ou

Mais de uma leitora me pediu para falar se eu continuo fazendo armário-cápsula, então eu pensei que talvez fosse uma oportunidade legal de retomar o assunto aqui no blog.

Não sabe o que é armário-cápsula? Clique aqui para ler.

A experiência do armário-cápsula foi muito importante para desencadear novamente em mim a consciência de prestar mais atenção às peças de roupas que eu estava adquirindo e usando.

Vale lembrar que o armário-cápsula não se trata de ter poucas peças, mas de ter peças em número suficiente, coordenáveis entre si. Você pode ter poucas peças que não têm nada a ver uma com a outra, e isso não se trata de um armário-cápsula.

Imagem: Un-Fancy.com

Imagem: Un-Fancy.com

Quando eu fiz a análise de cores no ano passado, com a Ana, eu deixei o meu armário-cápsula de lado. Porém, quando eu trouxe as minhas roupas que estavam guardadas de volta, eu senti uma dificuldade imensa em lidar com todas elas. Eram muitas. Então eu meio que montei um armário-cápsula com as peças que tinham as cores da minha cartela de cores e eram adequadas ao clima na época. De certa forma, eram um armário-cápsula, mas sem as supostas regras que a moça do blog acima (Un-Fancy.com) havia criado. E eu me senti super ok com isso.

Depois, com a chegada do verão, foi a mesma coisa. Adquiri poucas peças, usei as que já tinha, e guardei as peças de inverno em uma mala grande de viagem em um local de difícil acesso em casa. Isso faz com que meu guarda-roupa fique apenas com as poucas peças que eu realmente possa usar no meu dia a dia. Estou fazendo assim até hoje.

200815-armario03

Essa reavaliação tem sido feita constantemente. A última foi um pouco depois da chegada do outono.

Então, respondendo a pergunta: Você continua usando o armário-cápsula? Sim, mas sem seguir as regras da criadora do conceito. Sem tirar fotos, sem me preocupar em esperar a próxima estação para comprar alguma peça. Tenho comprado muito menos porque adquiri essa consciência já no exercício do primeiro armário-cápsula, que foi radical – e acho que é a isso que ele serve.

Tenho buscado aproveitar mais as roupas que eu tenho, mesmo não sendo das cores ideais da minha cartela. Comprei roupas usadas, olho o material e a composição das peças antes de comprar, não saio gastando com o que não preciso. Tem sido muito bom e quase não tenho comprado nada.

Ana, eu e nossas leitoras em um dos nossos workshops

Ana, eu e nossas leitoras em um dos nossos workshops

O que me ajuda a entender se meu guarda-roupa tem uma proporção legal é usar a regra da Ana de 5 peças de cima para cada 1 de baixo. Nossa, isso me ajuda muito! Também procuro diminuir o número de peças parecidas ou repetidas (para que duas calças jeans? ou dois sapatos marrons?). Não que seja regra, mas sempre avalio a necessidade.

Percebi que todo esse exercício também me deixou muito mais crítica e criteriosa para fazer compras. Mal tenho vontade de comprar coisas, porque acho que nada vale o dinheiro que custa. Às vezes até preciso comprar algo, mas não consigo, porque não encontro nada que eu considere aceitável por um preço justo. Não acho que isso seja um defeito, mas certamente é um problema, porque não tenho tempo para ir para lá e para cá procurando opções. Compras online ajudariam nessas horas se eu tivesse segurança na modelagem das peças.

Enfim, vivendo e aprendendo! O armário-cápsula certamente foi e tem sido uma experiência válida que eu recomendo que seja feita pelo menos uma vez na vida de uma pessoa, para que ela sinta como pode otimizar o uso de poucas peças juntas, o que precisa ter em seu acervo, a importância do caimento, dos bons materiais e muito mais. Só quando a gente manuseia bastante as mesmas peças é que a gente percebe.

Thais Godinho
16/05/2016
Veja mais sobre:
15
Nossa rotina de limpeza e arrumação doméstica
Andamento da mudança em 2016
Como nós fizemos uma mudança de cidade sem carro

Algumas vezes, eu gosto de reunir alguns posts, vídeos e notícias que li ao longo da semana e que achei que seria legal compartilhar com vocês.

Uma boa semana a todos nós.

banner-menusemanalCurso online: Organize seu menu semanal

Thais Godinho
15/05/2016
Veja mais sobre:
11
Linkagem de domingo {17}
Linkagem de domingo {40}
Linkagem de domingo

Ah, a impermanência! Como é difícil lidar com o fato de que nada é mais constante do que a mudança. Eu sou uma pessoa extremamente acostumada com as mudanças e muito desapegada de determinadas coisas, especialmente o layout do blog, e não tenho medo de mudar. O que eu gostaria de dizer para vocês é que se trata de um layout temporário, porém necessário. Vou tentar explicar sem tornar este texto enfadonho o que aconteceu.

