Diário de organização

27 Mar 2015

Temos objetivos demais?

260315-objetivos-demais

Estou em uma fase de total conexão com a versão 2015 do livro do David Allen sobre o método GTD, como vocês podem ter percebido pelos últimos posts, e hoje cheguei em um ponto do livro onde ele faz uma reflexão tão tocante que me senti impelida a escrever sobre.

Em tradução livre, ele diz algo como: “Mais metas não são necessárias para você agora – você precisa se sentir confortável com o que você já colocou em ação, e a confiança de que pode executar elegantemente qualquer nova meta que tiver”. Pare e pense por um momento nesse trecho.

O que ele diz, no capítulo sobre a revisão e o planejamento, é que muitas vezes ficamos tão preocupados com o objetivo lá na frente, que não percebemos nem damos atenção devida ao que está acontecendo agora. O que está acontecendo agora deixa de ter importância porque já começou a ser executado – então ficamos buscando alcançar mais e mais objetivos.

Não me entendam mal – sou fã de ter objetivos. Acho que eles movem a vida, de verdade. Mas o que ele quer dizer, e eu concordo, é que não podemos achar que a nossa motivação só vem de termos esses objetivos, sem curtir o caminho que nos leva até eles.

É muito legal sentar e pensar em objetivos novos. O que eu quero fazer ano que vem? Para onde quero viajar nas minhas próximas férias? Mas de que adianta pensar lá na frente se nossos e-mails estão uma bagunça, não sabemos por onde começar o dia ou todo o resto está um caos? Não parece meio contraditório fantasiar com um objetivo sendo que tem outras coisas demandando a nossa atenção agora?

E essa acaba sendo a importância de a gente se organizar, né? Porque, quando a gente se organiza, domina o caos, por assim dizer. Faz as coisas com mais calma e encontra significado no dia a dia. Muito do que estamos fazendo hoje eram objetivos no passado. Curta-os. Vivencie-os bem.

É ótimo querer sempre mais, mas a vida não é feita apenas de coisas novas. Celebre suas conquistas. Valorize sua vida hoje, as pessoas ao seu redor, os seus momentos. Tem muita coisa para colocar em ordem antes de ficar apenas imaginando outras iniciativas.

Se você valorizar o que está acontecendo no momento – suas ações, seus projetos -, quando vierem outras, será muito mais tranquilo planejar, priorizar, executar. É um processo de aprendizado. Ter objetivos não significa começar a cumprí-los, mas também finalizar antes de partir para o próximo. Estabilizar, aprender com eles. E tem coisa que não dá para apressar – requer experiência.

O que você fez hoje?

24 Mar 2015

Recadinho

Pessoal, nos últimos dias têm acontecido algumas coisas que me mantiveram um pouco afastada do blog. Quis postar apenas para dar satisfação aos leitores, porque sei que vocês esperam ansiosos novos posts.

  • Como comentei no post anterior, estou devorando o livro novo do David Allen, que preciso ler asap para meu trabalho com a Call Daniel, então preciso me dedicar a isso. Tem sido bom porque estou vivendo as modificações no livro, refazendo a coleta, processando tudo, organizando meu sistema. Eu aprendo melhor fazendo e tem sido ótimo fazer assim. Isso leva tempo e, além da leitura, tenho minhas outras atividades. Preciso me dedicar a elas.
  • Não estou muito bem de saúde desde o final de semana, provavelmente por uma intoxicação alimentar. Alguns leitores do blog sabem que eu tenho algumas restrições alimentares e vira e mexe acontece algo parecido. Desta vez me pegou em cheio e fiquei de cama durante dois dias, e só hoje consegui levantar um pouco e me dedicar a outras coisas.
  • O blog será reformulado em junho e estou estudando essa reformulação. Virão muitas novidades com relação às categorias, colaboradores, design, e gosto de fazer tudo com bastante carinho para ser um trabalho legal para vocês. Estou um pouco desanimada de postar dentro do formato atual (mesmo com os temas), pois parece que nenhuma categoria serve, sabem? Já passaram por isso, de enjoar de tudo o que vocês têm no guarda-roupa, por exemplo? Acho que é o mesmo sentimento.

