Como estudar para concursos – Parte 1 – Como começar

Eu não gosto de postar no blog dicas sobre situações pelas quais eu não passei, pois gosto de dar legitimidade ao blog. No entanto, existem alguns temas que frequentemente me são solicitados, e tudo o que eu posso fazer é entrevistar algumas pessoas que tenham passado por isso e ler muito material de referência para conseguir montar um post interessante para vocês.

Como muitas pessoas estão solicitando dicas de organização para quem estuda para concurso público, fui atrás das informações para montar uma série de posts que será dividida em quatro partes:

  • Parte 1 – Como começar
  • Parte 2 – Como estudar antes do edital
  • Parte 3 – Como estudar depois da autorização
  • Parte 4 – Como estudar depois do edital

Este primeiro post, então, traz dicas de como começar a estudar para concursos. Talvez você já tenha pensado no assunto e não levou adiante porque não sabia como fazer. Ou talvez você tenha começado, estudou uma apostila para um concurso, não passou e desistiu, mas a ideia de voltar nunca saiu da sua cabeça. Ou talvez você já tenha passado em um concurso e queira voltar a estudar para outro. Seja qual for a sua situação, eu espero que este post possa contribuir de alguma maneira positiva no seu trajeto.

Separei algumas dicas para quem pretende começar e não tem ideia, ou está confuso a respeito. Essas dicas são importantes para “preparar o terreno”, para que você comece a estudar logo em seguida. São elas:

1. Encontrando a sua motivação

Muitas pessoas não conseguem levar adiante o estudo para concursos porque não encontraram sua real motivação. Lembro de um relato do professor Marcondes Fortaleza sobre isso. Ele disse que, desde novo, queria passar na faculdade de Medicina. Estudou, estudou e não passou. Mas ele trabalhava na área de contabilidade e sugeriram a ele que fizesse Ciências Contábeis. Ele pensou: “Ah, em CC eu passo!”. Foi lá, fez a prova confiante e passou. O ponto interessante é que ele fez a quantidade de pontos suficientes para passar em Medicina! Ou seja, a auto-confiança foi fundamental, e talvez ela tenha vindo do inconsciente dele quando encontrou sua verdadeira motivação.

Acho engraçado como as pessoas costumam optar por concursos públicos para ter um bom salário e estabilidade (afinal, ninguém nasce com o sonho de ser escrevente ou fiscal). Não tem nada de errado com isso porque, afinal, a iniciativa privada está cada vez mais competitiva e difícil e vivemos preocupados com demissões, salário, formação etc. Mas é importante conhecer o cargo que você pretende concorrer. De repente, ao encontrar um cargo que você realmente goste, você encontre a sua motivação. Ou, pelo contrário, você pode descobrir que o cargo que você tinha em mente não é muito legal, independente do salário.

Outra forma de encontrar a sua motivação é pensar nas principais dificuldades que você tem na sua vida. Talvez você tenha filhos e um emprego instável, pague aluguel, com um salário não tão bom, dívidas e muitas outras dificuldades. Quem vive dessa maneira não precisa pensar muito para encontrar a sua motivação, porque ela é óbvia. Mas, se não for o seu caso, você deve olhar para dentro de você e encontrar o que realmente te motiva a passar em um concurso para avaliar se é isso mesmo que você deseja para a sua vida. Sem essa motivação, você não conseguirá manter a disciplina para estudar. A jornada é longa e você precisará muito dela nos momentos mais difíceis. Se ela não for forte o suficiente, você não conseguirá prosseguir.

2. Escolhendo a sua área

Em todas as fontes que eu pesquisei sobre preparação de estudos para concursos, a recomendação é a mesma: escolha uma área e atenha-se a ela. Estudar para diversos concursos é furada, pois você não conseguirá estudar suficientemente as matérias necessárias. Você não precisa escolher um concurso específico no momento, mas é importante definir uma área, pois isso delineará seus estudos. As áreas mais comuns de concursos são: tribunais, polícias, fiscais, bancos, escolas.

A importância de escolher uma área é saber que matérias você estudará. Os concursos da mesma área costumam ter muitas matérias em comum. Sendo assim, mesmo que você foque em um concurso específico, você estará apto a prestar concursos semelhantes, pois estudará basicamente a mesma coisa, com poucas matérias específicas para cada um deles.

A escolha da área está diretamente relacionada às suas afinidades. Se você não gosta de exatas, pode não escolher a área fiscal, por exemplo. Acho isso relativo porque muita gente de humanas acaba escolhendo concursos da área fiscal e passando sem problemas – basta estudar, e estudar muito! Mas pode ser que você queira trabalhar escrevendo, por exemplo, e escolha a área de tribunais. Por isso é importante conhecer os cargos. Quando você escolhe alguma área com a qual você já tenha afinidade, pode ser até que você tenha um background de algumas matérias (se você for formado em Direito, pode ter mais facilidade para estudar as matérias relacionadas), e tudo isso facilita a sua preparação.

Enfim, a dica importante é não estudar para ser auditor da Receita Federal enquanto está estudando para ser escrevente do Tribunal de Justiça. Não dá. Você vai ficar maluco e não conseguirá absorver tanta informação ao mesmo tempo. Foque em uma área e torne tudo mais fácil.

3. Convencendo os familiares e amigos

Estudar para concursos vai te transformar em uma pessoa diferente para as outras. Você vai precisar mudar sua rotina e seus familiares e amigos vão estranhar. É muito difícil, especialmente para quem não mora sozinho. Quem é casado e tem filhos, então, enfrenta diversas dificuldades porque os filhos pequenos, por exemplo, não entendem. A rotina da casa muda. Quem vai limpar a sua parte? Preparar o jantar? Lavar a louça? Envolve uma mudança grande no dia a dia do casal e, por isso, é importante ter essa conversa.

