Dia das mães

10 May 2015

A principal dica de organização que eu aprendi com a minha mãe – participação dos leitores

Na última semana, eu publiquei uma enquete aqui no blog perguntando aos leitores qual a principal dica de organização que cada um aprendeu com a sua mãe. Foram 255 participações (obrigada!), o que tornaria inviável publicar todas aqui. Por isso, selecionei algumas e espero que vocês gostem das dicas que as mamães ensinaram ao pessoal.

“Minha mãe foi a primeira a me ensinar a reunir por semelhanças e separar por diferenças… Guardar as roupas, a louça… Melhor forma de aproveitar espaços não há!” – Maristella Soares dos Santos

“Foram muitas, mas acho que a principal é a de manter as gavetas do guarda roupas sempre arrumadas, em especial as de meias e lingeries. As meias devidamente dobradas com seus pares em pequenos rolinhos, as calcinhas bem dobradinhas todas do mesmo modo e os sutiãs em ordem um em cima do outro. As de camisetas então nem se fale: todas dobradas e empilhadas. E ai se fizer bagunça e tirar tudo da ordem!” – Cristiane Pereira Novais

“Não é bem uma dica de organização é uma frase que ela sempre me dizia “Tarefa feita sem organização, trabalho dobrado””. Quando estou executando uma tarefa e bate aquela preguiça lembro da frase, percebo como ela tinha razão…” – C.

“Minha mãe é uma pessoa muito prática já que muito atarefada. Entre os poucos momentos que passamos juntas tenho que o maior ensinamento sobre organização foi o de arrumar a cama assim que levantar.Simples e direta, segundo ela o dia só se inicia com a cama arrumada, pois seria o sinal de que o sono ficou pra traz. Confesso que o fato de eu arrumar a cama não cessa meu sono, mas que ajuda a eu não voltar a tirar uma soneca… ah! isso ajuda mesmo.” – Mariana

“Cada coisa em seu lugar. Quando tirar um objeto de um lugar, coloque no mesmo lugar, assim fica mais fácil de achar. É verdade mesmo, quando não encontrava alguma coisa em casa,ela sempre dizia: “Porque não estava no lugar de onde foi retirado.” Hoje em dia, procuro fazer o mesmo na minha casa e passo a lição pra minha filha.” – Tania

“Minha mãe não é la muito organizada…rs …. mas me ensinou varias coisas na vida que jamais esquecerei. Acho q uma das dicas de organização mais que ela me ensinou foi na minha infancia, na época de escola. Eu estudava de manhã e ela me ensinou a deixar todo o material arrumado e a roupa que ia usar preparados no dia anterior, pra não ficar atrapalhada na manhã. Além disso ela me ensinou a me organizar para levantar sozinha com o despertador. Eu me lembro que com 12 anos eu ja me organizava e levantava sozinha, me arrumava e tomava meu café antes de ir pra escola. Hábitos que faço até hoje, mas agora para o trabalho. :)” – Mônia

“Que a Rotina é melhor maneira de se organizar!” – Ellen Flizicoski

“Categorizar tudo. Minha mãe ama caixas e etiquetas, e confesso que eu passei muitos anos da minha vida achando isso a maior besteira. Porém quando casei e fui morar na minha própria casa, percebi que realmente fazia muito sentido o que ela tinha me ensinado, e passei a usar para tudo!” – Aline Rocha

“Aprendi com minha mãe, a não guardar coisas, a se “destralhar” … quando criança isso era bem difícil, como se tornou um hábito, hoje ela diz que exagero, procuro não ficar com nada que não tenha utilidade … adoro me desapegar e hoje procuro nem mesmo comprar coisas desnecessárias… agora é outra fase … abraços” – Mônica

“Aprendi com a minha mãe a sempre por no papel tudo o que precisa ser pago e o que ainda preciso pagar.” – Lidicleia Pereira

“Não deixe acumular tarefas!” – Chaianna Cardoso

“Sempre terminar o que começar. Vejo pessoas que começam a montar um quebra-cabeça, ler um livro, etc. e não terminam, isso vai se acumulando, ou termino, ou desisto, em 99 % termino, senão a minha vida fica desorganizada.” – Agnaldo

