Viagens

15 Jun 2015

Minha mala para 10 dias na Europa (Amsterdam no verão)

Outro dia compartilhei com vocês como eu faço o planejamento da mala quando vou viajar, e hoje gostaria de mostrar as roupas que eu levei na mala para essa viagem.

120615-mala-europa

É verão na Europa mas, mesmo assim, a cidade onde vou fica no meio do continente e não está um calor como imaginamos o nosso verão aqui – a temperatura está oscilando entre 9 e 21 graus, o que é bem parecido com São Paulo nos dias mais frios de inverno. Por isso, depois de fazer todo aquele esquema que comentei no outro post, cheguei às seguintes peças:

  • trench-coat cáqui
  • jaqueta de couro preta
  • suéter marinho
  • suéter verde militar
  • vestido estampado
  • calça preta
  • calça jeans
  • saia lápis preta
  • camiseta do KISS (para ir ao show!)
  • 3 camisetas pretas
  • 3 camisetas brancas
  • camisa estampada
  • camisa azul claro, lisa
  • camiseta listrada marinho e branco
  • suéter de zíper preto que não aparece na foto porque está na mala de mão (uso no avião)

De acessórios:

  • 2 lenços estampados
  • pashmina lisa rosa (a verde eu acabei tirando)
  • cinto preto de couro
  • três colares (não aparecem na foto)

De calçados:

Aqui foi onde a minha mala pesou mais, mas preferi correr esse risco a ficar com o pé molhado (chove e para bastante em Amsterdam e estou indo para andar a pé o tempo todo).

  • sapato oxford preto
  • sapato oxford marrom
  • bota marrom (vai comigo no avião)
  • bota preta
  • par de chinelos para ficar no hotel

Além da lista acima, foram as roupas íntimas – camisete para pôr por baixo de camisa, calcinhas, sutiãs, meias, pijama. Tudo coube em uma mala pequena mas, como tem mais coisas, levei a mala média para todo o resto.

Todas essas peças combinam entre si e fiz várias combinações em casa para garantir que não fique sem opções (nem parecendo que estou todos os dias com a mesma roupa).

Vocês podem estranhar a falta de bermudas e sandálias, por exemplo, mas já não uso essas peças no meu dia a dia, mesmo no verão tropical do Brasil. As calças são leves, os sapatos podem ser usados sem meias e levei uma saia também, então mesmo que a previsão erre e faça muito calor (o que acho difícil), não serei pega desprevenida.

Um leitor sugeriu que eu falasse sobre necéssaires e bolsas de mão, e tirarei fotos quando chegar no hotel para mostrar como eu fiz.

06 Jun 2015

Como planejar a mala para uma viagem internacional

Hoje comecei a organizar a mala que vou levar para a minha viagem (10 dias fora) e quis compartilhar com vocês como estou fazendo, pois algumas dicas podem ser úteis.

Saiba seus limites

Quantas malas você pode levar? Qual o limite de peso? Mesmo quando posso levar até duas malas de 32kg, eu gosto de viajar mais leve. É claro que,s e você estiver indo com o objetivo de fazer compras, isso muda de figura. Minha sugestão aqui é para alguém que esteja indo viajar a passeio, possa sim fazer um ou outra comprinha, mas não com esse objetivo final.

Escolha suas malas

Eu gosto de levar sempre uma mala tamanho médio (com extensor), pois acho mais fácil de ficar dentro do peso limite que levar uma muito grande, além de ser mais fácil para carregar. Além dela, levo uma bolsa de mão e minha pasta com notebook, livro etc – isso quando estou trabalhando. Se não, levaria apenas a bolsa de mão.

É importante também avaliar seu percurso com malas ao chegar ao local. Eu vou sair do aeroporto e vou de trem ou bonde para o hotel, então com duas malas isso ficaria extremamente chato de ser feito.

