ou
Carreira

Gravei um vídeo contando um pouco como me organizei para aprender inglês ao longo dos anos, com dicas práticas e que, do meu ponto de vista, funcionam bem, sem enrolação.

Se não estiver visualizando o vídeo abaixo, clique aqui para assistir diretamente no YouTube.

Cursos de inglês que já fiz:

  • Fisk
  • Skill
  • Wizard
  • Open English
  • English Town

Eu levei muitos anos para chegar no nível que estou hoje do idioma e, se conhecesse essas dicas lá no começo, o processo teria sido muito mais rápido. Espero que ajudem!

Thais Godinho
13/10/2016
Veja mais sobre:
Inglês, Vídeos
13
O que você pretende aprender em 2012?
Organizando sua casa para a volta às aulas
Quero voltar a estudar!

Este webinar foi realizado para ajudar quem está procurando um emprego. São quase 40 minutos de orientações, dicas práticas e certeiras para que você se organize e encontre não apenas um emprego, mas um emprego LEGAL e coerente com quem você é ou quer ser.

Você vai aprender:

  • Como analisar seu histórico profissional e usá-lo a seu favor
  • Como analisar suas habilidades e reforçar pontos que já são fortes
  • Como delinear um caminho natural do ponto de vista de quem pode te contratar
  • Como montar e divulgar o seu currículo
  • Estratégias para conseguir o cargo que você quer
  • Como investir na sua capacitação enquanto não arranja um emprego
  • Outras possibilidades

Este curso serve tanto para quem estiver procurando o primeiro emprego quanto para profissionais experientes. Clique na imagem abaixo para acessar:

webinar-emprego

Os webinars são realizados gratuitamente ao vivo no blog e depois disponibilizados nesta plataforma a preço de custo para ajudar a custear a plataforma em si. Confira a agenda de cursos, atualizada diariamente com novos webinars e outros formatos.

Thais Godinho
28/09/2016
Veja mais sobre:
5
Vídeo todos os dias em agosto (VEDA)
Minha agenda de cursos e eventos em janeiro
Registre seu dia de trabalho

Essa pergunta vai mudar toda a sua organização pessoal, se você permitir.

O que traz estresse? O excesso de preocupações. Estar em uma reunião pensando no que deveria estar fazendo, nas contas a pagar, nos prazos e naquele monte de outras coisas que te tiram a atenção do momento presente.

Ao mesmo tempo, o que é desorganização? É você chegar na reunião sem ter se preparado. Não ter pago as contas. Não conseguir cumprir seus prazos.

Quando você tem todas as informações necessárias em uma agenda (compromissos, ações com prazo e informações importantes para determinados dias), você consegue abrí-la semanalmente e pensar, para cada item: o que precisa acontecer para eu ficar tranquilo com relação a isso? O que precisa acontecer para eu estar realmente presente nessa reunião?

A resposta vai denunciar o básico que você precisa fazer. Preparar uma pauta para a reunião com o seu gestor. Separar as contas que vencem esta semana para pagar na segunda. Reservar um tempo na terça para trabalhar em um prazo que vence na quinta.

Somos tão atropelados pela demanda que esquecemos a coisa mais básica, que é viver um dia de cada vez. Esse planejamento semanal permite isso. Porque, a cada dia, você abre sua agenda e sabe o que efetivamente precisa ser feito. Por isso não dá para inserir coisas aleatórias na agenda. Ela precisa ser um retrato fiel do seu dia, daquilo que você realmente precisa fazer, sem falhas.

E, no dia, repita a pergunta: o que eu preciso fazer para estar completamente presente? Isso na sua casa, no seu trabalho, no jantar com os amigos. Se você toma providências antes, consegue aproveitar o durante e capturar ideias para o depois, de modo que não se preocupa. Você lida com as coisas, em vez de se preocupar com elas.

