26 Nov 2012

Como estudar para concursos – Parte 1 – Como começar

Eu não gosto de postar no blog dicas sobre situações pelas quais eu não passei, pois gosto de dar legitimidade ao blog. No entanto, existem alguns temas que frequentemente me são solicitados, e tudo o que eu posso fazer é entrevistar algumas pessoas que tenham passado por isso e ler muito material de referência para conseguir montar um post interessante para vocês.

Como muitas pessoas estão solicitando dicas de organização para quem estuda para concurso público, fui atrás das informações para montar uma série de posts que será dividida em quatro partes:

  • Parte 1 – Como começar
  • Parte 2 – Como estudar antes do edital
  • Parte 3 – Como estudar depois da autorização
  • Parte 4 – Como estudar depois do edital

Este primeiro post, então, traz dicas de como começar a estudar para concursos. Talvez você já tenha pensado no assunto e não levou adiante porque não sabia como fazer. Ou talvez você tenha começado, estudou uma apostila para um concurso, não passou e desistiu, mas a ideia de voltar nunca saiu da sua cabeça. Ou talvez você já tenha passado em um concurso e queira voltar a estudar para outro. Seja qual for a sua situação, eu espero que este post possa contribuir de alguma maneira positiva no seu trajeto.

Separei algumas dicas para quem pretende começar e não tem ideia, ou está confuso a respeito. Essas dicas são importantes para “preparar o terreno”, para que você comece a estudar logo em seguida. São elas:

1. Encontrando a sua motivação

Muitas pessoas não conseguem levar adiante o estudo para concursos porque não encontraram sua real motivação. Lembro de um relato do professor Marcondes Fortaleza sobre isso. Ele disse que, desde novo, queria passar na faculdade de Medicina. Estudou, estudou e não passou. Mas ele trabalhava na área de contabilidade e sugeriram a ele que fizesse Ciências Contábeis. Ele pensou: “Ah, em CC eu passo!”. Foi lá, fez a prova confiante e passou. O ponto interessante é que ele fez a quantidade de pontos suficientes para passar em Medicina! Ou seja, a auto-confiança foi fundamental, e talvez ela tenha vindo do inconsciente dele quando encontrou sua verdadeira motivação.

Acho engraçado como as pessoas costumam optar por concursos públicos para ter um bom salário e estabilidade (afinal, ninguém nasce com o sonho de ser escrevente ou fiscal). Não tem nada de errado com isso porque, afinal, a iniciativa privada está cada vez mais competitiva e difícil e vivemos preocupados com demissões, salário, formação etc. Mas é importante conhecer o cargo que você pretende concorrer. De repente, ao encontrar um cargo que você realmente goste, você encontre a sua motivação. Ou, pelo contrário, você pode descobrir que o cargo que você tinha em mente não é muito legal, independente do salário.

Outra forma de encontrar a sua motivação é pensar nas principais dificuldades que você tem na sua vida. Talvez você tenha filhos e um emprego instável, pague aluguel, com um salário não tão bom, dívidas e muitas outras dificuldades. Quem vive dessa maneira não precisa pensar muito para encontrar a sua motivação, porque ela é óbvia. Mas, se não for o seu caso, você deve olhar para dentro de você e encontrar o que realmente te motiva a passar em um concurso para avaliar se é isso mesmo que você deseja para a sua vida. Sem essa motivação, você não conseguirá manter a disciplina para estudar. A jornada é longa e você precisará muito dela nos momentos mais difíceis. Se ela não for forte o suficiente, você não conseguirá prosseguir.

2. Escolhendo a sua área

Em todas as fontes que eu pesquisei sobre preparação de estudos para concursos, a recomendação é a mesma: escolha uma área e atenha-se a ela. Estudar para diversos concursos é furada, pois você não conseguirá estudar suficientemente as matérias necessárias. Você não precisa escolher um concurso específico no momento, mas é importante definir uma área, pois isso delineará seus estudos. As áreas mais comuns de concursos são: tribunais, polícias, fiscais, bancos, escolas.

