Lazer

27 May 2015

8 dicas para sobreviver a uma viagem de mais de 10 horas na classe econômica

Muitos leitores me pedem mais dicas de organização em viagens, então este post traz dicas para se organizar em uma viagem longa de avião na classe econômica. São dicas que coletei ao longo dos últimos anos e outras que descobri por mim mesma. Espero que gostem!

  1. Planeje o que pretende fazer em termos de entretenimento. Você não gosta de ler? Então não leve um livro. Leve coisas que você gosta. Conheça-te! Algumas pessoas se entretém a viagem toda com um único livro, enquanto outras se entediam rapidamente e precisam sempre mudar de mídia (filme, livro, desenho). Viagens longas parecem intermináveis se não tivermos nada para fazer. Mas o mais importante é otimizar o espaço do que você vai levar. Por exemplo, se você gosta de ler, vale a pena levar um tablet ou e-reader em vez de três livros. Aí é importante carregar tudo um dia antes para deixar seus dispositivos preparados. Outro item indispensável é levar seu próprio par de fones de ouvido, pois não são todas as companhias aéreas que fornecem.No geral, eu costumo levar um e-reader, meu notebook (porque trabalho remoto), fones de ouvido e o meu próprio celular. Outras sugestões legais são: livros para colorir, um diário, um caderno para anotações diversas.
  2. Providencie o seu conforto. Sejamos sinceros: viajar de avião pode ser bastante desconfortável. Por melhores que sejam as poltronas na classe econômica, a falta de ergonomia começa a pesar depois de algumas horas. Use uma roupa bastante confortável e pense em termos de camadas. Casacos grandes não funcionam em aviões – perturbarão você e as pessoas ao seu lado. Se viajar para um lugar frio, vale a pena levar uma mala de mão maior com o casaco dentro, para usar assim que chegar ao aeroporto. Eu gosto de viajar com uma calça com elastano, camiseta de malha e uma blusa de lã, que é molinha e esquenta bem, se precisar. Também gosto de usar meias de compressão durante a viagem (para evitar inchaços) e levar um par de meias mais quentinhas para usar enquanto dormir. Descobri que faz muita diferença no meu conforto proteger as extremidades do corpo, que é por onde nosso corpo esfria – mãos, pés, cabeça. Já parei dor de cabeça só por colocar uma touca em uma noite de frio! Por último, também gosto de levar uma pashmina, que serve como cachecol para proteger o peito e complementa o cobertorzinho que geralmente os aviões têm. Sobre sapatos: evite os sapatos fechados, mesmo quando for para lugares frios, pois os pés incham. Deixe para colocar quando chegar lá. Eu gosto de viajar com sapatilhas e variantes, como slippers.
  3. Dicas para conseguir dormir. Ninguém consegue dormir direito no avião, mas existem algumas dicas que podem tornar esse processo um pouco menos traumático. Conheço pessoas que gostam de tomar um remedinho natural antes de embarcar, como chá de camomila ou pílulas de melatonina / passiflora. Por favor, não use medicamentos como Dramin, Dorflex, entre outros, pois auto-medicação é algo muito arriscado. Também evite o consumo de álcool, que nas grandes alturas não funciona como em terra. Meus acessórios preferidos para conseguir dormir são: máscara para dormir, plugs de ouvido e travesseiro de pescoço. Sou um pouco chata com máscaras de dormir e vivo trocando as minhas. Nada pior que uma máscara de dormir que aperte a cabeça ou a lateral dos olhos, ou ainda em cima do nariz. É claro que uma máscara de dormir nunca será 100% confortável, mas procure a que melhor se adapta ao formato da sua cabeça e rosto. Plugs de ouvido, leve vários sobressalentes para não ficar sem nem deixar de usar porque ficou sujinho. Quanto ao travesseiro de pescoço, certamente os infláveis são os melhores para economizar espaço, mas o conforto não se compara. Se você for viajar para um único lugar (ou seja, não ficará se deslocando muito com mala na mão), eu recomendo um travesseiro de pescoço de verdade, tipo almofadinha, pois faz diferença em uma viagem longa desse tipo. Para carregar, encaixe-o na sua bolsa ou mochila de mão – não precisa colocar dentro.
