14 Oct 2012

Reflexões sobre a contratação de uma diarista

No checklist de outubro, eu escrevi que um dos meus objetivos para este mês era fazer um teste com uma diarista a cada 15 dias. Poucas pessoas perceberam, mas isso até me doeu de escrever. Sou aquela pessoa que acredita que pode fazer tudo sozinha. Em outros países, somente as pessoas com uma situação financeira confortável conseguem contratar alguém para fazer a limpeza da casa. Então eu sempre pensei: “se essas pessoas conseguem, então eu também consigo”.

Além disso, eu gosto de limpar a casa. Gosto de vestir minha roupa de heroína (avental e luvas) e testar produtos novos, tirar fogão do lugar, limpar cantinhos. Meu marido e eu dividimos as tarefas de casa, e tudo estava bem até agosto, quando eu fiquei mal de saúde e sem conseguir fazer praticamente nenhuma dessas coisas. Meu marido acumulou tarefas, ficou mais estressado e não conseguiu dar conta de tudo. No mês seguinte, nós viajamos muito e a casa foi deixada de lado. Aquilo me deixou aflita e decidimos fazer um teste com uma diarista.

Porém, eu nunca me senti à vontade com essa decisão. Pedi indicação de uma menina ótima aqui na minha cidade, conversei com ela pelo telefone, mas nunca a chamamos. Aí você me pergunta: “por quê?”. E eu respondo: por todos os motivos acima. E outros.

Acho que já escrevi aqui no blog o que eu penso a respeito de se ter uma auxiliar para a limpeza da casa. Basicamente isso:

  1. Se você possui restrições físicas ou é idoso(a), por exemplo, claro que precisa de ajuda. Mesmo que você não tenha boas condições financeiras, isso é uma prioridade e deve ser levada em conta.
  2. Se você não “tem tempo” para limpar a casa, avalie sua vida em primeiro lugar. Sua situação é temporária? Todos os moradores colaboram? Sua casa não é grande mais? Você não tem coisas demais? Antes de pensar em contratar uma faxineira, vale a pena avaliar todas essas questões.
  3. Se você tem dinheiro e uma vida extremamente ocupada, do tipo que fica fora uma semana, volta, dorme uma noite em casa e precisa sempre de roupa limpa e passada para reuniões, pode ser algo a se considerar.

Por muito tempo, eu fiquei um pouco cismada com a coisa de ter uma faxineira, porque me considero uma pessoa organizada. No último mês, no entanto, mudei bastante minha concepção a respeito, porque organização não tem a ver com limpeza, somente. Eu posso ser uma pessoa organizada sem a menor vocação para limpar a casa. Da mesma forma que delego tarefas no meu trabalho, eu posso delegar as tarefas de limpeza da minha casa para outra pessoa para poder me concentrar nas atividades que realmente considero importantes. É só ver como as próprias organizadoras profissionais trabalham com auxiliares para a parte mais pesada ou mesmo contratam outra pessoa para fazer a limpeza.

Mas, mais do que tudo isso, é importante dizer que eu me considero um exemplo para vocês. Como eu posso dar uma palestra sobre manter a casa organizada no dia-a-dia, ensinando a criar rotinas de limpeza, se eu mesma não faço isso? Bom, eu faço, e isso foi um compromisso importante que adotei comigo mesma. Mas eu sei que há exceções, e não podemos julgar. Fiquei imaginando se eu tivesse uma vida bem cheia de compromissos, mais do que hoje em dia, com jantares diariamente, muitas viagens, sabem? Eu viajo a trabalho, mas não tanto. Mas tem gente que viaja o tempo todo, trabalha todos os dias até muito tarde. E chega no domingo de madrugada, precisando de uma camisa passada às 6h da manhã seguinte. Será que realmente devemos nos martirizar somente para não aceitar ajuda de um profissional?

Por isso, minha opinião geral sobre ter um profissional ajudando na limpeza de casa é a seguinte: se puder contratar ajuda, contrate. Se não impactar no seu orçamento, não há motivo para martirização. Sei que principalmente as mulheres ficam com um sentimento terrível de culpa por não conseguirem dar conta da casa, mas precisamos nos livrar disso. Hoje eu cuido da limpeza do meu apartamento junto com o meu marido. Se ele não fizesse a parte dele, eu pensaria seriamente na contratação de uma pessoa, porque acho que a nossa casa deve nos servir, e não o contrário. Mas eu repensaria meu casamento também, porque estou falando de companheirismo. Eu acho que, no final das contas, há muita coisa envolvida.

Aqui em casa, meu marido desde o início foi contra chamarmos uma diarista para vir a cada 15 dias. Eu que insisti. No final, acabei desistindo da ideia porque sabemos que damos conta. Nos dias que não ficamos em casa, não tem importância não limpar nada porque também não sujamos. Precisamos, na correria do dia-a-dia, ter um grau de tolerância maior com a sujeira leve (poeira, por exemplo), porque ficar obcecado com a limpeza não é legal. Ninguém com filhos pode ter uma casa brilhando e sempre limpa, a não ser, é claro, que tenha uma empregada em tempo integral. Eu não vou parar minha vida, deixar de ficar com o meu filho, ver um filme com o meu marido, escrever meu TCC para tirar o pó de todos os móveis da casa. Questão de perspectiva, abaixar expectativas e aceitar a realidade.

Por isso, para você que estranhou aquele item na minha lista, saiba que ele foi um objetivo que durou pouco tempo. Já foi excluído e, até onde eu puder, ficará permanentemente fora dos meus checklists. Mas, diferente de outros tempos, não tenho nada contra.  É algo que me deixa feliz saber que sou uma pessoa saudável que consegue dar conta da casa onde vive e ainda passar esse sentimento para quem lê o blog.

48 comentários . Comentar via blog

  1. Poxa, vc falou tudo!
    Eu tenho a vida muito corrida e passo o dia todo fora.
    Sempre relutei em contratar uma diarista, afinal
    moro sozinha e sou organizada, não tem muita bagunça.
    Mas ultimante, contratar uma diarista é uma ideia que sempre me vem a cabeça, em especial no domingo, meu único dia de folga e dedicado a faxina!
    Com certeza irei procurar uma diarista para o próximo final de semana.
    Um domingo de folga, inteirinho meu, não tem preço!

    Beijo.

    Responder
  2. Ednice

    Desde que casei, 11 anos atrás, sempre tive faxineira 1 vez por semana, tenho 2 filhos, trabalho fora e moramos num sobrado. A faxineira já avisou que a partir do que vem não vai mais trabalhar, estou pensando seriamente em não contratar ninguém e tentar tomar as rédeas da minha casa. Tenho destralhado bastante e preparado minhas listas para o novo desafio, acho que a parte mais difícil vai ser a da colaboração, mas estou super disposta a tentar. Cada vez que leio seu blog me sinto mais motivada a isto !
    Bjs

    Responder
  3. Te entendo, chega uma hora que a necessidade de uma ajudante em casa é necessário.Tive uma diarista e optei por não querer mais, ajuda sim, atrapalham sim!! no inicio tem cuidado com a casa , com as coisas com um tempo relaxam e vc começa a notar fissuras em prato, móveis com cantos detonados.Sinceramente hj tenho só uma passadeira para continuar com os meus armários organizados.
    Mas tem um detalhe sou mãe 100% e do lar tb essa foi munha opção até meus filhos crescerem, não sei se foi a melhor escolha pra mim mais por meus filhos!!