Tenho alguns comentários pendentes para aprovar porque demandam respostas maiores, então estou pensando em fazer um “VO responde” com alguns deles nos próximos dias.

Fiquem bem. Volto logo.

18 Feb 2015

Eu aprendi sobre: não trabalhar no feriado

Outro dia comentei por aqui sobre os meus aprendizados nos últimos meses, desde que me tornei autônoma e passei a trabalhar em casa. Algo que eu ainda não tinha conseguido trabalhar muito bem, até quando escrevi aquele texto, foi a questão de separar trabalho da vida pessoal. Quando a gente trabalha em casa, não existe a separação física e, quiçá, a mental. no entanto, ultimamente venho entendendo que pode ser necessário fazer essa separação – ter o tempo do trabalho e ter o tempo para a vida pessoal.Estive pesquisando espaços de coworking e outras maneiras de tirar o home do home-office, mas esse é assunto para um outro post, em um futuro breve.

Neste Carnaval, eu fiz a experiência de não trabalhar. Isso incluiu: não escrever para o blog, não trabalhar no meu novo livro, não bolar ideias, não responder (e enviar) e-mails, entre outras atividades. Deu certo? Em partes. Veja neste post o que eu aprendi.

180215-carnaval

É fácil quando os outros não trabalham

O que mais me chamou a atenção sobre o fato de ter conseguido parar e descansar nesse feriado foi não ficar preocupada porque outras pessoas poderiam estar esperando alguma resposta minha ou o envio de algum documento ou trabalho. É engraçado porque, quando a gente começa a trabalhar em casa, pensa assim: “oh, que maravilha, vou para a praia de segunda a quarta e trabalho aos finais de semana”. Realmente pode funcionar, porém, eu não sei se funcionaria muito bem comigo nesse momento porque respondo para outras pessoas (clientes, colegas de trabalho, equipe). Não conseguiria ficar tranquilona na praia sabendo que poderia ter alguém trabalhando no horário comercial precisando de mim. Sei que é um pouco de FOMO, mas também é responsabilidade.

Por fim, o que realmente dá aquele click mental de pensar em “eu posso descansar nesse feriado” é o fato de saber que ninguém espera que outra pessoa trabalhe no feriado. Por isso, ninguém acha ruim se você não responder um e-mail ou mensagem. É normal! Pessoas não trabalham em feriados. Logo, mesmo sendo autônoma e tendo toda a flexibilidade de horários do mundo, eu ainda preciso de adequar ao calendário comercial para conseguir fazer as minhas folgas com mais tranquilidade.

E posso dizer? Foi ótimo! Passeei, fiz churrasco, brinquei muito com o Paul, levei minhas sobrinhas para passear, fui à livraria e tirei um maravilhoso cochilo à tarde! Eu sei que posso fazer essas coisas em um dia a dia regular, mas minha mente ainda não se acostumou exatamente com tudo isso! (nem as pessoas ao meu redor!)

Meu livro em destaque na Livraria Cultura <3

Meu livro em destaque na Livraria Cultura nesse final de semana <3

As ideias não param de chegar

Por mais que eu não estivesse “oficialmente trabalhando”, meu cérebro não sabia disso. É muito difícil para mim, porque amo muito o que eu faço. Logo, pensar sobre trabalho e fazer as coisas acontecerem faz parte de mim, de quem eu sou, da expressão da minha criatividade. Porém, se não cuidar, a tendência a virar workaholic é tremenda. Como lidar com as ideias?

Deixei fluir algumas coisas. Até sábado de manhã, eu precisava colocar no ar o novo formato para o pagamento dos workshops aqui no blog, o que acabou resultando em uma loja. Dá uma olhada! Por enquanto, há poucas opções, mas em breve vou povoar aquela seção com muitas coisas legais. Fiquei tão empolgada com esse assunto que trabalhei até de madrugada, na noite de sexta para sábado.

Outra atividade relacionada ao trabalho que eu fiz foi ficar ouvindo alguns webinars do GTD Connect, o que me deu a ideia de mudar todo o meu sistema GTD no Toodledo. Isso me perturbou um pouco, porque foi uma mudança drástica que eu ainda não me adaptei. Quando estiver à vontade para falar sobre esse novo sistema, publico aqui no blog. Isso me tomou bastante energia e dedicação intelectual durante uns dois dias.

