30 Dec 2014

Habits, a nova ferramenta do Toodledo

E quando você pensa que mais nada virá de algo que já é muito bom, o Toodledo (ferramenta que utilizo para gerenciar meus projetos no GTD – junto com o Evernote – veja aqui) lança um recurso novo chamado Habits (“hábitos”, em português), que serve justamente para controlarmos a implantação de hábitos na nossa vida. Achei engraçado porque vinha pensando nisso mesmo ultimamente. Tinha até criado uma tag no Evernote chamada “Hábitos que quero reforçar” para fazer esse acompanhamento, mas tudo era bem informal. Com essa ferramenta nova do Toodledo, a brincadeira fica mais interessante! Veja como funciona:

habits-toodledo

Garanta que você já tenha uma conta no Toodledo. Então, acesse a página habits.toodledo.com. Nesta página, você conseguirá gerenciar todos os seus hábitos.

Você pode escolher três maneiras diferentes para criar seus hábitos:

  1. Checkbox - Para hábitos que você quer acompanhar e ir “ticando” cada vez que executa algo relacionado. Talvez você tenha como hábito fazer uma atividade física, comer de três em três horas ou meditar todas as manhãs. Quando você criar um hábito desse tipo, ele terá uma “corrente” que não pode ser quebrada (é um recurso visual). O Toodledo também oferecerá um gráfico e um calendário que exibirão seu progresso à medida que você for executando algo relacionado àquele hábito.
  2. Number - Trata-se de um hábito que esteja relacionado a números, como por exemplo: registrar seu emagrecimento, a quantidade de horas trabalhadas diariamente, o número de horas que você dormiu, a quantidade de e-mails na sua caixa de entrada. Da mesma maneira que nos hábitos Checkbox, o Toodledo também apresenta um gráfico para cada um destes hábitos.
  3. Rating - Neste tipo, você pode inserir notas de 1 a 5 para determinados assuntos, como por exemplo: o quão feliz você terminou aquele dia, seu nível de estresse, de produtividade etc. E a ideia também é apresentar um gráfico que te mostre como você está indo ao longo do tempo.

Depois de inserir um hábito, você pode clicar nele na barra lateral esquerda e manusear de acordo com o que você for executando. Eu criei um hábito para meditar, por exemplo. Então eu entro nesse hábito hoje e clico na caixinha que fica acima do dia em questão, “ticando” o hábito. Isso ficará registrado na ferramenta e o gráfico abaixo será atualizado. Tem que ir controlando à medida que for fazendo.

habits-comofunciona

Ainda há vários testes para fazer, mas por enquanto achei bem legal! Era um recurso que eu sentia falta. Dá para usar para rotinas domésticas, por exemplo (farei mais testes nesse sentido).

Eu comecei a testar ontem mesmo e já inseri alguns hábitos. A ferramenta está disponível na versão web, para tablet e no navegador do celular. Para Android, deverá sair em breve, assim como para o aplicativo em iOS.

Mais alguém já testou? O que achou? Eu acho que será incrível quando pudermos linkar hábitos a projetos também, assim como podemos fazer com os objetivos (Goals).

28 Dec 2014

Desafios de organização 2015 – Prepare-se!

Desde que eu comecei a escrever no blog, sempre tive vontade de criar um desafio envolvendo organização. O começo de um ano novo é uma excelente oportunidade para começar!

Os desafios

Em 2015, serão 12 desafios (um por mês) de organização. Acontecerão da seguinte forma: postarei aqui no blog, todo início de mês, sobre o desafio atual. Escolherei um cômodo ou cantinho da casa para ser organizado e darei dicas ao longo das semanas para que todos consigam organizar. Cada desafio terá uma sequência de posts feitos por mim aqui no blog para ajudar os leitores:

  • Explicação do desafio e revelação do ambiente que deverá ser organizado
  • Planos para a minha organização – o que eu vou fazer aqui em casa (sim! também vou participar)
  • Inspirações para a sua organização
  • Algum projeto DIY (faça você mesma/o)
  • Posts de status, mostrando como estão as coisas por aqui
  • Post com dica de organização relacionada ao desafio
  • Resultado final

Cada desafio terá duração de um mês e, ao final do período, vou mostrar aqui no blog as fotos enviadas pelos leitores. Quem for blogueiro pode postar em seu próprio blog! Vou falar mais sobre o passo a passo abaixo! E então, no final do mês, farei um post especial mostrando como eu apliquei o desafio aqui em casa e mostrando as fotos dos leitores e links dos blogueiros.