“A minha mãe é uma pessoal que me inspira em diversos aspectos, e ser organizada é um traço marcante da sua personalidade (já da minha…rsrsrsrs!). Mas, se tivesse que destacar dois ensinamentos especiais a respeito de organização, seria a ideia de que é uma prática libertadora, uma atividade constante que permite que vivamos em paz, em um ambiente acolhedor e que valorize o que nos é mais importante. Um outro ensinamento muito marcante diz respeito à percepção do presente e ao valor que se dá a bens materiais, que é reduzido pela minha mãe na seguinte máxima: “as coisas (de casa) estão aqui para me servir, e não para que eu as sirva”. Acho que essas duas ideias mostram bastante do caráter da minha mãe, que é muito terna, mas tem um senso prático sem igual.” – Isabela

“Lave a louça enquanto cozinha! É infalível!!!! Senão quando acaba de cozinhar a gente fica com aquela pia de dar desânimo!!!!!” – Bel Frazão

“Minha mãe sempre anotou o quanto ganhava e o quanto gastava. Mas era tudo mesmo, até o pãozinho na padaria (naquela época R$0,10). Ela conservava um caderno pequeno que ela fazia as anotações religiosamente. E assim sempre ensinou-me a ter meus gastos na ponta do lápis. Ahhh, anteriormente eu fazia planilha em excel e atualmente tenho um aplicativo financeiro, estou certa que ela adoraria a praticidade dessas anotações.” – Emanuelle Bezerra

“A principal dica que minha mãe me dá até hoje é como ser minimalista em relação a casa. Temos pouquíssimos moveis, pouquíssimos itens em cima deles, tudo muito com cores claras e fica sempre com um ar arejado. Isso faz com que nossa casa pareça sempre arrumada.” – Mayara Dantas

“É engraçado a vida…..mas hoje depois de refletir sobre tudo que pude aprender com a minha mãe (que não está mais conosco) vejo como são valiosas e queria ter podido ter mais amadurecimento para poder ter aprendido mais e mais……….ela nunca desistiu de nada (mesmo no hospital fazia o seu croche) me ensinou a nunca a acumular coisas como por exemplo na cozinha sempre que fazia uma coisa já ia lavando o que sujava sem deixar acumulado na pia…….também colocava em ordem ao lavá-las….primeiro os copos, depois os pratos os talheres e por último as panelas…….espero ter contribuído.” – Angela

“Olá! Minha mãe é uma pessoa muito organizada, ao contrário de mim rs.
No entanto, o que ela me ensinou desde criança e que aprendi muito bem é a organização relacionada à compras com cartões de crédito. Ela sempre me ensinou a explorar as melhores datas para compra, vantagens ou desvantagens de parcelamento e nunca acumular dívidas. Ela me ensinou a ter o cartão de crédito como um aliado e não ser refém dele.” – Marina Fatobene

“Sempre fazer o que for rápido e logo “tirar da frente” ou primeiro a obrigação, depois a diversão. O que vem a ser NÃO PROCRASTINE.” – Consuelo

“Aprendi com ela tudo o que sei sobre cozinha, que temos que ter organização para cortar os alimentos, saber misturar os elementos que combinem, ter organização com as panelas, enfim… A minha mãe deu aulas por 22 anos de Culinária, de bolos confeitados, bolos finos, salgados variados e etc, em uma época que não havia internet. Ela sempre estava com apostilas estudando suas receitas. Espero ter herdado pelo menos um pouco do seu dom, pela arte de cozinhar. Hoje sou vegetariana e ela com 82 anos continua a invetar coisas vegetarianas diferentes para a minha família. Ela não tem ideia do orgulho que eu tenho de ser sua filha. Mãe Reni te amo!” – Rose Cunha Vidal

“De uma maneira não muito confortável, aprendi com minha mãe sobre a organização do meu guarda roupas. Quando eu era criança tinha o hábito de jogar minhas roupas dentro do armário sem dobrar ou sem qualquer tipo de ordem, e ela sempre dizia que ia colocar todas as minhas roupas dentro de uma sacola pra ela não precisar arrumar tudo, já que eu gostava de tudo bagunçado… rs Depois de um breve tempo, em um dia lindo voltando da escola, eis que me deparo com o armário vazio! E pra minha surpresa (porque na real eu duvidava que ela faria aquilo… rs) uma sacola do lado da minha cama, com o que? simplesmente todas as minhas roupas… rs
Cômico e trágico, mas depois dessa eu me tornei mais organizada com os armários (acredite, mais que ela) e hoje em dia com praticamente tudo que eu faço. Gosto bastante dessa referência de organização da minha mãe, acho uma história engraçada e certamente se um dia eu tiver filhos eles saberão!
Beijos Thais!” – Poliana Marques