A importância de escolher uma área é saber que matérias você estudará. Os concursos da mesma área costumam ter muitas matérias em comum. Sendo assim, mesmo que você foque em um concurso específico, você estará apto a prestar concursos semelhantes, pois estudará basicamente a mesma coisa, com poucas matérias específicas para cada um deles.

A escolha da área está diretamente relacionada às suas afinidades. Se você não gosta de exatas, pode não escolher a área fiscal, por exemplo. Acho isso relativo porque muita gente de humanas acaba escolhendo concursos da área fiscal e passando sem problemas – basta estudar, e estudar muito! Mas pode ser que você queira trabalhar escrevendo, por exemplo, e escolha a área de tribunais. Por isso é importante conhecer os cargos. Quando você escolhe alguma área com a qual você já tenha afinidade, pode ser até que você tenha um background de algumas matérias (se você for formado em Direito, pode ter mais facilidade para estudar as matérias relacionadas), e tudo isso facilita a sua preparação.

Enfim, a dica importante é não estudar para ser auditor da Receita Federal enquanto está estudando para ser escrevente do Tribunal de Justiça. Não dá. Você vai ficar maluco e não conseguirá absorver tanta informação ao mesmo tempo. Foque em uma área e torne tudo mais fácil.

3. Convencendo os familiares e amigos

Estudar para concursos vai te transformar em uma pessoa diferente para as outras. Você vai precisar mudar sua rotina e seus familiares e amigos vão estranhar. É muito difícil, especialmente para quem não mora sozinho. Quem é casado e tem filhos, então, enfrenta diversas dificuldades porque os filhos pequenos, por exemplo, não entendem. A rotina da casa muda. Quem vai limpar a sua parte? Preparar o jantar? Lavar a louça? Envolve uma mudança grande no dia a dia do casal e, por isso, é importante ter essa conversa.

Seu marido ou esposa deve ser compreensivo e dar suporte, porque será um período difícil. Se puderem contratar um(a) diarista, façam isso. Tudo o que puder ser feito para facilitar a rotina da casa deve ser implementado. E, para convencer seu(sua) companheiro(a), não é tão difícil: basta explicar qual é a sua motivação, e ela deve ser suficiente. Todo casal conhece as dificuldades pelas quais passa e tomar uma decisão como essa só mostra sua preocupação em melhorar, resolver os problemas. Sendo assim, é natural que a pessoa com quem você vive não só entenda como te dê suporte. Mas é importante “mostrar serviço” – estudar de verdade, e não usar o tempo como desculpa para fazer outras coisas. Nos próximos posts vou falar como conciliar os estudos com o trabalho e a família. Se você estiver realmente compromissado(a), fatalmente seu(sua) companheiro(a) observará isso e te ajudará.

O mais difícil, realmente, é lidar com os filhos que não entendem, tadinhos. Você terá que ser malabarista. Também não pode abandonar a sua vida e o suporte aos seus filhos, que são seus dependentes, de forma total. É importante balancear. Vou falar mais sobre isso no próximo post.

Os amigos também não irão entender – só darão razão depois que você passar. Então não se sinta culpada(o) recusando convites para churrascos e baladas. E sim, desnecessário dizer que você precisará fazer isso. Você está entrando em outro mundo agora!

4. Montando um bom ambiente de estudos

Você precisará de um lugar para estudar que seja eficiente. Se você tiver um cômodo da sua casa que você possa utilizar somente para este fim, ótimo! Se não tiver, será necessário pensar em outras maneiras (colocar a mesa no quarto, estudar em uma biblioteca etc). O ambiente precisa ser calmo, silencioso e com todo o seu material disponível. É necessário ter uma mesa, uma cadeira confortável e todo tipo de recurso que te ajude a obter silêncio, como protetores auriculares utilizados na área de segurança, se sua casa for muito barulhenta.