Seu marido ou esposa deve ser compreensivo e dar suporte, porque será um período difícil. Se puderem contratar um(a) diarista, façam isso. Tudo o que puder ser feito para facilitar a rotina da casa deve ser implementado. E, para convencer seu(sua) companheiro(a), não é tão difícil: basta explicar qual é a sua motivação, e ela deve ser suficiente. Todo casal conhece as dificuldades pelas quais passa e tomar uma decisão como essa só mostra sua preocupação em melhorar, resolver os problemas. Sendo assim, é natural que a pessoa com quem você vive não só entenda como te dê suporte. Mas é importante “mostrar serviço” – estudar de verdade, e não usar o tempo como desculpa para fazer outras coisas. Nos próximos posts vou falar como conciliar os estudos com o trabalho e a família. Se você estiver realmente compromissado(a), fatalmente seu(sua) companheiro(a) observará isso e te ajudará.

O mais difícil, realmente, é lidar com os filhos que não entendem, tadinhos. Você terá que ser malabarista. Também não pode abandonar a sua vida e o suporte aos seus filhos, que são seus dependentes, de forma total. É importante balancear. Vou falar mais sobre isso no próximo post.

Os amigos também não irão entender – só darão razão depois que você passar. Então não se sinta culpada(o) recusando convites para churrascos e baladas. E sim, desnecessário dizer que você precisará fazer isso. Você está entrando em outro mundo agora!

4. Montando um bom ambiente de estudos

Você precisará de um lugar para estudar que seja eficiente. Se você tiver um cômodo da sua casa que você possa utilizar somente para este fim, ótimo! Se não tiver, será necessário pensar em outras maneiras (colocar a mesa no quarto, estudar em uma biblioteca etc). O ambiente precisa ser calmo, silencioso e com todo o seu material disponível. É necessário ter uma mesa, uma cadeira confortável e todo tipo de recurso que te ajude a obter silêncio, como protetores auriculares utilizados na área de segurança, se sua casa for muito barulhenta.

A mesa pode ser simples, mas sem distrações e com uma altura ideal. O Alex Meirelles deu uma dica que achei muito engraçada no livro dele, sobre a cadeira: ele disse para comprar a cadeira mais confortável que puder, não importa se não combina com a decoração. “Deixe para pensar em decoração depois que passar no concurso”, ele disse, e eu dei risada, porque sei que pensamos nisso. Não pense! Invista em uma boa cadeira pois você passará muitas horas sentado(a) nela estudando. Se a cadeira for ruim, você sentirá muitas dores e terá menos disposição pra estudar.

Outra dica do Alex é a de colocar imagens e frases de motivação no seu ambiente de estudos. Ele colocou a foto de um carro que queria comprar quando passasse, além do holerite de um amigo já concursado e frases como “força, guerreiro!”. Tudo isso serve de incentivo e pode sim ser utilizado.

À medida que você for adquirindo materiais, é importante organizá-los, mas falarei mais sobre isso nos posts seguintes.

5. Entendendo o mundo em que você está se envolvendo

Você está entrando em outro planeta, onde as pessoas normais te olharão estranho e seus amigos não terão muito assunto com você. Um mundo onde o normal é abdicar de tudo o que for supérfluo para conseguir estudar. Onde ir a um churrasco no sábado significa abrir mão de oito horas de estudo facilmente. Onde você gastará 100 reais com um livro porque sabe que seu primeiro salário de concursado pagará esse valor com folga.

Uma boa maneira de entrar no clima é participar de fóruns na Internet, pois você ficará sempre informado(a) e pode fazer amizades, trocar dicas e informações. O fórum mais famoso é o Fórum Concurseiros, mas existem grupos e páginas no Facebook também. A grande verdade é que você não terá muito tempo para acessá-los (sinceramente), mas uma vez por dia pode ser suficiente para se manter informado.

Estudar para concursos, como concurseiros famosos falam, é uma corrida de resistência, não de velocidade. É uma jornada que demanda disciplina e muita dedicação. Passar em concursos difíceis leva meses, até anos. Como o famoso “guru dos concursos” William Douglas fala, “concurso não se faz para passar, mas até passar”. Ter consciência disso é o primeiro passo para domar a ansiedade toda vez que for publicado algum edital interessante.

Espero que essa série de posts ajude quem estiver começando essa jornada. No próximo texto, falarei sobre a organização dos estudos antes da publicação do edital.

Thais Godinho

Organizadora profissional e publicitária, criou o blog para ajudar as pessoas a se organizarem.

Mais posts - Website

39 Comments

  1. Juliana Mendes
  2. Stephanie
  3. Kamila Walter
  4. Lais
  5. Tatiana
  6. aninha
  7. Deborha
  8. Cristiane
    • Thais Godinho
  9. Fabi
  10. ana délia
  11. Zulmira
  12. Letícia Ohanna
  13. Thais Vianna
  14. Carolina Dos Anjos
  15. Natália Lira
  16. Adriana
    • Flavia
  17. Patricia
  18. cristiane
  19. Cíntia
  20. Leticia
    • Thais Godinho
  21. Gabriela
    • Thais Godinho
  22. Bela
  23. fabio de carvalho cardoso
      • Fabio de C. Cardoso
  24. Mara
  25. Diogo Resende Araújo

Responder