Finanças

27 Jan 2015

Organize seus arquivos para a declaração do Imposto de Renda este ano

Talvez você pense que abril esteja muito longe, mas tudo o que dá para antecipar, é legal antecipar. Para que deixar para organizar seus arquivos somente daqui a três meses, sem saber como estará sua situação até lá? E se você estiver com muitas atribuições no trabalho ou precisar fazer uma viagem? Vale a pena se programar e começar a organizar o quanto antes para fazer a declaração.

A entrega da declaração do IR começa apenas em março, mas o ano-base é o anterior. Logo, com a chegada de janeiro, já dá para começar a se organizar com relação a isso. “As regras deste ano ainda não foram anunciadas pelo governo mas, segundo Antonio Teixeira, da consultoria IOB Sage, terá que fazer a declaração quem tiver recebido, em 2014, renda tributável acima de R$ 26.816,55.”, segundo o site da Folha de São Paulo.

Em novembro, a Receita Federal lançou um aplicativo que serve para você lançar um rascunho da sua declaração, para não ter que fazer tudo somente em março, quando o programa foi lançado. Quem quiser se adiantar, basta baixar o aplicativo e depois migrar as informações inseridas para o sistema oficial.

Veja o que você já pode ir providenciando

  1. Crie uma pasta no seu computador (ou um caderno no Evernote) para inserir os arquivos que serão usados em sua declaração de 2015.
  2. Encontre sua declaração de renda do ano anterior. Já deixe salva na pasta, pois será necessária. Se você estiver declarando pela primeira vez, não é necessário. Caso tenha dúvidas, vale a pena consultar um especialista (um contador, por exemplo). Se você não tiver uma cópia ou não lembrar onde colocou, pode baixar uma cópia no site da Receita Federal.
  3. Se você mudou de emprego no ano passado, vendeu um imóvel ou trocou de carro, é importante resgatar os documentos que comprovem a renda recebida, recisões ou o valor dos bens. Guarde-os na mesma pastinha.
  4. Guarde todos os comprovantes gastos com saúde e educação, que são os comprovantes que ajudam na restituição.
  5. O mesmo vale para compra ou venda de bens.
  6. No geral, as empresas fornecem uma declaração do IR até o final de fevereiro para os seus funcionários. Solicite assim que possível. No caso dos bancos, é possível pegar no próprio caixa eletrônico.

Para a declaração de 2016, vale a pena já deixar esses documentos e comprovantes de 2015 salvos em uma pasta ou no Evernote, para facilitar futuramente.

24 Jan 2015

Caderno de listas de compras e a coisa de usar papel para ser mais simples

Outro dia eu postei no Instagram (aliás, já me segue no Instagram? clique aqui!) uma foto de um caderninho que eu estava testando e muitos leitores me fizeram perguntas a respeito e pediram para eu falar mais aqui no blog. Ei-lo, então. A ideia foi a seguinte: pegar um caderninho de notas e usar como lista de compras para o mercado.

240115-caderninho

Aí surgiram as seguintes dúvidas:

“Mas e o Evernote? Vai perder essa função?”

Eu já não utilizo o formato do guia do blog há uns bons meses. Somente naquela ocasião eu utilizei a lista no Evernote. O que é importante os leitores do blog saberem é que meu papel, como organizadora profissional, é testar coisas. Não existe certo ou errado quando se trata de organização, e tecnologia não é sinônimo de “melhor-que” papel. O melhor é o que funciona para cada um. Eu já testei lista de mercado em bloquinho, ímã de geladeira, lousa, celular, Evernote, Toodledo, planilha, outros aplicativos, caderno grande. É meu papel fazer isso, e eu gosto, por isso faço! Desta vez, o teste é em um caderninho.

“Como você faz a lista?”