Conheça o tempo

A primeira coisa é saber como estará o tempo no lugar onde você vai. Dá para ter uma ideia pela média do mês, que geralmente pode ser consultado na Internet, pela estação e, uma semana antes, consegue-se ter uma visão um pouco mais precisa com a previsão do tempo mesmo. Eu costumo digitar “weather nome da cidade” no Google para saber a previsão. Isso é importante não só pela temperatura, mas pelo tempo mesmo: se vai chover, se venta muito etc.

Imagem: Tem Wiking

Imagem: Tem Wiking

Escolha 3 partes de baixo básicas

Eu escolhi três. Pode parecer arriscado levar apenas três partes de baixo mas, no meu caso, funciona. Lembre-se que você sempre pode comprar alguma peça em seu destino, caso falte, rasgue ou manche alguma que você levou. Se a gente pensar “e se” para tudo, vai levar o guarda-roupa inteiro.

Eu escolhi uma calça jeans, uma calça preta de sarja com elastano e uma saia preta. Considerei levar uma calça bege também mas, quando fiz as combinações, vi que seria apenas um “plus” não tão necessário (talvez eu ainda mude de ideia).

A calça jeans é um coringa e uso muito no meu dia a dia, então sei que posso fazer muitas combinações. É um jeans mais escuro, que dá para usar tanto para trabalhar quanto para atividades de lazer. A calça preta de elastano é outro coringa que vai com tudo e é confortável – gosto de usar na própria viagem em si, no avião. A saia serve apenas como parte de baixo básica que traz um visual diferente, para não parecer que estou de uniforme.

Eu penso que cada um pode montar sua variação de acordo com o próprio estilo, já impresso no guarda-roupa que tem. Viagem não é hora de inventar roupas que você não usa no dia a dia, a não ser, claro, que você vá para um lugar muito diferente (escalar o Everest ou fazer um safári na África).

O legal de escolher as partes de baixo básicas é que elas são a sua base para todo o resto.

Escolha a paleta de cores que pretende usar

Aqui a coisa começa a ficar divertida. Veja as peças de baixo que escolheu e estabeleça uma paleta de cores. Eu gosto muito de usar preto, branco e marinho – são as cores básicas que já uso muito no meu dia a dia. Que outras cores eu poderia adicionar a essas? E aqui você pode escolher algo que esteja mais a fim de usar no momento, como um verde militar ou um cor de rosa. Isso vai ser importante porque, quanto mais as peças combinarem, mas você vai ter possibilidade de usá-las.

Escolha 5 partes de cima básicas

Eu escolhi: camiseta branca, camiseta preta, camiseta listrada, camisa lisa colorida e camisa estampada. Coloquei em cima da cama.

A camisa lisa já foi em um tom que combina com tudo (azul claro) e, a estampada, preta e branca. A camiseta listrada é marinho e branco (preto e branco funcionaria melhor, mas aí ficaria muito monocromático).

Escolha 1 vestido

A vantagem do vestido é que pode ser usado sozinho, com camiseta, com camisa, como blusa, como saia, além de ser prático e confortável. Como vou ter um jantar em que quero estar mais arrumadinha, estou levando um vestido com estampa sóbria e que combina com a paleta de cores escolhida.

Escolha 3 partes de cima de frio

Eu escolhi: suéter marinho, suéter verde e jaqueta de couro preta. Já escolhi o suéter verde para dar uma cor diferente à minha paleta. O vestido tem nuances de verde também. Vejam como a paleta está se formando.

Escolha os sapatos que combinem com as partes de baixo

Eu vou viajar para uma cidade que pode chover muito ou não (sempre há a possibilidade). Então não posso deixar que meus looks sejam destruídos apenas porque está chovendo. O que fiz então foi escolher dois sapatos que gosto e uso muito – ou seja, são do meu estilo e confortáveis – um marrom e um preto. E estou levando também uma bota marrom e outra preta, ambas impermeáveis. Elas servirão não só para dias de chuva, mas para dias que o tempo esfriar também. Eu já vi na previsão do tempo que existe uma variação grande, então não quero passar frio nem ficar com os pés molhados por lá.