A mesa pode ser simples, mas sem distrações e com uma altura ideal. O Alex Meirelles deu uma dica que achei muito engraçada no livro dele, sobre a cadeira: ele disse para comprar a cadeira mais confortável que puder, não importa se não combina com a decoração. “Deixe para pensar em decoração depois que passar no concurso”, ele disse, e eu dei risada, porque sei que pensamos nisso. Não pense! Invista em uma boa cadeira pois você passará muitas horas sentado(a) nela estudando. Se a cadeira for ruim, você sentirá muitas dores e terá menos disposição pra estudar.

Outra dica do Alex é a de colocar imagens e frases de motivação no seu ambiente de estudos. Ele colocou a foto de um carro que queria comprar quando passasse, além do holerite de um amigo já concursado e frases como “força, guerreiro!”. Tudo isso serve de incentivo e pode sim ser utilizado.

À medida que você for adquirindo materiais, é importante organizá-los, mas falarei mais sobre isso nos posts seguintes.

5. Entendendo o mundo em que você está se envolvendo

Você está entrando em outro planeta, onde as pessoas normais te olharão estranho e seus amigos não terão muito assunto com você. Um mundo onde o normal é abdicar de tudo o que for supérfluo para conseguir estudar. Onde ir a um churrasco no sábado significa abrir mão de oito horas de estudo facilmente. Onde você gastará 100 reais com um livro porque sabe que seu primeiro salário de concursado pagará esse valor com folga.

Uma boa maneira de entrar no clima é participar de fóruns na Internet, pois você ficará sempre informado(a) e pode fazer amizades, trocar dicas e informações. O fórum mais famoso é o Fórum Concurseiros, mas existem grupos e páginas no Facebook também. A grande verdade é que você não terá muito tempo para acessá-los (sinceramente), mas uma vez por dia pode ser suficiente para se manter informado.

Estudar para concursos, como concurseiros famosos falam, é uma corrida de resistência, não de velocidade. É uma jornada que demanda disciplina e muita dedicação. Passar em concursos difíceis leva meses, até anos. Como o famoso “guru dos concursos” William Douglas fala, “concurso não se faz para passar, mas até passar”. Ter consciência disso é o primeiro passo para domar a ansiedade toda vez que for publicado algum edital interessante.

Espero que essa série de posts ajude quem estiver começando essa jornada. No próximo texto, falarei sobre a organização dos estudos antes da publicação do edital.

36 comentários . Comentar via blog

  1. Eu iniciei meus estudos pra concurso em 2010, quando já era servidora pública. Nesse meio tempo, sai da casa da minha mãe, organizei meu casamento.

    Agora, estou voltando a estudar com vontade! Vou tirar 10 dias de férias nos próximos dias. E vamos viajar! Tentar descansar pra voltar 2013 com foco total e a partir dai abdicar de tudo e todas as próximas férias até passar!

    Responder
  2. Juliana Mendes

    Bom dia Thaís, muito obrigada por essa nova série.
    Estou nessa vida de concurseira há 3 meses, e muitas vezes me pego desanimada, achando que não vai dar certo e sem motivação. Sei muito bem o que quero, mas chegar lá é um caminho tão difícil que bate desânimo. Tenho trabalho, casa, e um filho pequeno. A questão de conversar com o marido é fundamental, sem a ajuda dele não conseguiria fazer nada. Como tenho meu próprio negócio, posso ter um horário mais flexível, então estudo em média 6 horas por dia, e o que realmente me machuca é ver meu filho pedindo para ficar com ele. O que mais tem me atrapalhado, ultimamente, é a procura por material de estudo, são muitas opções, a gente fica muito em dúvida e perde um tempo precioso na procura e escolha desses materiais. Cursos nem sempre são disponíveis, por tempo, dinheiro ou vagas. Muitas vezes quando descobrimos um curso as vagas já se esgotaram, ou é num horário incompatível ou muito caro. Mas, enfim, vou continuar acompanhando seus posts e buscando forças para continuar.
    Obrigada.

