-papos sobre mídias sociais, marketing digital e blogs. Nesta edição, vou falar sobre blogs profissionais e haverá também o 4º Encontro de Blogueiras e Twitteiras logo na sequência. Vale muito a pena ir!

O evento é gratuito. Mais informações aqui.

Adoraria ver os leitores do blog que moram em Ribeirão! Se for o seu caso e você puder, dê uma passadinha para eu te conhecer!

Se você morar em outra cidade do estado de São Paulo, é bem provável que a gente passe por aí ainda este ano. Toda vez que acontecer, vou postar aqui no blog para avisar. Se quiser se antecipar, basta acompanhar o site do evento, que é sempre atualizado sobre as próximas edições.

Te vejo lá!

23 May 2013

Mudanças no menu semanal: outono

Imagem: http://www.boligliv.dk

Imagem: http://www.boligliv.dk

Eu gosto de variar o menu semanal com o passar das estações, pois isso me ajuda a ter novas ideias para a comida trivial do dia a dia. Agora que estamos no outono, preciso ter um cuidado tremendo para não comer coisas muito engordativas, porque com o frio temos a tendência de comer apenas comidas confortáveis, que geralmente são quentinhas e mais calóricas. Por esse motivo, resolvi fazer um post sobre a influência do outono no menu semanal em casa.

Café-da-manhã

Chá quentinho, meio mamão e uma fatia de pão integral no forno com requeijão, blanquet de peru e algum queijo. Eu dobro a fatia no meio para ter a sensação de comer um sanduichinho. Quando não vou à academia, faço uma vitamina de frutas com leite desnatado e ração humana (um mix de cereais). Escolho alguma fruta mais calórica, como banana ou abacate.

Meu marido gosta do tradicional café com leite e pão com manteiga. Nosso filho toma leite quentinho, come uma fruta e duas bisnaguinhas com requeijão e algum frio (blanquet de peru, presunto ou queijo).

Lanches ao longo do dia

Para o trabalho, costumo trazer frutas frescas (pêra, maçã ou banana) ou secas e sementes (damasco, uvas, nozes, castanhas). Eu estava trazendo polenguinhos também, mas como estou restringindo um pouco mais a minha dieta, deixei de trazer.

Também costumo beber bastante chá ao longo do dia. no meu trabalho, há uma máquina que faz café, chocolate quente etc e, dentre as opções, há “água quente”, que é somente para quem quiser tomar chá. Já trabalhei em outros lugares que não tinham essa opção e eu costumava levar uma garrafa térmica com água quente de casa. Acho que compensa.

Uma coisa que eu ADORO comer no frio são as geléias de frutas. Como estou fazendo dieta, quase não como, mas meu filho adora! Então, em casa, sempre temos um potinho para ele. Meu jeito preferido de comer geléia é assar cupcakes e usar geléia como recheio. Gosto de vários sabores, mas prefiro as de frutas vermelhas.

No frio também é uma delícia fazer geléias. É super fácil de fazer, além de deixar a casa com um aroma delicioso! Veja aqui como fazer geléia caseira.

Almoço/jantar

Geralmente, o que fazemos para o jantar em um dia acaba virando o almoço do dia seguinte. O que acontece é que, no frio, nós estamos jantando sopas e é bem complicado trazer para o trabalho. O que eu tenho feito, então, é trazer algum filé de frango grelhado com legumes, com uma fatia de mussarela em cima que, quando esquento no microondas fica gostoso e é o suficiente.

De noite, em casa, tomamos sopa. Ou então eu repito o que almocei. Meu marido e meu filho adoram sopa e, quando não é essa opção, eles acabam comendo qualquer outra comida quentinha, como macarrão e arroz com feijão. Gostamos muito de preparar assados também, de forma geral.

Alimentos da estação

A melhor coisa de comprar os alimentos da estação é que eles são mais baratos e possuem qualidade melhor, além de darem uma carinha da estação ao nossa prato. Gosto muito de saber quais são os alimentos que estão na época para procurar receitinhas e incorporar ao menu semanal.

Os alimentos típicos do outono no Brasil são:

  • tangerina
  • maçã
  • abóbora
  • batata-doce
  • pinhão
  • abobrinha
  • berinjela
  • maracujá
  • abacate
  • caqui
  • goiaba
  • figo
  • uva
  • carambola
  • manga
  • chuchu
  • quiabo
  • couve manteiga
  • pimentão verde
  • cebolinha
  • acelga

E como preparar o menu semanal?

As frutas podem entrar no café-da-manhã e nos lanches. Você também pode fazer geléias caseiras, tortas e outros doces.

Existem diversas receitas para fazer com os alimentos do outono, especialmente a abóbora, o chuchu, a couve. Veja aqui algumas receitas de sopas que utilizam esses alimentos.

Para planejar o menu semanal, procure receitas com tais alimentos e incorpore-as ao seu menu tradicional. Procure preparar refeições quentes, que aquecem à noite.

Uma sugestão de menu seria:

Café-da-manhã

Lanche da manhã

  • Um pedaço de queijo
  • Castanhas

Almoço

Lanche da tarde

  • Tangerina
  • Um pedaço do bolo da manhã

Jantar

Ceia

  • Maçã

E você, tem dado ao seu menu semanal uma carinha de outono também? Você costuma aproveitar os alimentos da estação?