Separei em 8 categorias, dividindo as páginas (em quantidade aleatória) para cada post-it colorido. As categorias são relacionadas aos corredores do mercado que eu frequento, na ordem deles:

  1. Bebidas (pego o mais pesado antes)
  2. Produtos de limpeza
  3. Cosméticos
  4. Mercearia
  5. Doces / Salgados
  6. Feira / Padaria
  7. Carnes
  8. Gelados

Deixo o caderninho na cozinha com uma caneta presa na sua espiral. Se algo acabar, tanto meu marido quanto eu anotamos. No dia das compras, basta levar ao mercado. Eu não gosto de usar o celular no mercado porque meu celular é ferramenta de trabalho e tenho medo de ser assaltada. Também acho papel mais prático.

Ao fazer a compra, risco o item na folha e coloco a data na frente, somente para controle.

É isso. Simples e fácil. Lembrem-se que o tema de janeiro no blog é Simplifique. O que é simples para um pode não ser simples para o outro. Estou testando há uma semana, mais ou menos, e tem funcionado bem.

Ah! Vale lembrar que esse era um caderninho usado que foi reaproveitado, então a ideia é reutilizar o que já se tem mesmo.

E você, utiliza papel para organizar a lista do mercado ou prefere usar tecnologia?

27 Nov 2014

Aproveitando a Black Friday de maneira organizada

Amanhã teremos a black friday brasileira – um dia em que todos os principais varejistas oferecem produtos com ofertas. Este ano, não sei se é impressão minha, mas parece que o pessoal se engajou legal nessa história, o que pode trazer boas oportunidades de compras para os consumidores. Vamos ver como aproveitar esse dia de maneira organizada?

1. Tenha uma lista

Vale a pena ter uma lista do que quer comprar ou precisa. Se não, a quantidade de produtos *supostamente* em promoção podem te fazer perder o foco. O bom de ter uma lista é que também facilita ao procurar as ofertas – você não perde tanto tempo.

2. Compre nas lojas que confia

Não arrisque fazendo compras (especialmente as grandes, como eletrônicos) em lojas que nunca comprou antes ou não conhece a reputação. Não se deixe levar pelo preços mais baixos.

3. Compare os preços de antes e depois

Sites de comparação de preços (como o Buscapé) podem ajudar a fazer boas escolhas. O site Techtudo também postou uma lista com 5 sites que ajudarão a economizar nessa black friday. Vale a pena comparar, pois já é sabido que muitas lojas camuflam as ofertas, colocando preços que não tão ofertas assim.

E a regra geral de finanças vale para esta ocasião também: só compre algo por impulso se realmente tiver dinheiro sobrando. Se não, atenha-se ao que você realmente precisa, comparou preços e sabe que é uma boa escolha.

Muitas pessoas comprarão presentes de Natal nessa black friday. É uma boa, mas fique atento(a) ao prazo de entrega. Para não correr o risco, dobre o prazo e veja se dá tempo. Se não der, pode não valer a pena comprar nessa ocasião.

Boas compras!

04 Sep 2014

10 dicas práticas para economizar em setembro

040914-dicas-economizar-setembro

Eu adoro organizar finanças! Estabeleci algumas metas pessoais para economizar este mês e resolvi compartilhá-las com vocês. Quem sabe a gente não consiga fazer juntos?

1. Defina um orçamento

Controlar os gastos é básico. O que eu quero ter como meta este mês é estabelecer um orçamento para cada gasto e tentar cumprí-lo. Por exemplo: se minha conta de luz veio 80 reais em agosto, vou tentar chegar em 70 em setembro. Eu gosto de trabalhar com metas assim porque gosto de uma competição interna. Costuma funcionar para todo mundo, no geral, e ainda ajuda a economizar. Portanto, estabeleça um orçamento para todos os seus gastos. Isso vale para os 10% ou 20% que você queira guardar na poupança ao final do mês.

2. Anote seus gastos

Eu sei que é chato. Sei que demanda tempo, andar com caderninho na bolsa ou acessar o aplicativo no celular. Mas, quando anotamos nossos gastos, o controle é muito maior. Se a gente não anota, pode ter a tendência a ignorar o que está acontecendo na nossa conta bancária e ir gastando como se, inconscientemente, tudo estivesse sob controle. Não caia nessa! Procure anotar seus gastos, seja como for. Muitas pessoas me pedem dicas de aplicativos, mas existem tantos nas stores de iOS e Android, que vale a pena ir testando. Mas não precisa ir tão longe – quem for da turma do papel pode andar com um pequeno bloco de notas e ir anotando.