    Responder
  3. Stephanie

    Eventualmente estudo para concursos, mas a tarefa se torna ainda mais complexa porque também faço faculdade e, muitas vezes, são coisas completamente opostas, em se tratando de conteúdo. Sem contar o curso de inglês que já coloquei pra um horário bem alternativo (1x por semana, aos sábados)… É muita coisa diferente pra gravar na memória. Alguma sugestão para o pequeno caos? Uma dica para montar um cronograma realista?
    Obrigada, adoro seu trabalho aqui no blog (:

    Responder
  4. Thais, obrigada! Faz tempo que preciso dessas dicas. Já sou servidora pública federal, mas almejo um salário maior e, se possível, trabalhar apenas um turno. Fiz uma tentativa de retorno aos estudos no mês passado. Infelizmente só consegui me manter focada por duas semanas. Trabalho o dia todo, cuido da casa, cozinho e tenho um filhote de 2 anos e meio, então ficou muito difícil… Não consegui levar meu plano adiante. Uma pena, pois os concursos vão chegar e não estarei preparada… Talvez esses posts me dêem novo ânimo e coragem de ao menos tentar.
    Bjs,

    Responder
  5. Kamila Walter

    Espero conseguir seguir essa rotina, pois como ainda estou na faculdade, preciso conciliar estes estudos, com os das matérias, com o estágio, como TCC e com outros projetos. Mas com a devida organização, acredito que aos poucos, vou conseguindo conciliar. Sigo esse blog e adoro muito. Muito obrigada por fazer essa série de posts, espero conseguir segui-la. Abraços.

    Responder
  6. Lais

    Thais, os fóruns e grupos no Facebook são ótimos para a compra de materiais bem mais baratos. E eles também são ótimos pra depois da prova, porque vc acompanha todo o andamento das correções, notas, possíveis classificações (eles fazem um raking) e data de divulgação de notas e possíveis chamadas.
    Meu marido está nesse mundo dos concursos há anos e já foi chamado em 4. Atualmente ele trabalha no Ministério Público da União. Ano que vem serei eu a mais nova concurseira da família! Obrigada pelas dicas, vou acompanhar essa série de posts.

    Ps: outro bom fórum é esse http://forum.concursos.correioweb.com.br/index.html

    Responder
  7. Tatiana

    Oi Thais, obrigada pelo post e pela série que virá. Vivo nesse mundo há um tempo, deixei um emprego com a finalidade de estudar mais, daí vieram os filhos (2 e 4), casa, e meu tempo parece ter sumido! Não consigo achar tempo pra estudo como preciso. Gostaria que vc abordasse o assunto: mãe x filhos x pouco tempo livre.

    Obrigada. Não passo um dia sem ler teu blog! Já o considero essencial pra mim!!!

    Responder
  8. Thais, até que enfim você entrou no solo sagrado dos concursos, obrigada! Você tem o dom de se fazer entender, estou ansiosa pela sequencia de post. Também tento estudar, tenho dois filhotinhos, trabalho fora, cuido de casa… O post dos ciclos foi fabuloso, do tipo: como não pensei nisso antes????

    Beijoca,

    Meire

    Responder
  9. aninha

    Ola Thais! Estou nessa vida de concurseira há 4 anos, com mais baixos do que altos. É muito difícil manter-se motivada e ter uma regularidade de estudos, ainda mais pra mim que sou muito preguiçosa rs. Já li muita coisa sobre organização de estudos para concursos, mas você torna tudo muito mais fácil com a clareza com que escreve. Obrigada!

    Responder
  10. Deborha

    Eu sigo o blog desde o início do ano e sempre me identifico com os posts, mas o mês de novembro tem sido inacreditável. Primeiro vc vem falando de finanças, meu tema mor do mês. Já até escrevi uns texto sobre isso, pra ajudar pessoas que, assim como eu, estão em economia ferrenha. Agora você vem falar de concurso. rsrsrs! Meu plano principal da vida neste momento. Tracei o objetivo e cá estou na labuta dos primeiros passos, prestando alguns concursos ainda timidamente, mas não deixando a oportunidade passar. O plano é: assim que sair do atual emprego (que vai ser logo, tenho um prazo estipulado) nao voltar ao mercado formal. Ficar tentando me manter apenas com alguns trabalhos freelancer pra me dedicar exclusivamente aos estudos para concursos.