    Responder
  4. Adriana

    Pra mim, vcs estão falando grego. Na casa da minha mãe, sempre tinha alguém ajudando (quando o $$ era bom, uma empregada regular, sempre com todos os direitos trabalhistas em dia, claro. Quando o $$ era curto, uma diarista 1 ou 2 vezes por semana). Depois q me casei, fiquei uns tempos sem ninguém em casa, porque queria construir uma rotina com meu marido. Quase nos matamos.

    Daí resolvi contratar uma mocinha q vinha ajudar na limpeza pesada a cada 15 dias, e a qualidade de vida melhorou ABSURDAMENTE! kkkk! Foi pra eu perceber q realmente, cuidar de limpeza da casa não é a minha praia.

    Depois q as crianças nasceram, nunca cogitei a hipótese de fazer tudo sozinha. Essa sensação que vc menciona ali, de culpa por não dar conta da casa, me é completamente estranha. Simplesmente prefiro ocupar meu tempo trabalhando (minha hora sempre valeu mais que a hora da diarista, ainda bem) ou cuidando de mim, do marido, de algum lazer.

    Atualmente tenho uma babá para as noites q eu e o mareedo estamos trabalhando, e uma diarista q vem 2 tardes na semana, pra cuidar de roupa, louça e chão. Prefiro não fazer nada. Eu e serviços domésticos somos meio que inimigos mortais. =/

    Responder
  5. Tati

    Tambem já estive na mesma duvida.. Principalmente por influencia do meu noivo, que acha que deveríamos ter uma diarista pq passamos o dia todo fora e ainda precisamos ajeitar a casa. Acabei não cedendo, pq o ap é pequeno e somos só nos dois, quase não tem bagunça (cozinhamos pouco, usamos só um dos banheiros, mantemos tudo em ordem).. Achei um absurdo eu ter alguém pra auxiliar sendo tão pouca coisa! No fim continuo fazendo tudo sozinha (ele ajuda, mas faço a maioria das coisas) e nao acho ruim. Eu adoro cuidar da minha casa, das roupas, deixar tudo limpo e cheiroso do nosso jeito.. O que eu penso é pegar alguém com uma freqüência maior, tipo a cada dois meses, pra fazer aquela limpeza pesada: lavar os vidros por fora, limpar bem os azulejos dos banheiros e cozinha etc. Mas nem isso eu decidi ainda!

    Responder
  6. Bruna Barros

    Acho q vc lê minha mente menina!…rsrs
    Não é a primeira vez q estou num dilema e vc vem com seu post..
    Eu tinha uma moça q vinha 1 x por semana.. qdo engravidei da minha segunda filha ela resolveu aumentar o valor da faxina em mais de 30% e eu achei um absurdo e dispensei… poxa bem na hora q mais precisaria dela.. não fazia nem 3 meses q tinhamos ajustado os valores… fiquei mal… e resolvi q eu daria conta d td sozinha… até q dei.. meu marido é super parceiro, ajuda muitooo.. mas com 2 filhas o tempo se torna muito escasso, tem a alimentação da maior, a amamentação da menor, os banhos, as trocas de fraldas.. e paa piorar daqui 2 semanas volto a trabalhar!.. ou seja do tempo q era pouco eu terei 5 horas a menos diariamente…rs
    Passei a pensar seriamente em contratar novamente ou de 15 em 15 dias ou semanalmente… o q acham?
    Alguém pode me dizer o valor da diarista em suas cidades?

    Responder
  7. Carina d'Avila

    Só acho que cabe uma observação: em países desenvolvidos eles se viram muito bem sem diarista/faxineira porque eles têm como fazer isso.
    Eles têm equipamentos que reduzem – e muito! – o tempo das tarefas domésticas e são ACESSÍVEIS, coisa que aqui não são nem de longe.
    Digo isso porque minha cunhada voltou após 3 anos morando nos EUA e trouxe todos os eletrodomésticos (todos mesmo) e é revoltante: eles só faltam falar e custaram uma pechincha.
    Por exemplo, uma lava e seca, que não estraga a roupa (até porque a roupa de lá tem muito mais qualidade e é muito mais barata que uma peça de material vagabundo aqui de uma loja de departamento) que te poupa o tempo de estender e recolher a roupa e, algumas vezes, passar. Uma máquina como aquela custa brincando 3 mil reais aqui e o que ela pagou foi ridículo. Ou o triturador de pia, que poupa o acúmulo de lixo orgânico e, consequentemente evita a necessidade de troca e limpeza mais constante do lixo. Um desse no Brasil custa mais de R$ 800(!!!!!). Uma geladeira com dispenser de água,também, é barato e evita encher as garrafas. Aqui, não preciso nem dizer.
    Isso só para citar alguns exemplos.
    Ou seja, não pode ser o parâmetro da nossa comparação a vida deles sem ajudante (logo, não podemos nos martirizar). Ainda que optemos por não ter uma, é uma escolha que envolve mais sacrifícios (ou afazeres) para nós do que para eles.

    Responder
  8. eu to no dilema… contrato? não contrato? (no meu caso, 1x por semana). mas e o barrigão? (tô gravida e no sexto mes). e depois q o Antônio nascer??? eu sou marinheira de primeira viagem!!! aff..
    enfim…
    mto bom o texto! =)

    Responder
  9. Marcia

    Thais, da última vez que vc escreveu sobre diaristas, eu achei vc muito talibã no assunto. Vc gosta de limpar sua casa, mas muitas mulheres não, e somente o fazem por necessidade. Eu limpo melhor que qualquer faxineira que já tive, mas prefiro tercerizar o que dá e gastar meu tempo fazendo outras coisas que EU considero mais importantes, como exercícios físicos, ler ou cozinhar sem utilizar coisas enlatadas e artificiais. Atualmente estou morando no Canadá (sem faxineira) e vou te falar uma coisa: as pessoas cuidam das próprias casas sim, mas o que eu vi até agora, é que elas tem um padrão de limpeza incrivelmente baixo! Nata de poeira nos lustres, e armários e todo mundo vai trabalhar de camiseta amassada. Quase morri na primeira faxina que tive que fazer aqui! E pelo que eu ouço, praticamente todos os países onde as mulheres trabalham fora e não dá para contratar uma empregada, o padrão de limpeza é esse. Enfim, prioridades e gosto, cada um tem o seu.