3. Tenha uma meta específica

Pode ser guardar 10% na poupança, economizar 50% no mercado, o que for. Mas é legal estabelecer uma meta de economia e ver como você reage a ela. Se der certo, mensalmente você pode estabelecer uma diferente.

Isso pode ser especialmente útil se você estiver se preparando para algum projeto específico, como uma viagem, uma reforma em casa ou mesmo um item mais caro que você queira comprar.

4. Reanalise dívidas e financiamentos

Talvez você tenha uma dívida ou um financiamento em jogo que queira quitar o mais rápido possível. Faça uma nova análise da sua situação e veja o que conseguiria fazer para diminuir o prazo. Às vezes, aumentando a quantidade paga por mês, minimamente, você diminui muitos juros e o valor final, além de quitar mais rápido.

5. Faça programas de graça com a família

Sim, eu amo ir ao cinema e passear no shopping, mas também adoro (e até prefiro) fazer programas de lazer ao ar livre, especialmente com o meu filho. Que tal investir tempo nisso este mês? Se parar para pensar que terá quatro dias para fazer isso (os quatro sábados ou domingos), você deverá encontrar quatro programas gratuitos para fazer. Pode ser ir a um parque, passear no SESC, ver um show ou teatro ao ar livre, uma feira diferente, o mercadão da cidade… existem muitas opções! Veja o que você tem disponível na sua região e tente não gastar com isso este mês.

6. Vá menos ao shopping

A lógica é clara: vá menos ao shopping para diminuir a tentação de fazer compras. Mesmo quando a gente vai só para passear (o que, por si só, é meio absurdo, convenhamos), acaba gastando com comida, sorvete, chiclete, balão do Bob Esponja, uma blusinha em promoção, um tênis novo para o filho e por aí vai. Se você fizer passeios diferentes, poderá economizar mais. Se precisar ir ao shopping comprar algo específico, procure ir sozinho(a) e se restringir somente à loja em questão, sem a tradicional voltinha, e logo ir embora.

7. Espere um dia antes de comprar

Essa dica frequentemente é dada por especialistas: se viu algo, espere um pouco antes de comprar, para avaliar se realmente precisa. Poucos de nós a seguimos! Tente fazer isso este mês – se vir algo que não precisa, mas que gostaria de comprar, espere um dia ou algumas horas antes de decidir. Evite comprar por impulso. Aplique esta regrinha toda vez que estiver prestes a comprar algo, especialmente pela Internet.

8. Venda algumas coisas suas

Faça uma análise criteriosa do que tem em casa e veja que objetos em bom estado você pode se desfazer. Que seja um, apenas. O fato de você conseguir analisar, separar, anunciar e vender abrirá um leque de possibilidades. Aproveite o dinheiro extra para colocar na poupança ou pagar uma conta. Procure não comprar OUTRO objeto, apenas como exercício.

9. Diminua um gasto

Todo mundo tem seus gastos que podem ser diminuídos. Farmácia, livros, revistas, filmes, papelaria, mercado. Encontre sua “gordurinha gastadeira” e dê um corte nela. Não precisa ser nada exagerado – apenas diminua o que gasta com determinado assunto. Por exemplo, se você costuma comprar cinco revistas todo mês, compre apenas duas ou três.

10. Veja se consegue uma renda extra

Uma vez eu li um artigo que diz que, se a gente vender bala no semáforo, a gente consegue ganhar mais por mês que um estagiário em início de carreira. Isso é uma realidade terrível, mas me fez pensar o seguinte: ficamos muito presos ao modelo convencional de trabalho e deixamos de pensar em outras possibilidades. Cada pessoa tem um potencial para investir tempo e ganhar dinheiro com alguma coisa. Analise o seu! Tente encontrar este mês um bico ou outra atividade que possa investir um pouco de tempo para aumentar a renda familiar.