Para lidar com as ideias que vêm e vão, colete! Tire da cabeça e passe para o papel – deixe para lidar com elas quando voltar do feriado. Eu costumo processar minha caixa de entrada física (onde insiro minhas ideias) diariamente mas, para não “trabalhar”, decidi não fazer isso durante o feriado. Ficou bastante coisa para processar depois, mas acho que isso foi um ganho em termos de “ok, agora é hora de descansar. Você coletou a sua ideia incrível e pode lidar com ela quando voltar a trabalhar, na quarta-feira”.

Não trabalhar no feriado foi ótimo e me fez ver que dá para fazer isso com a consciência limpa. Agora quero ver se estendo para outras ocasiões também.

05 Feb 2015

De mudança…

Pessoal, estou de mudança esta semana e sem Internet. Volto em breve! :)

29 Jan 2015

… vem a vida e muda todas as regras

Dizem que quando a gente está finalmente se acostumando com alguma coisa, vem a vida e muda todas as regras. Isso é verdade.

Na última semana, recebemos a notícia que o proprietário do nosso apartamento estava solicitando o imóvel de volta, para uso próprio. Faz apenas seis meses que nos mudamos e eu realmente não esperava passar por isso nos próximos cinco anos novamente. Ele saiu do apartamento para morar em uma casa mas, de lá para cá, já foi assaltado três vezes, o filho foi atacado, ele está com síndrome do pânico, uma situação horrorosa. Eu fiquei extremamente chateada em um primeiro momento mas, quando ele explicou a situação, não havia muito a dizer a não ser se conformar e ir atrás de outro imóvel. Em resumo, tínhamos menos de um mês para sair.

Algumas pessoas me perguntaram se isso pode, se está dentro da lei, mas pode. Existem algumas cláusulas que permitem o proprietário pedir o imóvel antes do fim do contrato, e ser para uso próprio é uma delas.

Outras pessoas também me perguntaram se nós não temos interesse em ter um imóvel próprio. Sim, mas não agora. Temos planos quanto a isso, que envolvem ter uma quantia maior guardada para comprar pagando menos juros. Quando recebemos a notícia, meu marido até me perguntou se não era a hora de comprarmos o nosso apartamento. Temos alguns objetivos financeiros que não envolvem comprar um imóvel neste momento, então foi fácil e rápido decidir. Por isso que eu acho que a organização tem uma série de vantagens – a gente não fica tomando decisões por impulso, sem objetivos lá na frente. Fiquei muito tranquila com a nossa decisão.

Costumo me sentir muito abençoada porque sinto que o universo conspira a meu favor na maioria das vezes, quando quero ou preciso muito de alguma coisa. Desta vez, uma casa no mesmo bairro da minha sogra que estava sendo reformada há anos, ia ficar pronta para ser locada. Nós estávamos de olho nessa casa desde que estávamos em Campinas, pensando que, um dia, se mudássemos para São Paulo, poderíamos mudar para lá. Quando nos mudamos, ela não estava pronta, mas agora está! E gente, nos 45 do segundo tempo mesmo: ficou pronta, chegou a notícia. Meu marido disse que era pra acontecer. Conversamos com o proprietário e foi tudo muito rápido e tranquilo, mas a mudança tem que ser feita em poucos dias. Não sei para vocês mas, para mim, mesmo sendo organizada, isso é uma loucura e bastante cansativo.

Eu comecei o post falando que a vida muda todas as regras porque estávamos tão felizes neste apartamento! E, em um mês, nem o desafio da varanda vou conseguir terminar. Incrível como as coisas simplesmente acontecem.

Porém, vamos finalmente morar em uma casa. O espaço físico é mais ou menos semelhante ao que temos no apartamento, mas temos um quintalzinho em volta, onde poderemos colocar plantas, por exemplo, e brincar com a cachorrinha. E vocês podem esperar muitos posts a respeito, já que morar em casa tem diversos desafios de segurança e relacionados à manutenção de coisas como calhas, por exemplo. Vai ser divertido.