    Responder
  10. Graziella

    Eu escolhi por não ter, pq não suporto o dia que elas vem em casa. Não gosto de ficar em casa com elas hehe. Já tive uma que tinha a chave de casa, eu saía e ela ficava, era de confiança, e esta era tanta que começou a aparecer quase de noite, aos sábados. Aí cansei…Fora que comigo sempre quebram alguma coisa, e não fazem do jeito que eu gosto. Seria ótimo ter alguém, pq não sou chegada em “faxinar”, mas esse site mudou minha vida. Sou dona de casa, com um bb de 7 meses e minha casa vive limpinha, graças as brilhantes dicas da Thais :)

    Responder
  11. Juliana

    O problema para mim não é nem dar conta das tarefas (eu não dou) não que eu não tenha tempo pois se fosse mais organizada e me matasse até daria conta, mas chego exausta do trabalho e ter que fazer tantas coisas me irrita. Chega fim de semana e lá vamos nós lavar, limpar, e eu fico chateada por ter tantas coisas que eu gosto de fazer e no entanto tenho que fazer tarefas domésticas que eu não gosto. Mas como encontrar alguém de confiança para ficar na sua casa??? Incomoda muito deixar alguém sozinho na minha casa. O que eu queria era uma faxineira a cada 15 dias para fazer limpeza pesada, limpar armários da cozinha, janelas, cantinhos chatos e tal, já fiz uma experiência com 3 pessoas e todas acham que faxina é varrer o chão, passar um paninho, lavar os banheiros e dar um espanadinha bem básica nos móveis, poxa, isso eu mesma faço e não preciso pagar para fazer! Enfim, essa questão é frustrante mesmo, acho muito difícil e desgastante e no momento até desisti da ideia.

    Responder
  12. Olha… não vejo motivo de sentir culpa por precisar de ajuda. Eu lembro uma época eu trabalhava 14 horas por dia, de segunda a sábado… Quando contratei uma faxineira quinzenal foi simplesmente a glória! Eu estava tão exausta, tão pirada, que a segunda ajuda que eu contratei foi uma psicóloga pra me tratar.
    Vc falou que as americanas e européias cuidam sozinhas da casa e tal, que elas dão conta. Estou morando nos EUA há dois anos e te garanto que aqui é MIL vezes mais fácil cuidar da casa. Quer saber por que? Não sei como é no país inteiro, mas aqui na minha casa não tem barata, não tem rato, não tem formiga, não tem mosquito, não tem fuligem de ônibus, não tem umidade nem mofo. Não preciso ficar neurótica com farelos na pia, com embalagens mal fechadas, com a toalha que ficou úmida no banheiro… nada, porque nenhum bicho vai vir comer e nada vai mofar. Além disso não preciso lavar tanta roupa, porque é muito mais frio e a gente nem sua, dá pra repetir várias roupas tranquilamente. Minha casa já veio mobiliada com máquina lava-louças gigante (lava panelas), lavadora e secadora (que é excelente e a roupa sai praticamente passada), tem triturador na pia, o aspirador é super eficiente e TODOS os produtos de limpeza são muito melhores – esponjas, esfregões, papéis toalha, TUDO dura mais e é mais eficiente. Há dois meses fui pro Brasil visitar minha mãe e quase pirei pra lavar a louça porque a Scott Brite dela é um lixo perto da Scott Brite americana que eu tenho em casa… Fora fazer comida e outras tarefas que aqui nos EUA é infinitamente mais simples (a alface vem lavada e picada, os mercados e feiras são mais organizados, todos os eletrodomésticos tem timer, etc). Enfim, ano que vem volto pro Brasil e se Deus quiser, para uma nova carreira e um novo trabalho. Penso que não dá pra comparar Brasil e EUA ou Europa. São realidades muito, muito diferentes. Clima, cultura, natureza, disponibilidade de produtos… tudo diferente. Se eu precisar de faxineira no Brasil, vou contratar sem culpa.
    Enfim… você não é menos organizada por contratar alguém pra te ajudar. Mesmo que você não trabalhasse e só cuidasse da casa, ainda assim não acho que é desorganização contratar uma pessoa para limpar a casa. O mais importante você já disse, é o tempo que a gente dedica a cuidar da nossa família e fazer da casa um lar. E nem sempre é limpando que a gente atinge este objetivo, né?
    Um abraço!

    Responder
  13. Renata

    Thaís, concordo com o que você disse e com a sua escolha de não contratar uma auxiliar. Apenas queria reforçar o ponto que as meninas já expuseram nos comentários, acerca da vida no exterior. Morei na França durante 6 meses, tendo contato com famílias francesas. Além de todos os aspectos citados anteriormente: produtos melhores, os eletrodomésticos, o CLIMA – faz muita diferença, afinal, moramos num país tropical e isso significa umidade, mosquitos, etc. – a qualidade de vida como um todo faz muita diferença. Não digo que é um país melhor que o nosso, mas é inegável que eles têm horários de trabalho bem mais reduzidos que os brasileiros, que o sistema de transporte público funciona infinitamente melhor que aqui (você sabe a hora que o ônibus chega, o tempo do trajeto, a que horas estará em seu destino), que eles têm uma legislação que valoriza o lazer e o direito a um tempo livre. Fora a segurança que é bem maior. Ou seja, isso tudo dá muito mais condições de cuidar da casa. :)

    Responder
  14. Thais

    Eu nao teria nunca uma empregada todo dia, o dia todo, acho invasivo e aqui seria carissimo. A gente tem uma faxineira a cada 3 semanas epor 3 horas (um “grande” total de 4.5 horas por mes!”) que faz a limpeza pesada, tipo janelas, o chao com maquina a vapor… No dia a dia funciona pq eu e Ben somos mt bons in clean as we go. Mas essa faxina pesada tomaria muito tempo porque a casa eh grande, e acabaria tendo que ser feita ou a noite ou nos fins de semana, e somos muito radicais em ter tempo de qualidade como casal e como familia. Entao nao tenho a menor culpa de ter essa ajuda de metade de um dia por mes. Como nos dois trabalhamos fora, nao ter significaria abrir mao ou de uma casa grande ou do nosso tempo de casal/familia, e nenhum dos dois eh uma opcao pra gente.

    Bjos

    Responder
  15. Renata

    Faxineira de 15 em 15 dias para o “grosso” e era ótimo… eu gosto de arrumar a casa, mas existem outros afazeres e não quis mais ficar implicando com o marido quando ele não arrumava alguma coisa… pela felicidade do casamento :)

    Responder
  16. Tenho ciúme da minha casa..rss
    Não gosto que outras pessoas ponham a mão, nem mesmo o meu marido.
    Meu marido não ajuda em casa, porque eu não deixo.
    Gosto de fazer as coisas do meu jeito e tenho tempo pra fazer tudo.
    Não se trata de materialismo, mas sim prazer em cuidar do lar.
    Minha casa não é 100% limpa, mas eu prefiro deixá-la do jeito que está (dando faxina pesada quando posso e mantendo o básico sempre: comida pronta, roupa lavada, louça lavada, banheiro limpo e chão varrido)do que contratar uma profissional de limpeza.
    Eu só contrato para limpar o teto (forro de pvc que mofa, moro numa região muito úmida).