Gostaram das dicas? Vamos tentar fazer juntos para economizar dinheiro em setembro?

03 Jun 2014

Dica rápida de finanças: vidrinho com objetivos

Eu vi essa imagem no Pinterest e tive a ideia para este post: ter vidrinhos com objetivos relacionados a finanças e, aos poucos, ir colocando um pouco de dinheiro em cada um deles. Eu já tinha falado um pouco antes sobre fazer o mesmo com envelopes (que, aliás, foi dica da leitora) e a ideia é a mesma, mas fazer com vidrinhos também interfere na decoração, além de se tornar um jogo que até as crianças podem participar. Afinal, pode existir um vidrinho para aquele brinquedo que ela quer muito ou para a festinha de aniversário.

Imagem: Homemade by Jaci

Imagem: Homemade by Jaci

Na imagem acima, os vidrinhos estão com tags para contas (gás, telefone, luz e água, no caso), mas você pode usar não só para as contas, como para objetivos diversos de finanças.

Eu gostei muito da ideia!

28 May 2014

Erros de finanças que a gente comete ao longo da vida (e como consertá-los)

Imagem: Economic Times

Imagem: Economic Times

Eu nunca tive uma educação financeira na escola e em casa. Aprendi na marra, como praticamente todo mundo. No entanto, sempre gostei muito de comprar coisas, e isso manteve minhas finanças bagunçadas. Mesmo hoje, depois de tanto tempo, ainda tenho muitas dificuldades, mas já vejo um grande avanço desde que eu comecei a trabalhar pela primeira vez até hoje em dia, em um momento de maior autonomia profissional.

Os erros que cometi, cometo e vejo outras pessoas também cometendo, são os seguintes:

Considerar o limite do cheque especial como saldo disponível do mês. Gente, é impressionante como, se a gente não tiver disciplina, isso acontece. A solução seria cortar o limite do cheque especial? Talvez, mas o ideal mesmo é a gente diminuir nossos gastos ao estritamente essencial até ficar em uma situação azul de novo.

Comprar loucamente com o cartão de crédito. Nunca vou me esquecer da primeira vez que eu me dei conta que estava trabalhando, tinha um cartão e podia finalmente comprar coisas que eu queria, como roupas e sapatos. No começo, a gente até controla direitinho mas, se deixar, um cartão atropela o outro (especialmente esses de loja de departamento) e, quando vê, a dívida está enorme! Sobre a solução, há duas vertentes: tem gente que prefere pagar absolutamente tudo (inclusive contas), para aproveitar os programas de milhagens, enquanto há outras pessoas que usam o cartão para pagar somente quando há alguma vantagem no parcelamento. Também existem as pessoas que não utilizam o cartão para nada, claro. Seja qual for sua escolha, é fato que o cartão não deve ser usado desordenadamente, mas sim de maneira planejada.

Não construir um fundo para emergências. O que aconteceria hoje se você perdesse o seu emprego? Quanto dinheiro você deveria ter disponível para aguentar alguns meses, até conseguir outro trabalho? O Gustavo Cerbasi, conhecido consultor de finanças, diz que devemos ter o mínimo para aguentar seis meses bancando nossas despesas e, se possível, um ano. Ou seja: se você ganha R$3.000 por mês, deve primeiro ter R$18.000 guardados e, depois, R$36.000. Esse é o seu fundo de emergência. Portanto, toda vez que se perguntar “vou guardar dinheiro para quê?”, é para isso. Seu objetivo deve ser construir esse fundo para, depois, ficar tranquilo(a) e poder decisões na vida sem se preocupar tanto com o dinheiro (mudar de emprego, por exemplo).

Gastar o que sobrar no banco todo mês. Levante a mão quem nunca conferiu uma conta azul no final do mês e se permitiu uma comprinha! Se você tem dinheiro sobrando, guarde-o na poupança, com o objetivo citado no item acima. Gaste somente se realmente precisar.