O objetivo dos desafios é incentivar os leitores a organizarem suas casas com a orientação de uma organizadora profissional. Vamos fazer um cômodo ou lugar específico por mês para dar tempo de fazer, sem pressa, pois sabemos como o dia a dia deixa a gente sem muito tempo para investir nessas atividades.

Todos os desafios terão a ver com a linha editorial do blog para 2015 e o tema do mês (saiba mais).

Regras

Para participar dos desafios, siga os passos abaixo:

Para leitores

  1. Inscreva-se no grupo Vida Organizada – Leitor no Facebook (obrigatório)
  2. Poste a foto do ambiente “Antes” no grupo, pedindo dicas (opcional)
  3. Pode postar fotos do ambiente ao longo do processo (opcional)
  4. Poste a foto do ambiente depois de organizado até no máximo o dia 25 de cada mês (obrigatório)

Para blogueiros

  1. Escreva um post explicando sobre o desafio de organização para os seus leitores com a foto do ambiente “Antes” (obrigatório)
  2. Pode escrever um ou mais posts nas semanas intermediárias documentando o seu progresso no desafio (opcional)
  3. Escreva um post sobre o desafio de organização com a foto do ambiente “Depois” (obrigatório)
  4. Insira o link dos seus posts de “Antes” e “Depois” nos comentários do post do desafio até no máximo o dia 25 de cada mês (obrigatório)

Por favor, é muito importante que vocês postem suas fotos no grupo ou os links nos comentários para que eu saiba quem está participando e possa divulgar os resultados de vocês no final do mês, em um post especial aqui no blog!

Vamos nos organizar? Quem pretende participar?

26 Dec 2014

Planos para o blog em 2015

Gostaria de compartilhar com vocês todos os planos que eu tenho para o blog em 2015! Não são poucos. <3

Linha editorial

Por volta de setembro, eu começo a pensar na linha editorial do blog para o ano seguinte. Nos últimos três anos, eu venho trabalhando com temas específicos, que norteiam os posts ao longo de cada mês. Em 2014, eu quis deixar a linha editorial mais “livre” e espontânea, e não gostei muito do resultado. Eu gosto de ter as coisas bem amarradas e definir uma linha editorial, depois os calendários e os posts relacionados, me deixa mais tranquila e com as ideias organizadas. Portanto, voltarei a fazer isso em 2015.

A linha editorial do blog no ano que vem terá como foco os VERBOS DA ORGANIZAÇÃO e cada mês terá um verbo a ser trabalhado em todo o conteúdo editorial (posts, vídeos, podcasts e até os workshops). Conheça os temas:

vo-jan-2015

Vamos falar muito sobre como simplificar o nosso dia a dia, nossas rotinas, nossas atividades e questionar bastante a glorificação do “não tenho tempo”.

vo-fev-2015

No mês de volta ás aulas, vamos falar sobre aprendizados. Não só os formais, que temos na escola, faculdade, cursinho, pós-graduação, cursos diversos, mas no dia a dia. Como melhorar o aprendizado de tudo o quer precisamos absorver e entender?

vo-mar-2015

Ao mesmo tempo que a tecnologia nos ajuda a manter certas conexões que antes estavam quase perdidas (parentes distantes e colegas de escola no Facebook, por exemplo), no dia a dia podemos ficar mexendo no celular enquanto a pessoa ao nosso lado está… mexendo no celular também! É importante falarmos sobre conexões porque não dá para ser organizado e definir prioridades sem levar em conta nossos relacionamentos.

vo-abr-2015

Como melhorar o foco nas diversas atividades que precisamos executar no dia a dia? Como aproveitar boas ideias, criar, escrever, entregar trabalhos importantes no prazo? Falar sobre foco é fundamental. Quando trabalhamos focados, chegamos lá mais rápido.

vo-mai-2015

Nada como dar um respiro depois de alguns meses do ano! Com a chegada do friozinho (em alguns lugares!), vale a pena começar a priorizar o descanso e o bem-estar. Como descansar mais no dia a dia? Dormir bem, ter momentos de lazer e curtir a vida? Vamos falar sobre isso!

vo-jun-2015

Junho, além do mês da chegada do inverno, também é o mês dos namorados. Que tal termos como tema amar mais nesse mês? Tudo o que envolve amor, paixão, relacionamentos, sonhos, vivacidade será abordado aqui.

vo-jul-2015

No inverno, é natural ficarmos mais introspectivos. Que tal aproveitar esse momento para olhar para dentro e avaliar valores, hábitos e pensamentos que podem estar nos levando a tomar atitudes que não queríamos? E como promover essas mudanças?

