Sua alimentação

08 Jan 2015

Simplificando a alimentação – preparos mais simples e menu semanal sem neuras

Um assunto que sempre me vem à mente quando se trata de simplificar é a questão da alimentação. Cresci vendo as minhas avós começarem a cozinhar desde muito cedo o que a família comeria na hora do almoço e, por volta das três da tarde, já começarem a preparar o jantar. Depois, quando cresci e tive a minha casa, fui vendo que as coisas não eram assim tão fáceis. Se eu quisesse comida fresquinha todos os dias, teria que chegar do trabalho, cansada, depois do trânsito, e ainda investir um tempo nisso. Por mais que nosso amigo Oliver lance livros com receitas de 30 minutos e a gente conheça pratos de preparo bem rápido, o conjunto da obra – comprar, preparar, cortar, picar, descascar, lavar – leva bem mais do que isso. Aí, precisamos tomar algumas decisões, que são:

  • Fazer o trivial no dia a dia, sem complicações
  • Preparar algumas guarnições com antecedência (arroz, feijão, salada) e deixar para fazer na hora só o que precisa estar fresquinho (carnes, legumes, frutas)
  • Comprar algumas comidas prontas
  • Comer fora ou pedir delivery :(

No dia a dia, não tem como a gente fugir das opções acima. A não ser, é claro, que você trabalhe cuidando do seu lar e possa dedicar uma boa parte do seu dia à alimentação da família. De modo geral, as pessoas não têm essa condições e, as que têm, não têm problemas com essa rotina. O post visa então aqueles(as) que precisam simplificar o preparo da comida no dia a dia para conciliar com uma rotina bastante corrida, onde nem sempre se pode depender da colaboração de outras pessoas (quem mora sozinha/o, é mãe/pai solteiro etc).

080115-alimentacao

Eu continuo recomendando a aplicação de um menu semanal. O que significa isso? Significa simplesmente você listar sete pratos para fazer ao longo da semana e basear sua lista de compras nos ingredientes que vai precisar. Exemplo:

  1. Domingo – Espaguete com molho de tomate e frango assado
  2. Segunda – Estrogonofe de frango com arroz branco
  3. Terça – Arroz, feijão e bife acebolado
  4. Quarta – Arroz, feijão e frango grelhado
  5. Quinta – Filé de frango empanado com purê de batatas
  6. Sexta – Pizza
  7. Sábado – Bruschettas e asinhas de frango apimentadas

O exemplo acima é bastante simples e trivial. Para mais informações sobre como montar um menu semanal, clique aqui. A ideia é listar os pratos principais (que você fará só uma vez por dia e, quem ficar em casa, repete no almoço), saladas que entrarão como acompanhamentos, assim como os lanches no decorrer do dia e o que você vai comer no café-da-manhã. Tem até uma planilha aqui no blog que você pode baixar e usar, se for fã de planilhas. A ideia é que, com essa lista simples, você vá ao mercado apenas uma vez por semana e compre a quantidade suficiente para todos os dias, evitando também o desperdício e fazendo compras inteligentes.

Uma dúvida que as pessoas comumente têm com relação ao menu semanal é se ele não deixa o preparo da comida muito “engessado”. Você não precisa fazer o espaguete no domingo, se não quiser. O que importa aqui é ter os sete pratos e saber que, ao longo da semana, você irá prepará-los. Se você vai fazer na segunda ou na quinta, isso você escolhe no dia. A vantagem do menu semanal é que você não precisa ficar tirando ideias de última hora para decidir o que vai fazer, mas optar por aquelas que você já pensou previamente. Também garante que não faltará nenhum ingrediente necessário. Agora, que pode te dar aquela vontade de comer um bife à parmeggiana em plena quarta-feira e você não ter programado isso para o seu menu semanal, pode! Mas é exceção. Vá ao mercado e compre o que for preciso para fazer esse prato. O que a gente não faz, quando se fala em organização de qualquer coisa, é pautar nossas decisões com base no que é exceção.