Escolha acessórios que combinem com tudo o que você já pegou até aqui

Eu peguei: cinto preto e três lenços. Um lenço é colorido (rosa bem forte, que faz contraponto com as cores frias da minha paleta), outro estampado (com tons de azul) e outro também estampado, com tons de marinho e branco. Todos eles pareciam combinar com as peças que eu escolhi.

Experimente e faça combinações

Eu visto uma primeira peça de baixo (ex: saia preta) e coloco uma parte de cima (ex: camiseta preta). Aí me pergunto assim:

  • Se esfriar, o que vou usar? Alguma parte de cima de frio tem que combinar;
  • Que outras variações posso fazer com essa mesma base, com os acessórios e outras peças que estou levando?

Com isso, vejo que posso usar a saia + camiseta com oxford, com bota, com jaqueta, com suéter, com lenço, com camisa por cima, entre outras combinações.

Faço isso para todas as partes de baixo. Anoto todas as possibilidades. Você pode querer tirar foto para registrar, se preferir.

Nesse processo, posso perceber que uma blusa combina apenas com uma peça. Isso é um indicativo de que essa peça só vai ocupar espaço e talvez não seja uma boa levá-la. Isso aconteceu quando escolhi a camisa azul (inicialmente, um azul marinho, mais escuro), e acabei trocando por uma camisa azul bem claro, pastel, que combina com mais peças.

Analise as combinações feitas

Com o papel em mãos onde você anotou suas combinações, veja quantas foram formadas. Eu formei 40 combinações com apenas 12 peças, sem contar os acessórios. Isso é muito legal, porque significa que você nunca se arrependerá de ter levado as peças que levou, nem ficará com tédio ao escolher que roupa vai usar, pois todas combinam com todas.

Veja o que falta

Uma coisa que gosto de fazer é usar sempre uma parte de cima por dia, porque em pouco tempo de viagem não dá para lavar e esperar secar. Em alguns hotéis dá, mas não é o caso. Por isso, gosto de ter uma parte de cima para cada dia. Percebi que vou precisar de 11 partes de cima (estou contando o dia da viagem) e tenho apenas 6. Isso significa então que vou escolher mais 5 peças semelhantes (3 camisetas brancas + 2 camisetas pretas) e acrescentar à minha mala. Escolhi essas porque ocupam pouco espaço e vão me deixar mais confortáveis com as minhas escolhas.

Eis a lista de peças que vou levar:

  • jaqueta de couro preta
  • calça jeans
  • calça de sarja preta
  • saia preta
  • suéter verde
  • suéter marinho
  • lenço preto
  • lenço marinho
  • lenço rosa
  • cinto preto
  • camisa azul claro
  • camisa estampada preto e branco
  • camiseta branca (4)
  • camiseta preta (3)
  • camiseta listrada
  • vestido
  • oxford marrom
  • oxford preto
  • bota marrom
  • bora preta

Quanto separei essas peças, elas formaram um pequeno montinho, que caberia até em uma mala de mão. Confesso que fiquei impressionada com a tão pouca quantidade!

É claro que vou acrescentar outras peças a esse montinho, como um pijama, camisete para colocar por baixo das camisas, meias, roupa íntima, mas a base é essa mesma. E eu só vou levar camisetas sobressalentes porque vou em um evento de trabalho porque, se fosse a passeio, eu levaria menos e daria um jeito de lavar mesmo.

Vale lembrar também que algumas dessas peças já irão comigo no próprio dia da viagem, diminuindo o volume na mala em si.

Estou bastante satisfeita com as peças que escolhi e um repertório com 40 possibilidades para 10 dias, podendo escolher livremente de acordo com o meu humor, temperatura e clima.

Espero ter ajudado um pouco quem tem dificuldades para saber o que levar em viagens longe e um pouco mais longas que uma semana.

Pretendo fazer outro sobre como organizar a mala, parte que acho divertidíssima!

Obrigada por tudo, pessoal.

workshop-junho-ana-insta

27 May 2015

8 dicas para sobreviver a uma viagem de mais de 10 horas na classe econômica

Muitos leitores me pedem mais dicas de organização em viagens, então este post traz dicas para se organizar em uma viagem longa de avião na classe econômica. São dicas que coletei ao longo dos últimos anos e outras que descobri por mim mesma. Espero que gostem!