  4. Hidrate-se. O ar condicionado do avião acaba com a nossa pele, nariz, lábios etc. Manter-se hidratado ao longo do vôo faz muita diferença na sua disposição. Leve sempre uma garrafinha com você (vazia, para passar na esteira, e encha depois), de preferência com fecho hermético, para não correr o risco de vazar. Além disso, vale a pena levar um pequeno hidratante – eu gosto de levar um potinho pequeno de Nivea, que não é líquido, e uso para tudo: mãos, rosto. Também levo um protetor labial ou manteiga de cacau e passo antes de dormir, para garantir ao menos por um tempo a hidratação da minha pele.
  5. Leve lanchinhos. Eu sei que existe o serviço de bordo e todo mundo adora jantar e tomar café-da-manhã no avião. Porém, nos intervalos, vale a pena ter algo para beliscar de três em três horas ou menos, até mesmo para manter o corpo energizado. Eu gosto de sempre levar algo salgado e algo doce, para levantar o moral. Mas não é para levar muita coisa, apenas umas pequenas porções de lanchinhos. Chocolates e barras de cereal cumprem bem o papel. Tem gente que gosta de levar sanduíche embalado em papel filme, ou frutas. Tome apenas cuidado com alimentos barulhentos (como salgadinhos) e que tenham um cheiro muito forte (como goiabada!). Vale a pena levar uma sacolinha plástica para ir colocando as embalagens vazias ao longo do vôo (em vez de colocar tudo de qualquer jeito – e sem higiene – no bolsão da frente).
  6. Cuide da sua saúde. Pode parecer frescura, mas os aviões não são limpos com a frequência e qualidade ideais. Por isso, leve com você um pacote de lenços umedecidos (se forem anti-bacterianos, melhor) e passe no apoio para braços e na mesinha, quando for usá-la. Eu também gosto de levar sempre um potinho de álcool em gel para passar nas mãos depois de usar o banheiro. Eu acho que o pacote de lencinhos é sempre útil porque nunca se sabe quando vamos derramar suco na roupa ou em cima da mesa do avião.
  7. Escolha bem sua bagagem de mão. Eu vejo de tudo nos aeroportos: pessoas que levam uma bolsa + uma mala de bordo. Outras que levam uma mochila. Outras que levam apenas uma mala de bordo. Outras, bolsa + necéssaire de mão. Eu costumo viajar bastante a trabalho e, nesses casos, prefiro levar uma pasta executiva com tudo o que vou usar no vôo + uma pequena sacola (de pano, flexível, com zíper) com amenidades para quando chegar lá (casaco, muda de roupas caso a mala extravie, carregadores). Já levei tudo em uma única mala de bordo (que fica no compartimento superior) e acho chato ter que ficar toda hora levantando para pegar o que está ali, além de ser desconfortável abrir uma mala na poltrona. Também já aconteceu de eu levar uma única mochila e ficar muito apertado… Então hoje, o que faço, é levar duas bolsas de mão, mas ambas pequenas. Leve em conta também que, em viagens longas, o espaço nos compartimentos superiores é disputado, então malinhas mais rígidas ou maiores podem não caber. O que é importante: o que você vai usar durante o vôo deve ficar com fácil acesso, de preferência embaixo da poltrona da frente. Essa bolsa ou mochila não pode ser grande, senão prejudicará o seu conforto (não tem espaço suficiente para colocar os pés). Então verifique a configuração que funciona melhor para você.
  8. Distribua o tempo. Tente planejar mais ou menos o que pretende fazer ao longo do vôo, para se programar. Você pode estabelecer que vai ler nas duas primeiras horas de vôo, depois assistir um filme, depois tentar dormir um pouco, aí ouvir música quando acordar, organizar seu computador (não faça isso com alguém dormindo ao lado, a não ser que a pessoa esteja com máscara de dormir, por favor), ler de novo, e por aí vai. Isso pode te dar uma ideia do que fazer em cada um desses momentos. Como eu gosto de planejar, me ajuda a ver o tempo passar.