    Responder
  17. Thais Godinho
    Thais Godinho

    Quando eu acreditava que ninguém precisava de diarista, era porque estava muito voltada ao conceito de simplicidade voluntária de querer simplificar tudo na vida, inclusive o tamanho da casa onde moramos. Pode servir de reflexão, mas eu concordo que é somente uma opinião e voltada a uma realidade possível – ou seja, de uma pessoa que tenha o poder de fazer essa escolha, sem filhos, provavelmente morando sozinha etc. Nem todo mundo pode, nem todo mundo quer.

    Eu também não gosto de pagar as pessoas para fazerem algo que eu mesma possa fazer, de faxineira a manicure, mas isso é um conceito meu. Me sinto mal tendo que fazer essas coisas. Se eu não tivesse isso, acho que minha vida poderia ser mais simples mesmo.

    Tem que ver o impacto financeiro de ter uma diarista. Para mim, esse é um dos pontos principais. Para quem realmente não tem tempo, acaba virando prioridade. Se eu entrar em uma rotina de viagens e começar a dar aulas à noite diariamente, certamente terei que pensar nessa possibilidade novamente. Mas, mais do que isso, vou repensar na verdade o meu tempo todo, porque ficar mais tempo fora significa ficar mais tempo longe da minha família também. Assim como há mães que sequer tem como escolher – elas precisam fazer e dar conta de tudo, pois já está difícil financeiramente sem essa opção.

    Cada caso é um caso…

    Responder
  18. Dani Facchinetti

    Me casei recentemente, exatos 6 meses e decidimos que não precisaríamos de uma faxineira, afinal um casal jovem sem filhos em um apartamento de dois quartos não teria problemas… engano nosso, primeiro porque eu sou uma pessoa que simplesmente ODEIA fazer faxina, não tenho nenhuma vocação para isso ou seja sempre fiz por obrigação e meu marido tb! Estipulamos dias para a faxina e nestes dias nós dois ficávamos com um tremendo mau humor… conclusão nesta quarta-feira irei testar uma faxineira, pois apesar de nossa situação financeira não ser o que ainda desejamos acredito que o que vale mais é o nosso bem estar, chegamos a conclusão que é melhor deixar alguns programas caros de lado e investir nisso….quarta-feira depois da faxina vou poder ter certeza disso! Beijos Thais adoro o blog!

    Responder
  19. Tenho uma faxineira que vem uma vez por semana (gostaria que ela viesse 2 vezes, mas ela não tem mais horário) e posso dizer que minha vida pode ser dividida: Antes e Depois da Telma (faxineira) rss … Eu nunca conseguiria manter tudo limpo a semana toda se não fosse a faxina geral que ela faz uma vez por semana … Com a ajuda da faxineira, manter a casa limpa e organizada é bem mais simples, sem contar que não rola aquele estres de faxina (prá mim não tem coisa pior). Só de saber que a minha casa ficará impecável no dia que ela vem me dá uma tranquilidade imensa e chegar em casa, abrir a porta e sentir aquele cheiro de limpeza ,, Hummm isso p´ra mim não tem preço !!! Amo muito !!!
    Agora só esclarecendo, a minha faxineira só limpa e passa … Essa questão de organização e colocar as coisas no lugar ela não faz, cabe a mim manter minha casa organizada sempre … E confesso que o que não falta é coisa para organizar, só que é muito mais gostoso organizar aquilo que já esta limpo né?!? … Mantenho a mesma rotina de tarefas semanais que divido com o marido, pois se não fizermos a casa vira um caos, sem contar a rotina de lavanderia (lavo roupas todos os dias) que se eu bobear o cesto de roupas transborda. Então resumindo: Mesmo tendo a faxineira semanal eu preciso rebolar para manter a organização e a casa limpa a semana toda (nem sempre eu consigo).
    Sou super a favor de ter uma ajudante, se precissasse eu abriria mão de muita coisa para mantê-la conosco … É claro que esta é minha opinião pessoal, vivi os dois lados (ter e não ter) e hoje não abriria mão dessa ajuda.

    Bjs

    Responder
  20. Organiza-se

    Ah Thaís!!!
    Depois de várias faxinas pesadas, após o término da obra, e sem ter tempo para terminá-las, esse final de semana contratei uma faxineira para me ajudar a por tudo em ordem (estou de mudança)

    Me senti tão melhor…finalmente a minha casinha está ficando nos eixos!!! E logo logo poderei tomar as rédias novamente, assim espero!!!

    Serviço de casa é muito cansativo, ainda mais quando se trabalha fora, em dois empregos então!!! Nem se fala…meu esposo me ajuda, ainda não tenho filhos, mas ele não tem jeito para coisa, por mais que se esforce para me ajudar. Também ´só temos tempo para casa aos finais de semana, assim fica difícil.

    BOM VOU FICAR COM MAIS DUAS FAXINAS E ESPERO DEPOIS SÓ TER ALGUEM PARA PASSAR A MINHA ROUPA PORQUE EU DETESTO PASSAR ROUPA!!!

    Responder
  21. Sandra

    A melhor coisa que fiz na minha vida foi contratar uma faxineira a cada 15 dias. Parece que consegui me organizar mais. Meu marido não ajuda em nada em casa e ainda é muito bagunceiro. Fora que eu odeio serviços domésticos. Agora posso ir pra academia e ficar um pouco mais com meu filho de 3 anos. Não considero um gasto, e sim, um investimento na minha qualidade de vida.

    Responder
  22. Soraia

    Cara Thais,
    Esse dilema é longo… eu tinha uma pessoa que me ajudava muito mas também me irritava porque tirava as coisas do lugar para limpar e não consegue voltar, ou seja, não acho nada depois da vinda dela sem contar que a tal faxina se resume ao básico e também tem os estragos feitos nos acabamentos do apartamento, no microondas, e na última fiquei sem luz pois ela molhou as tomadas e deu curto… o que percebo por aqui é que o serviço não é tão bom e é cada dia mais caro… vou tentar sobreviver somente com uma passadeira de 15 em 15 dias..Já imaginou alguém limpando seu escritório e mudando todos os seus livros, pastas de lugar… kkkk passei por isso… meu toc não permite mais…

