Viagens

30 Sep 2014

10 coisas para se fazer no avião e aproveitar melhor o tempo de vôo

Estou escrevendo este post do aeroporto, mas venho pensando nele já há alguns dias. Eu sou aquele tipo de pessoa que tem bastante dificuldade para dormir, então nunca consigo dormir em vôos, mesmo os noturno e longos. Se eu conseguir tirar um cochilo rápido, me considero vitoriosa! Porém, para fazer um vôo passar mais rápido, eu tenho sempre uma listinha de coisas para fazer e hoje eu compartilho algumas ideias com vocês:

  1. Ler um livro novo. Para o desafio do horror literário de outubro, estou lendo a biografia do Stephen King. É um livro grandinho, então não corro o risco de acabar a leitura e ficar sem nada para ler. Quem não gosta do livro físico pode levar o Kindle (ou aparelho similar). Também pretendo reler o livro do David Allen, “Making all work”.
  2. Estudar inglês ou outro idioma. Estar em um vôo para outro país dá uma excelente oportunidade de estudar o idioma, especialmente a escuta. Ouça os comissários de bordo conversando, escute a pronúncia, assista filmes sem legendas, leia um livro no idioma desejado, estude em um livro ou apostila, escute aulas em áudio e por aí vai.
  3. Fazer palavras-cruzadas ou outros passatempos. Levante a mão quem tem tempo para fazer esse tipo de coisa no dia a dia? Eu só consigo fazer no avião. Desta vez, comprei um livrinho da Coquetel com 350 passatempos em inglês (vende em banca de jornal).
  4. Escrever. Eu gosto muito de escrever, então chega um determinado momento do vôo que acho legal abrir meu computador ou escrever em um caderno mesmo sobre como estão as coisas, meus sentimentos ou outras ideias que porventura posso ter em mente.
  5. Ler os textos que guardei na pasta “ler/revisar”. Quem usa o método GTD sabe que existe um compartimento X onde guardamos todos os artigos, documentos e outros textos que precisamos ler ou revisar. O período offline durante o vôo é muito propício a isso. Não costumo carregar uma pasta com papéis mais, mas utilizo o Evernote para digitalizar e manter ali, para ler quando puder.
  6. Ver um filme. Quem viaja em avião com TV ou leva o notebook pode assistir um filminho e ganhar pelo menos 1h30 do tempo com algo divertido ou que entretenha de alguma maneira. Eu não trouxe nenhum DVD, mas espero conseguir assistir algum no avião (pesquisei o modelo do avião antes para saber se teria essa possibilidade ou não).
  7. Escrever textos para o blog ou para o meu próximo livro. Ter um notebook com o Evernote possibilita fazer isso.
  8. Pensar na vida. Nada como aproveitar o tempo livre para pensar na vida, nos meus sonhos, no que estou fazendo, nas minhas relações sociais, nas minhas finanças e em tudo aquilo que não tenho muito tempo para refletir de verdade no dia a dia.
  9. Meditar. Estar em um vôo escuro e com pessoas dormindo ao seu redor é uma excelente oportunidade de meditar durante alguns minutos sem que ninguém te considere meio maluco por fazer mudras, por exemplo. Quem não fizer isso, pode meditar simplesmente fechando os olhos e prestando atenção ä própria respiração.
  10. Analisar documentos e planilhas, escrever docs, montar ppts. Sempre temos muitos dados para analisar, especialmente quem é empreendedor. Se for o seu caso, aproveite esse momento para fazer aquelas análises que você não tinha conseguido focar até agora. Também gosto de montar apresentações para palestras futuras.

Essa é a minha programação para hoje. E você, o que costuma fazer enquanto está no avião?

26 Sep 2014

42 dicas para viajar de forma mais organizada (especialmente viagens internacionais!)