Somente a aplicação do menu semanal já simplifica bastante a rotina de alimentação porque traz tranquilidade ao dia a dia. Não sei vocês, mas eu fico mais de uma hora decidindo o que vou fazer de comida se deixar para decidir na hora. Vejo o que tenho na geladeira, no freezer, na despensa, o que está vencendo. Tudo isso pode ser feito, mas antes das compras! Aí você aproveita o que tem, o que está vencendo, e compra somente o necessário. Particularmente, é uma das dicas de organização que mais gosto.

Além disso, procure simplificar sua alimentação da melhor forma possível. Algumas dicas adicionais:

  • Vale a pena estar com seus exames médicos em dia e consultar um nutrólogo para saber qual a alimentação mais correta para você. Com base nisso, você pode saber quais alimentos pode e quais não pode ingerir. Não adianta comprar pizza pronta no mercado se você tem intolerância a glúten.
  • Pratos prontos são muito práticos, mas no geral contêm conservantes e alto teor de sódio. Evite. Se for comprar pratos prontos, vale a pena encomendar no açougue do bairro, por exemplo. Alguns restaurantes fazem pratos diversos sob encomenda. Às vezes, dependendo da ocasião, o tempo que você economiza compensa o dinheiro gasto.
  • Prepare com antecedência e congele alguns alimentos. Sei que muitas pessoas não gostam de fazer isso então, se for o seu caso, pule esta dica. Porém, para quem não se importa, há uma vasta gama de opções, do arroz ao pãozinho.
  • Procure pautar seu menu semanal no aproveitamento dos alimentos também. Se fizer feijão em um dia, vale a pena usar o ingrediente em outros pratos ao longo da semana – bolinho de feijão, feijão como acompanhamento, tutu, caldo. Todo alimento pode ser aproveitado.
  • Compre saladas prontas, já higienizadas. São mais caras, mas podem ser uma excelente solução caso você seja aquela pessoa que não come salada porque não tem tempo de lavar.
  • Com o menu semanal, descongele carnes e alimentos com antecedência. Um dia antes, desça do freezer para a geladeira, por exemplo, para facilitar o processo de descongelamento quando chegar do trabalho.
  • Comer fora e pedir comida são atividades práticas e prazerosas no dia a dia, mas fazem com que a gente gaste muito dinheiro! Limite esses gastos para que eles não sejam recorrentes.
  • Para os pratos principais, só invente moda se você estiver com tempo (como aos finais de semana, por exemplo). Para o dia a dia, pense em uma proteína + um acompanhamento de carboidrato + uma salada e já está excelente para a maioria dos mortais!
  • Deixe o que for usado no café-da-manhã em uma bandeja na geladeira e outra na despensa e apenas leve as duas para a mesa pela manhã, em vez de ter que perder um tempão colocando uma coisa de cada vez. Depois, leve de volta.
  • Deixe os lanches já separados em porções para facilitar no dia a dia, especialmente para as crianças em idade escolar.
  • Por fim, a dica final é uma frase que a minha mãe diz muito, e que eu adoro: quem compra na feira, economiza na farmácia. Faça isso! Frequente a feira do seu bairro uma vez por semana e compre alimentos frescos e saudáveis. Além de mais baratos, sua saúde agradece.

E você, já pensou em simplificar a sua alimentação? Como você vem fazendo?

06 Oct 2014

Menu semanal para 6 a 12 de outubro

menu-semanal

O objetivo de criar um cardápio semanal é facilitar o seu dia-a-dia. Quem nunca perdeu tempo pensando no que fazer para jantar, vasculhando os ingredientes pela despensa e na geladeira? Você não precisa disso. Leia o texto Como planejar o menu semanal (guia prático para pessoas ocupadas) e otimize a sua rotina.

Seguem sugestões de receitas para você incrementar o menu desta semana:

Para o dia a dia

Petiscos

Sobremesas

Bom apetite!

29 Sep 2014

Menu semanal para 29 de setembro a 5 de outubro

menu-semanal

O objetivo de criar um cardápio semanal é facilitar o seu dia-a-dia. Quem nunca perdeu tempo pensando no que fazer para jantar, vasculhando os ingredientes pela despensa e na geladeira? Você não precisa disso. Leia o texto Como planejar o menu semanal (guia prático para pessoas ocupadas) e otimize a sua rotina.