Ignorar a sua conta ao longo do mês. Tem muita gente que vai gastando e mantendo um registro “de cabeça”. Isso dificilmente dá certo, especialmente se o seu orçamento é apertado. Quem não gosta de registrar seus gastos e atualizar planilhas diariamente pode fazer um planejamento mensal, ver quanto gastará com contas e outras obrigações e, o que sobrar, administrar mentalmente. Não é o ideal, mas pelo menos é uma solução melhor que deixar todo o seu dinheiro nessa roleta-russa.

Não investir em nada. Quem pensa em investir com 20 e poucos anos? Poucas pessoas. Abrir uma caderneta de poupança é um investimento, mas existem muitos outros. Até mesmo coisas que a gente compra podem ser investimentos, se soubermos o que estamos fazendo. A recomendação, então, é começar a investir, nem que seja na caderneta de poupança, antes de tentar vôos mais altos. Pode valer a pena conversar com aquele amigo que entende tudo de investimentos, contratar um consultor ou falar com o gerente do seu banco. Se você é muito jovem, a poupança pode ser um bom começo.

A gente deveria aprender finanças na escola, mas isso não acontece, infelizmente. Por isso, cometemos erros, muitas vezes por pura falta de orientação. À medida que a gente cresce, vai aprendendo algumas coisas na marra, mas o importante é reconhecer os erros e estar disposta(a) a corrigir.

E você, comete alguns erros dessa lista? Como você faz para consertá-los?

10 Apr 2014

Tarefas relacionadas a finanças para fazer em abril

Imagem: Economic Times

Imagem: Economic Times

Aproveitando que estamos falando sobre finanças (por causa do imposto de renda, cujo prazo é dia 30 – veja como fazer), gostaria de sugerir algumas tarefinhas de finanças para o mês de abril. Pelo menos é o que eu pretendo fazer nas próximas duas semanas, e talvez seja útil para outras pessoas.

Isso é o que eu vou fazer em abril relacionado a finanças:

Planejar as próximas férias em termos financeiros

Minha próximas férias serão em novembro e eu já tenho planos para elas. Vou planejar direitinho e me programar para conseguir fazer o que eu pretendo. Pode parecer que está longe, mas quando envolve economizar e guardar determinada quantia, preciso me planejar com antecedência.

Economizar mais dinheiro

Eu recém voltei de férias e infelizmente tive gastos não previstos, então preciso economizar bastante para não entrar no vermelho este mês. :( Por isso, estou almoçando menos fora, comprando somente o que for necessário e evitando pequenos gastos. Sim, eu sei que isso é o que a gente deve fazer sempre, mas este mês eu estou apertando legal porque, além de tudo, tem a festinha de aniversário do nosso filho. Ela será simples, mas mesmo assim tem seus gastos.

Reorganizar o planejamento financeiro para 2014

Quase na metade do semestre, acho importante fazer um balanço do nosso orçamento até agora e prever o que vai acontecer até o final do ano. Quero implementar algumas rotinas novas e voltar a anotar todos os meus gastos, porque tinha parado de fazer isso há uns dois meses e faz muita diferença.

Separar algumas coisas para doar e para vender

Estou em um momento em que acho que tenho coisas demais e querendo simplificar mais ainda o nosso apartamento. A mudança de um apartamento de três para dois dormitórios fez muita diferença na administração das coisas todas em casa, e ainda estamos nos adaptando. Este mês, portanto, eu ainda pretendo fazer uma limpa geral e doar e vender algumas coisas.

Arquivar melhor as contas pagas

Quero reduzir a papelada que tenho em casa, verificar o arquivamento corretamente no Evernote e garantir que tudo esteja sob controle. Comecei a digitalizar meus papéis na metade do ano passado, mas ainda tenho bastante coisa arquivada em papel, especialmente contas. É bem chato digitalizar tudo de uma vez, então faço aos pouquinhos. Pretendo terminar em breve e deixar o arquivo fácil e intuitivo para o meu marido também, e não só para mim. Enfim, vou encontrar soluções para melhorar nesse sentido.