ou

Estevão é um homem que trabalha muito e nunca tem tempo. Na véspera de Natal, ele estava aproveitando que todos estavam de folga para zerar sua caixa de entrada de e-mails. Ele ama o seu trabalho. É casado, tem quatro filhos. Mas nunca tem muito tempo para eles. “Um dia vou ter mais tempo – preciso me dedicar agora”, ele sempre dizia. Estavam todos conformados com aquele estilo de vida dedicado.

No ano passado, Estevão perdeu seu sócio, Marcos, que teve um infarto e morreu. Naquele dia, Estevão sonhou com seu ex-sócio e amigo. Ele disse que não estava conseguindo descansar nem depois de morto, mas que Estevão ainda tinha chance de fazer diferente, e que três espíritos o visitariam naquele sonho.

O primeiro espírito chega, pegando Estevão de surpresa. Ele tem uma luz forte emanando do seu corpo e representa os anos anteriores de sua vida. Mostra como ele brincava sentado no chão da sala de casa, com seus carrinhos, ou correndo atrás do cachorro, dando risada. Seus pais estavam ao redor, prestando atenção em suas proezas. Quanto tempo livre!, ele pensa. Perturbado por essa visão, coloca um saco de papel na cabeça do espírito para tampar sua luz e pede que ele vá embora.

O segundo espírito chega risonho e com uma tocha na mão. Ele mostra para Estevão que seu funcionário, o sr. Carlos, que faz a limpeza da companhia e ganha 10 vezes menos que Estevão, está comemorando o Natal com a sua família. É uma ceia simples, porém muito feliz, e estão todos juntos. A tocha na mão do espírito tem a utilidade de dar um sabor especial à ceia daqueles que fossem “contemplados” com a sua luz. Depois disso, vai embora.

O terceiro espírito veste um manto negro e chega sem falar nada. Em sua mão, está um relógio. Sem dizer uma única palavra, o espírito mostra para Estevão um futuro solitário, sem família e amigos. Estão todos se divertindo em outro lugar. Aprenderam a ser felizes sem ele, com o passar dos anos.

Após a visita do terceiro espírito, Estevão acorda chocado, ainda encostado na cadeira do seu home-office, onde adormeceu enquanto organizava seus e-mails. Desde o momento que pegou no sono, mesmo sendo véspera de Natal, notou que havia mais 4 e-mails novos. Sem querer saber do que se tratavam, fechou a tela do notebook e foi para a sala encontrar sua família.

Sua esposa se mostrou surpresa, pois achou que ele não gostaria de sair e comemorar com eles. Os filhos fizeram piadinhas sobre “o notebook do papai ter ficado sem bateria”.

Estevão sentou-se no sofá e, com os olhos marejados, disse que não perderia mais nenhum momento da vida da família em que tivesse a oportunidade de realmente estar presente. Os filhos nunca o viram falar desse jeito. Sua esposa colocou a mão em seu ombro e apertou, em um gesto encorajador.

Estevão poderia ser qualquer um de nós. Poderia ser a mãe. Poderia ser o filho.

Ele poderia tranquilamente trocar o seu notebook por um celular.

Estevão não precisa passar o Natal respondendo e-mails, porque ele já faz isso todos os dias, quando usa o celular enquanto está na mesa almoçando com a sua esposa ou respondendo o What’s App enquanto assiste um filme com os seus filhos.

Ele também não precisa ter esse sonho para perceber determinadas coisas um tanto quanto óbvias.

Nem você.

celular-loucura

Este post foi baseado no famoso conto A Christmas Carol, de Charles Dickens.

Thais Godinho
24/01/2016
Veja mais sobre:
6
Perguntas e respostas sobre a rotina de lavanderia
Morando sozinha
10 comidinhas de festa junina para fazer no dia a dia

A linkagem de domingo é uma coletânea de posts que eu li e gostei durante a semana anterior. Os assuntos não necessariamente têm a ver com organização, mas definitivamente sempre são relacionados ao blog. Os deste domingo são os seguintes:

Muitos links bons esta semana!

Bom domingo para vocês!