Seguem sugestões de receitas para você incrementar o menu desta semana:

Para o dia a dia

Petiscos

Sobremesas

Bom apetite!

08 Sep 2014

Menu semanal para 8 a 14 de setembro

menu-semanal

O objetivo de criar um cardápio semanal é facilitar o seu dia-a-dia. Quem nunca perdeu tempo pensando no que fazer para jantar, vasculhando os ingredientes pela despensa e na geladeira? Você não precisa disso. Leia o texto Como planejar o menu semanal (guia prático para pessoas ocupadas) e otimize a sua rotina.

Seguem sugestões de receitas para você incrementar o menu desta semana:

Para o dia a dia

Petiscos

Sobremesas

Bom apetite!

01 Sep 2014

Menu semanal para 2 a 7 de setembro

menu-semanal

O objetivo de criar um cardápio semanal é facilitar o seu dia-a-dia. Quem nunca perdeu tempo pensando no que fazer para jantar, vasculhando os ingredientes pela despensa e na geladeira? Você não precisa disso. Leia o texto Como planejar o menu semanal (guia prático para pessoas ocupadas) e otimize a sua rotina.

Seguem sugestões de receitas para você incrementar o menu desta semana:

Para o dia a dia

Petiscos

Sobremesas

Bom apetite!

25 Aug 2014

Menu semanal para 25 a 31 de agosto

O objetivo de criar um cardápio semanal é facilitar o seu dia-a-dia. Quem nunca perdeu tempo pensando no que fazer para jantar, vasculhando os ingredientes pela despensa e na geladeira? Você não precisa disso. Leia o texto Como planejar o menu semanal (guia prático para pessoas ocupadas) e otimize a sua rotina.

Seguem sugestões de receitas para você incrementar o menu desta semana:

Para o dia a dia

Petiscos

Sobremesas

Bom apetite!

19 Aug 2014

Livros de culinária que vale a pena a gente ter em casa

Como meu marido é aspirante a chef, nós temos falado bastante sobre culinária e gastronomia aqui em casa, e outro dia comentamos sobre como é bacana a gente comprar alguns livros de culinária, mas talvez nem todo mundo saiba o que vale ou não a pena. Por isso, pedi algumas dicas para ele e juntei com alguns que eu mesma recomendo para escrever este post.

Veja os livros que a gente acha que vale a pena ter em casa sobre esse assunto (com receitas):

190814-livros-culinaria

 1. Economize com Jamie (Ed. Globo)

Recomendo esse livro do James Oliver porque ele traz muitas dicas de reaproveitamento de alimentos, o que considero essencial quando falamos em uma rotina organizada. Ele traz 120 opções de pratos com reaproveitamentos. Uma equipe nutricional acompanha todo o trabalho para garantir que as receitas sejam equilibradas, contendo ingredientes de cada um dos grupos alimentares. ‘Economize com Jamie’ ensina como comprar bem e desperdiçar menos. Na visão do chef inglês, comprar bem significa explorar supermercados, açougues, feiras, peixarias e mercadinhos do bairro – tudo vale a pena para encontrar um produto de excelente qualidade pelo melhor preço. Ele explica o que é preciso saber na hora de escolher os ingredientes e também como aproveitar ao máximo o que você tem em casa, substituindo alguns ingredientes por outros, evitando assim o desperdício.

2. Como cozinhar sem receitas (Ed. Gutenberg)

Meu marido gosta de cozinhar livremente, sem se ater a receitas. Ele acredita que, quando a gente simplesmente conhece o modo de preparo de cada alimento, consegue ser criativo e preparar um monte de pratos diferentes na cozinha. Por isso, este livro do chef inglês Glynn Christian pretende mostrar como é possível criar pratos considerados como fabulosos sem que se tenha que bancar o robô o tempo todo, reproduzindo receitas criadas por outras pessoas. O autor defende o prazer e a liberdade de improvisar na cozinha, e para isso ele visa ensinar como discernir gostos e sabores, como reconhecer os ingredientes que possuem afinidades naturais ou que se complementam e como combiná-los de acordo com o que ele chama de ‘Trilha do Sabor’.