No ano passado, fiz um investimento financeiro considerável para mudar o layout do blog com um profissional, investindo em design e programação, meses de trabalho, e o resultado final, depois de alguns meses no ar, não agradou nem aos leitores nem a mim. Acontece. Porém, eu não teria como fazer toda uma reestruturação naquele momento novamente, então eu coloquei um layout novo mais simples, que nos atendesse nesse meio tempo.

Eu até gostava dele, mas todos os dias eu recebia cerca de 10, 12 e-mails de leitores reportando erros de design, de incompatibilidade em diferentes navegadores etc. Ele não funcionava bem em dispositivos móveis e o sistema de busca estava desastroso. Eu considero esses dois aspectos fundamentais no blog, pois estamos falando da maioria da audiência (que acessa via tablet e celular) e de conteúdo produzido há quase dez anos para ser acessado via mecanismo de busca. Logo, ambos precisam funcionar bem.

Aliem a essas duas motivações o fato de que o blog é, além de ser meu blog pessoal, um portal de conteúdo, com editorias de organização. Ele não se trata mais de apenas um blog. Estamos falando de uma revista virtual, com calendário editorial planejado até seis meses adiante, pautas programadas com meses de antecedência, empresa aberta, reuniões comerciais, cursos, contas a pagar, pesquisa, estudos, embasamento, muuuuita produção para escrever o que vocês lêem aqui. Apesar de os textos terem sempre o meu toque pessoal, convenhamos: o Vida Organizada, desde que nasceu, sempre foi voltado a um assunto bem específico, que é a organização pessoal. E ele foi crescendo e amadurecendo junto comigo. É natural que sua estrutura mude para abrigar essas mudanças.

Se tem uma coisa que eu sinto falta nesse layout atual, é o formato corrido de posts na página inicial, que prefiro – justamente porque também gosto mais da carinha de blog mesmo. E isso é uma das coisas que quero retomar quando fizer uma nova reformulação mais estruturada do layout daqui a alguns meses. Peço paciência, compreensão e, acima de tudo, compaixão a todos vocês. Querendo ou não, apesar de ter algumas pessoas que trabalham comigo em áreas diferentes, no blog mesmo sou apenas eu que cuido de tudo por enquanto, e não é simples. Toda e qualquer mudança demanda planejamento e esforço enormes da minha parte, e frequentemente abro mão de atividades com a minha família ou que me remunerariam para poder cuidar de detalhes na programação, no layout ou editando textos antigos para que vocês possam sempre acessar um conteúdo de boa qualidade. Eu digo isso porque coloquei esse layout no ar hoje, mal iniciei os ajustes, e já recebi três e-mails “lamentando” a mudança. Esse tipo de cobrança é bastante cansativo. Gostaria que vocês tentassem entender a motivação antes de dizerem coisas assim.

Por fim, o layout é temporário, mas as motivações foram reais. Em alguns meses, será feita uma nova reestruturação, sempre buscando melhorias, e sempre levando em conta o feedback de vocês – mas lembrando também que é impossível agradar todo mundo. Recebo muitas opiniões contraditórias, então, enquanto uns gostam de azul, outros gostam de vermelho, e por aí vai. Tudo o que eu faço aqui é feito com base em pesquisas, estudo de cores, de design, de mercado, e tem seus motivos. Nem sempre dá certo, e estou sempre aberta a ouvir e fazer mudanças, como aconteceu no ano passado, mas reestruturações levam tempo, e é importante termos paciência durante esse processo.

Captura de tela 2016-05-14 19.44.36

Nesse novo layout, vocês devem ter percebido que temos apenas um menu de navegação, lá em cima, que fica fixo em todas as páginas. Você pode encontrar a seção Comece a se organizar, que é a categoria com posts de introdução, para quem está começando. Nela, costumo concentrar todos os posts que podem ser lidos sem ordem certa e que podem ajudar você a se organizar começando a qualquer momento. Na sequência, temos as editorias do Vida Organizada – e você pode perceber que cada editoria tem uma cor diferente. <3 Isso, com o tempo, pode ajudar a identificar mais rapidamente qual o assunto de cada post.

No menu você também encontra links para os livros, os cursos, contato, sobre o blog, a página para cadastrar seu e-mail (e receber as atualizações) e, no botão “+”, categorias como “Diário da Thais” e outras.

Abaixo do menu você encontrará uma barra cinza com posts aleatórios que se alternarão à medida que você navegar pelo blog. A ideia é que você possa conhecer os mais de três mil posts já publicados com dicas para se organizar sem ter que ficar procurando algo específico.

A barra lateral se alterna de acordo com o conteúdo que você está acessando. Isso ainda está sendo configurado, assim como muitos detalhes desta versão do layout, como cores, fontes e elementos diversos, então mais uma vez peço paciência para que eu possa ir organizando aos pouquinhos.

Achei importante fazer este post explicando porque o layout mudou, quais foram as motivações e como se encontrar. Espero que tenham gostado do resultado por enquanto e que o blog seja útil para vocês.

Thais Godinho
14/05/2016
Veja mais sobre:
47
Vida Organizada na rádio CBN
Vida Organizada no Mamatraca
Falta uma semana: Lançamento do livro Casa Organizada em São Paulo