Thais Godinho
24/01/2016
Veja mais sobre:
5
Como tirar passaporte
Dormir com o filhote no inverno: estraga a rotina? Como fazer
Dicas para mudanças – parte 2

“Eu não tenho tempo para organizar meu tempo!”

Essa é a desculpa mais comum das pessoas desorganizadas. Você é uma delas? Continue lendo!

Antes de querer organizar sua vida, você precisa se livrar de tudo o que não presta mais! Veja que será um processo difícil, mas você deve ser persistente, porque vale a pena! Não dá para organizar tralha. Isso vale não só para os objetos que você tem em sua casa e no escritório, mas para relacionamentos, projetos e outras atividades. Vamos começar com a tralha física e material porque, pela minha experiência ao longo dos anos, venho observando que, quando as pessoas abrem espaço em suas casas, automaticamente transferem esse comportamento para outros aspectos da vida também, naturalmente.

Livrar-se da tralha leva tempo, mas você não deve desistir se quiser ter uma vida melhor e mais prática. Leia as dicas abaixo para ter uma idéia de como fazer isso.

Algumas dicas gerais para se livrar da tralha

Se você tem 2 objetos absolutamente iguais, verifique se realmente precisa de dois ou mais. Algumas pessoas têm a mania de “reservar” objetos, caso um deles quebre, por exemplo. Depende da necessidade. Obviamente, você precisa ter lâmpadas reservas em sua casa. Mas será que realmente precisa de 2 cortadores de unha, por exemplo? Sempre que verificar essa duplicidade (ou multiplicidade!) de objetos, pergunte-se qual a necessidade. Se você tem itens duplicados porque viaja muito, por exemplo, guarde os objetos dentro da mala, por exemplo. Não deixe ali, atrapalhando a sua rotina.

Quando esvaziar uma caixa, gaveta, sua mesa de trabalho, a geladeira etc, guarde somente o que você utiliza ou é realmente útil. O que não pertence àquele lugar não deve voltar jamais. Você tem 3 alternativas para o(s) objeto(s) em questão: doar, jogar fora ou guardar no lugar certo. Sempre que quiser guardar algo e não encontrar um lugar, não pense que a solução imediata é comprar mais caixas e estantes. Antes disso, avalie se o que você já tem guardado vale mais que aquele item em suas mãos. Na maioria dos casos, o lugar já existe na sua casa, mas está sendo ocupado por algo menos importante que aí sim você pode se desfazer.

Você tem certeza de que precisa guardar todos os seus trabalhos e cadernos do tempo da escola? Se você fez desenhos lindos, talvez valha mais a pena tirar fotos e jogar o original fora. Afinal, sinceramente: para que você precisa daquilo ocupando espaço? Se guardar seus cadernos for algo realmente importante para você, considere a idéia de ficar somente com um. Recicle o resto. Hoje em dia, com ferramentas como o Evernote, você pode digitalizar tudo, guardar a lembrança de forma segura na nuvem e liberar espaço em casa. Mantenha em formato impresso (ou papel) somente aquilo que não tem jeito mesmo, como contas, documentos assinados e outros.

Com toda a certeza você se deparará com objetos que não usa e não vê qualquer utilidade, mas por algum motivo você não quer se desfazer. A solução é simples: guarde todos esses objetos em uma caixa. Quando ela estiver cheia, feche-a e coloque uma etiqueta com a data. Guarde-a em um lugar que não te atrapalhe. Se durante o período de 1 ano você não precisar de nada que está dentro dela, jogue a caixa inteira fora, sem abrir, ou doe para caridade (caso valha a pena).

Toda vez que comprar alguma coisa, livre-se de algo semelhante. Por exemplo: comprou uma calça jeans? Doe uma que não usa mais. Esse procedimento evitará o acúmulo de coisas inúteis em sua casa. Claro que não é uma regra cravada em pedra, mas pode servir como referência na maioria dos casos, especialmente para roupas e acessórios, se você tiver a tendência a comprar demais.

Thais Godinho
23/01/2016
Veja mais sobre:
Destralhar
24
Menu semanal para 25 a 31 de agosto
Como organizar: Rotina de atividade física
3 práticas de organização que eu gostaria de ter aprendido 10 anos atrás