3. O grande livro da Palmirinha (Ed. Alaude)

Para homenagear a trajetória desta culinarista, apresentadora de TV, empreendedora, celebridade e, antes de tudo, cozinheira de mão cheia, este livro traz as receitas reunidas em décadas de provação e trabalho árduo, recompensadas hoje com as declarações de amor e admiração que Palmirinha recebe de gente famosa e gente comum, de celebridades e anônimos e de gente de todas as idades. São receitas do dia a dia, para incluir no menu semanal sempre.

4. Técnicas de cozinha profissional (Ed. Senac)

Para quem está começando a cozinhar ou simplesmente gostaria de conhecer as técnicas existentes, este livro do Senac traz muitas fotos e passo a passo. Com procedimentos, técnicas e fotos de todo o processo de preparo de pratos, este livro contribui para a formação do profissional cozinheiro. Apresenta rigorosa padronização de receitas, medidas e técnicas desenvolvidas pelo Instituto Internacional de Artes Culinárias Mausi Sebess. Apesar de ser feito para quem quer ser cozinheiro profissional, quem só quer cozinhar em casa mesmo, mas gostaria de aprender mais, vai tirar bastante proveito deste livro também.

5. Panelinha: receitas que funcionam (Ed. Senac)

‘Panelinha’ é o site que Rita Lobo criou no ano de 2000 para ensinar a preparar pratos saudáveis, revelando truques e manhas, de modo que qualquer pessoa consiga fazer. Para o livro, foram reunidas sugestões para variadas situações e ocasiões do cotidiano – jantares práticos, saladas elaboradas, massas rápidas, grãos para o dia a dia, comida de criança, pratos variados com peixes, aves e carnes, sobremesas saudáveis, bolos, pães integrais – tudo com o objetivo de facilitar a vida das pessoas que acreditam na boa alimentação como a base da vida.

6. Dona Benta (Ed. Nacional)

Há mais de 60 anos, ‘Dona Benta – Comer bem’ é a bíblia da culinária brasileira. A obra ganhou um novo visual, mas sem perder o charme da tradição. Pelas mãos do chef Luiz Cintra, o livro foi atualizado e ampliado, incorporando novas receitas. Um livro que ensina sobre culinária, disposição da mesa, cardápios para festas, dá dicas para principiantes e até ajuda a dona-de-casa a preparar xarope para os filhos. Daqueles que “tem que ter” mesmo.

7. Revolução na cozinha (Ed. Globo)

Optei por inserir mais um livro do Oliver porque, neste, ele ensina quem nunca consegue cozinhar nadinha a preparar pratos simples e deliciosos. Ele apresenta receitas conhecidas em versões simplificadas, ilustradas por fotografias que mostram passo a passo a preparação e, para cada uma delas, uma pequena apresentação. Além das receitas, a obra ainda mostra uma lista de utensílios essenciais para uma cozinha, assim como uma lista de itens básicos para a despensa, ambas com fotos. Ao todo são quatorze capítulos que tratam dos mais variados temas. Com ‘Revolução na cozinha’ nas mãos, todos podem se aventurar em uma cozinha.

8. Todas as técnicas culinárias (Ed. Marco Zero)

Le Cordon Bleu é a escola de gastronomia mais famosa do mundo, então tudo o que é publicado com seu nome garante muita credibilidade. Este é um livro caro, para ter como referência, se quiser. A obra contém mais de oitocentos segredos de preparação e técnicas de cozinha, ilustrados passo a passo. Inclui, também, dicas, sugestões e receitas dos ‘top chefs’ da escola. Um guia completo e ilustrado de ingredientes e técnicas, com mais de duzentas receitas básicas.

Todos os livros acima podem ser encontrados nas principais grandes livrarias e em suas lojas virtuais para entrega em todo o Brasil.