vo-ago-2015

Já falamos sobre conexões, mas e a necessidade de a gente se desconectar só um pouquinho para conseguir focar em outras coisas importantes? Ficamos tanto tempo usando celular, checando e-mails e atualizando nosso status nas redes sociais, que alguns livros ficam largados na estante, o parque nunca mais recebeu sua visita e sua caixinha de chá continua cheia. Vamos desconectar?

vo-set-2015

Priorizar é a palavra que buscamos quando pensamos em organização! Vamos ter um mês inteirinho dedicado a esse tema tão importante, que é aprender a definir prioridades no dia a dia. Vou ou não naquela reunião? Aceito ou não aquela proposta de emprego? Faço ou não aquele curso? Só teremos essas respostas se nossas prioridades estiverem bem definidas.

vo-out-2015

Neste mês das crianças, exerça sua criatividade! Sua mente está livre para criar no seu trabalho, em casa, na vida? Como será que a gente consegue resgatar esse estado mental livre e trazer a inspiração para o dia a dia?

vo-nov-2015

No Budismo, acredita-se que todos os problemas vêm da mente. Uma das delusões causadas por ela é justamente o fato de termos atitudes egoístas, que prejudicam os outros. Portanto, o que podemos fazer hoje para ajudar outra pessoa? Que tal resgatarmos a mente de compaixão e o sentimento de servir ao próximo?

vo-dez-2015

Vamos celebrar nossas conquistas em dezembro e nos preparar para um ano novinho em folha que estará chegando! Vamos tornar nosso 2015 tão significativo a ponto de não chegarmos em dezembro novamente e dizer que “passou rápido”.

GTD

Agora sou Gerente de Produto GTD na Call Daniel e estou envolvida até a cabeça (como se antes não estivesse!) na melhor metodologia de produtividade do mundo. Uso o GTD há mais de oito anos e praticamente tudo o que falo reflete ensinamentos da metodologia. Em janeiro, vou para Amsterdam participar do curso GTD Fundamentals e é provável que eu conheça pessoalmente o próprio David Allen! Estou tão feliz que sequer consigo pensar muito a respeito, porque ainda não caiu a ficha direito!

No blog, é natural que eu fale bastante sobre o GTD, mas venho pensando em maneiras de fazer isso de uma forma mais estruturada. Novidades virão em 2015!

Desafios

A partir de janeiro, o checklist do mês virá com um desafio novo de organização. Trata-se da definição de um cantinho da casa para organizar para fazermos juntos – ao longo do mês, postarei meus avanços e dicas para organizar o lugar em questão. No final do mês, postarei o meu resultado e o dos leitores que participarem. Quem for blogueiro, pode postar em seu próprio blog. Sempre quis fazer algo assim e acredito que será muito divertido! Preparem-se!

Workshops

Para ter um contato mais de perto com os leitores, estou organizando workshops temáticos ao longo do ano de 2015 (pelo menos um por mês) para falarmos de perto sobre organização, trocarmos ideias e aprender muito! Você pode conferir a programação dos workshops aqui. Todos lá já estão com as inscrições abertas!

São muitos projetos que espero conseguir colocar em prática e consolidar nesse novo ano que chega, então conto com a ajuda de vocês. :)

Obrigada por tudo, pessoal!

26 Dec 2014

Top 5 erros de quem começa a se organizar

Tomar a atitude de começar a se organizar é muito legal. Parabéns pela iniciativa! Certamente você terá uma série de benefícios só pelo fato de começar a se organizar um pouquinho. Porém, por experiência própria, pode ser que você caia em algumas situações que são comuns para quem começa a se organizar. Para te ajudar, fiz uma listinha falando sobre elas, com dicas para facilitar o processo:

1. Fazer uma maratona de organização

“Uhu, se organizar é muito legal! Quero organizar minha casa inteira!” Sua casa não ficou desorganizada da noite para o dia e não ficará organizada do dia para a noite. Tenha calma! Faça tudo aos poucos para não ter uma espécie de burn-out e jogar tudo para os ares. Não adianta tirar todas as roupas de dentro do guarda-roupa, todas as panelas do armário e os sofás do lugar. Muitas pessoas que começam a se organizar se empolgam e querem fazer tudo de uma vez. O resultado é estafa total e a chance de deixar a organização de lado, enorme. Não precisa ser assim. Comece organizando aquele cômodo que mais precisa da sua atenção. Depois, vá passando para os outros. É até melhor construir com calma os resultados, porque você consegue ponderar melhor o que está fazendo.