Uma única pergunta que muda tudo. Não acredita? Experimente.

esteja-presente

Thais Godinho
22/09/2016
Veja mais sobre:
13
Como eu me organizei para aprender inglês
3 dicas para ter uma manhã de trabalho sem estresse
Como organizar: Estudos na faculdade

Algo que eu tenho feito e que tem me ajudado bastante a ter uma ideia do estilo de vida que quero viver é usar a agenda do Google para definir blocos de trabalho de acordo com os diferentes papéis que assumo na minha vida profissional. (Veja aqui como se organizar com a agenda do Google)

A agenda do Google (e qualquer outra agenda eletrônica) permite que você crie blocos de compromissos com recorrência.

O primeiro passo foi listar todos os meus papéis profissionais – o que chamamos de áreas de foco no GTD.

Depois, refleti sobre a quantidade de horas adequada a cada um deles ao longo da minha semana. O que eu preciso dedicar mais tempo? O que eu preciso dedicar menos tempo? O que eu, como autônoma, terei mais retorno financeiro se trabalhar?

Com base nisso, criei blocos ao longo da semana de acordo com a distribuição ideal para mim.

distribuicao-agenda

Isso foi muito bom porque me permitiu ver, por exemplo, quantas sessões de coaching consigo abrigar por semana, quantas reuniões posso fazer, sem deixar de lado outras atividades importantes.

Eu também coloquei o valor que “vou ganhar” caso dedique aquelas horas àquelas atividades. Isso me ajuda a perceber que, se eu usar aquelas horas para outras coisas, é como se estivesse perdendo dinheiro.

Foi uma estratégia importante em um período de novas dedicações em termos de trabalho, e tem me ajudado muito a saber o que posso abrigar esta semana ou só depois.

O David Allen diz que a gente não pode ganhar um jogo que não definiu. Definir o seu trabalho é muito importante, então conhecer os seus papéis e sua dedicação a eles é essencial. Será que você está investindo tempo no que é realmente importante?

Vou inserindo os compromissos à medida que eles aparecem. Porém, uma vez por semana, analiso a semana como um todo e vejo como estão distribuídas as atividades.

Vale dizer que as horas não são alocadas em sua totalidade. Há intervalos e respiros para imprevistos. Os blocos servem apenas para ter uma visão – não para “engessar” as decisões.

É um modo forçado de trabalhar, confesso. Mas tem sido bom porque deixa claro para mim onde preciso alocar o meu tempo.

E vale lembrar que são testes. 🙂 Pode ser que seja um teste que valha a pena para você também, dependendo da sua rotina.

Thais Godinho
20/09/2016
Veja mais sobre:
7
Empreender não é projeto do Pinterest
Dúvida da leitora: organizando a mesa no trabalho
5 dicas simples para começar a semana com o pé direito

Você sente que poderia ser mais produtivo(a) mas não sabe por onde começar?

Não se preocupe: o Vida Organizada traz para você um roteiro de sete dias para você mudar seus hábitos. Quando os sete dias acabarem, recomece! E assim o faça até virarem hábitos para você.

mais-produtivo

Dia 1
Foque em uma coisa de cada vez

Um dos grandes mitos da produtividade é o conceito de multitarefa. Você não faz duas coisas ao mesmo tempo – seu cérebro alterna a atenção entre duas coisas ao mesmo tempo, o que gera estresse. Se começar algo, foque apenas naquilo. Exercite sua mente plena. Se o telefone tocar, alguém te interromper ou você se lembrar de algo, anote a demanda e lide com ela quando acabar o que estiver fazendo.

Dia 2
Durma pelo menos 8 horas

Vá para a cama pelo menos oito horas antes do horário de acordar. Para isso acontecer, evite comer até duas horas antes, não fique mexendo no celular ou estimulando seu cérebro com telas de qualquer tipo. Tome um banho morno, leia um livro ou revista, tenha uma conversa agradável com as pessoas que morem com você, toque um instrumento, pratique seu hobby favorito, mas foque em rituais calmos noturnos.