E você, tem alguma dica que funciona para longas viagens de avião? Compartilhe nos comentários! :)

19 May 2015

Atividades que você pode fazer no aeroporto se não tiver Internet

Eu viajo bastante, então acabei desenvolvendo uma lista de atividades que posso fazer quando estiver fazendo escalas, conexões ou esperando em um aeroporto e não tiver acesso à Internet. Seguem algumas sugestões:

  • Organizar o Evernote. Essa é a minha preferida! Adoro aproveitar o momento de viagens e sem Internet para organizar minha caixa de entrada no Evernote, excluir notas obsoletas e organizar meu arquivo lá enfim.
  • Ler um livro. Sempre levo um livro ou um e-reader comigo e gosto de aproveitar esse momento de paz para ler um pouco.
  • Processar a minha caixa de entrada. Tenho uma pasta “In” no meu “escritório móvel” (minha pasta), onde insiro todos os papéis que vou coletando ao longo do caminho. É excelente aproveitar esse período no aeroporto para processar com calma o que estiver ali.
  • Digitalizar comprovantes. Mesmo que você esteja sem Internet, pode usar seu celular, tablet ou câmera para digitalizar os comprovantes que acumulou ao longo da viagem. Isso pode ser especialmente útil se você prestar contas para a empresa que estiver custeando a sua viagem.

weekly-review-sheldon

  • Ler uma revista. Se você quiser distrair a cabeça, pode ser uma boa ter uma leitura leve com você nesse momento, ou mesmo uma revista de atualidades para saber o que está acontecendo no Brasil e no mundo com um pouco mais de profundidade que as notícias diárias que vemos de relance na Internet.
  • Escrever sobre seus pensamentos. Não precisa fazer um diário, mas pode ser bom rabiscar um pouco sobre a vida, escrever como está se sentindo ou fazer mapas mentais de projetos.
  • Retornar alguns telefonemas. Esse é o momento ideal para ligar, trocar recados, conversar e avisar da sua partida aos familiares.

E você, o que costuma fazer quando está sem Internet esperando no aeroporto?

10 May 2015

A principal dica de organização que eu aprendi com a minha mãe – participação dos leitores

Na última semana, eu publiquei uma enquete aqui no blog perguntando aos leitores qual a principal dica de organização que cada um aprendeu com a sua mãe. Foram 255 participações (obrigada!), o que tornaria inviável publicar todas aqui. Por isso, selecionei algumas e espero que vocês gostem das dicas que as mamães ensinaram ao pessoal.

“Minha mãe foi a primeira a me ensinar a reunir por semelhanças e separar por diferenças… Guardar as roupas, a louça… Melhor forma de aproveitar espaços não há!” – Maristella Soares dos Santos

“Foram muitas, mas acho que a principal é a de manter as gavetas do guarda roupas sempre arrumadas, em especial as de meias e lingeries. As meias devidamente dobradas com seus pares em pequenos rolinhos, as calcinhas bem dobradinhas todas do mesmo modo e os sutiãs em ordem um em cima do outro. As de camisetas então nem se fale: todas dobradas e empilhadas. E ai se fizer bagunça e tirar tudo da ordem!” – Cristiane Pereira Novais

“Não é bem uma dica de organização é uma frase que ela sempre me dizia “Tarefa feita sem organização, trabalho dobrado””. Quando estou executando uma tarefa e bate aquela preguiça lembro da frase, percebo como ela tinha razão…” – C.

“Minha mãe é uma pessoa muito prática já que muito atarefada. Entre os poucos momentos que passamos juntas tenho que o maior ensinamento sobre organização foi o de arrumar a cama assim que levantar.Simples e direta, segundo ela o dia só se inicia com a cama arrumada, pois seria o sinal de que o sono ficou pra traz. Confesso que o fato de eu arrumar a cama não cessa meu sono, mas que ajuda a eu não voltar a tirar uma soneca… ah! isso ajuda mesmo.” – Mariana

“Cada coisa em seu lugar. Quando tirar um objeto de um lugar, coloque no mesmo lugar, assim fica mais fácil de achar. É verdade mesmo, quando não encontrava alguma coisa em casa,ela sempre dizia: “Porque não estava no lugar de onde foi retirado.” Hoje em dia, procuro fazer o mesmo na minha casa e passo a lição pra minha filha.” – Tania

“Minha mãe não é la muito organizada…rs …. mas me ensinou varias coisas na vida que jamais esquecerei. Acho q uma das dicas de organização mais que ela me ensinou foi na minha infancia, na época de escola. Eu estudava de manhã e ela me ensinou a deixar todo o material arrumado e a roupa que ia usar preparados no dia anterior, pra não ficar atrapalhada na manhã. Além disso ela me ensinou a me organizar para levantar sozinha com o despertador. Eu me lembro que com 12 anos eu ja me organizava e levantava sozinha, me arrumava e tomava meu café antes de ir pra escola. Hábitos que faço até hoje, mas agora para o trabalho. :)” – Mônia