2. Querer fazer tudo sozinha(o)

Organização é um processo que pode partir de uma única pessoa, mas envolve outras pessoas que vivam no mesmo local. Peça a opinião de quem mora com você sobre as necessidades da casa mas, mais do que isso, observe os sinais do dia a dia. Veja quais são os hábitos das pessoas, onde elas deixam as coisas, o que elas precisam ter sempre à mão. Não existe uma receitinha básica para organizar todas as casas – não há um padrão ou fórmula mágica. Cada casa tem suas necessidades e pessoas com rotinas diferentes. Não adianta você querer fazer tudo do seu jeito e ignorar o que as outras pessoas pensam. Se não, ninguém vai seguir a organização e todos vão se estressar. Ninguém quer isso!

3. Não se preparar psicologicamente

Organizar o que quer que seja não é fácil porque demanda desapego e discernimento. Não dá para organizar tralha. Logo, se existe tralha, providências terão que ser tomadas. Você está preparada(o) para doar, vender, consertar, se desfazer das suas coisas? Você tem consciência do por que está organizando o seu espaço? Existem um motivo e uma necessidade ou você está apenas querendo organizar pelo prazer estético? Não há problema algum com relação a isso, mas você precisa ter seus objetivos bem claros para prosseguir com a motivação correta.

4. Subestimar o tempo que leva

Mais uma vez, a organização não acontece da noite para o dia. Eu ouso até dizer que ela nunca acaba. Nossa vida muda o tempo todo! Temos sempre coisas novas acontecendo, soluções novas para encontrar. O legal de aprender a se organizar é que você saberá sempre como recomeçar. Esse é o conhecimento mais importante que você vai obter durante o processo de organização. Portanto, não pense que “vai tirar o dia para organizar o guarda-roupa” como se fosse uma tarefa que se esgote em si mesma e não precisará ser feita nos próximos, sei lá, dois anos. Você pode organizar o seu guarda-roupa em um dia, mas o que o manterá organizado é o seu trabalhinho diário com relação a ele. Tem que analisar o que compensa para você – ou não. A organização não é para dar trabalho, mas para facilitar.

5. Ser pega(o) pela síndrome do “objeto coitadinho”

Enquanto você ficar com dó de se desfazer de coisas que não usa mais (ou nunca usou), sua casa continuará cheia de tralha. Faça suas escolhas. Preciso dessa tralha ou do meu espaço? Não é para se desfazer de tudo o que tem e ficar somente com “o necessário”, especialmente porque “o necessário” varia de pessoa para pessoa. Um artista pode considerar seus quadros, discos e livros necessários, enquanto um chef de cozinha considera todos os seus mil apetrechos culinários extremamente necessários. O que é necessário para você e para a sua família? Isso é o que deve ficar.

Essas são cinco situações muito comuns para quem está começando a se organizar. Será que você já passou por alguma delas? Deixe um comentário!

25 Dec 2014

Em 2014, eu agradeço por…

No começo deste ano, eu escrevi um post chamado Para 2014, que reli recentemente. Eu estava tão calma e centrada naquele post! Acho que fui profunda em diversos aspectos e acredito que isso se deve ao aprofundamento que comecei a fazer no Budismo alguns meses antes. Gostei do que reli e fiquei pensando em como escrever um post sobre o então ano que passou, depois de tantos acontecimentos. Decidi agradecer por todas as conquistas e aprendizados que eu tive na minha vida e dos meus este ano. 2014 foi “o ano da virada”, por assim dizer, e acredito que ele tenha sido um dos anos mais importantes da minha vida. Vocês devem ter notado que eu estou meio quietinha este mês aqui no blog. Foi intencional! Estou bem introspectiva e respirando um pouco após esse ano cheio de coisas que agora está acabando. Muitas novidades virão a partir de janeiro, então estava sentindo necessidade de descansar a mente, principalmente, o que venho conseguindo fazer (ainda bem!). Todo final de ano eu fico assim. Deve ser uma tradição minha mesmo.

Aconteceu tanta coisa este ano que eu comecei janeiro em um apartamento novo e estudando para concurso público, minha meta original. Nós estávamos morando em Campinas e, a fim de simplificar, resolvemos mudar para um apartamento menor, em prédio pequeno, sem condomínio cheio de coisas que ninguém usava. O prédio era calmo e silencioso. O apartamento, apesar de ter dois quartos (o anterior tinha três), tinha a metragem maior, o que gerava um espaço – respiro – maior. A cozinha era grande, daquelas quadradas, e achamos que conseguiríamos resgatar muito da vida simples que queríamos ter. Como estávamos morando longe da nossa família, ficávamos muito juntos, em casa, então queríamos um espaço mais aconchegante para morarmos. A decisão de mudar, hoje, eu vejo que foi precipitada. Porém, na época, eu não esperava por mudanças. Não sabia o que viria dali a alguns meses. Todo aprendizado faz parte.