    Você tem bola de cristal? rsrs! Beijo!

    Responder
  11. Cristiane

    Oi Thais, só uma correção no seu texto, a área fiscal pertence às Ciências Sociais Aplicadas, um ramo das Ciências Humanas. É só um detalhe mas achei que seria importante ressaltar uma vez que tenho certeza muita gente vai usar seus textos como guia. Apesar de lidar com números a área fiscal não efetua cálculos complicados então, se a pessoa não curte muito cálculo pode se arriscar na área fiscal sem problema. Parabéns pelo blog! Seus textos são ótimos e muito motivacionais! Obrigada por compartilhar seu conhecimento conosco!!!

    Responder
    1. Thais Godinho
      Thais Godinho

      Os Cristiane. Eu sei sim. Só quis dizer que muitas pessoas com formação em carreiras de Humanas podem sentir dificuldades com áreas que envolvam muitas matérias de exatas, como a fiscal. ;D

      Responder
  12. Fabi

    Oi! Hj eu sou func. pública (6 anos), mas qdo estudei dedicava 8 horas diárias e ia para uma biblioteca, pois em casa tinha a tentação da TV, computador, telefone e os inúmeros pedidos da minha família (ainda não era casada). A família acha q qdo vc está estudando, significa q não está fazendo nada e aí pode fazer vários favores (pagar contas, ir ao mercado, farmácia, dar faxina na casa, tirar roupa do varal,…).Aí qdo sai o resultado, incrivelmente todo mundo fica ansioso pra ver se vc passou…
    Eu foquei em uma área sim, mas fiz váriosssss concursos, até q passei em um q nem esperava. Hj estou casada e com filhos pequenos, mas penso em daqui a um tempo (uns 4 anos), voltar a estudar pq não quero me aposentar onde estou.
    A motivação é fundamental mesmo. É necessário traçar metas a longo prazo pq o imediatismo de nada ajuda. O estudo é cumulativo e requer amadurecimento, inclusive para pegar as manhas das provas (cada prova tem seu tema e em concursos periódicos, do mesmo órgão, perceber isso é fundamental). Sem contar q cada instituição que aplica as provas tb tem suas peculiaridades (outro ponto que merece atenção). Existem aquelas q são mais decorebas, outras mais de raciocínio lógico, as que cobram mais jurisprudência e por aí vai.
    Na minha época, o concurso que passei foi de 6 etapas e vi muita gente ser desclassificada por puro nervosismo, embora bem preparada. Desta forma, fica mais que claro que o psicológico também interfere bastante.
    A escolha do concurso levando em conta a mudança de domicílio tb é super importante (principalmente se o (a) concursando (a) for casado (a) pq a mudança de vida é radical). Eu morei 5 anos fora de minha terra natal, justamente por causa do concurso e paguei muito a minha língua de concurseira (sempre falava q, pelo salário, iria para qualquer lugar do Brasil). Eu fui e sobrevivi, mas é bem difícil, principalmente com filhos e no nortão do país, como foi o meu caso!
    Amei a forma que vc abordou o assunto e daqui a um tempo (uns 4 anos pq quero curtir meus filhotes com calma), vou reler para me motivar novamente.
    Vc é maravilhosa nisso que se propôs a fazer. Admiro imensamente quem faz as coisas com tanto amor e dedicação. Sou sua fã!
    Bjs, Fabi

    Responder
  13. Adorei essa nova “série” de posts! Principalmente por dois motivos: 1) as dicas também me ajudam a estudar para a faculdade e 2) sou uma grande perdida em relação às orientações, haha. Amei a dica do fórum, pois pretendo prestar algum concurso depois de me formar (em 2015) e resolvi começar a entender todo o sistema desde já, para me habituar. Obrigada, Thaís, pela enorme ajuda!