    Responder
  23. Taí uma coisa pela qual não sofro: tenho diarista sim e amo. Ela faz o trabalho pesado e eu me dedido ao dia a dia. Meu marido tb ajuda em casa, muito, foi educado assim (valeu, sogra!). Mas se eu tivesse que limpar td sozinha ia ter que abrir mão de fazer alguma coisa, mesmo com o esquema do FLY. Provavelmente ia ser de alguma coisa de lazer. Mas tb poderia ser de um frila, ou meu marido de um plantão. Pensamos assim. Todo dia tem 24 hs, então tudo é um trade off. Ou faç isso, ou faço aquilo. Se eu ganho muito mais por hora do que pagaria numa diarista, é melhor eu trabalhar entao, ganahr o dinheiro e pagar a diarista do que “economizar” o que pagaria nela. Durante mt tempo não tive diarista, pq isso ia ser um gasto pesado pra mim, pq estavamos juntando pro casorio. Mas assim que nossas finanças estavam ok, contratamos uma que eu adoro. Ela limpa e eu organizo e NUNCA vou me sentir culpada por isso. Imagina, sou feliz, minha casa tá sempre em ordem, eu tenho tempo pra td que quero. Meu marido até já propos dela vir mais vezes na semana, ou todo dia, mas pra mim como está está bom. Eu ainda levo pelo menos 1h por dia com a casa, pq temos cachorro no apto, tem que limpar tudo todo dia. Iagina se ela não viesse. Acho que o importante é saber que cao a grana não dê, algo aconteça, os dois vão estar dispostos a cuidar da casa sozinhos e juntos, mas podendo ter ajuda, é muito bem-vinda! bjs,

    Responder
  24. Ainda não tenho minha própria casa (falta pouco!rs..) mas também sou do tipo que gosto de fazer tudo eu mesma. Mas quando morei fora (pelo menos na minha experiência) notei que as pessoas conseguiam viver sem faxineira porque a maioria não trabalha tanto quanto trabalhamos aqui (salários maiores e qualidade de vida melhor possibilitam jornadas menores de trabalho), e a maioria não deixa a casa tão impecável quanto temos o costume aqui. Mas este serviço está ficando cada vez mais caro por aqui também, então acho que é algo que eu tentaria viver sem tanto quanto possível..

    Responder
  25. Nair

    Ô, Deus!! Dilema!! Dilema!! Estou casada há 1 ano e meio e moro com meu marido e nossa cachorrinha num loft de 60 metros quadrados! Quando nos casamos, tinha certeza de q deveria contratar uma diarista de quando em vez e q boa parte das roupas (as de cama, pelo menos) seriam lavadas na lavanderia! Pensava assim pq eu sempre tive, desde a infância) tudo nas mãos e nunca precisei me preocupar com os detalhes de uma casa bem limpa e organizada! Doce ilusão! Em 1 ano e meio, só tivemos diarista num meio período quando eu passei uma semana fora de Brasília e meu marido quis q eu encontrasse a casa super limpa!! De resto, faço tudo sozinha (exceto cozinhar, obrigação do marido Chef) e venho aprendendo e apanhando dia após dia! Sempre levanto as mesmas questões que você, Thaís, e ainda vejo 3 agravantes: sou desconfiada ao cubo; não gosto de estranhos mexendo nas minhas coisas e acho um absurdo pagar a faxina (de meio período) pelo mesmo valor q minha mãe paga numa diária num sobrado de 4 quartos! Isso mesmo, pq nós moramos em “bairros” diferentes e pq ela conhece a diarista dela há mais de 30 anos! Que embora seja de confiança, vive estragando e quebrando coisas e não tem vaga pra dia algum!! Sou louca?!?!? Aos poucos, vou me organizando… Muito com sua ajuda aqui no blog!! E uma coisa q eu coloquei na cabeça e sempre lembro antes de enlouquecer: minha casa nunca será aquela casa impecável de cinema!! :D

    Responder
  26. Cíntia

    Adoro seu blog e engraçado que cheguei até aqui a pouco tempo justamente procurando o que precisava ter uma listinha de produtos de limpeza para eu comprar para faxineira. Bom a minha estória é a seguinte, casada há 2 anos sempre demos um tapa no apê eu e marido, acontece que fica impossível limpar azulejos, janelas e afins sempre, ou seja o “tapa” fica com cara de mal feito, mal limpo, sabe? Depois de milhões de resistências de minha ´parte e do marido que achávamos dinheiro mal gasto, pois nós poderíamos nos esforçar e fazer, foi que decidimos, chamar uma pessoa para limpar coisas pesadas, a boa? além das coisas pesadas ela ainda deu seu “tapa” no básico e essencial!!! Agora vamos chamá-la avulso para quando precisar limpar estas coisas de azulejos, janelas, e afins! E a grana? Gasto isso comendo fora ou numa tarde de cinema e almoço no shopping. Ela ficou das 08hs até as 16:30 limpando, ganhou 10 reais por hora de faxina pesada o que eu demoraria dias para executar tudo. valeu muito a pena!!!!

    Responder
  27. Carla

    Thais, acabamos de passar por esse dilema.
    Resolvemos, muito por minha insistência, por contratar uma faxineira a cada 15 dias. Estou tão satisfeita, que penso em aumentar (assim que $$$ permitir) para 1 vez por semana.
    E acho que os motivos são muito parecidos com algumas coisas que tu falaste. Eu gosto de limpar minha casa, sempre gostei e por isso há mais de 5 anos vinha adiando. Depois que casei então, adiei mais ainda. Mas até um ano atrás morava num apto menor e estava integralmente dedicada ao meu doutorado. Eu era bolsista CNPq e minha rotina era de uma simplicidade grande e gostosa. Com um apartamento pequeno, meu marido (há dois anos moramos juntos) colaborando e tudo super organizado, sobrava tempo.
    Há um ano aceitei um emprego numa cidade que fica há três horas de Porto Alegre. Passo dois dias da semana em Pelotas e os outros em casa. Continuo fazendo meu doutorado em História e além de dar aula, coordeno um projeto de pesquisa e participo de dois de extensão. Pra não falar de outros projetos mais curtos (dois ou três meses) e as viagens à Congressos e eventos. E tudo no trabalho tem em encantado tanto. Além disso, compramos um apto maior.
    A escolha pelamudança de apto envolveu muitas coisas, como o fato de comprarmos e não mais alugarmos, uma localização que nos permitisse, em Porto Alegre, não usar carro ao máximo (estamos adiando a compra) e mais conforto.
    No início, como investimos pesado em eletrodomésticos que nos poupassem tempo (lava e seca, processador de alimentos, geladeira frost-free) não sentimos tanto o aumento no tamanho. Uma coisa compensava a outra. Mas aí, há dois meses eu fiquei doente (tive uma bronquite alérgica grave), meu marido ficou atolado de trabalho e a casa ficou um caos. E eu não me sentia bem com aquilo e o pior, me deixava mais doente o excesso de poeira doméstica. Foi quando chamamos a Veridiana.
    Veridiana é uma faxineira acima da média. Ela limpa a casa melhor do que eu quando tinha tempo, porque realiza com uma frequência maior as tarefas pesadas.
    Além disso, descobri tempo para algumas coisas que eu precisava e não conseguia mais fazer, como exercícios físicos (indicação médica neglicenciada por quase um ano!!!).
    Eu me orgulhei por muito tempo de ter uma casa destralhada (e que continuará assim!) e funcional, que era responsabilidade exclusiva dos seus habitantes. E acho que bom é assim. Mas nesse momento da minha vida, prefiro delegar essas tarefas temporariamente à Veridiana (que quer e precisa trabalhar) e cuidar do minha carreira, algo que eu venho batalhando há muito tempo.
    Não foi fácil, não foi simples, nem vem sendo. Sempre se trata de um estranho cuidando de coisas caras (queridas) da gente.
    Achei legal contribuir com a tua reflexão, falando um pouco da minha opção. E gosto muito da forma como tu vem colocando as coisas. O que serve para alguns, não serve para outros.