“Escrever listas de tarefas da semana.” – Gisele Jardim

“Sempre revisar a papelada e sempre se livrar dos papéis (reciclando) e livros (doar) que não vão mais serem usados!” – Laura Kerstenetzky

“Eu tenho 2 filhos e sempre me atrapalho para arrumar as malas para viajarmos. Minha mãe teve 4 filhos e está com Doença de Alzheimer avançada agora. Mas no início da doença, em uma viagem que fizemos para comemorar os 50 anos de casamento de meus pais, em que fomos toda a família, e, que tivemos que fazer a mala para ela, perguntei como ela fazia para arrumar a mala de 4 crianças e mais a dela e de meu pai para viajarmos. Ela me respondeu que pedia para os 4 trazerem no quarto dela, em ordem, primeiro as calcinhas e cuecas, depois as meias, depois blusas e assim por diante. Não me lembro disso na minha infância. Mas, mesmo doente, ela conseguiu me dar uma boa lição de organização.” – CMLB

“Com a minha mãe eu aprendi que não adianta tirar um dia inteiro da semana pra organizar a casa toda de uma vez, e sim que é muito melhor organizar uma coisa de cada vez e aos poucos todos os dias, porque a casa se mantém organizada sem grandes esforços. Outra coisa muito importante que aprendi foi com uma mãe de coração, minha tia, que é a dica de que não adianta ter um roupeiro cheio de roupas que não usamos, e sim mantermos apenas as peças que realmente amamos e ir doando peças menos usadas quando peças novas entram no roupeiro. Não tenho grande apego pelas minhas roupas, são poucas as que eu não abriria mão, e agradeço muito à minha tia por isso. Depois, quando conheci o Vida Organizada e dei de cara com dicas como essas, me apaixonei e desde então acompanho todas as postagens, porque certamente sempre há o que aprender.” – Franciele

“Aprendi com minha mãe a ter uma rotina de horários no dia a dia, como pra comer, dormir, almoçar… Acredito que isso vai me ajudar muito quando eu for mãe.” – A.

“Anotar as tarefas a serem realizadas e prestar atenção quando estou guardando algum objeto, porque eu era muito desligada.” – Juliana

“Minha mãe sempre foi muito econômica. No inicio da minha fase adulta, eu gastava muito, me endividava nos cartões e queria tudo! Minha mãe me ensinou a importância do dinheiro, como é difícil ganhar, que devemos saber se “queremos” ou “precisamos” e nunca gastar tudo o que ganhamos. Foi muito importante este ensinamento para a minha vida, a construção do patrimônio e para ter uma confortável vida financeira, sem me tornar refém dos cartões e bancos.” – Claudia

“Minha mãe sempre foi muito perfeccionista e super organizada. Desde que me entendo por gente, nunca vi as gavetas dela bagunçadas, e as do meu pai também. Tudo no mesmo lugar a anos. Quando me casei, pensei que receberia dicas de como manter minhas gavetas assim, já que sou um desastre, mas ela, feminista que só, me disse: “entregue as roupas para que seu marido as guarde, jamais coloque as coisas na gaveta pra ele” Perguntei: “-porque mãe?” E ela: “- quem faz isso é a mãe, não a esposa.”” – Claudia Gualberto Ferreira

“Desde criança minha mãe sempre me ensinou a ser extremamente independente. Essa foi uma dentre todas as outras q ele me passou.” – Patricia

“Minha mãe de meu várias dicas. Mas a principal delas foi de sempre separar os documentos necessários para qualquer tipo de ocasião. Vai fazer uma prova no dia tal? Já separa sua identidade. Vai renovar o passaporte? Já separa os documentos necessários. Vai resolver qualquer pendenga? Já separa os documentos pra isso. Hoje em dia, esse procedimento “”evoluiu”” com a minha implementação do Tickler. Obrigado mamãe!!!” – Felipe Grisi