Estou prestes a fazer uma nova viagem internacional e estou me tornando perita já em organizar esse tipo de coisa! Por isso, quis escrever um post com algumas dicas que podem ajudar quem estiver planejando uma viagem, seja para onde for e com a duração que for. São elas:

  1. Crie um caderno no Evernote para mantê-lo offline em seus dispositivos móveis que levará na viagem. Especialmente em viagens internacionais, nem sempre conseguimos conexão com Internet de maneira fácil e o tempo todo. Vale a pena deixar um caderno com informações sobre a viagem em offline, para acessar sempre que necessário.
  2. Nesse caderno, insira notas com seus documentos mais importantes digitalizados. Passaporte, reserva do hotel, passagens, recibos, cartões. Você nunca sabe quando acontecerá alguma coisa com os seus documentos e ter uma cópia deles pode facilitar de sobremaneira qualquer imprevisto que você tenha em terras estrangeiras.
  3. Leve lanchinhos para comer no avião. Eu sei que a maioria das companhias aéreas oferecem refeições, mas ficamos reféns não só dos horários como das opções. Eu gosto de sempre levar alguns lanches secos que posso comer para matar a fome, como amendoins, castanhas e chocolate.
  4. Utilize o Trip Advisor para saber mais sobre o hotel onde ficará hospedado. Se a nota for acima de 7, no geral é um bom hotel.
  5. Se for ficar mais tempo em algum lugar, pode valer a pena alugar um quarto ou apartamento, em vez de ficar em hotel. Utilize o Airbnb para isso – vem crescendo muito e é confiável. Ficando em um lugar assim, você pode preparar sua própria comida e lavar roupas. Se estiver em família, pode ser mais vantajoso financeiramente que ficar em um hotel.
  6. Vale a pena comprar um chip para ligações locais e Internet (boa) em todo lugar, especialmente se você não estiver viajando sozinho.
  7. Use uma daquelas bolsinhas estilo pochete, que a gente usa dentro da calça, para guardar seu passaporte e seu dinheiro.
  8. Separe seu dinheiro em montinhos do quanto pode gastar por dia, para controlar melhor.
  9. Compre um guia de viagem do local que você vai (só um basta) e vá lendo no avião.
  10. Crie uma resposta automática para os seus e-mails durante o período de viagem. Mesmo que esteja indo a trabalho, é simpático avisar que está com o fuso horário diferente e respondendo em horários alternativos.
  11. Compre suas passagens aéreas de madrugada (são mais baratas).
  12. Compare os preços das passagens para ida em uma terça-feira e em outros dias da semana. Geralmente, as terças-feiras são mais baratas – especialmente se você estiver comprando perto da data.
  13. Acesse o site Meet Up para saber se está acontecendo algum encontrinho que te interesse no local.
  14. Se estiver planejando fazer compras, leve uma mala média dentro de uma mala grande. Se for para os Estados Unidos, não compre a mala aqui – compre lá. É muito mais barato.
  15. Salve seus lugares preferidos no Google Maps.
  16. Se for ficar bastante tempo no local (mais de quatro dias), deixe para comprar artigos de higiene lá. Leve as miniaturas só para o primeiro dia.
  17. Nos Estados Unidos, vale a pena comprar coisinhas para o café-da-manhã e lanches esporádicos ao longo do dia em uma rede de farmácias chamada Wallgreens. Eu gosto de fazer uma boa refeição por dia, até mesmo para conhecer os restaurantes e provar a comida local, mas não dá para fazer isso com todas as refeições sempre. Vale a pena economizar nesse quesito e há ótimas opções. Para opções ainda mais saudáveis, há um mercado chamado Whole Foods (que, por sinal, é do David Allen).