    Responder
  14. ana délia

    Oi,Thaís!

    Você parece que tem bola de cristal. Já sou funcionária pública, mas logo que comecei a me organizar para estudar de novo, você vem com essa série. Quando comecei a estudar para concursos foi no último ano da faculdade e alguns professores usavam algumas questões dos concursos mais procurados pelos formados no curso (sou Química Industrial) nas aulas e isso ajudou muito na resolução de muitas outras. No meu caso, trabalho numa empresa de saneamento e os concursos dessa área são raros, comparando com bacos e Petrobras, por exemplo. Então, quando o edital saiu procurei saber realmente em que área da empresa químicos seriam necessários, no caso, tratamento de esgotos. Foquei os estudos no esgoto e dei apenas uma lida nos demais tópicos do edital e 70% da prova foi sobre esgoto. Boa parte do restante eram assuntos que caem em toda prova para químicos. Uma tática que sempre usei na vida estudantil foi fazer associações: como estudo ouvindo música (me desliga do resto do mundo), tento atrelar a matéria com o tipo de música ou banda, heavy metal para matérias exatas, MPB para informática etc. Na hora da prova, ao ler a questão, consigo lembrar que música tocava quando eu estudava aquele assunto. Conheço quem associe uma matéria com outra: faz análise sintática de textos das matérias de direito, por exemplo. Outra coisa importante é o psicológico: 15 dias antes da prova, tive uma crise alérgica forte e não pude estudar até a véspera porque meus olhos estavam muito irritados. Fui pra prova achando que todos os meses de estudo anterior foram perdidos, porque ainda faltavam tópicos do edital a serem vistos. Fui só pra não perder o dinheiro da inscrição. Estava beeem mais calma que meus colegas que haviam estudado até a véspera e assim, “relax”, raciocinei melhor e algumas questões que eu perderia tempo aplicando fórmulas complicadas e contas enormes, consegui resolver apenas lendo com atenção.
    Desculpa o comentário enorme, mas sei que o assunto concurso mobiliza a vida da gente e qualquer dica sempre é bem vida.
    Bjo, Ana.

    Responder
  15. Zulmira

    Thaís e pessoal, tenho uma dica importante, resultado de uma experiência pessoal. Além da cadeira confortável é imprescindível verificar se os óculos estão em dia. Certa vez tive muita dificuldade de concentração ao estudar para um exame de qualificação, e depois descobri que os óculos estavam com “validade vencida”, por isso o esforço visual estava causando muito cansaço. Uma visita ao oftalmologista é coisa rápida e vai trazer muitos benefícios.

    Responder
  16. Letícia Ohanna

    Eu estava esperando por esse post! Rsrsrs.
    Eu fiz dois concursos e graças a Deus passei no segundo, demorei 1 ano. Durante meus estudos eu abdiquei de tudo, não saia mais e até horário no telefone com o namorado eu tinha! Foram 3 meses sem amigos (parei de falar com TODOS eles, mas antes eu avisei que sumiria) e sem saídas (o que não foi tão difícil porque eu dependia da minha mãe para sair e ela nunca deixava).
    Atualmente voltei a estudar, pois quero um salário maior, porém está muito mais complicado do que antes. Hoje eu trabalho e devido a um problema físico eu sou obrigada a fazer academia (tentei sair, mas não deu certo, o problema voltou), logo, meu tempo fica muito reduzido e isso me desmotiva bastante, afinal antes de passar eu tinha todo o tempo do mundo.