Eu adoro mudanças. Sinceramente, sei que fazem parte da vida e considero como desafios de organização no meu dia a dia. Vamos superar mais essa. Eu não poderia deixar de contar para vocês, leitores do blog, o que está acontecendo, porque isso influencia bastante no meu estado de espírito e (infelizmente) no resultado do desafio de organização, que vou postar mais tarde.

Vamos que vamos!

14 Jan 2015

O que eu aprendi com o David Allen em Amsterdam

Estar em Amsterdam e ter a oportunidade de conhecer o David Allen são coisas que estão mexendo bastante comigo nos últimos dias. Ouvir a orientação da implementação básica direto da fonte e saber que você já faz a maioria das coisas certinhas… além de chegar a uma conclusão e o próprio David fazer um comentário na sequência falando exatamente o que você pensou… Tudo isso foi se juntando para eu conseguir escrever o que eu vou escrever hoje.

Me sinto uma pessoa extremamente abençoada. Como pode – descobri um método de produtividade pelo qual eu fiquei completamente apaixonada e percebi que, além de mim, eu poderia ajudar outras pessoas a se organizarem. Montei um blog. Escrevi um livro. Comecei a trabalhar ministrando cursos e palestras. Conheci pessoas incríveis, que estão em sintonia com tudo o que eu acredito que as coisas devam ser na vida, no trabalho, na vida pessoal.

Para quem não sabe, essa viagem foi toda arranjada e financiada pelo Daniel, da Call Daniel, que quis me ajudar a realizar esse sonho. Eu sequer tenho como agradecer tantas coisas boas que têm acontecido. Quando disse que me sinto abençoada, é verdade. Não só pela viagem, mas pela oportunidade de trabalhar com o que eu amo e ao lado de pessoas tão boas, que visam um bem comum. Eu realmente acredito que todo mundo que tenha a oportunidade de trabalhar ao lado do Daniel seja uma pessoa abençoada. Ele é incrível, um modelo a seguir mesmo.

Ontem o David comentou sobre esse novo projeto dele, que é a divisão do GTD em três cursos de aprendizado (básico, projetos e horizontes de foco). Ele explicou que é o grande projeto da vida dele. Que vai completar 70 anos e quer deixar um legado… Minha gente, como isso me deixa comovida. Me fez ter ainda mais vontade de espalhar essa missão dele pelo mundo, porque também é a minha… eu queria que todo mundo usasse o GTD! Quero que todo mundo, assim como eu, aprenda a levar uma vida mais coerente e cada vez mais calma, fazendo as coisas acontecerem.

david02

Estou escrevendo este texto em um espaço de coworking aqui em Amsterdam, uma cidade que eu moraria facilmente. Calma, silenciosa, tranquila. Todo mundo andando de bicicleta, sem trânsito, frio, cheia de antiquários. Fora toda a ideia de contracultura que existe aqui. Trabalhar neste espaço me fez ter vontade de procurar algo semelhante em São Paulo, porque os ganhos são enormes. Trabalhar em casa é bom, mas também vale a pena sair de vez em quando, ver pessoas diferentes, se inspirar mais. Dá vontade de mudar muita coisa na vida, a fim de simplificar mesmo.

Fico pensando em todo o caminho percorrido pelo David, tudo o que ele fez na vida até chegar até aqui, morando na Holanda, reformulando a coisa toda, investindo (muito) dinheiro nesses materiais novos de alto nível, nessa formação de multiplicadores. Se ele tem como missão ensinar o GTD, os multiplicadores são como embaixadores do método, e eu me sinto tão parte disso! Nem preciso de certificação.

Yo, David! What's your next action?

Yo, David! What’s your next action?

Estar aqui me fez perceber de forma muito emocionada algumas coisas:

  1. A gente pode chegar onde a gente quiser.
  2. Ter uma missão de vida é muito importante. Essencial. Não saberia mais viver sem isso.
  3. Ser produtivo não é coisa geek, mas a única forma de viver a vida de forma plena e coerente. Você aproveita seu tempo.
  4. A vida pode ser mais simples. Sem comidas processadas, coisas de plástico e barulho ao redor.
  5. O maior barulho é o interno.