  18. Use uma pequena necéssaire para levar suas bijous. Se não levar muita coisa, pode ser que caiba tudo em um porta-moedas. Sempre opte pelo meio de armazenamento mais leve em suas viagens.
  19. Tire os remédios das caixinhas para levar, para diminuir o volume.
  20. Tenha uma pastinha com divisórias para colocar todos os papéis e comprovantes que receber. Fica mais fácil organizar assim. Eu costumo ter as seguintes divisórias: hotel, avião, comida, compras, transporte, passeios. Apesar de digitalizar tudo aos poucos, ao longo da viagem precisamos manter alguns papéis, como passagens, tickets de shows etc.
  21. Leve uma garrafa de água vazia e encha-a na sala de embarque.
  22. Leve sempre um rolo de papel higiênico. Para não fazer volume, leve um já começado, pela metade.
  23. Leve roupas que não amassam.
  24. Vista o que for mais pesado e volumoso, como trench coats e botas.
  25. Viaje confortável. Nada como uma calça com tecido strech e um bom par de tênis.
  26. Leve sempre uma pashmina no avião. Além de proteger contra o ar condicionado, serve de travesseirinho.
  27. Máscara de dormir e protetor auricular são duas coisas sem as quais eu não viajo, seja onde for.
  28. Um acessório que também sempre me ajuda são aquelas luzinhas portáteis para ler livros. Uma pequena lanterna pode bastar. Deixe na bolsa.
  29. Em vez de levar um livro, leve um leitor de e-books. Certifique-se de que esteja carregado antes da viagem.
  30. O mesmo vale para tablets e ipods.
  31. Leve sempre uma bolsa pequena para carregar suas coisas no dia a dia. Já viajei com mala e mochila achando que levaria minha mochila para todo lugar, mas nem sempre dá. Em jantares, por exemplo, ou passeios. Cansa levar peso! Leve uma bolsa pequena e, se não precisar, você me avisa depois.
  32. Tenha sempre uma caneta à mão. Precisamos o tempo todo para preencher toda sorte de papéis e nada mais chato que ficar caçando uma caneta na bolsa.
  33. Não invente e leve peças básicas de roupas, com cores neutras. Use cores nos acessórios, que não pesam quase nada. Mas cuidado com os sapatos!
  34. Vale a pena levar sempre um par de chinelos para onde você vai. Nem todo hotel é tão limpinho, especialmente o chuveiro.
  35. Utilize aplicativos como o Foursquare para saber as melhores dicas de cada local, especialmente restaurantes.
  36. Use e abuse do seu Waze (aplicativo com informações sobre trânsito).
  37. Se for para os Estados Unidos, compre um cadeado aprovado pela TSA para usar em sua mala. Do contrário, ela poderá ser aberta e seu cadeado dará perda total. (leia mais sobre isso aqui)
  38. Se for para os Estados Unidos, evite fazer conexão em cidades como Miami e Nova Iorque (a não ser, claro, que esses sejam seus destinos). As filas da imigração são muito mais lotadas lá, pois são os destinos preferidos dos brasileiros, e você pode perder seu vôo seguinte.
  39. Salve um mapa do transporte público do lugar para onde você vai em seu caderno no Evernote. Muitas vezes, essa informação não é tão fácil de conseguir onde você vai.
  40. Tente fugir dos restaurantes e lojas que os turistas costumam ir, pois tendem a ser mais caros.
  41. Reserve o primeiro dia da sua chegada para descansar e se adaptar ao fuso horário. O mesmo vale para quando você voltar para o Brasil.
  42. Não compre coisas que você poderia comprar no Brasil. Sei que essa dica parece boba, mas quando fui pela primeira vez nos Estados Unidos, eu comprei tanta, mas tanta roupa. É óbvio que algumas coisas valem muito a pena a gente comprar lá, mas muitas também não valem. Tem que avaliar. Às vezes, a compra parcelada e com garantia até compensa o valor a mais que se paga.