    PS: Adoro seu blog!
    Bjjss

    Responder
  17. Thais Vianna

    Oi Thais,
    estudo há quase 4 anos, e realmente não é fácil! Não se trata apenas de organizar os estudos ou se dedicar (essa é a parte fácil), mas saber o “custo social” dessa escolha.
    Por mais que a sua família entenda, há certos momentos em que te cobrará mais presença ou atenção. O casamento (ou relacionamento amoroso) vai pagar um preço pela sua dedicação.
    Claro, estou contando o lado ruim…. mas tem o lado bom. Adoro estudar, é uma delícia evoluir nos estudos e nas notas, ver seu nome no diário oficial quando é aprovado em alguma fase é maravilhoso!
    Minha dica é planilhar o edital que pretende estudar, conte quantos dias úteis você tem de estudo, e quantos itens do edital. Feito isso, calcule quantos itens por dia você precisa cumprir, para esgotar o edital naquele período. É mais fácil ter metas diárias a cumprir, nos sentimos mais motivados com objetivos alcançáveis.
    Ah! Outra dica muito importante é respeitarmos nossos limites, nosso horário de sono, fazer uma atividade física, descanse pelo menos 1x por semana, e não se comparar com ninguém, cada um tem seu “time”, sua capacidade de absorção, sua bagagem, enfim… cada um na sua!!!
    Esses fóruns de discussão são legais, mas perigosos, devem ser acompanhados com cautela. Tem muita história, muito terrorismo, que muitas vezes gera mais ansiedade.
    Bjo

    Responder
  18. Olá,

    Eu sou funcionário público e digo que é uma maratona muito estressante. Como diz o Alex Meirelles em seu ótimo livro: “estudar para concurso não é a mesma coisa que estudar para uma prova na faculdade”. Passar não é questão de inteligência, é pura dedicação, organização e foco. É um projeto de longo prazo, com alto custo social que deve ser levado em conta, principalmente para quem tem família. A Thais Vianna resumiu muito bem. Belo post Thais. Abraços.

    Responder
  19. Carolina Dos Anjos

    Olá Thais!
    Como muitos que já escreveram comentários também sou funcionária pública e estou estudando há anos para passar em um concurso que me ofereça exatamente o que almejo. Não tenho palavras para agradecer esse post e a nova série que ele inaugura! Parabéns por nos doar o seu tempo e a sua atenção, o seu blog transformou/transforma vidas inteiramente, a minha foi uma delas! Grande abraço a você e aos demais colegas concurseiros e como diz o professor William Douglas o sofrimento é temporário, mas o cargo é vitalício!!!

    Responder
  20. Natália Lira

    Oi Thais! Eu também entrei nessa vida de “concurseira” há pouco tempo, menos de 1 mês. Sai do meu emprego pra tentar prestar um concurso que acontecerá em Janeiro. Uma das coisas que mais me motivou e que me ajudou a estudar foi o Willian Douglas. Eu tenho o livro dele que dão ótimas dicas de organização e outras coisas. Adorei o seu post!!!
    Abraço!

    Responder
  21. Adriana

    Olá Thais! Já tem um tempo que estou nessa maratona de concurseira, mas confesso que ultimamente estou desanimada. Já passei em alguns concursos, inclusive nunca trabalhei no serviço privado, e agora estou esperando ser convocada em dois que fiz recentemente. Sou Auditora Fiscal (rs)de Vigilância Sanitária e minha dedicação me fez ser a primeira colocada no concurso da Prefeitura de Salvador e 11º no Ministério Público de Minas Gerais. Estou esperando há quase um ano para ser nomeada, mesmo sendo a primeira. Ressalto para os colegas que querem entrar nesse meio, que dificuldades sempre virão e que o nosso maior concorrente somos nós mesmos. Basta dedicação e foco que chegamos lá. William Douglas tem muitas dicas legais. Um livro dele que indico é “Como passar em provas e concursos”, além disso tenho vários livros muito bons das matérias básicas que todos têm que estudar. Se alguém quiser indicações… Tem um grupo no Yahoo também em que todos compartilham muito material, é o Concurseiros.
    Adoro seu blog e não perco nenhuma dica!
    Abraços!

    Responder
    1. Flavia

      Olá Adriana, estou prestes a iniciar os meus estudos para concursos e gostaria sim das suas indicações de bons livros .
      Aguardo seu retorno.
      Obrigada.