mudanca

Há cerca de dois anos eu vinha estudando para um concurso público, que ainda acho que é a melhor alternativa para quem não quer empreender como meio principal de ganhos financeiros aqui no Brasil. Aquilo era certeza para mim: tinha um emprego estável, pagava nossas contas, estava estudando e esperava passar em alguns anos no concurso que eu queria. Com isso, teríamos estabilidade e poderíamos focar em abrir um próprio negócio – talvez algo ligado a gastronomia, já que meu marido está fazendo faculdade na área. A vida estava encaminhada, mas não estava correta.

Com o tempo, fui percebendo que algumas coisas a gente consegue abafar, outras não. Li outro dia uma frase do Stephen Covey que define perfeitamente o que eu quero dizer, que é a seguinte: “Você só consegue dizer NÃO quando tem um grande SIM dentro de você”. Esse SIM estava aqui dentro, guardado, incerto. Eu tinha uma profunda insegurança sobre a coisa de “viver de blog” porque tenho uma família para sustentar. Não era tão fácil. Não tenho um “backup”. Meu marido é autônomo. Tomar a decisão com base em uma alternativa incerta era difícil e fora da minha realidade, então fui levando.

Muitas coisas aconteceram ao longo dos meses no meu trabalho anterior que me deixaram frustrada e sem perspectivas. Frequentemente comecei a me perguntar o que estava fazendo ali – se valia a pena passar por tudo aquilo e deixar meus sonhos de lado. Em abril, recebi o deadline da editora para a finalização do livro: “para ele ser lançado na Bienal, precisamos terminar este mês”! Foi extremamente corrido, mesmo tendo muito conteúdo adiantado. Lembrem-se que, com o livro, eu precisava conciliar não só o meu emprego, mas meu trabalho com a Call Daniel (que eu já exercia como consultora) e as atividades relacionadas à minha casa e à minha família. Não foi fácil. Sempre que eu chegava a um nível de quase exaustão, eu buscava aprender com tudo aquilo e buscar forças pelo bem maior de tudo o que eu estava fazendo. Se eu tenho como missão inspirar as pessoas a se organizarem para que elas tenham mais qualidade de vida e transformem seus sonhos em objetivos palpáveis, o que na minha vida reflete essa missão? O que devo continuar fazendo?

Já contei essa história aqui, mas gosto de recontar porque é muito importante para mim e foi um divisor de águas. Eu estava no processo final de produção do meu livro, escrevendo, revisando, reescrevendo, super cansada… e então comecei a questionar o que estava fazendo da minha vida. Quem sou eu? Para onde estou indo? O que vai ser da minha vida e da minha família? E aí eu pensei assim: se o meu filho, hoje, lesse o meu livro, que fala sobre como a gente consegue se organizar para atingir objetivos. Se ele lesse o livro e perguntasse: “Mamãe, você fez isso? Você se organizou para transformar os seus sonhos em objetivos?” O que eu diria? Eu diria que não? Não conseguiria.

bosque9

Sou uma pessoa muito preocupada em viver uma vida coerente com aquilo que eu acredito e prezo. Como eu poderia falar para as pessoas fazerem uma coisa se eu não tivesse a experiência pessoal de ter feito com o sonho mais importante da minha vida?

Naquele momento, então, eu tomei a minha decisão. Eu não sabia como exatamente faria tudo acontecer, mas não tinha mais como olhar no espelho de manhã e aceitar que eu não estava fazendo nada para chegar naquilo que eu queria. E é engraçado como as coisas funcionam. Às vezes, a gente precisa só desse “click” mental para fazer todo o universo conspirar a nosso favor.

Na mesma semana, conversei com o Daniel, que me fez a proposta de virar instrutora da Call Daniel, ensinando as pessoas a usarem o GTD. Ele é uma pessoa muito bondosa e que fez (faz!) grande diferença na minha vida, porque me proporcionou essa oportunidade incrível de exercer o que eu amo imediatamente. Tudo o que eu precisava era de… tempo! Então, pedi demissão, cumpri meu aviso prévio direitinho e abracei essa vida nova fazendo tudo o que eu amo fazer. Tudo isso aconteceu entre maio e junho, quando finalmente deixei meu emprego para me dedicar ao GTD, ao meu livro, ao blog e a todos os meus assuntos preferidos ligados a gestão do tempo e organização.