Dia 3
Desligue as notificações

Sinta-se como se estivesse de férias instantaneamente. Desligue as notificações das redes sociais, de mensagens e do What’s App do seu celular. Desligue também os alertas de e-mails e de lembretes do seu calendário. Em vez de ver as mensagens sob demanda, faça pausas ao longo do dia e veja as novidades.

Dia 4
Teste a técnica Pomodoro

A técnica Pomodoro foi inventada para te ajudar a ter mais foco. Marque o timer do seu celular para tocar em 25 minutos e, nesse tempo, trabalhe focado(a) em alguma atividade. O objetivo é terminá-la antes do alarme tocar. Isso ajuda a combater a procrastinação e terminar atividades mais rapidamente. Você pode fazer quantos Pomodoros quiser ao longo do dia, mas lembre-se de fazer uma pausa a cada três ou quatro deles para descansar a mente.

Dia 5
Medite

Não é necessário ser um monge tibetano para meditar no dia a dia. A meditação nada mais é que o processo de acalmar a mente, respirar adequadamente e prestar atenção aos sinais do seu corpo. Feche os olhos durante dois minutos e preste atenção apenas na sua respiração, sentado em sua cadeira mesmo, com os pés no chão. Mesmo poucos minutos ao longo do dia conseguem tranquilizar sua mente em situações de ansiedade.

Dia 6
Revise as suas atividades

A importância de ter suas demandas, compromissos e projetos organizados é que isso facilita revisões que você possa vir a fazer regularmente. E a ideia aqui é justamente revisar o que você precisa fazer hoje, amanhã, esta semana, semana que vem. Quanto mais claras estiverem as coisas para você, mais antecipadamente você consegue lidar com elas. Revise todos os seus projetos, as suas atividades e planeje a semana seguinte. Essa revisão deixará você mais tranquilo(a) com relação à tudo aquilo que você não está fazendo no momento, porque definiu prioridades.

Dia 7
Tome sol

De manhã, na hora do almoço ou durante o dia, saia para dar uma volta e fique um pouco tomando sol. A ideia é reabastecer seu corpo com vitamina D e te colocar em contato com a natureza. Além do efeito físico, existe o efeito moral: o simples ato de parar para ficar sem fazer nada ao sol ajuda a acalmar a mente ainda mais e é um respiro no dia a dia. Exercite.

Acabou a semana? Comece tudo de novo!

Thais Godinho
16/09/2016
Veja mais sobre:
15
Antes e depois: home-office
Top 10 desculpas das pessoas desorganizadas
Webinar gratuito: Organize suas metas em 2016 com Vida Organizada e Todoist

Essa semana eu li um texto sobre a geração de empreendedores de palco, de jovens até 25 anos que nasceram em uma família com bon$ recursos e puderam empreender e chegar antes dos 30 já com empresa de sucesso, tendo viajado pelo mundo etc. E queria colocar meu ponto de vista sobre o assunto também.

Primeiro, que nem todo mundo que empreende antes dos 30 está nessas condições. Eu perdi as contas de quantas histórias já li de pessoas que nasceram em famílias bem pobres e que começaram a vender latinhas e, aos poucos, estudaram, passaram em um concurso público e depois abriram uma empresa. Ou que começaram um negócio cedo que deu certo. Então há casos e casos.

Uma das pessoas que mais me inspiram é o Flávio Augusto da Silva, que começou abrindo sua empresa no cheque especial. Hoje ele é bilionário.

Leia a matéria completa na UOL: http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2015/02/06/hoje-bilionario-criador-da-wise-up-comecou-no-cheque-especial-veja-dicas.htm

Leia a matéria completa na UOL: http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2015/02/06/hoje-bilionario-criador-da-wise-up-comecou-no-cheque-especial-veja-dicas.htm

Não tem uma vez que eu esteja meio desanimada no dia a dia que eu não leia algo que ele escreveu que não me dê um novo pique. Eu percebi que, para empreender, você precisa estar sempre alimentando esse mindset. Se você perder a cabeça, você perde tudo.