“A principal dica que minha mãe me deu (ou eu aprendi por observar minha mãe, veio por herança genética, não sei bem o modo de transmissão…) é chegar cedo aos compromissos. Isso vale para tudo: viagens de ônibus e avião, encontros marcados, almoços. Aprendi que, quando é um compromisso só nosso, chegar cedo implica em não passar nervoso com imprevistos e fazer a nossa parte para que tudo ocorra direito. Quando se trata de compromissos que envolvem outras pessoas, não temos o direito de usar o tempo dos outros como nos aprouver, porque não somos mais importantes que ninguém. Estar na hora marcada é uma questão de respeito, fundamental para a vida em sociedade.” – Evelyn

“Não está usando, passa adiante! Alguém está precisando e também é uma coisa a menos pra te atrapalhar (quando tinha roupas/sapatos que não usava mais e ficavam rolando no armário). Meu pai sempre brinca dizendo que ele tem que se cuidar então! hahahahah Hoje falo isso pra minha filha, se ela quer um brinquedo novo, tem que escolher algum pra se desfazer.” – Carla Lunkes

“Oi Thais,
Minha mãe sempre foi uma pessoa organizada, e durante a vida ela me deu muitas dicas, mas a maioria delas só começou a fazer sentido pra mim depois de uma certa idade (hoje estou com 34).
Uma delas era separar por envelopes os documentos do IR (extratos, holerites), assim quando fosse a hora de fazer o imposto, já estava tudo arrumadinho.
Outra dica era a de deixar as roupas prontas pra trabalhar no dia anterior. Comecei a trabalhar com 17 e ainda morava com ela. Comecei a fazer isso “de verdade”, por mim mesma ha uns dois anos atras, pensando “sabe que ela tinha razão?”.
Outra: Deixe coisas saudáveis a mao para comer, assim quando a fome bater vc nao vai atacar a primeira coisa que ver na geladeira. Ou sim, só que a primeira coisa que ver na geladeira será saudável (uma fruta ja lavada e cortada, por exemplo).
O conceito de spring cleaning: Todo começo de janeiro a gente “desmontava a casa” e arrumava tudo e ela fazia isso ser tao divertido. Só muito mais tarde que eu soube que isso nao é uma rotina em todas as casas, rs.
Eu devo tanto, mas TANTO à minha mãe que nao sei nem como explicar sem deixar esse texto longo. E o que eu acho engraçado é que acho que ela nem sabe o tanto que fez por mim.. acho que vou mandar pra ela isso que estou mandando pra voce rs
Um beijo e feliz dia das maes!” – Roberta

Obrigada a todos que enviaram! Fiquei emocionada com diversos depoimentos e espero que vocês tenham gostado também.

E parabéns a todas as mães que ensinaram seus filhos a arrumar a cama assim que levantarem! Acho que essa dica foi citada por 90% dos leitores. :)

A principal dica que a minha mãe me deu foi a sempre ser muito prática com tudo e não perder tempo com bobagens. Minha mãe sempre foi aquela pessoa que coloca a mão na massa para tudo e não perde tempo. Eu certamente devo isso a ela!

Feliz Dia das Mães a todas as mães que lêem o blog!

29 Apr 2015

7 ideias de presentes para o Dia das Mães

Eu tenho um guia definitivo do blog para presentear qualquer pessoa, que pode servir como base para todas as ocasiões. De qualquer maneira, eu quis fazer um post com ideias mais atuais para o presente de Dia das Mães. São presentes que eu mesma gostaria de ganhar (afinal, o blog é autoral), mas espero que possa ter algumas ideias para os seus presentes também.

290415-diadasmaes

1. Luminária Flor de Luz de tecido, Imaginarium; 2. Máscara de dormir Loading, Hmmm; 3. Lixeira para carro de gatinho, Fábrica 9; 4. Bolsa saco, Renner; 5. Carteira Mulher Maravilha, Monky Design; 6. Kit Ritual Terapeutics Lavanda, Granado; 7. Livro Arte como terapia, Livraria Cultura.

Eu não gosto (na verdade, abomino) de presentes relacionados a tarefas domésticas nesse dia, a não ser que seja um hobby da mãe cozinhar, costurar ou fazer outra atividade. Mesmo assim, acho que um presente desses pode ser dado em outra época.

Sou a favor de presentes que sejam mimos ou relacionados à cultura, como livros, filmes. Outra maneira especial de presentear é proporcionar alguma experiência bacana, como levar a um restaurante legal, fazer uma viagem ou ir ao teatro.