“Que a Rotina é melhor maneira de se organizar!” – Ellen Flizicoski

“Categorizar tudo. Minha mãe ama caixas e etiquetas, e confesso que eu passei muitos anos da minha vida achando isso a maior besteira. Porém quando casei e fui morar na minha própria casa, percebi que realmente fazia muito sentido o que ela tinha me ensinado, e passei a usar para tudo!” – Aline Rocha

“Aprendi com minha mãe, a não guardar coisas, a se “destralhar” … quando criança isso era bem difícil, como se tornou um hábito, hoje ela diz que exagero, procuro não ficar com nada que não tenha utilidade … adoro me desapegar e hoje procuro nem mesmo comprar coisas desnecessárias… agora é outra fase … abraços” – Mônica

“Aprendi com a minha mãe a sempre por no papel tudo o que precisa ser pago e o que ainda preciso pagar.” – Lidicleia Pereira

“Não deixe acumular tarefas!” – Chaianna Cardoso

“Sempre terminar o que começar. Vejo pessoas que começam a montar um quebra-cabeça, ler um livro, etc. e não terminam, isso vai se acumulando, ou termino, ou desisto, em 99 % termino, senão a minha vida fica desorganizada.” – Agnaldo

“A minha mãe é uma pessoal que me inspira em diversos aspectos, e ser organizada é um traço marcante da sua personalidade (já da minha…rsrsrsrs!). Mas, se tivesse que destacar dois ensinamentos especiais a respeito de organização, seria a ideia de que é uma prática libertadora, uma atividade constante que permite que vivamos em paz, em um ambiente acolhedor e que valorize o que nos é mais importante. Um outro ensinamento muito marcante diz respeito à percepção do presente e ao valor que se dá a bens materiais, que é reduzido pela minha mãe na seguinte máxima: “as coisas (de casa) estão aqui para me servir, e não para que eu as sirva”. Acho que essas duas ideias mostram bastante do caráter da minha mãe, que é muito terna, mas tem um senso prático sem igual.” – Isabela

“Lave a louça enquanto cozinha! É infalível!!!! Senão quando acaba de cozinhar a gente fica com aquela pia de dar desânimo!!!!!” – Bel Frazão

“Minha mãe sempre anotou o quanto ganhava e o quanto gastava. Mas era tudo mesmo, até o pãozinho na padaria (naquela época R$0,10). Ela conservava um caderno pequeno que ela fazia as anotações religiosamente. E assim sempre ensinou-me a ter meus gastos na ponta do lápis. Ahhh, anteriormente eu fazia planilha em excel e atualmente tenho um aplicativo financeiro, estou certa que ela adoraria a praticidade dessas anotações.” – Emanuelle Bezerra

“A principal dica que minha mãe me dá até hoje é como ser minimalista em relação a casa. Temos pouquíssimos moveis, pouquíssimos itens em cima deles, tudo muito com cores claras e fica sempre com um ar arejado. Isso faz com que nossa casa pareça sempre arrumada.” – Mayara Dantas

“É engraçado a vida…..mas hoje depois de refletir sobre tudo que pude aprender com a minha mãe (que não está mais conosco) vejo como são valiosas e queria ter podido ter mais amadurecimento para poder ter aprendido mais e mais……….ela nunca desistiu de nada (mesmo no hospital fazia o seu croche) me ensinou a nunca a acumular coisas como por exemplo na cozinha sempre que fazia uma coisa já ia lavando o que sujava sem deixar acumulado na pia…….também colocava em ordem ao lavá-las….primeiro os copos, depois os pratos os talheres e por último as panelas…….espero ter contribuído.” – Angela

“Olá! Minha mãe é uma pessoa muito organizada, ao contrário de mim rs.
No entanto, o que ela me ensinou desde criança e que aprendi muito bem é a organização relacionada à compras com cartões de crédito. Ela sempre me ensinou a explorar as melhores datas para compra, vantagens ou desvantagens de parcelamento e nunca acumular dívidas. Ela me ensinou a ter o cartão de crédito como um aliado e não ser refém dele.” – Marina Fatobene

“Sempre fazer o que for rápido e logo “tirar da frente” ou primeiro a obrigação, depois a diversão. O que vem a ser NÃO PROCRASTINE.” – Consuelo