      Responder
  22. Patricia

    Ola Thais,
    Interessante o tema. Sou servidora públia federal e estou me preparando para a magistratura. Ja passei em algumas fases mas ainda não consegui a aprovação em todas as etapas. Algumas dicas de quem ja esta há anos na vida de “concurseira”:
    1) Você tem tempo para estudar. No banheiro, na fila do banco, esperando o ônibus, enquanto faz o almoço (audiobooks!!)…
    2) Execícios, exercícios e exercícios ! Respondo, em média, 100 testes de concursos anteriores por semana. NÃO ADIANTA ESTUDAR SÓ TEORIA !
    3) Escolha uma area que vc goste. Eu amo direito, então ficar 5 horas por dia debruçada sobre leis não me é tão doído.
    4) Concurso é fila. Parou de estudar 1 mês ? Saiu da fila e volta pro final. A continuidade é fundamental !
    Desculpe comentário longo, mas é que sou completamente envolvida pelo tema ! Parabens por abordar o assunto.

    Responder
  23. cristiane

    Sou funcionária pública federal e a dica fundamental, no meu ponto de vista, é : acredite em você e não desista até passar!!!
    Li o livro do William Douglas “Como passar em concurso público” e gostei muito. O livro me ajudou muito pq demorei a passar e no livro eu vi os erros que estava cometendo. Porém, quando passei fique alguns meses e logo fui chamada em um segundo concurso público ainda melhor que o primeiro. O dia da posse é muito emocionante!!! É a coroação de horas e horas de estudo. Nunca subi num pódio mas imagino que seja parecido pq além de ser muito concorrido é como representar o Brasil pois o servidor deve ter uma postura íntegra, cristalina, honesta.
    Antigamente não existia mas hj em dia, pelo menos na área de DIREITO, tem inúmeros cursos ON LINE. E o melhor : de qualidade!!! Pode não ser baratinho e tal mas pensem , é um investimento que vale a pena!!! Basta ter disciplina.
    Thais, sou muito sua fã e sempre indico seu blog!!!
    beijos, Cris crisrjcrisrj@bol.com.br

    Responder
  24. Cíntia

    Thaís, vc simplesmente tem o dom de ler os pensamentos!! rsrsr
    Estava justamente pensando como eu faria para estudar pro concurso e conciliar com minhas outras atividades, como me manter motivada, etc…
    Vc caiu do céu com esse blog, essas dicas… salvando minha vida da bagunça total! kkk
    Muitissimo obrigada por dividir tantas dicas e experiencias!

    Responder
  25. Leticia

    Thaís, muito bom o post… me animei e comprei o livro do Meirelles… realmente, devorei o livro em 3 dias. Achei excelente. Obrigada pela dica, o pontapé inicial para eu voltar a estudar para concursos, apesar de já ser funcionária pública.
    bjo

    Responder
    1. Thais Godinho
      Thais Godinho

      Boa sorte!

      Responder
  26. Gabriela

    Olá!! Sempre tive vontade de ter como meta passar em um concurso – até fiz uns dois durante a faculdade mas não tinha como me dedicar muito. Nos últimos dias analisei a minha perspectiva pessoal e profissional e, contando com o apoio do meu marido, vou me dedicar ao mundo dos concursos. Daí vem a primeira pergunta: como vou fazer isso acontecer? E o seu post iluminou meu caminho!! Adorei, muito instrutivo e verdadeiro! Muito obrigada!

    Responder
    1. Thais Godinho
      Thais Godinho

      Obrigada você, Gabriela! Boa sorte! =)

      Responder
  27. Bela

    Oi!
    No meu quarto tem uma escrivaninha, só que ela é muito pequena e a cadeira é extremamente descomfortável, então eu uso a minha cama, é ruim fazer isso?
    Aguardando resposta
    Ps.: adorei o site e suas dicas são ótimas ;)

    Responder
    1. Thais Godinho

      Acho ruim sim porque as costas ficam sem apoio e podem doer com o tempo…

      Responder

Deixe um comentário