090914-capacitacao4

E foi engraçado porque eu nem sabia direito por onde começar! Era uma situação totalmente nova para mim. Trabalhar em casa, fazer meu horário, gerenciar clientes. Eu já tinha feito isso antes, mas em escala muito menor. Agora eu tinha aluguel, carro, família, contas em triplo. Não dava para vacilar.

Também percebemos que não daria para continuar morando em Campinas se a maioria dos meus trabalhos eram feitos em São Paulo. Nossa família também mora praticamente toda aqui. Além do mais, amamos SP. Sofremos bastante quando nos mudamos daqui para Campinas, há três anos. Deveríamos voltar! Mas como organizar uma mudança de cidade já trabalhando em outra, com o tempo escasso e dependendo de uma estrutura (de Internet, telefone, computador) que estava em outro lugar? Gente, foi BEM difícil. Fiquei como nômade durante um mês e meio – por sorte, o período de férias escolares do filhote. Foi difícil encontrar apartamento mas, por fim, encontramos o melhor possível, onde queríamos, em um condomínio maravilhoso, perto da nossa família. Nos mudamos em agosto.

160814-apto01

De lá para cá, minha vida tem sido bastante intensa. Lancei o livro na Bienal, depois fiz um evento na Saraiva do Shopping Paulista. Tenho feito muitos eventos, cursos e palestras desde então. Somente treinamentos de GTD, tenho feito de dois a três por semana, tirando reuniões e trabalhos relacionados. Estamos decorando o nosso apartamento novo aos poucos, com carinho. Faz quatro meses que nos mudamos e as coisas estão em ordem mas, ao mesmo tempo, tem tanta coisa a ser feita! Em agosto, no entanto, estávamos instalados em nosso novo lar, o filhote na escolinha nova (e amando!), toda uma nova rotina e estrutura perto de amigos e familiares. Tudo mudou de repente. Eu pensei que não ficaria mas, internamente, fiquei um pouco desnorteada!

Trabalhar em casa é um eterno desafio, mesmo com um cômodo dedicado exclusivamente ao escritório. Não é fácil gerenciar interrupções de um filhote de quatro anos ou resistir à tentação de conciliar atividades domésticas com o trabalho em si. Fazer isso é fácil, até, mas as horas que você tira do seu trabalho precisam ser compensadas depois, em algum momento. A tendência a tudo se misturar é enorme! Precisa ter muita disciplina.

Acho que o principal de tudo isso é que, quando a gente sai de “um emprego estável” para trabalhar “por conta”, a pressão de sustentar a família é enorme. Por causa disso, dá vontade de abraçar o mundo e fazer de tudo, buscando aquilo que dará um retorno financeiro maior e mais estável. Em certo momento, você começa a se perguntar se vai aguentar esse ritmo e que providência precisa ser tomada, porque é uma experiência muito intensa! Eu passei uns dois bons meses refletindo sobre isso e procurando aprender sobre quem era essa nova Thais e para onde eu deveria ir. Mais uma vez, o que me guiou foi ter uma missão de vida tão clara e definida, e aprender a ir com calma, consolidando uma coisa de cada vez.

Aprendi também que não importa muito o nome que a gente dá às coisas, contanto que elas sejam coerentes com a nossa missão. Cheguei ao começo de novembro extremamente centrada e sabendo o que eu queria e, incrivelmente, a situação começou a se acalmar e a se estabilizar. Organizar a vida tem a ver com dizer muito NÃO para coisas legais também, o que pode deixar a gente com um pé atrás se não tiver nossos valores e objetivos bem definidos. Tive que fazer MUITO isso nos últimos meses. Deixei muita coisa que seria bacana de lado para conseguir priorizar aquilo que, para mim, fazia mais sentido. Infelizmente, não dá para a gente fazer tudo o que quer. Mas tudo bem. O importante é eu estar tranquila com as minhas decisões.

Lançamento do livro na Saraiva Paulista

Lançamento do livro na Saraiva Paulista

Gostaria de agradecer todos os anos de trabalho que eu tive na Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, que é uma empresa muito bacana para se trabalhar. Espero que projetos incríveis sejam tocados e realizados por lá.

Gostaria de agradecer o Daniel, pelo apoio crucial em um momento decisivo da minha vida, e por sua bondade em tantos momentos.

Gostaria de agradecer o pessoal do Evernote Brasil e Latam, que me convidou para participar da EC4 em San Francisco.

Gostaria de agradecer o pessoal da Editora Gente, que praticamente me pegou no colo e fez o livro mais lindinho de todos os tempos, com o lançamento em uma Bienal do Livro. Isso foi MUITO significativo para mim.