    Responder
  28. Ludmila

    bom, eu tive diarista por vários anos. Já nem sabia mais direito o que era fazer serviço de casa. Recentemente tive que dispensar a diarista por motivos financeiros. Sabe, por um lado não é nada fácil limpar a casa (moro em chácara, a casa é meio grande, tem cachorro, etc.). Por outro lado, minha casa ficou muito tempo “na mão da empregada’, como diria minha mãe, e ficou meio largada. Estou reaprendendo a cuidar da casa, a fazer limpeza e ver o quanto é pesado. E a dar valor a isso. Mesmo com a trabalheira, estou satisfeita por enquanto. Mas em 2014 volto a ter diarista, pois quero passar o domingo cuidando do jardim, e não limpando casa! Abração!

    Responder
  29. Ana Claudia

    Então, adoro o seu blog, eu estava realmente precisando de um empurrãozinho pra destralhar minha casa…rs…E está dando certo!
    Mas se tem uma coisa que eu nunca senti foi culpa em ter uma diarista…hehehe…Sério, eu tenho uma pessoa que vem duas vezes por semana aqui em casa. É uma benção! Tenho mais tempo pra mim, meu marido, meus filhos, meu trabalho… Acho ótimo! No stress…

    Responder
  30. Danielle

    Turma… gostaria muito de chegar aqui e falar que dou conta do meu recado doméstico, mas não dou! Assim tenho um anjo da guarda que atualmente mora comigo. Pago caro pelo serviço e muitas vezes acho pouco! Até levar filho na natação e cachorro no pet ela faz. No entanto, isso não diminui a necessidade de ter a DONA da CASA. Infelizmente por sobrecarga de trabalho deixo tudo nas mãos dela e meu marido reclama. Ele é super organizado (eu nem tanto) mas como eu tem pouco tempo e às vezes a bagunça acumula e o esforço para resolver é maior. Agora quem pode contratar uma ajudante deve fazê-lo sim, pois delegar funções também é característica de uma boa dona de casa. Há muito mais com o que se preocupar na vida gente… Thaís (já disse isso aqui antes):se eu fosse 30% do que você é mais a ajudante que eu tenho… minha casa seria de revista! Abraços a todas!

    Responder
  31. Jussara

    Faço algumas reflexões sobre o post:
    – Ocupemo-nos do essencial. O que é essencial? Saúde, família, trabalho, casa, hobbies, atividade física, dinheiro? Impossível, porém, fazer tudo com perfeição, algumas coisas sempre ficarão em segundo plano.
    – Como temos dificuldade em delegar, em dividir o que é nosso, seja o espaço físico, seja o salário, seja o cuidado com aquilo e aqueles que amamos…
    – Até que ponto esse orgulho que nós temos de fazermos tudo (verdadeira síndrome de mulher maravilha)é benéfico? Às vezes é tão difícil ser humilde e pedir ajuda, não é?
    Não há certo ou errado, apenas o que é melhor pra cada um. Mas, de todo modo, acho que vale a reflexão de como estamos conduzindo nossas vidas.
    Beijos a todos

    Responder
    1. Thais Godinho
      Thais Godinho

      Vocês estão quase me fazendo mudar de ideia, rsrs.

      Responder
  32. Lilian

    Oi, Thais.
    Fico feliz que vc tenha reavaliado isso.
    Eu tenho me tornado uma pessoa mais organizada desde que comecei a ler as coisas por aqui.
    Só que entre ser organizada e dar conta da limpeza mais pesada, são outros 500. A diarista é pra isso. Moro em casa e enquanto manter a casa em si limpa até que é simples, lavar quintal toma um tempo maldito. ok que dá pra levar a cada 15dd, mas é o que? Um fds em que eu poderia estar descansando, fazendo algum projeto pessoal, visitando minha família ou a do meu marido, e que eu vou perder pra esfregar quintal, que por mal dos pecados foi feito em piso claro, a casa é alugada e etc. Então ou convive com imundície, coisa que eu detesto, ou “terceiriza”.
    Em um mundo em que eu ganhasse melhor, a diarista seria semanal e eu ficaria feliz em ter horas a mais pra outras coisas. Enquanto esse dia ainda não chega, deixa quinzenal. Melhor que querer abraçar o mundo com o mindinho e viver doente por não dar conta de tudo.
    []s

    Responder
  33. Antonia

    Olha Thais eu moro na Espanha e cuido eu e meu marido de uma casa enorme de tres andares com pomar e jardin,pois claro è muito mais facil cuidar aqui, temos eletrodomesticos super eficientes, produtos de limpeza que limpam, e maquinas que lavam, as casa nao tem bichos nem mofo, tem panelas programaveis pra cozinhar, maquina de pao, cafeteira automatica, forno de mocroondas e convencional ar, os fornos sao piroliticos se limpam sozinham, e as placas sao de vitroceramica o induçao voce passa um paninho de microfibra e ja esta,tenho tempo livre pra fazer tudo que gosto.Pois sim as diaristas aqui costumam cobrar de dez a doze euros a hora e normalmente faxinam 4 horas por dia, uma empregada domestica custa cer de 800 euros ao mes por oito horas coisa quenem gente rica tem, e uma normal 600 euros quatro horas.
    Limpam sim as espanholas sao super neurosticas com limpeza principalmente se pagam. Baba è coisa de riso ninguem tem simplesmente nao tem se viram eja esta. Criança vai na creche ou escolinha e pronto.
    Cozinhar aqui è facil sim se vc quer comida pre feita otimo, eu prefiro comida de qualidade assim que tudo que comemos fazemos nos.
    Bem estamos num pais que ontem começou a temporada de caça menor, onde os homens sao chamados de mi rey, e sequer se pensa em pedir colaboraçao.
    Bem por todos esses motivos cuidar da casa aqui è muiiito mais simples que ai no Brasil.

    Responder
  34. Ai, eu tinha escrito um baita comentário e perdi tudo…

    Enfim, resumindo: em termos de limpeza, ou se desiste, ou se reclama menos, ou se terceiriza.

    Em NY, que conheci pouquissimo, o povo limpa menos que aqui. Lá fora se tem melhores eletrodomesticos que nós, logo, a tarefa pode ser menos pesada.

    Responder
  35. THAIS, aproveitando, uma vrz te pedi via Facebook um guia de donos de primeiro imovel proprio.

    Na verdade, leio cada dia mais sobre Minimalismo, as vezes Simplicidade Voluntaria e me interesso. Gostaria de pedir, se possível, um guia para noivos e noivas e gente que comprou um imovel e quer habita-lo da forma mais simples, minimalista, e destralhadora possivel.