“Aprendi com ela tudo o que sei sobre cozinha, que temos que ter organização para cortar os alimentos, saber misturar os elementos que combinem, ter organização com as panelas, enfim… A minha mãe deu aulas por 22 anos de Culinária, de bolos confeitados, bolos finos, salgados variados e etc, em uma época que não havia internet. Ela sempre estava com apostilas estudando suas receitas. Espero ter herdado pelo menos um pouco do seu dom, pela arte de cozinhar. Hoje sou vegetariana e ela com 82 anos continua a invetar coisas vegetarianas diferentes para a minha família. Ela não tem ideia do orgulho que eu tenho de ser sua filha. Mãe Reni te amo!” – Rose Cunha Vidal

“De uma maneira não muito confortável, aprendi com minha mãe sobre a organização do meu guarda roupas. Quando eu era criança tinha o hábito de jogar minhas roupas dentro do armário sem dobrar ou sem qualquer tipo de ordem, e ela sempre dizia que ia colocar todas as minhas roupas dentro de uma sacola pra ela não precisar arrumar tudo, já que eu gostava de tudo bagunçado… rs Depois de um breve tempo, em um dia lindo voltando da escola, eis que me deparo com o armário vazio! E pra minha surpresa (porque na real eu duvidava que ela faria aquilo… rs) uma sacola do lado da minha cama, com o que? simplesmente todas as minhas roupas… rs
Cômico e trágico, mas depois dessa eu me tornei mais organizada com os armários (acredite, mais que ela) e hoje em dia com praticamente tudo que eu faço. Gosto bastante dessa referência de organização da minha mãe, acho uma história engraçada e certamente se um dia eu tiver filhos eles saberão!
Beijos Thais!” – Poliana Marques

“Escrever listas de tarefas da semana.” – Gisele Jardim

“Sempre revisar a papelada e sempre se livrar dos papéis (reciclando) e livros (doar) que não vão mais serem usados!” – Laura Kerstenetzky

“Eu tenho 2 filhos e sempre me atrapalho para arrumar as malas para viajarmos. Minha mãe teve 4 filhos e está com Doença de Alzheimer avançada agora. Mas no início da doença, em uma viagem que fizemos para comemorar os 50 anos de casamento de meus pais, em que fomos toda a família, e, que tivemos que fazer a mala para ela, perguntei como ela fazia para arrumar a mala de 4 crianças e mais a dela e de meu pai para viajarmos. Ela me respondeu que pedia para os 4 trazerem no quarto dela, em ordem, primeiro as calcinhas e cuecas, depois as meias, depois blusas e assim por diante. Não me lembro disso na minha infância. Mas, mesmo doente, ela conseguiu me dar uma boa lição de organização.” – CMLB

“Com a minha mãe eu aprendi que não adianta tirar um dia inteiro da semana pra organizar a casa toda de uma vez, e sim que é muito melhor organizar uma coisa de cada vez e aos poucos todos os dias, porque a casa se mantém organizada sem grandes esforços. Outra coisa muito importante que aprendi foi com uma mãe de coração, minha tia, que é a dica de que não adianta ter um roupeiro cheio de roupas que não usamos, e sim mantermos apenas as peças que realmente amamos e ir doando peças menos usadas quando peças novas entram no roupeiro. Não tenho grande apego pelas minhas roupas, são poucas as que eu não abriria mão, e agradeço muito à minha tia por isso. Depois, quando conheci o Vida Organizada e dei de cara com dicas como essas, me apaixonei e desde então acompanho todas as postagens, porque certamente sempre há o que aprender.” – Franciele

“Aprendi com minha mãe a ter uma rotina de horários no dia a dia, como pra comer, dormir, almoçar… Acredito que isso vai me ajudar muito quando eu for mãe.” – A.