Gostaria de agradecer meus amigos e parentes próximos, por todo o apoio, todas as conversas, toda a ajuda necessária nos momentos mais difíceis e a divisão de risadas nos momentos mais alegres.

Gostaria de agradecer meu marido e meu filho, por simplesmente existirem. Eu seria uma pessoa totalmente diferente sem eles. Talvez eu sequer tivesse este blog, escrito um livro e falando sobre tudo isso aqui agora.

E, por fim, mas não menos importante, eu gostaria de agradecer VOCÊ, leitor ou leitora do blog, por sua visita, seus comentários, seu apoio sempre. Não é fácil escrever, ser lida e ainda ter quem goste do que você escreve, então agradeço pela sua presença este ano e desejo tudo de bom em 2015.

Em 2014 eu me tornei finalmente aquela pessoa que “largou tudo para viver do que ama” e não poderia estar mais feliz.

Tem MUITA novidade vindo por aí! Fiquem ligados nos próximos posts.

Obrigada por tudo, pessoal! Feliz 2015!

24 Dec 2014

O que é bagunça

“Eu me encontro na minha bagunça” é uma frase que eu ouço constantemente. “Gosto do caos criativo” também. A segunda, eu mesma falo diversas vezes. O que é bagunça, afinal? E, depois de identificar, como acabar com ela?

Bagunça, enfim, é…

Ter coisas que você gosta, mas não usa.

Você pode achar o máximo ter uma TV de LED de 50 polegadas mas, se não tem tempo sequer para zapear pelos canais e curtir sua aquisição, ela vira tralha sem que você perceba. Aquela câmera que você sempre quis – se você comprou e não usa, ela está bagunçando e ocupando espaço. Se você ama pintar e tem um kit completo em casa, mas não usa – é bagunça. A proposta não é se desfazer dessas coisas, mas aproveitá-las de maneira melhor.

Guardar coisas que você não usa porque acha que vai usar algum dia.

Essa é clássica! “Tenho esse lindo jogo de pratos inglês que era da minha avó mas tenho dó de usar, guardo só para situações especiais.” “Esse vestido custou muito caro, vou usar somente se a Presidenta vier aqui em casa.” “Comprei esse sapato mas tenho dó de usar, estragar e acabar.” Você se identificou com alguma dessas frases? Por favor, aproveite a vida. Use as coisas que você tem. Do contrário, elas são tralha.

Ter coisas que não têm um lugar específico para serem guardadas.

Se alguma coisa na sua casa ou no seu escritório fica fora do lugar porque você simplesmente não sabe onde vai guardar, o seu problema não é falta de espaço, mas ter coisas demais. Por isso, analise e priorize. Esse objeto é importante? Se sim, onde deveria ficar guardado? Tem outra coisa no lugar dele? Se sim, o que é mais importante? Você vai ter que priorizar para organizar do jeito mais eficaz para você. Se não tiver lugar para guardar, questione a posse do objeto. Não dá para a gente ter em casa todos os objetos do mundo!

Juntar objetos diferentes em um mesmo lugar.

Sabe aquela gaveta que tem caneta, trena, durex, recadinho da oitava série, conta paga e uma sorte de outros objetos? Isso é bagunça. Não porque o que está ali não é importante – pode até ser! Mas porque não está categorizado. Você deixou tudo junto, sem coerência. Agrupe objetos semelhantes. Mesmo que você tenha uma caixa cheia de papéis colocados de qualquer jeito, mas sabe que todos aqueles papéis são contas pagas, já é mais organizado que ter uma pastinha etiquetada cheia de coisas aleatórias e sem conexão entre si.

Ter coisas demais em espaços pequenos.

Pense em termos de proporção! Os lugares precisam de espaços “em branco”; pequenos respiros no ambiente para que você não se sinta sendo afogada(o) dentro de sua própria casa ou local de trabalho. Se você tem uma parede pequena, não coloque um quadro gigantesco. Os espaços não precisam ser enchidos completamente. Se o seu apartamento é arejado, mas seu home-office tem coisas demais, isso gera um desequilíbrio que você nem vai sentir, mas seu cérebro vai. E aí, no dia a dia, isso causa estresse. Diminua a quantidade de coisas de acordo com o tamanho de cada ambiente.

Deixar coisas inacabadas.

Ah, aquele quadro que você começou a pintar há sete anos e está ali no canto da garagem esperando uma inspiração para terminá-lo… Ou então, aquele piso que restou da obra, mas você guarda porque “vai que”… Ou caixas que ficaram da mudança porque você ainda não teve tempo de arrumar. Sim, algumas coisas são temporárias. Diferente é quando você tem controle sobre isso, está tomando providências. Se está ali no canto porque foi a saída mais fácil e você não quer pensar a respeito, é bagunça. Não adie decisões.

