Mudança

Posts na categoria Mudança.

25 Jun 2014

Planejando uma mudança sem perder a sanidade

Imagem: Doing it wright

Imagem: Doing it wright

Estamos nos preparando para fazer a nossa terceira mudança em três anos. Não vou dizer que não estou contente com isso, pois estamos planejando a volta para a nossa cidade, onde vivem a nossa família e amigos. Porém, mudar de casa sempre é um processo cansativo. Se a gente não se planejar direitinho, a tendência é enlouquecermos, pois há muito a ser feito. Resolvi reunir então neste post algumas dicas para mudar sem perder a sanidade, e espero que ajudem quem esteja passando por esse momento também:

Comece a planejar o quanto antes

Nós mesmos não temos urgência na mudança – apenas sabemos que ela precisa ser feita o quanto antes. Felizmente, não há prazos. Mesmo assim, é importante começar a se planejar o quanto antes para que a transição seja suave para todos os envolvidos. Quem tem crianças em idade escolar precisa ficar atento ao ano letivo, por exemplo. Ou seja: sabendo que deverá haver uma mudança, já comece a pensar a respeito. Transforme-a em um projeto onde você guardará ideias e tomará providências.

Antigamente, eu costumava montar um fichário especialmente para guardar o que fosse relacionado à mudança. Hoje, é muito mais comum utilizar o Evernote, o que recomendo. Além de manter tudo sempre à mão em qualquer dispositivo que você tenha, também é fácil de compartilhar com outras pessoas, se precisar. Você também pode manter checklists e lembretes na ferramenta.

Quando você decidir a data da mudança, planeje-se na sua agenda também, inserindo prazos de tarefas que deve executar até 6 meses antes, 3 meses, 1 mês, 15 dias, 1 semana, 1 dia e assim por diante.

Destralhe, destralhe, destralhe

Eu contei recentemente, e tenho quase 650 livros. 650, amigos. Amo meus livros, mas a cada mudança que eu faço, é um martírio. Eles são o único peso extra que me permito em mudanças, então a responsabilidade pelo resto aumenta. É inadmissível a gente abrir uma caixa na casa nova e descartar algo que estava dentro. Logo, é importante fazer essa seleção antes de se mudar – muito provavelmente até mesmo antes de começar a encaixotar seus pertences. Se deixarmos para decidir enquanto encaixotamos, a tendência é colocar tudo dentro da caixa porque é mais fácil fazer isso que decidir dar outro fim ao objeto. Portanto, antes mesmo de começar a empacotar tudo, destralhe.

Há muitos objetos que podem ser doados ou até mesmo vendidos. Hoje, com tantas opções de canais online para isso (OLX, Bom Negócio, o próprio Facebook), é bobeira ficar com coisas em casa que já não sirvam mais para a gente. Quem não quiser vender pode ajudar alguém fazendo uma doação, pois sempre tem alguém que precisa de algo que a gente não use mais.

Além de diminuir a quantidade de coisas que precisarão ser encaixotadas, você se liberta. É libertador viver com o que for necessário ou amamos muito, sem tralhas.

Peça ajuda

Se alguém se oferecer para ajudar, aceite. Se for possível, peça. Mesmo que você contrate uma empresa para carregar as caixas e transportar seus pertences, sempre é necessário ter alguém para ficar com os cachorros, os filhos, abrir a porta na residência nova, trazer comida ou apenas dar uma animada na gente.

Divida uma grande mudança em tarefas menores

Sempre que a gente pensa em mudança, admita: o estômago dá uma embrulhada, os olhos se contraem, a cabeça dói. Mesmo eu que sou organizada acho o processo todo de mudar muito complicado e que demanda muito esforço e dedicação de tempo. Portanto, uma boa dica é diluir as tarefas ao máximo que você puder. Precisa encaixotar seus pertences? Vá fazendo aos poucos, com os itens que usa menos. Isso vale para todo o resto. Já veja que serviços podem adiantar a instalação na casa nova, o que já pode ir cancelando, as mudanças de endereço que precisará fazer, entre outras atividades.

É muito importante, ao longo do processo de mudança, a gente ter um tempo pra gente mesmo, pra descansar e continuar com nossas atividades normais. Não dá para viver em função da mudança e estar sempre exausto por conta dela. Assim, quando tiver um tempinho, destralhe um pouco ali, encaixote algumas coisas que já são quantidade suficiente para fechar uma caixa, e assim vai.

Encaixote pensando na arrumação depois

Isso sempre deu muito certo comigo e é uma dica que eu passo adiante: seja organizado ao encaixotar seus pertences. Guarde o que realmente quiser levar (destralhando antes) e faça uma lista do que tem dentro de cada caixa. Além disso, procure deixar juntos os itens que precisam ser usados no mesmo cômodo. A maneira que uso para organizar minhas caixas é organizando por cômodo (Cozinha 1, Cozinha 2 etc) pois, assim, quando a mudança for feita, as caixas já ficarão no seu cômodo certo, facilitando a arrumação.

Outra dica que costumo dar é a de montar uma “caixa de sobrevivência”, com os itens que serão utilizados assim que chegar na casa nova. Papel higiênico, papel toalha, uma muda de roupas para cada um da família, shampoo, sabonete, toalhas, esponja, detergente, pente, chinelos, panos de limpeza e tudo o mais que você achar imprescindível ter logo à mão assim que chegar. Isso é legal porque, chegando com as caixas, você já abre essa primeira e tem todas as necessidades básicas da família atendidas. Não precisa ficar procurando pela caixa do banheiro onde estão o papel e o sabonete, por exemplo. Para mim, sempre funcionou muito bem fazer dessa forma.

Essas dicas acima são simples, mas podem ajudar muito a manter sua sanidade durante a mudança, e eu sinceramente espero que isso aconteça.

Veja tudo o que já foi publicado sobre mudanças no blog.

E você, tem alguma dica para passar pelo processo de mudança sem ficar muito cansado ou traumatizado? Compartilhe nos comentários!