    Exemplo: já li em diversos lugares que é melhor uma pessoa ter dois jogos de lençol BONS por cama. Evite acúmulo, e é mais fácil de administrar as coisas.

    Enfim, uma guia de como re/começar do ZERO.

    Responder
    1. Thais Godinho
      Thais Godinho

      Lily, é super complicado isso. o minimalismo é sobre o que é essencial PARA VOCÊ. logo, uma lista genérica não atende essa necessidade. Mas é difícil, um eterno exercício. Boa sorte. =)

      Responder
  36. aline

    Olha Thaís eu até concordo com tudo o que vc falou, digo, digitou..rs.. mas acho legal também pensar que pagando a diarista, quando possível, estamos ajudando alguém que precisa fazendo também o dinheiro circular..abraço!

    Responder
  37. Mara

    Eu não tenho peso nenhum na consciência em ter uma faxineira 1x por semana! Pelo contrário, acho que são R$80,00 muito bem gastos! Eu trabalho o dia todo, faço academia, faço supermercado e ainda faço tarefas domésticas como: fazer a cama de manhã, lavar a louça do dia-a-dia, colocar as roupas na máquina pra lavar, tirar os lixos, etc. Só essas tarefas já me ocupam e me cansam bastante. E quando eu chego à noite ou ao final de semana, o que eu menos quero nessa vida é passar pano ou aspirador ou lavar banheiro…rs. Acho que tenho muito pouco tempo livre e tento aproveitá-lo ao máximo. Então, enquanto eu trabalhar e puder bancar a diarista, pagarei com gosto!!

    Responder
  38. Cintia

    Bom eu penso como muitas meninas daqui. Tbm não gosto de uma pessoa na minha casa, sei que eu limpo melhor que ela (e a minha é ótima!), adoro a sensação de cuidar de tudo sozinha. Mas gente, é aquela coisa que já disseram, o dia de todo mundo tem 24h então chega uma hora que vc tem que decidir: ou vou passar pano nas janelas ou vou deitar no sofá e descansar.
    Eu amo esse blog, pq ele ajudou a pôr minha vida em ordem, assim como a rotina da FLY Lady. Melhorei muito em aproveitamento do tempo, sigo minhas rotinas direitinho, limpo, lavo, passo, cozinho tudo bem saudável e natural. Organizo todas as minhas coisas e da minha pequena de 3 anos. Sobra algum tempo? Sobra. Daria para eu dividir as tarefas pesadas e fazer um pouco por dia? Claro que daria, mas eu teria que lavar o quintal naquela única hora na semana que posso ler um tico de um livro. Teria que limpar as janelas naqueles 20m diários que me sobram para sentar numa cadeira e respirar ou esticar rapidinho no sofá. Teria que lavar banheiro (tenho 4 aqui) naqueles horários em que minha filha me pede para desenhar com ela. Então eu acho meeeesmo que não compensa. A sensação de “posso fazer tudo sozinha” para mim não compensa esses momentinhos raros de descanso e lazer. Para mim isso é muito importante, é crucial. Se eu não puder parar um tico eu piro, eu me acabo, fico doente e mau humorada. Então, para ter uma vida um pouco mais leve e aproveitar a infância da minha filha, tenho uma ajudante 1x na semana. Além dela fazer a parte pesada, deixa a parte “leve” nos trinks no dia em que vem. Se eu fiquei doente, ou minha filha, ou se viajei, saí demais e tudo acumulou, tbm não preciso me descabelar, pq ela vem e volta tudo ao normal. Amo. Paparico mesmo. E recomendo. rs

    Responder
  39. lakrizia

    Ola! Estava viajando mas nao posso deixar de dar minha opiniao sobre esse assunto.Eu tive empregada durante uma boa parte da infancia da minha filha pois as vezes eu precisava viajar e tinha que deixa-la por causa da escola,conforme ela foi crecendo,fiquei com diarista 3 x na semana,ja que a grana dava.Me mudei para o exterior ha 4 anos,ela ja e uma mocinha,no inicio estranhei nao ter ninguem nem para o trabalho mais “pesado”,mas percebi que no meu caso que nao trabalhava fora desperdicei sim muita grana,poderia ter viajado,feito uma poupança,etc. No meu caso como no de muitas a questao é Por que nao ter se posso ter? Hoje tenho plena conviccao que tendo um apartamento pequeno ou medio,jamais terei diarista ,dou conta sim,mas se eu trabalhasse fora ou tivesse 2 filhos,teria sim no minimo 2 vezes ao mes,para a faxina nos armarios,arrastar moveis,fogao,geladeira,enfim o trabalho mais minucioso que nao precisamos fazer sempre,porque so pelo fato de saber que vai ter uma pessoa para o trabalho pesado e meu trabalho seria o mais leve ou manter,ja daria uma super relaxada,porque merecemos sim ter tempo pra nos,pra ler,assistir uma serie,filmes ou simplesmente o prazer de dar conta de tudo sem se matar,cada caso e um caso,se ter diarista interfere positivamente na sua qualidade de vida,tenha. Se nao como no meu caso,ainda que aqui no país onde moro existisse diarista boa,nao valeria a pena,gasto meu dinheiro com lazer,pois tenho tempo de sobra.

    Bjs meninas.

    Responder
  40. Lia

    Olá.Eu tenho uma faxineira trabalhando aqui em casa duas vezes por semana. Meu apartamento é pequeno.Eu lavo as roupas e mantenho a casa limpa. Ela faz a faxina da casa e passa roupa. Nos dias que ela vem ela também faz um almoço básico, sempre um dos poucos pratos que eu ensinei à ela. Ela não se interessa em aprender nada. O problema que ela é muito irritante. Não gosta de receber ordens, não gosta que você diga ela como você quer que ela faça alguma coisa (quer sempre fazer do jeito dela). Se você fala que prefere de outro jeito ela te dá uma resposta em cima.Fica na aéra de serviço e quase não se ouve a voz dela. Não procura agradar a mim nem aos meus dois filhos (adolescentes), como é que vou agradar uma pessoa dessa.
    Faz um trabalho por cima, não limpa as coisas direito. Mas eu não dou conta de fazer uma faxina em casa, já tentei, mas é muito difícil. E com isso vou aguentando. Tenho medo de trocá-la e pegar uma pior que ela. Que dureza!!!