“Anotar as tarefas a serem realizadas e prestar atenção quando estou guardando algum objeto, porque eu era muito desligada.” – Juliana

“Minha mãe sempre foi muito econômica. No inicio da minha fase adulta, eu gastava muito, me endividava nos cartões e queria tudo! Minha mãe me ensinou a importância do dinheiro, como é difícil ganhar, que devemos saber se “queremos” ou “precisamos” e nunca gastar tudo o que ganhamos. Foi muito importante este ensinamento para a minha vida, a construção do patrimônio e para ter uma confortável vida financeira, sem me tornar refém dos cartões e bancos.” – Claudia

“Minha mãe sempre foi muito perfeccionista e super organizada. Desde que me entendo por gente, nunca vi as gavetas dela bagunçadas, e as do meu pai também. Tudo no mesmo lugar a anos. Quando me casei, pensei que receberia dicas de como manter minhas gavetas assim, já que sou um desastre, mas ela, feminista que só, me disse: “entregue as roupas para que seu marido as guarde, jamais coloque as coisas na gaveta pra ele” Perguntei: “-porque mãe?” E ela: “- quem faz isso é a mãe, não a esposa.”” – Claudia Gualberto Ferreira

“Desde criança minha mãe sempre me ensinou a ser extremamente independente. Essa foi uma dentre todas as outras q ele me passou.” – Patricia

“Minha mãe de meu várias dicas. Mas a principal delas foi de sempre separar os documentos necessários para qualquer tipo de ocasião. Vai fazer uma prova no dia tal? Já separa sua identidade. Vai renovar o passaporte? Já separa os documentos necessários. Vai resolver qualquer pendenga? Já separa os documentos pra isso. Hoje em dia, esse procedimento “”evoluiu”” com a minha implementação do Tickler. Obrigado mamãe!!!” – Felipe Grisi

“A principal dica que minha mãe me deu (ou eu aprendi por observar minha mãe, veio por herança genética, não sei bem o modo de transmissão…) é chegar cedo aos compromissos. Isso vale para tudo: viagens de ônibus e avião, encontros marcados, almoços. Aprendi que, quando é um compromisso só nosso, chegar cedo implica em não passar nervoso com imprevistos e fazer a nossa parte para que tudo ocorra direito. Quando se trata de compromissos que envolvem outras pessoas, não temos o direito de usar o tempo dos outros como nos aprouver, porque não somos mais importantes que ninguém. Estar na hora marcada é uma questão de respeito, fundamental para a vida em sociedade.” – Evelyn

“Não está usando, passa adiante! Alguém está precisando e também é uma coisa a menos pra te atrapalhar (quando tinha roupas/sapatos que não usava mais e ficavam rolando no armário). Meu pai sempre brinca dizendo que ele tem que se cuidar então! hahahahah Hoje falo isso pra minha filha, se ela quer um brinquedo novo, tem que escolher algum pra se desfazer.” – Carla Lunkes

“Oi Thais,
Minha mãe sempre foi uma pessoa organizada, e durante a vida ela me deu muitas dicas, mas a maioria delas só começou a fazer sentido pra mim depois de uma certa idade (hoje estou com 34).
Uma delas era separar por envelopes os documentos do IR (extratos, holerites), assim quando fosse a hora de fazer o imposto, já estava tudo arrumadinho.
Outra dica era a de deixar as roupas prontas pra trabalhar no dia anterior. Comecei a trabalhar com 17 e ainda morava com ela. Comecei a fazer isso “de verdade”, por mim mesma ha uns dois anos atras, pensando “sabe que ela tinha razão?”.
Outra: Deixe coisas saudáveis a mao para comer, assim quando a fome bater vc nao vai atacar a primeira coisa que ver na geladeira. Ou sim, só que a primeira coisa que ver na geladeira será saudável (uma fruta ja lavada e cortada, por exemplo).
O conceito de spring cleaning: Todo começo de janeiro a gente “desmontava a casa” e arrumava tudo e ela fazia isso ser tao divertido. Só muito mais tarde que eu soube que isso nao é uma rotina em todas as casas, rs.
Eu devo tanto, mas TANTO à minha mãe que nao sei nem como explicar sem deixar esse texto longo. E o que eu acho engraçado é que acho que ela nem sabe o tanto que fez por mim.. acho que vou mandar pra ela isso que estou mandando pra voce rs
Um beijo e feliz dia das maes!” – Roberta

Obrigada a todos que enviaram! Fiquei emocionada com diversos depoimentos e espero que vocês tenham gostado também.

E parabéns a todas as mães que ensinaram seus filhos a arrumar a cama assim que levantarem! Acho que essa dica foi citada por 90% dos leitores. :)

A principal dica que a minha mãe me deu foi a sempre ser muito prática com tudo e não perder tempo com bobagens. Minha mãe sempre foi aquela pessoa que coloca a mão na massa para tudo e não perde tempo. Eu certamente devo isso a ela!

Feliz Dia das Mães a todas as mães que lêem o blog!