Do Instagram: Quebre a banca (muito legal, por sinal - sigam!)

Do Instagram: Quebre a banca (muito legal, por sinal – sigam!)

Segundo, que nem todo mundo que “larga tudo para empreender” exatamente “largou tudo”. Empreender demanda planejamento. Eu mesma, que tenho o blog desde 2006 – só em 2014 pude pedir demissão do emprego para me dedicar ao que eu gosto de fazer. Depois dos 30, sem grandes reservas financeiras, sem a tal segurança, com filho pequeno para criar. A segurança vinha apenas da imensa vontade de fazer acontecer. E, obviamente, de ter estudado o mercado, feito testes, conquistar clientes. Eu jamais colocaria a segurança básica da minha família em risco apenas porque eu tinha necessidade de empreender. Se um dia eu tiver que mudar de planos em detrimento disso, não terei vergonha alguma.

Terceiro, que para empreender você não precisa “largar tudo”. Comece em paralelo. Foi o que eu fiz. Quando as coisas começaram a dar mais certo para um lado e o meu emprego estava impossibilitando uma série de iniciativas que me trariam mais retorno financeiro para viver do que eu gostava, eu me preparei para sair. Ninguém precisa largar tudo para empreender, especialmente se tiver família para sustentar e contas a pagar.

Quarto, que empreendedorismo nem sempre é uma escolha. Este ano, tenho diversos amigos e conhecidos que perderam seus empregos e agora correm atrás de soluções. Para mim, no entanto, a diferença é você querer fazer disso um projeto de vida ou não. A partir do momento que você faz algo sem se planejar, isso pode chegar a qualquer lugar – inclusive dar ou não certo. Vale para sua empresa ou seu emprego.

Quinto, que nada é eterno. Você pode querer empreender nesse momento e a vida te levar por outros caminhos. Assim como você pode se dedicar durante anos para passar em um concurso ou em uma faculdade dos sonhos e, lá dentro, perceber que quer fazer outra coisa. Já vi isso acontecer muito também.

Eu penso que, hoje, para uma pessoa deixar de empreender para ter um emprego novamente, só se for por necessidade. Não estamos passando por uma fase fácil no país. Mas, antes de deixar de empreender, pergunte-se se você realmente fez tudo o que foi possível, pois mesmo na crise algumas empresas prosperam. Talvez seja hora de se reinventar? Sei que é quase impossível ser criativo quando se está preocupado com as contas, mas talvez valha a pena você priorizar acima de tudo seu bom estado mental para conseguir ter ideias.

Imagem: Facebook do Geração de Valor

Imagem: Facebook do Geração de Valor

Empreender não é como um projeto de “faça você mesmo” do Pinterest. Porque não se trata só de empreender – mas de consolidar a empresa depois. E isso quase ninguém fala. É um desafio diário e, principalmente, mensal. Se reinventar, baixar a bola, ser humilde, perceber que você tem ainda TUDO a aprender, do meu ponto de vista, são habilidades essenciais para empreender. Nada é 100% seguro. Um produto ou serviço que funcionaram sempre bem de repente podem precisar ser revistos. Se você se planejar, fizer boas escolhas, investimentos, você pode construir uma empresa que gerará estabilidade para outras pessoas. E então um projeto seu pode virar algo muito maior.

Mas também não supervalorize isso. São processos e aprendizados, como tudo na vida.

Uma dica que sempre leio e que vale muito para quem empreende é: cerque-se de pessoas que estejam na mesma vibe, que te façam bem, que tragam inspiração. Porque, mais uma vez: sua mente é tudo. E, quando você muda, seu mundo muda.

Respira e vai!

Thais Godinho
14/09/2016
Veja mais sobre:
, Empreendedorismo
26
Kit de volta às aulas para pais e alunos
Uma tarefa por dia
Como devorar um elefante ou o poder das listas