  1. Planeje o que pretende fazer em termos de entretenimento. Você não gosta de ler? Então não leve um livro. Leve coisas que você gosta. Conheça-te! Algumas pessoas se entretém a viagem toda com um único livro, enquanto outras se entediam rapidamente e precisam sempre mudar de mídia (filme, livro, desenho). Viagens longas parecem intermináveis se não tivermos nada para fazer. Mas o mais importante é otimizar o espaço do que você vai levar. Por exemplo, se você gosta de ler, vale a pena levar um tablet ou e-reader em vez de três livros. Aí é importante carregar tudo um dia antes para deixar seus dispositivos preparados. Outro item indispensável é levar seu próprio par de fones de ouvido, pois não são todas as companhias aéreas que fornecem.No geral, eu costumo levar um e-reader, meu notebook (porque trabalho remoto), fones de ouvido e o meu próprio celular. Outras sugestões legais são: livros para colorir, um diário, um caderno para anotações diversas.
  2. Providencie o seu conforto. Sejamos sinceros: viajar de avião pode ser bastante desconfortável. Por melhores que sejam as poltronas na classe econômica, a falta de ergonomia começa a pesar depois de algumas horas. Use uma roupa bastante confortável e pense em termos de camadas. Casacos grandes não funcionam em aviões – perturbarão você e as pessoas ao seu lado. Se viajar para um lugar frio, vale a pena levar uma mala de mão maior com o casaco dentro, para usar assim que chegar ao aeroporto. Eu gosto de viajar com uma calça com elastano, camiseta de malha e uma blusa de lã, que é molinha e esquenta bem, se precisar. Também gosto de usar meias de compressão durante a viagem (para evitar inchaços) e levar um par de meias mais quentinhas para usar enquanto dormir. Descobri que faz muita diferença no meu conforto proteger as extremidades do corpo, que é por onde nosso corpo esfria – mãos, pés, cabeça. Já parei dor de cabeça só por colocar uma touca em uma noite de frio! Por último, também gosto de levar uma pashmina, que serve como cachecol para proteger o peito e complementa o cobertorzinho que geralmente os aviões têm. Sobre sapatos: evite os sapatos fechados, mesmo quando for para lugares frios, pois os pés incham. Deixe para colocar quando chegar lá. Eu gosto de viajar com sapatilhas e variantes, como slippers.
  3. Dicas para conseguir dormir. Ninguém consegue dormir direito no avião, mas existem algumas dicas que podem tornar esse processo um pouco menos traumático. Conheço pessoas que gostam de tomar um remedinho natural antes de embarcar, como chá de camomila ou pílulas de melatonina / passiflora. Por favor, não use medicamentos como Dramin, Dorflex, entre outros, pois auto-medicação é algo muito arriscado. Também evite o consumo de álcool, que nas grandes alturas não funciona como em terra. Meus acessórios preferidos para conseguir dormir são: máscara para dormir, plugs de ouvido e travesseiro de pescoço. Sou um pouco chata com máscaras de dormir e vivo trocando as minhas. Nada pior que uma máscara de dormir que aperte a cabeça ou a lateral dos olhos, ou ainda em cima do nariz. É claro que uma máscara de dormir nunca será 100% confortável, mas procure a que melhor se adapta ao formato da sua cabeça e rosto. Plugs de ouvido, leve vários sobressalentes para não ficar sem nem deixar de usar porque ficou sujinho. Quanto ao travesseiro de pescoço, certamente os infláveis são os melhores para economizar espaço, mas o conforto não se compara. Se você for viajar para um único lugar (ou seja, não ficará se deslocando muito com mala na mão), eu recomendo um travesseiro de pescoço de verdade, tipo almofadinha, pois faz diferença em uma viagem longa desse tipo. Para carregar, encaixe-o na sua bolsa ou mochila de mão – não precisa colocar dentro.