Você costuma presentear no Dia das Mães? Qual sua tradição com relação a esse dia?

20 Apr 2013

Organizando-se para comprar o presente de Dia das Mães

Eu já escrevi um post sobre tipos de presentes aqui no blog, que recomendo sempre que vou falar sobre alguma data comemorativa que demande a compra de coisas novas. Para o Dia das Mães, não é diferente.

Eu sei que é uma data comercial, assim como todas as outras datas comemorativas (sei que muitas são ligadas ao catolicismo, mas mesmo essas possuem grande apelo comercial), mas eu acho importante celebrar esses dias. Para falar a verdade, eu adoro ter um motivo para celebrar! E, como vivemos sem muito tempo para encontros e festinhas, essas datas nos ajudam a organizar o calendário.

No Dia das Mães, nós costumamos comprar um presente para a minha mãe, para a minha sogra e para a minha avó. Meu marido, é claro, compra um para mim também, para entregar junto com o filhote. =)

Acredito que a melhor recomendação para quem deseja comprar algo para o Dia das Mães seja não comprar nada que seja para cuidar da casa ou que signifique mais trabalho para ela, como jogo de panelas, eletrodomésticos etc. Sei que muitas mães adorariam ganhar uma geladeira nova, ou mesmo uma batedeira (sério, eu mesma amo essas coisinhas para casa), mas o Dia das Mães não é o momento para fazer isso! Aliás, se a casa precisa de algo, não há a necessidade de esperar qualquer data especial para usar o presente como desculpa para o gasto. Por favor!

No mais, sou um pouco contra comprar presentes caros. A não ser que você realmente não tenha o menor problema com dinheiro e possa gastar sem maiores prejuízos, claro. Mas, no geral, acho que essas datas são para darmos lembrancinhas, coisas afetuosas. Especialmente no Dia das Mães, acho legal dar pequenos “mimos” para essas mulheres lindas.

Não posso contar aqui no blog quais os presentes que nós compramos, especialmente porque a nossa família lê o meu blog e não quero estragar a surpresa. Mas o que nós fazemos é justamente isso: escolher um “mimo” para cada uma, respeitando o momento que estão vivendo.

Se você gostaria de ter algumas ideias, segue uma lista com recomendações minhas:

  • Alguma peça de roupa que reflita a personalidade da sua mãe, como um lenço, uma blusa, uma bolsa. Evite dar sapatos (mesmo o número certo pode machucar) e artigos de gosto duvidoso. Se não tiver certeza, compre algo mais básico, que você já viu sua mãe usando, mas em outra cor, por exemplo.
  • Algum artigo de decoração. Vasos, quadros e esculturas sempre são boas opções, mas atente para o gosto da sua mãe, não o seu. Afinal, é na casa dela que você quer que fique o objeto.
  • Um par de ingressos para assistir uma peça muito bacana que ela já tenha comentado que queria, ou alguma que você tenha visto e que gostaria que ela assistisse. E sim, dê um par. Não, não fique triste se ela escolher ir com outra pessoa que não você! Foi presente!
  • Um par de ingressos para assistir um show muito bacana de algum artista que ela goste.
  • Um dia no spa com direito a massagem, manicure, pedicure e corte de cabelo.
  • Se você tiver um pouco mais de dinheiro, pode dar uma viagem de final de semana para algum lugar bem gostoso e que não dê muito trabalho para ela.
  • Leve-a para jantar no seu restaurante preferido. Dê flores. Peça para o músico cantar sua música preferida à mesa.
  • Um livro muito especial com a biografia de alguém que ela goste muito. Ou um livro com relato de viagem de um lugar que ela goste e sempre fica muito nostálgica quando fala a respeito.

O melhor momento para comprar definitivamente não é o sábado anterior! Você já sabe que o Dia das Mães acontece todo segundo domingo de maio, então antecipe-se. Se vir algum presente legal muito antes da data, você inclusive já pode comprar e guardar. Eu costumo comprar cerca de um mês antes mesmo.

A regra geral sem dúvida é pensar no melhor mimo possível para a sua mãe e presenteá-la dessa forma. Não tem erro. O melhor presente da sua mãe é você se lembrar dela, nesse dia. Para ser a cereja no bolo, mostre que a conhece e que se importa com ela. Isso independe de coisas materiais, mas todo mundo adora um agradinho.