Essas são as dicas que lembro de cara, agora! É engraçado como, à medida que a gente vai pegando experiencia, vai simplificando algumas coisas. Espero que essas dicas ajudem.

E, claro, se você tiver alguma, por favor, deixe nos comentários! Obrigada!

17 Jun 2014

Ideias de assuntos para conversar quando viajar em família (especialmente com adolescentes)

Imagem: http://anatomiche.tumblr.com/

Imagem: http://anatomiche.tumblr.com

Viajar é uma delícia, mas muitas pessoas acabam ficando entediadas depois de ficar muito tempo no trajeto, especialmente se estiverem viajando de carro. Para evitar a falta de conversa e os fones de ouvido individuais o tempo inteiro, fiz uma lista de assuntos que podem ser divertidos de se discutir, especialmente com adolescentes. Enjoy. <3

  1. Se você pudesse viajar para qualquer lugar no mundo, para onde você iria e por quê?
  2. Quem é a pessoa, viva ou morta, que você mais gostaria de conversar?
  3. Quais são os seus três filmes preferidos e que você já viu diversas vezes?
  4. Qual sua matéria preferida na escola? E a que você mais detesta?
  5. Qual o melhor professor e por quê?
  6. Se você tivesse que escolher hoje uma profissão para ser, qual você escolheria?
  7. Quem é a pessoa que mais te inspira e por quê?
  8. Onde você se vê daqui a cinco anos?
  9. Se você pudesse ter somente uma rede social, qual você teria?
  10. Qual seu doce preferido? E comida salgada?
  11. Se você pudesse escolher, moraria na praia, na cidade ou no campo?
  12. Qual programa de TV você mais gosta? E qual é aquele que você tem mais vergonha de gostar?
  13. Se você achasse R$100 no bolso da sua calça, o que você faria? E se você achasse R$1.000?
  14. Qual a coisa que você fez até hoje que mais te deu orgulho?
  15. Do que você mais tem medo?
  16. Você acha que você se parece mais com a sua mãe ou com o seu pai?
  17. Quando foi o seu primeiro beijo?
  18. Você prefere ler um livro ou uma revista? Qual seu livro preferido? E a revista que você mais gosta?
  19. Qual sua música preferida?
  20. O que você mais gosta em você?
  21. Existe alguma coisa sobre você que você gostaria que todo mundo soubesse, mas ninguém sabe?
  22. Se você pudesse mudar algo em você, o que você mudaria?
  23. Se você fosse sair de casa para sempre com só uma mochila nas costas, o que você levaria?

Eu adoro fazer viagens mais curtas aos finais de semana e frequentemente as minhas sobrinhas estão conosco (elas são adolescentes), então fiquei pensando em perguntinhas legais de se fazer ao longo da viagem para conhecê-las melhor e dar a chance de conversarem com a gente. Espero que vocês gostem também.

02 Apr 2014

Como tirar visto para os Estados Unidos

Outro dia publiquei um post sobre como tirar passaporte, então hoje darei continuidade ao assunto falando um pouco sobre como tirar o visto americano.

Para pedir o visto americano de não imigrante (que inclui o de turismo, o de estudante e o de negócios, entre outros), é preciso seguir os passos abaixo:

1) Preencha, em inglês, o formulário de solicitação de visto DS-160 (disponível no link:https://ceac.state.gov/genniv/). As perguntas estão em inglês, mas, ao colocar o cursor em cima delas, aparece a tradução. Se você puder contar com a ajuda de alguém, tanto melhor! Muitos termos não estão traduzidos e podem ser confusos. Também é necessário ter uma foto com fundo branco digitalizada, para enviar no formulário, então você deve providenciar com antecedência.

Ao fim de cada pagina, salve o que já tiver sido feito e guarde o número do Application ID para entrar novamente no formulário. Ao terminar o processo, imprima a página de confirmação.

Dúvidas sobre o preenchimento do formulário podem ser esclarecidas em http://travel.state.gov/visa/forms/forms_4230.html.

2) Depois que preencher o formulário, é preciso agendar a(s) entrevista(s). Para isso, cadastre-se no site http://brazil.usvisa-info.com e siga o passo a passo de agendamento ou ligue para os telefones que estão no link http://usvisa-info.com/pt-BR/selfservice/us_service_options. Tenha em mãos a página de confirmação do formulário DS-160 (com código de barras) e o número do passaporte.

Há casos em que é necessário ir ao CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto) e ao Consulado, e outros  — como nas renovações — em que só é preciso ir ao CASV. O próprio sistema irá informar sobre isso.

No caso de ter que fazer as duas entrevistas, as visitas não podem ser agendadas para o mesmo dia. Fique atento porque a opção de agendamento para o Consulado aparece antes da opção de agendamento para o CASV, mas a entrevista no CASV tem que ocorrer primeiro. Por isso, escolha sempre para a ida Consulado uma data posterior à da ida ao CASV.

No meio do processo, você terá que pagar a taxa de solicitação do visto (US$ 160, no caso dos vistos de turismo e de negócios). Confira taxas para outros vistos em http://usvisa-info.com/pt-BR/selfservice/us_fee_payment_options.

3) No dia agendado, vá ao CASV com o formulário, o passaporte e o comprovante de pagamento da taxa. Lá, serão recolhidas as impressões digitais e será tirada uma nova foto. Não é permitido entrar com bolsas ou mochilas no recinto, e não há local para guardar esses pertences dentro do centro. Quem estiver com eles precisa deixá-los no carro ou em guarda-volumes privados, que costumam cobrar caro pelo serviço. Eu deixei as minhas coisas com o meu marido, que esperou do lado de fora.