    Responder
  41. adriana

    Thais, primeiro lugar, gostaria de falar q seu blog é maravilhoso e leio sempre, acompanho e ponho em prática muitas coisas, algumas como as listas de tarefas e atividade das crianças já fazia…enfim adoro este blog. Mas sempre pensava: qdo a Thais descobrir q pode levar a vida muito mais tranquila contratando uma ajudante, rsrsrssr, vai ter raiva de cada prato que lavou…rsrsrs… exageros de lado….entendo que depende de cada pessoa, mas meu tempo é muito melhor aproveitado qdo delego estas funções a outras pessoas….olha, que sei fazer de tudo numa casa, inclusive faço melhor do que as funcionárias que já tive até hj. Minha mãe nunca gostou de ninguém ajudando em casa, nem diarista, e crescemos ( eu e minhas irmãs) fazendo tudo!!! O que eu sempre achei desgastante e pouco produtivo. Claro que vc tem as rédeas de sua casa, vc sabe de tudo q acontece nela, até um copo que quebrou, mas acho q não vale a pena. Adoro minha casa, minha família, minha vida e tento aproveitá-las ao máximo.

    Responder
  42. Patricia

    Oi Thais! Sugestão: seria legal você fazer um post limpeza da casa (inspirada na nova PEC das Domésticas), pois muitas mulheres terão que aprender a lidar com o trabalho fora e dentro de casa a partir de agora.

    Responder
    1. Thais Godinho

      Patricia, o blog é inteiro sobre isso. ;D Tudo o que é postado aqui é para as pessoas que cuidam da casa sem empregada.

      Responder
  43. Maria da Guia

    Na minha cidade, há um grande problema: mão de obra de péssima qualidade e preços abusivos.

    Responder
  44. Vera

    Thais, amei o seu comentário! A minha vida é uma correria gritante! E para ajudar precisei cortar a diarista de 2x por semana! Me cobro muito…por uma casa muito limpa, organizada, tempo com os filhos, tempo com o marido, etc, etc, etc…mas concordo plenamente com você, precisamos refletir mais, e ter a consciencia do que é prioridade! Obrigada!

    Responder
  45. Oi Thais,
    Eu estou passeando pelo blog, registrando todas as dicas e orientações que sei que me ajudarão muito! Confesso que passear por aqui é como ler um livro envolvente: não consigo ficar apenas num post. De um logo passo para outro e assim vai, nem sinto o tempo passar!
    Bem, cheguei neste post e gostaria de deixar meu depoimento a respeito do assunto.
    Já tive uma pessoa que vinha todos os dias a minha casa e cuidava de tudo, até da comida. Nessa época eu lecionava pela manhã numa escola a 40 Km da minha casa, lecionava 3 tardes e 3 noites por semana numa escola que ficava em frente à minha casa. Vida de professora é uma loucura, porque não é aquele tipo de trabalho que quando encerra o expediente a gente simplesmente pega a bolsa, fecha a porta e vai para casa. Não. Professora tem um monte de trabalho a ser feito antes, durante e depois das aulas. Mas é claro que vc sabe muito bem disso.
    Então, eu e meu marido não conseguimos dar conta e a Rose chegou. A Rose não era uma simples auxiliar em casa. Ela era uma irmã, uma querida, que cuidava da nossa casa e dos nossos cachorros como se fossem dela. Quando viajávamos, Rose vinha com toda família (filhos e marido) se instalar lá em casa e eu viajava tranquila, porque sabia que a casa e principalmente meus cachorros (não tenho filhos) estariam bem!
    Quando mudamos para o estado de São Paulo em 2009 tudo mudou. A Rose ficou com sua família, eu e marido viemos de mala e cuia e cinco cachorros!!!
    Desde então não tenho ninguém para ajudar em casa. Fomos morar numa casa em condomínio fechado, relativamente fácil de cuidar e eu parei de lecionar. Assim, tinha tempo de sobra. Em 2010 mudamos para uma outra casa, muito maior, localizada num sítio. Era primordial ter espaço para cinco cachorros e mais privacidade, coisa que condomínio fechado não proporciona. Quando vimos a casa nos apaixonamos e nem paramos para pensar na trabalheira que daria… Bem, um belo dia caiu a ficha: a casa simplesmente tem 16 cômodos, entre quartos, banheiros, sala, cozinha, escritório etc, sem contar a varanda e a garagem! Além disso, muitas vidraças enormes. E tem ainda um imenso jardim, mas dele quem cuida é o seu Oscar, o jardineiro.
    Um belo dia pirei. Parei e pensei: estou vivendo para cuidar da casa e não para usufruir dela! Que fazer? Então veio o dilema: contratar ou não uma ajudante??
    Bem, ponderamos muito: despesa (ninguém aceitaria trabalhar nessa casa por menos de 3 salários mínimos + encargos e uma diarista não dá conta!); privacidade (como seria ter uma pessoa estranha convivendo conosco? Ninguém seria como a Rose…); Será que a pessoa iria fazer as coisas do jeito que a gente gosta? Será que cuidaria direito dos cachorros? E eu, sem trabalhar, iria ficar fazendo o quê? Iria ficar olhando a outra pessoa cuidar de tudo ou iria virar sua auxiliar, do tipo: vc cuida de faxina e eu do almoço?? Outras questões surgiram, mas resumindo, por mais incrível que possa parecer, decidimos que não, não iríamos contratar ninguém. E fomos levando. Mas aí, algo aconteceu: precisei assumir a função de gerente da empresa do marido! Resumindo: mudamos todo o administrativo da empresa para minha casa. Montamos um home office num dos cômodos e faço praticamente tudo via on line, o que facilita, mas mesmo assim há um bocado de tarefas rotineira que tomam tempo. E a casa continuava comigo, mesmo que marido ajude bastante. Então, em meados de 2013 comecei a bater os pinos, como se diz por aí e ainda estou assim. Comecei a procurar avidamente na Internet todo tipo de site e blog sobre organização, gestão do tempo, etc. Já não atinava mais nada. Imprimi páginas e páginas de ideias e dicas, mas não consegui colocar nada em prática até agora. Mesmo assim não quero contratar ninguém, pois além dos motivos que já mencionei, eu gosto de cuidar da casa e de tudo que envolve esse tema. Me dá prazer, mas o acúmulo de tarefas está fazendo com que eu comece a odiar, rsrs. Bem, disso tudo conclui o seguinte: quero continuar fazendo, quero continuar ajudando marido na empresa e quero ser feliz. Então, a única solução é definitivamente aprender a gerir meu tempo e por em prática as dicas de organização que coletei em vários lugares. Foi então que cheguei até seu blog e depois de ler uma porção de posts sobre o assunto minha ideia amadureceu mais ainda e estou convicta de que é possível, sim, viver sem diarista, faxineira, empregada o que seja, mesmo numa casa de 16 cômodos. Atualmente eu faço assim: dividi minha casa por áreas (sem nunca ter ouvido falar do FlyLady) e distribuo as tarefas ao longo da semana. O que não consigo fazer fica para a próxima semana. Meu marido ajuda com a máquina Wap, lavando piso e paredes externas entre outras tarefas diárias, sempre que pode; meu enteado cuida (?) do próprio quarto; temos lavadora de louças, lavadora e secadora para roupas. E vamos levando. Acredito piamente que tudo vai melhorar muito com suas dicas!
    Desculpe o texto longo demais.
    Um forte abraço,
    Ju

    Responder

Deixe um comentário