08 Mar 2013

Contra o conceito da mulher multi-tarefa

Hoje é o Dia da Mulher.

Tive a ideia para este post ouvindo um bate-papo sobre dicas de gestão do tempo para mulheres, que me deixou tão frustrada que sequer guardei o link. Prometo que, se encontrar novamente, eu edito aqui no post. Mas, basicamente, o entrevistador forçava o entrevistado com perguntas como:

“Éééé não é fácil para as mulheres se organizarem com tantos afazeres, trabalho no trabalho, trabalho em casa, cuidar do maridão”
“As mulheres têm essa jornada dupla, até tripla de trabalho, têm que se organizar”
etc.

Então me bateu um estalo sobre esse tipo de conceito que vem sendo reforçado já há algum tempo. Será que a revolução feminista é somente para a mulher ter o direito de escolher trabalhar? Ou será que vai muito além? Será que a revolução feminista não é, na verdade, uma revolução de gêneros? Porque, afinal, a mulher não merece fazer jornada dupla não, minha gente. Ninguém merece. A mulher começou a trabalhar fora de casa mas, quando chega, precisa cuidar de tudo, enquanto o homem continua apenas trabalhando fora e, quando chega em casa, ainda tem a mulher “para cuidar”?

Por isso, hoje, eu, Thais, proponho que a gente comece uma campanha contra esse estereótipo da mulher multitarefa que acumula jornadas e muitas atividades. Homens e mulheres têm vidas com as mesmas atividades. Uma executiva que tem um filho significa que existe um pai desse filho também. Ele não trabalha? Ele não precisa de seis meses de licença paternidade? Ele não pode se ausentar para levar o filho ao médico? Ou ir à reunião de pais?

Toda vez que eu escuto alguém falar que as mulheres levam vantagem no mercado de trabalho “porque sabem fazer muitas coisas ao mesmo tempo”, eu considero isso um pensamento muito perigoso. Todo ser humano, independente do seu gênero, pode ser capaz de “se virar nos 30″ e fazer muitas coisas ao mesmo tempo, porque a nossa vida hoje, em plano século XXI, é maluca e cheia de informação. Não só as mulheres. Atribuir essa qualidade a uma mulher é o mesmo que dizer “continua se virando por aí que eu continuo descansando por aqui”.

No final das contas, o discurso feminista sempre bate no mesmo ponto: direito de igualdade. Somente isso.

Ninguém ajuda ninguém nas tarefas de casa. Quem mora na casa deve ajudar. É trabalho em equipe.

Não é só a mulher que tem jornada dupla ou tripla. Homens também trabalham fora, habitam casas e têm filhos.

Fico contente de estar vivendo em uma época onde há tantas pessoas engajadas nesse movimento e vendo muitas coisas mudarem. Mas ainda falta muito. Depende de todos nós, mães e pais de meninos e meninas, ou simplesmente cidadãos do mundo. Exerçamos em nossa casa, em nosso trabalho, o direito de ser seres humanos iguais.

Para de dizer que mulher é eficiente porque sabe fazer muitas coisas ao mesmo tempo.
Pare de reforçar o pensamento de que mulher tem duas ou três jornadas de trabalho.
Pare de dizer que o sonho de toda mulher é constituir família e ter filhos.
Pare de dizer que rosa é de menina e azul, de menino.
Pare de dizer que menino não pode brincar de boneca, ou de comidinha, ou de casinha.
Pare de colocar as meninas da família para lavar louça enquanto os meninos estão vendo televisão.
Pare de dizer que uma mulher deve se valorizar.
Pare de dizer que é papel da mulher cuidar do marido.
Pare de dizer que lugar de mulher é na cozinha, ou no tanque.
Pare de dizer que uma mulher que foi vítima “mereceu”.
Pare de dizer que “mulher minha não faz isso”.
Pare de julgar outras mulheres pela sua liberdade sexual.
Pare de julgar uma mãe que trabalha fora.
Pare de julgar uma mulher que contrata uma faxineira.
Pare de julgar uma mulher que largou a carreira para cuidar do filho.
Pare de julgar uma mulher que fez escolhas.

Feliz Dia da Mulher.

feminismo02

feminismo

feminismo03