4) No dia da entrevista, é preciso ir ao Consulado ou à Embaixada, levando o passaporte e a página de confirmação do formulário DS-160.

Para mais informações, consulte a página http://brazil.usvisa-info.com.

Fonte: G1

Tirar o visto americano é complicadinho, mas também não é nenhum bicho de sete cabeças. Se você tiver passagens compradas, reserva de hotel, carta da empresa (no caso de uma viagem a negócios) e tudo o mais que puder usar para comprovar o motivo da sua viagem, melhor! Na verdade, o que eles querem saber é que você está indo por motivo X, para voltar em data programada. A preocupação deles deve ser com a entrada de imigrantes ilegais.

Boa sorte!

aviso-ferias

25 Mar 2014

Como tirar passaporte

Quando eu fui tirar meu passaporte pela primeira vez, achei bem confuso! Portanto, espero que este post ajude quem estiver passando por esse momento.

Confira um passo-a-passo para tirar o passaporte comum. Mais informações podem ser obtidas com a Polícia Federal, pelo telefone 194 ou no site www.dpf.gov.br/simba/servicos/passaporte.

1- Preencha o formulário eletrônico no site da Polícia Federal. Esse formulário é bem complicadinho e demora para ser preenchido.

2- Será gerado um boleto para pagamento de uma taxa. Fique atento: a validade da guia é de 20 dias.

3- O sistema também realizará um agendamento da data em que será preciso ir ao posto da PF. Algumas unidades ainda não permitem o agendamento pela internet. Nesse caso, a recomendação é entrar em contato por telefone para saber como proceder. A minha eu agendei pela Internet mesmo e foi bem rápido (coisa de poucos dias depois).

4- No dia e horário agendados, vá ao posto de atendimento escolhido levando o boleto pago, o protocolo da solicitação e os seguintes documentos originais:
– Documento de identidade (para menores de 12 anos, pode ser a certidão de nascimento).
– CPF, caso o número desse documento não conste da identidade. Se a pessoa for menor de 18 anos, deve-se levar o CPF do responsável.
– Título de Eleitor e comprovantes de voto ou justificativa na última eleição (nos dois turnos).
– Para homens de 19 a 45 anos: documento que comprove quitação com o serviço militar obrigatório, para homens de 19 a 45 anos.
– Para os naturalizados brasileiros: Certificado de Naturalização.
– Se tiver passaporte anterior, é preciso leva-lo (esteja ou não válido).

5- Os agentes da PF colherão impressões digitais dos dez dedos e tirarão uma fotografia.

7- O solicitante receberá um protocolo com a data de entrega do passaporte (no máximo, seis dias úteis). É preciso ir retirá-lo pessoalmente, levando um documento de identidade. Se não for buscado num prazo de 90 dias, ele será cancelado. Em resumo, você precisará ir dois dias cuidar desse assunto: a primeira vez, para colher as informações, e a segunda, para buscar o passaporte.

Outras informações importantes

– O passaporte tem validade de cinco anos. No caso de menores de 4 anos, a validade é definida de acordo com a idade, conforme tabela disponível no site da PF.

– Alguns países exigem que o passaporte tenha no mínimo seis meses de validade. Assim, mesmo que o visitante fique no destino apenas um mês, não será possível entrar se faltarem cinco meses para o vencimento, por exemplo. Nesse caso, é preciso pedir outro passaporte antes de viajar.

– Não existe renovação de passaporte. Quando o documento vencer, é preciso pedir outro e passar por todo o processo de novo.

– Para menores de 18 anos, é exigida a autorização dos pais (clique para ver um modelo).

– A PF pode emitir um passaporte emergencial, entregue em até 24 horas, para quem não pode esperar o prazo de entrega comum. Mas isso só é possível em situações “cujo adiamento da viagem possa acarretar grave transtorno” (catástrofes naturais, necessidade de trabalho, motivo de saúde etc.), e é comprovado a urgência. A validade desse documento é de apenas um ano (clique para acessar mais informações no site da PF).

Fonte: G1

aviso-ferias