  4. Hidrate-se. O ar condicionado do avião acaba com a nossa pele, nariz, lábios etc. Manter-se hidratado ao longo do vôo faz muita diferença na sua disposição. Leve sempre uma garrafinha com você (vazia, para passar na esteira, e encha depois), de preferência com fecho hermético, para não correr o risco de vazar. Além disso, vale a pena levar um pequeno hidratante – eu gosto de levar um potinho pequeno de Nivea, que não é líquido, e uso para tudo: mãos, rosto. Também levo um protetor labial ou manteiga de cacau e passo antes de dormir, para garantir ao menos por um tempo a hidratação da minha pele.
  5. Leve lanchinhos. Eu sei que existe o serviço de bordo e todo mundo adora jantar e tomar café-da-manhã no avião. Porém, nos intervalos, vale a pena ter algo para beliscar de três em três horas ou menos, até mesmo para manter o corpo energizado. Eu gosto de sempre levar algo salgado e algo doce, para levantar o moral. Mas não é para levar muita coisa, apenas umas pequenas porções de lanchinhos. Chocolates e barras de cereal cumprem bem o papel. Tem gente que gosta de levar sanduíche embalado em papel filme, ou frutas. Tome apenas cuidado com alimentos barulhentos (como salgadinhos) e que tenham um cheiro muito forte (como goiabada!). Vale a pena levar uma sacolinha plástica para ir colocando as embalagens vazias ao longo do vôo (em vez de colocar tudo de qualquer jeito – e sem higiene – no bolsão da frente).
  6. Cuide da sua saúde. Pode parecer frescura, mas os aviões não são limpos com a frequência e qualidade ideais. Por isso, leve com você um pacote de lenços umedecidos (se forem anti-bacterianos, melhor) e passe no apoio para braços e na mesinha, quando for usá-la. Eu também gosto de levar sempre um potinho de álcool em gel para passar nas mãos depois de usar o banheiro. Eu acho que o pacote de lencinhos é sempre útil porque nunca se sabe quando vamos derramar suco na roupa ou em cima da mesa do avião.
  7. Escolha bem sua bagagem de mão. Eu vejo de tudo nos aeroportos: pessoas que levam uma bolsa + uma mala de bordo. Outras que levam uma mochila. Outras que levam apenas uma mala de bordo. Outras, bolsa + necéssaire de mão. Eu costumo viajar bastante a trabalho e, nesses casos, prefiro levar uma pasta executiva com tudo o que vou usar no vôo + uma pequena sacola (de pano, flexível, com zíper) com amenidades para quando chegar lá (casaco, muda de roupas caso a mala extravie, carregadores). Já levei tudo em uma única mala de bordo (que fica no compartimento superior) e acho chato ter que ficar toda hora levantando para pegar o que está ali, além de ser desconfortável abrir uma mala na poltrona. Também já aconteceu de eu levar uma única mochila e ficar muito apertado… Então hoje, o que faço, é levar duas bolsas de mão, mas ambas pequenas. Leve em conta também que, em viagens longas, o espaço nos compartimentos superiores é disputado, então malinhas mais rígidas ou maiores podem não caber. O que é importante: o que você vai usar durante o vôo deve ficar com fácil acesso, de preferência embaixo da poltrona da frente. Essa bolsa ou mochila não pode ser grande, senão prejudicará o seu conforto (não tem espaço suficiente para colocar os pés). Então verifique a configuração que funciona melhor para você.
  8. Distribua o tempo. Tente planejar mais ou menos o que pretende fazer ao longo do vôo, para se programar. Você pode estabelecer que vai ler nas duas primeiras horas de vôo, depois assistir um filme, depois tentar dormir um pouco, aí ouvir música quando acordar, organizar seu computador (não faça isso com alguém dormindo ao lado, a não ser que a pessoa esteja com máscara de dormir, por favor), ler de novo, e por aí vai. Isso pode te dar uma ideia do que fazer em cada um desses momentos. Como eu gosto de planejar, me ajuda a ver o tempo passar.

E você, tem alguma dica que funciona para longas viagens de avião? Compartilhe nos comentários! :)