Tantas coisas, David. Obrigada por tudo.

david01

22 Jul 2014

Projetos em andamento – Julho 2014

Estamos passando por grandes mudanças de um mês para cá. Saí do meu trabalho convencional para me dedicar ao meu negócio de organização e, com isso, tivemos que abraçar novos projetos – alguns tiveram que ser adiantados. Estamos em um momento de transição e eu não vejo a hora de reestabelecer a nossa rotina para que tudo possa ficar um pouco mais sob controle. Atualmente, esses são os projetos em andamento:

Capacitação como instrutora

capacitacao-cd

Certamente, o que tem me tomado mais tempo é a capacitação final como instrutora da Call Daniel. Apesar de eu já ter experiência como professora e palestrante, o formato é diferente. O curso é de um dia inteiro (oito horas levantando uma sala de aula é um grande desafio!), com dinâmica, empostamento de voz e, muito importante: seguir um script que deve se adequar às exigências da David Allen Company nos Estados Unidos. Apesar de eu ter ampla experiência com o GTD (e ser um dos meus assuntos preferidos), tem muitas adequações necessárias e isso me obrigada a escrever, ensaiar, gravar vídeos e fazer correções. Tem sido um aprendizado intenso e maravilhoso, mas que demanda grande investimento de tempo. Nesse momento de transição, preciso focar em algumas prioridades e agora é a hora de priorizar minha capacitação.

Além de ser instrutora, eu também sou responsável, junto com a Cris, pela parte de webmarketing e todo o conteúdo do blog da Call Daniel, produção de e-books, envio de e-mails e outras ações.

Livro Vida Organizada

editora-julho

Igualmente importante, finalizei a revisão final do meu livro (Vida Organizada, que será lançado em agosto 2014) e, agora, estou acertando detalhes com a editora. Descobri que haverá mudanças na data do lançamento, mas ainda não divulguei aqui porque não temos data certa. Na Bienal, haverá o pré-lançamento, na verdade, e o lançamento acontecerá em setembro. No dia 22, abertura da Bienal, haverá um evento da editora para profissionais da área (livreiros, autores) e esse é o dia que eu estou me programando para fazer comprinhas no evento. Vou receber um crachá de autor! <3 No dia 23, haverá uma palestra para blogueiros e tarde de autógrafos na sequência. No dia 24, haverá uma palestra focada no tema “Família”, também com autógrafos na sequência. O livro já será vendido, mas o lançamento mesmo, que é uma ocasião festiva para o autor, será realizado nas semanas seguintes, em data e livraria a combinar. Quando eu tiver essas informações, eu divulgo aqui! Sei que haverá um evento em São Paulo e outro em Campinas e que, para ter em outras cidades, a livraria local precisa organizar e entrar em contato comigo.

Na próxima quinta, farei uma palestra especial para os livreiros sobre o meu livro e também participarei de um evento da editora para conhecer os lançamentos do segundo semestre de 2014 (o meu livro incluso!). Estou trabalhando nessa palestra hoje!

Mudança para São Paulo

mudanca-temporecorde

Nós pensamos que conseguiríamos permanecer em Campinas pelo menos até o final do ano, mas o primeiro mês de trabalho novo me mostrou como isso será impossível. Por isso, estamos organizando uma mudança de cidade em tempo recorde! Hoje o rapaz da empresa de mudança veio em casa fazer o orçamento e trazer algumas caixas. Temos poucos dias para encaixotar tudo, mas é a minha parte preferida! Amanhã vou na Kalunga comprar papéis coloridos para montar meu esquema de mudança e aí ficará legal de organizar. A boa notícia é que vou organizar a mudança inteira no Evernote, e pretendo falar mais sobre isso daqui para a frente.

Mudar de cidade envolve um monte de outras coisas que não só a mudança de residência, mas também pesquisar uma nova escola para o filhote, transferir a faculdade do meu marido, as contas do banco, caixa postal do correio, cancelar contas que não tenham serviço em São Paulo e por aí vai. Além de todo o resto que conhecemos, como decorar o apartamento novo, mudar endereço em todos os serviços etc. Tem muita coisa a ser feita, e estamos nesse processo.

Espero que estejam tendo uma boa semana. Obrigada por tudo, pessoal.