Deixar coisas quebradas sem conserto.

Da mesma maneira, lâmpadas queimadas, eletrodomésticos que não funcionam, calças que precisam ter a barra feita e sapatos com a sola solta precisam ser consertados. Do contrário, são bagunça. Tome providências!

Deixar as coisas sujas.

Uma coisa é passar o dia inteiro limpando a casa desnecessariamente. Outra completamente diferente é deixar a pia cheia de louça durante três dias. A sujeira, quando acumulada, além de ser perigosa (causa doenças!), fica muito mais difícil de limpar. Ninguém quer (nem tem tempo) ficar limpando a casa todos os dias, mas uma manutenção mínima deve ser feita. Estabeleça rotinas para facilitar, mas pegue leve com elas. Não estabeleça que você deve limpar seu banheiro todos os dias se você só consegue fazer isso uma vez por semana. Feito é melhor que perfeito.

Não se cobre tanto. Uma mesa de escritório cheia de papéis que estão sendo utilizados em um projeto atual pode não ser uma bagunça, mas sim parte de um processo criativo. O conceito de bagunça tem mais a ver com negligência que com a arrumação em si. Portanto, utilize os parâmetros acima para identificar focos de bagunça na sua vida e elimine-os. Viver sem bagunça é apenas melhor, e a bagunça mental é altamente influenciada pelo espaço físico em que você vive. Comece o ano bem.

18 Dec 2014

Como aproveitar os dias de folga no final do ano de maneira produtiva

Imagem: Vintage Paradise (Tumblr)

Imagem: Vintage Paradise (Tumblr)

Eu procuro tomar bastante cuidado com essa coisa de ter dias de folga produtivos porque acho que dia de folga é para descansar mesmo! Antes, gostava de aproveitar cada tempo livre para fazer determinadas coisas mas (felizmente) consegui organizar minha vida para não depender de dias de folga esporádicos para fazer isso. No entanto, apesar de aproveitar para descansar, também acabo sempre arrumando alguma coisa para fazer e, pensando sobre o assunto, tive a ideia para escrever este post. Seguem então sugestões para você tornar seus dias de folga no final do ano um pouco mais produtivos:

  • Resolva assuntos no banco. Mudar de agência, trocar o gerente, buscar cheques, resolver qualquer coisa, solicitar informações sobre financiamentos, empréstimos e investimentos. Sempre é bom ter um dia livre durante a semana para conseguir investir tempo nisso. Se for o seu caso, apenas verifique o horário de funcionamento do banco onde é cliente.
  • Organize o seu home-office. Ontem eu publiquei um post com recomendações para fazer isso dentro do GTD.
  • Destralhe a sua casa. Pegue uma sacola grande e circule pela sua casa, jogando dentro o que for lixo. Você vai se surpreender com a quantidade de embalagens, papéis e coisas avulsas que vai querer se desfazer.
  • Estude um idioma. Em casa mesmo, ou pela Internet.
  • Leia o livro do GTD. De verdade!
  • Conheça os pontos turísticos da sua própria cidade. Geralmente como as pessoas viajam no final do ano, as cidades que não são ponto turístico ficam vazias, como no caso de São Paulo. Aproveite o que a cidade tem de melhor sem trânsito, sem muita gente, mas com muito calor.
  • Faça o seu planejamento para o ano seguinte. Veja aqui um post sobre as minhas revisões do GTD – mesmo se você não usar o método, pode servir como guia.
  • Organize suas caixas de entrada de e-mails. Essa é boa, hein, mas precisa manter ao longo do ano para não crescer absurdamente (de novo).
  • Faça backup dos seus equipamentos eletrônicos. Computador, tablet, celular.
  • Monte uma planilha para registrar seus gastos e receitas em 2015. Há diversos modelos disponíveis na Internet.
  • Ajude alguém de alguma maneira. Aquele amigo a pintar a casa, o outro que está de mudança, um morador de rua pedindo comida.
  • Digitalize a papelada que está acumulando e coloque no Evernote, que agora dá 4Gb por mês para usuários premium. Utilize o aplicativo Cam Scanner para isso.
  • Faça uma super limpeza na sua casa. Pegue um dia em que estiver bem avulso e aproveite para esfregar chão, arrastar sofá, limpar embaixo da cama e todas aquelas tarefas que podem ser esquecidas ao longo do ano.
  • Agradeça pelo ano que passou. De preferência, bebendo água de coco e olhando para o céu, de pernas para o ar. Descanse. Você merece.

Boas festas!